Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: FRANCISCO IGOR RIBEIRO DOS SANTOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FRANCISCO IGOR RIBEIRO DOS SANTOS
DATA: 13/05/2020
HORA: 09:30
LOCAL: Sala Virtual (ConferênciaWeb - RNP - Link de acesso a sala abaixo do resumo)
TÍTULO: SUCESSÃO ECOLÓGICA EM FLORESTAS TROPICAIS SAZONALMENTE SECAS: INFLUÊNCIA DO CONHECIMENTO ECOLÓGICO LOCAL E FATORES AMBIENTAIS NA GERMINAÇÃO DE SEMENTES
PALAVRAS-CHAVES: Regeneração natural, Conhecimento tradicional, Etnobotânica, Florestas Secas
PÁGINAS: 58
GRANDE ÁREA: Outra(s)
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

As florestas tropicais sazonalmente secas (FTSS) são acometidas por diversos impactos relacionados à pressão humana no uso das terras e a perca de biodiversidade é iminente. A constante degradação das florestas indica que futuramente a maioria das florestas maduras serão substituídas por manchas florestais em diferentes níveis de sucessão. Objetivou-se com essa pesquisa investigar o processo sucessional e os fatores abióticos que influenciam a sucessão em florestas tropicais sazonalmente secas e o conhecimento das comunidades locais que moram e/ou usam os fragmentos florestais sobre a sucessão nestas áreas. O estudo foi realizado em fragmentos florestais do Eco Resort Nazareth (José de Freitas, PI) e em duas comunidades do entorno: Segurança II e Assentamento São Domingos. A pesquisa foi desenvolvida com “gerenciadores de terras” que possuem bastante conhecimento sobre os fragmentos florestais e sobre as áreas abandonadas. Tendo o inicio da pesquisa somente após aprovação junto ao Comitê de Ética em Pesquisas com seres humanos (CEP) da Universidade Federal do Piauí com número do parecer 3.563.801. O universo amostral foi definido de acordo com a técnica bola de neve. Os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas e turnê guiadas para coletas das espécies citadas. Obtivemos a participação de 36 “gerenciadores de terras” sendo 9 mulheres e 27 homens. Os “gerenciadores de terras” apresentaram médias de idade, moradia na comunidade e o exercício de atividades relacionadas às práticas agrícolas que envolvessem os fragmentos florestais que podem apontar uma experiência e conhecimento das espécies iniciais e tardias no processo sucessional. As espécies jatobá (Hymenaea stigonocarpa Mart. Ex Hayne); Ipê amarelo casca de burro (Handranthus crhysotrichus Mart. ex DC.) Aroeira (Myracrodruon urundeuva Allemao ) e Guabiraba (Campomanesia pubescens (Mart. ex DC.) O. Berg.) com maior número de citações que foram consideradas como colonizadoras iniciais e tardias foram selecionadas para a realização do experimento de germinação em quatro distintas áreas (pasto em regeneração, floresta jovem, floresta madura e casa de vegetação) sendo coletada diariamente a emergência das plântulas e dados ambientais. As áreas estudadas apresentaram diferença em relação aos dados abióticos com maior significância na floresta madura em relação às demais áreas e a luminosidade sendo o fator ambiental com maior variação entre os tratamentos. O estudo permitiu a compreensão de como as plantas germinadas em diferentes estágios sucessionais reagem a fatores ambientais distintos e como esses dados podem ser vitais para estratégias de semeadura direta para recuperação de áreas degradadas.

 

Link de acesso à sala: https://conferenciaweb.rnp.br/webconf/clarissa-gomes-reis-lopes


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1670535 - CLARISSA GOMES REIS LOPES
Externo à Instituição - FÁBIO JOSÉ VIEIRA - UESPI
Interno - 423289 - JOAO BATISTA LOPES
Externo à Instituição - Josiene Maria Falcão Fraga dos Santos - UNEAL
Interno - 1167785 - ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
Notícia cadastrada em: 28/04/2020 09:43
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 23/10/2021 11:18