Notícias

Banca de DEFESA: RAIANE DE SOUSA OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RAIANE DE SOUSA OLIVEIRA
DATA: 26/11/2021
HORA: 14:00
LOCAL: ON LINE
TÍTULO: Polimorfismo do Exon-1 do GENE MIOSTATINA (MSTN) em caprinos do Brasil
PALAVRAS-CHAVES: Azul, Anglo-Nubiano, Canindé, TGF-ß, recursos genéticos, fator de crescimento
PÁGINAS: 56
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
SUBÁREA: Genética e Melhoramento dos Animais Domésticos
RESUMO:

Apesar do consumo de carne caprina apresentar uma importante fonte de proteína na alimentação das populações rurais , a quantidade de carne caprina consumida pela população brasileira ainda é baixa comparada ao consumo de carne bovina e suína. O melhoramento genético da produção de carne caprina se caracteriza como um processo de ganho lento e para as raças localmente adaptadas costuma ser de difícil implementação. A identificação de variações alélicas no gene da miostatina (GDF-8), considerado um candidato para o crescimento e desenvolvimento da carne nos animais pode ser utilizado para a seleção assistida por marcadores moleculares com a finalidade de obter uma resposta rápida ao que se refere a genética caprina. Este estudo avaliou o polimorfismo do éxon 1 do gene da Miostatina nas raças caprinas Azul (grupo localmente adaptado, sem padronização de registro), Anglo-Nubiano (raça padronizada, comercial)e Canindé (raça localmente adaptada, padronizada). No geral, foram identificados nove sítios polimórficos nas raças estudadas. A raça Canindé apresentou maior quantidade de mutações, sendo três delas relacionada ao dado de polimorfismo e dois aos indels. A raça Anglo-Nubiano apresentou uma mutação relativa a dados de polimorfismo e dois referentes aos indels. Sendo que a raça Azul não apresentou nenhum dado polimórfico. O número de sítios polimórficos e indels totalizaram 4 e 5, respectivamente. As frequências de nucleotídeos médias dessa sequência foram: 32,56% (A), 23,47% (T / U), 21,00% (C) e 22,97% (G). As relações de taxa de transição e transversão foram de k1 = 6,727 (purinas) e k2 = 0 (pirimidinas). A diversidade haplotípica (hd) foi de 0,306 para dados polimórficos e de 0,515 para diversidade de haplótipos indels. Pode-se concluir que houve variação na  das populações caprinas para o gene da miostatina, mas o desempenho para o crescimento e desenvolvimento da carne necessita ser confirmado.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 012.068.217-60 - ADRIANA MELLO DE ARAÚJO - EMBRAPA
Interno - 247.195.523-15 - FABIO MENDONCA DINIZ - EMBRAPA
Interno - 1550485 - JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
Externo ao Programa - 714.494.263-87 - VLADIMIR COSTA SILVA - UFPI
Notícia cadastrada em: 12/11/2021 09:18
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 15/06/2024 10:20