Notícias

Banca de DEFESA: LUANA DIAS DE MOURA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUANA DIAS DE MOURA
DATA: 23/03/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do Núcleo de Pós-Graduação em Ciências Agrárias
TÍTULO: PROTEÍNAS RECOMBINANTES E SEU USO NO DIAGNÓSTICO DE LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA
PALAVRAS-CHAVES: proteinas recombinantes, sorologia, calazar, diagnóstico, leishmaniose
PÁGINAS: 53
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Medicina Veterinária
SUBÁREA: Medicina Veterinária Preventiva
RESUMO:

A suspeita diagnostica da LVC é baseada em dados epidemiológicos e nos achados clínicos e laboratoriais, apesar de ser um diagnóstico complexo, visto que algumas doenças compartilham sintomatologia similar. Diferentes técnicas podem ser utilizadas como testes sorológicos, pesquisa do parasita por exames parasitológicos e/ou por ensaios moleculares. Em busca de se obter um método mais específico de diagnóstico sorológico da LV, vem se realizando pesquisas com a utilização de antígenos recombinantes de Leishmania sp., uma vez que o problema na utilização de proteínas totais para o diagnóstico da doença é a existência de reações cruzadas entre soros de animais infectados com outros patógenos. O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficácia de diferentes proteínas recombinantes de Leishmania infantum chagasi no diagnóstico sorológico da leishmaniose visceral canina pelo método de ELISA. O perfil clínico dos animais foi avaliado de acordo com (SILVA et al., 2017) atribuindo escores que foram catalogados em uma ficha de avaliação. A técnica de ELISA foi realizada utilizando antígeno total de Leishmania (SLA) e sete (07) antígenos recombinantes (LiP2a, LiP2b, LiP0, HSP70, HSP83, KMP-11 e H2A). A leitura das placas foi realizada em Espectofotômetro com comprimento de onda de 490 nm, utilizando o software SolftMax Pro 5.0.  A análise estatística foi realizada utilizando o software GraphPad Prism 5.0 (GraphPad Prism Inc., San Diego, CA). Para comparação entre os grupos foi utilizado o teste de ANOVA, teste de Kruskal Wallis e de Dunn’s com múltiplas comparações de mediana adquiridas a partir da densidade ótica-OD dos soros de cada grupo, utilizando um nível de significância de p<0,05 e IC- 95%. O ponto de corte de cada antígeno foi estabelecido utilizando a curva ROC, baseado na maior sensibilidade e especificidade, onde o desempenho e acurácia de cada teste foram estabelecidos a partir da área sobre a curva – AUC. Dentre todas as proteínas testadas, a que apresentou melhor resultado em sensibilidade e especificidade foi a LiP2a, a qual conseguiu discriminar bem soros de cães positivos (sintomaticos e assintomaticos) de cães negativos e distinguiu os animais positivos dos demais gurpos de cães avaliados (erliquiose canina e vacinados contra a doença), apresentando diferença significativa entre os grupos (p < 0,05), além de demostrar melhor desempenho frente ao SLA (p < 0,05). Assim, a proteína recombinante LiP2a apresenta-se bastante promissora para ser utilizada com um antígenos alternativo para diagnóstico, com uma boa sensibilidade e especificidade nos teste de ELISA.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2221697 - MARIA DO SOCORRO PIRES E CRUZ
Interno - 1167603 - MARIA DO CARMO DE SOUZA BATISTA
Externo à Instituição - ELIANE MATTOS PIRANDA - UFMS
Notícia cadastrada em: 09/03/2017 14:47
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 15/06/2024 09:53