Notícias

Banca de DEFESA: PRISCILLA NIELY COSTA DE SA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PRISCILLA NIELY COSTA DE SA
DATA: 31/03/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório da Pós-Graduação em Ciência Animal
TÍTULO:

EFEITO DA MELATONINA SOBRE A PRODUÇÃO DE ESPECIES REATIVAS DE OXIGENIO (ROS) NO SÊMEN DE OVINOS DA RAÇA SANTA INÊS


PALAVRAS-CHAVES:

Criopreservação, melatonina, sêmen, ovinos


PÁGINAS: 46
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Medicina Veterinária
SUBÁREA: Reprodução Animal
ESPECIALIDADE: Ginecologia e Andrologia Animal
RESUMO:

Nos últimos anos a maior demanda pelo consumo da carne ovina, aliada à baixa oferta nacional, vem estimulando o desenvolvimento e fortalecimento da ovinocultura brasileira. As biotécnicas aplicadas à reprodução vêm sendo empregadas com bastante êxito pelos criadores, em destaque a criopreservação, método mais utilizado para essa finalidade, entretanto como obstáculo, esta causa danos à estrutura espermática, aumentando a produção das espécies reativas de oxigênio (ROS). Nesse contexto, a melatonina destaca-se como potencial quelante de radicais livres atuando no aumento da viabilidade espermática. Este estudo buscou avaliar diferentes concentrações de melatonina adicionadas ao meio diluidor do sêmen através do teste de termorresistência, e por meio do uso de sondas fluorescentes, a integridade acrossomal, mitocondrial e a membrana plasmática. Foram realizadas sete coletas de sêmen de seis ovinos da raça Santa Inês por meio do método de vagina artificial, auxiliada por uma fêmea em estro natural ou induzido, utilizada como manequim. As amostras de sêmen de cada ejaculado forma reunidas em foram de pool, de acordo com os grupos experimentais: (G1) controle, (G2) 10 mM e (G3) 1 pM de melatonina acrescentados ao diluidor. Utilizou-se uma concentração espermática de 100 milhões de espermatozoides por palheta de 0,25mL, em um total 10 palhetas por tratamento/coleta. Em seguida, foram submetidas à congelação por meio de um sistema automatizado (TK 3000®), sendo então distribuídas em raques e armazenadas em botijão criobiológico. Os parâmetros analisados pós descongelação foram: teste de termoresistência (TTR) e da integridade de membrana plasmática e mitocondrial, além da integridade do acrossoma nos tempos 0, 60, 120 e 180 minutos utilizando substancias marcadoras fluorescentes (sondas). Para análise estatística utilizou-se o Teste de Tukey a 0,05% de significância por comparação de médias. Os resultados demonstraram que não houve diferença significativa entre os grupos quanto a integridade acrossomal e mitocondrial. Quanto ao TTR houve diferença entre os grupos, onde 1pM apresentou valores de motilidade superior ao 10mM e foi equivalente ao controle. Com relação à integridade da membrana plasmática houve diferença significativa entre o controle e nos grupos com adição de melatonina, nos tempos 60, 120 e 180 minutos. Conclui-se que a adição de melatonina no diluidor melhorou a integridade da membrana plasmática de ovinos, reduzindo os danos causados pela criopreservação.Nos últimos anos a maior demanda pelo consumo da carne ovina, aliada à baixa oferta nacional, vem estimulando o desenvolvimento e fortalecimento da ovinocultura brasileira. As biotécnicas aplicadas à reprodução vêm sendo empregadas com bastante êxito pelos criadores, em destaque a criopreservação, método mais utilizado para essa finalidade, entretanto como obstáculo, esta causa danos à estrutura espermática, aumentando a produção das espécies reativas de oxigênio (ROS). Nesse contexto, a melatonina destaca-se como potencial quelante de radicais livres atuando no aumento da viabilidade espermática. Este estudo buscou avaliar diferentes concentrações de melatonina adicionadas ao meio diluidor do sêmen através do teste de termorresistência, e por meio do uso de sondas fluorescentes, a integridade acrossomal, mitocondrial e a membrana plasmática. Foram realizadas sete coletas de sêmen de seis ovinos da raça Santa Inês por meio do método de vagina artificial, auxiliada por uma fêmea em estro natural ou induzido, utilizada como manequim. As amostras de sêmen de cada ejaculado forma reunidas em foram de pool, de acordo com os grupos experimentais: (G1) controle, (G2) 10 mM e (G3) 1 pM de melatonina acrescentados ao diluidor. Utilizou-se uma concentração espermática de 100 milhões de espermatozoides por palheta de 0,25mL, em um total 10 palhetas por tratamento/coleta. Em seguida, foram submetidas à congelação por meio de um sistema automatizado (TK 3000®), sendo então distribuídas em raques e armazenadas em botijão criobiológico. Os parâmetros analisados pós descongelação foram: teste de termoresistência (TTR) e da integridade de membrana plasmática e mitocondrial, além da integridade do acrossoma nos tempos 0, 60, 120 e 180 minutos utilizando substancias marcadoras fluorescentes (sondas). Para análise estatística utilizou-se o Teste de Tukey a 0,05% de significância por comparação de médias. Os resultados demonstraram que não houve diferença significativa entre os grupos quanto a integridade acrossomal e mitocondrial. Quanto ao TTR houve diferença entre os grupos, onde 1pM apresentou valores de motilidade superior ao 10mM e foi equivalente ao controle. Com relação à integridade da membrana plasmática houve diferença significativa entre o controle e nos grupos com adição de melatonina, nos tempos 60, 120 e 180 minutos. Conclui-se que a adição de melatonina no diluidor melhorou a integridade da membrana plasmática de ovinos, reduzindo os danos causados pela criopreservação.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 422864 - JOSE ADALMIR TORRES DE SOUZA
Externo à Instituição - FELIPE DE JESUS MORAES JUNIOR - UEMA
Externo à Instituição - ISOLDA MARCIA ROCHA DO NASCIMENTO - UFPI
Notícia cadastrada em: 01/03/2016 10:19
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 15/06/2024 11:04