Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MARCOS DANIEL DE SOUSA FERREIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARCOS DANIEL DE SOUSA FERREIRA
DATA: 24/05/2016
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório da Pós-graduação em Ciência animal
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DA TOXICIDADE SISTÊMICA E REPRODUTIVA DO FRUTO DE Buchenavia tomentosa EM ROEDORES

 


PALAVRAS-CHAVES:

Buchenavia sp. Planta tóxica. Toxicidade reprodutiva. Machos. Fertilidade


PÁGINAS: 65
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Medicina Veterinária
RESUMO:

Este projeto tem por objetivo descrever a toxicidade sistêmica e reprodutiva de frutos de Buchenavia tomentosa em roedores. O protocolo de avaliação do ciclo estral constou de 32 ratas Wistarn que foram examinadas diariamente, entre 8:00h e 9:00h, por 48 dias quanto à fase do ciclo estral por meio de esfregaço vaginal a fresco. Os resultados individuais foram registrados e a frequência de cada fase e o intervalo inter-estro foram determinados. Para avaliação do efeito do EEtOH-Ec sobre a gestação, utilizou-se 32 ratas adultas (200-220g) e 16 ratos machos adultos, que foram acasalados por 5 dias, sendo um macho para duas fêmeas por caixa. Após a comprovação da cópula, as ratas foram divididas em grupos (N=8) de acordo com o tratamento: veiculo (agua destilada), extrato etanólico do fruto de Buchenavia tomentosa, alojadas em gaiolas individualmente e tratadas por gavagem do primeiro ao 20º dia de gestação. No 21º dia de gestação, as ratas foram anestesiadas (80 mg de ketamina + 8 mg de xilazina) e submetidas a cesariana para retirada e avaliação do útero gravídico e seu conteúdo (contagem do numero de fetos e de sítios de implantação). Para avaliação da toxicidade reprodutiva em machos tratados com o fruto de Buchenavia tomentosa, 32 ratos Wistar machos foram separados em quatro grupos (n=8/grupo) e receberam tratamento por 60 dias consecutivos, sendo realizada pesagem semanalmente. Três grupos (T1, T2 e T3) foram tratados por via oral com o extrato do fruto de Buchenavia tomentosa nas doses de 250, 500 e 1000 mg/Kg e um grupo controle receberou água destilada. Para avaliar o desempenho reprodutivo e desenvolvimento da prole, após o termino do tratamento, os ratos foram acasalados com fêmeas férteis e não tratadas (32 ratas, divididas em 4 grupos de 8 animais). Após cada experimento, os animais serão submetidos a punção intracardiaca para coleta de sangue, para avaliação bioquímica dos parâmetros séricos: fosfatase alcalina, transaminase glutâmica oxaloacética (TGO), transaminase glutâmica pirúvica (TGP), uréia, creatinina, triglicérides e glicose. Os animais foram eutanasiados por excesso da associação anestésica de ketamina e xilazina para remoção e pesagem dos órgãos: ovários, fígado, baço, rins, coração, pulmão e adrenais, para calculo da massa relativa e analise histopatológica. Os órgãos sexuais masculinos foram removidos: testículos, epidídimos, ductos deferentes e próstata. Cada órgão foi dissecado e pesado em balança analítica individualmente, exceto os ductos deferentes. Para avaliação da morfologia dos espermatozóides, os ductos deferentes de cada animal foram fragmentados (com auxílio de tesoura) em 5 mL de solução de NaCl 0,9% para a obtenção de uma suspensão de espermatozoides, desta, foram retirados pequenos volumes (aproximadamente 0,1mL), que em seguida serão corados com igual volume de eosina 2% e foi realizados esfregaços em lâmina. As amostras foram observadas microscopicamente para avaliar a morfologia de 200 espermatozóides por animal, sendo contados os espermatozóides com algum tipo de anormalidade. Os resultados foram submetidos a Analise de variância (ANOVA). As diferenças serão avaliadas pelo Teste de Tukey. Concluímos que o extrato etanólico do fruto de Buchenavia sp. afeta o ciclo estral e o sistema reprodutor de ratas gestantes, causando diminuição do número de fetos, placentas e pontos de implantação. Não apresenta atividade androgênica ou anti-androgênica em ratos impúberes neste experimento. Mas o referido extrato afeta o sistema reprodutor de ratos machos em virtude da observação da redução da massa de testículos (EEtOH-fB 500mg/kg) e epidídimos (EEtOH-fB 250, 500 e 1000mg/kg) em grupos tratados, que pode levar a redução da fertilidade e atividade contraceptiva


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423624 - SILVANA MARIA MEDEIROS DE SOUSA SILVA
Interno - 423174 - AMILTON PAULO RAPOSO COSTA
Externo à Instituição - SILVERIA REGINA DE SOUSA LIRA - AESPI
Notícia cadastrada em: 18/05/2016 14:15
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 20/06/2024 06:34