Notícias

Banca de DEFESA: ÂNGELA PIAUILINO CAMPOS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ÂNGELA PIAUILINO CAMPOS
DATA: 01/03/2016
HORA: 09:00
LOCAL: AUDITÓRIO DA PÓS GRADUAÇÃO
TÍTULO:

Soroepidemiologia da leptospirose em animais de produção e caracterização da lesão renal em caprinos.


PALAVRAS-CHAVES:

Leptospirose, ovino, caprino, bovino, soroprevalência, fatores de risco, apoptose, rim.


PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Medicina Veterinária
SUBÁREA: Patologia Animal
RESUMO:

A leptospirose é uma enfermidade causada por bactérias estando distribuída mundialmente, particularmente prevalente nas Américas e endêmica na América Latina. Tem sido considerada uma das principais responsáveis pelo impacto econômico negativo na pecuária nacional e mundial, por causar problemas reprodutivos, como abortamentos, infertilidade, repetições de cio, ocorrência de natimortos e retenção placentária, resultando em baixa produtividade. Além disso, assume papel relevante na saúde pública por ser zoonose de risco ocupacional. Este trabalho teve como objetivo determinar a soroprevalência de leptospirose em bovinos, ovinos e caprinos de criações consorciadas em propriedades rurais da Microrregião de Teresina, Piauí, identificar os sorovares predominantes nessa região e os fatores de risco associados à soroprevalência, bem como caracterizar as lesões renais em caprinos naturalmente infectados. Para o estudo de prevalência foram obtidas amostras de soro de 336 ovinos, 292 caprinos e 253 bovinos de 33 propriedades rurais de criação consorciada da Microrregião de Teresina, Piauí, selecionadas a partir do cadastro na Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Piauí. Para o estudo das alterações renais foram obtidas amostras de soro e fragmentos de tecido renal de 100 caprinos abatidos em matadouro municipal de Teresina, Piauí. O diagnóstico de leptospirose foi realizado pela técnica de soroaglutinação microscópica. Rins de 12 caprinos sorologicamente positivos e nove controles negativos foram incluídos na casuística da análise das lesões renais e apoptose. Para isso, lâminas de tecido renal foram confeccionadas e coradas com hematoxilina-eosina, ácido periódico de Schiff, tricrômico de Masson e ácido periódico prata metanamine. A detecção de apoptose renal foi realizada pelo método de TUNEL. As lesões renais foram classificadas semi-quantitativamente atribuindo-se escores conforme a intensidade das lesões e as células em apoptose foram quantificadas para determinação do índice apoptótico. A prevalência de infecção em bovinos, ovinos e caprinos correspondeu a 50,51%, 40,48% e 34,59% respectivamente. Todos os rebanhos foram focos de infecção, sendo o sorovar Hardjo-Wolffi o mais frequente em bovinos e o Icterohaemorrhagiae em caprinos e ovinos. Os modelos finais de regressão logística determinaram a exploração de corte (OR = 4,94), rebanho bovino acima de 35 animais (OR = 4,03), alimentação a pasto (OR = 6,37), açude e/ou riacho como fonte de água da propriedade (OR = 2,14) e não ter assistência veterinária (OR = 2,89) como fatores de risco para a infecção de bovinos. Para ovinos, a criação intensiva (OR = 5,33), instalações do tipo ripado suspenso (OR = 2,22), ter mais de 20 ovelhas em reprodução na propriedade (OR = 1,89) e não realizar a vermifugação dos animais (OR = 3,49) foram os fatores de risco, enquanto que, para caprinos, os fatores de risco identificados foram rebanho ovino acima de 52 animais (OR = 1,85) e não possuir assistência veterinária (OR = 1,82). Dos soros de caprinos provenientes de matadouros, 29% reagiram para um ou mais sorovares de Leptospira spp. Na análise histopatológica, a nefrite intersticial foi a lesão mais evidente, sendo observada no rim de todos os caprinos soropositivos e caracterizada pela presença de infiltrado inflamatório mononuclear de distribuição focal e localização periglomerular, perivascular, peritubular e subcapsular com intensidade variando de mínima a moderadamente severa. A nefrite intersticial foi mais significativa em rins de caprinos positivos e localizada principalmente na região cortical. Outras alterações renais verificadas foram dilatação e atrofia tubular, degeneração pigmentar das células epiteliais, cilindros hialinos, fibrose intersticial e congestão com intensidades que variaram de mínima a severa. As alterações verificadas nos caprinos soronegativos foram de intensidade mínima a média. Células em apoptose foram observadas em todos os animais, tanto pela marcação de TUNEL como pela coloração de HE, mas não houve diferença estatística no índice apoptóticos entre os grupos nas diferentes regiões analisadas (cortical, medular e glomerular) por nenhuma das técnicas empregadas. Foi verificada correlação positiva entre a presença de nefrite intersticial e o índice apoptótico em rins de caprinos naturalmente infectados por Leptospira spp. Conclui-se que a infecção é endêmica e está disseminada em rebanhos consorciados da Microrregião de Teresina. A principal lesão renal é a nefrite intersticial e estudos adicionais utilizando outros marcadores de apoptose, em modelos animais ou em caprinos livres de patógenos são necessários para esclarecer melhor a patogenia da lesão renal na leptospirose em caprinos.

 

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423624 - SILVANA MARIA MEDEIROS DE SOUSA SILVA
Externo ao Programa - 2482066 - ANA LYS BEZERRA BARRADAS MINEIRO
Externo à Instituição - FLAVIANE ALVES DE PINHO - USP
Externo à Instituição - MARIA DAS GRAÇAS PRIANTI - NOVAFAFI
Externo à Instituição - SÉRGIO SANTOS DE AZEVEDO - UFCG
Notícia cadastrada em: 11/02/2016 07:23
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 17/06/2024 21:41