Notícias

Banca de DEFESA: MARIANA FONTENELE RAMOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIANA FONTENELE RAMOS
DATA: 02/02/2021
HORA: 16:00
LOCAL: Banca remota
TÍTULO: “DIAGNÓSTICO DAS PERDAS DE SOLO POR EROSÃO PLUVIAL NA BACIA HIDROGRÁFICA DA BARRAGEM PETRÔNIO PORTELA, INSERIDA NO SEMIÁRIDO PIAUIENSE”,
PALAVRAS-CHAVES: RUSLE; Geoprocessamento; Sensoriamento remoto
PÁGINAS: 154
GRANDE ÁREA: Outra(s)
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A erosão do solo é um fenômeno natural que ocorre continuamente sobre a superfície terrestre, porém o seu agravamento varia conforme as características ambientais e antrópicas de cada região, tornando-a um problema ambiental. Desse modo, esta pesquisa propõe analisar as perdas estimadas de solo por erosão pluvial na bacia hidrográfica da Barragem Petrônio Portela, localizada no semiárido piauiense, levando-se em consideração a sua caracterização e análise ambiental somadas à transformação temporal de suas condições antrópicas, o que permite obter um conhecimento mais amplo da região. Para isso, apresenta-se o mapeamento das variáveis determinantes para a ocorrência de erosão hídrica na bacia, por meio do sensoriamento remoto e do geoprocessamento, realizando, também, uma análise de conteúdo sistêmico e interdisciplinar que compreenda os aspectos ambientais e socioeconômicos da região, demonstrando a importância da utilização de bacia hidrográfica como unidade espacial básica para um planejamento ambiental adequado. Depois foram gerados os mapas de perdas de solo por erosão pluvial para os anos de 2005, 2008, 2013 e 2018, através da Equação Universal de Perda de Solo Revisada (RUSLE). Dessa maneira, os componentes da RUSLE foram avaliados de forma individualizada por meio dos seguintes fatores: fator R, fator K, fator LS e fator CP. Assim, com os resultados obtidos, a erosividade das chuvas (fator R) foi de 6418,6 MJ mm ha-1 ano-1, sendo classificada como mediana. Os solos da bacia apresentaram um alto potencial de erodibilidade, com o fator K médio equivalente a 0,033 ton.ha/MJmm. Já o fator topográfico (LS) mesmo apresentando uma pequena variação, atingindo a média de 5,65, foi o fenômeno que mais influenciou na espacialização das perdas de solo na bacia em estudo. Quanto ao fator CP, observou-se que a extensão da área com solos expostos e as destinadas às atividades agropecuárias foram as maiores responsáveis pelas variações temporais das taxas de erosão. A bacia apresentou durante os quatro anos analisados, um nível de perda de solo considerado moderado a forte, dos quais 2005 e 2018 apresentaram as maiores perdas por erosão pluvial. Nesta perspectiva, espera-se que a identificação de áreas associadas a processos de erosão acelerada, realizada pelo estudo, forneçam subsídios para a criação de estratégias de planejamento de ações adequadas e associadas ao manejo e conservação dos recursos naturais na bacia hidrográfica da Barragem Petrônio Portela.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 423676 - ANTONIO CARDOSO FACANHA
Interno - 1670535 - CLARISSA GOMES REIS LOPES
Presidente - 2098982 - GIOVANA MIRA DE ESPINDOLA
Externo à Instituição - JOSELIA DE CARVALHO LEAO - UESPI
Externo à Instituição - LEONARDO MADEIRA MARTINS - UNINOVAFAPI
Notícia cadastrada em: 13/01/2021 16:43
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 20/10/2021 04:55