• O sistema entrará em processo de atualização de funcionalidades às 22:30. Pedimos a todos que salvem seus trabalhos para que não haja transtornos.
    Agradecemos a compreensão, em 15 minutos o sistema estará de volta.
Notícias

Banca de DEFESA: FRANCISCO DAS CHAGAS ARAUJO SOUSA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FRANCISCO DAS CHAGAS ARAUJO SOUSA
DATA: 19/08/2015
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório do Núcleo de Pós-Graduação em Ciências Agrárias
TÍTULO:

Avaliação por Doppler ultrassonografia de vasos maternos-fetais e organogênese gestacional  de cutias hígidas (Dasyprocta prymnolopha, Wagler 1831) mantidas em cativeiro


PALAVRAS-CHAVES:

Doppler fetal, animal silvestre, cutia, ultrassonografia, gestação


PÁGINAS: 70
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Medicina Veterinária
SUBÁREA: Clínica e Cirurgia Animal
ESPECIALIDADE: Radiologia de Animais
RESUMO:

A técnica de Doppler ultrassonografia consolidou-se como uma ferramenta útil e não-invasiva utilizada na rotina clínica de avaliação da gestação em humanos. Tal técnica mostrou-se capaz de identificar diversas, diversas condições fisiopatológicas, desde a primeira fase da gestação, pelo estudo do fluxo sanguíneo na circulação útero-placentária e feto-placentária. o objetivo principal do trabalho atual será avaliar as características hemodinâmicas dos vasos útero-placentários arteriais, para o cordão umbilical, aorta e veia cava caudal de fetos para estabelecer sua referência normal intervalos de velocidade de pico sistólico (VPS), velocidade diastólica final (VDF), índice de pulsatilidade (IP) e índice de resistência (IR), em cutias durante a gestação. Foi realizada a ultrassonografia gestacional de cutia (Dasyprocta prymnolopha, Wagler 1831) utlizando-se as modalidades doppler colorido e espectral para avaliação da atividade fetal, relação materno-fetal (cordão-umbilical). Nossos achados evidenciaram o desenvolvimento progressivo da vascularização placentaaria e de subplacenta, com fluxos inicialmente com picos sistólicos, mas de posterior evolução para picos diastólicos vasculares. A colaboração da placenta e subplacenta na manutenção da gestação mostrou-se evidente, uma vez verificada a angiogenese intensa desses orgãos. Aliado a isso, a organogênese fetal demonstrou a presença de fluxos vasculares ns orgãos alvo inspecionados tais como figado, baço e rim, demonstrando aporte sanguíneo já com sua estrutura fundamental completamente desenvolvida e semelhante ao do indivíduo adulto. Os achados evidenciados constituem-se ferramentas de grande valor na monitoração da espécie estudada, gerabdo subsídios de manejo reprodutivo e gestacional para as cutias. 


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 035.804.374-37 - FELIPE DE JESUS MORAES JUNIOR - UEMA
Presidente - 1640379 - FLAVIO RIBEIRO ALVES
Interno - 1643184 - NEY ROMULO DE OLIVEIRA PAULA
Externo à Instituição - PORFIRIO CANDANEDO GUERRA - UEMA
Externo ao Programa - 423587 - WILLAMS COSTA NEVES
Notícia cadastrada em: 07/08/2015 16:59
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 14/06/2024 22:30