Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: WALDILÉIA FERREIRA DE MELO BATISTA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: WALDILÉIA FERREIRA DE MELO BATISTA
DATA: 21/11/2013
HORA: 17:00
LOCAL: SALA DE AULA DO MDMA
TÍTULO:

 

LEVANTAMENTO FLORÍSTICO E RESGATE DO SABER POPULAR DA COMUNIDADE RURAL NOVO NILO-UNIÃO-PIAUÍ,BRASIL.


PALAVRAS-CHAVES:

 

Etnobotânica, Recursos Vegetais, Sustentabilidade, Aplicabilidade.


PÁGINAS: 91
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A Etnociência estuda o comportamento das populações humanas sobre os processos naturais. Entre as Etnociências, está a Etnobiologia, na qual encontra-se a  Etnobotânica  que é uma Etnociência que objetiva o estudo do conhecimento e da conceituação desenvolvida por qualquer sociedade a respeito do mundo vegetal, fazendo a complementaridade entre o saber tradicional e o saber acadêmico. Na comunidade Novo Nilo evidencia-se uma importância cultural de sobrevivência através do uso sustentável dos recursos naturais. Assim, propõe-se um estudo com a comunidade, buscando o conhecimento etnobotânico e as práticas ambientais, culturais e a realidade socioeconômica da comunidade. Diante desse contexto, investigou-se o conhecimento que a comunidade tradicional de Novo Nilo tem sobre a flora local e como esse conhecimento popular contribui, seja de forma direta ou indireta, para ampliar os conhecimentos científicos relacionados à abundância e ou preservação dessas espécies. O projeto foi submetido ao Comitê de Ética e Pesquisa da UFPI e foram coletados antes do início das entrevistas o aceite dos sujeitos envolvidos através da assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). Para seleção dos entrevistados foi utilizada a técnica da bola de neve, As turnês-guiadas foram realizadas visando obtenção das espécies citadas. A coleta do material botânico foi georeferenciada e sua herborização seguiu a metodologia de Mori et al. (1989); todo material, após processamento, está incorporado ao acervo do Herbário Graziela Barroso (TEPB) da Universidade Federal do Piauí. Os dados quantitativos foram definidos através dos cálculos do Valor de Uso; índice de diversidade de Shannon-Wiener; Fator de Consenso dos Informantes e Indice de Importância Relativa. As coletas de dados foram realizadas mensalmente entre os meses de março/12 e maio/13, com o auxílio de formulário padronizado a 202 pessoas, perfazendo 54,4% do universo amostral, distribuídas nas seguintes faixas etárias definidas pelo IBGE. Após estes registros os dados foram tabulados em tabelas e gráficos, e analisadas por meio de estatística descritiva básica. As coletas referentes às práticas culturais aconteceram por meio de observação, anotação e registro fotográfico. Catalogou-se 128 espécies, distribuídas nas seguintes categorias de uso: medicinal, alimentação, construção, produção de energia, manufaturada, místico-religiosa, ornamental e cosmético. A categoria de uso com maior destaque em número de citações foi a medicinal, dentre estas, a mais citada foi erva-cidreira  Lippia alba (Mill.) N. E. Br. As atividades econômicas distribuem-se principalmente em prática de agricultura familiar, a atividade de pesca e o extrativismo vegetal, com aproveitamento do babaçu (Attalea speciosa Mart. ex Spreng.) e da carnaúba (Copernicia prunifera (Mill.) H.E.Moore). Os resultados indicam que os moradores entrevistados apresentam baixos índices educacionais, com 31% deles sem escolaridade. Apresentam alta religiosidade, onde 81% declararam o catolicismo como sua religião. Apresentam ainda, sérios problemas de assistência médica e total ausência de saneamento básico. O saber popular deve ser valorizado e evidenciado na contribuição da construção do conhecimento científico.

 



MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1167476 - JOSE LUIS LOPES ARAUJO
Externo à Instituição - LUCIANO SILVA FIGUEIREDO - UFRPE
Presidente - 1167785 - ROSELI FARIAS MELO DE BARROS
Notícia cadastrada em: 21/11/2013 09:59
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 21/10/2021 10:57