Notícias

Banca de DEFESA: ANA VALERIA COSTA DA CRUZ

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA VALERIA COSTA DA CRUZ
DATA: 29/04/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Sala Virtual (ConferênciaWeb - RNP - Link de acesso a sala abaixo do resumo)
TÍTULO: O Extrativismo em Populações de Macaúba no Maranhão, Nordeste do Brasil
PALAVRAS-CHAVES: Produtos Florestais Não Madeireiros. Arecaceae. Cadeia produtiva. Comunidades tradicionais. Estrutura populacional. Biometria de frutos.
PÁGINAS: 87
GRANDE ÁREA: Outra(s)
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

O extrativismo de recursos florestais não madeireiros (PFNM) é uma prática histórica realizada pelas populações humanas em todas as regiões e ecossistemas da Terra e reflete traços das culturas, ambientes e recursos presentes nestes locais. Os PFNM constituem-se por vezes recurso vital que proporciona segurança alimentar e renda para muitas comunidades extrativistas. No Brasil, a macaubeira (Acrocomia aculeata (Jacq.) Lodd. ex Mart.) é considerada uma das espécies de palmeiras mais notáveis, ocorrendo em diversos ecossistemas e possui diversas utilidades. Assim, a presente pesquisa buscou compreender a importância socioeconômica e cultural da macaúba para populações extrativistas que vivem numa região de Cerrado no Meio Norte do Brasil. O artigo 1 aborda a cadeia produtiva do azeite de macaúba, com enfoque para a caracterização desta atividade, assim como os desafios na comercialização deste fruto do Cerrado e suas potencialidades. O artigo 2 trata-se de um estudo etnobotânico com a comunidade extrativista quanto às áreas escolhidas para a colheita dos frutos, onde também foi avaliada duas populações da palmeira em ambiente florestal e não florestal a fim de identificar características que justificassem a preferência por estas áreas. A produção e comercialização do azeite de macaúba configura-se como uma alternativa de renda para essa parcela da população, apesar de ser “invisível” nas estatísticas municipais e estaduais e ser insuficiente para melhorar a condição socioeconômica local. Dessa forma, faz-se necessário a valorização do trabalho com a macaúba pelo poder público, a fim de criar meios para que os extrativistas ampliem seus produtos, acessem às tecnologias e melhorem as relações de comércio, aliados a conservação das palmeiras. Em relação às preferências de locais de coleta e aos critérios de extração, a predileção por áreas abertas em detrimento das florestais pode estar ligada unicamente à facilidade de acesso e não a características ecológicas das palmeiras e biológicas dos frutos.

Link de acesso a sala: https://conferenciaweb.rnp.br/webconf/clarissa-gomes-reis-lopes


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1670535 - CLARISSA GOMES REIS LOPES
Interno - 1046342 - ELAINE APARECIDA DA SILVA
Interno - 302.181.523-53 - FRANCISCO SOARES SANTOS FILHO - UESPI
Externo à Instituição - FÁBIO JOSÉ VIEIRA - UESPI
Externo à Instituição - Josiene Maria Falcão Fraga dos Santos - NENHUMA
Notícia cadastrada em: 17/04/2020 12:01
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 25/10/2021 04:01