Notícias

Banca de DEFESA: ADRIANE CAMILA BATISTA DE SOUSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ADRIANE CAMILA BATISTA DE SOUSA
DATA: 29/08/2016
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório do Laboratório de Sanidade Animal- CCA
TÍTULO:

Líquido da castanha de caju (Anacardium ocidentalle L.) e seu efeito sobre diferentes fases de desenvolvimento de Lutzomyia longipalpis.



PALAVRAS-CHAVES:

Palavras-chaves: Leishmaniose visceral, extratos vegetais e controle vetorial.


PÁGINAS: 55
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Medicina Veterinária
SUBÁREA: Medicina Veterinária Preventiva
ESPECIALIDADE: Doenças Parasitárias de Animais
RESUMO:

Resumo: A busca por novos compostos à base de extratos vegetais para o controle vetorialvem se destacando nas pesquisas pois, aresistência químicadestes, frente aos inseticidas preconizadospelo Ministério da Saúde tem sido observada. A Leishmaniose Visceral encontra-se classificada no grupo das “Doenças Negligenciadas” e tem o Lutzomyialongipalpis como principal vetor. Diante disso, objetivou-seavaliar o efeito do extrato do Líquido da Castanha de Caju (LCC) sobre as diferentes fases de desenvolvimento do L.longipalpis. A obtenção do LCC ocorreu a partir da extração de castanhas do caju, as quais, foram levadas ao aparelho Soxlhet, acrescidosolvente n-hexano e esperou-se por 3 h. Decorrido o tempo, o aparelho rota-evaporador foi utilizado para retirar o excesso de solvente proveniente da etapa anterior citada, obtendo-se apenas o LCC.Em seguida,concentrações de 50 mg/ml, 75 mg/ml,100 mg/ml e o controle (água + DMSO) foram preparadas e aproximadamente 1,5 mL de cada amostra era espalhada nas regiões desprovidas de pelo em hamsters previamente anestesiados. Logo após, cada animal foi disposto em uma gaiola, de acordo com o tratamento estabelecido, contendo 20 fêmeas de L. longipalpis por 60 min, ao final do tempo estabelecido, fêmeas ingurgitadas foram contabilizadas e transferidas para potes de plásticos afim de que realizassem a ovipostura e o acompanhamento das fases de desenvolvimento do vetor. Os índices: repasto alimentar, postura, eclosão das larvas, larvas de instar IV e adultos consistiram nos parâmetros avaliados. Os resultados comprovaram que não houve diferença significativa entre os tratamentos utilizados para os parâmetros observados, concluindo-se que, nas condições testadas do presente estudo, o extrato do LCC não apresentou efeito sobre as fases de desenvolvimento do Lutzomyia longipalpis.




MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423281 - IVETE LOPES DE MENDONCA
Externo à Instituição - FRANCIELLE ALLINE MARTINS - UESPI
Externo à Instituição - SILVERIA REGINA DE SOUSA LIRA - AESPI
Notícia cadastrada em: 18/08/2016 13:22
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 15/06/2024 11:29