Notícias

Banca de DEFESA: MAIRA SOARES FERRAZ

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MAIRA SOARES FERRAZ
DATA: 08/03/2013
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório do prédio da Pós-graduação em Ciência Animal
TÍTULO:

Protocolos de maturação e fertilização na produção in vitro de embriões de cutia (Dasyproctaprymnolopha, Wagler, 1831)


PALAVRAS-CHAVES:

roedor, oócito, Dasyprocta, maturação in vitro


PÁGINAS: 75
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Medicina Veterinária
SUBÁREA: Reprodução Animal
RESUMO:

O desenvolvimento de um protocolo de maturação in vitro de oócitos de cutias pode ser de grande importância para que esta técnica possa ser aplicada para preservação da espécie e também para outros roedores em perigo de extinção. Dessa forma, o objetivo do presente estudo foi recuperar oócitos por meio da técnica de fatiamento do ovário para utilizá-los em protocolos de maturação e fertilização na produção in vitro de embriões. Seis cutias fêmeas criadas no Núcleo de Estudos e Preservação de Animais Silvestres – NEPAS da Universidade Federal do Piauí (UFPI), (Registro de Criadouro IBAMA n° 02/08 - 618) foram submetidas à ovariosalpingohisterectomia e os ovários colhidos e fatiados em placa de 100 x 15 mm (TPP). Após o fatiamento, os cumulus-oócitos (CCOs) foram selecionados em estereomicroscópio e colocados no meio de manutenção. Os CCOs viáveis foram alocados em placas de petri 60 x 30 mm com seis microgotas de meio de maturação previamente estabilizadas por 2h em estufa de cultivo (Thermo) à 38,8°C, com atmosfera de 5% de CO2 e 95% de umidade relativa. No experimento 1, os CCOs viáveis foram alocados em três grupos de maturação: MAT – 16 (16 horas de maturação), MAT - 20 (20 horas de maturação) e MAT – 24 (24 horas de maturação). A maturação nuclear foi analisada de acordo com a extrusão do corpúsculo polar. No experimento 2, os oócitos foram ativados quimicamente com uso 10 µL de ionomicina em 1 ml de meio de manutenção e 50 µL DMAP em 1 ml de SOF e co-incubados por 4 horas 38,8ºC e 5% de CO2. Em seguida foram lavados em três microgotas de meio SOF e agrupados em seis microgotas de 100 uL sob óleo mineral por sete dias 38,8ºC e 5% de CO2. O dia zero (D0) foi definido como o dia da fertilização e ativação. Foram obtidos, em média, 23,5±7,868 oócitos por cutia. Quanto à maturação in vitro foi observada a presença de um oócito com corpúsculo polar no grupo MAT 16, três oócitos com corpúsculos polares em MAT 20 e nove oócitos com corpúsculos polares em MAT 24. Com relação à ativação química com ionomicina foi possível observar ativação de 22 oócitos assim distribuídos: quatro no grupo MAT 16, onze no grupo MAT 20 e sete no grupo MAT 24.



MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 422578 - MARIA ACELINA MARTINS DE CARVALHO
Externo ao Programa - 423585 - EUNICE ANITA DE MOURA FORTES
Externo à Instituição - ANTONIO CHAVES DE ASSIS NETO - USP
Externo à Instituição - FELIPE DE JESUS MORAES JUNIOR - NENHUMA
Externo à Instituição - MARCELO BERTOLINI - UNIFOR
Notícia cadastrada em: 18/02/2013 10:20
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 13/06/2024 11:59