Notícias

Banca de DEFESA: RUANNA THAIMIRES BRANDÃO SOUZA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RUANNA THAIMIRES BRANDÃO SOUZA
DATA: 30/03/2021
HORA: 08:30
LOCAL: meet.google.com/fty-igcr-fbz
TÍTULO: Diversidade vegetal em cristas dunares residuais no Municipio de Ilha Grande, Piauí, Brasil, com ênfase na conservação de Anacardium occidentale L.
PALAVRAS-CHAVES: ambientes costeiros, comunidades vegetais, fitossociologia, percepção ambiental
PÁGINAS: 68
GRANDE ÁREA: Outra(s)
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

As dunas são ecossistemas costeiros com padrões morfológicos distintos, classificadas em móveis, semifixas e fixas, onde é possível observar a formação de cristas residuais dunares (CDRs). Objetivou-se com este estudo caracterizar a composição florística e quantificar as diferenças na vegetação que poderiam ser atribuídas a passagem de dunas migratórias sobre a vegetação de restinga estabelecida em séries de cristas transversais e longitudinais bem como avaliar o perfil socioambiental dos moradores sobre o uso e a ocupação do cajuí (Anacardium occidentale L.) na localidade Labino, Ilha Grande, Piauí. Para amostragem fitossociológica foi utilizado o método de parcelas múltiplas. Para cada duna selecionada, nove pontos de amostragem foram estabelecidos em intervalos de 125 m ao longo de dois transectos de 1 km de comprimento, um percorrendo os CDRs transversais na parte central dos caminhos de duna, e um outro ao longo das CDR longitudinal sul. Em cada local de amostragem, três parcelas foram estabelecidas a uma distância de 30 m uma da outra, perfazendo 27 parcelas para cada um dos quatro transectos, ou seja, 108 parcelas no total. Para a amostragem da vegetação lenhosa foram estabelecidas parcelas de 10 × 10 m (100 m²), e dentro de cada parcela uma outra de 1 × 1 m (1 m2), não coberta por espécies lenhosas, para amostrar os indivíduos de herbáceos-arbustivos (ervas, lianas, subarbustos e arbustos e arbustivos), com 1,3 m de altura. Para o estrato arbóreo foram amostradas plantas lenhosas com tronco principal, circunferência à altura do peito (CAP) ³ 5 cm e altura ³ 1,3 m. Os parâmetros fitossociológicos calculados para cada espécie arbórea foi Dominância Absoluta (DA), Dominância Relativa (DR), Freqüência Relativa (FR), Freqüência Absoluta (FA), Densidade Relativa (DR), Densidade Absoluta (DA). Para as espécies de ervas-arbustos os parâmetros calculados foram (FR), (FA), (DR) e (DA). Para estudar os padrões da vegetação do campo de dunas, na atualidade e durante o período de 16 anos (2003-2019) foram utilizadas imagens de satélite. Para a coleta de dados sociais, utilizou-se o método de entrevistas semiestruturadas por meio de formulários, observação direta e visitas semanais. Os dados foram analisados qualitativa e quantitativamente. Os resultados apontaram que a área estudada é caracterizada por apresentar dunas fixas em forma de barcana e parabólica com inúmeras cristas dunares residuais florestadas por frutícetos ou moitas. Foram registradas 36 espécies, distribuídas em 31 gêneros e 20 famílias. A família com maior   número de espécie foi Fabaceae (seis), seguida de Cyperaceae (cinco), Poaceae (quatro), Rubiaceae (três) e as demais com duas ou uma espécie. Para o estrato herbáceo o maior valor de importância foi para Euploca polyphylla (Lehm.) J.I.M. Melo & Semir (55,89), Cyperus articulatus L. (39.71), Ipomoea asarifolia (Desr.) Roem. e Schult (38,63) Chamaecrista ramosa (Vogel.) H. S. Irwin and Barneby (35,64) e Spermacoce verticillata L. (35.63). O estrato arbóreo apresentou um porte menor configurando-se com 2m a 4m de altura e com plantas crescendo de forma agrupada. Anacardium occidentale e Byrsonima crassifolia (L.) Kunth foram as espécies arbóreas predominantes. A. occidentale predominou em abundância, frequência e área basal apresentando-se como uma espécie chave e capaz de sobreviver ao soterramento parcial nas margens dos caminhos de dunas. Nenhum padrão de sucessão foi observado nas ervas e subarbustos. A maioria dos entrevistados  pertencia ao gênero feminino (71,5%)  e adultos (65%), nascidos e criados na própria comunidade (98%), com ensino fundamental incompleto (42%), renda igual a um salário mínimo (50%). A principal atividade econômica é a pesca (55,5%) seguida pela atividade de extrativismo (29%). Na comunidade 98,5% dos moradores utilizam o cajuí para alguma finalidade e constitui-se com uma das atividades mais rentáveis para a comunidade ou a única fonte de renda em safras anuais, embora alguns fatores como o desmatamento (55%) prejudiquem sua conservação. A passagem periódica de dunas migratórias é um fator importante na criação e continuação do predomínio das populações de cajuí da restinga em Ilha Grande. O presente estudo confirma a importância do ecótipo de restinga Anacardium.occidentale para estabilização de dunas, devido seu comportamento pioneiro, crescimento agressivo, tolerância a condições extremas de habitat e boas interações bióticas que garantem seu sucesso em ambientes fortemente influenciados por perturbações naturais e humanas. É também possível destacar espécies vegetais encontradas em áreas de dunas e gerar dados para subsidiar planos de manejo e conservação de espécies importantes nessa região e estado.

Link: meet.google.com/fty-igcr-fbz


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1221652 - IVANILZA MOREIRA DE ANDRADE
Interno - 2098982 - GIOVANA MIRA DE ESPINDOLA
Interno - 302.181.523-53 - FRANCISCO SOARES SANTOS FILHO - UESPI
Externo à Instituição - Marlene Feliciano Figueiredo - UVA
Externo à Instituição - IRLAINE RODRIGUES VIEIRA - UFDPar
Notícia cadastrada em: 17/03/2021 11:38
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 20/10/2021 03:53