Notícias

Banca de DEFESA: GERSON TAVARES PESSOA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GERSON TAVARES PESSOA
DATA: 15/02/2016
HORA: 09:00
LOCAL: AUDITÓRIO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA ANIMAL
TÍTULO:

Ultrassonografia abdominal em modo-B e doppler de cutias (Dasyprocta prymnolopha, Wagler 1831) e catetos (Tayassu tajacu Linnaeus, 1758) contidos quimicamente


PALAVRAS-CHAVES:

ultrassom, doppler, animais silvestres, catetos, cutias


PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Medicina Veterinária
SUBÁREA: Clínica e Cirurgia Animal
ESPECIALIDADE: Radiologia de Animais
RESUMO:

A falta de conhecimento de aspectos biológicos e reprodutivos de alguns animais silvestres podem de certa forma acarretar o fracasso do manejo reprodutivo de uma determinada espécie em questão. A ultrassonografia é ferramenta de grande valia no dia-dia da clinica, laboratórios e a campo, mais seu uso ainda é parcialmente limitado em animais silvestres, em decorrência principalmente do pouco conhecimento da topografia e anatomia ultrassonográfica de seus órgãos. Este método de diagnóstico por imagem é de suma importância, por fornecer informações em tempo real sobre a arquitetura e características ultrassonográficas dos órgãos, identificando as condições fisiológicas dos tecidos bem como condições patológicas, quando realizado de forma dinâmica. Este trabalho teve como objetivo padronizar a técnica de ultrassonografia abdomjnal em modo B e doppler para sugerir valores de referência morfológicos e de velocidades de fluxo vascular em catetos e cutias. O abdome de 15 catetos e 15 cutias foi avaliado por ultrassonografia. Foi então caracterizado o padrão de ecogenicidade e ecotextura para a parede da vesícula urinparia, rins, baço, parede de estômago, pancreas, adrenais, figado e alças intestinais. As  velocidade de pico sistólico e diastólico de vasos abdominais, tais como a aorta foram mensurados e seus valores mostraram-se semelhantes aos observados para espécies doméssticas como o cão e o gato, e guardaram relaçoes de proximidade como o padrão vascular em humanos, tanto em catetos, quanto em cutias. Os fluxos renais e hepáticos foram mensurados considerndo ângulos de insonação menores que 20 graus, sendo determinadas suas velocidades de fluxo e índices de resistência vascular e pulsatilidade. A avaliação ultrassonográfica avançada nas espécies silvestres (catetos e cutias) permitiram descrever pela primeira vez os valores ultrassonográficos e hemodinâmicos de referência para estas espécies, agregando informações valiosas para a conservação desses animais, especilamente em cativeiro.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANAEMILIA DAS NEVES DINIZ - UFRPE
Externo ao Programa - 2657497 - BRUNO LEANDRO MARANHAO DINIZ
Presidente - 1640379 - FLAVIO RIBEIRO ALVES
Externo à Instituição - FRANCISCO DAS CHAGAS ARAUJO SOUSA - UESPI
Externo ao Programa - 423587 - WILLAMS COSTA NEVES
Notícia cadastrada em: 13/01/2016 07:32
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.sigaa 14/06/2024 23:32