Notícias

Banca de DEFESA: BRUNO SPINDOLA GARCEZ

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: BRUNO SPINDOLA GARCEZ
DATA: 20/07/2012
HORA: 14:00
LOCAL: NUCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AGRÁRIAS
TÍTULO:

VALOR NUTRITIVO DO FENO DOS FOLÍOLOS DE PINDOBA DE BABAÇU SUBMETIDO A TRATAMENTOS ALCALINOS


PALAVRAS-CHAVES:

Orbignya sp. Degradação. Hidróxido de sódio. Amonização. Palmeiras.


PÁGINAS: 52
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
SUBÁREA: Produção Animal
RESUMO:

Esta pesquisa teve como objetivo avaliar o efeito de três tratamentos alcalinos, amonização com ureia (2, 4 e 6%) e tratamentos com  NaOH ou CaO (1, 2 e 3%), sobre o valor nutritivo do feno dos folíolos de pindoba de babaçu. Determinou-se composição química do feno não tratado e submetido aos tratamentos alcalinos, bem como os parâmetros de degradação in situ nos tempos 6, 24 e 72 horas. Houve redução (P<0,05) nos teores de fibra (FDNcp e FDAcp), e nas frações hemicelulose e lignina quando dos tratamentos alcalinos, bem como aumento (P<0,05) nos teores de PB e redução no N insolúvel no feno submetido a amonização. A DP da MS do feno em geral foi baixa, com destaque, porém para amonização com 4% de ureia (35,9%) a qual também elevou a DP e DE da PB. Os tratamentos alcalinos resultaram em menor tempo de colonização (lag) da FDN, com fração potencialmente degradável baixa, porém, crescente quando do aumento das concentrações. A degradação da MS e FDN mostraram-se baixas (P<0,05), mesmo para as concentrações mais elevadas, já para PB, o tratamento alcalino com 4% de ureia, mostrou-se mais eficaz na melhoria da degradação, o qual resultou em incremento de 24,8%. O feno dos folíolos de pindoba de babaçu apresenta baixa degradação potencial e efetiva da matéria seca, proteína bruta e fibra em detergente neutro, o que se atribui à intensa lignificação da parede celular, com limitação à utilização com volumoso para alimentação de ruminantes. Os tratamentos alcalinos melhoram a degradação potencial da matéria seca do feno dos folíolos de pindoba de babaçu, devido à redução da fibra em detergente neutro e das frações hemicelulose e lignina, com destaque para a amonização com 4% de ureia, com base na matéria seca, no entanto, o valor obtido com este tratamento, 35,9%, é considerado baixo. A proporção de 3% de NaOH ou de CaO, com base na matéria seca, mostrou-se com maior potencial para melhoria da degradação do feno dos folíolos de pindoba de babaçu, devendo-se tomar os devidos cuidados quando da utilização de altas concentrações de agentes cáusticos para o tratamento de volumosos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1167667 - ARNAUD AZEVEDO ALVES
Externo à Instituição - HENRIQUE NUNES PARENTE - UFMA
Interno - 423364 - MARIA ELIZABETE DE OLIVEIRA
Notícia cadastrada em: 22/06/2012 13:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 25/06/2024 06:40