Notícias

Banca de DEFESA: NILTON ANDRADE MAGALHAES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: NILTON ANDRADE MAGALHAES
DATA: 07/03/2014
HORA: 08:30
LOCAL: Núcleo de Pós-Graduação do Centro de Ciências Agrárias (Auditório da Pós-Graduação)
TÍTULO:

ASPECTOS DAS LEISHMANIOSES EM ÁREA ENDÊMICA DE TERESINA PIAUÍ


PALAVRAS-CHAVES:

Endemia, Epidemiologia, Leishmaniose, LTA, Teresina/PI


PÁGINAS: 112
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Medicina Veterinária
SUBÁREA: Patologia Animal
ESPECIALIDADE: Anatomia Patologia Animal
RESUMO:

Objetivou-se com essa  pesquisa descrever os aspectos sócios econômicos que possam contribuir para a ocorrência das leishmanioses e relatar a ocorrência de equídeos infectados por L. (Leishmania) infantun em área endêmica de leishmaniose tegumentar americana de Teresina, Piauí. As leishmanioses são infecções causadas por protozoário hemoflagelado intracelular integrante do gênero Leishmania, família Trypanosomatidae e da ordem Kinetoplastida. Clinicamente pode-se observar uma variedade de sinais desde lesões cutâneas que podem curar espontaneamente até formas viscerotrópicas que é mais grave e potencialmente fatal. São consideradas como doenças negligenciadas e, assim, permanecem como um grave problema de saúde pública recebendo atenção especial pela Organização Mundial de Saúde- OMS. Constituem grande problema de saúde pública mundial, com uma estimativa de 12 milhões de casos em todo mundo e uma incidência de 1,5 a 2 milhões de novos casos anualmente. 25 a 50% de todos os casos de leishmanioses são do tipo visceral e o restante do tipo cutânea. São endemias de grande importância para a saúde pública no Brasil, pois apresentam ampla distribuição por todo o país, ocorrendo formas clínicas graves e havendo dificuldades tanto em relação ao diagnóstico quanto ao tratamento. Caracterizam-se como um grupo de doenças em que o meio ambiente exerce um papel importante em seu aparecimento pela escola criada por Pavlowski. O município de Teresina, Piauí, onde foi realizada a pesquisa, apresentou um elevado crescimento populacional nos últimos anos e houve  ocupação rápida e desordenada da periferia expondo sua população a extensas áreas cobertas por florestas tropicais e densa vegetação, prováveis locais de multiplicação silvestre das leishmânias e do seu vetor. Foram realizadas coleta de informações dos moradores por meio de entrevistas em 210 residências, com perguntas elaboradas de acordo com as informações necessárias para se obter identificação dos fatores de risco para a ocorrência de LTA na área e coletou-se sangue periférico de 42 equídeos para pesquisa de DNA de leishmânia  por nested ITS’1 PCR e sua especificação através da digestão do produto da amplificação da nested PCR com enzimas de restrição Hae III. Mais de 30% da população reside no bairro há mais de 30 anos; sendo que 41,05% tem idade entre 16  a 40 anos e 46,66% tem renda familiar de um salário mínimo; 20,48% são analfabetos; em 48,1% das residências apenas uma pessoa trabalha; 20,87% são agricultores;  em 16,2%  das residências não há fossa séptica; 88,57% residem próximo às matas e 32,38% tem contato com animais silvestres principalmente raposa e mucura - 27,94 e 30, 88% respectivamente; aproximadamente 40% das residências são precárias ou semiprecárias; em 59,52% das ruas não há pavimentação e em 36,6% da área não há coleta de lixo. As características topográficas e ecológicas do bairro Santa Teresa são favoráveis à ocorrência de LTA; As condições socioeconômicas associadas à falta de saneamento básico e à elevada população de animais domésticos e silvestres reservatórios, criam condições satisfatórias para o desenvolvimento de agentes infecciosos e parasitários, sobretudo a Leishmania. A endemia de LTA na região é do tipo silvestre modificada. Dos 42 equídeos analisados nenhum apresentava sinal clínico sugestivo de qualquer forma de leishamaniose e nem de outras patologias, entretanto 21 (50%) foram PCR positivos para leishmaniose (14 equinos, quatro asininos e três muares). A digestão do produto da “nested” PCR permitiu  identificar sequências de DNA de  Leishmania (Leishmania) infantum, caracterizando a infecção como leishmnaiose visceral. Esses resultados estão fundamentados na identificação de espécies de leishmânias por digestão do produto da PCR com enzima de restrinção  Hae III para a região ITS1. Sete produtos  de sete “nested” PCR de sangue de equídeos positivos foram sequenciados.  De acordo com a avaliação no site NCBI (National Center for Biotechnology Information), dos fragmentos de DNA sequenciados, cada uma das sequências obtidas eram características da espécie Leishmania (Leishmania) infantum. A presença de equídeos infectados com Leishmania (Leishmania) infantun sugere sua participação no ciclo de transmissão da leishmaniose visceral em Teresina.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423172 - FRANCISCO ASSIS LIMA COSTA
Interno - 1167750 - FERNANDO AECIO DE AMORIM CARVALHO
Externo ao Programa - 668.429.808-87 - HIRO GOTO - USP
Externo ao Programa - 423646 - REGINALDO RORIS CAVALCANTE
Externo à Instituição - FÁBIO HENRIQUE EVANGELISTA DE ANDRADE - UMA
Notícia cadastrada em: 24/02/2014 11:00
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 20/06/2024 05:53