Notícias

Banca de DEFESA: VANESSA DOS SANTOS NERI

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VANESSA DOS SANTOS NERI
DATA: 06/03/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Núcleo de Pós-Graduação em Ciências Agrárias
TÍTULO: Caracterização genética e uso sustentável de caprinos nativos
PALAVRAS-CHAVES: Caracterização fenotípica, controle de acasalamentos, marcadores genéticos, microssatélites, variabilidade genética
PÁGINAS: 80
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
SUBÁREA: Genética e Melhoramento dos Animais Domésticos
RESUMO:

Os caprinos nativos são patrimônio cultural e biológico único, por isso se justificam ações para a sua conservação. A caracterização fenotípica associada à caracterização genética utilizando-se marcadores microssatélites possibilita definir a diversidade genética entre animais e raças, o que pode promover maior eficiência dos programas de acasalamentos, otimizando o sistema de criação e auxiliando os criadores nas tomadas de decisam no que diz respeito a manutenção das raças e adequação do  sistema de produção. O objetivo dessa pesquisa foi de caracterizar fenotipica e geneticamente raças de caprinos nativos criadas no município de Elesbão Veloso, Piauí, a fim de auxiliar na manutenção da máxima variabilidade possível dentro de suas populações e disponibilizar estes recursos genéticos visando à conservação sustentável. Foram utilizados 197 animais das raças Azul, Canindé, Moxotó, Anglo Nubiana, Boer, Graúna, Repartida, Marota e Parda Alpina. Para a caracterização fenotípica, foram coletados medidas morfométricas, para analise de resistência a endoparasitas foi coletado amostras de fezes para contagem de OPG e verificação da mucosa ocular pelo método FAMACHA©. Para avaliar a carcaça dos animais coletou-se as medidas de área de olho de lombo, profundidade de olho de lombo e espessura de gordura esternal por ultrassonografia, além do escore da condição corporal e peso. Para caracterização genética foram coletados amostras de sangue para extração de DNA e uso na reação de PCR (Reação em cadeia da polimerase) com um painel de 7 marcadores microssatélites recomendados para estudos de diversidade genética de animais. Os produtos amplificados foram visualizadosapós eletroforese em gel de poliacrilamida a 7%, fotografados e genotipados manualmente. As analises estatísticas foram executadas com auxilio do software R versão 3.2.1 com estatísticas descritivas simples, analise de componentes principais e analise de agrupamento. A presença de alelos nulos foi estimada pelo programa MicroChecker – versão 2.2.3. As estimativas F de Wright (FIS, FCT, FIT), bem como a variância genética global entre as raças, estimadas por análise de variância molecular, a matriz de dissimilaridade pela distancia de Nei, com auxilio do programa GenAlEx 6.5. O conteúdo de informação polimórfica (PIC) foi calculado pelo programa CERVUS v.3.0.7. A condição do equilíbrio de Hardy-Weinberg (HWE) em cada locus, foi verificada pelo programa GENEPOP v.4.0.10 e o programa Structure, versão 2.3.4, foi utilizado para definir o número de grupos (K) mais provável nas amostras coletadas e avaliar indícios de introgressão na composição genética das raças estudadas, por meio de métodos Bayesianos. A raça Repartida foi a que mais se destacou entre as nativas em relação à morfometria. Na avaliação de carcaça, as maiores médias de área de olho de lombo, profundidade de olho de lombo e ECC foram obtidas para a raça Boer, e das raças nativas, a Moxotó. Em relação a contagem de OPG, todas as raças apresentaram baixa contagem. Para as características morfométricas e as medidas de carcaça, o método UPGMA foi o mais indicado para resumir a estrutura dos agrupamentos. Foram encontrados um número médio efetivo de alelos por locus de 10,11 entre as 9 populações. Todos os marcadores apresentaram elevado grau de heterozigosidade média observada, um valor PIC elevado e valor de FIS negativo, mostrando que as populações não são endogâmicas. As raças que apresentaram o menor numero de locus em desequilíbrio foram Anglo Nubiana, Graúna e Boer. O maior valor do ∆K encontrado foi K=9, indicando informações representativas das relações genéticas existentes entre as 9 raças, sugerindo a existência de 9 grupos genéticos com indivíduos similares devido a cruzamentos desordenados entre as diferentes populações. Os resultados obtidos forneceram subsídios para diversas investigações em que foi possível verificar a existência de variabilidade genética e a indicação de animais cruzados, o que sugere a necessidade de adequação do manejo reprodutivo e controle de acasalamentos para não colocar em risco a conservação do patrimônio genético e perpetuação das raças no estado do Piauí.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1550485 - JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
Externo ao Programa - 7423630 - ANTONIO DE SOUSA JUNIOR
Externo ao Programa - 1737174 - FABIO BARROS BRITTO
Externo à Instituição - LUIZ ANTONIO SILVA FIGUEIREDO FILHO - IFMA
Notícia cadastrada em: 09/02/2017 14:16
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 16/06/2024 16:58