Notícias

Banca de DEFESA: MARLENE SIPAUBA DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARLENE SIPAUBA DE OLIVEIRA
DATA: 26/02/2019
HORA: 08:00
LOCAL: Auditório do Núcleo de Pós-Graduação em Ciências Agrárias
TÍTULO: Biotecnologia da reprodução: Uso do ACP®- 407 na criopreservação e do ACP®- 414 na maturação de oócitos durante o processo de produção in vitro de embriões partenogenéticos caprinos
PALAVRAS-CHAVES: ACP, Criopreservação de oócitos. caprinos
PÁGINAS: 89
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Medicina Veterinária
SUBÁREA: Reprodução Animal
ESPECIALIDADE: Ginecologia e Andrologia Animal
RESUMO:

As Biotecnologias da reprodução são ferramentas capazes de aumentar a eficiência reprodutiva e produtiva do animal, assim como, superar alguns obstáculos envolvidos na reprodução animal. A proposta adotada neste presente trabalho foi avaliar o Uso do ACP®- 407 na criopreservação e do ACP®- 414 na maturação de oócitos durante o processo de produção in vitro de embriões partenogenéticos caprinos. Para este fim, os complexos cumulus-oócitos aspirados de  folículos ovárianos de cabras púberes foram classificados morfologicamente e divididos em três (3) grupos. O grupo1- oócitos submetidos ao método de vitrificação (Cryotech®), grupo 2 - congelação lenta (1,5 M de EG (Etilenoglicol) /ACP®- 407) e o grupo 3 - oócitos frescos. Após descongelação e reaquecimento dos oócitos cripreservados, os classificados como viáveis foram maturados em meio de maturação in vitro convencional com e sem ACP®- 414 (10%) de acordo com fabricante a 38˚ C e 5% CO2 por 24 h e então ativados com exposição a Ionomicina (5 µM) por 5 minutos e incubados com  6-Dimethylaminopurina (6-DMAP) e Cicloheximida por 4h. Estas células ativadas foram cultivadas em meio para cultivo de embriões G1 e G2 (Vitrolife) por oito dias e então aferidos os blastócitos e corados com Hoechst 33342 (5µ/mL). Na avalição dos métodos de criopreservação o número de oócitos degenerados foi maior nos oócitos criopreservado em congelação lenta quando comparado com os vitrificados (p < 0,05). Baixas taxas de maturação indicando diferença significativa entre  os métodos de vitrificação e congelação lenta com controle. Não houve clivagens e formação de blastocistos, demonstrando diferença significativa da incompetência meiótica quando comparado com o controle.  No estudo do grupo de oócitos frescos não houve diferença significativa nas taxas de maturação dos oóctitos com e sem ACP (66,2% e 69,2%), respectivamente. Houve melhores taxas de clivagens no grupo de maturado sem ACP quando comparado com o grupo de maturados com ACP (p < 0,05).  Ocorreu diferença significativa nas taxas de blastocistos no grupo de maturados sem ACP (10,8%) com relação ao grupo de maturados com ACP (0%). O uso do ACP®- 407/414 não apresentou resultados efetivos na competência oocitária dos oócitos criopreservados, mas no grupo dos oócitos frescos apresentaram resultados similares nas taxas de maturação dos  oócitos frescos sem ACP, indicando ser uma boa opção de substituição de algum componente presente no meio de maturação para espécie caprina.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1643184 - NEY ROMULO DE OLIVEIRA PAULA
Interno - 422864 - JOSE ADALMIR TORRES DE SOUZA
Externo ao Programa - 1739707 - JANAINA DE FATIMA SARAIVA CARDOSO
Externo à Instituição - ROMULO JOSE VIEIRA - UESPI
Externo à Instituição - TANIA MARIA LEAL - EMBRAPA
Notícia cadastrada em: 14/02/2019 15:22
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.sigaa 16/06/2024 15:37