Notícias

Banca de DEFESA: MANOEL LOPES DA SILVA FILHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MANOEL LOPES DA SILVA FILHO
DATA: 24/05/2017
HORA: 15:00
LOCAL: Auditório do Núcleo de Pós-Graduação em Ciências Agrárias
TÍTULO: Efeito do extrato aquoso e etanólico do Angico preto (Anadenanthera macrocarpa) (Benth) Brenan sobre teleóginas e sua ação larvicida “in vitro” em Rhipicephalus (Boophilus) microplus (Canastrini - 1887)
PALAVRAS-CHAVES: Anadenanthera macrocarpa, Angico preto
PÁGINAS: 59
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Medicina Veterinária
SUBÁREA: Clínica e Cirurgia Animal
ESPECIALIDADE: Clínica Veterinária
RESUMO:

O presente trabalho teve o objetivo de determinar a ação de extratos de
Anadenanthera macrocarpa sobre as larvas e teleóginas de R. (B.) microplus. O extrato aquoso
(EA) foi preparado em água destilada a 10% e o extrato etanólico (EE) em Dimetilsulfóxido nas
concentrações de 12,5%. Utilizou-se teleóginas em grupos de dez, com três repetições que foram
imersas em 20ml das soluções de extratos, em diferentes tempos de exposição. Grupos de 20
larvas de 15 a 21 dias foram submetidos a concentrações de 8,26; 4,13; 2,06; 1,03; 0,51mg/ml
para EA e 12,5; 6,25; 3,13; 1,56 e 0,78mg/ml para o EE. Em todos os testes foram preparado
controle negativo (H2O destilada e Dimetilsulfóxido a 12,5%) e controle positivo (Amitraz na
concentração de 0,25mg/ml para grupos de R. (B.) microplus). Nos cálculos estatísticos
empregou-se análise de variância, seguida de teste de comparação das médias. Os resultados
revelaram que o EA da A. macrocarpa, na concentração de 8,26mg/ml, não apresentou
influência sobre teleóginas imersas por até 60 minutos. Já o EE de A. macrocarpa, na
concentração de 12,5mg/ml causou redução da ovipostura. Nos testes com larvas o EA provocou
mortalidade de 85% a 8,26mg/ml, na leitura de 12 horas. Já para o EE, registrou-se maior
mortalidade em torno de 85% nas concentrações 12,5; 6,25 e 1,56mg/ml. Observou-se ainda,
que os controles negativos não apresentaram mortalidade durante o experimento. Assim, tanto o
EA como o EE apresentaram efeito larvicida, embora o EE tenha sido mais eficiente e aparecem
como uma alternativa no controle desse ectoparasito.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 423174 - AMILTON PAULO RAPOSO COSTA
Externo ao Programa - 423173 - ROZEVERTER MORENO FERNANDES
Notícia cadastrada em: 09/05/2017 16:07
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.sigaa 25/06/2024 05:39