Notícias

Banca de DEFESA: ANIBAL DA SILVA CANTALICE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANIBAL DA SILVA CANTALICE
DATA: 24/02/2021
HORA: 10:00
LOCAL: https://meet.google.com/gzo-cusw-jda
TÍTULO: Serviços ecossistêmicos no comércio de cerâmica artesanal: avaliando os impactos ambientais e a sustentabilidade em tempos de pandemia Sars-CoV-2
PALAVRAS-CHAVES: Objetivos do Desenvolvimento Sustentável; Serviço Ecossistêmico Cultural; Socioeconômico; Doença Zoonótica; Artesanato
PÁGINAS: 79
GRANDE ÁREA: Outra(s)
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

O ser humano contribui significativamente para a degradação dos recursos naturais em busca de bens de consumo diretos ou indiretos. Preocupada com o bem estar das pessoas e a manutenção das condições propícias para as gerações futuras, a comunidade científica buscou formas de estudar essas interações e suas consequências na conservação destes recursos. Linhas de pesquisas como Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e Serviços Ecossistêmicos (SE) surgiram mostrando essa relação antropocêntrica, bem como as consequências desses usos; nesse ponto abordamos o Sars-CoV-2 doenças zoonótica, ligada ao uso descontrolado de recursos naturais e as mudanças de nichos ecológicos ou socioculturais ligadas ao ser humano.  O artesanato é uma das formas de materialização cultural mais difundida em todo o mundo, atuando como fonte de geração de renda e inclusão social para populações vulneráveis. De um modo geral, sua produção  está intimamente ligada a utilização de recursos naturais, provocando por diversas vezes a exploração excessiva destes. Diante disso, objetivou-se:  (a) verificar como os serviços ecossistêmicos são usados pelo ofício do artesanato ceramista e que impactos os visitantes do polo cerâmico veem nessa prática;  (b) avaliar os ODS que estão de acordo no ofício de artesanato ceramista; (c) avaliar como a atual pandemia de Sars CoV-2 tem impactado o ofício de artesanato ceramista e de que forma os artesãos estão contribuindo com as medidas de isolamento e controle da doença. Realizou-se levantamento no Polo Cerâmico do Poti Velho localizado no município de Teresina, onde ocorre a produção artesanal e comercialização das peças em cerâmica Vermelha, em 30 boxes. Os resultados obtidos demonstraram que fatores como escolaridade, tempo de permanência no local de comercialização e percepção influenciam o consumo, bem como que existe indicações que a utilização desse serviço ecossistêmico não é acessível aos grupos mais vulneráveis socialmente. Com isso, entendemos que por mais que os serviços socioeconômicos sejam disponíveis a população em geral, grande parte não consegue usufruí-lo. Em relação a cadeia produtiva, os resultados demonstraram  etapas obrigatórias e opcionais, sendo esta última encarada como as  que permitem um maior lucro agregado ao artesanato. Os impactos ambientais são mitigados de maneira superficial, justificado pela falta de condição econômica para a atuação das mesmas. Em sua maioria os ODS não apresentam indicadores, que possam ser utilizados no ofício, contudo quando aplicados, demonstram que existe um amplo espaço para melhoria do desenvolvimento sustentável.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1670535 - CLARISSA GOMES REIS LOPES
Interno - 302.181.523-53 - FRANCISCO SOARES SANTOS FILHO - UESPI
Externo à Instituição - IRLAINE RODRIGUES VIEIRA - UFDPar
Externo à Instituição - MAURICIO EDUARDO CHAVES E SILVA - IFMA
Presidente - 1167785 - ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
Notícia cadastrada em: 06/02/2021 11:24
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 20/10/2021 04:33