Notícias

Banca de DEFESA: VIVIANY DE SOUSA RODRIGUES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VIVIANY DE SOUSA RODRIGUES
DATA: 22/02/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório Lasan
TÍTULO:

PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBIÕES BOVINOS EM MEIO SUPLEMENTADO COM CAPTOPRIL


PALAVRAS-CHAVES:

PIV, embrião, angiotensina, captopril 


PÁGINAS: 44
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Medicina Veterinária
SUBÁREA: Reprodução Animal
ESPECIALIDADE: Fisiopatologia da Reprodução Animal
RESUMO:

A maturação oocitária é um processo fundamental na produção in vitro de embriões visto que as etapas seguintes do processo de são dependentes da maturação completa dos oócitos. O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos da suplementação do meio de maturação com captopril, e suas consequências na maturação, fecundação e desenvolvimento embrionário in vitro bovino. Foram utilizados 326 ovários bovinos proveniente de um abatedouro do município de Teresina-PI. Foram recuperados 1101 CCOs e classificados em graus I e II, de acordo com a qualidade morfológica, e distribuído em quatro grupos experimentais: G1 (n=112) controle; G2 (n=322) 20µM de captopril; G3 (n=367) 40µM de captopril; e G4 (n=300) 80µM de captopril. Posteriormente submetidos ao processo de maturação in vitro (MIV) por 24 horas em micro gotas sob óleo de silicone a 38,5ºC, em 5% de CO2. Os CCOs maturados foram fertilizados in vitro, utilizado sêmen criopreservado proveniente de um touro da raça Curraleiro Pé-Duro de mesma coleta, selecionados através de gradientes de Percoll (45, 90 %) e co-incubados em temperatura de 38,5ºC por 20 horas, em 5% de CO2. Após a fertilização, 676 presumíveis zigotos foram cultivados e mantidos em estufa à temperatura de 38,5ºC, em 5% de CO2, durante 7 dias. No quinto dia de cultivo foi realizado o feeding (troca de 50% do meio). A avaliação da taxa de clivagem foi observada 48 horas após a fertilização e a formação de blastocisto 168 horas após. O total de embriões viáveis foi de 12; 39; 32 e 31, respectivamente para os grupos experimentais G1, G2, G3 e G4. Para avaliação da taxa de maturação foram avaliados 470 CCOs e classificados de graus I e II, de acordo com a qualidade morfológica, e distribuído em quatro grupos experimentais: G1 (n=56) controle; G2 (n=152) 20µM de captopril; G3 (n=126) 40µM de captopril; e G4 (n=136) 80µM de captopril e posteriormente submetidos ao processo de maturação in vitro (MIV) por 24 horas a 38,5ºC, em 5% de CO2. Após 24 horas de maturação os oócitos foram desnudados com hialuronidase 0,2% em tampão fosfato salino (PBS) com auxílio de um vortex por 4 minutos. Os oócitos que possuíam o 1°corpúsculo polar foram considerados em fase de MII (maturados). As taxas de maturação, clivagem e desenvolvimento embrionário foram comparados pelo teste do χ2, para P<0,05.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 423174 - AMILTON PAULO RAPOSO COSTA
Externo à Instituição - ANTONIO DE SOUSA JUNIOR - UFPI
Presidente - 422864 - JOSE ADALMIR TORRES DE SOUZA
Notícia cadastrada em: 10/02/2016 09:52
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 16/06/2024 15:38