Notícias

Banca de DEFESA: RONALDO SOUSA SANTOS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RONALDO SOUSA SANTOS
DATA: 28/08/2013
HORA: 14:00
LOCAL: Núcleo de Pós-Graduação do Centro de Ciências Agrárias (Auditório da Pós-Graduação)
TÍTULO:

Avaliação de animais puros por cruza da raça Anglonubiana no Piauí com base em índices zootécnicos de um rebanho e em parâmetros fisiológico de fêmeas


PALAVRAS-CHAVES:

caprino, desempenho, peso, produção, reprodução, tipo de nascimento da cria, parâmetros fisiológico


PÁGINAS: 68
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
SUBÁREA: Produção Animal
ESPECIALIDADE: Criação de Animais
RESUMO:

Resumo Geral: Objetivou-se nessa pesquisa avaliar o desempenho e parâmetros fisiológicos de animais puros por cruza da raça Anglonubiana, num rebanho manejado em sistema de criação semi-intensiva em Teresina- PI, no qual os reprodutores são animais puros introduzidos de outros rebanhos e reposição de fêmeas feita com animais do próprio rebanho. Os resultados foram apresentados em dois capítulos: no primeiro a avaliação foi com base em estatísticas descritivas (médias, desvios-padrão e dispersão em gráficos ao logo dos anos) descrevendo-se características de produção e reprodução, a partir de informações disponíveis no banco de dados do rebanho, referentes ao período de janeiro de 2009 a julho de 2013. Analisou-se a distribuição das características, de forma direta ou combinada, sexo, tipo de nascimento da cria, nº de crias nascidas, idade da cabra ao primeiro parto, intervalo do primeiro ao segundo parto, peso da cria ao nascer, aos 30 e aos 120 dias de idade, peso corporal da cabra ao parto e ao desmame, alem da prolificidade, estratificadas por primípara e não primíparas. No segundo capitulo analisou-se parâmetros fisiológicos de fêmeas de diferentes idades e diferentes estágios fisiológicos, complementada com informações do peso e escore corporal dos animais, cujas informações foram coletadas de setembro de 2008 a dezembro de 2010, sendo a mensuração da temperatura retal, freqüência cardíaca e respiratória feita na parte da tarde, nas épocas seca e chuvosa do ano, com os animais à sombra. As médias foram comparadas pelo teste Tukey (P<0,05). Constatou-se que o manejo reprodutivo utilizado no rebanho concentrou os partos no início de cada semestre, mas com ocorrência de nascimentos em todos os meses do ano, portanto com ausência de estacionalidade reprodutiva, sendo que 55,5% das crias nasceram no período seco do ano, com média da relação macho/fêmea 0,98 e da prolificidade igual a 1,36 crias/parto, cuja tendência foi associar a maior prolificidade com o aumento da idade da cabra, mas influenciável pelo ambiente. As marrãs se mostraram relativamente tardias ao primeiro parto (716 ±150 dias). A precocidade se associou a expectativa de maior intervalo do primeiro para o segundo parto (350 ±40 dias), que foi maior que a média do rebanho (310 ±35 dias). O peso da cabra adulta após o parto variou de 36,8 a 40,3kg, com tendência de maior valor nos partos do primeiro semestre, sendo nas primíparas igual a 33,5 kg. As crias nasceram com peso entre 2,7 a 3,9kg, chegando a 7,6 kg aos 30 dias de idade e a 15,0kg na desmama, porem sem esses pesos seguirem a tendência de maior valor no primeiro semestre do ano. A média da relação “peso da mãe/peso da cria” foi de 1/14 kg ao nascer, de 1/5 aos 30 dias de idade e 1/2,9 ao desmame, sendo que para as cabras primíparas esses valores foram maiores, 1/10 e 1/11, para as mães de crias macho e fêmeas, respectivamente. Com base no comportamento dos parâmetros fisiológicos, constatou-se que o envelhecimento torna a cabra pura por cruza da raça Anglonubiana mais sensível ao ambiente quente e úmido, enquanto os animais jovens demonstram estar fisiologicamente adaptadas às condições ambientais de Teresina, com a manutenção da temperatura retal dentro da faixa considerada normal para caprinos. A cabra adulta se mostra relativamente confortável nas condições ambientais de Teresina, principalmente no primeiro semestre do ano. Mesmo não sendo possível fazer um zoneamento climático para a definição de época mais adequada para estação de monta na região, parece ser conveniente evitar que a gestação ocorra no período quente e seco do ano na região. A gestação é um estágio fisiológico que torna as cabras mais sensíveis à elevação de temperatura na região, sendo que convém considerar isso na definição de manejo reprodutivo para evitar a gestação nos meses mais quentes do ano na região.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1167774 - JOSE ELIVALTO GUIMARAES CAMPELO
Interno - 1550485 - JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
Interno - 1555834 - SEVERINO CAVALCANTE DE SOUSA JUNIOR
Externo ao Programa - 012.068.217-60 - ADRIANA MELLO DE ARAÚJO - EMBRAPA
Externo ao Programa - 446.200.203-20 - DANIELLE MARIA MACHADO RIBEIRO AZEVEDO - EMBRAPA
Notícia cadastrada em: 20/08/2013 14:47
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 25/06/2024 04:47