Notícias

Banca de DEFESA: EDNA TELES DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: EDNA TELES DOS SANTOS
DATA: 27/06/2017
HORA: 14:30
LOCAL: Sala de video conferência do CPCE
TÍTULO: Levedura de Cana-de-Açucar e Enzimas em Dietas para Frangos de Corte
PALAVRAS-CHAVES: mananase, tecnase, PNAses
PÁGINAS: 98
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
SUBÁREA: Nutrição e Alimentação Animal
ESPECIALIDADE: Avaliação de Alimentos para Animais
RESUMO:

Resumo: O uso de enzimas exógenas na alimentação de frangos de corte tem melhorado a digestibilidade de ingredientes com presenças significativas de polissacarídeos não amiláceos como os encontrados na parede celular da levedura de cana-de-açúcar bem como os presentes nos grão como no milho e soja. Dois experimentos foram conduzidos com os objetivos de avaliar o efeito da inclusão de diferentes dosagens de enzima mananase em dietas com e sem leveduras (experimento 1) e avaliar o efeito da inclusão de mistura enzimática (α-galactosidase, amilase, ß-mananase, α-glucanase, protease e xilanase) em dietas à base de milho e farelo de soja (experimento 2), sobre o desempenho zootécnico, histomorfometria intestinal,  rendimento de carcaça,  custo de produção e, energia metabolizável e produção de calor de frangos de corte em diferentes idades. Experimento 1: O delineamento foi o inteiramente casualizado com seis tratamentos (T1 Dieta Basal sem levedura e sem enzima (DB); T2-DB + 100g/ton de Mananase; T3 - Dieta com inclusão de 7% de levedura (DL); T4, T5 e T6 - DL + 80g/ton, 100g/ton e 120g/ton de Mananase, respectivamente), seis repetições de 20 aves cada. As variáveis de desempenho foram avaliadas aos 7, 21, 33 e 42 dias. Aos 21 e 33 dias eutanasiou uma ave de cada parcela experimental para avaliação histológica. Aos 42 dias foi  avaliado o rendimento de carcaça, cortes e gordura abdominal. Nos períodos de 7, 21, 33 e 42 dias, não foram observados efeitos (p>0,05) dos tratamentos sobre o consumo de ração, bem como para PM e GP aos 7 dias. Foi observado que as aves alimentadas com dieta sem levedura e sem enzima apresentaram melhor desempenho e as alimentadas com levedura e sem enzimas o pior desempenho. Adição de mananase às dietas com leveduras promoveu melhoria no desempenho, em função da idade das aves. Não houve efeito significativo para rendimento de cortes. Houve efeito (p<0,05) do rendimento de carcaça. Dietas com levedura piora o rendimento de carcaça. Aves alimentadas com DB tiveram menor deposição de gordura abdominal. O uso de enzima mananase proporciona aumento e redução da espessura de parede no duodeno em dietas à base de milho e soja, e, com inclusão de leveduras aos 21 dias, respectivamente. A dosagem de enzimas associadas à inclusão de leveduras ocasionaram efeitos (p<0,10) na espessura de parede do jejuno, bem como alterações na largura de vilo do íleo. A altura de cripta e espessura de parede foi reduzida com a enzima mananase no íleo aos 21 dias. Não houve efeitos (p>0,10) das demais variáveis morfometicas de duodeno, jejuno e íleo aos 21 dias. Aos 33 dias observou efeitos (p<0,0476) de redução da largura de criptas no duodeno com a inclusão da enzima mananase. Não houve efeitos para as demais variáveis morfométicas de duodeno, jejuno e íleo aos 33 dias. A enzima mananase melhora o desempenho zootécnico e rendimento de carcaça em dietas com levedura em frangos de corte. E, recupera o rendimento de carcaça e aumenta a gordura abdominal de frangos de corte aos 42 dias. A inclusão de levedura encarece as rações nos períodos de 1 a 21, 22 a 42 e 1 a 42 dias. Experimento 2: Foi realizado ensaio de metabolismo e desempenho. O delineamento foi o inteiramente casualizado, com 4 tratamentos (T1- controle positivo (CP), T2-CP com 200g/t de Tecnase, T3-Controle Negativo (CN) e T4-CN com 200g/t de Tecnase), 8 repetições, 15 (desempenho) e 4 (metabolismo)  aves cada. Utilizou o método de coleta total de excretas para determinar a energia metabolizável. Aos 33 dias aves foram eutanasiadas para coleta histomorfologica e determinação da Produção de calor. As variáveis de desempenho foram avaliadas aos 33 e 42 dias.  Aos 42 dias aves foram abatidas para avaliação do rendimento de carcaça, cortes e gordura abdominal. Não foi observado efeito (p>0,05) dos tratamentos sobre as variáveis de desempenho, rendimento de carcaça, corte e gordura abdominal aos 33 e 42 dias, respectivamente. O uso de misturas enzimáticas ocasionou aumento da largura de cripta no duodeno aos 33 dias. As demais variáveis histomorfométricas de duodeno, jejuno e íleo não foram influenciadas estatisticamente pelo uso da mistura enzimática. Não foram observados efeitos (p>0,05) para os valores de energias metabolizáveis e produção de calor ao incluir enzimas às dietas no período de 21 a 33 dias de idade. O uso de enzimas em dietas sem redução energética não é economicamente viável no período de 21 a 42 dias de idade.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - DAPHINNE CARDOSO NAGIB DO NASCIMENTO - NENHUMA
Externo ao Programa - 1551976 - GUILHERME JOSE BOLZANI DE CAMPOS FERREIRA
Externo ao Programa - 4301550 - HATAWA MELO DE ALMEIDA MONTEIRO
Presidente - 1650875 - LEILANE ROCHA BARROS DOURADO
Externo ao Programa - 1671082 - LEONARDO ATTA FARIAS
Externo à Instituição - MELINA APARECIDA BONATO - NENHUMA
Externo ao Programa - 1545386 - STELIO BEZERRA PINHEIRO DE LIMA
Notícia cadastrada em: 27/06/2017 13:07
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 23/06/2024 04:07