Notícias

Banca de DEFESA: ROSVALDO DUARTE BARBOSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROSVALDO DUARTE BARBOSA
DATA: 20/01/2017
HORA: 09:00
LOCAL: Núcleo de Pós-Graduação em Ciências Agrárias
TÍTULO: PERFIS HEMATOLÓGICO E PROTÉICO DE FÊMEAS ADULTAS DA RAÇA SANTA INÊS E AVALIAÇÃO DO EFEITO DA SUPLEMENTAÇÃO COM AS VITAMINAS “A, D e E” SOBRE ESSES PERFIS
PALAVRAS-CHAVES: hemograma, proteinograma, suplementação vitamínica, ovinos.
PÁGINAS: 63
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Medicina Veterinária
RESUMO:

A ovinocultura no Brasil vem alcançando grande desenvolvimento, principalmente devido ao aumento da demanda de produção de carne. A expansão de raças, como a Santa Inês, é uma alternativa para melhoria da eficiência dos sistemas de produção de carne ovina e melhoramento genético de matrizes e reprodutores. No contexto do manejo sanitário, a suplementação de vitaminas é apontada como estratégia para contribuir com produção precoce de cordeiros, devido elevada habilidade materna, prolificidade, não estacionalidade reprodutiva, menor susceptibilidade a endo e ectoparasitoses e adaptação às pastagens tropicais. Entretanto, inexistem trabalhos na literatura que confirmem essas suposições. Este trabalho teve como objetivo caracterizar os perfis hematológico e protéico de fêmeas adultas, hígidas, da raça Santa Inês e avaliar o efeito da suplementação com vitaminas A, D e E sobre esses perfis. Foram utilizadas 50 fêmeas clinicamente sadias, divididas em cinco grupos, nas quais foram realizadas três colheitas sucessivas de sangue antes dos tratamentos para avaliação dos perfis individuais, seguindo-se da administração de vitaminas A (6.000 UI/Kg), D (1.500 UI/Kg) e E (1,8 UI/Kg), via intramuscular, semanalmente no toral de três aplicações. Sete dias depois precedeu-se mais três colheitas sucessivas de sangue, para análises hematológicas e proteinogramas. Os dados obtidos foram analisados estatisticamente por meio da análise de variância e comparação de médias pelo Teste de Tukey em nível de significância de p<0,05. Os resultados mostraram os seguintes valores médios para os parâmetros estudados: eritrócitos (x106ųL): 7,37±0,31 a 8,73±0,21; hematócrito (%): 23,71±0,60 a 30,7±0,81; hemoglobina (g/dL): 11,40±1,18 a 14,22±2,04; VCM: 34,00±0,34 a 44,92±10,01; CHGM: 37,32±0,69 a 40,62±1,58; plaquetas: 493,9±46,77 a 624,3±78,82; leucócitos (ųL): 4,48x103±0,38x103 a 5,71 x103±1,1x103. As proteínas totais (g/dL) variaram de 6,71±0,13 a 7,09±0,23. Os valores de albumina variaram de 2,65±0,08 a 2,94±0,08. Os valores de globulinas variaram de 3,77±0,13 a 4,23±0,26. A relação albumina/globulina foi da ordem de 0,700±0,08. O tratamento com as vitaminas A, D e E desencadeou uma modificação no hemograma caracterizada por aumento dos leucócitos totais, acompanhada de elevação de neutrófilos totais, monócitos e plaquetas, bem como elevação da fração globulínica do proteinograma, com redução da relação albumina/globulina. Ocorreu também um decréscimo dos valores de hemoglobina em todos os grupos, fato este que se acredita não estar relacionado ao tratamento visto que os animais controle também apresentaram. Concluiu-se que a suplementação com vitaminas A, D e E produz efeito benéfico na criação de ovinos.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 422588 - FRANCISCO SOLANO FEITOSA JUNIOR
Presidente - 1167603 - MARIA DO CARMO DE SOUZA BATISTA
Externo à Instituição - TANIA MARIA LEAL - EMBRAPA
Notícia cadastrada em: 16/01/2017 15:55
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.sigaa 16/06/2024 15:15