Notícias

Banca de DEFESA: FRANCELINO NEIVA RODRIGUES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FRANCELINO NEIVA RODRIGUES
DATA: 16/03/2020
HORA: 15:00
LOCAL: Prédio do Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal
TÍTULO: PASTAGEM NATIVA EM ÁREA DE CAATINGA PARA A PRODUÇÃO DE OVINOS
PALAVRAS-CHAVES: custos de produção de crias, massa de forragem, orçamentação forrageira,
PÁGINAS: 80
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
SUBÁREA: Pastagem e Forragicultura
RESUMO:

A

A pastagem nativa da Caatinga é a principal fonte alimentar do rebanho ovino no semiárido piauiense, contudo informações sobre espécies forrageiras, disponibilidade de forragem ao longo do ano e o desempenho de animais são escassas o que pode comprometer a conservação deste ecossistema pastoril. Buscando produzir informações para o manejo racional da Caatinga na produção de ovinos, objetivou-se realizar um estudo sobre pastagem nativa, quanto a dieta dos animais, a dinâmica das plantas forrageiras, disponibilidade de forragem, desempenho animal e custos de produção. O estudo foi realizado em propriedade, localizada no município de Paulistana, território de desenvolvimento da Chapada Vale do Itaim, região sudeste do Estado do Piauí, nos períodos: chuvoso e seco.  A dieta de ovinos foi identificada por meio de estudo Etnobotânico e em seguida foi realizado levantamento fitossociológico em sítios de pastejo. A disponibilidade e oferta de forragem, a variação de peso e escore corporal de matrizes, os índices reprodutivos, peso ao nascer e ao desmame, desenvolvimento de borregas, e custos de produção foram avaliados nos períodos chuvoso e seco. Foram identificadas 20 plantas forrageiras que participam da dieta dos animais, sendo a favela e aroeira as plantas com maior participação. A fitossociologia revelou que a vegetação está em desequilibro com dominância de espécies de sucessão, como o marmeleiro e pereiro. O menor peso das matrizes foi registrado nos meses de maio a julho, período de amamentação das crias e menor oferta de forragem. A taxa de parto observado foi de 95,1% e prolificidade de 1,3, o peso das crias ao nascer foi de 2,6 Kg, e ao desmame foi de 16,7 kg para fêmeas e 19,8 para machos. O melhor desempenho das borregas foi no período seco, com o aporte da serrapilheira, visto que no período chuvoso a oferta de forragem foi menor. Os custos de produção calculados foram elevados, considerado inviável para a sustentabilidade econômica da atividade. A pastagem nativa da Caatinga tem condições para alimentação do rebanho na fase de cria com desempenho zootécnico satisfatório, em situação de baixa taxa de lotação, deste modo grandes áreas de pastagens são necessárias para o manejo dos rebanhos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423364 - MARIA ELIZABETE DE OLIVEIRA
Interno - 1167667 - ARNAUD AZEVEDO ALVES
Interno - 1550698 - DANIEL LOUCANA DA COSTA ARAUJO
Externo à Instituição - HENRIQUE NUNES PARENTE - UFMA
Externo à Instituição - TANIA MARIA LEAL - EMBRAPA
Notícia cadastrada em: 10/03/2020 08:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 15/06/2024 10:13