Notícias

Banca de DEFESA: LEOPOLDO F MARCAL DO NASCIMENTO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LEOPOLDO F MARCAL DO NASCIMENTO
DATA: 26/02/2015
HORA: 15:00
LOCAL: Auditorio do HVU
TÍTULO:

ACOMPANHAMENTO CLÍNICO E LABORATORIAL EM CÃES NATURALMENTE INFECTADOS POR Leishmania Infantum Chagasi, SUBMETIDOS À TERAPIA COM ALOPURINOL E HALOACETAMIDO


PALAVRAS-CHAVES:

LVC, Haloacetamido, Hemograma, Bioquímico e escore clínico, cao.


PÁGINAS: 30
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Medicina Veterinária
RESUMO:

A leishmaniose visceral canina (LVC) é uma zoonose com aspectos clínicos e laboratoriais variáveis sendo reconhecidamente mais resistente ao tratamento que a leishmaniose no homem. A ausência de cura parasitológica e a ocorrência de resistência parasitária aos tratamentos disponíveis indicam a necessidade do desenvolvimento de alternativas terapêuticas para que se possa atingir a cura clínica e garantir a eliminação por completo da infecção nos cães bloqueando, assim, o ciclo de infecção para humanos e não causar danos a saúde do animal. O objetivo deste estudo foi realizar ensaios clínicos com o Haloacetamido em cães de área endêmica com acompanhamento mensalmente durante cinco meses, avaliando-os clinica e laboratorialmente. Os animais positivos para LVC foram divididos em dois grupos: GRUPO A (n=8) que receberam comprimidos de Alopurinol na dose de 20mg/Kg, uma vez ao dia e GRUPO B (n=8) que receberam cápsulas de Haloacetamido na dose de 10mg/Kg, uma vez ao dia, durante 90 dias. Quando avaliados as interações entre os grupos tratados o escore clínico dos cães submetidos aos tratamentos diferiram de modo significativo apenas no D15, onde animais do grupo A tiveram uma redução bem acentuada dos escores clínicos, enquanto os animais do grupo B mantiveram seus escores com pouca variação. A observação dos parâmetros leucocitários revelou uma diferença de modo significativo nos leucócitos totais durante todo o período da administração das drogas. Na avaliação da interação entre os grupos dos parâmetros hematológicos e plaquetas foram encontradas diferenças de modo significativo apenas no Volume Globular Médio (VGM) e na Concentração de Hemoglobina Globular Média (CHGM) nos D15, D30, D45, D75 e D90 e no D30, respectivamente. Os os demais itens avaliados não apresentaram diferença estatistica e nem diferiram quando comparados à média dos grupos com os valores de referência. A interação entre os grupos na avaliação dos parâmetros bioquímicos mostrou alterações de modo significativo na Alanima Aminotransferase (ALT), Proteínas Totais e Globulinas. No ALT ocorreu diferença de modo significativo no D0, nas Proteínas Totais no D15 e D75 e nas Globulinas no D0, D15, D60 e D75. Avaliando os diferentes tempos de tratamento dentro dos grupos o perfil do Escore Clínico mostrou diferenças de modo significativo apenas no grupo A, ao relacionar o tempo D15 com os tempos D75, D90 e D150 e os tempos D75 e D90 quando comparados ao D0. Os resultados mostram que o tratamento com o Haloacetamido não foi capaz de induzir uma melhora clínica e que os aspectos laboratoriais são muito variaveis, nescessitando de estudos complementares.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ALESSANDRA GUTIERREZ DE OLIVEIRA - UFMS
Externo ao Programa - 053.615.748-05 - MARIA DAS GRAÇAS PRIANTI - USP
Presidente - 2221697 - MARIA DO SOCORRO PIRES E CRUZ
Notícia cadastrada em: 19/02/2015 15:17
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 23/06/2024 05:40