Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: NILTON ANDRADE MAGALHAES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: NILTON ANDRADE MAGALHAES
DATA: 20/02/2014
HORA: 08:30
LOCAL: Progrma de pós-Graduação em Ciência Animal, Centro de Ciências Agrárias
TÍTULO:

Equídeos infectados com Leishmania (leishmania) infantum chagasi em área endêmica de Teresina, Piauí


PALAVRAS-CHAVES:

LTA, Epidemiologia, Equídeos, Teresina


PÁGINAS: 65
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Medicina Veterinária
SUBÁREA: Patologia Animal
ESPECIALIDADE: Anatomia Patologia Animal
RESUMO:

Considerando a importância das leishmanioses em nossa região, objetivou-se com essa pesquisa relatar a ocorrência de equídeos infectados por L. (Leishmania) infantun chagasi em área endêmica de leishmaniose tegumentar americana de Teresina, Piauí e descrever os aspectos sócios econômicos dessa área que possam contribuir para a ocorrência dessa endemia na região. As leishmanioses são um grande problema de saúde pública mundial, com uma estimativa de 12 milhões de casos em todo mundo e uma incidência de 1,5 a 2 milhões de casos anualmente. Sendo que de 25 a 50% são do tipo visceral e o restante do tipo cutânea. Na América latina, 12 países têm registros da doença, sendo que 90% estão concentrados no Brasil. No Brasil, as regiões Norte e Nordeste são responsáveis por cerca de 80% da casuística O município de Teresina, Piauí, onde foi realizada a pesquisa, apresentou um elevado crescimento populacional nos últimos anos e, como consequência, houve uma ocupação rápida e desordenada da sua periferia expondo sua população a extensas áreas cobertas por florestas tropicais e densa vegetação. Essas áreas são locais prováveis de multiplicação silvestre das leishmânias e do seu vetor.  O estudo é uma pesquisa transversal realizada em Teresina/PI, no bairro Santa Teresa, localizado na zona rural leste sudeste, Km 11 da PI 113 onde foram identificados casos humanos de LTA em 2010 e 2011. Realizaram-se entrevistas em 210 residências com questionários padronizados e coletou-se sangue de 30 equídeos após a sua avaliação clínica, para realização de nested PCR ITS’1 e identificação de espécies de leishmânia com enzima de restrição Hae III. Verificou-se que mais de 40% dos moradores encontram-se em idade ativa entre 16 e 40 anos; mais de 30% não concluíram o ensino fundamental e cerca de 20% não são alfabetizados; a renda familiar em quase 50% das famílias é de um salário mínimo; nãohá saneamento básico; há presença de animais silvestres; as edificações residências variam de boa a precária e presença de grande quantidade de animais domésticos convivendo com as famílias que são considerados reservatórios e hospedeiros das leishmânias. O bairro, portanto apresenta características favoráveis ao desenvolvimento das leishmanioses. Na nested PCR ITS’1 13 equídeos apresentaram sequência de DNA com patível com de Leishmania sp. A digestão do produto da “nested” PCR permitiu  identificar sequências de DNA de  Leishmania (Leishmania) infantum chagasi. No peridomicílio de várias moradias das regiões rurais no Brasil, os equinos, embora com menor relevância que os caninos, podem se transformar em mais um importante hospedeiro para leishmaniose visceral. Alguns estudos apontam os eqüinos como provável hospedeiro de leishmaiose tegumentar. A ocorrência de infecção por Lesihmania (L.) infantum em equídeos em áreas endêmicas no Brasil assume uma dimensão importante, pois onde já se tem uma significativa população de cães infectados e expostas a infecção, a presença de mais uma espécie albergando o agente etiológico, mesmo que a população não seja tão significativa, promove um incremento na cadeia epidemiológica.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423172 - FRANCISCO ASSIS LIMA COSTA
Interno - 1167750 - FERNANDO AECIO DE AMORIM CARVALHO
Externo ao Programa - 423457 - CARLOS HENRIQUE NERY COSTA
Externo à Instituição - MARIA DAS GRAÇAS PRIANTI - NENHUMA
Notícia cadastrada em: 20/01/2014 08:08
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.sigaa 16/06/2024 15:12