Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: DANIEL MEDEIROS DE NORONHA ALBUQUERQUE

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DANIEL MEDEIROS DE NORONHA ALBUQUERQUE
DATA: 07/03/2014
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório da Pós-Gradação
TÍTULO:

SELÊNIO E VITAMINA E PARA FRANGOS DE CORTE DOS 22-42 DIAS


PALAVRAS-CHAVES:

avicultura, antioxidante, estresse por calor, eficiência produtiva, parâmetros sanguìneos,


PÁGINAS: 65
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
SUBÁREA: Nutrição e Alimentação Animal
RESUMO:

A pesquisa foi desenvolvida para avaliar o efeito antioxidante da vitamina E e Selênio sobre o desempenho (ganho de peso, consumo de ração e conversão alimentar), viabilidade criatória, índice de eficiência produtiva, rendimento de carcaça e principais cortes de frangos de corte dos 22 aos 42 dias, bem como a histomorfometria hepática e duodenal, níveis séricos de colesterol total e triglicérides, órgãos linfocitários e fígado de frangos de corte dos 22 aos 42 dias de idade naturalmente submetidas à estresse cíclico por calor. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados em esquema fatorial de 2 x 3, sendo dois níveis de selênio (0,1 e 0,3 mg/kg) e três níveis de vitamina E (300, 400 e 500 mg/kg), além de uma ração controle.O acetato DL-α-tocoferol foi a forma usada de vitamina E e o selênio, um preparado comercial orgânico (selenometionina). Os níveis de selênio orgânico de 0,1 e 0,3 mg/kg associados com 300, 400 e 500 mg/kg de vitamina E não influenciam o consumo de ração, ganho de peso, conversão alimentar e índice de eficiência produtiva de frangos de corte nas fases de 22 a 33 dias e de 22 a 42 dias em ambientes de elevada temperatura. Porém, o nível de 0,3 mg/kg de inclusão de selênio melhora a viabilidade criatória nas duas fases. O rendimento de carcaça e dos principais cortes não é influenciado pelos níveis de selênio e de vitamina E, enquanto a gordura abdominal no nível 0,1 mg/kg de selênio diminui com o incremento de vitamina E. Os níveis de selênio orgânico de 0,1 e 0,3 mg/kg associados com 300, 400 e 500 mg/kg de VE não influenciam o peso relativo de pâncreas, timo, baço, intestino e coração de frangos de corte aos 42 dias, porém, a inclusão de 0,3 mg/kg de selênio associado com 500 mg/kg de vitamina E aumenta o peso relativo e o diâmetro da bolsa cloacal. Para os órgãos digestivos, fígado e moela, o peso relativo é influenciado pelos níveis de vitamina E. A suplementação de 0,1 e 0,3 mg/kg de selênio na dieta de frangos de corte não influenciam os níveis séricos de colesterol total e triglicérides. Também, os níveis de antioxidantes testados não exercem efeito protetor contra focos inflamatórios nas células hepáticas. Para os níveis 0,1 e 0,3 mg/kg de selênio, o incremento de vitamina E nas rações influencia a profundidade de criptas e altura de altura de vilos. Para o nível 400 mg/kg de vitamina E, o nível de Se 0,3 mg/kg diminui a profundidade de cripta e altura de vilo.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423289 - JOAO BATISTA LOPES
Interno - 423411 - MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
Externo ao Programa - 1671082 - LEONARDO ATTA FARIAS
Notícia cadastrada em: 11/03/2014 13:36
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 23/06/2024 05:58