Notícias

Banca de DEFESA: NEYLA CRISTIANE RODRIGUES DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: NEYLA CRISTIANE RODRIGUES DE OLIVEIRA
DATA: 24/02/2021
HORA: 09:00
LOCAL: https://meet.google.com/wtw-vbja-byf
TÍTULO: Mudanças climáticas e educação ambiental: percepção e práticas de professores em escolas municipais de Teresina, Piauí
PALAVRAS-CHAVES: Ações antropogênicas; COM-VIDA; Fridays for future; Perda da biodiversidade; Refugiados ambientais.
PÁGINAS: 151
GRANDE ÁREA: Outra(s)
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

As Mudanças Climáticas (MCs) configuram-se em um fenômeno global, mas com efeitos locais. Podem causar eventos extremos ao meio ambiente como perda da biodiversidade, fluxos migratórios e alterações nos índices pluviométricos. Nesse contexto, as ações antropogênicas são apontadas como intensificadoras desses efeitos e a Educação Ambiental (EA) com potencial para transformação social e desenvolvimento de medidas de mitigação e adaptação. Este estudo possui natureza quali-quantitativa e por objetivo: Pesquisar o perfil profissional (formação e trajetória), percepção de impactos e práticas educativas utilizadas pelos professores para trabalhar as MCs em escolas municipais que possuem a política pública COM-VIDA, Teresina, Piauí. Para coleta de dados realizou-se pesquisa bibliométrica, documental e de campo (aplicação de questionários semiestruturados). Participaram desta pesquisa 24 docentes de 12 escolas da Rede Municipal de Ensino de Teresina (RMET) cadastradas no Programa Nacional de Escolas Sustentáveis (PNES). Os dados foram categorizados por Análise de Conteúdo. A bibliometria indicou aumento de publicações sobre a educação climática, principalmente a partir de 2017, com destaque para Estados Unidos e países da Europa. Constatou-se que o PES da Secretaria Municipal de Educação de Teresina (SEMEC), desenvolveu projetos de EA que abordaram temas socioambientais de importância local, mas nenhum trabalhou diretamente as MCs. Os professores consideram as MCs alterações no clima ao longo de períodos comparáveis, intensificadas por ações antrópicas, podendo causar impactos tanto aos ecossistemas, quanto às populações humanas. O termo “MCs” foi associado pelos educadores às disciplinas de Ciências e Geografia, mas perceberam as mudanças que a interdisciplinaridade tem promovido nas práticas pedagógicas, com a participação dos professores de todas as formações nas ações e projetos ambientais. Além disso, apresentam conceitos naturalistas de EA e destacam que a postura do ser humano como dissociado da natureza pode interferir na intensificação da Crise Climática Global. Contudo, os professores reconhecem o potencial da EA no desenvolvimento de medidas de mitigação e adaptação ao fenômeno climático. Portanto, sugere-se realizar novas pesquisas sobre a educação climática para comparar com os resultados encontrados nesse estudo, especialmente em escolas sem COM-VIDA.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANTONIO JOAQUIM DA SILVA - IFPI
Presidente - 1291400 - DENIS BARROS DE CARVALHO
Externo à Instituição - Gecilane Ferreira - UFT
Interno - 2129289 - MARCIA LEILA DE CASTRO PEREIRA
Interno - 1984821 - PATRICIA MARIA MARTINS NAPOLIS
Notícia cadastrada em: 05/02/2021 12:03
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 22/10/2021 16:33