Notícias

Banca de DEFESA: HATAWA MELO DE ALMEIDA MONTEIRO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: HATAWA MELO DE ALMEIDA MONTEIRO
DATA: 20/04/2015
HORA: 08:00
LOCAL: Auditório da Pós-Graduação em Ciência Animal
TÍTULO:

Parâmetros morfofisiológicos da reprodução de cutias (Dasyprocta aguti, Linnaeus 1766) em cativeiro: análise colpocitológica, morfométrica e concentrações plasmáticas de progesterona e estradiol, por enzima imunoensaio, durante o ciclo estral


PALAVRAS-CHAVES:

Dasyprocta aguti. Colpocitologia. Morfometria. Ciclo estral. Hormônios
esteróides


PÁGINAS: 69
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Medicina Veterinária
RESUMO:

A biologia reprodutiva é de grande importância para o sucesso da conservação e criação de
animais silvestres em cativeiro. Esta pesquisa teve como objetivo avaliar o ciclo estral de cutias
por meio da colpocitologia, a morfometria das células da mucosa vaginal, assim como
determinar o perfil hormonal de progesterona e estradiol- 17 β por EIA. Foram utilizadas cinco
cutias adultas, criadas em cativeiro, NEPAS (Registro IBAMA/PI N° 02/08-618), na
Universidade Federal do Piauí-UFPI. A citologia vaginal foi realizada diariamente e as lâminas
foram coradas pelo método Panótico Rápido®. Quanto à morfometria foi avaliado o diâmetro,
área e perímetro das células nas fases luteínica (metaestro e diestro) e folicular (proestro e estro)
do ciclo estral. As amostras de sangue foram colhidas a cada três dias na fase luteínica
(metaestro e diestro) e, diariamente, na fase folicular (proestro e estro) e as dosagens hormonais
foram realizadas no Laboratório de Endocrinologia do Departamento de Fisiologia Animal da
Universidade Complutense de Madrid. A duração média do ciclo estral foi de 33,30 ± 5,18 dias.
A proporção celular variou em função da fase. As células superficiais e intermediárias foram
verificadas em todas as fases do ciclo, porém as basais e parabasais não foram evidenciadas no
estro, além da ausência de leucócitos. No final do proestro ocorreu aumento de células
superficiais nucleadas e anucleadas. O metaestro foi caracterizado pelos altos índices de células
intermediárias e leucócitos, enquanto no diestro predominou células parabasais e intermediárias
pequenas. Quanto ao diâmetro e perímetro, as células superficiais nucleadas apresentaram
diferença significativa p<0,05 pelo teste SNK, na fase folicular e luteínica, enquanto à área
dessas células não mostraram diferença significativa p< 0,05 entre si. Em relação aos dados
hormonais, a média e erro padrão da progesterona nas fases do proestro, estro, metaestro, diestro
foram 1,77±0,16ng/ml; 3,31±0,58ng/ml; 2,29±0,15ng/ml; e 2,75±0,18ng/ml, respectivamente.
Confrontando as médias entre as fases do ciclo, foi observada diferença significativa (p<0,05)
entre o proestro e o diestro e entre o proestro e o estro, o que não ocorreu entre as outras fases.
Em relação ao estradiol- 17 β nas fases de proestro, estro, metaestro, diestro à média e erro
padrão foram 10,6±1,84pg/ml; 12,7±1,39pg/ml; 12,2±1,37pg/ml; 15±1,2pg/ml, respectivamente,
no entanto não houve diferença significativa entre as fases (p<0,05), mesmo ocorrendo variação
individual das concentrações plasmáticas de estradiol- 17β dos animais desta pesquisa. As
modificações do epitélio vaginal foram nítidas, possibilitando diferenciar as quatro fases do ciclo
estral, com relação às análises morfométricas, não foi possível diferenciar as fases do ciclo. É
possível monitorar a função ovariana pela técnica de EIA.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 423174 - AMILTON PAULO RAPOSO COSTA
Presidente - 422578 - MARIA ACELINA MARTINS DE CARVALHO
Externo à Instituição - PAULA DE CARVALHO PAPA - USP
Notícia cadastrada em: 31/03/2015 11:31
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.sigaa 20/06/2024 05:34