Dissertações/Teses

2019
Descrição
  • GEANIA DE SOUSA VERA
  • CRESCIMENTO E MARCHA DE ABSORÇÃO DE NUTRIENTES DO FEIJÃO-CAUPI EM SISTEMA DE CULTIVO CONVENCIONAL E MÍNIMO SOB CONDIÇÕES IRRIGADAS.
  • Orientador : ANTONIO AECIO DE CARVALHO BEZERRA
  • Data: 18/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • O conhecimento da marcha de absorção de nutrientes fornece informações
    importantes que podem auxiliar no programa de adubação da cultura, fator
    essencial para a qualidade da produção. Nesse contexto, objetivou-se avaliar o
    crescimento, absorção, extração e exportação de nutrientes por cultivares de
    feijão-caupi em sistema de cultivo convencional e mínimo sob condições
    irrigadas. O experimento foi conduzido na área experimental da Embrapa Meio
    Norte sob o delineamento experimental em blocos casualizados, e esquema
    experimental de parcelas subdivididas, sendo as parcelas os manejos do solo e as
    subparcelas os tempos de coleta, com quatro repetições. As cultivares de feijão
    caupi implantadas foram: BRS Imponente, BRS Itaim, BRS Novaera e a BRS
    Tumucumaque. As avaliações temporais ocorreram aos 28, 35, 49, 56, 63 e 70
    DAE, coletando-se quatro plantas na área útil, e avaliadas quanto à altura,
    diâmetro caulinar, número de trifólios, área foliar (AF) e índice de área foliar (IAF).
    Posteriormente as plantas foram seccionadas em folhas, caule, estruturas
    reprodutivas e grãos, em seguida foram lavadas, secas e moídas, e então
    submetidas a análise química para a determinação dos teores de N, P, K, Ca, Mg,
    S, B, Cu, Fe, Mn e Zn, de porte dos teores determinou-se a absorção, extração,
    exportação, índice de colheita dos nutrientes e produtividade grãos. Verificou-se
    que as variáveis foram influenciadas pelos sistemas de manejo do solo, havendo
    interação significativa entre os sistemas de manejos estudados para a maioria
    das variáveis. O cultivo mínimo proporciona maior crescimento vegetativo nas
    cultivares, com influência na AF, IAF, altura, diâmetro, número de trifólios e
    produtividade de graõs. As maiores taxas de acúmulo de macronutrientes
    ocorrem entre os estádios fenológicos R3-R5, com ordem decrescente de absorção
    média de K (58,7) > N (49,7) > Ca (22,3) > P (7,7) > S (7,1) > Mg (6,3 kg ha-1) em

    cultivo convencional, e em cultivo mínimo K (107,1) > N (86,6) > Ca (32,4) > Mg
    (15,0) > P (13,6) > S (9,7 kg ha-1) para as cultivares BRS Imponente, BRS Novaera
    e BRS Tumucumaque. A cultivar BRS Itaim com ordem decrescente de K (37,2) >
    N (34,9) > Ca (22,1) > P (6,7) > Mg (6,1) > S (4,6 kg ha-1) em cultivo convencional,
    e em cultivo mínimo N (79,4) > K (68,7) > Ca (27,7) > P (12,9) > Mg (9,8) > S (6,6
    kg ha-1). As fertilizações com N, P, K e S devem receber mais atenção devido aos
    maiores índices de colheita, e podem causar uma limitação no rendimento, devido
    à disponibilidade inadequada durante o crescimento reprodutivo. As maiores
    taxas de absorção de micronutrientes ocorrem entre os estádios fenológicos R2-
    R4, sendo absorvido em maiores quantidades em cultivo mínimo, apresentando
    variação de acordo com o estádio fenológico. O Cu, Fe e Zn foram os
    micronutrientes com maiores índices de colheita. A adubação precisa da cultura
    do feijão está condicionada ao sistema de cultivo e ao estádio fenológico.

  • AGENOR FRANCISCO ROCHA JUNIOR
  • Variabilidade espacial dos atributos físico-químicos do solo sob cultivo de pinhão manso consorciado com diferentes gramíneas, em área degrada no município de Gilbués-PI.
  • Orientador : GUSTAVO SOUZA VALLADARES
  • Data: 12/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • Diversos estudos têm sido realizados com o objetivo de promover a recuperação de áreas degradadas e com esse intuito, inúmeros trabalhos buscam analisar as relações existentes entre o cultivo consorciado de espécies perenes com diferentes tipos de gramíneas e os seus efeitos nas características dos atributos físico-químicos dos solos dessas regiões. Com o objetivo de alcançar esses resultados o presente trabalho buscou caracterizar e analisar a variabilidade espacial dos atributos físico-químicos de um Neossolo Litólico cultivado com pinhão manso (Jatropha curcas L.) consorciado com diferentes espécies de gramíneas forrageiras, e também avaliara o desenvolvimento vegetativo e produtivo das espécies testadas. O estudo foi realizado em uma área cedida à da Embrapa Meio-Norte, localizada nas coordenadas geográficas 09º 51’ 15” S e 45º 21’ 55” W, altitude de 428 m, na Comunidade Vaqueta, município de Gilbués, PI, em área de Neossolo Litólico, com teores médios de 350,75 g kg-1 de silte e 84,75 g kg-1 de argila. O pinhão manso foi implantado em dezembro de 2009, por plantio de mudas em espaçamento simples de 4 x 3 m. As gramíneas foram plantadas em linha entre as fileiras do pinhão com espaçamento entre linhas de um metro. As parcelas de testes foram constituídas por quatro áreas de aproximadamente um hectare cada, plantadas com pinhão manso consorciado com gramíneas da seguinte forma: A1 - pinhão manso mais capim nativo (Andropogon fastigiatus SW); A2 - pinhão-manso mais Brachiaria decumbens; A3 - pinhão-manso mais Brachiaria brizantha, cultivar Piatã; e A4 - pinhão manso mais capim andropogon (Andropogon gayanus L.), sendo os mesmos avaliados a partir do ano de 2010. Para o mapeamento dos atributos físico-químicos do solo as amostras foram coletadas nos pontos de cruzamento de uma malha com intervalos regulares de 30 m, e um transecto na parte central da área com intervalos de 5 m nas profundidades de 0,0-0,05, 0,05-0,10 e 0,10-0,20 m, sendo coletadas 80 amostras em cada uma das profundidades, totalizando 240 amostras. Em cada área de teste foram selecionadas trinta arvores de pinhão manso, realizando-se as medidas de altura, diâmetro de copa, diâmetro de caule e produção por planta. O incremento da altura, diâmetro de copa e de caule das plantas de pinhão manso foi realizado a cada três meses por um período de três anos. O acumulo de forragem foi medido cortando e pesando o material contido em um quadro de metal com área de 0,25 m², em dez pontos por área de teste. Os incrementos de altura e produção de massa verde e seca para cada gramínea foi feita por todo o período chuvoso de cada ano. Os dados foram submetidos à análise estatística descritiva, geoestatística e análises multivariadas. Com base nos resultados obtidos, conclui-se que as três gramíneas, comerciais, avaliadas apresentam boa capacidade produtiva, para uso como forrageiras ou cobertura do solo, em consórcio com pinhão manso. Tendo o Capim Andropogon (Andropogon gayanus) apresentado a maior capacidade produtiva e tolerância aos efeitos do consorcio com o pinhão manso do que as demais espécies testadas. A produtividade de massa verde e seca e a altura média das diferentes espécies de gramíneas, consorciadas com pinhão manso, apresentaram resposta entre espécies e o cultivo. O estudo mostrou que os dados físicos do solo indicaram que, a implantação do pinhão manso consorciado com diferentes gramíneas na área degradada, acarretou em aumento do carbono orgânico total, da estabilidade de agregados, densidade do solo, capacidade de campo, ponto de murcha e microporosidade, podendo acarretar na melhora da estrutura do solo e em sua capacidade de armazenamento de água. Os dados também indicam redução da água disponível, macroporosidade e porosidade total podendo acarretar em problemas à circulação de água e nutrientes no solo. Os dados químicos do solo indicam que o consorcio entre pinhão manso e gramíneas extrai uma considerável quantidade de nutrientes do solo, podendo acarretar em um empobrecimento do solo em longo prazo caso não se utilize algum tipo de manejo nutricional na área.

  • SILVESTRE MOREIRA DA SILVA
  • ENTOMOFAUNA ASSOCIADA AO EUCALIPTO EM MINIJARDIM CLONAL EM MONSENHOR GIL-PI
  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 29/10/2019
  • Mostrar Resumo
  • O aumento da área cultivada com eucalipto ocasionou diversos problemas entomológicos. Desse modo, torna-se necessário o constante monitoramento dos insetos associados a essa cultura, buscando o desenvolvimento de programas de manejo integrado de pragas. Objetivou-se realizar o levantamento populacional da entomofauna, bem como determinar a cor da armadilha adesiva mais eficiente para monitoramento dos insetos associados em minijardim clonal de Eucalyptus sp. em Monsenhor Gil-PI. O acompanhamento da flutuação populacional das diferentes ordens foi realizado com armadilhas adesivas amarelas e azuis, bem como através de coletas diretas. O número de insetos capturados em cada armadilha foi registrado mensalmente, sendo quantificado e identificado a nível de ordem e as médias foram comparadas. Foram calculados os índices faunísticos: Abundância, Dominância, Frequência, e Constância. O efeito da temperatura, umidade relativa e precipitação sobre o número de insetos praga coletados foi estimado através do cálculo do coeficiente de correlação de Pearson. O número de insetos coletados através da amostragem direta não foi representativo. As armadilhas de cor amarela foram as que capturaram o maior número de insetos em todos os meses de coletas em relação às armadilhas azuis. Entretanto, nas armadilhas azuis destacaram-se significativamente os representantes da ordem Diptera, enquanto nas armadilhas amarelas as coletas evidenciaram a supremacia numérica de representantes da ordem Hemiptera. De modo geral, as ordens Diptera e Hemiptera apresentam elevada importância no ecossistema estudado devido ao grande número de exemplares coletados., destacando-se significativamente das outras ordens. Os índices faunísticos encontrados em minijardim clonal de eucalipto mostraram similaridade com outros estudos em ecossistemas homogêneos. O coleóptero Costalimaita ferruginea (Fabricius, 1801) (Coleoptera: Chrysomelidae) foi registrado pela primeira vez em minijardim clonal de eucalipto, bem como associado ao Eucalipto no Estado do Piauí. Não houve correlação significativa do número total de insetos coletados em armadilhas adesivas (amarelas e azuis) com a temperatura, umidade relativa, precipitação, brotos coletados para confecção de mudas e inseticidas aplicados. Esse é o primeiro estudo sobre a entomofauna de minijardim clonal de eucalipto, entranto, pesquisas sobre taxonomia, biologia e ecologia desses insetos devem ser ser realizadas.

  • ANA YELI MORALES HERNANDEZ
  • Composto orgânico inoculado com Beijerinckia indica e Cunninghamella elegans na biofertilização e manejo de Antracnose em pimenteira.
  • Orientador : FRANCISCO DE ALCANTARA NETO
  • Data: 08/10/2019
  • Mostrar Resumo
  • Dentro da relação planta-solo-microorganismos, a interação entre bactérias diazotróficas e plantas têm sido alvo de diversos estudos, visto que atuam diretamente no metabolismo das plantas fornecendo substâncias pouco disponíveis, seja fixando nitrogênio atmosférico, solubilizando fosfatos, produzindo fitohormônios importantes na regulação do crescimento ou realizando controle biológico de fitopatógenos. Neste contexto, este trabalho foi conduzido em três etapas com o objetivo avaliar diferentes substratos orgânicos inoculados com bactérias diazotróficas de vida livre NFB 10001 (Beijerinckia indica), e adição da massa micelial do fungo Cunninghamela elegans, aquela que propicia maior aporte de nutrientes em plantas de pimenta e, e a partir de diferentes doses de quitosana fúngica e comercial, avaliar o controle da antracnose emfrutos de pimenta causada por Colletotrichum sp. Na primeira etapa, durante 65 dias, os tratamentos consistiram de três fontes orgânicas (EB= esterco bovino; H= húmus de minhoca e TF= torta de filtro de cana-de-açúcar) em diferentes proporções, individualmente e em misturas. Os tratamentos foram submetidos às análises de quantificação de enriquecidos de N, P, K, Ca, Mg, Carbono orgânico e matéria orgânica. Em uma segunda etapa, conduzida em casa de vegetação, procedeu-se a avaliação de plantas de pimenta durante um ciclo de cultivo de 120 dias, utilizando o EB, definido como melhor fonte orgânica na etapa anterior. Os tratamentos consistiram de cinco doses (0, 20, 40, 60 e 80 g kg-1)de EB contendo B. indica e o fungo C. elegans. Como controle comparativo da indução da resistência, foi utilizado o produto comercial contendo Bacillus subtilis - isolado AP-3. Na terceira etapa, foi extraída a quitina e quitosana do fungo C. elegans, confirmada por espectroscopia (FTIR), as quais foram utilizadas para o ensaio de inoculação para avaliar a severidade do fitopatógeno Colletotrichum sp em frutos de pimenta. A adubação orgânica com o uso de esterco bovino inoculado com bactéria diazotrófica de vida livre e  diazotróficas de vida livre NFB 10001 (Beijerinckia indica), com adição da massa micelial do fungo Cunninghamela elegans, incrementa a disponibilidade de nutrientes, principalmente de N, K e indiretamente aumenta a disponibilidade de Ca e Mg.O esterco bovino na dose de 80g kg-¹ promove maior comprimento de raízes e maior acúmulo de nutrientes na parte aérea (NPK) das plantas de pimenta. A quitosana oriunda de C. elegans tem efeitos significativos na reduação de severidade de Colletotrichum sp. O método de inoculação comferimento permite maior severidade da doença.

  • FRANCINALVA DE MORAIS SOUSA
  • Óleos essenciais de Lippia sidoides, L. origanoides e L. lasiocalycina no controle de Zabrotes subfasciatus em Phaseolus lunatus L.
  • Orientador : LUIZ EVALDO DE MOURA PADUA
  • Data: 27/09/2019
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo desta pesquisa foi avaliar a toxicidade, repelência e efeito sinérgico dos óleos essenciais (OE) de Lippia spp, sobre Zabrotes subfasciatus em feijão-fava. Os experimentos foram conduzidos em condições controladas de 27 ºC ± 2 de temperatura e fotofase de 12 horas. Na avaliação do efeito fumigante, foram testadas 7 concentrações dos OE de Lippia sidoides (0,1; 0,2; 0,4; 0,6; 0,8; 1,0 e 1,2 µL/0,08 Lde ar), Lippia origanoides (0,2; 0,4; 0,8; 1,2; 1,6; 2,0 e 2,2 µL/0,08 Lde ar) e Lippia lasiocalycina (0,04; 0,08; 0,12; 0,16; 0,2; 0,24 e 0,28 µL/0,08 Lde ar) contra Z. subfasciatus, de maneira que cada parcela experimental recebeu cinco casais de insetos em uma câmara. As concentrações dos óleos foram pipetadas em papel filtro afixada na parte superior da câmara. Foram adicionados dez gramas de grãos de feijão-fava junto aos insetos, os quais ficaram expostos por um período de 96 horas. Para a determinação do potencial repelente dos óleos essenciais, foram utilizadas arenas com cinco compartimentos, sendo um central, onde foram colocados vinte casais de insetos, os quatros compartimentos que se interligavam ao central receberam as concentrações dos óleos essenciais, pipetadas diretamente nos grãos, correspondentes a CL25, CL50, CL75 e uma testemunha, sem adição de óleo. Nesta avaliação foram testados três períodos diferentes, 8, 16 e 24 horas de exposição. Para avaliar o efeito sinérgico misturou-se os óleos essenciais das três espécies de Lippia, nas concentrações correspondentes a CL25 e CL50, em misturas binárias e terciárias, sendo testadas 6 misturas, 3 binárias e 3 terciárias. O teste da toxidade sobre os insetos foi realizado em de câmaras de fumigação, sendo o período de exposição de 96 horas. A utilização dos óleos essenciais de Lippia ssp, sob forma de fumigação, mostrou-se eficiente no controle de Z. subfasciatus, estes interferiram negativamente nos parâmetros avaliados exceto número de dias até a emergência. Os óleos de L. sidoides, L. origanoides e L. lasiocalicyna, apresentaram CL50 de 0,37; 0,44 e 0,13 μl/L de ar respectivamente. Os óleos essenciais de todas as espécies de Lippia testados em períodos diferentes se mostraram repelentes ao Z. subfasciatus, no entanto, este efeito repelente diminuiu com o decorrer do tempo de exposição do inseto ao óleo essencial. Todas as misturas binárias e terciárias dos óleos essenciais de Lippia spp apresentaram um efeito aditivo em relação ao controle de Z. subfasciatus, destacando a mistura binária entre as CL50 da L. sidoides e a CL50. L. lasiocalicyna, pois essa mistura proporcionou mortalidade de 96 % dos insetos por fumigação em teste de laboratório. De acordo com os resultados obtidos o óleo essencial de L. lasiocalicyna quando presente na mistura potencializa o efeito fumigante dos óleos no controle do gorgulho. O efeito fumigante de todas as misturas foi inferior ao efeito dos óleos utilizados de forma individual. Este estudo fornece evidências de que os óleos essenciais de Lippia spp apresentam potencial inseticida, utilizados de forma individual ou misturados entre si, sobre Z. subfasiatus em feijão-fava.

  • LAERCIO MOURA DOS SANTOS SOARES
  • VARIABILIDADE ESPACIAL DE VARIÁVEIS FÍSICO-QUÍMICAS DO SOLO EM ÁREA DE PLANTIO DIRETO NO CERRADO
  • Orientador : FRANCISCO EDINALDO PINTO MOUSINHO
  • Data: 15/08/2019
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho teve por objetivo avaliar a variabilidade espacial e suas respectivas correlaçoes, entre a produtividade da cultura da soja com os atributos físicos e químicos do solo em uma área de cerrado sob plantio direto. O experimento foi conduzido em uma área agrícola de 19,2ha localizada no município de Regeneração - PI, durante a safra de soja 2017/2018. Foi delimitada uma área experimental com dimensões de 400m x 480m (19,2 hectares), onde foi alocado uma malha amostral de 80m por 40m, totalizando 78 pontos, e mais 15 pontos distribuídos o interios do grid. As variáveis físicas analisadas foram: teores de argila, silte e areia, densiade do solo (Ds), macroporosidade (Map), microporosidade (Mip), porosidade total do solo (Pt). As variáveis químicas foram: matéria orgânica do solo (MOS), fósforo (P), potássio (K), cálcio (Ca), magnésio (Mg), soma de base (SB), capacidade de trocas catiônicas potencial (CTC pH 7) e efetiva (CTC efetiva), saturação por base (V%), saturação por alumínio (m%), pH em H2O e acidez potencial (H+Al) nas profundidades 0,0-0,05m, 0,05m-0,10m e 0,10m - 0,20m. A produtividade da cultura foi aferida ao término de seu ciclo por colheita mecanizada sendo extraída do mapa de produtividade para os mesmos pontos amostrais. A produtividade da soja sob sistema de plantio direto mostrou uma alta variabilidade e moderada dependência espacial. As variáveis do solo em estudo apresentaram dependência espacial moderada a forte, co alcance mínimo de 51m. Um manejo diferenciado do solo deve ser consuzido na área, sendo justificado pela alta variabilidade espacial dos atributos físico-químicos do solo.

  • EMANOELA MARIA DE JESUS SOUSA
  • Fusarium sp. ENTOMOPATOGÊNICOS: IDENTIFICAÇÃO E VIRULÊNCIA DE ESPÉCIES DO PIAUÍ.
  • Orientador : LUIZ EVALDO DE MOURA PADUA
  • Data: 29/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • Existem mais de 13 espécies de Fusarium entomopatogênicos, capazes de causar doenças em diferentes ordens de insetos, compreendendo uma gama de hospedeiros. Estudos recentes mostram Fusarium spp. sendo patogênico a diversas ordens de insetos como coleópteros, dípteros, hemípteros, himenópteros e lepidópteros, sugerindo esse fungo como promissor para o controle microbiano de insetos podendo ser explorados para o desenvolvimento de novos produtos. A identidade dos isolados dos Fusarium spp. patogênicos vem sendo estudado, entretanto não existem registros de isolados coletados do Piauí. Dessa forma, o presente trabalho teve como objetivo o levantamento e identificação de espécies de Fusarium spp. oriundos do estado do Piauí, bem como avaliar sua patogenicidade e virulência sobre Coleoptera e Diptera. Os isolados de Fusarium sp. foram coletados em solos de pomares de cajá (Spondias mombin L.) e acerola (Malpighia emarginata L.) em Teresina, ameixa silvestre (Ximenia americana L.) e acerola (em São Pedro do Piauí, no Sítio das Palmeiras, zona rural) e de cajá no município de Miguel Alves, PI. Foi realizada a caracterização morfológica avaliando a forma e produção dos microconídios, forma dos macroconídios, presença de septos, forma de fiálides, presença de clamidósporo e molecular (regiões ITS do rDNA com os oligonucleotídeos iniciadores, fator de elongação 1-alfa). Nos testes de patogenicidade foram utilizados como hospedeiros Tenebrio molitor e Anastrepha flavipennis, pulverizados com os isolados de Fusarium spp. na concentração de 1,0 x 108 conídios/ml. A mortalidade dos insetos foi avaliada por até sete dias. Foram coletados cinco isolados de Fusarium. Os caracteres morfológicos e moleculares dos isolados indicam a identificação como Fusarium falciforme e F. oxysporum f. sp. cubense. Os isolados de Fusarium spp. foram patogênicos a adultos de A. flavipennis e larvas de Tenebrio molitor, entretanto o isolado AV08 (F. falciforme) não foi patogênico a adultos de A. flavipennis. O isolado AV11 foi o mais virulento sobre A. flavipennis pois ocasionou a mortalidade de adultos no menor tempo letal (TL50 = 3,7 dias), índice que só foi superado pelo controle positivo (M. anisopliae) que alcançou 100% da mortalidade dos indivíduos com um tempo letal necessário para matar 50% da população (TL50)de 2,5 dias. Enquanto os isolados AV09 e AV12 apresentaram média virulência, com TL50 de 6,4 e 5,8 dias, respectivamente. Os isolados fúngicos encontrados apresentaram diferentes níveis de virulência.

  • JOANDERSON MARQUES SILVA
  • Ácido salicílico como mitigador de estresse hídrico em mudas de melancieira.
  • Orientador : GABRIEL BARBOSA DA SILVA JÚNIOR
  • Data: 22/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • O ácido salicílico é um hormônio vegetal que tem sido evidenciado como atenuador dos efeitos adversos de diferentes tipos de estresses abióticos em plantas, incluindo o estresse hídrico, o qual afeta negativamente o crescimento e o desenvolvimento das espécies vegetais. Nesse sentido, objetivou-se avaliar as alterações morfofisiológicas e bioquímicas em mudas de melancieira (cv. Crimson Sweet) em resposta a aplicação exógena de ácido salicílico e ao estresse por déficit hídrico. O experimento foi conduzido em ambiente protegido, na área experimental do Departamento de Fitotecnia do Centro de Ciências Agrárias (CCA) da Universidade Federal do Piauí (UFPI), sob o delineamento inteiramente casualizado (DIC) em arranjo fatorial 3 x 5, sendo três disponibilidades hídricas (100%, 75% e 50% do nível máximo de retenção de água do substrato - NRA) e cinco concentrações de ácido salicílico (0,0; 0,25; 0,50; 0,75 e 1,0 μmol L-1). Foram utilizadas quatro repetições, sendo a parcela experimental constituída por quatro plantas, totalizando 240 mudas. Aos 25 dias após a semeadura, as mudas foram avaliadas quanto ao índice de clorofila foliar, altura, diâmetro do caule, número de folhas, área foliar, volume de raiz, massa da matéria seca da parte aérea, massa da matéria seca de raiz, conteúdo relativo de água nas folhas e vazamentos de eletrólitos. Determinou-se ainda a concentração de prolina livre, aminoácidos livres totais, proteína solúvel, carboidratos solúveis totais, sacarose e amido. Verificou-se que todas as variáveis foram influenciadas pelas concentrações de ácido salicílico e os diferentes níveis de retenção de água do substrato, havendo interação significativa entre os fatores estudados para a maioria das variáveis. O ácido salicílico promove incrementos nos parâmetros morfofisiológicos das mudas de melancieira, tanto em condições de boa disponibilidade hídrica (100% do NRA), quanto de estresse hídrico (75% e 50% do NRA), mostrando-se benéfico na mitigação dos efeitos adversos desse estresse abiótico, principalmente com o uso de concentrações de ácido salicílico entre 0,50 e 1,0 μmol L-1. O conteúdo relativo de água nas folhas de mudas de melancieira aumenta e o vazamento de eletrólitos diminui em condições de estresse hídrico moderado (75% do NRA), mediante a aplicação foliar de ácido salicílico na concentração de 1,0 µmol L-1.

  • EDMILSON GOMES DE OLIVEIRA
  • DIAGNÓSTICO DE SISTEMAS DE CULTIVO E AVALIAÇÃO DE VARIEDADES CRIOULAS DE FEIJÃO-FAVA NA MESORREGIÃO SUL CEARENSE
  • Orientador : ANGELA CELIS DE ALMEIDA LOPES
  • Data: 22/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • Cultivado em quase todo território nacional, com destaque no nordeste brasileiro, o feijão-fava tem relativa importância social e econômica, com o estado do Ceará sendo o segundo maior produtor nacional, com a mesorregião do Sul Cearense destacando-se como a principal região produtora do estado e como a segunda mesorregião em produção ao nível nacional. Apesar da importância dessa mesorregião para produção nacional de feijão-fava, não foi observado observado a existência de estudos que vise identificar as variedades crioulas de feijão-fava existentes nessa mesorregião e o seu potencial agronômico. Esse estudo teve como objetivo realizar um diagnóstico dos sistemas de cultivo utilizados pelos produtores de feijão-fava na mesorregião do Sul Cearense, a identificação e coleta de variedades crioulas para conservação no banco de germoplasma da Universidade Federal do Piauí (UFPI) e a realização de avaliação agronômica. Através de amostragem não probabilística e do uso de métodos etnográficos, como a metodologia denominada de snowball, foi realizado, no período de junho de 2017 a julho de 2018, um diagnóstico dos sistemas de cultivo de feijão-fava dos produtores da mesorregião do Sul Cearense, junto aos produtores, que detinham sementes de feijão-fava com dez ou mais anos. Trinta entrevistas do tipo semiestruturadas foram realizadas, com a identificação de onze variedades crioulas de feijão-fava e coletados quarenta e dois acessos, com registro da ocorrência de nove sistemas de cultivo e de sete tipos de produtores de feijão-fava. Um outro estudo visando a avaliação agronômica dessas variedades foi realizado através da instalação de dois experimentos, um no IFCE – Campus Crato e o outro no município de Farias Brito – CE, em blocos casualizados, com quatro repetições e doze tratamentos, com os resultados demonstrando a ocorrência de variabilidade entre as variedades crioulas, com a recomendação das variedades crioula branca graúda (UFPI 1242) e branca graúda (UFPI 1259) para o município de Crato – CE e a variedade crioula branca (UFPI 1298) para o município de Farias Brito – CE.

  • MÍRYA GRAZIELLE TÔRRES PORTELA
  • Estoques de carbono do solo e da biomassa vegetal no Delta do Parnaíba-PI
  • Orientador : GUSTAVO SOUZA VALLADARES
  • Data: 18/06/2019
  • Mostrar Resumo
  • O conhecimento do solo e da vegetação é essencial para estudos relacionados à dinâmica dos ecossistemas e para atividades de planejamento em áreas protegidas. A região do Delta do Parnaíba, no Piauí, possui diversos estudos relacionados à fauna e flora, porém apresenta carência de informações sobre os solos e principalmente sobre a estocagem de carbono na biomassa vegetal, devido às dificuldades na execução das etapas de campo. Diante disso, modelos de previsão são essenciais, pois permitem amostrar áreas de difícil acesso nas etapas de campo. Logo, os objetivos deste trabalho foram: realizar um levantamento fitossociológico da vegetação do Delta do Parnaíba; quantificar e estimar a distribuição espacial da biomassa vegetal e quantificar o estoque de carbono da vegetação e; realizar a determinação do carbono orgânico e estoques de carbono do solo e estimá-los por três métodos de previsão. No capítulo I foram levantadas as espécies presentes, calculados o Índice de diversidade de Shannon (H’) e Índice de equabilidade de Pielou (J) e levantados a área basal, densidade, dominância, frequência, valor cultural e valor de importância delas. Observou-se 381 indivíduos, dos quais as espécies frequentes foram Copernicia prunifera e Rizhophora mangle. A maioria dos indivíduos amostrados pertence a classe diamétrica de 5,6 a 38,9 cm e altura de 1,75 a 5,3 m. Reportou-se H’= 2,47 e J= 0,78, indicando baixa diversidade e intermediária distribuição de indivíduos na área. No capítulo 2, foram coletados dados do diâmetro e altura dos indivíduos vegetais em 26 pontos, que foram utilizados em equações alométricas para calcular a biomassa vegetal e convertê-la em estoque de carbono. A distribuição espacial de biomassa foi estimada por sensoriamento remoto, onde extraiu-se e selecionou-se as variáveis espectrais de imagens do sensor OLI / Landsat 8, em três datas distintas e os modelos de predição determinados por regressão. Observou-se que a vegetação perenifólia de mangues obteve biomassa vegetal e estoque de carbono superiores às outras vegetações.  Os modelos de previsão que forneceram as melhores estimativas de biomassa acima do solo foram os das datas de 12 de novembro de 2016 (EAM= 6,84; RMSE= 47,89 Mg.ha-1; R²=0,74) e 28 de novembro de 2016 (EAM= 9,63; RMSE= 34,67 Mg.ha-1; R²=0,60). No capítulo 3 foram coletadas amostras de solos e determinou-se as concentrações de carbono em sete profundidades e calculados os estoques de carbono de 0-30 e 0-100 cm. Avaliou-se a interação da vegetação com as variáveis do solo pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Em seguida foi realizado a predição da concentração de carbono de 0-10 cm (SOC) e estoques de carbono de 0-30 cm (CS30) e de 0-100 cm (CS100), utilizando-se de três métodos de previsão: regressão linear múltipla (MLR), krigagem ordinária (OK) e krigagem da regressão (RK). Os resultados mostraram que os solos sob a vegetação perenifólia de mangues obtiveram concentrações de carbono e estoques de carbono superiores, independente da profundidade. Na previsão do SOC, CS30 e CS100, o RK obteve o menor RMSE (5,54 g.kg-1, 11,70 Mg.ha-1 e 38,35 Mg.ha-1, respectivamente) e maior R2(0,97, 0,89, 0,95 respectivamente) sendo considerado um bom método de previsão para estas variáveis do solo.

  • GABRIELA SABRINE FRANÇA SILVA
  • Desempenho agronômico e dinâmica da água no solo no consórcio milho-braquiária.
  • Data: 14/06/2019
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar o desempenho agronômico e a dinâmica da água no solo no consórcio milho-braquiária em resposta a diferentes densidades de semeadura da braquiária. Conduziu-se experimento na Fazenda Barbosa, em Brejo, MA. Os tratamentos constaram da combinação de dois híbridos simples de milho (Pioneer 30F 53VYHR e Syngenta Status Viptera 3) e quatro densidades de semeadura da Brachiaria ruziziensis (2, 4, 6 e 8 kg ha-1 de sementes), em consórcio com o milho, bem como ambas as culturas em monocultivo. No milho foram determinados por ocasião da colheita: altura de plantas, altura de inserção de espigas, número de espigas, massa de cem grãos, produtividade de espigas e produtividade de grãos. Na braquiária determinou-se o número de plantas m-2, altura de plantas, massa verde e massa seca total. O desempenho do consórcio foi avaliado pelo uso eficiente da terra em cada sistema de cultivo avaliado. Durante o ciclo das culturas, realizou-se a análise de crescimento e o monitoramento da umidade do solo, em duas profundidades (0 a 0,3m e de 0,3 a 0,6 m), com o uso da TDR (Time Domain Reflectometry). Avaliou-se o armazenamento de água no solo em quatro sistemas de cultivo (milho solteiro, braquiária solteira, milho consorciado com braquiária nas densidades de semeadura de 2 e 4 kg ha-1), em quatro períodos de monitoramento. Os tratamentos foram arranjados em parcelas subdivididas, com os sistemas de cultivos nas parcelas e as profundidades de medição nas subparcelas, cujos dados foram submetidos ao teste de Tukey (p<0,05), com uso do pacote ExpDes versão 3.5.1, na linguagem R. O híbrido Status Viptera 3 produziu em média 329 kg ha-1 a mais do que o híbrido 30F 53VYHR e apresentou mais adaptado ao adensamento no consórcio com a B. ruziziensis. No consórcio milho – braquiária as melhores eficiências do uso da terra são observadas com as densidades de semeadura da braquiária entre 2 e 4 kg ha-1. O cultivo do milho em consórcio com a B. ruziziensis promove maior extração de água do solo, notadamente, na camada de 0-0,3m, nas fases de maior exigência hídrica do milho.

  • PAULO GOMES DA SILVA
  • Moscas-das-frutas (Diptera: Dephritidae) associadas a fruteiras nativas em Miguel Alves- PI
  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 06/06/2019
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com este estudo registrar a associação de espécies de tefritídeos com seus hospedeiros e parasitoides, além de caracterizar a comunidade de moscas-das-frutas através da análise faunística e a sazonalidade das espécies quanto a flutuação populacional, no assentamento Designo, município de Miguel Alves, Piauí, Brasil. Foram realizadas coletas de frutos maduros de maçã-de-capivara Pouteria sp.1 e quebra-bucho Pouteria sp.2 (Sapotaceae), cajá Spondias mombin L. (Anacardiaceae), maracujá-do-mato Passiflora setacea DC. (Passifloraceae), carambola Averrhoa carambola L. (Oxalidaceae) e limão-doce Citrus limetta Risso (Rutaceae) em área de mata nativa e pomares domésticos, e capturas por meio de armadilhas do tipo caça-moscas, contendo proteína hidrolisada a 5%, de jan.de 2018 a janeiro de 2019. Foram calculados os índices de infestação e viabilidade pupal, o índice de parasitismo das moscas-das-frutas, bem como a análise faunística, em que foram analisadas a frequência, dominância, constância e abundância. Foi coletado um total de 13,9 kg frutos (1287), dos quais se obtiveram 8984 pupários, com emergência de 3330 adultos de moscas-das-frutas (1728 machos e 1602 fêmeas) distribuídas nas seguintes espécies de Anastrepha e seus respectivos hospedeiros: 387 espécimes de A. flavipennis em Pouteria sp.1, quatro de A. obliqua em A. carambola e 177 em S. mombin, 38 de A. serpentina em Pouteria sp.2 e sete em C. limetta, um  de A. dissimilis em P. setacea e 42 de A. sororcula em S. mombin. Foram obtidos 1294 parasitoides pertencentes às espécies Doryctobracon areolatus (Szépligeti), e Opius bellus Graham (Braconidae). Em armadilhas, foram realizadas 27 coletas nas quais foram capturados 2255 espécimes (789 machos e 1466 fêmeas) pertencentes a cinco espécies de moscas-das-frutas (A. flavipennis, A. obliqua, A. sororcula, A. serpentina e Anastrepha zenildae). A análise faunística caracterizou A. flavipennis, como dominante (D) e, A. obliqua, A. sororcula, A. serpentina e A. zenildae foram consideras não dominantes (ND) e ainda, todas essas espécies foram consideradas muito abundantes (Ma). A. flavipennis foi a mais expressiva nas coletas por armadilhas, ocorrendo durante quase todo o período de avaliação atingindo picos populacionais em janeiro e dezembro de 2018 e janeiro de 2019, maiores picos populacionais de tefritídeos, época com maior disponibilidade do fruto hospedeiro dessa espécie (maçã-de-capivara).

  • DELÂNIO BRASIL DE SIQUEIRA
  • INFLUÊNCIA DO ENXOFRE SOBRE AS PROPRIEDADES QUÍMICAS E BIOLÓGICAS DO SOLO E CRESCIMENTO DO FEIJÃO-CAUPI APÓS APLICAÇÃO DE LODO DE CURTUME COMPOSTADO
  • Orientador : ADEMIR SERGIO FERREIRA DE ARAUJO
  • Data: 30/04/2019
  • Mostrar Resumo
  • A poluição por metais pesados é uma consequência do desenvolvimento tecnológico global e o reaproveitamento de áreas degradadas é uma alternativa para reduzir toxidez em plantas devido a altos teores de metais tóxicos adicionados por meio de despejo de resíduos industriais ao solo. O trabalho teve como objetivo verificar se o enxofre (S) reduz os teores de magnésio no solo e eleva os teores de cálcio, reduz a alcalinização do pH e o carbono microbiano do solo,aumenta a nodulação e massa seca das plantas de feijão-caupi em solo com histórico de 9 anos de aplicações sucessivas de lodo de curtume compostado (LCC). O experimento foi realizado na Universidade Federal do Piauí em 30 vazos semeados com Vigna unguiculata BRS Tumucumaque. Utilizou-se o delineamento em blocos casualisados em esquema fatorial duplo com cinco doses de lodo de curtume compostado (LCC), 0; 2,5; 5; 10; 20 Mg.ha-¹ e 2 doses de enxofre elementar (S) 0 e 10Kg.ha-¹. Foram avaliados os níveis de massa seca da raiz (MSR), massa seca da raiz (MSR), massa seca dos nódulos por planta (MSN) e massa relativa do nódulo (MRN), plantas de caupi, carbono orgânico total (COT), carbono da biomassa microbiana (CBM), micróbio do quociente (qMIC), potencial de acidez, pH fazem solo e teores de sulfatos (S-SO42-) nehum solo e na planta. O enxofre influencia o desenvolvimento de plantas de feijão-caupi, ao interagir com as doses de LCC, promovendo aumento de massa seca da parte aérea, número de nódulos, e redução da alcalinização do solo provocada pelo LCC. No entanto, uma intereação dentre LCC e S reduziu a MSR e o CBM, afetando consequentemente a RPR das plantas de feijão-caupi e o qMIC do solo.

  • JÉSSICA DANIELE LUSTOSA DA SILVA
  • Diversidade, estrutura e erosão genética do feijão-fava (Phaseolus lunatus) no Nordeste do Brasil
  • Orientador : ANGELA CELIS DE ALMEIDA LOPES
  • Data: 28/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • O feijão-fava (Phaseolus lunatus) representa uma ótima fonte de proteína vegetal sendo uma das leguminosas mais utilizadas para a alimentação da população da região Nordeste do Brasil, onde apresenta forte relevância social e econômica. Por ser uma zona de convergência entre centros de domesticação, encontra-se no Brasil grande diversidade morfológica e molecular do feijão-fava. Apesar disso, devido a devido a pressões de mercado, tem-se observado a homogeneização dos cultivos, e a mudanças nas práticas agrícolas. Cenários como este podem levar a eventos de erosão genética da espécie no país. Contudo, são poucos trabalhos realizados com o intuído de avaliar os níveis de diversidade genética do feijão-fava no Brasil. Assim, o objetivo desse trabalho foi caracterizar a diversidade e estrutura genética de 42 genótipos de feijão-fava coletados em 2016 no Nordeste do Brasil, e comparar os níveis de diversidade genética encontrados em 12 genótipos coletados em 1980 com a finalidade de estimar a ocorrência da erosão genética ao longo do tempo, utilizando oito loci de microssatélites. Além disso foi realizado o estudo da riqueza de variedades e a caracterização do produtor e do manejo do feijão-fava. Os índices de diversidade totais foram obtidos a partir da análise não hierárquica de todos os genótipos analisados de feijão-fava. A análise de estrutura genética realizada pelo software Structure mostrou que os 42 genótipos de 2016 formaram dois grupos (k=2). Para a estimativa da erosão genética foram realizadas comparações entre os índices de diversidade dos grupos temporais 2016 e 1980, além da estimativa da erosão usando o índice de Garza-Williamson e o software Bottleneck. A riqueza de variedades tradicionais e caracterização dos agricultores e do manejo utilizado foram obtidas por meio da realização de entrevistas semiestruturadas com os agricultores. Como resultado observou-se que os valores de heterozigosidade observada (Ho) foram inferiores aos da heterozigosidade esperada (He) para a maioria dos genótipos, indicando deficiência de heterozigotos com relação ao Equilíbrio de Hardy-Weinberg. A He variou de 0,144 a 0,47, evidenciado a existência de ampla diversidade genética em feijão-fava cultivado no Brasil. Os valores do índice Garza-Williamson foram abaixo de 0,68, para os genótipos coletados em 1980 e 2016, indicando que os genótipos pertencentes a esses grupos podem ter sofrido um gargalo genético recente. Entretanto, quando se fez a comparação de entre os valores de He de 1980 e 2016 pôde-se observar um aumento nos níveis de diversidade genética do período de 2016 com relação a 1980, o que pode ser um indicativo da recuperação do referido gargalo. As análises realizadas no software Bottleneck sugeriram a ocorrência de gargalo nos genótipos coletados em 2016, segundo o modelo mutacional IAM.Esses resultados corroboram com o que foi observado pelos agricultores, que no passado cultivavam uma maior variedade de feijão-fava, mas que, devido à preferência do mercado, atualmente cultivam apenas uma ou no máximo três variedades. Estes resultados servirão de base para futuros programas de melhoramento genético da espécie no mundo, mas principalmente no Brasil, tendo em vista que no país ainda não existem genótipos melhorados que atendam a demanda dos produtores.

  • JOSÉ EDUARDO VASCONCELOS DE CARVALHO JÚNIOR
  • Diversidade e seleção de genótipos de mangueira no Semiárido do Brasil.
  • Orientador : REGINA LUCIA FERREIRA GOMES
  • Data: 28/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • A mangueira (Mangifera indica L.) é uma frutífera tropical de grande importância econômica, social e alimentar. Com a pouca diversidade de mangas em pomares comerciais no Brasil, é necessário aumentar a base genética disponível por meio do desenvolvimento de novas cultivares superiores. O objetivo deste estudo foi avaliar a diversidade e estimar parâmetros genéticos em populações de híbridos de mangueira para a seleção de genótipos promissores, quanto a caracteres de qualidade do fruto. O estudo foi conduzido em populações de híbridos de mangueira localizadas na Estação Experimental de Mandacaru, da Embrapa Semiárido, em Juazeiro-BA, nas safras 2016/2017 e 2017/2018. Foi detectada variabilidade genética para os caracteres do fruto avaliados, nas populações estudadas, o que é fundamental para a prática de seleção. Foram identificados híbridos que produzem frutos que reúnem caracteres de interesse econômico. Os caracteres que mais contribuíram para a variabilidade dos dados foram massa do fruto, comprimento, diâmetro, massa da casca, Sólidos Solúveis e massa da polpa. Essas informações são úteis aos melhoristas na escolha de genitores que podem ser integrados em novos processos de hibridação, com o objetivo de desenvolver variedades, podendo originar cultivares superiores às existentes no mercado. As altas estimativas de herdabilidade individual, para caracteres de interesse econômico, indicam possibilidade de seleção individual de híbridos, utilizando a metodologia REML/BLUP. Os híbridos CPAC 26394, Lita e Rosa 46 podem ser selecionados para caracteres relacionados ao tamanho do fruto. Os híbridos R12P09, CPAC 2293, Roxa, Omega, Alfa e Lita, foram superiores à testumunha (Tommy Atkins) para os caracteres Sólidos Solúveis Totais e relação Sólidos Solúveis/Acidez. O híbrido “Roxa” apresentou polpa com pouca ou nenhuma fibra, característica muito requisitada por consumidores e para processamento. Os híbridos Alfa, CPAC 5895, Ômega, R10P08, R12P09, R13P10, ROSA 2, Rosa 36 e Rosa 46 apresentaram polpa livre de colapso interno.

  • IZAIAS ARAUJO DE OLIVEIRA
  • Identificação e caracterização molecular de Sugarcane yellow leaf virus e um novo fitoplasma associados à Síndrome do Amarelecimento Foliar da cana-de-açúcar no Nordeste do Brasil.
  • Orientador : JOSE EVANDO AGUIAR BESERRA JUNIOR
  • Data: 27/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • A cana-de-açúcar (Saccharum officinarum L.) é uma cultura de grande importância econômica e social para o Brasil, uma vez que é o principal produtor de açúcar e álcool. A cana-de-açúcar é acometida por doenças que afetam o seu rendimento e entre elas está a síndrome do amarelecimento da folha (SAF) ou amarelinho, doença que pode provocar perdas na produção de até 50%. São conhecidos dois agentes causais da SAF: Sugarcane yellow leaf virus (ScYLV) e Sugarcane yellow leaf phytoplasma (ScYLP). No Brasil, os únicos registros desses patógenos foram feitos em cana-de-açúcar na região Sudeste. Apesar dos estados do nordeste brasileiro serem importantes produtores de cana-de-açúcar, não é conhecida a presença desses patógenos. Diante do exposto, o objetivo deste estudo foi realizar a detecção e caracterização molecular de isolados de ScYLV e fitoplasma a partir de amostras foliares coletadas em regiões produtoras de cana-de-açúcar nos estados do Piauí, Ceará e Maranhão. Amostras de folhas de cana-de-açúcar com sintomas de amarelecimento foliar foram coletadas e tiveram seu DNA e RNA total extraído. As amostras foram submetidas a RT-PCR com oligonucleotídeos específicos correspondentes a parte do gene da capa proteica do ScYLV, e nested-PCR com oligonucleotídeos de sequências complementares à região 16S rDNA de fitoplasmas. Algumas amostras positivas tanto para ScYLV, quanto para fitoplasma foram sequenciadas e comparadas com sequências depositadas no GenBank. Árvores filogenéticas foram geradas utilizando os métodos de máxima verossimilhança e neighbor joining. As sequências nucleotídicas e de aminoácidos do ScYLV detectados foram comparadas entre si e com sequências de isolados referência. Foram obtidos fragmentos de 450 pb específicos ao ScYLV para 40,49% (41/101) das amostras, enquanto que fragmentos de 210 pb para fitoplasmas foram amplificados em 62,24% (61/98) das amostras. O ScYLV e o fitoplasma foram detectados em todos os municípios amostrados. A incidência do ScYLV foi de 60,52% no município União-PI, 23,52% em São João dos Patos-MA, 17,85% em Sucupira do Riachão-MA e 50% em Viçosa-CE. A incidência do fitoplasma foi de 72,22% em União, 3,57% em Sucupira do Riachão e 100% em São João dos Patos e Viçosa. A comparação de identidade entre as sequências de nucleotídeos (nt) dos isolados de ScYLV variou de 99-100% e para aminoácidos a variação foi de 98-100%. Os isolados de ScYLV deste estudo agruparam no mesmo clado, juntamente com outros isolados brasileiros. As sequências de oito amostras de fitoplasma foram sequenciadas, e todas apresentaram 99% de identidade com Artemisia witches’-broom quando comparadas por BLASTn. Os oito isolados agruparam com outros fitoplasmas do grupo 16SrVII, com bootstrap de 81%. Este estudo identificou o ScYLV e um fitoplasma do grupo 16SrVII associados aos sintomas de SAF em plantas de cana-de-açúcar nos estados do Piauí, Ceará e Maranhão, além de revelar baixa variabilidade genética do gene da ORF3 do ScYLV.

  • JAYARA DAYANY DA COSTA SILVA
  • MANEJO ECOLOGICO DA CIGARRINHA DAS RAÍZES Mahanarva spectabilis (Distant, 1909) (HEMIPTERA: CERCOPIDAE) EM CANA-DE-AÇÚCAR
  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 25/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • A cana-de-açúcar é uma das culturas importantes para o país, fortalecendo o agronegócio brasileiro com 16% de toda produção agrícola nacional e gerando empregos diretos e indiretos. Cigarrinhas do gênero Mahanarva apresentam-se como umas principais pragas associadas a cana, provocando reduções  em grande escala na produtividade e qualidade da cana.  Este trabalho foi realizado com o objetivo de conhecer as espécies de cigarrinha do gênero Mahanarva associadas à cana-de-açúcar no nordeste do Brasil, além de avaliar aspectos bioecológicos destas cigarrinhas e conhecer a filogenia de fungos entomopatogênicos do gênero Metarhizium utilizadas no controle destas espécies de cigarrinhas. Inicialmente, foram realizadas coletas de adultos de cigarrinhas em cultivos comerciais de cana-de-açúcar de diversos estados do Nordeste e procedeu-se sua identificação. Foram realizadas amostragens de ninfas e adultos de cigarrinhas em plantio comercial de cana-de-açúcar em União – PI (Comvap) por um período de 12 meses, além de avaliar a duração da diapausa e o desenvolvimento de ovos mantidos em câmara incubadora B.O.D.. Paralelamente, foram obtidos oito isolados fungo entomopatogênico Metarhizium anisopliae de diferentes estados brasileiros e de diferentes hospedeiros. Os isolados foram identificados pelo sequenciamento das regiões TEF-1α,  β-tubulina, RPB1 e RPB2. Para caracterização morfológica, os isolados foram crescidos em placas de petri contendo BDA e foram incubadas em BOD 25±1ºC, 70-80% umidade relativa e fotofase de 12 horas luz, a partir de imagens obtidas com auxílio do microscópio óptico com câmera digital Tucsen acoplada e uso do software MicroMeasure, 3.3.0, procedeu-se a medição dos conídios. Para patogenicidade, inoculou-se uma suspensão de conídios com concentração padronizada de 1,0 x 109 conídios/mL de Metarhizium sp. em ninfas de Mahanarva sp. para avaliação da patogenicidade. As Cigarrinhas Mahanarva posticata está presente nos canaviais dos estados de Alagoas e Pernambuco, Mahanarva fimbriolata foi encontrada nos canaviais de Alagoas e Maranhão já a espécie Mahanarva spectabilis foi registrada nos estados do Piauí e Maranhão.  O pico populacional de ninfas de M. spectabilis ocorreu nos meses de junho de 2016, fevereiro e abril de 2017, a diapausa de ovos desta cigarrinha apresentou duração de 240 dias. A análise de consenso gerada a partir do alinhamento combinado das regiões TEF-1α, β-tubulina, RPB1 e RPB2 agrupou os isolados em um clado distinto das demais espécies do complexo Metarhizium anisopliae. Os caracteres morfológicos são semelhantes aos apresentados pela espécie M. anisopliae. Todos os isolados foram patogênicos a M. spectabilis. É relatada a primeira ocorrência de Mahanarva spectabilis em canaviais no Piauí e Maranhão. O desenvolvimento embrionário de M. spectabilis apresenta quatro fases distintas, e seus ovos entram em diapausa na segunda fase de desenvolvimento. O sequenciamento das regiões do fator de elongação TEF-1 α, β-tubulina, RPB1 e RPB2 permitiram identificação de uma nova espécie dentro do complexo Metarhizium, sendo que esta espécie, apresenta potencial para controle biológico da cigarrinha M. spectabilis.

  • ANTONIA MARIA DE CÁSSIA BATISTA DE SOUSA
  • PREDIÇÃO DE PRODUTIVIDADE DE GRÃOS EM VARIEDADES CRIOULAS DE FEIJÃO-FAVA (Phaseolus lunatus L.) POR REDES NEURAIS ARTIFICIAIS
  • Orientador : REGINA LUCIA FERREIRA GOMES
  • Data: 19/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • No presente estudo, objetivou-se comparar os modelos de Regressão Linear Múltipla (RLM) e Redes Neurais Artificiais (RNAs) para predição de produtividade de grãos de variedades crioulas de feijão-fava e posterior análise de adaptabilidade e estabilidade, usando a metodologia GGE biplot para recomendação da variedade com melhor desempenho. Foram conduzidos ensaios de avaliação com dez variedades crioulas de feijão-fava, nos municípios de Teresina - PI e São Domingos do Maranhão – MA, nas quais foram mensurados 11 caracteres em ambos os municípios, com exceção da produtividade de grãos no município de São Domingos do Maranhão – MA. O modelo para predição da produtividade de grãos mais adequado foi a Rede Neural Artificial, do tipo perceptrons de múltiplas camadas, em comparação à Regressão Linear Múltipla, com base nos parâmetros: coeficientes de correlação de Pearson e Spearman, raiz do erro quadrático médio (RMSE), erro médio absoluto (MAE) e coeficiente de determinação (R2). Para interação G x A, realizou-se análise conjunta entre os caracteres avaliados em Teresina e São Domingos do Maranhão, que apresentaram correlação significativa com a produtividade de grãos, para obtenção do quadrado médio. Os dados de produtividade reais e preditos foram submetidos às análises de adaptabilidade e estabilidade pelo GGE biplot. Os municípios de Teresina - PI e São Domingos – MA são considerados ambientes discriminantes e representativos para seleção de genótipos adaptados. As variedades crioulas Mulatinha e Fava branca do MA se destacaram para os municípios de Teresina e São Domingos do Maranhão, e podem ser recomendadas se esse comportamento for confirmado em avaliações posteriores.

  • ANA MARIA ALVES DE MOURA
  • Parâmetros produtivos e pós-colheita de frutos do meloeiro submetido à depleções de água e coberturas do solo
  • Orientador : CARLOS JOSE GONCALVES DE SOUZA LIMA
  • Data: 18/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • A escassez de água será progressivamente agravada pelas alterações climáticas,
    pelo aumento da população e pelas atividades urbanas e industriais. Com isso,
    o desafio para a agricultura sustentável sob esta crescente escassez hídrica levou
    à noção de irrigação que economiza água. Com o objetivo de avaliar o potencial
    produtivo, a qualidade e a conservação pós-colheita de frutos do híbrido SF
    10/00 de melão amarelo, em função de depleções de água no solo e a disposição
    de coberturas sobre a superfície do solo, foram realizados dois experimentos; no
    período de agosto a outubro de 2017 e maio a julho de 2018, em área
    experimental na Universidade Federal do Piauí. O delineamento utilizado foi em
    blocos casualizados em esquema fatorial 4 x 2, com quatro repetições, sendo os
    tratamentos formados pela combinação de quatro faixas de depleções de água no
    solo (D1 = 0,2-0,3; D2 = 0,3-0,4; D3 = 0,4-0,5 e D4 = 0,5-0,6) e duas coberturas
    do solo (filme de polietileno branco e palha de carnaúba). Foram avaliados o
    diâmetro longitudinal e transversal dos frutos, diâmetro longitudinal e
    transversal do lóculo, espessura da polpa e da casca, índice de formato do fruto,
    sólidos solúveis totais, acidez titulável, pH, relação SST/AT, classificação dos
    frutos, potencial produtivo total e perda de massa dos frutos durante o
    armazenamento. Verificou-se efeito significativo das depleções de água no solo
    para as variáveis diâmetro transversal, espessura da polpa, classificação de fruto
    e potencial produtivo total no primeiro ano (2017); bem como para acidez
    titulável, sólidos solúveis e relação SST/AT no segundo ano (2018). Para as
    características avaliadas pode-se inferir que, o manejo da irrigação com base em
    depleções de água no solo com o uso de cobertura, exerce reduções de
    rendimento sem perda de qualidade dos frutos. Em relação a conservação pós-colheita, todas as variáveis foram influenciadas pelos tratamentos nos dois anos
    de estudo. Verificou-se que a qualidade pós-colheita do híbrido SF10/00 se
    manteve até os 20 dias de armazenamento sob condições ambiente, em virtude
    dessas características não terem provocado uma perda na qualidade dos frutos
    a nível de comercialização. Sendo que, a irrigação a cada dois dias associada a
    cobertura do solo com o filme de polietileno branco, pode ser indicada para a
    cultura do meloeiro para as condições edafoclimáticas estudadas.

  • JOÃO TARCISIO DA SILVA MELO
  • Desempenho da irrigação por gotejamento subsuperficial com tubogotejadores de parede delgada.
  • Data: 31/01/2019
  • Mostrar Resumo
  • e profundidades de instalação 5, 10, 15, 20, e 25 cm, mais a instalação em superfície, com quatro repetições para determinar a relação entre a vazão e a pressão, o coeficiente de variação de fabricação, o coeficiente de uniformidade estatística, e avaliação do desempenho através do valor índice “c”. O coeficiente de variação de fabricação manteve-se abaixo de 3%, o menor coeficiente de uniformidade estatística foi de 98,94%, o menor valor índice “c” foi de 0,9974 para a profundidade de 5 cm. O emissor teve sua constante de proporcionalidade diminuída e expoente de descarga aumentado ao ser enterrado com solo extraído da área experimental, representando efeito da profundidade de instalação do tubogotejador. Na fase 2 o mesmo modelo de tubogotejador foi utilizado em campo. Foi adotado o delineamento experimental em blocos ao acaso em esquema fatorial (5 x 2) com quatro repetições sendo os seguintes fatores: profundidade de enterro do tubogotejador (5 cm, 10 cm, 15 cm, 20 cm e 25 cm) e posição de instalação do emissor (para cima e para baixo), totalizando 40 parcelas experimentais. Foi realizado o plantio de milho para avaliação da intrusão radicular nos emissores do tubogotejador, uma linha de cultivo para cada linha lateral. Foram determinados o coeficiente de variação de vazão, o coeficiente de uniformidade estatística e a vazão relativa. Amostras de solo na profundidade de 0,10 m foram coletadas pra determinação do coeficiente de uniformidade estatística da umidade do solo. Maiores valores de coeficiente de uniformidade estatística foram encontrados para menores profundidades de instalação do tubogotejador. Após o uso em campo, os tubogotejadores foram retirados do solo e avaliados na bancada de ensaios. Não foram encontrados vestígios de intrusão radicular nos emissores, no entanto, foi observado que mesmo com a presença de filtro de disco no sistema, devido ao uso de fertirrigação, houve a passagem de elemento inerte dos fertilizantes utilizados, especialmente do KCL e da uréia. Houve a precipitação destes componentes no interior do tubogotejador e aqueles que estavam com os emissores voltados para baixo foram especialmente afetados ocorrendo a diminuição do coeficiente de uniformidade estatística, aumento do coeficiente de variação de vazão e menores valores de vazão relativa.

2018
Descrição
  • LAYLA DE SÁ ANDRADE MEDEIROS
  • Identificação molecular e caracterização biológica de vírus em feijão-fava.
  • Orientador : JOSE EVANDO AGUIAR BESERRA JUNIOR
  • Data: 14/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • O feijão-fava (Phaseolus lunatus L.) é uma das principais leguminosas cultivadas na região tropical, além de ser uma importante fonte alimentar para o Nordeste do Brasil. As viroses são fatores limitantes à produção de feijão-fava provocando danos que podem reduzir a produtividade, devido à dificuldade de controle e às formas eficientes de disseminação dos patógenos. No entanto, não são bem conhecidos os vírus que infectem naturalmente o feijão-fava. Assim, o objetivo deste estudo foi identificar a ocorrência natural de vírus com genoma de RNA, em campos de produção de feijão-fava nos estados do Piauí e Ceará, além de caracterizar por análises filogenéticas e sintomatológicas as espécies identificadas. Foram coletadas 55 amostras foliares de feijão-fava com sintomas de mosaico e deformação foliar nos estados do Piauí e Ceará, durante a estação de cultivo dos anos de 2017 e 2018. Foram realizadas RT-PCR com oligonucleotídeos específicos para Cucumber mosaic virus (CMV) e Cowpea mild mottle virus (CPMMV) e oligonucleotídeos degenerados para potyvírus e comovírus. Os fragmentos amplificados de tamanhos esperados foram purificados e sequenciados em ambas as direções. As sequências editadas foram comparadas com aquelas depositadas no GenBank. Árvores filogenéticas foram geradas utilizando o método de máxima verossimilhança. As sequências nucleotídicas e de aminoácidos deduzidos foram comparados entre os isolados obtidos neste estudo com sequências de isolados referência. Foram obtidas quatro espécies de vírus infectando naturalmente o feijão-fava: Cucumber mosaic virus (CMV), Cowpea aphid-borne mosaic virus (CABMV), Cowpea severe mosaic virus (CPSMV) e Cowpea mild mottle virus (CPMMV), os quais apresentaram taxa de infecção simples de 20% para o CMV, 34,5% para o CABMV, 1,81% para o CPSMV e para o CPMMV 50,9%, respectivamente. Taxas de infecções duplas foram observadas entre CMV e CABMV (3,63%), CMV e CPMMV (16,3%), CABMV e CPMMV (12,7%). E infecção múltipla entre CMV, CABMV e CPMMV de 1,8%. A comparação das sequências nucleotídicas (nt) de 11 isolados de CMV revelou identidade de 96 a 100% entre si, e de 96 a 99% com isolados referência do Subgrupo I e 80 a 81% com os isolados do Subgrupo II. Todos os isolados de CMV agruparam com isolados referência do Subgrupo IA com 93% de bootstrap. Os 19 isolados de CABMV possuem identidade de sequência nt com isolados cadastrados no GenBank, variando de 82 a 99%. Quando comparados entre si, os isolados também apresentaram elevada identidade de sequência nt de 81 a 100% e identidade de aminoácidos (aa) de 92 a 100%. Os isolados de CABMV agruparam com isolados brasileiros, africano e indiano, com 100% de bootstrap. Apenas uma amostra de feijão-fava apresentou infecção com CPSMV. Essa amostra apresentou maior identidade (92% nt e 88% aa) com o isolado CPSMV PY2, obtido de sésamo no Paraguai. Estes resultados comprovam a ocorrência natural de CMV, CABMV e CPMMV em plantas de feijão-fava nos estados do Piauí e Ceará, e do CPSMV no estado do Piauí. Os isolados de CMV e CABMV apresentaram baixa variabilidade genética.

  • REBECCA KAROLLINE ASSUNÇÃO LIMA
  • Concentrações de cálcio e potássio na mitigação da toxicidade amoniacal em mudas de maracujazeiro-amarelo.
  • Orientador : GABRIEL BARBOSA DA SILVA JÚNIOR
  • Data: 27/09/2018
  • Mostrar Resumo
  • O nitrogênio atua em processos como absorção iônica, fotossíntese, respiração, multiplicação. Entretanto, em elevadas quantidades, o íon NH4+ pode causar sintomas de toxicidade em vegetais com alterações nos processos fisiológicos e bioquímicos, comprometendo o seu desenvolvimento. No entanto, o uso de cátions como Ca e K em solução nutritiva pode mitigar a toxicidade amoniacal em plantas.  Neste sentido, objetivou-se nesse trabalho, avaliar a interação entre concentrações de cálcio e potássio e proporções de amônio e nitrato na nutrição, crescimento e produção de matéria seca de mudas de maracujazeiro-amarelo cultivadas em substrato inerte com o uso de solução nutritiva. O experimento foi conduzido em telado no Departamento de Fitotecnia, do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Piauí (CCA/UFPI) no período de Janeiro a Maio de 2018, a partir de duas etapas: Experimento I: Os experimentos seguiram um esquema fatorial 5 x 2, constituído por cinco concentrações de Ca (0,5; 2,5; 5; 10 e 20 mmol L-1) e duas proporções de NH4+/NO3- (sem excesso de amônio, 35/65 e com excesso de amônio 75/25), disposto em delineamento inteiramente casualizado com quatro repetições. Experimento II: o experimento seguiu um esquema fatorial 5 x 2 cinco concentrações de K (1,5; 3,5; 6; 11 e 21 mmol L-1) e duas proporções de NH4+/NO3- (sem exesso de amônio, 35/65 e com excesso de amônio 75/25) disposto em delineamento inteiramente casualizado com quatro repetições. Para ambos os experimentos, avaliaram-se altura de plantas, diâmetro do caule; número de folhas, área foliar, comprimento de raiz; e matéria seca da raiz e da parte aérea, acúmulo de N, K, Ca e Mg na parte aérea e raiz e índice de cor verde das folhas. A pesquisa foi realizada com mudas de maracujazeiro, cv. Redondo-Amarelo, cultivadas em bandejas, preenchidos com vermiculita, fornecendo-se solução nutritiva via sistema de fertirrigação por gotejamento. A partir da concentração de 5,0 mmol L-1de Ca a e proporções 75/25 de Nhouve diminuição no acúmulo dos nutrientes K,N e Mg para K a concentração de 11 mmol L-1 promoveu maior acúmulo de Ca, K, Mg e N.  Os incrementos de altura de plantas, área foliar, comprimento de raízes matéria seca da raízes e parte aérea foram maiores nas mudas cultivadas na proporção 35/65 de amônio/nitrato. A concentração de 0,5 mmol L-1 de Ca promoveu mitigação da toxicidade de amônio em mudas de maracujazeiro-amarelo, promovendo incrementos nas variáveis de crescimento. O potássio proporcionou incrementos das variáveis altura de planta, área foliar, índice de clorofila, massa seca da parte aérea e raiz em mudas de maracujazeiro-amarelo submetidas a solução sem excesso e com excesso de amônio.

  • ANDRÉA LETICIA LOPES BRASIL
  • FUNÇÃO DE RESPOSTA DO CAPIM TIFTON 85 A ADUBAÇÃO NITROGENADA E POTÁSSICA, EM TERESINA-PI
  • Orientador : FRANCISCO EDINALDO PINTO MOUSINHO
  • Data: 31/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo desse trabalho foi avaliar a resposta do capim Tifton 85 à adubação nitrogenada e potássica nas condições edafoclimática de Teresina, PI. O.  experimento foi conduzido na área experimental do Colégio Técnico de Teresina (CTT), vinculado à Universidade Federal do Piauí-UFPI, no período de novembro de 2017 a fevereiro de 2018. Utilizou-se o delineamento experimental em blocos casualizados com parcelas subdivididas e quatro repetições em dois cortes (28 e 35 dias) por ciclo de crescimento. Nas parcelas principais foram testadas cinco doses de nitrogênio 0, 40, 80, 120 e 160 kg ha-1 por ciclo (35 dias) utilizando a ureia como fonte de nitrogênio e nas sub parcelas - quatro doses de potássio 0, 30, 60 e 90
    kg ha-1 por ciclo (35 dias) utilizando o cloreto de potássio como fonte de potássio. As adubações nitrogenadas e potássicas proporcionaram efeito significativo nos dois ciclos de crescimento na altura, produção de massa fresca, produção de massa seca e na produção de feno do capim Tifton 85. Os cortes com 35 dias obtiveram a maior altura, produção de massa fresca, seca e produção de feno nos dois ciclos de crescimento. No primeiro ciclo houve um maior rendimento de massa fresca, massa seca e na produção de feno.

  • THEULDES OLDENRIQUE DA SILVA SANTOS
  • DEPLEÇÃO DE ÁGUA E COBERTURAS DO SOLO NO CULTIVO DE MELOEIRO
  • Orientador : CARLOS JOSE GONCALVES DE SOUZA LIMA
  • Data: 30/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • O manejo da irrigação contribui para a manutenção da umidade do solo em níveis adequados ao desenvolvimento das culturas. Objetivou-se avaliar os efeitos de depleção de água no solo associadas às coberturas do solo, com filme plástico comercial e palha de carnaúba disponível na região sobre os aspectos de acúmulo de fitomassa seca, produtividade e eficiência de uso da água em cultivo de meloeiro. O experimento foi conduzido no período de agosto a outubro de 2017 no Colégio Técnico de Teresina (CTT), em Teresina, Piauí. O delineamento experimental adotado foi de blocos casualizados (DBC) em esquema fatorial 4 x 2, com quatro repetições, sendo cinco faixas de depleção (0,2-0,3; 0,3-0,4; 0,4-0,5 e 0,5-0,6) e duas coberturas do solo (palha de carnaúba triturada e filme plástico de polietileno). O sistema de irrigação utilizado foi o gotejamento, adotando o manejo da irrigação por tensiômetria. Foram avaliados a massa seca do limbo foliar, massa seca dos ramos, massa seca da parte aérea, índice de área foliar, número de folha, número total de frutos por planta, número de frutos comercias por planta, rendimento total por planta, rendimento comercial por planta, produtividade total, produtividade comercial, produtividade de refugo, eficiência do uso da água pela produtividade total, eficiência do uso da água pela produtividade comercial e massa seca de fruto. Verificou-se efeito da depleção sobre as variáveis analisadas, as plantas de meloeiro submetidas as faixas de depleção de 0,2-0,3 e 0,3-0,4 apresentaram melhores respostas. As características estudadas não responderam aos tipos de coberturas do solo, foi possível verificar efeito de interação entre as depleções de água no solo e coberturas do solo no índice de área foliar e área foliar específica. A maior produtividade total e comercial de 35,32 e 30,97 t ha-1, respectivamente, foram obtidos na depleção de 0,2-0,3 indicando ser a melhor nível de manejo de irrigação para o meloeiro.

  • EDUARDO MAGNO PEREIRA DA SILVA
  • Produtividade de colmos, açúcar e álcool de variedades de cana-de-açúcar irrigada por gotejamento subsuperficial
  • Data: 30/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo desta pesquisa foi avaliar a produtividade de colmos, a eficiência de uso da água, a qualidade tecnológica e o rendimento de açúcar e álcool de variedades de cana-de-açúcar (cana planta) em resposta a diferentes regimes hídricos aplicados por gotejamento subsuperficial. O experimento foi realizado em um Argissolo Vermelho Amarelo distrófico, na Embrapa Meio-Norte, em Teresina, Piauí, durante o período de outubro de 2015 a setembro de 2016. Modelou-se o experimento em um delineamento experimental de blocos casualizados em parcelas subdivididas, com quatro repetições. As parcelas foram constituídas por quatro regimes hídricos (irrigação mais chuva) baseados em frações da ETc (50% ETc = 1.374,3; 80% ETc = 1.534,2; 110% ETc = 1.712,0 e 150% ETc = 1.905,8 mm) e as subparcelas por dez variedades (RBUFRPE01, RBUFRPE02, RBUFRPE03, RBUFV01, RB036066, RB987935, RB935744, RB943538, RB92579 e RB867515). Com a aplicação dos regimes hídricos de 50% e 80% da ETc, recomenda-se utilizar as variedades RB036066; RBUFRPE02; RB943538, RB92579 e RB935744. A máxima produtividade de colmos (222,9 Mg ha-1) foi obtida com a variedade RB935744 e a lâmina total aplicada de 1.688,8 mm. A máxima EUA (13,5 kg m-3) foi obtida com a variedade RB935744, aplicando-se lâmina total de 1.606,2 mm. As características tecnológicas de qualidade do caldo da cana (Brix, fibra, POLcaldo, POLcana), foram alterados pelos regimes hídricos e variedades. Os rendimentos brutos de açúcar (32,2 Mg ha-1) e álcool (23 m3 ha-1) foram alcançados com variedade RB935744 e reposição hídrica próxima a 110% da ETc.

  • ROSALBA MARIA BORGES DE ANDRADE RODRIGUES
  • BIOATIVIDADE DO ÓLEO ESSENCIAL Protium heptaphyllum (Aubi.) E LIMONENO NO CONTROLE DE Callosobruchus maculatus.
  • Orientador : LUCIA DA SILVA FONTES
  • Data: 24/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • O feijão-caupi (Vigna unguiculata (L.) Walp.) é uma leguminosa que tem seus grãos constantemente atacados pelo Callosobruchus maculatus, uma praga primária que provoca perdas qualitativas e quantitativas que depreciam comercialmente o produto armazenado. Atualmente busca-se métodos alternativos de controle e o presente trabalho teve como objetivo investigar a bioatividade do óleo essencial da resina de Protium heptaphyllum (Aubi.) determinando o seu composto majoritário e o efeito isolado do mesmo assim como a relação de toxicidade entre os dois (óleo e limoneno) no controle de Callosobruchus maculatus em feijão-caupi. Os bioensaios e a criação dos insetos foram conduzidos no Laboratório de Entomologia do Departamento de Biologia da Universidade Federal do Piauí à temperatura de 30 ± 2ºC, umidade relativa de 60 ± 5% e fotofase de 12h. A extração do óleo da resina de almécega foi feita pelo método de hidrodestilação em aparelho de Clevenger e para a determinação dos compostos majoritários utilizou-se da análise de cromatografia gasosa e espectrometria de massa onde o limoneno se apresentou em maior abundância (40,12%). Foram realizados testes de toxicidade por contato, por fumigação e testes de repelência, utilizando delineamento inteiramente casualizado com cinco repetições e uma testemunha. Testes preliminares foram realizados para os testes de contato e de fumigação para definir as faixas de concentração do óleo e do limoneno, capazes de promover mortalidades de 50% (CL50) e 95% (CL95). As concentrações foram aplicadas utilizando-se um micropipetador automático. Foram contabilizados o número de insetos mortos nos testes de contato e fumigação e no teste de repelência o número de insetos atraídos após 48h. O número de ovos e de insetos emergidos foram contabilizados aos 12 dias e 28 dias, respectivamente para todos os testes. Nos testes de contato as concentrações para o óleo foram (10; 15; 20; 35µl/20g) e para o limoneno (20; 25; 30; 35; 40µl/20g) onde dez fêmeas com 0-48h de idade foram acondicionadas em recipientes plásticos de 100 ml contendo 20g de feijão cv. Aracê impregnados com as respectivas concentrações. As CL50 foram (14µl) para o óleo e (36µl) para o limoneno e as CL95 foram (36µl) para o óleo e (77µl) para o limoneno e o número de insetos emergidos foi reduzido em todas as concentrações quando comparada com o número de ovos, o que mostra que o óleo e limoneno têm efeito ovicida. Nos testes de fumigação foram utilizadas as concentrações (125; 250; 375 e 437,5 µl/L de ar) para o óleo e (375; 500; 625 e750µl/L de ar) para o limoneno, utilizando-se potes de polipropileno de 100 ml contendo 20 insetos não sexados com 0-48h de idade onde tiras de papel de filtro fixadas na parte inferior da tampa foram impregnadas com as respectivas concentrações, protegidos por um tecido tipo filó e vedados com fita adesiva. As CL50 foram(191,28µl) para o óleo e (434,34µl) para o limoneno e as CL95 foram (767,96µl) para o limoneno e (1011µl) para o óleo e em relação ao efeito fumigante ambos foram tóxicos Nos testes de repelência utilizou-se arenas tipo olftômetro onde em uma das extremidades foram colocados 20g de grãos de feijão-caupi impregnados com as Cl50 eCL95 e na outra extremidade a testemunha, e após 48h os insetos atraídos para cada recipiente foram contabilizados e foi constatado efeito repelente do óleo e do limoneno assim como efeito ovicida

  • MAYARA FERNANDES DOS SANTOS
  • Produtos à base de nim (Azadirachta indica A. Juss) no controle de ácaros Tetranychidae na cultura do feijão-fava e em minijardim clonal de eucalipto.
  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 20/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • O uso de acaricidas naturais tem se destacado no controle de ácaros da família Tetranychidae em diversas culturas, tais como feijão-fava e eucalipto. Objetivou-se com esse estudo avaliar a toxicidade, repelência e efeito ovicida de diferentes formulações comerciais à base de nim no controle do Tetranychus neocaledonicus na cultura do feijão-fava e Oligonychus punicae em minijardim clonal de eucalipto. Os produtos testados foram Natural Neem® (NN), Off-Neem® (ON) e Nim-I-GO® (NG) em diferentes concentrações. A toxicidade desses produtos foi testada sobre fêmeas adultas de T. neocaledonicus e O. punicae em discos foliares de feijão-fava e eucalipto, respectivamente. As diferentes concentrações foram pulverizadas sobre discos foliares de cada cultura infestados com 10 fêmeas adultas. A mortalidade foi avaliada 48h após pulverização. Foram calculadas as concentrações letais (CL50s eCL95s) e razão de toxicidade para cada acaricida. O efeito repelente foi verificado através de teste com chance de escolha, onde foram utilizados discos foliares tratados e não tratados com os acaricidas à base de nim. Para tal, os discos foliares de feijão-fava, bem como os de eucalipto foram submersos nas soluções preparadas com a CL50 de NN, ON e NG para T. neocaledonicus e O. punicae, respectivamente. O número de ácaros atraídos foi contabilizado 48 horas após a montagem do experimento, calculado o índice de repelência (IR) e a porcentagem de repelência (PR) dos produtos. O efeito ovicida foi determinado a partir da aplicação de 1 mL das soluções preparadas com as CL50s e CL95s de cada produto sobre 10 ovos de T. neocaledonicus e O. punicae em discos foliares de feijão-fava e eucalipto, respctivamente. A viabilidade dos ovos foi observada 120 h após aplicação. Considerando as CL50s determinadas para T. neocaledonicus, a razão de toxicidade e intervalo de confiança, o ON (0,48%) foi 2,9 vezes mais tóxico que NN (0,68%). Enquanto que para as CL95s não foi possível afirmar a toxicidade. De acordo com as CL50s e CL95s definidas para O. punicae em eucalipto e levando em consideração os intervalos de confianças, não foi possível certificar a toxicidade dos produtos. Os acaricidas testados ocasionaram repelência significativa de fêmeas adultas de T. neocaledonicus sobre discos de folhas de feijão-fava tratadas com as CL50s de NN, ON e NG, sendo todos os produtos classificados como repelentes seguindo o IR de 0,49; 0,54 e 0,66, respectivamente. Assim como para O. punicae, de acordo com IR de NN (0,05), ON (0,91) e NG (0,70) reduziram significativamente o número de fêmeas em discos foliaraes de eucalipto, sendo classificados como repelentes. Os ovos tratados com as CL95s foram 100% inviáveis tanto para T. neocaledonicus quanto para O. punicae. Enquanto que os ovos de T. neocaledonicus tratados com a CL50, o NNproporcionou a menor viabilidade (8,0 %). Os acaricida NN, ON e NG foram efetivos no controle de T. neocaledonicus e O. punicae em feijão-fava e em eucalipto, respectivamente, em virtude da significativa toxicidade, efeito repelente e ovicida.

  • ADRIANO VENICIUS SANTANA GUALBERTO
  • Qualidade química e biológica do solo em sistema de plantio direto, pastagem e eucalipto no Cerrado
  • Data: 03/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • A substituição de áreas nativa para atividades agricolas causam impactos ao meio ambiente e é o principal  responsável da perda de carbono (C) da matéria orgânica do solo (MOS) para a atmosfera. Avaliamos a dinâmica da matéria orgânica e os indicadores biológicos de qualidade do solo, sob diferentes sistemas de manejos no Cerrado piauiense. Amostramos o solo (0-0,1 e 0,1-0,2, 0,2-0,3 e 0,3-0,5 m) da Fazenda Nova Zelândia localizada no município de Uruçuí (Piauí, região nordeste do Brasil). Os manejos avaliados foram: Pastagem (PAS); Sistema Plantio Direto de soja sob palhada de milho (SPD 1); Sistema Plantio Direto de milho sob palhada de capim mombaça (SPD 2); Eucalipto (EUC), além de uma área nativa de Cerrado como referência (MN). Determinamos o estoque de carbono, as frações química (substâncias húmicas) e física (complexos particulados e orgânico-minerais) da MOS; atributos biológicos como biomassa microbiana (C-BMS e N-BMS), respiração basal (RBS) e os coeficientes microbiano e metabólico (qCO2, qmic), além da fauna epigea do solo. Os dados foram submetidos à análise de variância, e quando significativos submetidos ao teste de Tukey. A captura dos organismos se deu por meio da instalação de 7 (sete)  armadilhas do tipo “Pitfall” por sistema de manejo. Foram avaliados os índices de riqueza total (S); riqueza média; os índices de Shannon e Pielou e o número de indivíduos armadilha dia. A Pastagem foi o manejo de solo que mais favoreceu um aumento nos teores de C-BMS, qCO2 e qmic, enquanto o SPD 1 aumentou o estoque de carbono em superfície (0-0,1 e 0,1-0,2 m) e índice de manejo do carbono (IMC) em profundidade (0,3 -0,5 m). Quanto às substâncias húmicas apresentaram a seguinte sequência de predominância em todos os manejos do solo: Ácido fúlvico, Humina e Ácido humico, denotando forte relação entre o Latossolo e o Ácido fúlvico. O SPD 2 foi o manejo que apresentou maior abundância e riqueza total de espécies que o eucalipto, e pode ser recomendado para minimizar o impacto da atividade agrícola sobre a biodiversidade da fauna epígea. Por outro lado, o reflorestamento de eucaliptos não parece ser um uso eficiente da terra quando se trata de restaurar os níveis de MOS e da biodiversidade do solo, pelo menos sob as práticas atuais de manejo, bem como as condições do solo e do clima no solo espesso.

  • LEONARDO JOSÉ TEIXEIRA DA SILVA
  • Desempenho morfofisiológicos de cultivares de feijão-caupi submetidas a diferentes déficit hídricos e fontes de nitrogênio.
  • Orientador : ANTONIO AECIO DE CARVALHO BEZERRA
  • Data: 31/07/2018
  • Mostrar Resumo
  • O feijão-caupi, é uma Fabaceae de grande importância socioeconômica, bastante versátil quanto às condições climáticas sendo cultivada principalmente nas região Nordeste e Norte, que apresentam grande irregularidade pluviométrica e as menores produtividade. O presente trabalho teve como objetivo avaliar o desempenho morfofisiológico das cultivares BRS Tumucumaque e BRS Imponente quando submetidas a cinco níveis de déficit hídricos, equivalentes a reposição de ETc (100, 85, 70, 55 e 40 %), associados a três fontes de nitrogênio (fertilizante químico, na dose de 20 kg ha- de N, solo de mata e inoculante comercial - estirpe semia 6462). A lâmina de irrigação foi calculada diariamente pelo método de pesagem em função da ETc e fornecida a cada tratamento. Aos 12 dias após o semeio, iniciaram-se aplicação dos déficits hídricos. O experimento foi realizado em casa de vegetação, usando um delineamento inteiramente casualizados, em arranjo fatorial 2x5x3, perfazendo um total de 180 parcelas. Foram avaliadas, aos 24 e 34 DAS, os seguintes parâmetros: diâmetro do caule (DC), Altura da planta (ALT), Número de nós no ramo principal (NNRP), Número de folhas por planta (NFP), Índice relativo de clorofila (IRC). Já aos 25 e 35 DAS, foram a Matéria seca da parte aérea (MSPA), Matéria seca da raiz (MSR), Área foliar (AF) e Relação parte aérea e raiz (RPAR). Observou-se que a medida que decresce 15% do nível 100% ETc, todas variáveis das cultivares são influenciadas negativamente, sendo que no nível de reposição de 40% a redução dos caracteres é mais severa. A adubação nitrogenada promoveu um aumento de 8,65% e 4,32% para MST aos 35 DAS e 2,46% e 1,70% para o IRC aos 24 DAS, em relação ao solo da mata e inoculante, respectivamente. Entanto, o inoculante proporcionou as maiores ALT, em ambos os períodos avaliados. Observaram-se diferenças entre as cultivares sendo a BRS Imponente superior a BRS Tumucumaque em relação a DC, NFP, IRC, MSPA, MSR e MST.

  • BRUNO KARVAND FERREIRA SOARES
  • INDICADORES FÍSICOS APÓS ESCARIFICAÇÃO MECÂNICA EM UM LATOSSOLO AMARELO SOB PLANTIO DIRETO
  • Orientador : LUIS ALFREDO PINHEIRO LEAL NUNES
  • Data: 31/07/2018
  • Mostrar Resumo
  • O reduzido revolvimento do solo aliado ao tráfego de máquinas constantes adotados no sistema de plantio direto promovem a formação de áreas compactadas sendo necessário a intervenção de medidas de ordem física. Dessa forma, o uso do escarificador nesse tipo de sistema, pode melhorar os atributos físicos do solo, com efeitos benéficos para o cultivo agrícola. Este trabalho objetivou, avaliar os efeitos da escarificação mecânica nos atributos físicos de um Latossolo cultivado com soja no cerrado piauiense. Foram escolhidas áreas cultivadas com soja com dois (CS2) e dez (CS10) anos sem escarificação, uma área cultivada com soja a dez (ESC) anos e escarificada, além de uma área de mata nativa de cerrado preservada, que foi usada como controle (VN). Em cada área foram demarcadas parcelas de 50 x 50 m, para a realização da coleta do solo e avaliação dos indicadores físicos de qualidade do solo. A escarificação diminuiu a densidade do solo (Ds) na camada 0,0 – 0,2 m na área ESC em relação a área CS10. Com relação a porosidade total (PT), as áreas com VN e CS2 anos, mostraram os maiores valores 62,79 e 63,06 %, respectivamente, em relação as demais áreas. Os menores valores de RPS foram encontrados nas áreas sob CS2 e VN. Os valores máximos de RPS foi de 3,81 (MPa) para CS10 e de 3,05 MPa para ESC. A escarificação promoveu melhorias nos indicadores físicos na camada superficial do solo. A resistência à penetração mostrou ser o atributo físico do solo mais sensível para determinação da compactação.

  • SANDRA MARA BARBOSA ROCHA
  • PROSPECÇÃO DE RIZÓBIOS EM ÁREAS COM LODO DE CURTUME COMPOSTADO E SEU POTENCIAL NA TOLERÂNCIA A CROMO E PROMOÇÃO DE CRESCIMENTO.
  • Orientador : ADEMIR SERGIO FERREIRA DE ARAUJO
  • Data: 30/07/2018
  • Mostrar Resumo
  • O estudo da simbiose leguminosa-rizóbio em solos de áreas com aplicação de residuos industriais pode selecionar isolados eficientes e tolerantes a efeitos adversos, se tornando uma alternativa benéfica e viável na ultilização como fitoremediadoras e promotoras de crescimento em plantas. O objetivo do trabalho foi avaliar a influência de doses de lodo de curtume compostado (LCC) na nodulação e desenvolvimento de plantas de feijão-fava (Phaseolus lunatus L.), isolar e caracterizar morfologica, fisiologica e bioquímicamente bacterias promotoras de crescimento nessas áreas e testar in vitro quanto à tolerância a diferentes concentrações de cromo. Por oito anos, o LCC foi aplicado, continuamente, em cinco doses: 0, 2,5, 5, 10 e 20 Mg ha-1 (base seca). Vaso de 2,8L foi preenchido com solo dessa área, foram plantadas sementes de feijão-fava, aos 45 DAE foi avaliada a massa seca da parte área (MSPA), nitrogênio total (N-Total), numero de nódulos (NN), massa seca dos nódulos (MSN), massa seca da raiz (MSR), tamanho do nódulo (TN), eficiência de fixação de nitrogênio (EFN), nitrogêncio aculmulado (NAC), teor de cromo na planta (Cr-plant), numero de isolados (NI). Foi realizado o isolamento e caracterização fisiológica, bioquímica e um teste in vitro de tolerância desses isolados a diferentes doses de cromo 0, 25, 50, 100 e 200 μg ml-1 na forma de K2Cr2O7. Plantas de feijão-fava apresentaram maior nodulação em tratamentos com LCC; no entanto, os nódulos encontrados nesses tratamentos apresentaram menor tamanho e diversidade do que os encontrados no tratamento sem LCC. O acúmulo de N aumentou com a aplicação da maior dose de LCC (20 Mg ha-1), enquanto a eficiência da FBN foi maior nas doses de 2,5 e 5 Mg ha-1 de LCC. Houve aumento no conteúdo de Cr na parte aérea com o aumento das doses de LCC. Foram obtidos ao todo 92 isolados, desse total aproximadamente 41% foram encontrados no tratamento controle, 22 % foram encontrados na dose de 2,5 e 5,0 Mg ha-1 cada, 7% na dose de 10 Mg ha-1 e 5% na dose de 20 Mg ha-1. Assim, a aplicação da LCC, à longo prazo, aumenta o acúmulo de Cr nas plantas, aumenta a nodulação e diminui a diversidade de rizóbios nos nódulos. Osisolados UFPI-LCC01, UFPI-LCC04, UFPI-LCC43, UFPI-LCC58, UFPI-LCC71, UFPI-LCC72, UFPI-LCC75, UFPI-LCC84  e UFPI-LCC87 apresentaram capacidade de ser utilizados como potenciais biorremediadores de solos com elevadas concentrações de cromo.

  • ANA ROBERTA LIMA DE MIRANDA
  • Comunidade bacteriana após sete anos de aplicação de lodo de curtume compostado.
  • Orientador : ADEMIR SERGIO FERREIRA DE ARAUJO
  • Data: 03/07/2018
  • Mostrar Resumo
  • Oriundo de indústrias de processamento pele animal em couro, o lodo de curtume é rico em compostos orgânicos e inorgânicos capazes de promoverem fertilização, nutrição de vegetais e de microrganismos presentes no solo. Contudo, o uso excessivo deste resíduo, pode gerar distúrbios ecológicos e interferências na microbiota, principalmente devido a concentração de cromo (Cr) proveniente dos processos de curtimento. Por ser um elemento químico pertencente ao grupo dos metais pesados capaz de ser absorvido por organismos vivos, alcançando diversos níveis da cadeia trófica, torna-se preocupante elevadas concentrações deste metal no solo. O efeito do uso de lodo de curtume compostado (LCC) após sete aplicações anuais sucessivas, foi avaliado por meio de relações entre as propriedades químicas e valores de Unidade Taxonômica Operacional (OTUs) da comunidade bacteriana do solo, tendo por base valores de abundância relativa à nível de filo, classe, ordem, família e gênero, com intuito de observar os efeitos causados na estrutura da microbiota do solo após aplicação de diferentes quantidades de LCC. O experimento foi conduzido em blocos casualizados, com quatro repetições e cinco tratamentos correspondentes a doses de LCC, sendo 0 (controle), 2,5, 5, 10 e 20 t/ha (base seca). Aos 0, 45, 75, 150 e 180 dias de experimento, avaliou-se os níveis de P, K, Ca, Mg, Na, pH, condutividade elétrica (CE) e o teor de carbono orgânico total (COT) no solo, bem como, a composição bacteriana presente no solo, pela técnica de sequenciamento de nova geração, correlacionando-a aos atributos químicos do solo após uso do resíduo. Foram cultivadas em períodos distintos plantas de milho e feijão-caupi durante o experimento para observações paralelas sobre o comportamento vegetal às condições de estresse e fertilização. Os valores de pH, C orgânico, P, Ca, Mg e Cr aumentaram com o aumento das doses de LCC. Grupos específicos de bactérias como Actinobacteria, Acidobacteria, Firmicutes, Proteobacteria e Chloroflexi, tornaram-se abundantes após a aplicação do resíduo ao longo do tempo, sugerindo interpretações sobre a capacidade adaptativa ao incremento de atributos químicos e resistência ao metal pesado. Análises de Redundância (RDA) e Análises de Resposta de Curva Principal (PRC), mostraram estreitas relações dos níveis de pH, cromo, condutividade elétrica e C orgânico entre a comunidade bacteriana e as influências na dinâmica estrutural da comunidade. Os resultados mostraram efeitos rizosféricos nas culturas de milho e feijão-caupi cultivados no decorrer do experimento, sobre a comunidade bacteriana, ocasionando diferenciação de grupos de bactérias nos diferentes períodos de florescimento e senescências das plantas. Houve efeito significativo do tempo de amostragem e das doses de LCC nas propriedades químicas do solo que por sua vez, interferem na estrutura da microbiota bacteriana, selecionando organismos com capacidade adaptativa e de resistência ao cromo.

  • OZAEL DAVID VALÉRIO DA SILVA
  • Toxicidade de óleos essencias sobre Callosobruchus maculatus (Fabr., 1775) (Coleoptera: Chrysomelidae, Bruchinae) em grãos de Vigna unguiculata (L.) Walp. sob condições de armazenamento
  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 26/06/2018
  • Mostrar Resumo
  • O feijão-caupi (Vigna unguiculata (L.) Walp) é uma importante cultura no nordeste do Brasil e tem como principal praga de seus grãos armazenados o Callosobruchus maculatus (Fabr., 1775) (Coleoptera: Bruchinae). O principal método de controle utilizado é inseticida químico, principalmente os fumigantes, entretanto uma alternativa promissora é a utilização de plantas com propriedades inseticidas no controle de pragas de grãos armazenados. O presente trabalho teve como objetivo avaliar a eficiência dos óleos essenciais de Juniperus communis (Zimbro), Pelargonium graveolens (Gerânio bourbon), Origanum majorana (Manjerona), Amyris balsamifera (Sândalo) no controle de C. maculatus, em sementes de feijão-caupi em condições de armazenamento, avaliando seus efeitos letais e subletais por meio de contato e repelência e seu efeito letal por fumigação. O efeito dos óleos essenciais sobre C. maculatus foram avaliados com base nos testes de contato, fumigação e repelência.  A análise em cromatografia a gás acoplada à espectrometria de massa (GC/EM) identificou como componentes majoritários os Citronellol (22,07%), Geraniol(12,69%) e Citronellyl formate (11,63%) para P. graveolens, α-Pinene (67,03%), β-Pinene (12,85%), Limonene (4,22%) e Myrcene (3,95%) para J. communis, Terpinene-4-ol (25,95%), E- Sabinene hydrate (15,19%), y- Terpinene (13,67%), α- Terpinene (8,29%), Z- Sabinene hydrate (7,05%) e Sabinene (6,07%) para O. majarona e Valerianol (23,94%), Elemol (10,83%), β-Eudesmol (10,69%), 7-epi-α-Selinene (10,63%) e 10-epi-y-eudesmol (8,71%) para A. balsamifera. As CL50 dos testes de contato variaram de 4,77 a 62,56 μL/20g de grão, indicando que J. communis obteve a maior CL50 e o O. majorana a menor. Nos testes de fumigação as CL50 dos óleos essenciais de J. communis, P. graveolens, foram respectivamente 30,51 e 90,63 μL/80mL. Nos testes de repelência, os óleos essenciais em todas as concentrações testadas apresentaram efeito repelente e deterrente a oviposição, na menor concentração utilizada (CL25), destacando a repelência como efeito subletal dos óleos. Os óleos essenciais em estudo são causadores de mortalidade em C. maculatus por contato e possuem efeitos repelentes a adultos e deterrentes a oviposição de C. maculatus, apresentando grande potencial por ocasionar efeito de fumigação.

  • JOSIMAR SOARES DA SILVA JUNIOR
  • DESEMPENHO PRODUTIVO DO FEIJÃO-CAUPI SOB DIFERENTES POPULAÇÕES DE PLANTAS E REGIMES HÍDRICOS
  • Data: 08/06/2018
  • Mostrar Resumo
  •  

    O feijão-caupi é uma leguminosa de grande importância socioeconômica para as regiões Norte e Nordeste do Brasil. Entretanto, ainda necessita de estudos que avaliem seu desempenho produtivo quando cultivado em regime irrigado e sob diferentes densidades de plantas. O presente trabalho teve por objetivo avaliar o desempenho produtivo, os componentes de produção e a eficiência de uso da água do feijão-caupi, cultivar BRS Tumucumaque, sob diferentes densidades de plantas e regimes hídricos. O experimento foi conduzido na área experimental da Embrapa Meio-Norte, localizada no município de Teresina, Piauí, no período de junho a setembro de 2017, em um Argissolo Vermelho-Amarelo eutrófico. O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados (DBC), no esquema de parcelas subdivididas com quatro repetições, em que as lâminas de irrigação constituem as parcelas (187,7 mm; 233,5 mm; 263,5 mm e 288,7 mm) e as densidades de plantas, as subparcelas (12; 16; 20 e 24 plantas ha-1). Avaliaram-se o número de vagens por planta (NVP), o número de vagens por metro quadrado (NVPM2), o comprimento de vagem (COMPV), o peso de vagens (PV), a produtividade de grãos secos (PROD) e a eficiência de uso da água (EUA). O componente NVP atingiu um valor máximo de 6,4 vagens planta-1, obtido com a aplicação de uma lâmina de 288,7 mm associada a uma densidade de
    12 plantas m-2. O valor máximo de NVPM2 foi de 101,4 vagens m-2, alcançado com uma lâmina de 288,7 mm em conjunto com uma densidade de 19,4 plantas ha-1. O COMPV máximo foi de 20,5 cm, atingido com uma lâmina de 288,7 mm e a densidade de 12 plantas ha-1. O maior PV foi de 939,9 g área útil-1, obtido com a lâmina de 288,7 mm associada a densidade de 18,8 plantas ha-1. A máxima PROD alcançada foi de 1.694,46 kg ha-1, com a aplicação da lâmina de 288,7 mm e a densidade de 20,4 plantas ha-1. E o maior valor de EUA foi de
    5,8 kg ha-1 mm-1, que foi obtido com a lâmina de 288,7 mm e a densidades de 19,5 plantas ha-1.

     

     

     

     


  • LUCIANA ANDREA DA COSTA SOARES
  • AVALIAÇÃO ON FARM E AGRONÔMICA DE GERMOPLASMA CRIOULO DE FEIJÃO-FAVA
  • Orientador : REGINA LUCIA FERREIRA GOMES
  • Data: 30/04/2018
  • Mostrar Resumo
  •  

    A conservação da biodiversidade agrícola tem sido referida e estudada como parte de estratégias orientadas para a conservação in situ da diversidade agrícola. Essa conservação é fundamentada pelo papel chave da manutenção de sementes, diretamente refletido na segurança alimentar. Amplamente cultivada na região tropical, o feijão–fava (Phaseolus lunatus L.) é a segunda leguminosa de maior importância do gênero Phaseolus. No Brasil embora assuma a relativa importância econômica e social em alguns estados, os fatores que afetam a conservação e a caracterização agronômica do material mantido pelos agricultores tradicionais ainda é pouco estudado. Neste contexto foi desenvolvido um estudo sobre a conservação e fatores de produção do germoplasma crioulo de feijão–fava mantido on farm pelos agricultores tradicionais no estado do Maranhão, Piauí e Ceará. O objetivo foi documentar práticas usadas no manejo e conhecimento tradicional associado a cultura e realizar uma avaliação agronômica do germoplasma de feijão–fava oriundo dessas localidades. O estudo abrangeu três municípios (São Domingos do Maranhão, Várzea Grande e Tianguá), nas quais foram realizadas entrevistas semi-estruturadas diretamente com 19 agricultores. Para o experimento de avaliação agronômica, o mesmo foi instalado em Tianguá – CE. O delineamento utilizado foi o de blocos casualizados, com 4 repetições, em que foram avaliadas sete variedades de feijão-fava (Fava moita – UFPI 990; Fígado de galinha – UFPI 979; Fava branca – UFPI 1112; Fava branca – UFPI 1110; Fava pretinha – UFPI 987; Olho de ovelha – UFPI 994 e Olho de ovelha UFPI 946) coletadas nas visitas dos municípios envolvidos na pesquisa de conservação on farm. Os resultados indicam que os agricultores que plantam tradicionalmente a cultura do feijão-fava, apresenta baixo nível de escolaridade; os agricultores do município  de São Domingos do Maranhão (MA), são os que mais exploram a cultura de forma comercial; os agricultores do município de Tianguá (CE) são os que possuem a mais ampla diversidade de feijão-fava; para o experimento de avaliação agronômica, os resultados mostram que Todas as variedades, exceto a variedade Fava moita, apresentaram produtividade acima de 1000 Kg ha-1. A análise de UPGMA possibilitou a formação de três grupos. O método de Singh indicou que o peso de cem sementes o comprimento da vagem e espessura da vagem foram os que mais contribuíram para a diversidade total entre as variedades avaliadas. 


  • CARLOS DIÊGO ANDRADE DE SOUSA
  • EFETIVIDADE SIMBIÓTICA E CONTRIBUIÇÃO NA FIXAÇÃO BIOLÓGICA DO NITROGÊNIO DE RIZÓBIOS AUTÓCTONES ISOLADOS DE NÓDULOS DE FEIJÃO-FAVA
  • Orientador : ARTENISA CERQUEIRA RODRIGUES
  • Data: 20/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • Os rizóbios realizam a fixação biológica do nitrogênio (FBN) em nódulos formados nas raízes das leguminosas como o feijão-fava (Phaseolus lunatus). Além da FBN, os nódulos são sítios de processos bioquímicos que podem levar a formação de espécies reativas de oxigênio que, em excesso, podem reduzir a eficiência da simbiose rizóbio-leguminosa. Neste contexto, o presente estudo objetivou avaliar o efeito da inoculação de diferentes isolados de rizóbios em plantas de feijão-fava, buscando identificar o par simbiótico mais eficiente em realizar a FBN, nas trocas gasosas, na concentração de pigmentos fotossintéticos, na concentração de solutos orgânicos e, metabolismo antioxidativo. O experimento foi conduzido em casa de vegetação com delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial 7x2x2 +2 (sete isolados de rizóbio; duas variedades crioulas de feijão-fava; dois pontos de coleta; e duas testemunhas [nitrogenada e absoluta]) com três repetições. Observou-se incrementos significativos nas variáveis analisadas quando as plantas foram inoculadas com os isolados nativos em relação às testemunhas. Plantas de feijão-fava var. crioula Boca de Moça e Branca inoculadas com ISOL-56 e ISOL-57, respectivamente, apresentaram maiores teores de clorofila. O nitrogênio total foi superior nas plantas de feijão-fava inoculadas com os isolados ISOL-59 e ISOL-56 no ponto de florescimento e enchimento de grãos, respectivamente. A concentração de amônia livre foi maior no ponto de enchimento de grãos, principalmente quando as plantas foram inoculadas com isolado ISOL-01 ou ISOL-57. As plantas de feijão-fava inoculadas com o isolado ISOL-59 apresentaram maiores teores de leghemoglobina em relação aos demais tratamentos. O nível de peróxido de hidrogênio nos nódulos das plantas inoculadas com rizóbios foi superior no ponto de enchimento de grãos em relação ao ponto de florescimento. A atividade das enzimas peroxidase de fenóis e superóxido dismutase foi maior nas plantas de feijão-fava inoculadas com isolado ISOL-20 e ISOL-40 no ponto florescimento, enquanto que a atividade da catalase foi aumentada nas plantas de feijão-fava inoculadas com os isolados ISOL-01, ISOL-20 e ISOL-57. Os isolados de rizóbios nativos foram eficientes em formar nódulos radiculares ativos e realizar a FBN. Além disso, contribuíram para a manutenção metabólica das plantas de feijão-fava.

  • GILSON LAGES FORTES PORTELA
  • INDUTORES DE RESISTÊNCIA AO PULGÃO APHIS CRACCIVORA KOCH, 1854 EM FEIJÃO CAUPI (VIGNA UNGUICULATA (L.) WALP. E FAVA PHASEOLUS LUNATUS
  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 28/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • A indução de resistência consiste na ativação dos mecanismos naturais de defesas das plantas. O pulgão Aphis craccivora Koch, 1854 destaca-se entre os insetos considerados pragas do feijão caupi Vigna unguiculata e do feijão fava Phaseolus lunatus. Objetivou-se neste estudo avaliar os efeitos da aplicação de silício na indução de resistência de plantas de feijão caupi e feijão fava ao pulgão A. craccivora, bem como avaliar também o efeito do Acibenzolar-S-metil (ASM) como indutor de resistência em feijão caupi em relação ao ataque do pulgão preto A. craccivora. O experimento foi conduzido no Laboratório de Entomologia do Setor de Fitossanidade do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Piauí (UFPI). Os efeitos da aplicação do silício sobre os aspectos biológicos foram avaliados utilizando um Delineamento Inteiramente Casualizado, com quatro tratamentos e quarenta repetições para feijão caupi, sendo: T1 – Silício aplicado no solo, T2 – silício aplicado no solo + foliar, T3 – silício foliar e T4 – testemunha. Para feijão fava foram utilizadas trinta repetições, sendo: T1 – Testemunha, T2 - Silício aplicado no solo, T3 – silício aplicado no solo + foliar, T4 – silício foliar. O Ácido silício foi aplicado em uma solução a 1% ao redor do caule das plantas (solo), quinze dias após a emergência, diluindo-se 2,0 g do produto em 200 mL de água. Já a aplicação foliar foi realizada com pulverizador de 2L cinco dias após a aplicação em solo. Foram avaliadas as variáveis biológicas: período de uma geração, período reprodutivo, a fecundidade e a média diária de ninfas por fêmea. Foram avaliados também os teores de silício e de lignina nas plantas. A não preferência de A. craccivora em feijão também foi realizada após 24h, 48h e 72h da infestação pela contagem de ninfas às 24h, 48h e 72h e de adultos em cada secção foliar. Em feijão fava as avaliações foram realizadas após 48h e 72h da infestação pela contagem de ninfas às 48h e 72h e de adultos em cada secção foliar. Já os efeitos da aplicação do ASM sobre os aspectos biológicos foram avaliados utilizando um Delineamento Inteiramente Casualizado, com quatro tratamentos e trinta repetições, sendo: T1 – 0,10g L-1; T2 - 0,20g L-1; T3 – 0,30g L-1 e T4 – Testemunha. O acibenzolar-S-metil foi aplicado pulverizando-se 10 mL de solução por planta, quinze dias após a emergência. A não preferência de A. craccivora em feijão também foi realizada após 24h, 48h e 72h da infestação pela contagem de ninfas às 24h, 48h e 72h e de adultos em cada secção foliar. A aplicação de silício promove a redução da produção de ninfas, interferindo nos aspectos biológicos de A. craccivora, tem potencial para ser utilizado num programa de manejo de pragas do feijão caupi e de feijão fava e que o acibenzolar-S-metil induziu mecanismo de não-preferência a A. craccivora  em feijão caupi.

  • JOSE EDMIR GIRÃO FILHO
  • EXIGÊNCIAS TÉRMICAS E TABELAS DE ESPERANÇA DE VIDA E FERTILIDADE DO PULGÃO PRETO DO CAUPI
  • Orientador : LUIZ EVALDO DE MOURA PADUA
  • Data: 28/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • O feijão caupi é uma cultura de importância socioeconômica para o Brasil, sobretudo para a região Norte e Nordeste. Por apresentar ciclo curto, rusticidade e adaptabilidade, vem se expandindo para outras regiões do país, onde está sendo cultivada em larga escala. Um dos principais insetos associados a esta cultura é o pulgão preto, Aphis craccivora, que além de causar danos diretos, pela sucção da seiva elaborada, causa danos indiretos pela transmissão de vírus às plantas. Objetivou-se com esta pesquisa estudar a ecologia do pulgão preto do feijão caupi por meio da elaboração de tabelas de esperança de vida e fertilidade, bem como conhecer suas exigências térmicas, visando a previsão de adultos no campo. Para tal, realizou-se experimentos em laboratório, em cinco temperaturas constantes e em condições “naturais”, durante os meses de novembro de 2016, março, abril e junho de 2017, no Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Piauí. Nestes experimentos observaram-se os períodos ninfais, estádio ninfal, período pré-reprodutivo, período reprodutivo e pós-reprodutivo, longevidade de adultos e a fertilidade. Com base nos parâmetros observados elaborou-se as tabelas de esperança de vida e fertilidade bem como calculou-se as exigências térmicas deste inseto. Observou-se que em condições de temperaturas constantes o aumento da temperatura influenciou todos os estádio de desenvolvimento do inseto, bem como o período pré-reprodutivo, pós-reprodutivo e número total de ninfas por fêmea. A temperatura base de desenvolvimento foi de 9,13 °C e a constante térmica (K) de desenvolvimento, 99,0 GD (graus-dia).  A maior taxa líquida de reprodução (Ro) foi a 25 °C. A 28 °C observou-se a maior capacidade de aumentar em número (rm), bem como a maior razão finita de aumento (λ) e menor tempo para duplicar em número (TD). Pode-se considerar a faixa ótima de desenvolvimento de A. craccivora em feijão caupi de 22 a 28 °C. Temperaturas abaixo de 18 e acima de 31°C prejudicam a fertilidade e sobrevivência do pulgão preto do caupi. Em condições não controladas, observou-se que a época do ano afetou significativamente o primeiro e o segundo estádio de desenvolvimento do pulgão preto do caupi, bem como o período ninfal, período reprodutivo, a longevidade, ciclo biológico, o número de ninfas produzidas por fêmea e a produção diária de ninfas por fêmea, bem como a esperança de vida (ex) e sobrevivência (Lx). No entanto, para as tabelas de vida de fertilidade, só houve diferenças estatísticas para a taxa líquida de reprodução (Ro). O modelo Graus-dia proposto para a previsão de adultos obteve uma acurácia de um dia para mais ou para menos, com erro máximo de 12,9%. Concluiu-se que o modelo proposto é adequado para prevê a ocorrência de adultos no campo e que os parâmetros populacionais de A. craccivora em feijão caupi são afetados negativamente durante o mês de novembro e positivamente em junho.

  • MARINETE MARTINS DE SOUSA MONTEIRO
  • DESEMPENHO PRODUTIVO E FISIOLÓGICO DE FEIJÃO-CAUPI SOB DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTAS E REGIMES HÍDRICOS EM SISTEMAS DE PLANTIO CONVENCIONAL E DIRETO
  • Data: 27/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • O feijão-caupi tem sido cultivado de forma rudimentar nas principais regiões produtoras do Brasil, ocasionando baixas produtividades de grãos, em comparação ao potencial da cultura. A utilização de tecnologias como regimes hídricos, densidade de plantas e manejo adequado do solo são alternativas para aumentar os rendimentos dessa cultura. Objetivou-se avaliar os efeitos de regimes hídricos e densidades de plantas sobre os componentes de produção, produtividade de grãos, índice de área foliar e as trocas gasosas de uma variedade de feijão-caupi de porte ereto, BRS Itaim, em sistemas de cultivo convencional e direto. O experimento foi conduzido na Embrapa Meio Norte, Teresina-PI, de junho a agosto de 2016. O solo é um Argissolo Vermelho-Amarelo de textura média. Utilizou-se delineamento em blocos casualizados, em parcelas subdivididas, com quatro repetições. Os tratamentos foram cinco regimes hídricos nas parcelas (157,00 mm; 189,00 mm; 234,00 mm; 274,00 mm; 320,00 mm) e cinco densidades de plantas como subparcelas (12; 16; 20; 24 e 28 plantas m-2). As variáveis analisadas foram: número de vagens por planta, número de vagens por área, número de grãos por vagem, comprimento de vagens, produtividade de grãos, eficiência do uso da água e as trocas gasosas. No plantio convencional, a máxima produtividade de grãos (1.166,36 kg ha-1) foi obtida com uma lâmina de 320 mm associada à densidade de 28 plantas m-2. No plantio direto, a máxima produtividade de grãos (1.610, 99 kg ha-1) foi obtida com a lâmina de 270 mm associada à densidade de 28 plantas m-2. A fotossíntese, condutância estomática e transpiração são afetadas significativamente pelos regimes hídricos, reduzindo seus valores sob déficit hídrico.

  • NADJA NARA PEREIRA DA SILVA
  • UTILIZAÇÃO DE PARASITOIDES DE OVOS VISANDO O CONTROLE DE DIATRAEA SACCHARALIS E RUPELA ALBINELLA (LEPIDOPTERA: CRAMBIDAE) EM CULTURA DE ARROZ
  • Orientador : LUCIA DA SILVA FONTES
  • Data: 23/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • As brocas-do-colmo, Diatraea saccharalis (Fabricius) e Rupela albinella Cramer (Lepidoptera, Crambidae) são potenciais ameaças para a produtividade do arroz no Brasil. Desta forma, objetivou-se identificar as espécies de parasitoides de ovos que atuam como agentes de controle biológico das brocas-do-colmo em arroz, determinar a porcentagem de parasitismo e caracterizar taxonomicamente as espécies encontradas, bem como, avaliar aspectos biológicos de parasitoides de ovos no hospedeiro natural, D. saccharalis e no hospedeiro alternativo, Anagasta kuehniella Zeller (Lepidoptera: Pyralidae). Para a obtenção dos parasitoides de ovos, foram realizadas coletas de posturas das brocas-do-colmo em cultivos de arroz nos estados do Piauí, Maranhão e Goiás, por meio de inspeção visual das plantas. Além disso, foram instaladas armadilhas com ovos desses lepidópteros em área experimental da Embrapa Meio-Norte, em Teresina, Piauí. Os espécimes obtidos foram identificados e as espécies caracterizadas taxonomicamente, bem como, realizada a descrição de duas novas espécies. Os bioensaios foram realizados separadamente para cada hospedeiro, onde foram oferecidos vinte ovos de A. kuehniella e de D. saccharalis para cada fêmea do parasitoide, durante 24h. Foram identificadas quatro espécies de parasitoides de ovos em R. albinella, duas pertencentes a família Trichogrammatidae: Trichogramma pretiosum Riley e Trichogramma lasallei Pinto; e duas novas espécies pertencentes a família Platygastridae: Telenomus sp. nov. 1 e Telenomus sp. nov. 2. Em D. saccharalis, foram obtidas três espécies de Trichogramma: T. pretiosum, T. galloi Zucchi e T. atopovirilia Oatman & Platner. Telenomus sp. nov. 1 e T. galloi apresentaram uma maior taxa de parasitismo natural em ovos de R. albinella e D. Saccharalis, respectivamente. Em relação aos aspectos biológicos, todas as espécies de Trichogramma aceitaram os ovos dos hospedeiros natural e alternativo, no entanto, T. galloi apresentou maior aptidão em parasitar ambos hospedeiros. O período médio de desenvolvimento ovo-adulto de T. pretiosum, T. galloi e T. atopovirilia em hospedeiro alternativo foram 9,18 ± 0,10, 9,60 ± 0,11 e 9,33 ± 0,14 dias, respectivamente, e, em hospedeiro natural, 10,81 ± 0,12, 10,50 ± 0,22 e 11,23 ± 0,20 dias, respectivamente. A porcentagem de emergência das espécies de Trichogramma foi acima de 90% para A. kuehniella e de 70% para D. saccharalis. O número de indivíduos emergidos por ovo variou entre 1,00 ± 0,01 a 1,03 ± 0,01 em hospedeiro alternativo e de 1,74 ± 0,26 a 1,90 ± 0,14 em hospedeiro natural. Em todas as espécies de Trichogramma, foi observado uma proporção maior de fêmeas, em ambos hospedeiros. A longevidade das fêmeas de T. pretiosum, T. galloi e T. atopovirilia em A. kuehniella foi de 6,56 ± 0,39, 6,50 ± 0,31 e 6,83 ± 0,45 dias, respectivamente, e em D. saccharalis de 7,15 ± 0,60, 7,18 ± 0,55 e 7,00 ± 0,58 dias, respectivamente. Os resultados obtidos sobre distribuição geográfica, associações hospedeiras, caraterização taxonômica, bem como, dos aspectos biológicos destes parasitoides de ovos, fornecem subsídios para o uso destas espécies em programas de controle biológico em cultivos de arroz onde as brocas-do-colmo venham a ser praga-alvo.

2017
Descrição
  • HERBERT MORAES MOREIRA RAMOS
  • FUNÇÕES DE PEDOTRANSFERÊNCIA PARA ESTIMATIVA DA DENSIDADE E ATRIBUTOS FÍSICO-HÍDRICOS DE SOLOS DO ESTADO DO PIAUÍ
  • Orientador : GUSTAVO SOUZA VALLADARES
  • Data: 20/12/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Conduziu-se esse trabalho com o objetivo de verificar se modelos de função de pedotransferência, baseados em atributos do solo, facilmente obtidos, são alternativas às medições laboriosas dos atributos físico-hídricos (densidade do solo, capacidade de campo, ponto de murcha permanente e água disponível), para solos do Estado do Piauí e classificar perfis de solo quanto a capacidade de aeração e de hidratação. Amostras de solo foram coletadas em quarenta e dois perfis de solo no Estado do Piauí. Em cada solo foram coletadas amostras, nas profundidades de: 0 a 20; 20 a 40; e 40 a 60 cm, em minitrincheiras. Os atributos físicos determinados foram: análise granulométrica, densidade do solo, densidade de partícula e porosidade total. Os atributos químicos foram: os teores de carbono orgânico total, fósforo, cálcio, magnésio, sódio, potássio, alumínio, acidez potencial, nitrogênio, soma de bases, CTC efetiva, CTC a pH 7,0, CTC da argila e saturação por bases. Foram determinados ainda, a capacidade de campo, ponto de murcha permanente e a água disponível. A classificação dos perfis foi realizada acordo com o Sistema de Classificação Físico-Hídrico de Solos no Estado do Piauí. As classes de solos selecionados para esse trabalho foram: Latossolo Amarelo, Latossolo Vermelho-Amarelo, Argissolo Vermelho-Amarelo, Argissolo Amarelo, Plintossolo Argilúvico, Plintossolo Háplico, Cambissolos Háplico, Chernossolo Háplico, Planossolo Nátrico e Neossolo Quartzarênico. Para se obter as funções de pedotransferência utilizou-se análise de regressão linear múltipla. Um procedimento “forward stepwise” foi utilizado para análise exploratória na seleção de variáveis preditoras. Foram elaboradas funções de pedotransferência para todas as classes de solo determinadas e agrupado todos os dados. Foram gerados dois modelos de função de pedotransferência: 1) incluindo todos os dados dos atributos determinados e 2) apenas a análise granulométrica e carbono orgânico total. A densidade do solo variou entre 1,1 e 1,9 Mg m-3 com média de 1,4 Mg m-3, a capacidade de campo variou entre 0,18 e 0,58 (cm3 cm-3), o ponto de murcha permanente variou entre 0,06 e 0,42 (cm3 cm-3) e a água disponível variou entre 0,05 e 0,29 (cm3 cm-3). Os atributos físico-hídricos podem serem estimados com razoável precisão, a partir dos atributos físicos e químicos dos solos de fácil mensuração em solos no Estado do Piauí. O Sistema de Classificação Físico-Hídrica de Solos pode ser utilizado como ferramenta de manejo dos solos ou na avaliação de aptidão agrícola das terras ou no dimensionamento dos projetos de irrigação em solos no Estado do Piauí.

  • JOÃO RODRIGUES DA CUNHA
  • ATRIBUTOS BIOLÓGICOS E EMISSÃO DE ÓXIDO NITROSO EM LATOSSOLO AMARELO SOB SISTEMAS DE MANEJO
  • Data: 15/09/2017
  • Mostrar Resumo
  • O cerrado brasileiro foi inserido nas últimas décadas no cenário mundial de produção de grãos, carne bovina e fibras, fato que intensificam as transformações das áreas nativas em lavouras e pastagens, provocando a degradação do solo quando manejadas inadequadamente. Este trabalho tem como objetivos avaliar os efeitos de diferentes sistemas de manejo do solo, sobre carbono orgânico total (COT) e nitrogênio total (NT) os atributos microbiológicos (carbono da biomassa microbiana (Cmic); respiração microbiana (Rm); quociente microbiano (qMic), quociente metabolic (qCO2) e atividade enzimática), a macrofauna edáfica invertebrada e emissão de óxido nitroso em um Latossolo Amarelo do cerrado piauiense. O trabalho foi desenvolvido na Fazenda Chapada Grande em Regeneração-PI, onde foram selecionados quatros sistemas de manejo do solo: Plantio direto (PD); Pastagem (PAS); Cultivo exclusivo de eucalipto (CEE) e Integração Pecuária-floresta (IPF), além de uma área de cerrado nativo (CN) como referência. Foram realizadas duas amostragens de solo na profundidade de 0-10 cm, para a determinação do COT, NT, Cmic e Rm, qMic, qCO2 e a atividade das enzimas FDA; fosfatase ácida, β-glucosidase e Urease. Para avaliação da macrofauna edáfica, realizou-se uma coleta dos organismos em fevereiro de 2017, por meio de armadilhas do tipo “Pitfall”. Após a identificação dos organismos calculou-se do número de indivíduos armadilha-1 dia-1; os índices ecológicos de riqueza total; Shannon-Weaner e equitabilidade de Pielou e os organismos também foram divididos em grupos funcionais. A coleta de gases foi realizada por meio de câmaras estáticas, instaladas nos sistemas de manejo cultivo exclusivo de eucalipto e integração pecuária-floresta. As amostras foram analisadas por cromatografia gasosa. Para a realização das simulações foi utilizado o modelo computacional DNDC, no qual foram estimadas as emissões de N2O para o ano de 2016. Os teores de COT encontrados foram baixos em todos os sistemas estudados, sendo que o CEE e o IPF apresentaram os maiores valores, período seco e a PAS no período chuvoso. O Cmic e o qMic, foram maiores no CN, no período seco, e no CN e no CEE no período chuvoso. A atividade da biomassa microbiana, (Rm e qCO2), variou em relação aos diferentes sistemas de uso da terra nos períodos seco e chuvoso. Com relação a atividade enzimática, constatou-se variações em função do uso e manejo da terra nos dois períodos avaliados. Os sistemas de manejo IPF e CEE proporciona aumento nos teores de COT e favorece a biomassa microbiana. Os sistemas de manejo do solo IPF e Pastagem favorecem a atividade das enzimas FDA, β-glucosidase e Urease. As emissões ocorridas no IPF foram maiores em relação aos observados no CEE, o pode ser atribuído aos efeitos da compactação do solo. Os sistemas de manejos Pastagem, CEE e IPF favorece a macrofauna edáfica, promovendo aumento na riqueza de grupos e nos índices ecológicos de Shannon e Pielou. A fauna edáfica é substancialmente alterada no sistema PD, com reduções drásticas na densidade e a diversidade dos organismos edáficos. O Cerrado e CEE proporcionam condições ambientais favoráveis a um maior número de grupos da fauna edáfica. As emissões de N2O nos dois sistemas avaliados estão associadas principalmente a eventos pluviométricos. O sistema IPF menos eficiente em relação ao cultivo de eucalipto na mitigação de gases do efeito estufa como N2O.

  • JOSÉ EDVALDO AMORIM FRANCO
  • PRODUÇÃO E QUALIDADE DE FRUTOS DE MELANCIA EM SOLO SOB APLICAÇÃO DE LITHOTHAMNIUM E COBERTURA MORTA
  • Orientador : CARLOS JOSE GONCALVES DE SOUZA LIMA
  • Data: 25/08/2017
  • Mostrar Resumo
  • O estudo científico sobre interação de práticas como o uso de fertilizantes orgânicos, como o lithothamnium e o uso de cobertura morta no solo poderão contribuir para elevação da produção e a qualidade de frutos de melancia (Citrulus lanatus, Thunb).  Com o objetivo de avaliar a produção e a qualidade de melancia, híbrido Manchester, cultivada com o uso de algas calcáreas do gênero lithothamnium e de cobertura morta no solo, conduziu-se um experimento, no período de agosto a outubro de 2016, no Centro de Ciências Agrárias, da Universidade Federal do Piauí, Teresina-PI. Utilizou-se o delineamento em blocos ao acaso (DBC), com quatro repetições, em esquema fatorial 5x2, correspondendo a cinco níveis de lithothamnium (0; 25; 50; 75 e 100 g planta-1) e dois níveis de cobertura morta no solo (com e sem cobertura morta), utilizando-se cascas de arroz. Avaliaram-se as seguintes características: massa de fruto, diâmetro transversal, diâmetro longitudinal, massa de casca, massa de polpa, rendimento de polpa, espessura de casca, sólidos solúveis, diâmetro de caule, número de frutos comerciais por planta, produtividade e teor de macronutrientes na matéria seca da parte aérea, procedendo-se a análise de correlação entre elas, bem como a análise de tecidos da parte aérea das plantas.  As variáveis massa de frutos, massa de polpa, diâmetro do caule e sólidos solúveis, foram afetadas pelas doses de lithothamnium. A cobertura morta no solo afetou o teor de sólidos solúveis nos frutos. Observou-se correlação positiva entre todas as variáveis, exceto entre espessura de casca e diâmetro do caule. As doses de lithothamnium influenciaram o teor de N, P e K na matéria seca da parte aérea. O lithothamnium proporcionou incremento nas variáveis analisadas, podendo ser utilizado em melancia para melhorar tanto o crescimento da planta como a qualidade dos frutos.

  • DALYA KETTY BARROS
  • EROSIVIDADE DAS CHUVAS NO MUNICÍPIO DE PICOS, PI
  • Orientador : LUIS ALFREDO PINHEIRO LEAL NUNES
  • Data: 07/08/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • As características físicas das chuvas determinam sua erosividade - a capacidade potencial da mesma em causar erosão hídrica no solo. O conhecimento deste fator possibilitará auxiliar no planejamento do uso e manejo do solo, tanto em áreas urbanas como em áreas rurais. O índice de erosividade das chuvas (EI30) é obtido pela multiplicação da energia cinética total da chuva e sua intensidade máxima em 30 minutos. Este trabalho tem como objetivo caracterizar as chuvas naturais do município de Picos, PI, durante um período de 2006 a 2016, determinar a erosividade, ou seja, o fator R da Equação Universal de Perda de Solos (EUPS), o padrão e o período de retorno. Foram utilizados os registros pluviográficos diários, os quais foram agrupados em anos e meses. Foram avaliadas 442 chuvas, registradas em pluviogramas diários. Os registros de chuva nos pluviogramas foram contados considerando os segmentos de intensidade uniforme. Os dados de cada segmento de chuvas individuais e erosivas foram anotados em planilha do Excel e processado pelo programa Chuveros, o qual calcula o índice EI30 e os totais mensais e anuais da precipitação, determina os padrões hidrológicos das chuvas. A erosividade variou de zero, nos meses em que não ocorreram chuvas erosivas a 2.624,4 MJ mm ha-1 h-1, no mês de janeiro de 2016. Os maiores valores de erosividade média mensal obtidos foram 851,97 e 766,64 MJ mm ha-1 h-1 nos meses de janeiro e março, respectivamente, representando 46,78% da erosividade média anual. Os valores da erosividade anual variaram de 1.628,3 MJ mm ha-1ano-1 no ano de 2006 a 6.536,60 MJ mm ha-1ano-1 no ano de 2012. A erosividade média anual (R) variou de 3.459,97 ± 1.755,21 MJ mm ha-1ano-1 e o coeficiente de variação foi de 0,51, caracterizada como de médio potencial erosivo. O período de retorno do EI30 em Picos, PI para um período de 08 (oito) anos está associado a 12,5% de probabilidade enquanto que o período de retorno de um ano está associado a 87,5% de probabilidade de ocorrência; o padrão avançado foi o de maior ocorrência com 58% das chuvas erosivas, seguido pelo intermediário com 24,44% e o atrasado com 17,56%.

  • LAYDSON MOURA FERNANDES AMORIM
  • PRODUÇÃO E NUTRIÇÃO DE Vigna unguiculata SOB APLICAÇÃO DE RESÍDUO LIQUIDO DA SUINOCULTURA
  • Orientador : CARLOS JOSE GONCALVES DE SOUZA LIMA
  • Data: 30/06/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A baixa produtividade da cultura do feijão-caupi nas regiões Norte e Nordeste do Brasil, gera uma necessidade do desenvolvimento de tecnologias que proporcionam uma elevação na produção destas regiões. Com a possibilidade da utilização do resíduo da suinocultura na agricultura, pois quando manejados corretamente podem ser utilizados como fornecedores de nutrientes para as plantas. Objetivou-se avaliar a nutrição e os componentes de produção do feijão-caupi quando submetidos a doses de resíduo liquido da suinocultura. O delineamento experimental adotado foi o de blocos casualizados, com quatro repetições, constituído de cinco doses de resíduo liquido da suinocultura (0, 25, 50, 75, 100 m3 ha-1). Foram avaliados os componentes comprimento de vagem, número de vagens por planta, índice de grão por vagem, massa de cem grãos, massa de vagem por planta, massa de grão por planta, produtividade de vagens e grãos verdes, área foliar, taxa de crescimento absoluto e taxa de crescimento relativo. Para avaliação nutricional foi feito a análise do teor foliar dos macros e micros nutrientes e análise do teor de metais pesados nos grãos. A aplicação de resíduo liquido da suinocultura proporcionou um incremento na produção, sendo a dose que atingiu a maior produtividade foi de 100 m3 ha-1 e o RLS atendeu as necessidades nutricionais da cultura do feijão-caupi.

  • FÁBIO NUNES DO NASCIMENTO
  • RENDIMENTO E QUALIDADE DA CANA-DE-AÇÚCAR SOB DOSES DE N E K2O VIA SOLO E FERTIRRIGAÇÃO POR GOTEJAMENTO SUBSUPERFICIAL
  • Data: 31/05/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A cana-de-açúcar, Saccharum officinarum (L.), é uma gramínea que possui em seu contexto histórico uma grande importância mundial devido sua utilização para a produção do açúcar. Em um cenário atual, com a necessidade em se utilizar combustíveis menos agressivos ao meio ambiente, o etanol vem se destacando como um substituto direto para os combustíveis fósseis. A irrigação por gotejamento em cana-de-açúcar é uma revolução na tecnologia de produção dessa cultura. Pois além de aumentar a produtividade, eleva a longevidade do canavial. A fertirrigação com nitrogênio e potássio tem se tornado uma prática cada vez mais pertinente para suprir as condições hídricas e exigências nutricionais da cana-de-açúcar, substituindo nos últimos anos a forma tradicional de aplicação de fertilizantes nas culturas irrigadas. O objetivo desta pesquisa foi avaliar os rendimentos de colmo, açúcar e álcool e os parâmetros tecnológicos de qualidade, em resposta a níveis de N e K2O sob fertirrigação por gotejamento subsuperficial em ciclo de cana planta e comparar com adubação tradicional via solo de N e K2O. O experimento foi conduzido em uma área experimental da Embrapa MeioNorte e a cultivar utilizada foi a RB92579, recomendada para cultivo sob regime irrigado e com área de cultivo representativa na microrregião de Teresina-PI. Os tratamentos avaliados foram estabelecidos através de um conjunto de combinações de nitrogênio (N) e potássio (K) aplicados via fertirrigação e da forma tradicional via solo: N (60); N (80); N (120); N (160); N (180); K (60); K (80); K (120); K (160); K (180) kg ha-1 . Modelou-se o ensaio em um delineamento experimental, em blocos casualizados com quatro repetições. Na colheita avaliou-se produtividade de colmos (TCH, Mg ha-1 ), rendimento bruto de açúcar (RBAÇ, Mg h-1 ) e de álcool (RBA, m3 ha-1 ). Foram determinados os atributos tecnológicos (sólidos solúveis totais (Brix%), teor de fibra (%), teor de pureza (PZA%), percentagem de sacarose aparente no caldo POLcaldo (%) e percentagem de sacarose aparente na cana POLcana (%). Os dados de produtividade de colmo, açúcar e álcool e de qualidade tecnológica do caldo da cana-de-açúcar foram submetidos à análise de variância com uso do programa estatístico SAS (SAS INSTITUTE, 2016). A máxima produtividade de colmos estimada (217,5 Mg ha-1 ) é obtida com a aplicação de 180 kg ha-1 de N e 60 kg ha-1 de K2O. O rendimento de açúcar e álcool eleva-se com níveis de adubação nitrogenada acima de 120 kg ha-1 . Observou-se o melhor desempenho nas condições de realização deste experimento para as características tecnológicas de qualidade da cana-de-açúcar Brix, POLcaldo, POLcana, pureza e fibra com aplicação de 180 kg ha-1 de N e 60kg ha-1 de K2O.

  • MARCOS VINÍCIUS PEREIRA DA SILVA
  • DESEMPENHO AGRONÔMICO DO FEIJÃO-CAUPI, SOB DIFERENTES POPULAÇÕES DE PLANTAS, COM E SEM DEFICIÊNCIA HIDRÍCA, EM SISTEMA CONVENCIONAL E PLANTIO DIRETO
  • Data: 27/04/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O feijão-caupi é uma leguminosa de grande importância socioeconômica para as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Contudo, ainda carece de estudos que avaliem seu desempenho produtivo quando cultivado sob diferentes populações de plantas e regimes hídricos, notadamente, em sistema de cultivo plantio direto. O objetivo do trabalho foi avaliar a influência de diferentes densidades de plantas e regimes hídricos, em sistema de plantio convencional e plantio direto, e a interação destes dois fatores, sobre os componentes de produção, produtividade de grãos e eficiência do uso da água do feijão-caupi BRS Imponente. O experimento foi conduzido na área experimental da Embrapa Meio Norte, localizada no município de Teresina, Piauí, no período de outubro a dezembro de 2015, em um Argissolo Vermelho-Amarelo. Para a aplicação dos regimes hídricos utilizou-se um sistema de irrigação por aspersão convencional fixo, com espaçamento de 12 m x 12 m entre linhas laterais e aspersores. O monitoramento do teor de água no solo foi feito por meio de um equipamento TDR. Utilizou-se o delineamento experimental em blocos ao acaso, com os tratamentos dispostos em parcelas subdivididas e quatro repetições. Os regimes hídricos (RH) (50 e 100% da ETc) foram dispostos nas parcelas e as densidades de plantas (D) (12, 16 e 20 plantas m-²) nas subparcelas. Em ambos os sistemas de cultivo, houve interação significativa entre os regimes hídricos e densidades apenas para número de vagens por planta. As maiores produtividades de grãos (PG) e eficiência do uso da água (EUA) foram de 829,0 kg ha-1 e 0,25 kg m-3, respectivamente, alcançadas com aplicação de lâmina de 340 mm em sistema de plantio direto. O regime hídrico de 50% da ETc, em sistema de plantio direto, proporcionou EUA de 0,24 kg m-3 e PG de 636 kg ha-1 equivalente a 90% da PG alcançada no sistema de plantio convencional repondo-se 100% da ETc (irrigação plena).

  • WELDER JOSÉ DOS SANTOS SILVA
  • SELEÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA NOS ESTADOS DO MARANHÃO E PIAUÍ PELO MÉTODO GGE BIPLOT
  • Orientador : FRANCISCO DE ALCANTARA NETO
  • Data: 26/04/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Na região Nordeste, os estados da Bahia, Maranhão e Piauí tem se destacado na expansão das áreas de cultivo de soja. Essa crescente expansão se deve ao desenvolvimento de novas cultivares adaptadas às condições de baixa latitude, consolidando a soja no bioma Cerrado desses estados. Objetivando avaliar a adaptabilidade e estabilidade de 11 cultivares de soja (Sambaíba RR, BRS333 RR, BRS8990 RR, M8766 RR, ST820 RR, M9144 RR, BRS9090 RR, M9056 RR, M8867 RR, BRS271 RR e BRS279 RR) pelo método GGE biplot, foram conduzidos ensaios nos estados do Piauí (Uruçuí e Baixa Grande do Ribeiro) e Maranhão (Balsas, Chapadinha, São Raimundo das Mangabeiras e Tasso Fragoso), nas safras 2013/14 e 2014/15, respectivamente. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso com quatro repetições, e os tratamentos constituídos pelas cultivares em estudo. Procedeu as análises de adaptabilidade e estabilidade pelo método GGE biplot, sendo realizado a estratificação dos ambientes com as cultivares que alcançaram as maiores produtividades, sendo cada ambiente considerado como uma variável e cada grupo de ambientes correlacionados entre si como um fator. Conclui-se que, a cultivar de soja M8766RR apresenta adaptabilidade específica; As cultivares BRS271RR, BRS279RR e M8867RR apresentam instabilidade e não contribuem para formação do mega-ambientes. As cultivares M9144RR e BRS333RR apresentaram produtividades satisfatórias e comportamento mais estável dentre todas as cultivares avaliadas em todos os ambientes; A cultivar BRS333RR se destaca como a mais estável e com adaptabilidade ampla para o maior número de ambientes; O GGE biplot permitiu identificar três mega-ambientes; Os ambientes A1 (Tasso Fragoso safra 2013/2014) e A3 (Uruçuí safra 2013/2014) são mais discriminativos, enquanto que o ambiente A5 (Balsas safra 2013/2014) é mais representativo..

  • CARLOS HUMBERTO AIRES MATOS FILHO
  • DIVERSIDADE GENÉTICA E SELEÇÃO EM POPULAÇÕES DE CAJUEIRO COMUM
  • Orientador : REGINA LUCIA FERREIRA GOMES
  • Data: 26/04/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O cajueiro (Anacardium occidentale L.) é espécie adaptada e amplamente distribuída na região Nordeste do Brasil, que apresenta variabilidade genética nos plantios em regiões produtoras, deve ser descrita para fins de melhoramento. Assim, objetivou-se realizar a caracterização agromorfológica, estimar parâmetros genéticos e diversidade genética em populações de cajueiro comum em plantios comerciais no estado do Piauí, visando selecionar indivíduos com potencial para aproveitamento em programas de melhoramento. Na população do município de Ipiranga, existe variabilidade genética na população para os caracteres estudados, sendo os genótipos 28, 4 e 43 os mais divergentes. A acidez titulável apresenta importante contribuição na dispersão dos genótipos, destacando-se 4 e 10, 35 e 36 por apresentarem baixa e alta magnitude, respectivamente. A seleção de genótipos com caracteres desejáveis de fruto, pseudofruto, amêndoa e sólidos solúveis totais (ºBrix) pode ser eficiente, considerando a presença de variabilidade genética na população e o comportamento independente destes caracteres, com destaque para os indivíduos 17, 26, 28 e 37. Os genótipos 10 e 28 destacam-se quanto ao peso total e espessura do pseudofruto, enquanto 7 e 24 pela produção de castanha e amêndoa. Com dez repetições temos o número de medidas necessárias para estabilidade fenotípica dos caracteres agromorfológicos estudados. No estudo realizado nos municípios de Piracuruca, Barro Duro, Teresina e Ipiranga do Piauí, na predição dos valores genotípicos, utilizou-se a abordagem de modelos mistos. Verificou-se que existe variabilidade genética para os caracteres avaliados, nas populações dos quatro ambientes, o que é fundamental para a prática de seleção. A seleção de genótipos com teores satisfatórios da relação sólidos solúveis totais/acidez titulável e caracteres desejáveis do fruto, pseudofruto e amêndoa, é viável, podendo também ser realizada seleção indireta por meio de descritores de fácil mensuração para caracteres muito influenciados pelo ambiente. Os genótipos indicados para seleção com base nos caracteres agromorfológicos são 115, 110, 92, 108 e 103; para acidez titulável, o indivíduo 65; quanto aos sólidos solúveis totais, 35 e 124; e para relação sólidos solúveis totais/acidez titulável, o indivíduo 47.

  • EDGAR AUGUSTO DE SOUSA RIBEIRO
  • PRODUÇÃO DE MILHO-VERDE IRRIGADO POR GOTEJAMENTO EM TERESINA-PI
  • Orientador : FRANCISCO EDINALDO PINTO MOUSINHO
  • Data: 24/03/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com este trabalho, avaliar o desempenho produtivo, os parâmetros morfológicos e a viabilidade econômica do cultivo do milho-verde utilizando o sistema de irrigação por gotejamento com diferentes arranjos de plantio aliado à fertirrigação. O experimento foi conduzido no Colégio Técnico de Teresina – CTT/UFPI no período de novembro de 2015 a janeiro de 2016. O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados em esquema fatorial [(2 x 2 x 2) + 2], com quatro repetições. Os tratamentos constituíram-se de dois sistemas de irrigação, gotejamento superficial e subsuperficial; dois arranjos de plantio, fileira simples e dupla; duas formas de adubação, fertirrigação e adubação convencional. Além dos tratamentos convencionais, adotou-se também como forma de comparação ao sistema convencional de cultivo, duas testemunhas com sistema de irrigação por aspersão convencional, sendo uma com fileira simples e outra com fileira dupla de plantio utilizando-se a adubação convencional para ambas.  Houve diferenças significativas entre os sistemas de irrigação para os parâmetros altura de planta, altura de inserção da espiga e peso de espigas comerciais despalhadas onde o sistema de irrigação por gotejamento superficial apresentou melhores resultados. O arranjo em fileira simples apresentou valores superiores ao arranjo em fileira dupla em todas as variáveis estudadas. A utilização da fertirrigação apresentou melhores resultados quando comparado à adubação convencional para os parâmetros altura de planta, altura de inserção da espiga e peso de espigas comerciais despalhadas. O tratamento com sistema de irrigação por gotejamento superficial em arranjo fileira simples aliado a fertirrigação apresentou a maior receita liquida. Os tratamentos com arranjo em fileira simples apresentaram as maiores receitas liquidas.

  • JANAÍNA BARROS SIQUEIRA MENDES
  • TRICHODERMA INDUZ O CRESCIMENTO E A FIXAÇÃO SIMBIÓTICA DO NITROGÊNIO EM PLANTAS NODULADAS DE FEIJÃO-CAUPI
  • Orientador : ARTENISA CERQUEIRA RODRIGUES
  • Data: 17/03/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A coinoculação consiste em combinar diferentes microrganismos visando a obtenção de efeitos sinérgicos nos vegetais. A hipótese de que a aplicação de Trichoderma aumenta a fixação de nitrogênio (N) pelo Bradyrhizobium e, consequentemente, o desenvolvimento do feijão-caupi foi testada neste estudo. Portanto, objetivou-se avaliar a fixação simbiótica do N bem como o desenvolvimento do feijão-caupi coinoculado com Bradyrhizobium sp. (BR 3267) e Trichoderma. Sementes de feijão-caupi cv. Tumucumaque foram semeadas em vasos de Leonard contendo areia lavada e autoclavada e, simultaneamente, inoculadas com BR 3267 ou coinoculadas com BR 3267 e Trichoderma. Utilizou-se dez estirpes de Trichoderma das espécies T. asperelloides (UFPI-01, UFPI-02, UFPI-04, UFPI-74, UFPI-76 ou UFPI-96), T. asperellum (UFPI-77) e T. harzianum (UFPI-44, UFPI-78 ou UFPI-92). Plantas não inoculadas foram utilizadas como testemunha absoluta. Todas as plantas foram mantidas em casa de vegetação e irrigadas com solução nutritiva isenta de N até a coleta (aos 42 dias). Registrou-se que as dez estirpes de Trichoderma foram eficientes em solubilizar fosfato, produzir ácido indol-3-acético e liberar amilases e lipases no meio de cultura. O uso combinado de BR 3267 e UFPI-02, BR 3267 e UFPI-74, BR 3267 e UFPI-77 ou BR 3267 e UFPI-78 resultou em plantas de feijão-caupi com maior taxa de crescimento absoluto (TCA). As plantas coinoculadas com BR 3267 e UFPI-04, BR 3267 e UFPI-44 ou BR 3267 e UFPI-92 exibiram menor TCA e ausência de nódulos radiculares. Registrou-se maior número e massa seca de nódulos, N acumulado e teor de N nas plantas de feijão-caupi coinoculadas com BR 3267 e UFPI-02. A eficiência da fixação de N foi superior nas plantas coinoculadas com BR 3267 e UFPI-02, com BR 3267 e UFPI-76 ou com BR 3267 e UFPI-96. No geral, o feijão-caupi exibiu melhor desenvolvimento quando coinoculadas com BR 3267 e Trichoderma, principalmente com as estirpes UFPI-02 ou UFPI-78, indicando que houve sinergismo entre estes microrganismos. Os resultados são atribuídos à melhoria da fixação simbiótica do N na presença do Trichoderma que resultou em maior fornecimento de N e melhor desenvolvimento das plantas de feijão-caupi.

  • MAURÍCIO ALVES DE SOUSA
  • CONTROLE DO PULGÃO Aphis craccivora KOCH EM FEIJÃO-CAUPI COM ÓLEOS VEGETAIS FIXOS E ESSENCIAIS
  • Orientador : LUIZ EVALDO DE MOURA PADUA
  • Data: 22/02/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O pulgão preto do feijão-caupi (Aphis craccivora KHOC, 1854) está entre as pragas de maior importância para o cultivo desta leguminosa, atacando a partir do desenvolvimento do primeiro trifólio até a fase reprodutiva. É transmissor de várias espécies de vírus, favorece o desenvolvimento de fungos saprófitas e promovem encarquilhamento de folhas e brotos da planta interferindo na produtividade. Como alternativa de controle desta praga objetivou-se avaliar o potencial controlador dos óleos essenciais de três espécies de Verbenaceae (Lippia sidoides, L. lasiocalycina e L. origanoides), óleos fixos de soja e de fritura, emulsificados em Detergente Neutro (DTN) a 1% em diferentes concentrações: 2%; 1,5%; 1% e 0,5%. Em condições de laboratório, foram pulverizadas 0,2mL de cada solução e concentração sobre adultos de A. craccivora, em placas de petri (D=8,5cm) e posteriormente condicionados em B.O.D. Em campo foi pulverizado a concentração de 1% de cada óleo sobre os pulgões e envolvidos com tecido “Voil”. Em ambos os tratamentos foram feitas leituras após 24h da aplicação. Os experimentos foram realizado em Delineamento Inteiramente Casualizado com seis tratamentos e cinco repetições para ambos os bioensaios. Os dados foram analisados pelo Teste F e as médias comparadas pelo Teste Tukey (p<0,05). Foi calculada a regressão por meio do software estatístico Assistat e os gráficos pelo Excel. Para a obtenção da CL50 foi utilizado o programa StatPlus e a eficiência calculada através da fórmula de Abbott (1925). As concentrações Letais (CL50) obtidas foram: 0,0251; 0,0357; 0,0642; 0,1403 e 0,1686 para L. lasiocalycina, Óleo de fritura, L. origanoides, L. sidoides e Óleo vegetal respectivamente. Dos tratamentos e concentrações avaliadas, a exceção do DTN (1%), ambos os óleos podem ser utilizados para o controle de pulgão-preto no feijão-caupi e das concentrações testadas, o óleo essencial de L. lasiocalycina e o óleo fixo de fritura são os mais tóxicos para A. craccivora e todas mataram mais de 50% destes afídeos a partir de 0,5% de concentração.

  • RAYLSON RODRIGUES DE SOUSA
  • DENSIDADE POPULACIONAL E INOCULAÇÃO NA CULTIVAR DE FEIJÃO-CAUPI BRS IMPONENTE
  • Orientador : ANTONIO AECIO DE CARVALHO BEZERRA
  • Data: 20/02/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar caracteres de crescimento, morfofisiológicos e de produção da cultivar de feijão-caupi BRS Imponente de porte semiereto, submetidas a diferentes populações de plantas e fontes de nitrogênio. O experimento foi realizado sob irrigação no campo experimental da Embrapa Meio-Norte, em Teresina-PI, no período de junho a setembro de 2016. Utilizou-se o delineamento em blocos completos casualizados, em arranjo fatorial 5x4, com quatro repetições quando foram avaliadas cinco densidades populacionais (100, 200, 300, 400 e 500 mil plantas ha-1) e quatro fontes de nitrogênio (SEMIA 6462, SEMIA 6463, Uréia (20 kg ha-1) e testemunha]. Foram avaliados os caracteres de crescimento, morfofisiológicos e de produção. As populações de plantas e as fontes de nitrogênio influem conjuntamente apenas sobre a TAL e IAF30DAE e não interferem conjuntamente em nenhuma variável morfológica e produtiva avaliadas. Da cultivar BRS Imponente.. A TCR não é influenciada pela densidade de plantio e o aumento na população de plantas provoca uma redução linear na TCA e ER da cultivar BRS Imponente. A população de 300 mil plantas ha-1 proporcionou uma estabilidade no NRL, NVP e PGP após o decréscimo nas populações anteriores.

  • GLENDA FERNANDES SILVEIRA
  • ESPÉCIES DE BOTRYOSPHAERIACEAE ASSOCIADAS À MORTE DESCENDENTE EM JAMBEIRO
  • Orientador : JOSE EVANDO AGUIAR BESERRA JUNIOR
  • Data: 20/02/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O jambeiro é uma espécie lenhosa utilizada como frutífera ou planta ornamental, sendo cultivada principalmente nas regiões Norte e Nordeste do Brasil. Inúmeras doenças de plantas lenhosas estão associadas a fungos da família Botryosphaeriacae, as quais geralmente são incitadas por condições de estresse. Dentre essas doenças encontra-se a morte descendente, que se caracteriza por murcha de ramos terminais e laterais, declínio e posterior morte da árvore. Na cidade de Teresina-PI, elevada incidência da morte descendente vem sendo observada em jambeiros utilizados na ornamentação de ruas. Visando identificar o agente causal dessa doença, este estudo teve como objetivo identificar espécies de Botryosphaeriaceae associadas a morte descendente em jambeiro, utilizando características morfológicas e moleculares, e realizar teste de patogenicidade. Foram realizadas coletas nos municípios de Teresina (PI) e São Domingos do Azeitão (MA). Isolados monospóricos foram obtidos e armazenados, além de terem o DNA extraído e as regiões TEF-1α e ITS amplificadas por PCR e sequenciadas. Com base nos caracteres morfológicos e filogenéticos os isolados foram identificados como Lasiodiplodia theobromae e Pseudofusicoccum stromaticum, agrupando com isolados referência com probabilidade posterior Bayesiana de 0,63 e 1,0, respectivamente. Os isolados foram patogênicos ao jambeiro. Todas as plantas inoculadas apresentaram sintomas semelhantes àqueles observados em plantas naturalmente infectadas no campo. Os fungos foram reisolados de todas as plantas inoculadas, completando os Postulados de Koch. Este é o primeiro relato de L. theobromae e P. stromaticum infectando jambeiro no Brasil.

  • ANTONIO VIEIRA GOMES NETO
  • ASPECTOS BIOECOLÓGICOS DE ÁCAROS ASSOCIADOS A ACESSOS DE FEIJÃO-FAVA NO ESTADO DO PIAUÍ
  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 17/02/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os ácaros-pragas Tetranychus neocaledonicus André e Mononychellus planki McGregor (Acari: Tetranychidae) são comumente encontrados em várias leguminosas, especialmente no nordeste, esse é o primeiro registro desses espécies prejudicando feijão-fava. O objetivo desta pesquisa foi registrar a ocorrência de ácaros em plantas de feijão-fava e descrever o seu dano nesta Fabaceae, bem como determinar a biologia, tabela de vida de Tetranychus neocaledonicus em feijão-fava (Phaseolus lunatus) e identificar  nove genótipos de feijão-fava (P. lunatus) no Banco Ativo de Germoplasma da Universidade Federal do Piauí – BAGF/UFPI resistentes a Tetranychus neocaledonicus, André 1933 (Acari: Tetranychidae). As plantas de feijão-fava quando infestadas por estes ácaro, surgem inicialmente pequenas manchas esbranquiçadas espaçadas nos folíolos das folhas, que com o aumento da população desse ácaro evolui rapidamente para manchas cloróticas, seguidas por prateado, podendo secar e cair por causa de sua alimentação em excesso. A extensão do dano causado as plantas de feijão-fava  e a adaptabilidade do ácaro às condições de calor e seca indicam que T. neocaledonicus tem maior potencial como praga de feijão-fava do que M. planki no Nordeste do Brasil. Para determinação da tabela de vida, foi realizado experimento condições controladas a 25ºC ±1 e 75%±10 de UR, e fotófase de 12 horas. O experimento foi montado em delineamento inteiramente casualizado com um tratamento e 180 repetições.Os ovos usados nos experimentos foram oriundos de criação estoque. As avaliações foram realizadas duas vezes ao dia na fase imatura e apenas uma vez na fase adulta para a determinação dos parâmetros biológicos. O ciclo médio de vida das fêmeas foi de 11,94 dias e o dos machos, de 11,48 dias. A razão sexual foi 0,78 e a longevidade média das fêmeas e machos foram  de 44,30 e 48,30 dias, respectivamente.Nos parâmetros de tabela de vida foram obtidos: taxa intrínseca de crescimento (rm), 0,14 fêmea por fêmea por dia; duração média das gerações (T), 21,2 dias; taxa líquida de reprodução (Ro), 24,7 indivíduos;; razão finita de aumento (λ), 1,16 fêmea por fêmea; e tempo para duplicação da população (TD), 4,64 dias. O ácaro T. neocaledonicus desenvolve se bem e apresenta alto potencial reprodutivo sobre folhas de feijão-fava. Para determinação da resistência dos nove genótipos((UFPI-822-PI, UFPI-883-PI,  UFPI-887-PB, UFPI-888-MA, UFPI-908-MA, UFPI-909-PI, UFPI-915-PI, UFPI-891-PI, UFPI-971-PI), o experimento foi realizado condições controladas a 25ºC ±1 e 75%±10 de UR, e fotófase de 12 horas, em delineamento inteiramente casualizado com nove tratamento e 20 repetições, o genótipo UFPI-971 se mostrou menos preferido e menos susceptível  pelo T. neocaledonicus.

  • LUIZ CARLOS DE MELO JÚNIOR
  • RESISTÊNCIA DE DIFERENTES GENÓTIPOS DE FEIJÃO-FAVA AO PULGÃO PRETO (Aphis craccivora (Koch: 1854) Hemiptera: Aphididade)
  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 17/02/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O feijão-fava (Phaseolus lunatus) é uma leguminosa importante para agricultura brasileira, em especial no Nordeste. Entre as pragas que atacam a cultura destaca-se o pulgão-preto cujo controle com uso de agroquímicos é dificultado pela não existência produtos fitossanitários registrados para tal. A resistência de plantas é o método de controle ideal por sua ação é cumulativa aos demais métodos de controle. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de diferentes genótipos de feijão-fava (UFPI-882, UFPI-883, UFPI-887, UFPI-888, UFPI-891, UFPI-908, UFPI-909, e UFPI-915), procedentes do Banco Ativo de Germoplasma de Feijão-Fava da Universidade Federal do Piauí – BAGF/UFPI, sobre a biologia de Aphis craccivora e identificar possíveis fontes de resistência ao afídeo, em condições de laboratório. Foram instalados dois ensaios, sem chance de escolha (antibiose) e com chance de escolha (antixenose). Para testar os efeitos de antibiose discos foliares dos diferentes genótipos de feijão-fava foram infestados com duas ninfas, com 24 horas de idade e acompanhado todo o ciclo biológico. Os parâmetros avaliados para construção da tabela de vida calculados foram: Taxa Líquida de Reprodução (Ro); intervalo de Tempo entre cada geração (T); Inata capacidade de aumentar em número (rm); Razão finita de aumento (λ) e Tempo para a população duplicar (TD). As avaliações foram realizadas diariamente. Os testes de antixenose foram realizados em duas etapas. Inicialmente arenas foram preparadas com discos foliares dos 8 acessos, dispostos em círculos equidistantes ligados a um disco central onde foram liberados 40 pulgões adultos ápteros com uma hora de jejum. O número de inseto em cada tratamento, foi contabilizado aos 30 minutos, 1, 2, 3, 4, 5, 6 e 24 horas. O delineamento utilizado foi o inteiramente casualizado, com 8 tratamentos (genótipos) e 20 repetições. Na segunda etapa, foram realizados testes pareados (combinações dos genótipos 2 a 2), totalizando 28 testes com 5 repetições, onde no centro de cada arena foram liberados 10 adultos ápteros com uma hora de jejum. Não houve diferença significativa entre os genótipos para os testes de antibiose. Os parâmetros da tabela de vida calculados foram Ro=49,23; T=10,24; rm=0,38; (λ)=1,46 e TD=1,82. Os resultados dos testes de não preferência demonstraram que o genótipo UFPI-887 apresentou resistência do tipo antixenose quando comparado os genótipos UFPI-882 e o UFPI-881. Não houve correlação entre a densidade de tricomas nas folhas e a não preferência de A. craccivora por folhas de P. lunatus, sendo necessário mais estudos para indicar a causa da resistência.

  • MYNOR EFRAIN GARCÍA MUNGUÍA
  • SELEÇÃO DE ACESSOS DE FEIJÃO-FAVA RESISTENTES A MACROPHOMINA PHASEOLINA
  • Orientador : JOSE EVANDO AGUIAR BESERRA JUNIOR
  • Data: 16/02/2017
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A podridão cinzenta do caule, causada por Macrophomina phaseolina, é uma importante doença do feijão-fava (Phaseolus lunatus L.) no Nordeste brasileiro. Devido à dificuldade no controle, por tratar-se de um patógeno polífago e habitante do solo. A seleção de acessos de feijão-fava com resistência genética a M. phaseolina pode ser uma alternativa de manejo, tendo em consideração que atualmente não são conhecidos genótipos de feijão-fava resistentes a M. phaseolina. O objetivo deste trabalho foi avaliar a reação de resistência de acessos de feijão-fava a M. phaseolina, visando selecionar acesso(s) com potencial de utilização no manejo da podridão cinzenta do caule. Três experimentos foram desenvolvidos para selecionar acessos de feijão-fava com relativa resistência a M. phaseolina. No Experimento I foi avaliada a agressividade de sete isolados de M. phaseolina a um acesso susceptível de feijão-fava. No Experimento II, 37 acessos de feijão-fava foram avaliados quanto a resistência contra um isolado agressivo de M. phaseolina. O experimento foi conduzido em duas épocas do ano (fevereiro-março e julho-agosto de 2016). No Experimento III os acessos mais promissores e suscetíveis do experimento II, foram avaliados quanto a estabilidade da resistência quando inoculados com sete isolados do patógeno. Os resultados do Experimento I revelaram que seis isolados apresentam elevada agressividade, diferindo do isolado MPM143, menos agressivo (p<0,05). O isolado MPM144 foi utilizado como inoculo para o Experimento II. Houve diferenças na severidade dos acessos entre as épocas de realização do Experimento II (p<0,05). A interação época-acesso foi significativa (p<0,05). Treze acessos apresentaram os menores níveis de severidade (p<0,05) nas duas épocas, dentre eles UFPI 892, UFPI 908 e UFPI 905, que apresentaram os menores valores de severidade, tendo sido considerados resistentes ao isolado MPM144. A resistência dos acessos não foi estável contra os sete isolados de M. phaseolina. No entanto foram expressados diferentes níveis de resistência para a maioria dos isolados por parte dos acessos UFPI 892 e UFPI 908. O acesso UFPI 908 apresentou moderados níveis de resistência para a maioria de isolados, apresentando os resultados mais promissores de resistência a M. phaseolina.

2016
Descrição
  • RICARDO SILVA DE SOUSA
  • PROPRIEDADES DO SOLO E DESENVOLVIMENTO DO MILHO E FEIJÃO-CAUPI APÓS SETE ANOS DE APLICAÇÕES CONSECUTIVAS DE LODO DE CURTUME COMPOSTADO
  • Orientador : ADEMIR SERGIO FERREIRA DE ARAUJO
  • Data: 16/12/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O lodo de curtume é rico em matéria orgânica e nutrientes que podem nutrir plantas e microrganismos do solo. Entretanto, aplicações sucessivas têm aumentado a concentração de cromo no solo. Este comportamento é motivo de preocupação, tendo em vista, que este elemento presente no solo pode ser absorvido pelas plantas e ser translocado para as partes comestíveis, entrando assim, na cadeia trófica. O efeito da aplicação de lodo de curtume compostado (LCC) no sétimo ano, foi avaliado nas propriedades químicas e microbianas do solo e no crescimento, produtividade e acúmulo de Cr em plantas de milho e feijão caupi. O experimento foi montado em blocos casualizados, com quatro repetições, e os tratamentos consistiram de doses de LCC correspondentes a 0 (controle), 2,5, 5, 10 e 20 Mg ha-1 (base seca). Aos 0, 45, 75, 150 e 180 dias de experimento, avaliou-se o carbono da biomassa microbiana (CBM), a respiração do solo (RS), o quociente metabólico (qCO2) e microbiano (qmic), a atividade das enzimas desidrogenase, fosfatase e β-glicosidase), bem como o nível de P, K, Ca, Mg, Na, o pH, a condutividade elétrica (CE) e o teor de carbono orgânico total (COT) no solo. Selecionou-se 10 plantas de milho (75 dias) e de feijão-caupi (180 dias) para avaliação da matéria seca da parte aérea (MSPA) e da raiz (MSR), produtividade e determinação das concentrações de Cr. Os resultados mostram que os valores de pH do solo, C orgânico, P, Ca, Mg e Cr aumentaram com o aumento das doses de LCC e diminuíram ao longo do tempo. Do mesmo modo, a biomassa microbiana do solo, β-glucosidase, fosfatase e desidrogenase aumentaram com a aplicação do LCC e reduziram ao longo do tempo. Os resultados mostram ainda que a aplicação do LCC aumentou a MSPA das plantas e a produtividade do milho e feijão-caupi em relação ao controle. Entretanto, não foi observada diferença significativa entre os tratamentos para MSR. Os resultados mostram ainda que as plantas de milho e feijão-caupi apresentaram comportamento semelhante quanto a acumulação nos diferentes compartimentos com a aplicação das doses do LCC. Entretanto, divergiram quanto a translocação de Cr nas diversas partes. O milho aumentou a translocação para folha e reduziu para o grão, enquanto o feijão-caupi aumentou na folha e no grão. Em síntese, o trabalho mostra que as doses de LCC e os tempos de amostragem influenciaram significativamente as propriedades do solo e, que as culturas têm diferentes respostas após sete anos de aplicações sucessivas de LCC no solo.

  • RICARDO SILVA DE SOUSA
  • PROPRIEDADES DO SOLO E DESENVOLVIMENTO DO MILHO E FEIJÃO-CAUPI APÓS SETE ANOS DE APLICAÇÕES CONSECUTIVAS DE LODO DE CURTUME COMPOSTADO
  • Orientador : ADEMIR SERGIO FERREIRA DE ARAUJO
  • Data: 16/12/2016
  • Mostrar Resumo
  • O lodo de curtume é rico em matéria orgânica e nutrientes que podem nutrir plantas e microrganismos do solo. Entretanto, aplicações sucessivas têm aumentado a concentração de cromo no solo. Este comportamento é motivo de preocupação, tendo em vista, que este elemento presente no solo pode ser absorvido pelas plantas e ser translocado para as partes comestíveis, entrando assim, na cadeia trófica. O efeito da aplicação de lodo de curtume compostado (LCC) no sétimo ano, foi avaliado nas propriedades químicas e microbianas do solo e no crescimento, produtividade e acúmulo de Cr em plantas de milho e feijão caupi. O experimento foi montado em blocos casualizados, com quatro repetições, e os tratamentos consistiram de doses de LCC correspondentes a 0 (controle), 2,5, 5, 10 e 20 Mg ha-1 (base seca). Aos 0, 45, 75, 150 e 180 dias de experimento, avaliou-se o carbono da biomassa microbiana (CBM), a respiração do solo (RS), o quociente metabólico (qCO2) e microbiano (qmic), a atividade das enzimas desidrogenase, fosfatase e β-glicosidase), bem como o nível de P, K, Ca, Mg, Na, o pH, a condutividade elétrica (CE) e o teor de carbono orgânico total (COT) no solo. Selecionou-se 10 plantas de milho (75 dias) e de feijão-caupi (180 dias) para avaliação da matéria seca da parte aérea (MSPA) e da raiz (MSR), produtividade e determinação das concentrações de Cr. Os resultados mostram que os valores de pH do solo, C orgânico, P, Ca, Mg e Cr aumentaram com o aumento das doses de LCC e diminuíram ao longo do tempo. Do mesmo modo, a biomassa microbiana do solo, β-glucosidase, fosfatase e desidrogenase aumentaram com a aplicação do LCC e reduziram ao longo do tempo. Os resultados mostram ainda que a aplicação do LCC aumentou a MSPA das plantas e a produtividade do milho e feijão-caupi em relação ao controle. Entretanto, não foi observada diferença significativa entre os tratamentos para MSR. Os resultados mostram ainda que as plantas de milho e feijão-caupi apresentaram comportamento semelhante quanto a acumulação nos diferentes compartimentos com a aplicação das doses do LCC. Entretanto, divergiram quanto a translocação de Cr nas diversas partes. O milho aumentou a translocação para folha e reduziu para o grão, enquanto o feijão-caupi aumentou na folha e no grão. Em síntese, o trabalho mostra que as doses de LCC e os tempos de amostragem influenciaram significativamente as propriedades do solo e, que as culturas têm diferentes respostas após sete anos de aplicações sucessivas de LCC no solo.

  • SAMIA NATACIA PINTO
  • ALTERAÇÕES NOS ATRIBUTOS QUÍMICOS DE UM ARGISSOLO ADUBADO COM RESÍDUO LÍQUIDO SUÍNO


  • Orientador : POLIANA ROCHA DALMEIDA MOTA
  • Data: 31/08/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os sistemas de produção agropecuários originam vários tipos de resíduos orgânicos, em especial os suínos. Quando corretamente manejados podem ser utilizados como fornecedores de nutrientes para as plantas melhorando as condições físicas, químicas e biológicas do solo. Objetivou-se avaliar os atributos químicos de um solo cultivado com a cultura do milho utilizando-se doses de resíduos líquidos da suinocultura em épocas de coletas e profundidades do solo.O delineamento experimental adotado foi em blocos casualizados, com quatro repetições, distribuídos em esquema fatorial 5 x 2 x 3, constituindo-se de cinco doses de resíduo líquido da suinocultura (0, 25, 50, 75 e 100 m3 ha-1), três épocas de coleta e duas profundidades do solo. Foram aplicados 100% do resíduo líquido suíno em fundação. A partir de amostras de solo, avaliou-se, cálcio, magnésio, fósforo disponível, potássio, sódio, condutividade elétrica, potencial hidrogeniônico, soma de bases, saturação por base, acidez potencial e capacidade de troca de cátions. A condutividade elétrica e o fósforo do solo não foram influenciados pelas doses de resíduos líquidos da suinocultura. Nas épocas avaliadas os maiores valores de cálcio, magnésio, sódio, potássio, potencial hidrogeniônico, soma de bases, capacidade de troca de cátions, foram observados aos 60 dias após a semeadura. O aumento nas doses de resíduo líquido proporcionou aumento nos teores de sódio e potássio, acidez potencial e redução de cálcio e magnésio no solo. A camada de 0-15 cm de profundidade apresentou maiores quantidades de nutrientes, para soma de bases, saturação por base e capacidade de troca de cátions. A aplicação de resíduo líquido da suinocultura incrementa os teores de nutrientes no solo, melhorando as características químicas e físico-químicas.

  • ARTHUR GONÇALVES COUTINHO
  • DESEMPENHO AGRONÔMICO DO FEIJÃO-CAUPI SOB DIFERENTES POPULAÇÕES DE PLANTAS EM SISTEMAS CONVENCIONAL E PLANTIO DIRETO

  • Data: 31/08/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O feijão-caupi é uma cultura de grande importância socioeconômica nas regiões norte, nordeste e centro-oeste do Brasil. Populações de plantas em níveis adequadas podem interferir no resultado final da produtividade de grãos. Portanto, o objetivo desse trabalho foi avaliar o desempenho agronômico do feijão-caupi, cv. BRS Tumucumaque, sob diferentes populações em sistema de plantio convencional e direto. O experimento foi conduzido no Campo Experimental da Embrapa Meio-Norte, em Teresina, Piauí, no período de abril a julho de 2015, em um Argissolo Amarelo eutrófico típico no período de sequeiro. Foram avaliadas cinco populações de plantas 12, 16, 20, 24 e 28 plantas m² (120.000, 160.000, 200.000, 240.000 e 280.000 plantas ha-1). O delineamento experimental foi de blocos casualizados (DBC) submetido a análise de regressão polinomial.  Avaliaram-se número de vagens por plantas, comprimento de vagens, número de grãos por vagem, massa de cem grãos, produtividade de grãos (kg ha-1) e índice de área foliar. A produtividade de grãos apresentou valores máximos de 1.605,6 kg ha-1 e 1.548,1kg ha-1 com uma população de plantas de 200.000 plantas ha¯¹, em ambos sistemas de plantio. O aumento das densidades de plantas de feijão-caupi reduz linearmente o número de vagens por planta e os outros componentes aumentam de forma quadrática.

  • MARISTELLA MOURA CALAÇO PESSOA
  • ATRIBUTOS FÍSICOS E BIOLÓGICOS DE UM LATOSSOLO AMARELO EM DIFERENTES MONOCULTURAS NO CERRADO PIAUIENSE


  • Orientador : LUIS ALFREDO PINHEIRO LEAL NUNES
  • Data: 11/07/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A substituição do Cerrado nativo por monocultivos anuais e, ou, perenes quando mal manejados trazem consequências drásticas para a qualidade do solo. Este trabalho teve como objetivo avaliar as propriedades físicas e biológicas de um LATOSSOLO AMARELO sob monocultivo de soja (SJ), eucalipto (EP) e pastagem (PAS) em relação a uma área com mata nativa (MN). Amostras de solo foram coletadas durante o período chuvoso (fevereiro/2015) para análises físicas e período chuvoso (fevereiro/2015) e seco (setembro/2015) para as análises biológicas. A partir dessas amostras avaliaram-se  os atributos físicos como: densidade do solo (Ds), porosidade total (Pt), macroporosidade (Map), microporosidade (Mip), granulometria, resistência do solo à penetração (RP), diâmetro médio ponderado (DMP), índice de estabilidade de agregados (IEA) e porcentagem de agregados estáveis maiores que >2,0 mm (AGRI>2mm). Com relação aos atributos biológicos foram avaliados o carbono da biomassa microbiana (CBM), respiração basal do solo (RB), quociente microbiano (Qmic), quociente metabólico (qCO2) além da análise química do carbono orgânico total (COT). Os sistemas SJ e PAS apresentaram maiores valores de Ds, menores valores de Pt e Map. Os sistemas com SJ e PAS apresentaram maiores valores de RP ultrapassando o limite crítico de 2 MPa. Os sistemas de manejo do solo MN e EP, com presença de resíduos orgânicos na superfície, exerceram influências positivas sobre a agregação do solo e sobre sua estabilidade. Os valores de CBM e qMIC foram mais elevados no solo sob vegetação natural, indicando a ocorrência de efeitos adversos de monoculturas sobre essas variáveis. No período seco os sistemas antropizados mostraram maiores perdas de C no sistema na forma de CO2 por unidade de C microbiano. Os atributos físicos e biológicos mostraram-se sensíveis ao manejo do solo. A época de coleta e a cobertura vegetal influenciaram a variação nos indicadores biológicos de qualidade de solo. Os resultados demonstram que o sistema de manejo e o tipo de cobertura vegetal são fatores determinantes de mudanças no funcionamento biológico e físico dos solos.

  • ENAYRA SILVA SOUSA
  • NOVOS AGENTES ETIOLÓGICOS DE DOENÇAS DO FEIJÃO-FAVA NO BRASIL

  • Orientador : JOSE EVANDO AGUIAR BESERRA JUNIOR
  • Data: 30/06/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O feijão-fava (Phaseolus lunatus L.) é uma leguminosa tropical caracterizada pela elevada diversidade genética e grande potencial de produção, sendo cultivada principalmente por produtores familiares na região Nordeste do Brasil. Apesar da importância social e econômica, seu rendimento ainda é baixo, devido, dentre outros fatores, a ocorrência de pragas e doenças. Dentre as diversas doenças que afetam o feijão-fava, as fúngicas se destacam por terem ocorrência comum e causarem sintomas que podem levar a perdas de produção. É preocupante a ocorrência de podridões de raiz e caule, as manchas foliares e doenças que causam morte de plântulas pré- ou pós-emergência, que ainda não tem seus agentes etiológicos reconhecidos. Diante do exposto os objetivos deste trabalho são: Identificar por morfologia e filogenia, e avaliar a patogenicidade de isolados de Macrophomina sp., Fusarium sp. e Colletotrichum sp. em plantas de feijão-fava; além de testar métodos de inoculação artificial de Macrophomina sp. e Fusarium sp. em plantas de feijão-fava. Os caracteres morfológicos (pigmentação, forma e tamanho de conídios) e a filogenia dos genes TEF1-α (para Macrophomina sp.), ITS (para Colletotrichum sp.) e TEF1-α e RPB2 (para Fusarium sp.) identificaram os isolados como Macrophomina phaseolina, Fusarium falciforme e espécies pertencentes ao Complexo Colletotrichum gloeosporioides. Todos os isolados testados foram patogênicos ao feijão-fava. Os métodos de inoculação do grão de arroz infestado, e disco de micélio foram eficientes na inoculação artificial de M. phaseolina, enquanto o método de ferimento e imersão das raízes em suspensão conidial foi o mais eficiente na indução de sintomas por F. solani. Esta é a primeira descrição de M. phaseolina, F. solani e C. gloeosporioides causando doença em feijão-fava no Brasil.

  • VALDECI CALIXTO DA SILVA FILHO
  • DESENVOLVIMENTO E PRODUTIVIDADE DA CANA-DE-AÇÚCAR EM RESPOSTA A DISTRIBUIÇÃO DOS ÍONS NITRATO E POTÁSSIO EM UM ARGISSOLO NA MICRORREGIÃO DE TERESINA, PI

  • Data: 24/06/2016
  • Mostrar Resumo
  • Em sistemas fertirrigados, os nutrientes são dispostos em baixa dosagem e alta frequência de aplicação, reduzindo, a priori, as perdas por lixiviação e volatilização. Contudo, há carência de estudos visando a definição de doses ótimas, notadamente, de nitrogênio e potássio, bem como a quantificação da distribuição dos íons nitrato e potássio em resposta a aplicação dessas doses em diferentes condições de solo e clima das regiões de cultivo com cana-de-açúcar. Em razão da crescente demanda pela produção de açúcar e de combustíveis menos poluentes e com preços mais acessíveis, surge um contexto favorável para expansão de cultivo de cana-de-açúcar. O Nordeste Brasileiro é responsável por apenas 11% da produção nacional de cana-de-açúcar, em razão da má distribuição pluviométrica, bem como ausência ou manejos inadequados. O trabalho teve como objetivo avaliar a distribuição dos íons NO3- e K+ no perfil do solocultivado com cana-de-açúcar em resposta a doses de nitrogênio (N) e potássio (K2O) aplicados via fertirrigação por gotejamento subsuperficial, o desenvolvimento e produtividade de colmos na microrregião de Teresina-PI. Foi utilizada a variedade de cana-de-açúcar RB 92579, ciclo de cana planta. O experimento foi conduzido na área experimental da Embrapa Meio Norte, em Teresina, PI. Para fins de concentração iônica de NO3- e K+, avaliou-se em seis épocas distintas (109, 123, 195, 228, 270 e 326 dias após plantio - DAP) a distribuição dos íons nitrato (NO3-) e potássio (K+), nas camadas de 0 – 0,2 m, 0,2 – 0,4 m e 0,4 – 0,6 m, em resposta a aplicação de cinco formulações contendo N e K2O (T1: 60 kg ha-1 de N + 120 kg ha-1 de K2O; T2: 180 kg ha-1 de N + 120 kg ha-1 de K2O; T3: 120 ha-1 de N + 60 ha-1 de K2O; T4: 120 ha-1 de N + 180 ha-1 de K2O e T5: 120 ha-1 de N + 120 kg ha-1 de K2O ), e para o desenvolvimento vegetativo e produção de colmos avaliou-se em seis épocas distintas (98, 131, 182, 223, 276 e 333 dias após plantio) o reflexo da concentração iônica no solo de NO3- e K+ as variáveis comprimento e diâmetro do colmo, matéria seca total, área foliar total e tonelada de colmo ha-1. O delineamento para avaliação iônica nas camadas foi o de blocos casualizados com parcelas subdivididas, enquanto para a avaliação de desenvolvimento vegetativo e produção de colmos foi de bloco casualizados. As maiores concentrações do íon NO3- (264 mg L-1) foram encontrados no tratamento 5 (120 kg ha-1 de N), enquanto que as de K+ (377 ppm) no tratamento 2 (120 kg ha-1 de K2O), ambas as concentrações na profundidade 0,0-0,2 m. O comprimento e diâmetro de colmo responderam às doses de N e K2O. Para a matéria seca total (MST), a maior dose de N (180 kg ha-1) mais a dose intermediária de K (120 kg ha-1) refletiram na maior concentração registrada de K+ (377 ppm), que resultou em maiores valores de MST (0,9 kg), enquanto não houve variação sensível quanto a área foliar total. As maiores TCH (186,93 t ha-1) foram obtidas pelo tratamento 1 (60 kg ha-1 de N + 120 kg ha-1 de K2O) que atingiu valores totais de 961 mg L-1 de NO3- e 648 ppm de K+.

  • JOHNSTON SILVA VIEIRA
  • DISPONIBILIDADE E VARIABILIDADE ESPACIAL DE COBRE, FERRO, MANGANÊS E ZINCO NOS SOLOS DO SERTÃO CENTRAL DO CEARÁ.

  • Orientador : GUSTAVO SOUZA VALLADARES
  • Data: 31/05/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  •  

    Os micronutrientes são importantes para uma produção agrícola adequada. Logo, o conhecimento dos teores no solo e sua variabilidade espacial é de suma importância para o manejo correto. O objetivo do trabalho foi levantar e mapear os teores dos micronutrientes (cobre, ferro, manganês e zinco) em solos do Sertão do Ceará. A área estudada está localizada no Sertão Central do Ceará, na bacia do Rio Banabuiu englobando os municípios de Pedra Branca, Senador Pompeu, Mombaça e Piquet Carneiro. Foram coletadas amostras e espacializados os pontos dos principais tipos de solo da região. Foram feitas análises de granulometria e químicas, além da determinação dos teores dos micronutrientes nos solos. Com os dados foi realizado a análise descritiva, ajustados os semivariogramas e os mapas de variabilidade espacial. Há uma alta variabilidade dos teores para cada nutriente na área estudada. Nas camadas superficiais o Fe, Mn e Zn apresentaram valores satisfatórios necessitando de pouca ou nenhuma adubação, porém o Cu apresentou em sua maioria os teores em níveis insatisfatórios, já necessitando de uma adubação contendo esse elemento. Os micronutrientes se correlacionaram com os atributos areia, argila, pH (H2O), soma de bases e saturação por bases nas camadas superficiais. Já nas camadas subsuperficiais os micronutrientes se correlacionaram com: areia, pH (H2O), Ca, Mg, soma de bases, CTC (pH 7,0), saturação por bases e matéria orgânica. Os micronutrientes apresentaram maiores correlações entre si nas camadas subsuperficiais. Foram determinados o modelo Gaussiano para Cu, Fe e Mn, o modelo exponencial para o Zn nas camadas superficiais. Nas camadas subsuperficiais o exponencial para Cu e Fe, o gaussiano para Mn e Zn. Boa parte da área tem bons níveis de teores dos micronutrientes nos solos.


  • SAMARA RAQUEL DE SOUSA
  • Distribuição morfogeográfica e diversidade em frutos de Annona coriacea Mart.

  • Orientador : ANGELA CELIS DE ALMEIDA LOPES
  • Data: 30/05/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O Cerrado possui agregado à sua riqueza as “Plantas do Futuro”, que são espécies nativas de valor econômico atual e potencial, destacando-se as frutíferas, por apresentarem um sabor e aroma peculiar, um valor nutricional e principalmente um mercado em aberto. Acreditando que haja variabilidade genética disponível a ser pesquisada para caracteres de frutos nativos, objetivou-se, obter informações sobre a variabilidade existente em araticum (Annona coriacea) de duas áreas de cerrado no Piauí. As áreas escolhidas para a coleta dos 61 genótipos foram a propriedade Barroca do Surrão, no município de Campo Maior-PI (04°05’57,1”S, 41°42’34,5”W e 165/224 m) P1-CM e o Parque Nacional de Sete Cidades (04°02’08”S, 41°40’45”W e 100/290 m) P2-PN7C, pertencente aos municípios de Brasileira e Piracuruca-PI, todas localizadas nos Cerrados Setentrional. Um total de 34 descritores morfológicos foram utilizados neste estudo. Considerando a revisão sistemática da espécie por meio da prospecção científica e tecnológica nas bases de dados consultadas, nota-se a importância da espécie para a execução de estudos de inovação tecnológica e desenvolvimento de novos produtos, ampliando o conhecimento frutífero e fornecendo dados que venham a contribuir para o entendimento da mesma, além de valorizar a biodiversidade e a preservação da espécie e de seu ambiente. O estudo de distribuição geográfica gerou a confecção de dois mapas, onde pôde-se visualizar as áreas de maior concentração da espécie e perceber o espaçamento entre algumas populações. Estes mapas poderão ser utilizados por funcionários, gestores, turistas e pesquisadores, como guia de localização georeferenciado e como informações da espécie, visto que torna-se necessário valorizar os recursos naturais existentes como instrumento de grande capacidade turística, preservacionista e educativa. A caracterização morfológica e físico-química dos 61 genótipos de A. coriacea permitiu identificar descritores que contribuíram para a divergência genética e forneceu subsídios para a determinação do padrão de variação genética das duas populações estudadas, contribuindo com estratégias de estudos iniciais de seleção e pré-melhoramento genético. O peso da polpa, o peso do fruto, o rendimento da polpa e o diâmetro do fruto foram os descritores de maior variabilidade, devendo ser utilizados em estudos de divergência genética de araticum. A caracterização fisíco-química da polpa do fruto apresentou bom perfil para serem introduzidas na indústria, desde o setor alimentício até o cosmético, além de serem mais uma opção para o mercado de frutíferas. O agrupamento dos genótipos pelo método UPGMA revelou variabilidade genética entre os genótipos estudados. Essa variabilidade retrata o potencial que a espécie apresenta para ser explorada em programas de pré-melhoramento genético.

     

  • JOSÉ MONTEIRO DA MOTA
  • DIVERSIDADE FÚNGICA E TRANSMISSÃO DE Colletotrichum truncatum E Macrophomina phaseolina EM SEMENTES DE FEIJÃO-FAVA


  • Orientador : JOSE EVANDO AGUIAR BESERRA JUNIOR
  • Data: 29/04/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • No Brasil, a espécie Phaseolus lunatus L., conhecida como feijão-fava, é cultivada predominantemente por pequenos produtores. Informações a respeito da cultura são insuficientes, bem como dos patógenos e das doenças que a afetam. A ocorrência de doenças e a falta de qualidade das sementes são as principais causas da baixa produtividade, visto que muitos patógenos como os fungos, podem ser transmitidos da semente para a planta. A análise sanitária de sementes pode fornecer informações essenciais para adoção de medidas de controle sobre lotes, na certificação etc. Entre os fungos fitopatógenos do feijão-fava destacam-se Colletotrichum truncatum e Macrophomina phaseolina; causadores da antracnose e podridão cinzenta respectivamente. Diante da escassez de informações acerca da sanidade e transmissão de fungos por sementes de feijão-fava, objetivou-se avaliar a incidência fúngica em sementes de 34 acessos de feijão-fava, verificar a possibilidade de transmissão de C. truncatum e M. phaseolina pelas sementes e avaliar a eficiência da restrição hídrica na inoculação de sementes. Para os estudos da análise sanitária, lotes de 400 sementes de cada acesso foram desinfestadas e depositadas em placas de Petri contendo meio de cultura batata-dextrose-ágar, que resultou na presença de 22 gêneros de fungos, entre eles os fitopatógenos  C. truncatum (0,95%), Fusarium spp. (1,27%), M. phaseolina (1,58%), Rhizoctonia solani (0,01%) e Sclerotium sp. (0,28%) e os fungos de armazenamento Aspergillus spp., Penicillium spp., Curvularia sp. e  Monilinia sp. apresentaram juntos 63,76% das colônias. Os isolados de Colletotrichum e Macrophomina foram identificados por filogenia como C. truncatum e M. phaseolina com suporte de bootstrap de 90 e 100%, respectivamente. Para os estudos de transmissão e eficiência da restrição hídrica, adicionou-se manitol ao meio de cultura, para a obtenção dos potenciais hídricos -0,2 -0,4, -0,6, -0,8 e -1,0 MPa. As sementes foram incubadas a 25ºC, com fotoperíodo de 12 horas, por períodos variáveis. Após esse processo, foram submetidas aos testes de germinação em rolo de papel, emergência de plântulas em areia e sanidade em meio BDA. O potencial hídrico -0,4 MPa promoveu maior incidência de sementes infectadas por C. truncatum, e maior percentual de plântulas doentes. A metodologia foi eficaz na inoculação de M. phaseolina nas sementes, entretanto, o patógeno prejudicou sua germinação, independente do potencial hídrico.

  • NILZA DA SILVA CARVALHO
  • PROPRIEDADES MICROBIOLÓGICAS DO SOLO AO LONGO DE UM GRADIENTE VEGETACIONAL DE CERRADO NO PARQUE NACIONAL DE SETE CIDADES

  • Orientador : ADEMIR SERGIO FERREIRA DE ARAUJO
  • Data: 29/04/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O Parque Nacional de Sete Cidades (PNSC) constitui uma das mais importantes Unidades de Conservação do Cerrado reunindo um patrimônio biológico, arqueológico e paisagístico de valor inestimável. Contudo, apesar da importância do PNSC, os trabalhos realizados até o momento abordam principalmente aspectos botânicos, com pouca informação disponível sobre o tamanho e atividade do componente microbiano do solo. O objetivo deste trabalho foi avaliar as propriedades biológicas do solo ao longo de um gradiente vegetacional do cerrado no Parque Nacional de Sete Cidades e relacionar com as propriedades físico-químicas e condições microclimáticas. Amostras de solo foram coletadas no gradiente composto por Campo Graminóide (CG), Cerrado Sensu Stricto (CSS) e Cerradão (CD) durante o período chuvoso (maio/2014) e seco (outubro/2014). A partir dessas amostras avaliaram-se as propriedades microbiológicas (carbono da biomassa microbiana (CBM), a respiração basal, o quociente metabólico e microbiano e a atividade enzimática do solo) e químicas (pH, H+Al, Ca+Mg, K, P, COT, N e CTCe). Houve diferença significativa entre o CG e as duas outras áreas para a maioria das propriedades químicas (Ca+Mg, K, CTCe, P, C, N), enquanto o CSS e o CD apresentaram valores semelhantes. O CBM diferiu significativamente entre as fisionomias vegetais, com maiores valores no solo sob CD nos dois períodos de amostragem. A respiração basal diferiu entre as fisionomias apenas no período chuvoso, enquanto mudanças nos valores de qCO2 foram observadas durante o período de estiagem.  Para o quociente microbiano, o CG apresentou menores valores no período seco em comparação às demais áreas. As enzimas desidrogenase, β-glicosidase e a atividade de hidrólise do FDA apresentaram menor atividade no CG, enquanto o CSS e CD não diferiram. Para a atividade da arilsulfatase, observou-se elevada atividade à medida que aumentou a complexidade das fisionomias. A fosfatase foi à única enzima a apresentar maior atividade no CG durante o período seco. Os resultados demonstram que as propriedades químicas e as condições microclimáticas encontradas ao longo do gradiente vegetacional de cerrado influenciam o comportamento das propriedades biológicas do solo. O teor de C, a umidade e a temperatura do solo são os principais fatores que controlam as propriedades biológicas em solos sob cerrado preservado no PNSC.

  • JOÃO PEDRO ALVES DE AQUINO
  • Morfofisiologia de linhagens promissoras de feijão-caupi submetidas ao estresse salino.

  • Orientador : ANTONIO AECIO DE CARVALHO BEZERRA
  • Data: 28/04/2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O feijão-caupi é uma leguminosa de vasta importância socioeconômica, muito cultivada nas regiões menos desenvolvidas do mundo. Na região Nordeste do Brasil, sua produtividade é baixa em virtude de vários fatores, como a seca intensa no semiárido, que abrange mais da metade da região e onde se utiliza na agricultura água com teores elevados de sais tóxicos às plantas, podendo ocasionar a salinidade do solo com seu uso contínuo. O presente trabalho teve o objetivo de avaliar a morfofisiologia de linhagens promissoras de feijão-caupi, submetidas à irrigação com água salinizada, bem como o acúmulo de sais no solo. Os experimentos foram conduzidos em casa de vegetação, utilizando vasos plásticos de 3,8 dm3, com irrigações diárias. Aos 15 dias após do semeio (DAS), iniciaram-se os tratamentos com água salinizada. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado (DIC) em esquema fatorial 5x3 com nove repetições, totalizando 135 parcelas. Sendo dois experimentos, com cinco níveis de condutividade elétrica da água de irrigação (CEai), a testemunha absoluta (0,55 dS m-1) foi a água de abastecimento da UFPI/CCA. Os demais foram no primeiro experimento 1,25; 2,50; 3,75 e 5,0 dS m-1 e no segundo experimento 1,60; 3,20; 4,80 e 6,40 dS m-1, combinados com três linhagens promissoras MNC05-828C-3-15, MNC04-795F-168 e MNC04-795F-159, oriundas do programa de melhoramento genético de feijão-caupi da Embrapa Meio-Norte. As variáveis: diâmetro do caule, número de folhas, número de nós no ramo principal, altura de planta, índice relativo de clorofila (IRC) aos 45 DAS, matéria seca da planta, área foliar, número de nódulos nas raízes, taxa de crescimento absoluto e pH do solo, sofreram redução com o aumento da CEai. Para o IRC aos 25 DAS, a relação parte aérea/raiz, relação folha/raiz, condutividade elétrica (CE1:2,5), teor de sódio, porcentagem de sódio trocável, razão de adsorção de sódio, com o aumento na CEai, houve um incremento. Com destaque para a linhagem MNC05-828C-3-15, que foi superior ao menos uma das linhagens, em boa parte dos parâmetros avaliados.

  • CARLOS AYDANO VIRGINIO FRAZÃO
  • AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE MILHO EM RELAÇÃO AO ATAQUEE DE Sitophilus zeamais MOTSCH. (COLEOPTERA: CURCULIONIDAE).

  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 29/02/2016
  • Mostrar Resumo
  •  

     

    Objetivou-se com o presente trabalho selecionar sementes de cultivares de milho resistentes a Sitophilus zeamais Motsch. (Coleoptera: Curculionidae) e avaliar a atividade de lectina e inibidor de tripsina presentes nestas cultivares. Foram avaliadas 5 cultivares de milho, através de testes com e sem chance de escolha. As cultivares utilizadas foram BRS Caatingueiro, BRS Gorutuba, BRS 5011 Sertanejo e BRS 5033 Asa branca. Adultos de S. zemais foram expostas aos grãos de milhos através de testes “com chance de escolha”, avaliado a atração dessas cultivares a adultos de S. zemais. No teste “sem chance de escolha” adultos de S. zeamais ficaram confinados na massa de grãos durante  10 dias. Foram avaliados o número de insetos emergidos, a duração da fase imatura, a quantificação de proteína no inseto e a perda de massa seca dos grãos, bem como foi determinado o índice de suscetibilidade (IS) das cultivares. Atividade hemaglutinante de lectina e inibidora de tripsina foram analisadas nas cinco cultivares.. Não houve diferença estatística quanto a duração da fase imatura de S. zeamais, nas cultivares estudadas, variando entre 54,65 (BRS Catingueiro) e 58,79 (BRS Gorutuba) dias. No entanto, houve diferença quanto a presença de proteínas em adultos de S. zeamais. Os adultos que se alimentaram da cultivar BRS Catingueiro teve a maior quantidade de proteína total, os insetos que alimentaramdas cultivares BRS 106 e Asa Branca as menores quantidade de proteínas.. Houve diferença estatística entre as cultivares para o número de adultos emergidos S. zemais, sendo maior na BRS Catingueiro e menor na BRS 106, bem como a BR106 apresentou uma perda de massa menor que as demais, seguida de BRS Caatigueiro, BRS gorutuba, BRS Asa Branca e BRS Sertanejo com  perda de massa maiores, respectivamente. A atividade de lectina foi maior nas cultivares BRS 106, BRS Asa Branca, BRS sertanejo e BRS Gorutuba correspondendo a 4,86; 2,59; 1,84 e 1,29 (U/mg), respectivamente. Na cultivar BRS Caatingueiro não houve atividade da lectina. As cultivares BRS Sertanejo, BRS Asa branca, BR 106 e BRS Gorutuba reduziram totalmente a atividade de tripsina, mostrando extremamente eficiente, eliminandoatividade desta proteína. A BRS catingueiro apresentaram atividade inibidora de cerca de 40,3%. Desta forma, podemos sugerir que a presença das lectinas e de inibidores de tripsina influenciaram na resistência das cultivares de milho ao ataque de S. zeamais. .

  • VICENTE PAULO DA COSTA NETO
  • Nodulação e fixação biológica de nitrogênio em feijão-fava inoculado com rizóbios isolados de solos da Microrregião do Médio Parnaíba Piauiense.

  • Orientador : ARTENISA CERQUEIRA RODRIGUES
  • Data: 29/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • A indisponibilidade de nitrogênio no solo representa um fator limitante à produção das culturas. Em leguminosas agronomicamente importantes, como o feijão-fava, esta limitação pode ser contornada com a associação simbiótica destas plantas com rizóbios que fixam e convertem o nitrogênio atmosférico em formas assimiláveis. Diante do exposto, objetivou-se avaliar a efetividade da inoculação de sementes de feijão-fava variedade Boca de Moça e Branca com rizóbios isolados de solos da microrregião do Médio Parnaíba Piauiense. O experimento foi conduzido em condições de casa de vegetação com delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial 9 x 2 x 3 + 2, com três repetições. No geral, a inoculação do feijão-fava com os rizóbios ISOL-19, ISOL-32, ISOL-35 ou ISOL-50 induziram incrementos significativos nas variáveis analisadas. Foram observados incrementos na taxa de crescimento absoluto das plantas de feijão-fava var. Boca de Moça e Branca quando inoculadas com o rizóbio ISOL-32 e ISOL-50, respectivamente. Para a eficiência da fixação de nitrogênio, observou-se que este parâmetro foi superior no florescimento para ambas as variedades estudadas, principalmente quando as plantas foram inoculadas com os rizóbios ISOL-50 ou ISOL-18. As duas variedades de feijão-fava apresentaram elevados valores de eficiência da fixação de nitrogênio quando inoculadas com o rizóbio ISOL-50 no enchimento de vagens. Conclui-se que a simbiose entre o rizóbio ISOL-32 ou ISOL-50 e o feijão-fava variedade Boca de moça resulta em maior eficiência na nodulação e na fixação biológica do nitrogênio. Os resultados mostrados aqui são promissores e ressaltam os isolados de rizóbio ISOL-32 e ISOL-50 como possíveis inoculantes a serem utilizados em feijão-fava nas condições do estado do Piauí.

  • VANUSA SUELMA VIANA DOS SANTOS
  •  

     

    BIOATIVIDADE DO ÓLEO ESSENCIAL E PÓ VEGETAL DE ALECRIM PIMENTA SOBRE O CARUNCHO DO FEIJÃO-CAUPI

  • Orientador : LUIZ EVALDO DE MOURA PADUA
  • Data: 26/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • Avaliou-se em condições de laboratório, a toxicidade, eficiência  e repelência do óleo essencial e pó vegetal do alecrim pimenta: Lippia sidoides Cham. com e sem chance de escolha sobre o carruncho do feijão-caupi: Callosobruchus maculatus (Fabr.). Doses preliminares foram utilizadas para óleo e pó :10; 8,0; 6,0; 4,0; 2,0; 0,0µL/45 cm3 e 1,0; 0,1; 0,01; 0,001, 0,0g/10 de grãos, respectivamente para através da fórmula de Finney determinar-se as doses definitivas: 4,0; 3,5; 3,0; 2,5; 2,0; 0,0µL/45 cm3 e 1,0; 0,5; 0,2; 0,1; 0,0g/10g de grãos para os experimentos sem chance de escolha, como também,  as doses: 4,0; 3,0; 2,0; 1,0; 0,0µL/45 cm3 e 1,0; 0,5; 0,2; 0,1; 0,0g/10g de grãos utilizadas nos experimentos com chances de escolha. Nos experimentos sem chance de escolha, as doses do óleo essencial foram pipetadas sobre papel filtro fixado na parte interna da tampa dos frascos de polietileno com capacidade de 45cm3 onde foram depositados 10 g de grãos de feijão-caupi cultivar BRS Guariba. Para a infestação, utilizou-se dez insetos não sexados com 0 a 48h de emergidos. No experimento sem chance de escolha com pó, as doses foram misturadas aos grãos de feijão-caupi  contidos em frascos de polietileno com a mesma capacidade, posteriormente,  adicionou-se os  insetos na mesma quantidade e idade acima citadas. Após 96h, para os dois experimentos, avaliou-se a mortalidade dos insetos. Os insetos vivos foram retirados dos tratamentos e desprezados, após, os bioensaios retornaram à B.O.D. Aos quinze dias da infestação, contou-se o total de ovos, ovos inviáveis e aos, 30 dias, iniciou-se a contagem da emergência de insetos. A eficiência das doses foi calculada por meio da fórmula de Abbot(1925).Nos bioensaios com chance de escolha para óleo e pó de alecrim pimenta, utilizou-se arena formada por cinco frascos de polietileno circulares com capacidade de 45cm3, sendo o recipiente central interligado simetricamente aos demais  periféricos por meio de tubos  plásticos de 1cm de diâmetro com 10cm de comprimento. Em cada recipiente periférico foi adicionado  as doses do óleo e do pó em 10g de grãos de feijão-caupi misturadas com auxílio de um bastão para uniformização. Foram liberados 50 insetos de C. maculatus não sexados com idade entre 0 a 48h em cada frasco central da arena. Após 24h, os insetos foram retirados dos tratamentos, contados e os grãos ovipositados retornados à BOD.Transcorridos 15 dias da infestação, contou-se o número total de ovos, ovos inviáveis e com 30 dias, iniciou-se a contagem do número de insetos emergidos. O índice de repelência foi calculado pela fórmula: I.R=2G/(G+P). O delineamento utilizado foi  o inteiramente casualizado  com  cinco repetições. As concentrações letais (CL50) para óleo e pó foram estabelecidas através do programa SAS  version 8.02, que corresponderam a 1,82µL/45cm3 e 0,34g/10g de feijão-caupi. As doses de pó de L. sidoides de 0,5 e 1,0g causaram as maiores mortalidades, foram mais eficientes no controle de C. maculatus e todas as doses de óleo foram eficientes no controle deste inseto. Todas as doses de pó e de óleo foram repelentes a C. maculatus.

2015
Descrição
  • ANTONIO GUARANÁ MENDES
  • ALTERACÕES NOS ATRIBUTOS FÍSICOS DE UM LATOSSOLO AMARALO ASSOCIADOS AO SISTEMA DE MANEJO

  • Orientador : POLIANA ROCHA DALMEIDA MOTA
  • Data: 31/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar os atributos físicos do solo relacionados ao seu manejo aplicado a cada área, bem como determinar a curva de retenção de água no solo com uso de mesa de tensão. Na Fazenda Nova Zelândia, Uruçuí-PI, foram coletadas amostras de solo representativas de duas camadas 0,0-0,1 m e 0,1-0,2 m em seis áreas de diferentes de manejo: mata nativa (MN), plantio convencional (PC), plantio direto (PD), Silvicultura (SILV), Integração Lavoura Pecuária (ILP) e Integração Lavoura Pecuária Floresta (ILPF) com cinco repetições, a partir dos quais determinou-se os atributos físicos do solo: densidade aparente (Da), densidade real (Dr), porosidade total (Pt), microporosidade (MicroP) e macroporosidade (MacroP). Estes atributos submetidos a análise de variância em delineamento inteiramente casualisado e teste de média utilizando Tukey a 5% de probabilidade. Conclui-se que dentre os atributos físicos do solo a densidade aparente,porosidade total e macro porosidade são influenciadas pelo manejo do solo. Estes influenciam diretamente a quantidade de água retida no solo disponível sem esforço fisiológico para plantas.

  • MANOEL DE JESUS NUNES DA COSTA JUNIOR
  • DESEMPENHO AGRONÕMICO DO FEIJJÂO-CAUPI SOB DIFERENTES LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO E ESPAÇAMENTOS ENTRE FILEIRAS

  • Data: 31/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • O feijão-caupi possui uma grande importância socioeconômica nas regiões Norte, Nordeste e Centro-oeste do Brasil e o seu cultivo irrigado tem crescido a cada dia. Novos arranjos populacionais precisam ser testados visando à colheitas mecanizadas. Nesse sentido, propõe-se este trabalho com o objetivo de avaliar o desempenho agronômico do feijão-caupi, cv. BRS Tumucumaque, em função de diferentes combinações de espaçamentos entre fileiras e lâminas de irrigação nas condições edafoclimáticas de Teresina, Piauí. O experimento foi conduzido no Campo Experimental da Embrapa Meio-Norte, em Teresina, Piauí, no período de agosto a novembro de 2014, em um Argissolo Amarelo distrófico típico. Foram avaliadas cinco lâminas de irrigação (40% ETo, 70% ETo, 100% ETo, 130% ETo e 160% ETo) e quatro espaçamentos entre fileiras de plantas (0,36 m, 0,45 m, 0,60 m, 0,90 m). O delineamento experimental adotado foi o de blocos casualizados em parcelas subdivididas, com quatro repetições. Avaliaram-se o índice de área foliar (IAF, cm-2), o teor de clorofila total (TCT, µg cm-2), comprimento de vagem (CVg, cm), número de grãos por vagem (NGV), número de vagens por planta (NVP), peso de cem grãos (PCG, g), a relação grão-vagem (RGV), a produtividade de grãos (PG, kg ha-1) e a eficiência do uso da água (EUA, kg m-3). Houve interação significativa (p<0,01) entre as lâminas de irrigação e os espaçamentos entre fileiras de plantas apenas para a PG, EUA e RGV. Houve efeito significativo (p<0,01) da lâmina somente sobre as variáveis de produção. A PG apresentou valor máximo de 1.830,7 kg ha-1 com uma lâmina de irrigação de 376,44 mm associada à um espaçamento de 0,36 m. Obteve-se um valor máximo de EUA de 0,538 kg m-3,com uma lâmina de 305,39 mm e um espaçamento de 0,36 m.

  • RAPHAEL LIRA ARAÚJO
  • ESTRESSE HÍDRICO E SALINO SOBRE CARACTERÍSTICAS MORFOFISIOLÓGICAS DO FEIJÃO-CAUPI

  • Orientador : ANTONIO AECIO DE CARVALHO BEZERRA
  • Data: 28/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com este trabalho avaliar os efeitos do estresse hídrico e salino sobre características morfofisiológicas de duas cultivares de feijão-caupi. O experimento foi instalado em casa de vegetação no Centro de Ciências Agrárias – CCA, da Universidade Federal do Piauí (UFPI), em Teresina-PI. Foram utilizados duas cultivares de feijão-caupi (BRS Guariba e BRS Xiquexique) submetidas a dois níveis de estresse salino (0 e 2,5 g de NaCl) e cinco níveis de estresse hídrico, correspondente à reposição de 60%, 70%, 80%, 90% e 100% da evapotranspiração diária. Foram realizados dois experimentos com 20 tratamentos e seis repetições em um fatorial 2x5x2. Houve influência dos estresses hídrico e salino em todas as variáveis avaliadas aos 21 e 35 DAS do experimento I e aos 30 DAS do experimento II. As taxa de crescimento (TAL, TCA e TCR) foram influenciada pelos níveis de estresse hídrico e salino nas duas cultivar de feijão-caupi. O nível sem NaCl teve efeito negativo em relação ao nível com NaCl com redução nos caracteres avaliados. A cultivar BRS Guariba mostru maior resistência ao estresse salino e hídrico.

  • JOSÉ DE RIBAMAR DE ARAÚJO ALBUQUERQUE
  •  Desempenho agromorfológico de variedade crioulas de alho no Piauí.

  • Orientador : REGINA LUCIA FERREIRA GOMES
  • Data: 24/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • Na cultura do alho (Allium sativum L.), a atividade de avaliação de genótipos é muito importante na busca por variedades superiores e adaptadas. Nesse sentido, o objetivo do presente trabalho foi realizar avaliação agromorfológica de três variedades crioulas de alho, Cateto Roxo Local, Cateto Roxo Mineiro 1 e Cateto Roxo Mineiro 2, em duas épocas de plantio, 1º de maio e 23 de maio de 2014, no município de Sussuapara - Piauí. A caracterização foi realizada segundo descritores estabelecidos pelo IPIGRI, atualmente Bioversity International, sendo onze relacionados à fase vegetativa e seis, à fase produtiva. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, com quatro repetições. As variedades Cateto Roxo Mineiro 1 e 2, provenientes de Francisco Sá - MG e Cateto Roxo Local, apresentam comportamento semelhante, na fase vegetativa das plantas, considerando as duas épocas de plantio. Cateto Roxo se destacou pela altura das plantas e Cateto Roxo Mineiro 1 e 2, pela largura das folhas e da base do pseudocaule. Com relação aos caracteres relacionados à produção, Cateto Roxo Local apresentou maior média para os caracteres massa de bulbos, número e massa de bulbilhos por bulbo, enquanto Cateto Roxo Mineiro 1 e Cateto Roxo Mineiro 2, se destacaram quanto ao diâmetro dos bulbilhos por bulbo. A largura da base do pseudocaule se correlacionou positivamente com largura da folha e diâmetro de bulbilho por bulbo, e, negativamente, com número de bulbilhos por bulbo, indicando que maior desenvolvimento do pseudocaule e das folhas favorece a ocorrência de bulbos com menor número de bulbilhos, sendo estes de maior diâmetro, que são características desejáveis na cultura do alho. As estimativas de correlação foram altas, significativas e positivas entre massa do bulbo com diâmetro do bulbo, massa de bulbilhos por bulbo e produtividade de bulbos; entre diâmetro do bulbo com massa de bulbilhos por bulbo e produtividade de bulbos, indicando que variedades de alho com alta produtividade de bulbos podem ser selecionadas pela massa e diâmetro do bulbo. Cateto Roxo Mineiro 1 e 2 devem ser recomendadas para o plantio no início do mês de maio, enquanto para Cateto Roxo Local, o plantio pode ser realizado independentemente da época, podendo ocorrer até a terceira semana, em Sussuapara – PI.

     

     

  • RAIMUNDO RODRIGUES DE BRITO


  • Morfologia, qualidade tecnológica e produtividade da cana-de-açúcar sob diferentes níveis de palhada.

  • Orientador : FRANCISCO DE ALCANTARA NETO
  • Data: 17/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • No Brasil, a cana-de-açúcar se destaca pela grande produção de álcool e açúcar e, mais recentemente, pela co-geração de energia e álcool de segunda geração. Por muitos anos a colheita da cana foi realizada com queimadas, apresentando impactos ao meio ambiente, o que tem estimulado a adoção de sistema de colheita mecanizada da cana. O objetivo deste estudo foi avaliar a quantidade mínima de palhada a ser mantida no campo, de forma a otimizar a produtividade da cana-de-açúcar a partir da avaliação da contribuição de palhada para o desenvolvimento e manejo da cultura. O experimento foi instalado na Usina Comvap, no município de União – PI com a cultivar SP813250, ciclo de quarta soca, durante o período de Julho de 2013 a julho de 2014. Foi utilizado o delineamento experimental em blocos casualizados com cinco tratamentos e quatro repetições, em esquema de parcelas subdivididas no tempo, sendo: T1=0% (0 Mg ha-1), T2=25% (4,19 Mg ha-1), T3=50% (9,54 Mg ha-1), T4= 75% (13,04 Mg ha-1) e T5=100% (18,38 Mg ha-1) da palhada produzida na área pelo cultivo do ano anterior. Foram realizadas avaliações morfoagronômicas da planta, da produtividade de colmos e da qualidade tecnológica do caldo da cana-de-açúcar. A biometria foi realizada mensalmente, por coleta destrutiva, medindo-se o número de perfilhos por metro linear, comprimento e largura da folha +3, número de internódios, altura e diâmetro dos colmos, número de folhas verdes e peso de matéria seca com as quais efetuou-se a estimativa do índice de área foliar (IAF), altura de colmo (AC) e numero de internódios (NI). Por ocasião da colheita, quantificou-se a produtividade de colmos e a qualidade tecnológica do caldo (tonelada de pol de sacarose por hectare TPH, Brix, açúcares redutores totais (ATR) e pureza do caldo, fibra, pol do caldo e pol da cana).  Houve diferença significativa (p<0,01) entre os níveis de palhada estudados para TCH, mostrando que o níveis de 18,38 Mg ha-1 superiores aos demais mais estatisticamente igual 4,19; 9,54 e 13,04 Mg ha-1. O IAF apresentou-se superior nos tratamentos 13,04 e 18,38 Mg ha-1. Não houve diferença significativa para pol do caldo, pol da cana, pureza de caldo, ATR, TPH, brix e teor de fibra em relação a influencia dos tratamentos. No entanto, concluiu-se que a partir de 4,19 Mg ha-1 (25%) de palhada utilizada no campo, contribui no desenvolvimento da cana-de-açúcar nas condições ambientais do estudo.

  • RAIMUNDO RODRIGUES DE BRITO
  • Dinâmica da decomposição de palhada e análise morfofisiológica da cultura da cana-de-açúcar no município de União-PI

  • Orientador : FRANCISCO DE ALCANTARA NETO
  • Data: 10/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • Objetivando avaliar a quantidade mínima de palhada a ser mantida no campo, de forma a otimizar a produtividade da cana-de-açúcar a partir da dinâmica da decomposição de palhada e análise morfofisiológica da cultura da cana-de-açúcar, foi realizado um ensaio na Usina Comvap, no município de União – PI, no período de Julho de 2013 a Julho de 2014. Foi utilizado o delineamento experimental em blocos completos casualizados, com cinco tratamentos e quatro repetições, sendo os tratamentos constituídos pelos percentuais de palhada produzida na área pelo cultivo do ano anterior T=0% (0 Mg ha-1), T=25% (4,19 Mg ha-1), T=50% (9,54 Mg ha-1), T= 75% (13,04 Mg ha-1) e T=100% (18,38 Mg ha-1). Foram avaliados o comportamento morfológico e fisiológico das plantas, a produtividade de colmos e a qualidade tecnológica do caldo da cana-de-açúcar. Utilizou-se a cultivar SP813250 oriunda da quarta soca. A biometria foi realizada mensalmente, por amostragem destrutiva, medindo-se o número de perfilhos por metro linear, comprimento e largura da folha +3, numero de internódios, altura e diâmetro dos colmos, número de folhas verdes e peso de matéria seca com as quais efetuou-se a estimativa do índice de área foliar (IAF), a taxa de crescimento da cultura (TCC) e a taxa de crescimento relativo (TCR). A diagnose foliar foi realizada aos 120 dias após o corte da safra anterior, como também analise de decomposição da palhada e, por ocasião da colheita, quantificou-se a produtividade de colmos e a qualidade tecnológica do caldo (ºBrix, açúcares redutores totais (ATR), teor de fibra e pureza do caldo). Os tratamentos apresentaram respostas diferenciadas para decomposição da palha. Os níveis de palha de 9,54 a 18,38 t/ha apresentaram melhores resultados na disponibilização de nutrientes. Os melhores desempenhos morfológicos e fisiológicos das plantas foram observados para os níveis de 13,04 e 18,38 Mg ha-¹. Houve aumento significativo na resposta produtiva da cana-de-açúcar a partir de 25% de fornecimento de palha no solo. As análises tecnológicas não foram influenciadas pelos tratamentos.

     


  • HYGOR MARTINS BARREIRA
  •  

     

    DESEMPENHO AGRONÔMICO DO MILHO GRÃO EM FUNÇÃO DA INOCULAÇÃO FOLIAR COM Azospirillum brasiliense E ADUBAÇÃO NITROGENADA

  • Orientador : FRANCISCO EDINALDO PINTO MOUSINHO
  • Data: 05/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo do presente trabalho foi avaliar o desempenho agronômico da cultura do milho grão semeado sob sistema de plantio direto em estabelecimento com diferentes doses de inoculante contendo Azospirillum brasiliense aplicado via foliar associado com doses de nitrogênio fóssil nas condições edafoclimáticas de Teresina, estado do Piauí. O experimento foi conduzido de Fevereiro a Junho de 2014, em um Argissolo Vermelho-Amarelo Distrófico na área experimental do Colégio Técnico de Teresina (CTT), da Universidade Federal do Piauí (UFPI), em Teresina-PI. O sistema de cultivo foi sequeiro e o manejo do solo foi sob o sistema de plantio direto (SPD) em estabelecimento. O delineamento experimental utilizado foi em blocos ao acaso com arranjo fatorial 5x4, constituídos de cinco doses de Nitrogênio (0, 75, 150, 225, 300 kg.ha-1) e quatro doses de inoculante (0; 0,1; 0,15; 0,2 L/há-1), com quatro repetições, totalizando 80 parcelas. Não houve interação significativa entre os fatores dose de nitrogênio e inoculante sobre as variáveis rendimento de grãos de milho, índice de área foliar e altura de inserção da espiga. A dose 300 kg.ha-1 de nitrogênio sem o uso do inoculante, proporcionou o maior rendimento 12.729,17 kg.ha-¹. O maior rendimento foi estimado em 9373,95 kg.ha-¹, com as doses 265,6 kg.ha-1de nitrogênio e 197,3 ml.ha-1 de inoculante. A aplicação foliar do Azospirillum brasiliense não proporcionou aumento no rendimento do milho.

  • ANTONIO GUARANÁ MENDES
  •  

     

    ATRIBUTOS FÍSICOS DO SOLO ASSOCIADOS A RETENÇÃO E DISPONIBILIDADE DE ÁGUA EM LATOSSOLO AMARELO DISTRÓFICO NO CERRADO PIAUIENSE

  • Orientador : POLIANA ROCHA DALMEIDA MOTA
  • Data: 05/08/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    Resumo

    Objetivou-se avaliar os atributos físicos do solo relacionados ao seu manejo aplicado a cada área, bem como determinar a curva de retenção de água no solo com uso de mesa de tensão. Na Fazenda Nova Zelândia, Uruçuí-PI, foram coletadas amostras de solo representativas de duas camadas 0,0-0,1 m e 0,1-0,2 m em seis áreas de diferentes de manejo: mata nativa (MN), plantio convencional (PC), plantio direto (PD), Silvicultura (SILV), Integração Lavoura Pecuária (ILP) e Integração Lavoura Pecuária Floresta (ILPF) com cinco repetições, a partir dos quais determinou-se os atributos físicos do solo: densidade aparente (Da), densidade real (Dr), porosidade total (Pt), microporosidade (MicroP) e macroporosidade (MacroP). Estes atributos submetidos a análise de variância em delineamento inteiramente casualisado e teste de média utilizando Tukey a 5% de probabilidade. Conclui-se que dentre os atributos físicos do solo a densidade aparente,porosidade total e macro porosidade são influenciadas pelo manejo do solo. Estes influenciam diretamente a quantidade de água retida no solo disponível sem esforço fisiológico para plantas.

  • MÔNICA DE SOUSA
  •  

    Avaliação de cultivares e linhagens de feijão-caupi (Vigna unguiculata) quanto à resistência à  Callosobruchus maculatus (Fabr., 1775)

  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 24/07/2015
  • Mostrar Resumo
  • Considerando a importância do uso de genótipos de caupi resistentes a C. maculatus, esta pesquisa teve o objetivo de avaliar a presença de resistência em genótipos de V. unguiculata ao ataque deste inseto, em teste sem chance de escolha. Os genótipos utilizados foram: BRS Cauamé, BRS Guariba, BRS Itaim, Inhuma, BRS Juruá, BRS Marataõa, BRS Milênio, BRS Novaera, BRS Pajeú, BRS Paraguaçu, BRS Potengí, BRS Rouxinol, BRS Tumucumaque, BRS Urubuquara, BRS Xiquexique, 1 MNC04-768F-21, 8 MNC04-769F-46, Pingo de ouro-1-2, 29 MNC04-792F-144, 30 MNC04-792F-148, 16 MNC04-795F-158, MNC05-828-3-15 BRANCÃO, 21 MNC04-762F-3, 9 MNC04-769F-55, 14 MNC04-792F-129. A pesquisa foi conduzida no Laboratório de Fitossanidade do Centro de Ciências Agrárias (CCA) da Universidade Federal do Piauí (UFPI) em Teresina, sob condições monitoradas. Foram confinados 10 insetos não sexados em recipientes plásticos contendo 10 grãos de feijão-caupi e descartados após 7 dias, os caracteres avaliados foram: oviposição, viabilidade da fase imatura, emergência, índice de resistência. A linhagem 16 MNC04-795F-158, sobressaiu as demais obtendo o menor número de ovos e a menor viabilidade de ovos, a viabilidade larval variou de 7,78% na linhagem 29 MNC04-792F-144 a 75,54% no genótipo 30 MNC04-792F-148, a duração da fase imatura observa-se que houve uma diferença de 6,93 dias. Foi observado resistência do tipo antibiose em todos o genótipos utilizados, porém os resultados mais relevantes foram observados em 29 MNC04-792F-144, 8 MNC04-769F-46, 9 MNC04-769F-55, 16 MNC04-795F-158.

  • ANTONIO GUARANÁ MENDES
  •  

     

    ATRIBUTOS FÍSICOS DO SOLO ASSOCIADOS A RETENÇÃO E DISPONIBILIDADE DE ÁGUA EM LATOSSOLO AMARELO DISTRÓFICO NO CERRADO PIAUIENSE

  • Orientador : POLIANA ROCHA DALMEIDA MOTA
  • Data: 14/07/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    Resumo

    Objetivou-se avaliar os atributos físicos do solo relacionado ao manejo de solo aplicado a cada área, bem como, determinar a curva de retenção de água no solo com uso de mesa de tensão. Na Fazenda Nova Zelândia, Uruçui-PI, foram coletadas amostra de solo em cilindro inoxidáveis com 98 cm³ representativas de duas camadas 0-10 cm e 10-20 cm em seis áreas de diferentes de manejo: Mata nativa (MN), plantio convencional (PC), plantio direto (PD), Silvicultura (SILV), Integração Lavoura Pecuária (ILP) e Integração Lavoura Pecuária Floresta (ILPF) com cinco repetições, com os quais determinou-se os atributos físicos do solo: densidade aparente (Da), densidade real (Dr), Porosidade Total (Pt), microporosidade (MicroP) e macroporosidade (MacroP). Estes atributos foram submetidos a análise de variância em delineamento inteiramente casualisado e teste de média utilizando Tukey a 5% de probabilidade. Conclui-se que dentre os atributos físicos do solo a densidade aparente, porosidade total e macro porosidade são influenciadas pelo manejo do solo. Estes atributos influenciam diretamente a quantidade de água retida no solo disponível sem esforço fisiológico para plantas.

     

  • FRANCISCO DAS CHAGAS DE ANDRADE PORTO NUNES
  • VIABILIDADE ECONÔMICA DA IRRIGAÇÃO DA MELANCIA NO ESTADO DO PIAUÍ

  • Orientador : FRANCISCO EDINALDO PINTO MOUSINHO
  • Data: 24/06/2015
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho teve como objetivo avaliar a viabilidade econômica da irrigação no processo de produção de melancia no estado do Piauí, levando em consideração dados históricos de precipitações pluviométricas, três capacidades de armazenamento de água pelo solo e diferentes datas de semeaduras, sendo estas o primeiro dia de cada mês do ano. Tendo como base registros históricos de precipitação pluviométrica, obtidos junto a Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (SUDENE) e ao Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), coletados em 165 localidades, simulou-se o balanço hídrico de cultivo em escala diária e determinaram-se as lâminas brutas de irrigação através de planilhas com uma rotina computacional na linguagem de programação (Macros) vinculada à planilha eletrônica Microsoft Excel 2010, através do método de Monte Carlo. A evapotranspiração de referência (ETo) foi estimada em escala diária de acordo com a metodologia proposta por Thornthwaite (1948). Os rendimentos da cultura da melancia foram estimados a partir das lâminas brutas de irrigação tanto para o regime de sequeiro quanto para o irrigado levando em consideração o fator de resposta da cultura ao déficit hídrico da cultura (Ky). Os custos totais de produção da melancia foram simulados através da soma do custo de implantação da cultura e do consumo de energia elétrica (KWh-1) do sistema de irrigação necessário para reposição das lâminas brutas. Após a simulação dos rendimentos e dos custos totais de produção determinaram-se as receitas líquidas da cultura da melancia para todas as localidades e datas de semeadura, utilizou-se o software spring 5.2.7 para espacializar através de mapas temáticos, as receitas líquidas para os regimes de sequeiro e irrigado. Conforme análise dos mapas temáticos se concluiu que o cultivo da melancia em condições de sequeiro mostrou-se viável economicamente apenas para algumas combinações de CAD, época de semeadura e local de plantio. A data de semeadura 1° de fevereiro foi a que obteve as maiores receitas líquidas, assim como, as maiores áreas com as maiores receitas tanto para o cultivo de sequeiro como para as condições irrigadas. A utilização da irrigação no cultivo de melancia mostrou-se viável em todo o estado do Piauí, para todas as combinações de épocas de semeadura, CAD e local de plantio. As receitas líquidas variaram em todo o estado de Piauí em função da época de semeadura, CAD e local de cultivo tanto para as condições de sequeiro como para as condições irrigadas. 

  • PAULO HENRIQUE DALTO
  •  

     

    Qualidade do solo e dinâmica da matéria orgânica em áreas de lavoura, pecuária e floresta no cerrado Piauíiense.

  • Data: 15/06/2015
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste estudo foi identificar qual sistema de manejo do solo apresenta os melhores indicadores de qualidade do solo para áreas agrícolas no sul do estado do Piauí. O estudo foi conduzido entre os meses de setembro de 2013 e fevereiro de 2014 em três fazendas produtoras de grãos e madeira no estado do Piauí e foram avaliados os teores de carbono orgânico total (COT), carbono da biomassa microbiana (C-BMS), respiração basal do solo (RB),  quociente microbiano (qMic), quociente metabólico (qCO2), hidrólise do diacetato de fluoresceína (FDA), desidrogenase (DESID), estoque de Carbono (Estoque C), estoque de carbono orgânico particulado (Estoque COP), estoque de carbono orgânico mineralizado (Estoque COM), macroporosidade, microporosidade, porosidade total do solo, densidade aparente, densidade de partícula, resistência do solo a penetração (RP), agregados estáveis maiores que 2 mm (AGRI>2mm), agregados estáveis maiores que 0,25mm (AGRI>0,25mm), diâmetro médio ponderado (DMP), diâmetro médio geométrico (DMG) e índice de estabilidade de agregados (IEA). Os teores de argila influenciaram os indicadores de qualidade do solo mais do que os sistemas de manejo, sendo o aumento no teor de argila relacionado diretamente ao aumento do carbono no solo e nos microrganismos. Os sistemas de manejo silvicultura (SIL), mata nativa (MN) e pastagem (PAS) apresentam maiores populações microbianas em relação ao plantio convencional (PC) e o plantio direto (PD) Todos os sistemas de manejo foram superiores a MN para o COT, sendo o sistema PD 76% superior em relação a MN. O estoque de C não apresentou relação com o IEA, sendo as raízes das gramíneas da PAS o fator mais importante para estabilizar os agregados do solo. Apesar do grande aporte de serapilheira a SIL apresentou os maiores índices de RP. O PD e a PAS foram os sistemas que apresentaram os maiores índices de porosidade total.

     

     

  • MÍRYA GRAZIELLE TÔRRES PORTELA
  •  

     

    Fluxo de óxido nitroso e atributos microbiológicos de solo cultivado com cana-de-açúcar sob diferentes níveis de palhada.

  • Data: 10/04/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

     

    No Brasil a cana-de-açúcar se tornou uma cultura de destaque devido à grande produção e a fabricação de etanol e açúcar.  Por diversos anos, a colheita da cana tem sido realizada de forma tradicional, com queima da parte aérea, apresentando diversos impactos negativos, dentre os principais o aumento da emissão de gases de efeito estufa e a perda da qualidade do solo, o que tem estimulado adoção do sistema de colheita mecanizada ou cana crua. Este estudo foi realizado com o intuito de avaliar as emissões de óxido nitroso (N2O) do solo por meio analítico e por estimativa em modelagem computacional e estudar a atividade microbiana em solo sob a cultura de cana-de-açúcar com diferentes níveis de palhada. O experimento foi instalado na Usina Comvap, no município de União/PI em delineamento experimental em blocos casualizados com quatro repetições, cujo os tratamentos utilizados foram os níveis de palhada no solo (T1: 0 Mg/ha; T2: 4,19 Mg/ha; T3: 9,54 Mg/ha; T4: 13.04 Mg/ha; T5: 18.38 Mg/ha). As amostras contendo os gases foram coletadas por meio de câmaras estáticas, postas no solo, com seringas de 60 mL e colocadas em vials de 20 mL, nos tratamentos T1, T3 e T5. As amostras foram analisadas por cromatografia gasosa e os dados dos fluxos diários submetidos a análise estatística. Para a realização das simulações foi utilizado o modelo computacional DNDC, no qual foram estimadas as emissões de N2O desde o ano de 2009 até 2013 para os cinco tratamentos. As simulações da última safra foram comparadas com os dados coletados em campo por meio de índices estatísticos para validação do modelo. Foram coletadas amostras de solo para a determinação dos teores e estoques de carbono orgânico total (COT) e nitrogênio total (NT) e dos teores de Carbono da biomassa microbiana(Cmic) e Nitrogênio da biomassa microbiana (Nmic) além da respiração basal (RB) e quocientes metabólico e microbiano, na profundidade de 0-10 cm. Os dados foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey, e submetidos a uma análise estatística multivariada pela análise de agrupamento e análise de componentes principais. Os fluxos de N2O não foram influenciados pelos níveis de palhada no solo (p<0,01). Quanto às simulações feitas pelo modelo computacional, estas permitiram visualizar em todas as safras as maiores emissões relacionadas aos tratamentos com maior quantidade de palhada no solo. Ao se comparar os dados de campo com os dados simulados encontrou-se diferença entre valores de aproximadamente 9% para o nível 0%, 18% para o nível 50% e 13% para o nível 100%, dentro da margem de erro do II inventário Brasileiro de Emissões de N2O de solos agrícolas. Observou-se ainda que o aumento dos níveis de palhada no solo não provocou diferenças (p<0,01) apenas nos teores e estoques de nitrogênio. A análise de agrupamento dividiu os tratamentos em três grupos distintos, nos quais o tratamento com 0 Mg.ha-1 agrupou-se com o tratamento com 4,19 Mg.ha-1palhada, o tratamento com 9,54 Mg.ha-1 de palhada ficou isolado dos demais grupos, sendo na análise de componentes principais fortemente correlacionado apenas ao quociente microbiano e o grupo formado pelos tratamentos com 13, 04 e 18,38 Mg.ha-1 de palhada no solo correlacionado com a maioria dos atributos avaliados.


     

  • ANDRE DA SILVA ROCHA
  • SUBSTRATOS ORGÂNICOS E ADUBAÇÃO NITROGENADA NA PRODUÇÃO DE MAMONA EM TERESINA-PI

  • Orientador : ANTONIO AECIO DE CARVALHO BEZERRA
  • Data: 31/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • cultura da mamona tem grande importância no Brasil, principalmente na Região Nordeste, com destaque para o semiárido, gerando mão de obra principalmente para agricultores familiares que a cultivam como forma de complementação de renda. O principal produto da mamona é o óleo de rícino, e na sua cadeia produtiva são gerados dois subprodutos, a casca e a torta. Ambos apresentam características peculiares que lhes permite a sua utilização como adubos orgânicos, e que muitas vezes não é utilizada pelos agricultores, assim como outras fontes orgânicas. Com o objetivo de avaliar os efeitos da utilização da casca, da torta e do esterco de caprino como substrato orgânico na germinação, crescimento e produção de plantas de mamona da Cultivar BRS Gabriela, foi conduzido um experimento de campo em um argisolo no campo experimental do Colégio Técnico de Teresina - PI no período de março a setembro de 2014. Os tratamentos consistiram de seis substratos orgânicos aplicados em cova, sendo torta de mamona, casca de mamona natural, casca de mamona moída, mistura de casca natural + torta, mistura de casca moída + torta e, esterco caprino, nas proporções de: 4, 10, 10, 10:4, 10:4 e 15 (% v:v), respectivamente, além de uma testemunha relativa, que recebera apenas adubação nitrogenada de cobertura aos 30 DAE na quantidade de 50,0 kg ha-1, e uma testemunha absoluta que não recebera nenhum tipo de adubação, totalizando oito tratamentos dispostos em blocos ao acaso com quatro repetições. Além dos adubos orgânicos, todos os tratamentos, com exceção da testemunha absoluta, receberam adubação básica de P e K na quantidade de 90 kg ha-1para ambos. A utilização da mistura de casca natural mais torta possibilitou maior rendimento da mamoneira. O substrato composto por apenas torta de mamona proporcionou maior desenvolvimento inicial das plantas e maior incremento de massa no racemo primário. Já a utilização da casca de mamona, natural ou moída, não deve ser utilizada como única fonte de adubação orgânica. O esterco caprino proporcionou rendimento semelhante ao tratamento com adubação nitrogenada de cobertura, caracterizando-se uma alternativa quando não houver possibilidade de utilização de insumos agrícolas.

     

  • JOSÉ EDUARDO VASCONCELOS DE CARVALHO JÚNIOR

  • CARACTERIZAÇÃO  E DIVERSIDADE GENÉTICA EM ACESSOS DE MANGUEIRA DA VARIEDADE ROSA DO BANCO ATIVO DE GERMOPLASMA DA EMBRAPA MEIO NORTE

  • Orientador : REGINA LUCIA FERREIRA GOMES
  • Data: 27/03/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  •  

     

    A manga é uma das mais importantes frutas tropicais. A diversificação de variedades é essencial para a consolidação da cultura no mercado, com isso é necessário o conhecimento sobre a diversidade de germoplasma disponível e suas relações genéticas, para o desenvolvimento de novas variedades. A manga Rosa é uma variedade local bastante apreciada, especialmente, devido às suas características como alto teor de sólidos solúveis totais, cor atrativa, um sabor e cheiro bem característicos do fruto, entre outras. O objetivo deste trabalho foi caracterizar e estudar a diversidade genética de 26 acessos de manga rosa do Banco Ativo de Germoplasma de Embrapa Meio-Norte. A caracterização foi realizada com base em 30 descritores do fruto, sendo estimadas as percentagens de acessos classificados para todos os descritores utilizados. Para o estudo da diversidade genética foram avaliados 14 caracteres físico-químicos do fruto, os dados foram submetidos à análise de agrupamentos pelo método UPGMA e análise de componentes principais. Em geral, houve pouca variabilidade entre os acessos de manga Rosa. Dentre os 30 descritores, 12 não apresentaram diferenças entre os acessos. Para frutos prontos para consumo, 92,31% dos acessos apresentaram cor da epiderme amarelo e vermelho. Quanto à suculência, foi considerada média para 96,15% dos acessos. Quatro acessos apresentaram polpa classificada como pouco fibrosa, sendo uma característica importante para o melhoramento. O teor de sólidos solúveis verificado foi alto, acima de 14 ºBrix para todos os acessos, sendo que dois acessos apresentam valores de sólidos solúveis maiores do que 20 ºBrix, podendo ser selecionados para programas de melhoramento. A análise de agrupamento possibilitou a formação de três grupos de acessos, sendo que o grupo 3 apresentou as maiores médias para a maioria dos descritores utilizados. A massa do fruto e a massa da polpa podem ser selecionadas indiretamente por meio do comprimento e diâmetro menor do fruto, que apresentam mensuração mais fácil. Os caracteres: massa de fruto, comprimento, diâmetro maior, diâmetro menor, massa da casca, massa da semente e massa da polpa são os que mais contribuem para a divergência entre os acessos de manga Rosa. Os acessos Rosa 25 e Rosa 40 podem ser considerados candidatos a seleção por apresentarem atributos importantes para o melhoramento da manga Rosa.

     

     

     

     

     

  • JOÃO SILVESTRE DA SILVA NETO


  • ATIVIDADES DE FORMULAÇÕES EM PÓ PROVENIENTES DE FRUTOS DE Piper tuberculatum SOBRE Zabrotes subfasciatus MANTIDOS EM GRÃOS DE FEIJÃO-FAVA.

     

  • Orientador : LUIZ EVALDO DE MOURA PADUA
  • Data: 27/03/2015
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • RESUMO: O feijão-fava, Phaseolus lunatus L., é uma cultura de grande importância para região Nordeste do Brasil, principalmente como fonte de renda e alimento para as populações. A cultura enfrenta alguns problemas durante o armazenamento, causados por insetos que ataca os grãos armazenados. O gorgulho Zabrotes subfasciatus (Coleoptera: Chrysomelidae: Bruchinae) é considerado a principal praga durante o armazenamento de grãos de feijão-fava, os danos causados pelos insetos diminuem a qualidade, a germinação, prejudica a aparência, palatabilidade e a aceitabilidade pelos consumidores. Umas das formas para controle que não cause danos ao homem e o meio ambiente é o controle alternativos utilizando plantas inseticidas. O objetivo desse trabalho foi determinar a concentração letal do pó do fruto de Piper tuberculatume avaliar os efeitos da forma de utilização do pó vegetal sobre Zabrotes subfasciatus em grãos de feijão-fava armazenados. Foi determinada a concentração letal mediana (CL50) e em foram avaliadas a mortalidade, oviposição e emergência, percentual de morte prematura e período médio de desenvolvimento em teste sem chance de escolha, repelência e oviposição e emergência, em teste com chance de escolha. Inicialmente, foram realizados testes preliminares para determinar a CL50 em teste sem chance de escolha. Posteriormente, avaliou-se o efeito de diferentes dosagens sobre o inseto e o efeito da P. tuberculatumnas formulações (aplicado puro e dentro de sachês). A concentração letal mediana (CL50) para P. tuberculatum foi de 0,018 g de pó/10 g de grãos, a planta apresentou indicie de repelência neutra para o Z. subfasciatus nas formas de aplicação do pó. O pó dos frutos da P. tuberculatum causam efeitos tóxicos sobre os Z. subfasciatusprovocando diminuição na oviposição, emergência e aumento da mortalidade, nos testes livre chance de escolha e sem chance de escolha.

     

    Palavras-chave: Concentração letal mediana, Plantas inseticidas, Controle alternativo de pragas.

  • CAROLINA DE SOUSA SANTANA
  •  

     

    EFEITO DE ÓLEOS ESSENCIAIS NO CONTROLE DE ZABROTES SUBFASCIATUS (BOH., 1833) (COLEOPTERA:CHRYSOMELIDAE: BRUCHINAE) EM FEIJÃO FAVA (PHASEOLUS LUNATUS).

     

  • Orientador : LUCIA DA SILVA FONTES
  • Data: 26/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • Diversos insetos são responsáveis por causar danos em grãos armazenados, dentre estes Zabrotes subfasciatus é um dos maiores causadores de perdas qualitativas e quantitativas em Phaseolus lunatus. Os inseticidas químicos estão entre os métodos mais utilizados para reduzir o nível de dano econômico através do controle, porém este tipo de manejo prejudica tanto o meio ambiente como os seres vivos. A utilização de pós e óleos essenciais originados de plantas são alternativas viáveis para reduzir a dependência exclusiva desses produtos. Devido a esta necessidade o objetivo deste estudo é avaliar o efeito tóxico, fumigante e de preferência de óleos essenciais sobre Zabrotes subfasciatus em Phaseolus lunatus. Os compostos majoritários dos óleos em estudo foram D-Limoneno em Citrus aurantium (99,9%), Beta asarona em Acorus calamus (99,9%), Aldeído cinâmico em Cinnamomum cassia (95%) e em Betula lenta o salicilato de metila(2-hidroxibenzoato de metila 99,9%). Os óleos de Acorus calamus, Betula lenta, Cinnamomum cassia e Citrus aurantium apresentaram CL50 de 0,04; 0,45;0,45; 5,0 respectivamente no experimento de contato. Foi constatado nas análises de regressão que ao aumentar a concentração reduzia a oviposição e o número de insetos emergidos. No experimento de fumigação as CL50 variaram de 59,4 a 679,1 e as razões de toxidades de 11,4 a 88,8. No experimento de preferência as concentrações 0,2; 0,6; 25; 1,0 de Acorus calamus, Betula lenta, Citrus aurantium e Cinnamomum cassia respectivamente foram as que obtiveram maior porcentual de redução de ovos e emergência de adultos.

     

  • RODRIGO DE CARVALHO BRITO
  •  

     

    USO DE ÓLEOS ESSENCIAIS NO MANEJO DE Callosobruchus maculatus (FABR.) (COLEOPTERA:CHRYSOMELIDAE, BRUCHINAE), EM GRÃOS DE CAUPI.

  • Orientador : LUCIA DA SILVA FONTES
  • Data: 26/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • RESUMO: O caruncho do feijão [Callosobruchus maculatus (FABR.) (COLEOPTERA:CHRYSOMELIDAE, BRUCHINAE)] é a mais importante praga do feijão-caupi armazenado. O seu controle tem sido feito com uso de fosfina e brometo de metila, porém o uso de óleos essenciais tem sido pesquisado e recomendado como meio alternativo ao não uso de agroquímicos no controle de pragas de grãos armazenados.  Assim, o presente trabalho teve por objetivo investigar a eficiência de óleos essenciais de Betula lenta, Cinnamomum cassia, Citrus aurantium var. Amara e Acorus calamus no tratamento de grãos de feijão caupi [Vigna  unguiculata  (L.)  Walp.]  em condições de armazenamento, para o  manejo  de  Callosobruchus  maculatus  (FABR.)  (COLEOPTERA:  CHRYSOMELIDAE, BRUCHINAE). Os compostos majoritários foram Saliciato de metila (99%) para o óleo de B. lenta; Aldeído cinâmico (95%), Álcool cinâmico (2%), Cumarina (1,7%) e Benzaldeído (1%) para óleo de C. cassia; Limonene (99,9%) para o óleo de C. aurantium var. Amara e Beta-asarone (95%) Alfa-asarone (5,0%) para o óleo de A. calamus. As CL50 encontradas no teste de contato foram de 0,61; 0,63; 0,64 e 22,98 μL/20g de feijão para os óleos de A. calamus, B. lenta, C. cassia e C. auratium var. Amara, respectivamente. De acordo com os dados, o número de ovos e insetos emergidos diminuíam a medida que aumentava a dose dos óleos essenciais. As CL50 estimadas no teste de fumigação foram de 5,16; 8,24; 25,84 e 35,31 μL/L de ar para os óleos de A. calamus, B. lenta, C. auratium var. Amara e C. cassia, respectivamente, e as razões de toxicidade variaram de 1,36 a 6,84. Com base nos dados do teste de preferência, todos os óleos se comportaram como antagonista à biologia de C. maculatus, sendo que estes exerceram atividade de deterrência contra a oviposição e emergência de adultos, principalmente nas maiores concentrações.

     


  • NAYARA DE JESUS MORAES
  • Fixação biológica do nitrogênio e estresse oxidativo em plantas de caupi cultivadas em solo com lodo de curtume

  • Orientador : ARTENISA CERQUEIRA RODRIGUES
  • Data: 25/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • Os resíduos industriais, como o lodo de curtume compostado (LCC), podem ser utilizados na agricultura como uma alternativa ao uso de fertilizantes nitrogenados gerando, portanto, a redução de gastos e permitindo o seu uso sustentável. Neste contexto, este trabalho teve como objetivo avaliar a simbiose entre a estirpe BR 3267 de Bradyrhizobium sp. e plantas de caupi cv. Guaribas cultivadas em solo com seis anos consecutivos de aplicação de LCC em quatro diferentes doses (0; 5; 10; e 20 Mg ha-1). Para tal, foram implementados dois experimentos em condições de casa de vegetação com plantas cultivadas em vasos contendo solo classificado como Neossolo fúlvico. Além disso, utilizou-se uma testemunha absoluta para cada dose de LCC (tratamento sem inoculação) e uma testemunha nitrogenada (TN). O primeiro experimento objetivou avaliar parâmetros relacionados à FBN e foi executado em blocos casualizados em esquema fatorial 4 x 2 (quatro doses de LCC; inoculada ou não com BR 3267) com quatro repetições. Neste, as plantas de caupi inoculadas ou não foram cultivadas em vasos contendo solo suplementado com diferentes doses de LCC e, após 65 dias de experimento, avaliou-se: comprimento e espessura da raiz; matéria fresca da parte aérea, raízes e nódulos; matéria seca da parte aérea (MSPA), raízes (MSR) e nódulos (MSN); taxa de crescimento absoluto; número de nódulos; eficiência de fixação de nitrogênio; e nitrogênio acumulado. Observou-se, neste primeiro experimento, que não houve interação significativa entre os níveis de LCC e a inoculação quanto a maioria das variáveis analisadas. As plantas de caupi inoculadas e suplementadas com 0; 5; e 10 Mg ha-1 de LCC, enquanto que para o número de nódulos os melhores resultados foram obtidos nas doses de 0; 5; e 20 de LCC. No segundo experimento, o delineamento foi blocos casualizados com esquema fatorial 4 x 2 x 2, sendo quatro doses de LCC; inoculada ou não com BR 3267; e dois tempos de coleta (ponto de florescimento e de emissão de vagens). Após as coletas nos dois tempos estabelecidos, determinou-se os níveis de peróxido de hidrogênio; a concentração de leghemoglobina (LHb); e a atividades das enzimas catalase (CAT), desidrogenase do glutamato aminante (GDHa), sintetase de glutamina (GS) e peroxidase de fenóis (POX) nos nódulos de plantas de caupi. Os níveis de peróxido de hidrogênio nos nódulos de caupi, coletados no período de florescimento e na coleta das vagens, foram menores na dose de 10 Mg ha-1 de LCC. Observou-se que a LHb nos nódulos foi incrementada nas plantas inoculadas e submetidas à 5 Mg ha-1 de LCC (no florescimento) e à 20 Mg ha-1 (na emissão de vagens). As enzimas CAT, GDHa, GS e POX foram diferentemente moduladas com relação às doses de LCC aplicadas, presença ou ausência do BR 3267 e épocas de coleta. Durante o florescimento, período onde a eficiência simbiótica é maior, a atividade das enzimas antioxidantes foi maior nas doses 5 e 10 Mg ha-1 de LCC nas plantas inoculadas com BR 3267. Já na época de coleta das vagens, a atividade das enzimas CAT, GDHa e POX foram aumentadas nas plantas inoculadas com BR 3267. Estas respostas podem estar associadas a contribuição da inoculação à habilidade de certos genótipos em degradar substâncias tóxicas liberadas em condições de estresse.

  • AURELIO RIBEIRO MENESES
  • Dinâmica populacional de Dalbulus maidis (DeLong & Wolcott) (Hemiptera: Cicadellidae) e seus parasitoides em cultivos de milho no Nordeste brasileiro

  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 24/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo do presente trabalho foi estudar a dinâmica populacional de D.maidis e seus parasitoides em cultivos de milho no Nordeste brasileiro; avaliar o efeito de armadilhas amarelas em diferentes alturas na captura do inseto e avaliar o efeito de variáveis climáticas sobre sua população. Além de identificar os parasitoides que atacam naturalmente a cigarrinha-do-milho, descrever a flutuação populacional desses parasitoides    e avaliar a influência de variáveis climáticas sobre esses inimigos naturais. Obteve-se que para as duas alturas de amostragem houve influência do tipo de armadilha sobre a densidade de D.maidis, sendo a armadilha do tipo cartão mais eficiente em ambos os casos. Nos cartões, em sequeiro, a altura de 0,5m, obteve incrementos de densidade de 8,8 e a altura de 1,5m obteve incrementos de 12. Já no período irrigado, os incrementos de densidade foram de 80,0 e 292,4 insetos por armadilha para as alturas 0,5 e 1,5m, respectivamente. Portanto a altura de 1,5m foi, no geral, mais eficiente. A distribuição vertical do inseto acompanhou o crescimento do milho, na fase vegetativa foram coletados mais insetos a 0,5m e nas demais fases a 1,5m.  Para D. maidis, em sequeiro, a maior abundância foi obtida no mês de maio, no início da fase de maturação do milho a 77 DAE (Dias após a emergência). Já no milho irrigado ocorreu um pico populacional em setembro, época que também correspondeu à fase de maturação a 77 DAE, nessa lavoura foi obtido 93% do total de D.maidis coletadas. Observando-se que o aumento da população de D.maidis esteve relacionado à queda da umidade relativa do ar. Quanto aos parasitoides, esse foi o primeiro registro de Paracentobia subflava no Brasil e o primeiro registro de sua associação com D. maidis no país. Foi o primeiro registro da associação entre Pseudoligosita longifrangiata e a cigarrinha-do-milho no Brasil. E o primeiro registro do parasitismo de Anagrus breviphragma sobre D. maidis no Nordeste brasileiro. A. breviphragma, P. subflava e P. longifrangiata ocorreram predominantemente durante a estação chuvosa. Sendo que A. breviphragma e P. longifrangiata tem maior capacidade de adaptação à estação seca que P. subflava. O aumento do índice pluviométrico foi seguido por incrementos sobre a média de parasitoides coletados e o maior índice pluviométrico coincidiu com o pico populacional dos parasitoides obtido em abril de 2013.

  • LUCIANO MOURA LIMA


  • Atributos químicos e biológicos de um solo cultivado com feijão-caupi após seis anos de consecutivas aplicações de doses de lodo de curtume compostado

  • Orientador : ADEMIR SERGIO FERREIRA DE ARAUJO
  • Data: 20/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • A utilização de lodo de curtume na agricultura pode ser uma alternativa para disposição e reciclagem desse resíduo. Por outro lado, o acúmulo no solo de altas concentrações de sais e cromo, geralmente presentes no lodo de curtume, podem ocasionar efeitos negativos ao meio ambiente. Nesse sentido, o objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de seis anos de aplicação consecutiva de lodo de curtume compostado (LCC) nos atributos químicos e biológicos de um solo arenoso cultivado com feijão-caupi. O experimento foi conduzido em campo com aplicação de 0; 2,5; 5,0; 10 e 20 Mg ha-1 de LCC e amostras de solo foram coletadas (0-20 cm) 30 e 60 dias após a aplicação. A partir dessas amostras avaliou-se, o carbono da biomassa microbiana (CBM), a respiração basal, o quociente metabólico (qCO2), o quociente microbiano (qMIC), a atividade enzimática do solo (desidrogenase, hidrólise de diacetato de fluoresceína (FDA), fosfatase alcalina, β-glicosidase) e o carbono orgânico total (COT) nos dois períodos de amostragem. Enquanto, o pH, a condutividade elétrica e as concentrações de cálcio (Ca), magnésio (Mg), fósforo (P), potássio (K), sódio (Na), e cromo (Cr) foram determinados ao final do experimento. A aplicação de LCC promoveu mudanças nos atributos químicos do solo, observando-se aumento nos valores de pH e condutividade elétrica, bem como na concentração de Ca, Mg, P, K, Na, COT e Cr do solo. A adição de LCC também influenciou o CBM, a respiração, o qCO2, o qMIC e as atividades enzimáticas, sendo o efeito, geralmente mais evidente na maior dose (20 Mg ha-1) nos dois períodos de amostragem. De acordo com os resultados, as mudanças no tamanho e atividade da biomassa microbiana acompanharam as modificações nos atributos químicos do solo decorrentes da aplicação do LCC, principalmente elevação do COT e Cromo.

     


  • FRANCINALVA DE MORAIS SOUSA
  •  

     

    FENOLOGIA E DETERMINAÇÃO DO NÍVEL DE DANO DE INSETOS DESFOLHADORES NA CULTURA DO FEIJÃO-FAVA NO ESTADO DO PIAUÍ

  • Orientador : LUIZ EVALDO DE MOURA PADUA
  • Data: 24/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • O feijão fava é uma cultura de grande importância para a região Nordeste do Brasil onde é explorada como fonte de renda e alimento para a população. Considerando a importância desta cultura o presente trabalho teve como objetivo descrever a fenologia e determinar o nível de dano de insetos desfolhadores associados a desfolha artificial, na cultura do feijão-fava no estado do Piauí. A pesquisa foi desenvolvida no campo experimental do Colégio Técnico de Teresina (CTT), localizado na Universidade Federal do Piauí (UFPI), no período de julho a outubro de 2014.A desfolha foram feitas em duas épocas distintas Vegetativa e Reprodutiva, ocorrendo aos 35 e 50 dias respectivamente.Da semeadura até o estádio R1( aparecimento dos primórdios reprodutivos) foram necessários 41,26 dias e de R1 até R6 (maturação da primeira vagem) a planta necessitou de mais 47,88 dias. A maturação das vagens não é uniforme, então desde o inicio de R6 até a ultima colheita foram 24 dias. A planta de feijão-fava quando em V1(primeiro trifólios abertos) tem uma altura média de 14,12 cm e em R6 atinge em média 78,29 cm de altura. Em decorrência das desfolhas houve uma diminuição no número de vagens,resultando na queda do número de grãos por planta quando o nível de desfolha foi igual ou superior a 50%. Não houve efeito significativo da época e dos níveis de desfolhas aos 35 e aos 50 DAP nos parâmetros número de grãos por vagem e comprimento médio de vagens. Desfolhas de 25, 50, 75 e 100% contribuíram para a diminuição do peso de 100 grãos. A produção e produtividade foram reduzidas em plantas com desfolhas de 50 a 100% nos estádios vegetativo e reprodutivo do feijão-fava.


  • KEYLA COSME DA SILVA
  •  

     

    Tithonia diversofolia como alternativa de controle de Pratylenchus brachyurus.

  • Orientador : FRANCISCO DE ALCANTARA NETO
  • Data: 15/01/2015
  • Mostrar Resumo
  • Objetivando avaliar o potencial de Tithonia diversifolia como alternativa de controle de Pratylenchus brachyurus, foram instalados dois experimentos em casa de vegetação da Universidade Federal do Piauí,  no período de março a outubro de 2014. No primeiro ensaio foram utilizadas diferentes doses de folhas verdes trituradas de girassol mexicano, e inoculação com 240 exemplares de Pratylenchus, incorparados ao solo. No segundo ensaio, utilizou-se o mulch de girassol, com 500 exemplares de Pratylenchus. Nos dois experimentos o delineamento foi inteiramente ao acaso com 5 tratamentos e 7 repetições. Foram utilizadas as mesmas dosagens 0, 5, 10,15 e 20 g/kg de solo esterilizado e o sorgo como testemunha susceptível. Cada parcela foi representada por um vaso de 2l, contendo uma planta indicadora de suscetibilidade com 15 dias de idade, o quiabeiro cv. Santa Cruz 47.  Aos 60 dias após a inoculação, os nematoides foram extraídos das raízes e do solo e, em ambos os ensaios, foram analisadas as variáveis: peso do sistema radicular, peso da parte aérea, número de nematoides no solo e na raiz que, a partir da quantificação destes calculou-se o fator de reprodução (FR). No teste com incorporação de folhas verdes de Tithonia, todos os tratamentos reduziram a população de nematoides, com destaque para a dosagem de 20g /kg solo, cujo FR= 0,70, considerado resistente e apresentou maior crescimento do quiabeiro quando comparada a testemunha. No experimento utilizando o mulch, verificou-se, 60 dias após a inoculação, redução significativa da população de nematoides em todos os tratamentos e, a partir da dosagem 10g/kg solo, a redução de nematoides no solo e na raiz foi de 100%, contribuindo para o aumento da fitomassa do quiabeiro. Dessa forma pode-se concluir que a T. diversifolia tem potencial nematicida, podendo ser utilizada como planta antagonista no controle de P. brachyurus.

     


2014
Descrição
  • CLAUDYANNE DO NASCIMENTO COSTA
  •  

     

    Variabilidade espacial e simulação pelo  modelo Century dos estoques de carbono e nitrogênio do solo sob plantio direto e convencional  no Cerrado Piauiense

  • Data: 16/09/2014
  • Mostrar Resumo
  • O avanço das fronteiras agrícolas, caracterizado pela substituição de ecossistemas naturais por áreas cultivadas, vem se intensificando nas ultimas décadas, acarretando alterações na qualidade e dinâmica dos estoques de carbono (Est C) e nitrogênio (Est N) do solo. Assim, o estudo dos impactos da adoção de diferentes sistemas de manejo torna-se essencial para a tomada de decisão de melhores estratégias de uso e manejo agrícola. O objetivo desse estudo foi avaliar a variabilidade espacial dos Est C e N em Latossolo sob plantio direto e convencional, além de simular os efeitos dos usos e manejos nos Est C e N do solo em diferentes compartimentos e comparar os resultados observados aos simulados pelo modelo Century. O estudo foi realizado na bacia hidrográfica do riacho Sangue localizado nos municípios de Uruçuí e Sebastião Leal, onde encontram-se em rápido crescimento populacional e econômico em função da expansão agrícola, especialmente soja, milho e arroz. A MN apresentou maiores Est C, seguido do PD e PC. Para os Est N, na profundidade de 0-20 cm, o PD apresentou maiores médias, correspondentes a 80% a mais em relação ao PC. O PD acumulou 0,8 Mg.ha-1 de C em relação ao  PC na camada de 0-20 cm. A densidade do solo foi menor no PD (0,8g/kg), sistema que apresentou maior Est C no solo. Os teores de argila foram maiores no PD (25,1g/kg) quando comparado ao PC (23,0g/kg) e MN (22,5g/kg).  Os Est C e N decresceram com o aumento da profundidade.  O CV para todas as variáveis, em média foi considerado moderado (18 a 69%). Houve dependência espacial moderada entre os atributos avaliados, com exceção dos Est C na camada de 0-20 cm. O PD apresentou a capacidade de recuperação parcial dos Est C e N quando comparado ao PC. O Century mostrou-se sensível as mudanças de manejo, sendo os compartimentos mais lábeis (ativo e lento) mais sensíveis do que o mais estável (passivo). Em relação aos Est C, o modelo simulou estoques próximos aos medidos no campo. Para os Est N o modelo foi menos preciso, uma vez que houve uma diferença de 0,63 t/ha entre os estoques simulados (2,21t/há) e medidos (1,58t/há). Houve incremento nos Est C e N com a implantação da cultura da soja. O PD 2000, foi o sistema que apresentou menores perdas de Est C e N do solo, mantendo ou recuperando o C e N do solo. A utilização do sistema de informação geográfica, associado a técnicas de geoestatística e o uso de modelagem podem contribuir com a tomada de decisão de implantação do manejo agrícola no cerrado piauiense.

     

     

     


  • BRUNO KARVAND FERREIRA SOARES
  •  

     

    QUALIDADE DE UM SOLO EM ÁREAS MANEJADAS POR PASTAGENS E SISTEMA SILVIPASTORIL EM TERESINA-PI

  • Data: 12/09/2014
  • Mostrar Resumo
  •  RESUMO:

    O manejo sustentável dos sistemas de pastagens depende, principalmente, da manutenção das propriedades físicas, químicas e biológicas que possam promover a qualidade do solo. Desta forma, o objetivo do trabalho foi avaliar o índice de qualidade do solo, por meio de alterações de indicadores físicos, químicos e biológicos, em sistemas de manejos com Braquiária, Leucena e sistema silvipastoril em relação a uma Mata de Cocais. Nesses sistemas foram realizadas coletas de solo em setembro de 2013 no período seco e em fevereiro de 2014, período de boa umidade do solo. Os maiores valores de carbono da biomassa microbiana e carbono orgânico foram encontrados nos sistemas de manejo com Braquiária e Leucena no período seco e na Mata no período úmido. O maior valor de respiração basal foi observado na Mata nativa no período seco, o que poderia indicar um maior equilíbrio energético nesse sistema, enquanto no período úmido não houve diferenças. Todos os sistemas estudados mostraram um quociente microbiano inferior a 1. Os sistemas de Mata e Silvipastoril apresentaram valores favoráveis de densidade e porosidade. A leucena apresentou maiores valores de densidade na camada 0 – 0,10 m, e na camada de 0,10 – 0,20 m juntamente com a Braquiaria. Os sistemas com Braquiaria e Leucena mostraram uma melhor fertilidade do solo. Observou-se maiores valores nos Índices de Qualidade de Solo nos sistemas com Braquiaria e Leucena superando o sistema de referência. O adequado manejo do capim Braquiaria e Leucena para produção de feno e em pastejo contribuiu indicando que as práticas de manejo adotadas nesse ambiente estão contribuindo para a sustentabilidade dos mesmos.

     


  • SILVANA DE OLIVEIRA TAVARES
  •  

     

     

    Adaptabilidade, estabilidade e análise de divergência de genótipos de soja no sul do Piauí.

  • Orientador : JOSE ALGACI LOPES DA SILVA
  • Data: 24/07/2014
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho, a estabilidade e a adaptabilidade de genótipos de soja nas safras agrícolas de 2010/11, 20011/12, 2012/13, em uma área produtora de soja no município de Bom Jesus. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos casualizados, com quatro repetições, sendo os tratamentos constituídos por 23 genótipos de soja oriundos do Programa de Melhoramento Genético de Soja da Universidade Federal de Uberlândia. Na avaliação da adaptabilidade e estabilidade dos foram utilizados os métodos AMMI, Eberhart e Russell e Centróide e, no estudo de divergência, foi utilizada a distância generalizada de Mahalanobis, onde os agrupamentos foram realizados pelos métodos de otimização de Tocher e UPGMA. O rendimento médio de grãos variou de 854,27 kg ha-1 (ambiente III) até 4507,31 kg ha-1 (ambiente I), com média geral de 2108,26 kg ha-1. Pela metodologia proposta por Eberhart e Russell, os genótipos G4, G6, G14, G20, G21 e G22 apresentaram coeficiente de regressão linear acima de 1 ( >1), porém com média inferior à média geral, sugerindo adaptabilidade a ambientes favoráveis. Através do método de Centróide, apenas o genótipo 22 foi classificado como adaptável somente a ambientes favoráveis. Na análise de divergência genética, apresença de variabilidade genética permitiu a identificação de genótipos dissimilares com maior distância genética (Mahalanobis) apresentada entre os genótipos G17 e G20 e mínima entre os genótipos G6 e G18. A característica altura de plantas na maturação foi a que mais contribuiu para a dissimilaridade entre os 26 genótipos de soja avaliados com 40,71% do total. Na análise de agrupamento gerado pelo método de Tocher houve a formação de oito grupos distintos, sendo que o grupo I, apresentou o maior número de genótipos em sua formação. A maior distância genética obtida pelo método UPGMA, está entre os genótipos do grupo I e o genótipo G17.

     

     

  • LUCELIA DE CÁSSIA RODRIGUES DE BRITO


  • Comportamento de  cultivares de feijão-caupi de porte semiprostrado em resposta a diferentes densidades de plantas

  • Orientador : ANTONIO AECIO DE CARVALHO BEZERRA
  • Data: 27/06/2014
  • Mostrar Resumo
  • Tradicional na região Norte e Nordeste, o feijão-caupi (Vigna unguiculata L. Walp.) ainda é considerada uma cultura de baixa produtividade, embora apresente alto potencial produtivo. Estudos evidenciem efeitos da densidade de plantas nos parâmetros morfofisiológicos e de produção como um dos principais fatores responsáveis pela baixa nos rendimentos de grãos, o entrave está nas particularidades de cada material estudado, além do que, para cultivares de feijão-caupi de porte semiprostrado/prostrado o referencial bibliográfico é menos vasto em comparação às variedades mais voltadas ao sistema de produção tecnificado (variedades de porte ereto). O presente estudo teve como objetivo avaliar os efeitos de cinco densidades de plantas (80.000; 160.000; 240.000; 320.000 e 400.000 plantas ha-1) sobre os componentes morfológicos NRL, CE, CH, DC e NNRP em quatro variedades de feijão-caupi de porte siprostrado/prostrado (BRS Marataoã, BRS Xiquexique, BRS Paraguaçu e BRS Pujante). O experimento foi conduzido na área experimental da Embrapa Meio-Norte, em Teresina, Piauí, de junho a agosto de 2013. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados no esquema fatorial (4x2), com quatro repetições. Os componentes CE, CH e NRL apresentaram efeitos lineares em função do aumento da densidade de plantas, enquanto o DC sofreu efeitos quadráticos quando aumentaram-se as densidades. Incrementos no número de plantas não influenciaram o NNRP.

  • MARCUS WILLAME LOPES CARVALHO
  •  

     

     

    Comparação de dados meteorelógicos obtidos por estações convencional e automática e estimativa de evapotranspiração de referência em Teresina, Piauí

  • Data: 27/06/2014
  • Mostrar Resumo
  • Realizou-se neste trabalho um estudo comparativo entre dados meteorológicos obtidos em estações meteorológicas convencionais (EMC) e automáticas (EMA), bem como sua utilização na estimativa diária da evapotranspiração de referência (ETo), pelo método de Penman-Monteith, em Teresina-PI, no período de seis anos (2008 a 2013). As comparações dos dados foram feitas por meio dos seguintes indicadores estatísticos: análise de regressão – coeficiente de determinação (R2), índice de concordância de Willmott (d), coeficiente de correlação (r) e índice de confiança (c). Ao analisar-se as variáveis separadamente observou-se altas correlações para os dados de temperatura máxima, temperatura média, umidade relativa do ar, precipitação e pressão atmosférica, com coeficiente de determinação (R²) de 0,9450, 0,7876, 0,8934, 0,9716 e 0,9981 respectivamente. Os piores resultados foram das variáveis: temperatura mínima, velocidade do vento, radiação líquida, com respectivos R² de 0,4016, 0,5769 e 0,3293.  Após a análise individual realizou-se a comparação dos dados na estimativa da evapotranspiração de referência (ETo), concluindo-se que os elementos meteorológicos velocidade do vento, radiação líquida e temperatura mínima, utilizados na estimativa da ETo, ocasionaram variabilidade no valor estimado da ETo com R² de 0,7793.

     

     

  • ADÃO CABRAL DAS NEVES
  •  

     

     

    Comportamento de cultivares de feijão-caupi de porte semiereto em função da densidade de plantas

  • Orientador : ANTONIO AECIO DE CARVALHO BEZERRA
  • Data: 26/06/2014
  • Mostrar Resumo
  • Foi realizado um experimento com o objetivo de avaliar os efeitos de diferentes populações de plantas em cultivares de feijão-caupi (Vigna unguiculata (L.) Walp.), de porte semiereto, sobre características morfológicas, fisiológicas e de produção de grãos. O experimento foi conduzido na área experimental da Embrapa Meio-Norte, no município de Teresina, PI, no ano de 2013. Utilizou-se o delineamento experimental de blocos completos casualizados, no esquema fatorial 4x5, com quatro repetições. Os tratamentos foram compostos pelas combinações de quatro cultivares (BRS Guariba, BRS Novaera, BRS Potengi e BRS Tumucumaque) com cinco populações de plantas (105, 2x105, 3x105, 4x105 e 5x105 plantas ha-1). Foram avaliados os caracteres morfológicos: comprimento do hipocótilo (CH), número de nós no ramo principal (NNRP), comprimento do ramo principal (CRP) e número de ramos laterais (NRL); fisiológicos: índice de área foliar aos 28 dias após a emergência (IAF28DAE), interceptação luminosa aos 39, 53 e 60 dias após a emergência (IL39DAE, IL53DAE e IL60DAE), teor de clorofila aos 30 e 45 dias após a emergência TC30DAE e TC45DAE), fotossíntese aos 30 e 45 dias após a emergência (FT30DAE e FT45DAE), índice de biomassa foliar aos 28 e 44 dias após a emergência (IBF28DAE e IBF44DAE), matéria seca da parte aérea aos 28 dias após a emergência (MSPA28DAE), taxa de crescimento da cultura (TCC) e taxa de assimilação líquida (TAL); componentes de produção: comprimento de vagens (COMPV), numero de grãos por vagem (NGV), massa de cem grãos (MCG), índice de grãos (IG) e rendimento de grãos (RG). Utilizou-se o delineamento estatístico blocos ao acaso, no esquema arranjo fatorial 4x5, com quatro repetições. Foram realizadas análises de variância e aplicação do teste F, quando este foi significativo, aplicou-se o teste de Tukey a 1% e 5%, para fins de comparação de médias entre as cultivares. Para o fator população de plantas por hectare, fez-se análise de regressão, testando-se os modelos linear e quadrático. A densidade populacional não influenciou as cultivares para os caracteres morfológicos, fisiológicos e de produção avaliados. Aumentos na densidade populacional provocaram reduções no número de nós no ramo principal, no número de ramos laterais, na interceptação luminosa aos 39 dias após a emergência, no índice de biomassa foliar aos 28 e aos 44 dias após a emergência, na taxa de assimilação líquida, na taxa de crescimento da cultura, no comprimento de vagens e no número de grãos por vagem. O comprimento do ramo principal apresentou efeito quadrático, atingindo o máximo na densidade populacional de 3x105. O comprimento do hipocótilo, a interceptação luminosa aos 53 e aos 60 dias após a emergência, o teor de clorofila aos 30 e aos 45 dias após a emergência, e a fotossíntese aos 30 e aos 45 dias após a emergência não foram afetados pelas densidades populacionais avaliadas.


  • DILÉIA ROCHA PEREIRA
  •  

     

    Fatores que influenciam o desenvolvimento de antracnose do feijão-fava.

  • Orientador : REGINA LUCIA FERREIRA GOMES
  • Data: 09/06/2014
  • Mostrar Resumo
  • Cultivada principalmente na região nordeste do Brasil, o feijão-fava é a segunda leguminosa de maior importância econômica do gênero Phaseolus. É considerada uma cultura alternativa de renda e fonte de alimento, apresentando potencial para fornecer proteína à população. No Brasil, embora assuma relativa importância econômica e social, principalmente para os pequenos produtores, os índices de produtividade são baixos, e um dos que contribuem é a ocorrência de pragas e doenças como, por exemplo, a antracnose, causada pelo fungo Colletotrichum truncatum, que é uma das doenças mais importantes da cultura. Nesse contexto, a pesquisa teve como objetivo verificar os efeitos da temperatura, do período de molhamento foliar, da idade e da face da folha, no desenvolvimento da antracnose em folhas destacadas de dois genótipos de feijão-fava. Os trabalhos foram conduzidos no Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Piauí, no período de março de 2013 a março de 2014. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado em um esquema fatorial. Para cada genótipo foram avaliados o período de incubação (PI), a severidade final da doença (SF) e a área abaixo da curva do progresso da doença (AACPD). O PI diminuiu linearmente com o aumento da duração de molhamento foliar, enquanto a SF e a AACPD aumentaram linearmente. Houve aumento do PI, e redução progressiva do SF e da AACPD com o aumento da temperatura. Não houve preferência quanto à face da folha para inoculação, nem quanto à idade. O método indicado para a inoculação de C. truncatum em folhas destacadas de feijão-fava é a pulverização em ambas as faces da folha, independente da idade foliar com período de molhamento de 48 h e temperatura de 24°C. O genótipo UFPI 214 comportou-se como mais suscetível à antracnose, apresentando menor PI, maior SF e AACPD do que o genótipo UFPI 216.


  • ALISON ALEXANDRINO LIMA DA SILVA
  •  

     

    Avaliação da fitotoxidade do lodo de curtume compostado através de bioensaio.

  • Orientador : ADEMIR SERGIO FERREIRA DE ARAUJO
  • Data: 29/05/2014
  • Mostrar Resumo
  • A indústria de curtume com o processamento de curtimento de couro resulta em grandes quantidades de efluentes, com teores elevados de matéria orgânica, e diversos elementos químicos tóxicos. Esses resíduos descartados sem finalidade reciclável trás sérios problemas ambientais. Esse panorama levou a preocupação e a formulação de pesquisas sobre a gestão desses resíduos. Nesse caso, buscou avaliar em ensaios de crescimento e germinação de sementes os efeitos tóxicos do lodo de curtume compostado, realizados em casa de vegetação e laboratório, respectivamente. Para o ensaio de crescimento foi utilizado no cultivo do feijão-caupi (Vignia unguiculata (L.) Walp), os parâmetros analisados foi traves dos atributos químico do solo, biomassa vegetal e aspectos relacionado a fixação de nitrogênio, o solo da área experimental tratado com lodo de curtume com quatro anos de aplicação, nas doses de 0, 2,5, 5, 10 e 20 Mg há-1. Os resultados mostraram que o composto apresentou toxicidade sobre a nodulação, evidenciando a redução da massa dos nódulos, mas propiciou o aumento de nitrogênio na planta, pode ser resultante do grande quantidade do elemento no composto. O pH, condutividade elétrica e cromo no solo elevou-se com o aumento das doses. Nos bioensaios de germinação de sementes, o composto foi misturados com água destilada e colocados em placas de petri com o extrato aquoso contendo lodo de curtume, nas doses de 0, 15, 30, 60 mL g, em relação ao controle. Sendo avaliados os aspectos de porcentagem de germinação de sementes, elongação radicular e índice de germinação, usando sementes de couve, repolho e feijão-caupi. Estes resultados demonstraram efeitos tóxicos nas três variáveis analisadas, com o aumento das doses no extrato com composto de curtume.

  • ANA ROBERTA LIMA DE MIRANDA
  •  

     

    NODULAÇÃO E TEORES DE CROMO NO FEIJÃO-CAUPI APÓS APLICAÇÕES CONSECUTIVAS DE LODO DE CURTUME COMPOSTADO

  • Orientador : ADEMIR SERGIO FERREIRA DE ARAUJO
  • Data: 04/04/2014
  • Mostrar Resumo
  • As atividades antrópicas, em sua maioria, são causadoras de diversos impactos ambientais. O processamento da pele animal em couro é uma destas ações que, pois quando mal executados os descartes de seus resíduos, podem provocar sérios danos ao ambiente e a saúde em geral. A causa está na presença de metais pesados em sua composição provenientes de substancias utilizadas para o curtimento da matéria prima. Baseado nisto, objetivou-se avaliar o feito do lodo de curtume após processo de compostagem, no cultivo do feijão-caupi (Vignia unguiculata (L.) Walp), por anos consecutivos. Os tratamentos utilizados foram: 0 (controle), 2,5, 5, 10 e 20 Mg kg-1 de lodo de curtume em parcelas experimentais de 10m2,por meio de delineamento em blocos casualizados. Foram avaliados os atributos químicos do solo, na profundidade 0 – 20 cm. Além disto, realizou-se análises de percentual de nitrogênio, cromo no solo, folhas e grãos, eficiência de nodulação, material seco de parte aérea, nódulos e raiz e produtividade, no intuito de inferir sobre possíveis intervenções de metais pesados à estes parâmetros. Uma avaliação geral compilando-se os dados dos quatro anos de ensaio foi realizada, atribuindo-se produtividade e teores de cromo em solo, folhas e grãos.  A deposição de lodo ao solo contribuiu para um aumento considerável de cromo no solo e nas folhas, apresentando redução de acúmulo deste elemento-traço nos grãos. A atividade microbiana, de forma geral, não sofreu interferência negativa pela presença dos metais e a maior produtividade obtida ao longo dos anos foi encontrada na dose 10 Mg ha-1

  • JOSÉ ROBERTO DE OLIVEIRA
  • Espacialização das lÂminas de irrigação para a cultura da melancia no estado do Piauí

  • Orientador : FRANCISCO EDINALDO PINTO MOUSINHO
  • Data: 28/03/2014
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo teve como objetivo a espacialização das lâminas brutas de irrigação para a cultura da melancia no estado do Piauí para diversas datas de semeadura, sendo o 1º dia de cada mês a data padrão e solos com CAD de 20mm, 40mm e 60mm. As lâminas brutas de irrigação foram determinadas através do balanço hídrico de cultivo (BHC), em escala diária, através de uma rotina computacional vinculada à planilha eletrônica Excel 2007 (Microsoft), sendo incluída nesta a opção para a realização de simulação utilizando o método de Monte Carlo. Os dados são oriundos de 165 locais com duração de 15 anos de coleta, onde através dos dados foram elaborados mapas temáticos. Após a sistematização de todos os dados foi possível observar que as lâminas para CAD 20mm nos meses de janeiro, fevereiro e março oscilam em torno de 0mm a 75mm e 150 a 225mm em todo o estado, ocorrendo o mesmo para situação de CAD 40mm ao passo que para situação de CAD 60mm as lâminas são iguais apenas para os meses de janeiro e fevereiro enquanto no mês de março ocorre apenas lâminas oscilando entre 0mm a 150mm. A partir do mês de abril, maio, junho e julho as lâminas oscilam de 150mm a limites em torno de 450mm para CAD’s de 20mm, 40mm e 60mm. Os meses de agosto, setembro e outubro registram as maiores lâminas que chegam a limites superiores a 450mm. Já em dezembro e novembro as lâminas a oscilam de 0 mm a 300m.  Em relação às CAD’s, observa-se na CAD 20mm nos meses de janeiro, fevereiro e março as lâmina em torno de 150mm e ocupam de 18% a 38% de área do Estado, ao passo que nos mesmos meses nas CAD’s 40mm e 60mm o percentual de área aumenta, chegando a cerca de 70% da área do Estado. Já nos meses de agosto, setembro e outubro os percentuais de área o com lâminas em torno de 450mm chegam a ocupar em setembro 40% da área do estado. Os mapas temáticos permitiram a visualização da demanda hídrica da melancia para todo o Estado do Piauí.  

  • WESTERLLANYA RODRIGUES MEDEIROS
  •  

     

    AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS DE FEIJÃO-CAUPI Vigna unguiculata (L.) Walp EM RELAÇÃO À Callosobruchus maculatus (FABR.) (COLEOPTERA: CHRYSOMELIDAE)

  • Data: 21/03/2014
  • Mostrar Resumo
  • O feijão-caupi Vigna unguiculata (L.) Walp. é um dos mais importantes componentes da dieta alimentar do brasileiro e possui grande relevância socioeconômica. O caruncho Callosobruchus maculatus (FABR.) (Coleoptera: Chrysomelidae: Bruchinae) é considerado a principal praga durante o armazenamento de grãos de feijão-caupi. Devido aos prejuízos econômicos causados por C. maculatus, é de suma importância desenvolver estudos que selecionem variedades resistentes a essa praga. Neste trabalho avaliou-se o efeito de genótipos de Vigna unguiculata sobre o comportamento e o desenvolvimento de Callosobruchus maculatus em duas gerações consecutivas. Foram realizados testes de confinamento com 10 genótipos de feijão-caupi e oito repetições por genótipo. Os parâmetros avaliados foram número de ovos total, viabilidade de ovos, número de adultos emergidos, viabilidade da fase imatura, período médio de desenvolvimento e peso seco dos adultos. O genótipo IT85 F2687 apresentou resistência do tipo não-preferência para oviposição e os genótipos BR 17 Gurguéia e BRS Urubuquara apresentaram resistência do tipo antibiose em relação à C. maculatus. O genótipo BR 17 Gurguéia foi o mais resistente dentre os genótipos estudados de Vigna unguiculata em relação à C. maculatus. Os genótipos Capela e Itaim foram caracterizados como suscetíveis a C. maculatus. O feijão-caupi V. unguiculata pode apresentar resistência por não preferência ou antibiose com diferentes graus de resistência em relação ao C. maculatus.


  • ANA CAROLINA CAMARA FERREIRA
  •  

     

    ESTOQUE E QUALIDADE DA MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO EM ÁREAS

    ANTROPIZADAS DO SEMIÁRIDO PIAUIENSE

  • Data: 28/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • Mudanças no uso do solo são um dos mais importantes mecanismos antrópicos de

    alteração ambiental e o conhecimento dos efeitos destas alterações nos processos

    químicos e microbianos do solo ainda é limitado para a Caatinga. O objetivo deste

    trabalho foi avaliar as variações que ocorrem na matéria orgânica do solo (MOS) e suas

    frações químicas, em um Argissolo, por consequência da conversão da vegetação nativa

    (Caatinga) para diferentes usos agrícolas (pastagem de corte, pastagem convencional,

    cultivos de milho, feijão-caupi e uva). Amostras de solo foram coletadas (0-10 e

    10-20 cm de profundidade) durante o período seco e chuvoso, no município de São

    João do Piauí, PI, para determinação dos estoques de carbono (COT) e nitrogênio

    (NT), das propriedades microbianas e dos teores de carbono nas frações extrato ácido

    (CHCL), ácido húmico (CAH), ácido fúlvico (CAF) e humina (CHU), além da análise de

    espectroscopia de infravermelho (FTIR) dos ácidos húmicos. No geral, os efeitos da

    conversão das áreas de Caatinga em áreas de cultivos, nas variáveis estudadas, foram

    mais pronunciados na camada superfical do solo. Os sistemas compostos por cultivos

    anuais contribuíram para o maior desgate dos estoques de COT e NT, e perdas na

    qualidade da MOS via menor formação de CSH. Já, os sistemas compostos por pastagens

    tiveram os índices biológicos do solo melhorados, demonstraram maior potencial para

    sequestro de carbono, incremento dos estoques de COT e NT, representando uma

    alternativa de uso sustentável do solo para a Caatinga.

     

     

  • JAYARA DAYANY DA COSTA SILVA
  • EFEITO DE ACESSOS DE FEIJÃO COMUM, FEIJÃO FAVA E FEIJÃO  CAUPI SOBRE A BIOLOGIA DE  Zabrotes subfasciatus (BOHEMAN, 1833) (COLEOPTERA:BRUCHINAE)

     

  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 27/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • O gorgulho ou caruncho do feijão Zabrotes subfasciatus, é considerado uma das principais pragas durante o armazenamento de grãos de feijão. Objetivou-se com este trabalho avaliar a resistência genética de Phaseolus vulgaris, Phaseolus lunatus e Vigna unguiculata à Z. subfasciatus e posteriormente analisar alguns de seus aspectos biológicos no acesso mais suscetível de cada espécie hospedeira. Inicialmente foram avaliados sete acessos de P. vulgaris, quatro acessos de P. lunatus e três acessos de V. unguiculata totalizando 14 acessos. A fim de se eliminar o efeito dos substratos utilizados tanto na criação parental, como na primeira geração, foi realizada uma segunda infestação (segunda geração) com quatro acessos de P. vulgaris, quatro acessos de P. lunatus e três acessos de V. unguiculata totalizando 11 acessos. Foram realizados testes de confinamento com oito repetições. Os parâmetros avaliados foram: oviposição, peso e período médio de desenvolvimento. Os acessos de cada espécie hospedeira estudada que mais favoreceram o desenvolvimento de Z. subfasciatus em relação aos outros foram considerados como suscetíveis e usados para avaliação comparativa dos aspectos biológicos do inseto em relação às hospedeiras. A cultivar goiano precoce (P. vulgaris), os acessos UFPI 581 (P. lunatus) e IT85D 1045 (V. unguiculata) foram considerados suscetíveis. De maneira geral Z. subfasciatus apresentou desenvolvimento semelhante nas espécies hospedeiras estudas, porém o número de insetos emergidos e viabilidade larval foi muito menor em V. unguiculata. Z. subfasciatus se desenvolveu de forma semelhante em Phaseolus vulgaris, Phaseolus lunatus e Vigna unguiculata, porém em acessos das espécies hospedeiras citadas existem diferentes níveis de suscetibilidade ao gorgulho.

  • JOSE EDMIR GIRÃO FILHO
  •  

     

    Antibiose de acessos de feijão-fava infestados com Zabrotes subfasciatus (Boheman, 1833) (Coleoptera: Chrysomelidae: Bruchinae) em três gerações

  • Orientador : LUIZ EVALDO DE MOURA PADUA
  • Data: 10/02/2014
  • Mostrar Resumo
  •  

     

     

    O feijão-fava, Phaseolus lunatus L., além de ser uma importante fonte proteica para populações do nordeste brasileiro, contribui também para aumento da renda familiar das mesmas. Um dos problemas da cadeia produtiva desta espécie é o ataque de pragas durante o período de armazenamento, causado principalmente pelo gorgulho Z. subfasciatus. Através de teste de confinamento avaliou-se 23 acessos de feijão-fava infestados com Z. subfasciatus, durante três gerações do inseto, objetivando buscar fontes de resistência a esta praga. A pesquisa foi conduzida no Laboratório de Fitossanidade da UFPI sob condições ambientais controladas. Após confinar um casal deste inseto juntamente com dez grãos de feijão fava por sete dias, foi possível avaliar alguns parâmetros biológicos do inseto, os quais serviram para caracterizar a resistência genética. Pôde-se observar que: houve efeito da troca brusca de substrato alimentar, que houve influencia dos acessos no peso, oviposição, mortalidade e período médio de desenvolvimento dos insetos, fatos que caracterizaram o acesso UFPI 468 como mais susceptível, o acesso UFPI 701 como mais resistente e os acessos UFPI 121, UFPI 222, UFPI 281, UFPI 504, UFPI 579, UFPI 689 Rajada, UFPI 701 e UFPI 720 como moderadamente resistente à Z. subfasciatus.

     


2013
Descrição
  • PAULO ALEXANDRE CRUZ CARVALHO
  •  

     

    Erosivisidade das chuvas em Piripiri, Piauí.

  • Data: 27/09/2013
  • Mostrar Resumo
  • O estudo das características e do ciclo de ocorrência das chuvas, um dos principais componentes do clima, permite ao homem fazer o planejamento das produções ano após ano. Este trabalho teve como objetivo, conhecer a erosividade das chuvas no período de 2005 a 2012,  no Município de Piripiri, Piauí, localizado a 04°16’24’’ Sul e 41°46’37’’ Oeste, cujos resultados irão auxiliar no planejamento do uso e ocupação dos solos, para as mais diversas atividades rurais e urbanas.  O trabalho foi realizado utilizando pluviogramas diários da estação meteorológica de Piripiri, que se encontram arquivados do Instituto Nacional de Meteorologia – INMET, 3º DISME, Recife (PE). Para realização dos cálculos de Erosividade (R), utilizou-se o software “CHUVEROS”. No período estudado, a precipitação pluvial média anual de Piripiri, Piauí, foi de 1.488,4 mm, com 87,83% das chuvas a concentradas de janeiro a maio. Os valores de erosividade anuais variaram de 3.877,00 MJ.mm/há-1.h-1.ano-1 a 17.922,90 MJ.mm/há-1.h-1.ano-1, sendo o Fator R, igual a 9.502,89 MJ.mm/há-1.h-1.ano-1 considerado uma erosividade alta. O ano de 2009 foi o que apresentou maior volume de chuvas erosivas 1.832,9 mm, 21,7% do total de chuvas erosivas do período, sendo o mês de março o que apresentou maior índice médio de chuvas erosivas 272,8 mm e o maior volume de chuvas acumulado com 2.182,5mm, para o período estudado. O ano de menor volume de chuvas foi o de 2012, apresentando apenas 488,1mm, 5,8% da pluviosidade total da série de 2005 a 2012. O padrão hidrológico de chuvas avançado, totalizaram 48,5% das chuvas erosivas do período estudado. Os 51,5% restante das chuvas foram, classificadas no padrão intermediário (17,7%) e no padrão atrasado (33,87%), observando que este último padrão é o que causa maiores danos erosivo, em função de sua capacidade de promover enxurradas.

     

  • MAURICIO CASTELO BRANCO SANTANA
  •  

     “Desempenho produtivo de híbridos comerciais de sorgo granífero sob deficiência hídrica”


  • Data: 27/09/2013
  • Mostrar Resumo
  • A deficiência hídrica no solo é uma das principais causas da redução do rendimento de grãos em cultivos de sequeiros. Assim, a identificação de genótipos tolerantes à deficiência hídrica é essencial na manutenção da produção agrícola, tendo em vista, que a escassez de água é um problema crescente em diversas partes do mundo. Neste contexto, a pesquisa teve como objetivo identificar híbridos de sorgo granífero tolerantes ao déficit hídrico em Teresina, PI. Foram conduzidos dois experimentos, um sob déficit hídrico e outro sob condição de irrigação plena, no campo experimental da Embrapa Meio-Norte, em Teresina, Piauí, no período de setembro a dezembro de 2012. O delineamento utilizado foi de blocos casualizados com 12 tratamentos (genótipos) e quatro repetições. O manejo de irrigação foi realizado com base na evapotranspiração da cultura (ETc), calculada por meio do coeficiente de cultura (Kc) e da evapotranspiração de referência (ETo) estimada pelo método de Penman-Monteith. As lâminas de irrigação aplicadas somadas à precipitação pluvial totalizaram 484 mm e 302 mm para os experimentos sob irrigação plena (IP) e sob déficit hídrico (DH), respectivamente. Foram avaliadas as alturas de planta (ALP), o índice de área foliar (IAF), o teor relativo de clorofila na folha (TCF), estande final de plantas (SFP), número de panículas (NP), peso de panículas (PP), peso de grãos (PG), índice de colheita de panícula (ICP), peso de cem grãos (PCG), produtividade (PROD), a eficiência de uso da água (EUA). O cultivo do sorgo granífero sob déficit hídrico no solo apresentou 7,8 % de redução na ALP; 38,1% e 36,4% de redução no IAF respectivamente, nas leituras aos 84 e 91 DAS, 9,3% no TCF, 0,8% no SFP, 15,4% no PCG, 4,01% no NP, 29,1% no PP, 33,6% no PG, 7,3% no ICP, 33,1% na PROD e  7% superior na EUA. Concluiu-se que os genótipos BRS 305 e o 1G 282  apresentam características de tolerância à deficiência hídrica.

     

     

  • KADSON DE SOUSA ALVES


  • Função de resposta do milhoverde a adubação fosfatada e nitrogenada em Teresina-Pi

  • Orientador : FRANCISCO EDINALDO PINTO MOUSINHO
  • Data: 26/09/2013
  • Mostrar Resumo
  • Com o objetivo de avaliar a resposta do milho a aplicação de diferentes doses de adubação nitrogenada e fosfatada nas condições edafoclimáticas de Teresina, Piauí, realizou-se um ensaio na área experimental do Colégio Técnico de Teresina no período de dezembro de 2012 a fevereiro de 2013. Foi utilizado o delineamento experimental inteiramente casualizado em esquema fatorial e quatro repetições. Os tratamentos constituíram-se da combinação de quatro níveis de adubação fosfatada (P0 = 0, P1 = 80, P2 = 160 e P3 = 240 kg ha-1) e cinco níveis de adubação nitrogenada (N0 = 0, N1 = 75, N2 = 150, N3 = 225 e N4 = 300 kg ha-1). Utilizou-se o hibrido duplo de milho AG 1051 no espaçamento entre linhas de 0,8 m e 6 plantas por metro linear. As adubações fosfatadas e nitrogenadas foram aplicadas de acordo com os tratamentos e a adubação potássica foi baseada na análise do solo. Foram avaliados o rendimento a partir das massas das espigas comerciais e o número de espigas comerciais deduzido em hectare. Após a análise dos resultados observou-se que o fator dose de nitrogênio apresentou efeito significativo sobre o rendimento e o número de espigas comerciais de milho, mas não foi constatado efeito positivo da adubação fosfatada sobre as variáveis estudadas. O máximo rendimento físico estimado foi de 8.079,35 kg ha-1 obtido com a aplicação de 171,70 kg ha-1 de P2O5 e 190,33 kg ha-1 de N. O número máximo de espigas comerciais foi de 25.593,36 espigas ha-1 obtido com a aplicação de 176,81 kg ha-1 de P2O5 e 189,46 kg ha-1 de N. A máxima receita líquida estimada de R$ 3.345,29 ha-1 foi obtida com um rendimento de 8.043,6 kg ha-1 de milho, utilizando-se 169,86 kg ha-1 de P2O5 e 190,09 kg ha-1 de N. A máxima receita líquida estimada para número de espiga foi de R$ 4. 043,74 ha-1 foi obtida com um número máximo de 25.645,5 espigas ha-1 com a utilização de 147,94 kg ha-1 de P e de 189,47 kg ha-1 de N.

  • SELMA MARIA DIAS DE MORAES COSTA
  •  

     

    Avaliação de cruzamentos entre genótipos de feijão-caupi para obtenção de linhagens portadoras de resistência a Callosobruchus maculatus (FABR.)

  • Data: 29/08/2013
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com esse trabalho obter a resistência ao C. maculatus do genótipo IT81-D-1045 SE para outras linhagens de elite de feijão-caupi, O experimento foi conduzido no Laboratório de Entomologia Embrapa Meio Norte, em Teresina, PI. (T = 25 ± 5 ºC e UR = 63 ± 10%), durante os meses de março de 2012 a março de 2013. Os genótipos foram procedentes  do Banco de Germoplasma da Embrapa Meio Norte -PI: IT81D-1045 SE  X MNC01-614F-20; IT81D -1045 SE X MNC01-631F-11; IT81D -1045 SE X MNC01-631F-20-5; IT81D -1045 SE X MNC02-689F-11; IT81D -1045 SE X Vita 3; IT81D -1045 SE X IT98K-1101-5; IT81D -1045 SE X PI-58.266-9; IT81D -1045 SE X IT92KD-279-3. Foram utilizadas dois genotipos resistentes como testemunhas: IT81D – 1045 SE e  IT81D – 1053, e dois genótipos suscepitveis como testemunhas: BR-17 Gurgueia e BRS-Guariba.Utilizaram-se cinco repetições de 200 g de sementes de cada genótipo, e estes  foram infestados com 40 insetos adultos (0 a 48h de idade) coletados ao acaso da criação em laboratório. Após o período de confinamento de cinco dias  retirou-se os insetos. As variáveis avaliadas foram: o número de ovos totais, viáveis, viabilidade de ovos (%,), número de grãos danificados, porcentagem de grãos danificados, número de insetos emergidos, porcentagem de insetos emergidos, peso médio dos insetos, ciclo biológico. Conclui-se que: o cruzamento IT81-D-1045 SE X IT98K-1101-e as linhagens IT81-D -1045 SE e IT81-D -1053 foram os que apresentaram os menores valores de oviposição por C. maculatus, quando comparados aos demais genótipos que, apresentando, portanto, resistência do tipo não-preferência para oviposição a referida espécie. As cultivares BR-17 GURGUEIA E BRS-GUARIBA foram os mais ovipositados, apresentado como mais susceptíveis ao ataque de C. maculatus. Os cruzamentos IT81D-1045-SE X MNC02-689F-11, IT81D-1045-SE X VITA 3 e IT81-D-1045-SE  X IT98K-1101-5 apresentaram resistência moderada do tipo não preferencia para oviposição. Com relação ao parâmetro números de insetos emergidos os cruzamentos IT81D-1045-SE X MNC01-631F-11 e IT81D-1045-SE X MNC01-614F-120 apresentaram os maiores números de insetos emergidos (377,00 e 338,00 respectivamente). Já os menores números de insetos emergidos ocorrem nos cruzamentos IT81-D-1045-SE X IT98K-1101-5 (190,60) e IT81D-1045-SE X PI-58.266-9 (254,80), apresentando resistência moderada tipo antibiose. as linhagens IT81-D-1053 e  IT81-D-1045-SE apresentam maiores resultados (98,94 e  98,78 respectivamente) e cultivares  BR-17 GURGUEIA e  BRS-GUARIBA apresentaram os menores valores  (60,28 e 63,04 respectivamente). Nos cruzamentos IT81D-1045-SE X VITA 3 e IT81-D-1045-SE X IT98K-1101-5 observou uma maior transferência da característica de resistência tipo antibiose. Com relação ao peso médio dos insetos não foi observado diferenças significativas. Em relação ao parâmetro ciclo biológico, pode-se observar que ocorrem diferenças significativas entre os genótipos, sendo que nas cultivares susceptíveis BR-17 GURGUEIA E BRS GUARIBA, apresentaram os menores valores (44.40 e 46.42 respectivamente) confirmando que são susceptíveis ao ataque de C. maculatus, enquanto os demais genótipos apresentaram ciclos maiores, indicando uma resistência moderado por antibiose ao ataque C. maculatus.


  • LEONARDO DA SILVA SOUSA
  •  

     

    Dinâmica de Moscas-das-frutas (Diptera: Tephritidae) e seus parasitóides em genótipos de cajazeira no município de Teresina, Piauí, Brasil

  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 29/08/2013
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com este estudo realizar um levantamento da ocorrência e infestação de espécies de Tephritoidea e de seus parasitóides naturais em diferentes genótipos de cajazeira (Spondias mombin L.) em um pomar comercial no município de Teresina-PI, bem como correlacionar os dados de infestação das moscas-das-frutas com características físico-químicas dos genótipos. De janeiro a maio de 2012 foram coletados, semanalmente, frutos de 20 genótipos de cajazeira para analisar em laboratório a emergência dos adultos de moscas-das-frutas e/ou parasitóides. Concomitantemente a coleta de frutos, foi realizado um monitoramento da flutuação populacional dos tefritídeos no pomar através de seis armadilhas tipo PET instaladas no pomar. Estas eram abastecidas com melaço de cana-de-açúcar a 7% como atrativo alimentar, sendo renovado semanalmente em ocasião de cada coleta. O monitoramento foi realizado no período de um ano (janeiro a dezembro de 2012). Os frutos colhidos e os adultos de tefritídeos capturados nas armadilhas eram encaminhados para o Laboratório de Fitossanidade da Universidade Federal do Piauí (UFPI). No laboratório, os frutos de cada genótipo foram quantificados, pesados e colocados em bandejas com areia autoclavada para obtenção das pupas, sendo estas separadas da areia por peneiramento, contabilizadas e acondicionadas em coletores plásticos com areia, tampados com voil. Os adultos emergidos foram triados e fixados em álcool 70%. Os adultos de moscas-das-frutas e de parasitóides foram triados, sexados, quantificados e identificados em nível de espécie, exceto os exemplares machos pertencentes ao gênero Anastrepha. Foram  realizadas as correlações da dinâmica populacional no pomar com a temperatura media do ar, precipitação pluviométrica e umidade relativa do ar, e também a infestação dos genótipos com as características físico-químicas dos mesmos, (comprimento diâmetro e peso dos frutos, relação fruto/semente, sólidos solúveis e acidez titulável e ratio). Foram coletados 6.560 frutos com peso total equivalente a 79,58 Kg. Destes, saíram 23.059 pupários, dos quais emergiram 15.064 insetos, sendo 10.080 (66,91%) moscas-das-frutas e 4.984 (33,09%) parasitóides. Dentre as moscas-das-frutas, 4.949 (49,10%) foram fêmeas, e 5.131 (50,90%) machos. A espécie Anastrepha obliqua a que mais emergiu (99,92%) seguida por Anastrepha sp. 1 com 0,08%. Em relação aos índices de infestações, o genótipo F16P13 (11,51 pupários/fruto; 1131,48 pupários/kg) foi mais infestado, enquanto que o genótipo F18P1 (1,91 pupários/fruto; 89,66 pupários/kg), obteve a menor taxa de infestação. Os índices médios gerais de infestação nos genótipos foram 3,79 pupários/fruto e 317,46 pupários/kg de biomassa. Estes valores são bastante elevados em relação à maioria das literaturas relacionadas. Na análise de correlação entre os índices de infestação dos genótipos e as características físico-químicas dos mesmos, não houve correlação significativa para a maioria dos parâmetros avaliados, com exceção de dois: infestação/fruto versus teor de sólidos solúveis e também o ratio, sendo estas correlações consideradas baixas. Dos parasitóides, o percentual médio foi de 2,47% (123) para Utetes anastrephae (Viereck); 19,88% (991) para a espécie Doryctobracon areolatus (Szépligeti) e 77,65% (3870) para Opius bellus Gahan. O índice de parasitismo médio entre os genótipos foi de 33,09%. Nas armadilhas foram coletados um total de 1434 moscas-das-frutas, das quais 837 eram fêmeas. As espécies encontradas foram: A. obliqua (Macquart), (97,61%), A. serpentina (Wiedemann) (1,32%), A. fraterculus (Wiedemann) (0,36%), A. striata Shiner (0,36%), A. dissimilis Stone (0,12%), A. pseudoparallela (Loew) (0,12%) e Anastrepha sp. 2 (0,12%). A espécie Anastrepha obliqua foi a predominante na área com  base na análise faunística calculada. O índice de infestação no pomar foi relevante durante cinco meses (janeiro a maio), coincidindo com o período de disponibilidade de frutos de cajazeira, obtendo um pico no mês de março (2,86 M/A/D).  Foi observada correlação significativa negativa entre o número de moscas-das-frutas no pomar e a temperatura media do ar e correlação significativa negativa com a precipitação pluviométrica e umidade relativa do ar. Entretanto, o principal fator constatado que influenciou o índice de infestação no pomar de cajazeira foi à disponibilidade de frutos.

     


  • FRANCISCO LEONARDO AMORIM SILVA
  •  

     

    Moscas-das-frutas (Diptera: Tephritidae) e seus parasitóides em pomar comercial de goiaba Psidium guajava L. (Myrtaceae) no município de Nazária, Piauí, Brasil.

  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 27/08/2013
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com este trabalho identificar as espécies de moscas-das-frutas sua flutuação  populacional,  correlação com fatores climáticos e seus parasitóides, associadas à cultura da goiaba Psidium guajava L. (Myrtaceae), em um pomar comercial no  município  de  Nazária, Piauí, Brasil.  Foram coletados 15 frutos de goiaba, quinzenalmente, para observação da emergência de adultos de moscas-das-frutas e/ou parasitóides. A flutuação  populacional  foi  estudada  de janeiro a dezembro de 2012,  através  da  captura  de  adultos  de  tefritídeos  em vinte e quatro armadilhas modelos PET, instaladas e dispostas igualmente na área do pomar. Utilizaram-se dois tipos de atrativos alimentares: suco de goiaba concentrado e melaço de cana-de-açúcar a 7%. Estes foram renovados semanalmente por ocasião da coleta dos exemplares de moscas-das-frutas, totalizando 52 coletas. Os frutos colhidos e os adultos de tefritídeos capturados nas armadilhas foram, respectivamente, acondicionados em saco de papel e armazenados em recipiente de vidro com tampa contendo álcool a 70%. Estes foram etiquetados e encaminhados ao Laboratório de Fitossanidade (Departamento de Fitotecnia, Universidade Federal do Piauí). Os adultos de moscas-das-frutas e de parasitóides emergidos foram triados, sexados, quantificados e identificados em nível de espécie, exceto os exemplares machos pertencentes ao gênero Anastrepha. Dos frutos de goiaba emergiram A. striata, A. obliqua e A. fraterculus. Emergiram os parasitóides Doryctobracon areolatus e Doryctobracon sp., das amostras de goiaba. Em armadilhas tipo PET foram capturados exemplares de cinco espécies de moscas-das-frutas: A. striata, A. oblíqua, A. fraterculus, A. serpentina e A. zenildae. Coletaram-se 26 amostras de frutos, ao todo 208 frutos, 22,250kg e 1.052 pupários, obtendo-se 289 espécimes do gênero Anastrepha e 59 braconídeos. A maior frequência foi de A. fraterculus (Wiedemann) (39,10%). Os maiores índices de infestação de Pupas/frutos ocorreram nos meses de outubro (10,80) e novembro (9,73); e o menor índice ocorreu no mês de julho (0,27). A infestação de Pupas/Kg obteve seu maior índice no mês de novembro (90,40) e o menor no mês de julho (1,91). Observou-se que as maiores taxas do MAD ocorreram nos meses de fevereiro e dezembro de 2012, respectivamente 0,63 e 0,53 (moscas/armadilha/dia). Houve correlação significativa entre a precipitação pluviométrica (mm) e umidade relativa do ar (%) com a flutuação populacional de moscas-das-frutas, mas correlação não significativa  com a temperatura média (°C) observada  nesta  pesquisa. Este foi o primeiro registro de A. striata, A. oblíqua, A. fraterculus, A. serpentina e A. zenildae, em armadilhas tipo PET em pomar comercial de goiabeiras no município de Nazária, Piauí, Brasil. A. striata, A. oblíqua e A. fraterculus associadas a frutos de goiaba no município de Nazária, Piauí, Brasil. Estes são os primeiros registros de Doryctrobacon areolatus no município de Nazária, Piauí, Brasil.


  • SABRINA SILVA DE CARVALHO
  •  

     

    Escarabeídeos (Coleoptera: Scarabaeidae) em três diferentes usos de solo no município de Nazária, Piauí, Brasil

  • Orientador : LUIZ EVALDO DE MOURA PADUA
  • Data: 27/08/2013
  • Mostrar Resumo
  • A  conservação  da  biodiversidade  dos  ecossistemas  é  muito  importante  para  garantir  a sobrevivência e a perpetuação das espécies. O dano provocado pelas ações antrópicas ao meio ambiente provoca redução na diversidade biológica  e  fragmentação  de  florestas. A ampliação das  fronteiras  agrícolas  exige  uma  maior  produtividade  em  função  do  crescente  aumento populacional.  Dentro  dos ecossistemas naturais e dos agroecossistemas  os insetos da família Scarabaeidae  são  de  grande  importância  por  utilizarem  principalmente  material  orgânico, como  excrementos,  carcaças  e  frutos  em  decomposição  para  alimentação,  desempenhando assim importante função na dinâmica de nutrientes. Objetivou-se com este trabalho registrar a ocorrência de espécies, estimar os índices faunísticos, identificar e comparar  as comunidades de  escarabeídeos  em  áreas  de  pomar  de  goiaba,  pastagem  e  mata  nativa  no  município de Nazária,  Piauí,  Brasil.  Foram  realizadas  coletas  com  auxilio  de  armadilhas  pitfall,  em unidades amostrais independentes (estações).  O monitoramento ocorreu no período de janeiro de 2012 à  janeiro de 2013, totalizando 27 coletas, realizadas a cada 14 dias.  Nove estações foram  instaladas  em  cada  uma  das  áreas  estudadas,  distantes  10m  uma  da  outra.  Foram coletados  um  total  de  9.027  insetos  da  família  Scarabaeidae,  divididos  em  oito  tribos,  15 gêneros,  39  espécies.    A  área  de  mata  nativa  apresentou o  maior  número  de  insetos,  3.397 indivíduos,  seguida  da  Área  de  Pomar  de  Goiaba,  3.322,  e  Área  de  Pastagem,  2.312.  De  acordo  com  os  hábitos  alimentares  as  espécies  coletadas  foram  agrupadas  em  coprófagas, necrófagas  ou  copronecrófagas  (generalista),  a  maioria  das  espécies  foi  classificada  como generalista,  25  espécies.  A  flutuação  populacional  desses  insetos  foi  influenciada principalmente  pelos  fatores  climáticos:  umidade  relativa  e  precipitação.  Houve  correlação positiva  significativa  em  relação  à  precipitação  e  à  umidade  relativa.  A  análise  faunística demonstrou que a espécie  Dichotomius  sp. obteve os maiores índices faunísticos  em todas as áreas estudadas.  Conclui-se  que as  três  áreas pesquisadas  apresentam padrão semelhante com relação ao equilíbrio ambiental.  Os  maiores  índices de  diversidade  e de equitabilidade  foram obtidos  na área  de mata nativa, seguida da área de pastagem e área de pomar de goiaba.  As modificações na estrutura vegetal provocadas  pela implantação dos  sistemas agrícolas  afetam a  diversidade  da  fauna  de  Scarabaeidae.  São  necessárias  pesquisas  adicionais  sobre   a escarabeidofauna atuando como bioindicadores de qualidade ambiental em agroecossistemas.


  • VANIA MARIA GOMES DA COSTA LIMA


  • EFEITOS DE ÓLEOS VEGETAIS SOBRE ASPECTOS BIOLÓGICOS DE Zabrotes subfasciatus (Boh., 1833) (COLEOPTERA:CHRYSOMELIDAE:BRUCHINAE) EM FEIJÃO-FAVA


  • Orientador : LUCIA DA SILVA FONTES
  • Data: 26/08/2013
  • Mostrar Resumo
  • A ocorrência de pragas tem sido apontada como um dos fatores de redução da produtividade e da qualidade da fava (Phaseolus lunatus) produzida. O inseto Zabrotes subfasciatus ataca os cotilédones do feijão armazenado e, na fase larval, abre galerias, podendo destruí-los completamente, ao que se soma a presença de ovos nos grãos, de orifícios de emergência dos adultos, de insetos mortos e de excrementos que afetam a qualidade do produto. Ao contrário das pragas do campo os insetos de grãos armazenados são muito mais graves, não só por causa da magnitude dos prejuízos que eles causam, mas também devido à irreversibilidade dos danos que ele provoca na produção. Os óleos vegetais podem ser uma alternativa de controle de insetos praga, pois estes apresentam algumas vantagens, tais como rápida degradação sob condições ambientais, são menos persistentes, o que reduz seu impacto sobre organismos benéficos e possuem baixa toxicidade a mamíferos. O trabalho foi conduzido no Laboratório de Entomologia do Departamento de Biologia, do Centro de Ciências da Natureza da Universidade Federal do Piauí. Para a instalação do experimento foram utilizados insetos da espécie Zabrotes subfasciatus (Boh., 1833), provenientes da criação estoque mantida no próprio laboratório, sob temperatura de 28 ± 1 °C e 70 ± 20 % de umidade relativa em sala climatizada. O delineamento estatístico utilizado foi o inteiramente casualizado em esquema fatorial, constando de 8 acessos de fava x 3 óleos vegetais x 4 doses (3 doses e 1 testemunha), com 4 repetições. Os acessos de feijão-fava (Phaseolus lunatus) utilizados foram: 1-UFPI-776, 2-UFPI-775, 3-UFPI-771, 4-UFPI-25, 5-UFPI-26, 6-UFPI-773, 7-UFPI-772 e 8-UFPI-774 procedentes do Banco de Germoplasma da Universidade Federal do Piauí. Os óleos fixos utilizados foram: girassol (Helianthus annuus), milho (Zea mays) e canola (Brassica napus). As doses adotadas foram 0ml ( testemunha), 0,1ml, 0,2ml e 0,3ml e as variáveis estudadas: Número de insetos mortos (NIM), Número de ovos viáveis (NOV), Número de ovos inviáveis (NOI) e Emergência de insetos adultos (EIA). Em recipientes plásticos com pequenos orifícios na parte inferior, foram colocados 20 g de grãos de cada cultivar e 5 casais de Z. subfasciatus com idade de 0 a 24 h e deixados por um período de sete dias, quando os insetos vivos e mortos foram retirados e contados e  então descartados. Posteriormente, com o auxilio de um microscópio estereoscópio fez-se a contagem do número de ovos viáveis e inviáveis. Após 25 dias da infestação, as parcelas passaram a ser avaliadas diariamente, a fim de se determinar número de insetos adultos emergidos, por Z. subfasciatus. Os dados foram analisados de acordo com a proposta quantitativa do estudo. O software utilizado foi o SPSS versão 20 para Windows. A análise univariada foi realizada através de gráficos e tabelas. Os intervalos de confiança foram calculados pela distribuição de probabilidade t de Student. Para esse modelo utilizou-se a análise de variância multivariada (MANOVA). O teste multivariado utilizado foi o de Lambida Wilks. Todos os testes estatísticos foram utilizados adotando 5% como nível de significância. Os óleos vegetais de milho e girassol demonstraram ser bastante eficientes para mortalidade de insetos (6,60 e 6,57), viabilidade de ovos (59,47 e 57,16) e emergência de insetos adultos (28,71 e 28,97) com maiores índices de efeito inseticida sobre Zabrotes subfasciatus. O óleo de canola foi o menos eficiente exceto para o número de ovos inviáveis (9,37). Os acessos de fava UFPI-776, UFPI-26 e 7 UFPI-25 revelaram-se os mais resistentes à infestação de Zabrotes subfasciatus quando tratados com os óleos vegetais fixos.

  • RAIMUNDO SOARES DA COSTA FILHO
  •  

     

     

    BIOMETRIA E COMPONENTES DE PRODUÇÃO DO FEIJÃO-CAUPI SOB DIFERENTES NÍVEIS DE ADUBAÇÃO FOSFATADA

     

     

     

     


  • Orientador : ANTONIO AECIO DE CARVALHO BEZERRA
  • Data: 13/06/2013
  • Mostrar Resumo
  • A baixa concentração natural, mobilidade e alta fixação do fósforo na maioria dos solos tropicais brasileiros são fatores limitantes à nutrição e produção do feijão-caupi. O presente trabalho teve por objetivo avaliar os efeitos de cinco níveis de fósforo sobre os componentes morfológicos, fisiológicos e de produção em três cultivares de feijão-caupi. O experimento foi desenvolvido, em condições de campo na Fazenda São Fernando, município de Freitas-PI, em um Plintossolo Háplico distrófico com baixo teor de fósforo (4 mgdm-3). Adotou-se o delineamento experimental em blocos completo casualizados com quatro repetições, constituindo-se de um fatorial 5 x 3, sendo cinco níveis de fósforo (0, 60, 120, 180 e 240 kg de P2O5 ha-1) e três cultivares de feijão-caupi (BRS Guariba, BRS Tumucumaque e BRS Cauamé). O diâmetro do hipocótilo (mm), comprimento do ramo principal (cm), número de vagens por planta, comprimento de dez vagens (cm), peso de dez vagens (g), peso de grãos em dez vagens (g), número de grãos em dez vagens, peso de cem grãos (g), peso de vagens por planta, rendimento de grãos (kg ha-1), área foliar (cm2), índice de área foliar, matéria seca por planta (g plantas-1), matéria seca por área (kg ha-1), taxa de crescimento da cultura (g cm-2 dia-1), aumentaram significativamente com o aumento dos níveis de fósforo aplicados no solo. O aumento dos níveis de fósforo promoveu incrementos decrescentes na taxa assimilação líquida (mg cm-2 dia-1). A utilização do fósforo no nível de 183,13 kg ha-1 de P2O5 nas cultivares de feijão-caupi proporcionou o máximo rendimento de grãos, estimado em 2.023,25 kg ha-1.

     


  • WILON PINHEIRO GUIMARÃES
  • EFEITO RESIDUAL DA APLICAÇÃO POR TRÊS ANOS CONSECUTIVOS DE LODO DE CURTUME COMPOSTADO SOBRE A PRODUTIVIDADE DO MILHO VERDE

  • Orientador : ADEMIR SERGIO FERREIRA DE ARAUJO
  • Data: 22/04/2013
  • Mostrar Resumo
  • Em decorrêcia do alto teor de nutrientes associado ao poder de neutralização da acidez do solo, a utilização do lodo de curtume em sistemas agrícolas constitui-se uma alternativa sustentável para a reciclagem deste resíduo. No entanto, a presença de elementos-traço  como cádmio(Cd), Níquel(Ni), chumbo (Pb) e crmo (Cr), representa um fator de risco aos recursos ambientais. Neste trabalho, objetivou-se avaliar o efeito residual da aplicação do Composto de Lodo de Curtume (LCC) após três aplicações consecutivas, sobre a produtividade e acúmulo de elementos-traço nas folhas e grãos de milho verde. Os tratamentos utilizados nos dois primeiros anos (2009 e 2010) foram: 0 (controle), 5, 10, 20 e 40 Mg ha-1 de LCC, além de um tratamento adicional com NPK, aplicado anualmente. Em 2011 aplicou-se as doses 2,5, 5, 10 e 20 Mg ha-1, resultando na dose acumulada de 12,5; 25; 50 e 100 Mg ha-1;  Na ocasião deste trabalho não foi aplicado o LCC. Aos 52 dias após a emergência (DAE), avaliou-se a altura de plantas (AP), diâmetro de colmo (DC), teor de clorofila (CLO) e os teores de Cd, Ni, Pb e Cr nas folhas. Aos 79 (DAE) foram determinados o comprimento de espigas empalhadas (CEE) e despalhadas (CED), diâmetro de espigas empalhadas (DEE) e despalhadas (DED), massa de espigas empalhadas (MEE) e despalhadas (MED), número de fileiras  por espiga (NF), e número de espigas comerciais (NEC) por ha, além dos teores de elementos-traço nos grãos. O efeito da aplicação do LCC sobre o desenvolvimento vegetativo teve influência significativa nas variáveis AP e DC. O teor de clorofila nas folhas não foi significativo com LCC. Os teores de Cd, Pb e Cr foram significativos nas folhas, encontrando-se o Cr acima do limite máximo permitido para tecidos vegetais. Nos grãos, o efeito das doses foi significativo para Cd, Ni e Pb. Apesar de não ser significativo estatisticamente, o teor de Cr nos grãos está acima do limite máximo estabelecido para o consumo humano. A aplicação do LCC promoveu aumento significativo nas variáveis CEE, CED, DEE, DED, MEE, MED e NF. As espigas de milho verde  despalhadas, obtidas com a maior dose do LCC, atendem ao padrão comercial.       

  • ALANE ROSANE CASTRO GUIMARÃES



  • Níveis de nitrogênio com e sem boro em cultivares de alho no município de Sussuapara,PI

  • Orientador : ANTONIO AECIO DE CARVALHO BEZERRA
  • Data: 05/04/2013
  • Mostrar Resumo
  • O alho é cultivado há séculos em todo mundo, a microrregião de Picos-Piauí, chegou a ser na década de 90 o oitavo produtor nacional e atualmente encontra-se declinando para a sua extinção, por vários problemas, dentre esses se destaca a falta de pesquisas. Objetivou-se no presente trabalho avaliar os aspectos morfológicos, agronômicos e químicos das cultivares de alho Cateto Roxo Local e Cateto Roxo Mineiro, submetidas a diferentes doses de nitrogênio, com e sem boro, no município de Sussuapara-PI. O experimento foi conduzido no período de maio a outubro de 2012. Utilizou-se o delineamento experimental em blocos casualizados, com quatro repetições em esquema fatorial 5x2x2, compreendendo cinco doses de N (0; 50; 100; 150 e 200  kg ha-1), duas doses de B (0 e 15 kg ha-1), e duas cultivares de alho: Cateto Roxo Local e Cateto Roxo Mineiro  As doses de N foram parceladas aos 30 e 60 dias após o plantio. As características avaliadas foram: altura das plantas, número de folhas, teor de clorofila nas folhas, produtividade total, massa e diâmetro de bulbo, número de bulbilhos, massa e diâmetro de bulbilho, pH, sólidos solúveis totais e acidez total titulável do alho. A cultivar Cateto Roxo Local apresentou maior produtividade quando comparada a cultivar Cateto Roxo Mineiro, com dose estimada de 128 kg ha-1 de N para rendimento máximo de 3,7 t ha-1. Na maioria das variáveis analisadas não houve interação das doses de nitrogênio com adubação bórica. A cultivar Cateto Roxo Mineiro apresentou um menor número e maior peso de bulbilhos por bulbo quando comparado com a cultivar Cateto Roxo Local. Para todas as características químicas estudadas a cultivar Cateto Roxo Mineiro apresentou média superior ao Cateto Roxo Local. Conclui-se que para produtividade total de bulbos, a cultivar Cateto Roxo Local apresentou-se como melhor opção para região de Sussuapara, com adubação nitrogenada na dose de 128 kg ha-1; com maior médias para massa, diâmetro de bulbo e número de bulbilhos na dose máxima de 150 kg ha-1 de N.

     

     

  • ELIANA DE FREITAS PESSOA


  • AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA GENÉTICA DE FEIJÃO-FAVA A Zabrotes subfasciatus (BOHEMAN, 1833) (COLEOPTERA: CHRYSOMELIDAE: BRUCHINAE)

  • Orientador : LUIZ EVALDO DE MOURA PADUA
  • Data: 27/03/2013
  • Mostrar Resumo
  • O uso de plantas resistentes ao ataque de insetos tem se mostrado uma excelente alternativa no controle de insetos-praga de grãos armazenados, porém ainda são muito incipientes os estudos relativos à cultura do feijão-fava, apesar da importância e aplicabilidade para os pequenos agricultores. Esta é uma pesquisa descritiva com abordagem quantitativa e teve por objetivo avaliar a resistência genética de acessos de feijão-fava ao ataque de Z. subfasciatus. Inicialmente foi realizado teste preliminar com 30 acessos provenientes do BAGF/UFPI, visando selecionar para ensaios posteriores, materiais promissores como fonte de resistência ao ataque do gorgulho. Nos testes de confinamento e com chance de escolha, foram avaliados apenas oito acessos, com dez repetições. A avaliação das variáveis levou em consideração as diferenças no comportamento e biologia dos insetos. Os resultados evidenciam que em teste com livre chance de escolha, os acessos UFPI-002 e UFPI-508 foram mais atrativos, enquanto os acessos UFPI-230 e UFPI-728 foram os menos preferidos sugerindo resistência do tipo não-preferência para oviposição. Os acessos UFPI-693 e UFPI-471 demonstraram os maiores índices de preferência para oviposição. O acesso UFPI-002 pode ser usado como padrão de suscetibilidade em teste com livre chance de escolha. Em teste de confinamento os acessos UPFI-002, UPFI-230 e UPFI-508 destacaram-se como mais suscetíveis, com maior número de ovos viáveis e elevado percentual de mortalidade das fases imaturas. Concluiu-se que, os acessos UFPI-230 e UFPI-251 apresentaram moderada antibiose e o acesso UFPI-728 expressou elevado nível de antibiose.

     

     

  • EMERSON ALVES DOS SANTOS
  •  

     

    INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO FOLIAR DE CÁLCIO E BORO EM PRÉ E PÓS- FLORAÇÃO SOBRE OS COMPONENTES DE PRODUÇÃO E NA PRODUTIVIDADE DA SOJA

  • Orientador : JOSE ALGACI LOPES DA SILVA
  • Data: 12/03/2013
  • Mostrar Resumo
  • A cultura da soja (Glycine max(L.) Merrill) é atualmente uma das mais difundidas do mundo, fato explicado pelo potencial que a mesma detém em termos de derivados como óleo, farelo e outras utilizações industriais que  suprem muitas das necessidades nutricionais da população mundial, sendo uma cultura de grande importância econômica. Cada vez mais tem sido constante a busca por rendimentos maiores.Neste contexto, o objetivo deste trabalho foi avaliar a influência da aplicação de fertilizante foliar a base de cálcio (Ca) e boro (B), em dois estádios fenológicos (R1 e R3), na cultura da soja. O experimento foi realizado no ano agrícola 2011/2012, na área experimental do Departamento de Fitotecnia do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Piauí, em Teresina-PI. Foi adotado o delineamento em blocos casualizados (DBC), com quatro repetições, dispostos em esquema fatorial 5x2, sendo a cultivar de soja (BRS Sambaíba) submetida a cinco doses de fertilizante mineral foliar a base de cálcio e boro (0; 1,0; 2,0; 3,0 ; 4,0 L  ha-¹)  em  dois  estádios fenológicos de aplicação, (R1- Início da floração e R3 - final da floração). Os resultados indicam que os componentes de produção não sofreram influência da aplicação foliar de Ca e B. Verificou-se que o rendimento de grãos foi maior quando o fertilizante foliar à base de cálcio e boro foi aplicado no estádio R3 (final da floração) com uma média de 2.646,82kg ha-1 (44 sacas ha-1). A média obtida no estádio R1 (início da floração) foi de 2.401,83 kg ha-1 equivalente a 40 sacas ha-1, portanto 245 kg ha-1 (4 sacas ha-1) a menos em relação a média obtida em R3 (final da floração), equivalendo a 9,3% de ganho em rendimento de grãos quando se aplicou o fertilizante (Ca e B) neste último estádio.

     

  • CATHARINA TEIXEIRA CORTEZ
  •  

    ATRIBUTOS BIOLÓGICOS DO SOLO EM UMA CRONOSEQUÊNCIA DE EUCALIPTO NO CERRADO    PIAUIENSE

  • Orientador : LUIS ALFREDO PINHEIRO LEAL NUNES
  • Data: 06/03/2013
  • Mostrar Resumo
  • RESUMO: O cultivo de eucalipto esta intimamente ligado ao reflorestamento na região do Cerrado, apresentando assim como outras culturas algumas controvérsias com relação aos seus impactos ambientais. O objetivo desse trabalho foi avaliar por meio de indicadores biológicos a qualidade do solo em diferentes anos de cultivo de eucalipto comparado com a mata nativa no município de Regeneração - PI. O estudo foi realizado na Fazenda Chapada Grande, em cinco áreas adjacentes em plantações comerciais de eucalipto em uma sequencia de idade (1,2 3, 4 e 5 anos), tendo a mata de cerrado como referência. As coletas do solo foram realizadas em março de 2011 (período chuvoso) e setembro de 2011 (período seco). A fauna edáfica foi coletada no mesmo período utilizando-se armadilhas do tipo pitfall. O carbono orgânico total (COT) variou de 50,57 a 81,27(g kg-1) no período chuvoso e de 47,93 a 88,23 (g kg-1) no período seco com maiores valores registrados em E5 e MN em ambos os períodos. O carbono da biomassa microbiana (CBM) variou significativamente entre os sistemas estudados com a MN e E4 apresentando os maiores valores, nos dois períodos estudados. A atividade respiratória mostrou valores mais elevados nos eucaliptos mais novos, não havendo diferenças significativas no período seco. Os sistemas E5, E4 e MN apresentaram valores mais baixos de qCO2 no período úmido e E4 e MN no período seco. O maior número de indivíduos da fauna edáfica foi encontrado em E1 nas duas épocas de coletas. A riqueza de espécies, não diferiu entre as épocas de coleta sob nenhuma das coberturas vegetais, apresentando valores bem próximos. O maior número de indivíduos de E1 e E2 não acompanhou a diversidade de espécies, que mostrou valores bem inferiores aos demais sistemas estudados no período de boa umidade. Nos sistemas E1 e E2 cerca de 90% do total de indivíduos foram representados por apenas dois grupos taxonômicos: Coleoptera e Formicidae, o que contribuiu para diminuir o índice de uniformidade, principalmente em E1. No período úmido verificou-se que dos 18 grupos encontrados 13 se mostraram presentes em todos os sistemas estudados, enquanto no período seco apenas 10 grupos de um total de 19, estiveram presentes em todos os sistemas. Houve um aumento da biomassa e quociente microbiano e carbono orgânico com as idades das plantações de eucalipto. A qualidade orgânica da serapilheira da mata influenciou diretamente seus atributos microbianos. As épocas de coleta influenciaram a variação da densidade de fauna, riqueza de espécies, índice de Shannon e índice de Pielou. A época de verão permitiu estabelecer maiores diferenças entre as diferentes coberturas vegetais estudadas do que a época de inverno. A implantação inicial da cultura do Eucalipto contribuiu para uma redução nas variáveis da fauna com uma recuperação nos anos posteriores.

  • SULIMARY OLIVEIRA GOMES
  •  

     

    Caracterização molecular em acessos de pinhão manso (Jatropha curcas L.) por meio de marcadores ISSR

  • Orientador : REGINA LUCIA FERREIRA GOMES
  • Data: 28/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • O pinhão manso (Jatropha curcas L.) é um arbusto da família Euphorbiaceae, que vem se destacando como uma das plantas oleaginosas promissoras para a produção de biodiesel. Este estudo teve por objetivo realizar a caracterização molecular por meio de marcadores entre simples sequências repetidas (ISSR) em 29 populações de pinhão manso, totalizando 97 acessos, provenientes do Banco Ativo de Germoplasma da Embrapa Meio-Norte e Embrapa Algodão. Foram testados 100 primers ISSR, sendo 11 usados na genotipagem. Foi obtido 307 locos ISSR, sendo 294 polimórficos, com média de 27 locos por primer e comprimento dos fragmentos entre 300 e 5000 pb. A percentagem média de locos polimórficos (P%) foi de 91,53%, a diversidade genética de Nei (H’) e índice de diversidade de Shannon (He) alcançou variação de H’=0,0256 a 1,703 e He= 0,0374 a 0,1926, respectivamente. O número de alelos observados (Na) variou de 1,0619 a 1,3257, enquanto que o número efetivo de alelos (Ne) variou de 1,0438 a 1,1496. O valor do coeficiente de diferenciação genética (GST) foi de 0,4730 entre as populações o que revela elevada diferenciação genética. Na AMOVA (ΦST = 0,4452, P < 0,001) e no ΦST pairwise também foi verificado que houve diferenciação genética entre as 29 populações de pinhão manso, estando à diversidade genética total dividida em 44,52% entre as populações e 55,48% dentro das populações. O dendrograma (UPGMA) formou quatro grupos bem definidos. Assim, o BAG da Embrapa Meio Norte apresenta elevada variabilidade genética, o cruzamento entre os acessos CMN 58 com CMN NP constitui a melhor combinação para programas de melhoramento, constatou-se também variabilidade genética em populações dentro do Estado do Piauí.

  • NATÁLIA SOARES DA SILVA
  • CRESCIMENTO INICIAL DO CAJUEIRO SOB DIFERENTES REGIMES HÍDRICOS E DESENPENHO DE UM SISTEMA DE IRRIGAÇÃO BUBBLER

  • Orientador : FRANCISCO EDINALDO PINTO MOUSINHO
  • Data: 22/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • Com o objetivo de avaliar o desenvolvimento inicial do cajueiro sob diferentes regimes hídricos e a performance hidráulica de um sistema de irrigação Bubller realizou-se um experimento na área experimental do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal do Piauí, Campus do Socopo, em Teresina-PI. O sistame Bubbler foi instalado na área sendo realizada a caracterização hidráulica do microtubo com os comprimentos a 10m. Utilizou-se o delineamento experimental inteiramente casualizado com quatro tratamentos e quatro repetições, sendo os tratamentos compostos quatro níveis de água de irrigação (0, 75, 100, 125% da evapotranspiração da cultura). Utilizou-se mudas enxertadas de cajueiro anão precoce CCP-76 no espaçamento 7 x 7 m, irrigado pelo sistema de irrigação Bubbler. As irrigações foram diárias, sendo as lâminas de irrigação estabelecidas de acordo com os tratamentos, baseados na evapotranspiração da cultura. Após a analise dos resultados verificou-se que as equações de Blasius e Darcy em geral superestimaram ou subestimaram os valores de perda de carga para os comprimentos estudados em relação aos valores emdidos. O desempenho do sistema pode ser classificado dentro de um grau de aceitabilidade que varia de bom a regular. Os coeficientes apresentaram grande variação nos períodos avaliados demonstrando a necessidade de manutenção e manejo adequado do sistema. Para o cajueiro anão precoce não houve efeito significativo das lâminas de água sobre as variáveis estudadas.

2012
Descrição
  • GISELE CASTELO BRANCO DE ANDRADE
  •  

     

    Entomofauna de solo como indicador para avaliar impactos ambientais da agricultura na região de Teresina, Piauí

  • Orientador : LUIZ EVALDO DE MOURA PADUA
  • Data: 31/08/2012
  • Mostrar Resumo
  •  

    Os ecossistemas são importantes na manutenção da biodiversidade, garantindo a sobrevivência e perpetuação das espécies. A perda de identidade do ambiente proporciona débito de diversidade biológica. Cada vez mais as ações antrópicas não fundamentadas em princípios de sustentabilidade, fragmentam florestas e campos devido à ampliação das fronteiras agrícolas pela exigência de maior produção em função do crescente aumento populacional. A diversidade destes ambientes está ameaçada, bem como o equilíbrio de toda a cadeia que deles dependam. Neste contexto, para avaliar esse impacto causado pela agronomia, foram realizadas coletas com armadilhas tipo pitfall, onde captura insetos de solo, bons bioindicadores do ambiente, em duas áreas distintas, uma com a vegetação preservada e a outra, em uma área utilizada para agricultura, fazendo um comparativo entre elas através de análises faunísticas. Foram coletadas 49 espécies na área de mata nativa, correspondendo a 1.999 indivíduos e, 62 espécies na agricultura, correspondendo a 2.023 indivíduos. Na área de mata foram caracterizadas 20 espécies dominantes, 6 muito abundantes, 6 muito freqüentes e 8 constantes, enquanto que na área de agricultura foram caracterizadas 34 espécies dominantes, 8 muito abundantes, 10  muito  freqüentes e 14 constantes. Os taxas predominantes na mata são: Aleochara bilineata, Aphodius sp., Canthidium sp., Canthon sp.1, Canthon sp.2, Clivina fossor, Conoderus scalaris, Conotrachelus sp.1, Corpophilus sp.1, Dercylus elegans, Deutochilion sp., Deutochilion sp.1, Dichotomius nisus, Hemasopodes sp., Neoathyreus sp., Pheropsophus aequinoltialis, Ulomoides sp. e Xylosandrus crassiusculus, enquanto que na área de agricultura foram: Aeolus sp., Aleochara bilineata, Amalactus sp., Ambly Gnatus sp, Aphodius sp., Ateuchus sp., Canthidium sp., Canthon sp.1, Canthon sp.2, Canthon sp.3, Chaetocnema sp., Charidotella sp., Conoderus scalaris, Conotrachelus sp., Coprophanaeus jasius, Carpophilus sp., Dercylus elegans, Deltochilum sp., Deltochilum sp.1, Dichotomius nisus, Eusomos sp., Harpalus sp, Hemasopodes sp., Lobiopa insularis, Lucidota sp., Notiobia sp., Phelister sp., Phelister sp.1, Pheropsophus aequinoltialis, Platydema sp., Platydema sp.1, Scaritis sp., Tetragonoderus intersectus e Ulomoides sp. Concluindo-se que as duas áreas pesquisadas são estatisticamente diferentes em relação ao número de insetos coletados, com maior diversidade de insetos na área utilizada para agricultura e que a análise faunística permite a avaliação do impacto ambiental, tendo por base de insetos da ordem coleoptera como indicadores ecológicos.

     

  • DIEGO DA PAZ CARVALHO
  •  

     

    Toxicidade do óleo essencial de fruto verde e de fruto desidratado de Piper tuberculatum (Jacq.) sobre Callosobruchus maculatus (Fabr., 1775) (Coleoptera: Bruchinae

  • Data: 31/08/2012
  • Mostrar Resumo
  • A principal praga que incide sobre os grãos armazenados do feijão Vigna unguiculata (L.) Walp. é o caruncho Callosobruchus maculatus (Fabr., 1775) (Coleoptera: Bruchinae). O objetivo deste trabalho foi avaliar a toxicidade de diferentes doses do óleo essencial do fruto verde e do fruto desidratado de Piper. Tuberculatum (Jacq.). As unidades experimentais foram constituídas por 10 g de feijão-caupi cultivar BRS Guariba acondicionados em recipientes plásticos de 50 ml juntamente com 10 insetos não sexados de até 48 h de idade, os tratamentos consistiram em diferentes doses dos óleos que foram aplicadas sobre um disco de papel filtro acoplado na parte superior interna da tampa e vedados com papel filme dando início à biofumigação, gerando concentrações de 0,08, 0,16, 0,24, 0,32 e 0,4 μl/ml e o tempo total de exposição aos tratamentos foi de 96 h sendo feita a leitura a cada 24h para avaliação da mortalidade dos insetos nesse intervalo. A mortalidade nos dois óleos na maior concentração e no intervalo de tempo de 96h foi superior a 90% e as duas maiores doses foram as que tiveram a menor infestação de ovos viáveis. Portanto o óleo essencial de P. tuberculatum apresenta efeito inseticida e de inviabilidade de ovos para C. maculatus.

     

  • SÉRGIO AUGUSTO NUNES MONTEIRO
  •  

     

     RESISTÊNCIA DE FAVA AO ATAQUE DE Zabrotes Subfasciatua (Boh. 1833) (C0LEOPTERA: CHRYSOMELIDAE)

  • Orientador : LUCIA DA SILVA FONTES
  • Data: 27/08/2012
  • Mostrar Resumo
  • A fava (Phaseolus lunatus L.) é uma leguminosa cultivada para a produção de grãos maduros ou verdes para a alimentação humana. Sendo uma das principais leguminosas cultivadas na região tropical, apresentando um potencial para fornecer proteína a população de baixa renda, principalmente na região nordeste, diminuindo assim  a dependência quase exclusiva dos feijões do grupo carioca, sofrendo muitas perdas durante o armazenamento. Uma das causas deste prejuízo está relacionada ao ataque de diversos insetos, dentre eles, o gorgulho Zabrotes subfasciatus (Boh), que pode provocar perdas significativas na produção durante o período de armazenamento dos grãos. O feijão-fava, Phaseolus lunatus L., é a segunda leguminosa de maior importância do gênero, e devido ao conteúdo protéico e paladar característico, é mundialmente utilizado em pratos, nas mais diferentes culinárias, recebendo várias denominações, em função da região cultivada ou forma de utilização na alimentação. Em vista disso, o presente trabalho objetivou avaliar a resistência de genótipos de fava (Phaseolus lunatus) ao ataque de Zabrotes subfasciatus (Bohr), nas cultivares Rajada Preta, Rajada Vermelha, Gigante, Branquinha (Porção de Pedra-MA), Boca de Moça UFPI 726, Boca de Moça Colinas-MA, Boca de Moça Cinza (Novo Oriente), UFPI 725, UFPI 725 Creme, UFPI 724 Marrom, UFPI 726 Vermelha e Branco Comum. O trabalho foi conduzido no Laboratório de Entomologia do Departamento de Biologia, Centro de Ciências da Natureza da Universidade Federal do Piauí, Teresina-PI. Para a realização do experimento, foram utilizados insetos da espécie Zabrotes subfasciatus. O Delineamento estatístico utilizado foi o inteiramente casualizado constando de 12 tratamentos (genótipos) com 06 repetições. As parcelas experimentais foram constituídas por recipientes plásticos contendo 10 g de grãos de cada cultivar. Em cada recipiente foram colocados 10 insetos de Z. subfasciatus com idade de 0 - 24 h, sem determinação do sexo, deixados por um período de sete dias, para que realizassem a oviposição, quando os insetos foram retirados. Com 25 dias da infestação, as parcelas passaram a ser avaliadas diariamente, afim de se determinar o número de ovos viáveis e inviáveis, viabilidade larval, o número de insetos emergidos e não emergidos, peso seco dos insetos adultos, peso seco de grãos consumidos por Z. subfasciatus e a longevidade. As cultivares Gigante, UFPI 724 Marrom, Boca de Moça Cinza, Boca de Moça Colinas-MA, UFPI 725, Branquinha e Rajada Vermelha, apresentaram resistência dos tipos não – preferência para alimentação e oviposição e\ou antibiose. Observou-se, de modo geral, que todos os itens avaliados diferiram estatisticamente, havendo redução do número de ovos viáveis e inviáveis, viabilidade larval, o número de insetos emergido e não emergidos, peso seco dos insetos adultos, peso seco de grãos consumidos e a longevidade. Concluiu-se que a cultivar Gigante e UFPI 724 Marrom foi a mais resistente ao ataque do Zabrotes subfasciatus. E os genótipos Boca de Moça UFPI 726 e Branco Comum não apresentaram nenhum tipo de resistência.

     

    A fava (Phaseolus lunatus L.) é uma leguminosa cultivada para a produção de grãos maduros ou verdes para a alimentação humana. Sendo uma das principais leguminosas cultivadas na região tropical, apresentando um potencial para fornecer proteína a população de baixa renda, principalmente na região nordeste, diminuindo assim  a dependência quase exclusiva dos feijões do grupo carioca, sofrendo muitas perdas durante o armazenamento. Uma das causas deste prejuízo está relacionada ao ataque de diversos insetos, dentre eles, o gorgulho Zabrotes subfasciatus (Boh), que pode provocar perdas significativas na produção durante o período de armazenamento dos grãos. O feijão-fava, Phaseolus lunatus L., é a segunda leguminosa de maior importância do gênero, e devido ao conteúdo protéico e paladar característico, é mundialmente utilizado em pratos, nas mais diferentes culinárias, recebendo várias denominações, em função da região cultivada ou forma de utilização na alimentação. Em vista disso, o presente trabalho objetivou avaliar a resistência de genótipos de fava (Phaseolus lunatus) ao ataque de Zabrotes subfasciatus (Bohr), nas cultivares Rajada Preta, Rajada Vermelha, Gigante, Branquinha (Porção de Pedra-MA), Boca de Moça UFPI 726, Boca de Moça Colinas-MA, Boca de Moça Cinza (Novo Oriente), UFPI 725, UFPI 725 Creme, UFPI 724 Marrom, UFPI 726 Vermelha e Branco Comum. O trabalho foi conduzido no Laboratório de Entomologia do Departamento de Biologia, Centro de Ciências da Natureza da Universidade Federal do Piauí, Teresina-PI. Para a realização do experimento, foram utilizados insetos da espécie Zabrotes subfasciatus. O Delineamento estatístico utilizado foi o inteiramente casualizado constando de 12 tratamentos (genótipos) com 06 repetições. As parcelas experimentais foram constituídas por recipientes plásticos contendo 10 g de grãos de cada cultivar. Em cada recipiente foram colocados 10 insetos de Z. subfasciatus com idade de 0 - 24 h, sem determinação do sexo, deixados por um período de sete dias, para que realizassem a oviposição, quando os insetos foram retirados. Com 25 dias da infestação, as parcelas passaram a ser avaliadas diariamente, afim de se determinar o número de ovos viáveis e inviáveis, viabilidade larval, o número de insetos emergidos e não emergidos, peso seco dos insetos adultos, peso seco de grãos consumidos por Z. subfasciatus e a longevidade. As cultivares Gigante, UFPI 724 Marrom, Boca de Moça Cinza, Boca de Moça Colinas-MA, UFPI 725, Branquinha e Rajada Vermelha, apresentaram resistência dos tipos não – preferência para alimentação e oviposição e\ou antibiose. Observou-se, de modo geral, que todos os itens avaliados diferiram estatisticamente, havendo redução do número de ovos viáveis e inviáveis, viabilidade larval, o número de insetos emergido e não emergidos, peso seco dos insetos adultos, peso seco de grãos consumidos e a longevidade. Concluiu-se que a cultivar Gigante e UFPI 724 Marrom foi a mais resistente ao ataque do Zabrotes subfasciatus. E os genótipos Boca de Moça UFPI 726 e Branco Comum não apresentaram nenhum tipo de resistência.

     

  • ANTONIO EUDES DE SOUSA OLIVEIRA
  • Efeito do déficit hídrico sobre o desenvolviemnto do feijão-fava em ambiente protegido

  • Orientador : FRANCISCO EDINALDO PINTO MOUSINHO
  • Data: 27/08/2012
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho teve por objetivo avaliar os efeitos do déficit hídrico sobre o desenvolvimento do feijão-fava; determinar o coeficiente de sensibilidade ao déficit hídrico (Ky)  nas fases fenológicas em ambiente protegido. O experimento foi conduzido em casa de vegetação, com cobertura de polietileno de baixa densidade de 15 µm de espessura, na Área Experimental do Colégio Agrícola de Teresina da Universidade Federal do Piau (UFPI), Teresina-PI. Em delineamento inteiramente casualizado (DIC) os tratamentos consistiram da combinação de indução do estresse hídrico de 50% da evapotranspiração do feijão-fava, ao longo do ciclo da cultura. Os tratamentos foram: Estresse hídrico na fase vegetativa (I); Estresse hídrico na fase vegetativa (II); Estresse hídrico na fase reprodutiva (III);Estresse hídrico na fase reprodutiva (IV);Estresse hídrico nas fases vegetativa (I e II); Estresse hídrico nas fase vegetativa e reprodutiva (II, III e IV);Estresse hídrico nas fases reprodutiva (III e IV); Estresse hídrico na fases vegetativa e reprodutiva (I, II e III); Estresse hídrico nas fases vegetativa e reprodutiva (I, II, III e IV) e Sem estresse hídrico. Foram avaliadas, número de vagens por planta  (NV), número de grãos (NG), peso de100 grãos (PG), índice de área foliar (IAF), matéria seca (MST), ky e EUA. O feijão-fava mostrou-se muito sensível ao estresse hídrico, sendo mais sensível durante a fase de florescimento e enchimento das vagens; afetando a produtividade, para a produção de vagens, grãos e MST. O feijão-fava mostrou-se muito sensível ao estresse hídrico, sendo mais sensível ao estresse hídrico quando o mesmo deu-se em mais de uma fase de desenvolvimento (com maior prolongação no tempo) e quando o mesmo deu-se na floração e formação de vagens. O déficit hídrico afetou o índice de área foliar, índice de clorofila, abortamento de flores e vagens e número de vagens por plantas. A eficiência do uso da água foi maior nos tratamentos sem estresse hídrico.

  • ANTONIA MARIA DE FARIAS
  •  

     

    BIOATIVIDADE DO ÓLEO ESSENCIAL DE Piper tuberculatum Jacq. SOBRE A LAGARTA-DO-CARTUCHO-DO-MILHO Spodoptera frugiperda (Smith, 1797) (Lepidoptera: Noctuidae).

  • Data: 24/08/2012
  • Mostrar Resumo
  •  

     

    Varias pesquisas já comprovaram a atividade inseticida das piperáceas,. Este trabalho tem como objetivo de avaliar a eficiência inseticida das concentrações do óleo essencial de Piper. Tuberculatum (Jacq.) (Piperáceas) sobre os 1º; 2º; 4º e 5º instar,no controle de Spodoptera frugiperda (Smith) em laboratório. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado  constaram de oito tratamentos, com quatros repetições, nas concentrações de 0,000001% a 1% do óleo essencial,.para 1º;2º instar ,e    0,5%, 1% e 10% para o 3,º 4º e 5º instar utilizando-se como solvente acetona diluída em água destilada a 50% e uma testemunha (acetona diluída a 50%). O trabalho foi conduzido no laboratório de Entomologia da Embrapa Meio-Norte em ambiente controlado com temperatura de 25±1 ºC, umidade relativa de 60±10 % e fotofase de 12h. Os insetos foram obtidos de criação mantida no laboratório. Os dados de mortalidade após 48 horas da aplicação do óleo foram transformados em √x e analisados pelo teste F e as médias comparadas pelo Teste de Tukey a 5% de probabilidade. No 1º  instar os tratamento  01% e 1,0%  não  diferiram  entre  si(p<0,05) havendo  melhor  eficiência  na dose de1%. No 2ºº instar a melhor  eficiência  foram na dose de   1% ,e  no 3º 4º e  5º a  eficiência  mais  significativa  foram na  dose  de 10%

     

  • LIZIO LAGUNA LOPES SOARES
  • Avaliação da resistência de genótipos de feijão-caupi (Vigna unguiculata (L.) Walp.) ao caruncho Callosobruchus maculatus (Fabr.) (COLEÓPTERA: CRYSOMELIDAE).

  • Orientador : LUCIA DA SILVA FONTES
  • Data: 08/08/2012
  • Mostrar Resumo
  •  Esta pesquisa teve como objetivo a avaliação da resistência de genótipos de feijão-caupi (Vigna unguiculata L. Walp.) ao ataque do caruncho (Callosobruchus maculatusFabr.). O feijão-caupi representa uma fonte de alimento estratégica pelos altos teores de proteínas, carboidratos e de sais minerais e adaptação às condições adversas ambientais. O experimento foi conduzido na Universidade Federal do Piauí e na Embrapa Meio-norte. Foram testadas cultivares crioulas oriundas das microrregiões do Estado do Rio Grande do Norte: Quarentinha, Riso do Ouro V. Rocha, Manteiga, Branco, Da Joana, Riso do Ano Zé Vieira, Chico Carneiro Tordinho, Chico Joaquim, Branco/Dorminhoco, Manteiguinha, Quarenta e Cinco Dias, Costela de Vaca, Sempre Verde, Chifre de Carneiro, Boa Saúde de Minoco, Cituba, Lizão, Macassa, Canapum, Dorminhoco, João Viena, Vermelho, Pazão, Lizão Carioquinha ou Lizão, João Vieira, Pau Ferro, Campina ou Chico Joaquim e Dorminhoco Chico Joaquim; cultivares comerciais melhoradas: BRS-Itaim, BR-17-Gurguéia, BRS-Guariba e Vita-3; linhagens resistentes (controles): IT81-D-1053, IT81-D-1045-SE e IT8-D-1045-SP. O experimento consistiu de ensaios: Ensaio-1 (screening) com setenta e seis tratamentos e três repetições e Ensaio-2 com vinte e três tratamentos, selecionados do Ensaio-1, com seis repetições. O delineamento estatístico foi o Inteiramente Casualizado; parcelas de 10g de sementes com dez insetos e teste sem chance de escolha. No Ensaio-1 testaram-se os caracteres oviposição, percentual de ovos que originaram adultos, peso seco médio do inseto e ciclo biológico. No Ensaio-2, as variáveis foram: oviposição, insetos emergidos, longevidade, peso seco médio do inseto e ciclo biológico. Para a comparação das médias utilizou-se o teste Skott-Knott em nível de 5% de probabilidade. Buscou-se priorizar variáveis que manifestassem resistência por antibiose ao C. maculatus. As linhagens controles IT81-D-1053, IT81-D-1045-SE e IT81-D-1045-SP apresentaram resistência por antibiose; as cultivares AM-63-3-Lizão Carioquinha ou Lizão e AM-1-2-Quarentinha destacaram-se dentre as cultivares crioulas em antibiose; a cultivar melhorada BRS-Itaim teve menor oviposição. As cultivares crioulas e melhoradas apresentaram baixas resistências ao C. maculatus.

  • FÁBIO NUNES DO NASCIMENTO
  •  

     

    CARACTERÍSTICAS AGRONÔMICAS DO MILHO VERDE SOB DIFERENTES REGIMES HÍDRICOS

  • Data: 03/08/2012
  • Mostrar Resumo
  • O cultivo do milho verde irrigado está em expansão na Região Nordeste brasileiro, principalmente, pela garantia de bons preços do produto. Entretanto, como a água tem se tornado escassa em muitas regiões são necessários estudos que oriente o produtor sobre o uso adequado desse recurso natural. Nesse contexto, o trabalho teve como objetivo avaliar o efeito de diferentes lâminas de irrigação sobre o índice de área foliar, o teor de clorofila, a produtividade de espigas verde e a eficiência do uso de água do híbrido duplo comercial AG 1051, nas condições edafoclimáticas de Teresina, Piauí. Os tratamentos, dispostos em um delineamento de blocos ao acaso com quatro repetições, constaram de cinco lâminas de irrigação considerando as seguintes variações da evapotranspiração de referência (ETo) : 0,25 ETo, 0,50 ETo, 0,75 ETo, 100 ETo e 125 ETo. Utilizou-se um sistema de irrigação por aspersão convencional fixo, com espaçamento 12 m x 12 m. O monitoramento do teor de água no solo foi executado por meio de uma sonda de capacitância elétrica. Foram avaliadas a produtividade de espigas verdes com palha e sem palha, bem como seus respectivos comprimentos e diâmetros. Os valores totais das lâminas de irrigação obtidos em cada tratamento foram 165,51mm, 208,85 mm, 255, 32 mm, 304,39 mm e 340, 57 mm. Os resultados encontrados demonstraram que os componentes de produção: diâmetro de espiga com e sem palha, comprimento de espigas com e sem palha, média de grãos por espiga, número de grãos por fileira, índice de espiga e raiz quadrada do número espiga por hectare apresentaram incrementos positivos com uma tendência linear à aplicação das lâminas. Os melhores resultados foram obtidos com a maior lâmina (13.453,13 kg ha-1 - espiga verde empalhada e 8.465.62 kg ha-1 - espiga verde despalhadas). O déficit hídrico reduziu o índice de área foliar e o teor de clorofila. A mais alta eficiência do uso da água para produção de espiga verde sem palha (2,48 Kg m-3) foi obtida com aplicação da maior lâmina de irrigação 340,57 mm.

  • JACQUECILENE SANTOS DE MOURA
  •  

     

     OCORRÊNCIA  E FLUTUAÇÃO POPULACIONAL DE MOSCAS-DAS-FRUTAS (DIPTERA: TEPHRITIDAE) E DE SEUS PARASITÓIDES EM FRUTOS DE ACEROLA NO MUNICÍPIO DE TERESINA, PIAUÍ, BRASIL

  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 30/07/2012
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com esta pesquisa realizar o levantamento da ocorrência e flutuação populacional de moscas-das-frutas e de seus parasitóides, associadas a diferentes genótipos de aceroleira em pomar comercial localizado na microrregião de Teresina-PI, bem como comparar os diferentes genótipos de acerola com as características físico-químicas. Quinzenalmente, foram coletados 360 frutos maduros da aceroleira, dos genótipos Chorona, Roxinha e Sertaneja, no período de junho de 2011 ajaneiro de 2012, e encaminhados ao Laboratório de Fitossanidade do Departamento de Fitotecnia do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Piauí. Estes eram pesados e distribuídos em bandejas plástica de 7§¤ (45x30x8cm), forradas com 5cm de areia autoclavada e cobertas com tecido voile, presos pela bordas com elástico, após o término de coleta foram colhidos 30 frutos de cada genótipo para caracterização físico-química, as análises físico-químicas dos frutos foram realizadas no Laboratório de Pós-Colheita da Embrapa Meio-Norte, em Teresina-PI. Dos 5.040 frutos de acerola coletados, emergiram um total de 2.269 moscas-das-frutas, pertencentes à espécie Ceratitis capitata e Anastrepha e 2 braconídeos. O pico populacional de C. capitata ocorreu em dezembro de 2011. A espécie A. zenildae emergiu apenas meses de janeiro e novembro de 2011. Dentre os genótipos estudados, Roxinha foi o genótipo que obteve o maior número de pupários com 1.056, bem como a maior emergência de adultos 798. O genótipo Chorona obteve um total de 743 adultos e um número de 964 pupários. O genótipo Sertaneja obteve um número de 730 insetos emergidos. Os genótipos Chorona e Roxinha apresentaram pico populacional no mês de dezembro com 160 e 171 adultos emergidos respectivamente e o genótipo Sertaneja apresentou pico populacional no mês de novembro com 138 adultos. A viabilidade pupal para os genótipos Roxinha e Sertaneja foi de 75,61 e 73,71% respectivamente. O genótipo que apresentou maior índice de infestação foi Sertaneja, cujo índice foi de 96,58 pupários/kg de biomassa e 0,58 pupários/fruto a emergência foi de 73,56%. O menor índice de infestação foi no genótipo Chorona com 91,46 pupários/kg de frutos com emergência de 77,07%. O genótipo Roxinha apresentou índice de infestação de 96,17 pupários/kg, apresentando 75,47% de emergência. O parasitóide obtido pertence à espécie Doryctobracon areolatus, o percentual de parasitismo foi de 0,06%. O genótipo de acerola Roxinha é mais atrativo para moscas-das-frutas quando comparado com os genótipos Chorona e Sertaneja. Este é o primeiro registro de Anastrepha zenildae em frutos de acerola no estado do Piauí.

  • LIZIO LAGUNA LOPES SOARES
  • Avaliação da resistência de genótipos de feijão-caupi (Vigna unguiculata (L.) Walp.) ao caruncho Callosobruchus maculatus (Fabr.) (COLEÓPTERA: CRYSOMELIDAE).

  • Orientador : LUCIA DA SILVA FONTES
  • Data: 28/06/2012
  • Mostrar Resumo
  •  Esta pesquisa teve como objetivo a avaliação da resistência de genótipos de feijão-caupi (Vigna unguiculata L. Walp.) ao ataque do caruncho (Callosobruchus maculatusFabr.). O feijão-caupi representa uma fonte de alimento estratégica pelos altos teores de proteínas, carboidratos e de sais minerais e adaptação às condições adversas ambientais. O experimento foi conduzido na Universidade Federal do Piauí e na Embrapa Meio-norte. Foram testadas cultivares crioulas oriundas das microrregiões do Estado do Rio Grande do Norte: Quarentinha, Riso do Ouro V. Rocha, Manteiga, Branco, Da Joana, Riso do Ano Zé Vieira, Chico Carneiro Tordinho, Chico Joaquim, Branco/Dorminhoco, Manteiguinha, Quarenta e Cinco Dias, Costela de Vaca, Sempre Verde, Chifre de Carneiro, Boa Saúde de Minoco, Cituba, Lizão, Macassa, Canapum, Dorminhoco, João Viena, Vermelho, Pazão, Lizão Carioquinha ou Lizão, João Vieira, Pau Ferro, Campina ou Chico Joaquim e Dorminhoco Chico Joaquim; cultivares comerciais melhoradas: BRS-Itaim, BR-17-Gurguéia, BRS-Guariba e Vita-3; linhagens resistentes (controles): IT81-D-1053, IT81-D-1045-SE e IT8-D-1045-SP. O experimento consistiu de ensaios: Ensaio-1 (screening) com setenta e seis tratamentos e três repetições e Ensaio-2 com vinte e três tratamentos, selecionados do Ensaio-1, com seis repetições. O delineamento estatístico foi o Inteiramente Casualizado; parcelas de 10g de sementes com dez insetos e teste sem chance de escolha. No Ensaio-1 testaram-se os caracteres oviposição, percentual de ovos que originaram adultos, peso seco médio do inseto e ciclo biológico. No Ensaio-2, as variáveis foram: oviposição, insetos emergidos, longevidade, peso seco médio do inseto e ciclo biológico. Para a comparação das médias utilizou-se o teste Skott-Knott em nível de 5% de probabilidade. Buscou-se priorizar variáveis que manifestassem resistência por antibiose ao C. maculatus. As linhagens controles IT81-D-1053, IT81-D-1045-SE e IT81-D-1045-SP apresentaram resistência por antibiose; as cultivares AM-63-3-Lizão Carioquinha ou Lizão e AM-1-2-Quarentinha destacaram-se dentre as cultivares crioulas em antibiose; a cultivar melhorada BRS-Itaim teve menor oviposição. As cultivares crioulas e melhoradas apresentaram baixas resistências ao C. maculatus.

  • MICHEL ALVES BARROS
  •  

     

    SELEÇÃO DE GENÓTIPOS DE FEIJÃO-CAUPI PARA ADAPTABILIDADE E ESTABILIDADE PRODUTIVA NA REGIÃO MEIO-NORTE DO BRASIL

  • Data: 22/06/2012
  • Mostrar Resumo
  •  

     

     O feijão-caupi é a leguminosas mais cultivada na região Meio-Norte do Brasil. Essa região apresenta diversidade de clima e solos, tornando necessário a avaliação em multilocais nas fases finais do programa de melhoramento de feijão-caupi com o intuito de subsidiar o lançamento e a recomendação de cultivares para essa região. Este trabalho teve como objetivos avaliar e selecionar genótipos de feijão-caupi de porte semiprostrado para a produtividade de grãos e seus componentes; e selecionar genótipos de feijão-caupi de porte semiprostrado para adaptabilidade e estabilidade produtiva. Foram avaliados 20 genótipos em nove ambientes da região Meio-Norte do Brasil, no período de 2010 a 2011, em delineamento de blocos completos casualizados, com quatro repetições. Foram avaliados os seguintes caracteres: número de dias para o início da floração (NDIF); valor de cultivo (VC); acamamento (ACAM); comprimento de vagem (COMPV); número de grãos por vagem (NGV); peso de 100 grãos (P100G); índice de grãos (IG) e produtividade de grãos (PG). Foram realizadas análises de variância e comparação entre médias para todos os caracteres. A adaptabilidade e estabilidade produtiva dos genótipos foram avaliadas pela metodologia AMMI com auxilio de genótipos suplementares. Na análise de variância individual, foram detectadas diferenças significativas a 1 e 5% de probabilidade para o quadrado médio dos caracteres avaliados. Na análise de variância conjunta os ambientes deferiram para todos os caracteres a 1% de probabilidade pelo teste F, exceto para o IG, onde a significância foi a 5% de probabilidade. Esses resultados são indicativos da presença de variabilidade entre linhagens para os caracteres e da possibilidade de seleção dentro do grupo de linhagens nos ambientes avaliados da região Meio-Norte Brasil. Os genótipos de feijão-caupi avaliados nos ambientes diferiram com relação a todos os caracteres, exceto o ACAM, IG e PG. Na análise de adaptabilidade e estabilidade, houve diferenças significativasentre genótipos para a PG na maioria dos ambientes.

     

     

     

     

  • JOSÉ RIBAMAR DE OLIVEIRA
  • Produção Orgânica de Pimenta Dedo de Moça.

  • Orientador : REGINA LUCIA FERREIRA GOMES
  • Data: 21/06/2012
  • Mostrar Resumo
  • Os sistemas de produção orgânica, modelo com base na agricultura sustentável do ponto de vista econômico e agroambiental, nos quais se empregam processos e não produtos, resultam em maior sanidade e estabilidade de produção e, ainda, com menor custo. Nesse contexto, objetivou-se avaliar o uso de biofertilizantes líquidos sobre componentes de produtividade de pimentas. O experimento foi conduzido na área experimental do Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal do Piauí, em Teresina, Piauí. Os tratamentos consistiram de três biofertilizantes: “supermagro”; “fermentado biológico” e “P + K”, além de dois tratamentos adicionais: adubação NPK e testemunha absoluta (sem adubação), cujos efeitos foram avaliados na variedade de pimenta Dedo de moça, da espécie Capsicum chinense. O delineamento experimental empregado foi blocos casualizados, com quatro repetições. Os caracteres avaliados foram: diâmetro do caule e altura de planta aos 35 e 65 dias, número de dias para o florescimento, número de dias para a frutificação, comprimento do fruto, largura do fruto, espessura da parede do fruto, número de sementes por fruto, peso das sementes por fruto, número de frutos por parcela, massa do fruto, produtividade de frutos. Atualmente, as mudanças no clima têm estimulado o desenvolvimento de vários estudos que objetivam prever os efeitos dessas alterações sobre o crescimento, desenvolvimento e produção das culturas. Assim, avaliou-se os efeitos dos elementos climáticos (temperaturas mínima, média e máxima, umidade relativa, insolação e precipitação pluviométrica) associado ao uso de biofertilizantes líquidos nos caracteres número de frutos por parcela, massa de fruto e produtividade de frutos, no delineamento experimental de blocos casualizados, no arranjo fatorial 5 x 4, com quatro repetições. Os tratamentos foram constituídos pelos cinco tipos de fertilizantes associados aos efeitos dos elementos climáticos em quatro meses (maio, junho julho e agosto). Os biofertilizantes líquidos, com aplicação via foliar e no solo, atendem as exigências nutricionais da pimenta, promovendo maior número de frutos, massa de frutos e alta produtividade, podendo ser utilizados como alternativa para fertilização não convencional. A variedade de pimenta “Dedo de moça” responde positivamente ao uso de biofertilizante líquido, constituindo-se uma recomendação técnica de fertilização orgânica para essa cultura. Os elementos climáticos, principalmente a temperatura e a precipitação pluviométrica, afetam a produtividade de frutos em pimenta do gênero Capsicum, sendo que temperatura elevada e baixa precipitação são prejudiciais

  • THEÓFILO SANTOS FERNANDES
  • Bioatividade de extratos aquosos de pinhão-roxo Jatropha gossypiifolia L. sobre Spodoptera frugiperda (J. E. SMITH).

  • Orientador : LUIZ EVALDO DE MOURA PADUA
  • Data: 28/05/2012
  • Mostrar Resumo
  • Foram conduzidos em laboratório, bioensaios para avaliar o potencial inseticida de extratos aquosos de pinhão-roxo Jatropha gossypiifolia L sobre Spodoptera frugiperda (J.E. Smith). Primeiramente, foi avaliada a atividade do extrato obtido de folhas frescas em relação à toxicidade, duração das fases larval e pupal, peso de pupa e longevidade de adultos. Lagartas recém-eclodidas foram inoculadas em tubos de ensaios contendo as concentrações de 0 ; 2,2 ; 4,3 ; 8,2 e 10% do extrato aquoso. Verificou-se que o extrato apresentou toxicidade provocando percentuais moderados de mortalidade de lagartas, redução na duração do período larval e no peso de pupal. No segundo ensaio verificou- se a ação de extratos aquosos obtidos de folhas desidratadas nas mesmas concentrações. O resultado obtido foi parecido ocorrendo também efeito tóxico mortalidade de lagartas, redução na duração do período larval e na longevidade de adultos.

     

  • RICARDO SILVA DE SOUSA
  •  

     

    Fenotipagem em milho para identificação de genótipos tolerantes à deficiência hídrica

  • Data: 25/05/2012
  • Mostrar Resumo
  • A deficiência hídrica no solo é a maior fonte de instabilidade do rendimento de grãos de milho. Assim, a identificação de genótipos tolerantes à deficiência hídrica é essencial na manutenção da produção agrícola, tendo em vista, que a escassez de água é um problema crescente em várias partes do mundo. Nesse contexto, a pesquisa teve como objetivo identificar genótipos de milho tolerantes à deficiência hídrica no solo. Foram conduzidos dois experimentos, um sob déficit hídrico do estádio VT (50 dias após a semeadura) ao R2 (64 dias após a semeadura) e outro sob condição de irrigação plena, no campo experimental da Embrapa Meio-Norte, em Teresina, Piauí, no período de setembro a dezembro de 2010. O delineamento utilizado foi de blocos casualizados com 36 tratamentos (genótipos) e quatro repetições. O manejo de irrigação foi realizado com base na evapotranspiração da cultura (ETc), calculada por meio do coeficiente de cultura (Kc) e da evapotranspiração de referência (ETo) estimada pelo método de Penman-Monteith. As lâminas de irrigação aplicadas somadas à precipitação pluvial totalizaram 691,6 mm e 490,8 mm para os experimentos sob irrigação plena (IP) e sob déficit hídrico (DH), respectivamente. A fração de esgotamento de água no solo atingiu valores máximos de 26% e 75%, respectivamente, para os experimentos IP e DH. Foram avaliados as alturas de planta (AP) e de espiga (AE), o índice de área foliar (IAF), o teor relativo de clorofila na folha (TCF), o stay-green (STG), a eficiência de uso da água (EUA), o rendimento de grãos (RG) e os componentes de produção: peso médio de espiga (P1E), relação grão/espiga (RGE) e o número de grãos por metro quadrado (NGr m

     

     

  • KELLY MAYARA SILVA DA PAZ SANTOS
  • EFEITO DA RADIAÇÃO MICRO-ONDAS NAS DIFERENTES FASES DO CICLO BIOLÓGICO DE Zabrotessubfasciatus (Boh. 1833) (COLEOPTERA: CHRYSOMELIDAE: BRUCHINAE) EM FAVA (Phaseoluslunatus, L)

  • Orientador : LUCIA DA SILVA FONTES
  • Data: 14/05/2012
  • Mostrar Resumo
  • O Brasil tem se apresentado nos dias atuais como um dos principais celeiros mundiais, no que se refere à produção de grãos. O feijão-fava, Phaseolus lunatus L., é a segunda leguminosa de maior importância do gêneroe uma das quatro espécies maisexplorada comercialmente no mundo. É principalmente cultivado na região Nordeste e apresenta uma adaptação mais ampla que o feijão comum. No entanto, a economia agrícola tem apresentado grandes prejuízos, quanto ao ataque de pragas que depreciam quantitativa e qualitativamente os grãos. O caruncho Zabrotessubfasciatus causa danos expressivos durante o processo de armazenamento. Em vista disso, o presente trabalho objetivou avaliar os efeitos da radiação micro-ondas nas fases do ciclo biológico de Z. subfasciatus (Boh., 1833) nos acessos de fava UFPI-769 (Boca de moça) e UFPI-770 (Branca) provenientes do Banco de Germoplasma da Universidade Federal do Piauí e determinar entre os acessos testados a resistência ao inseto. Foi utilizado um forno comercial para a irradiação, com frequência de 2.450 MHz, rendimento de potência de 1115 W, sendo utilizado em baixa potência (10%). Os tempos de exposição à radiação micro-ondas foram: 0 (controle), 60, 90, 120 e 150 segundos para todas as fases do ciclo biológico. De um modo geral os acessos de fava UFPI-769 e UFPI-770 não influenciaram a biologia do inseto, com exceção a fase adulta, observando-se que a geração filial apresentou um período ovo-adulto (dias) mais longo no acesso UFPI-770. O estágio de larva foi o mais sensível no tempo de exposição à radiação micro-ondas correspondente a 150 s. Quanto maior foi o tempo de exposição à radiação micro-ondas menor foi a emergência de insetos, em todas as fases do ciclo de vida. A exposição à radiação micro-ondas por 60 s causou uma alteração positiva sobre o inseto na fase adulta, proporcionando a maior média de adultos emergidos da geração filial. O tempo de exposição 150 s à radiação micro-ondas, em um forno de 2450 MHz, na potência 111,5 W foi o mais eficiente para o controle de Zabrotes subfasciatus em todas as fases de vida do inseto.

  • AGENOR FRANCISCO ROCHA JUNIOR
  • FUNÇÃO DE RESPOSTA E ANÁLISE ECONÔMICA DO MELOEIRO SOB DIFERENTES LÂMINAS DE ÁGUA E DOSES DE NITROGÊNIO, EM TERESINA

  • Data: 16/03/2012
  • Mostrar Resumo
  • Com o objetivo de avaliar a resposta do meloeiro a aplicação de diferentes

    lâminas de água e adubação nitrogenada nas condições edafoclimáticas de Teresina, Piauí,

    realizou-se um experimento na área experimental do Colégio Agrícola de Teresina, no

    período de setembro a dezembro de 2010. Utilizou-se o delineamento experimental em blocos

    ao acaso com parcelas subdivididas, composto de cinco tratamentos primários nas parcelas,

    quatro tratamentos secundários nas sub-parcelas e quatro blocos. Os tratamentos constituíramse

    da combinação de cinco lâminas de irrigação (L1=124,8; L2=249,5; L3=356,4; L4=534,6;

    L5=712,9 mm) correspondendo a 0,35; 0,7; 1,0; 1,5; 2,0 vezes a evapotranspiração máxima

    da cultura, respectivamente, e quatro níveis de adubação nitrogenada (N0=0; N1=75;

    N2=150; N3=300 kg de N „ªha-1). Utilizou-se sementes de melão Goldex, hibrido F1, instalada

    no espaçamento 2,0m x 0,25m, irrigado por um sistema de irrigação por gotejamento com

    emissores espaçados na linha a cada 0,3m e com vazão nominal de 2,2 L„ªh-1. As irrigações

    foram diárias, sendo as lâminas de irrigação estabelecidas de acordo com os tratamentos,

    baseados na evapotranspiração máxima da cultura. Após análise dos resultados verificou-se

    que os fatores água e nitrogênio apresentaram efeito significativo sobre a produtividade do

    melão, enquanto que a interação entre os fatores não foi significativa. O máximo rendimento

    físico estimado foi de 28.752,3 kg„ªha-1, foi obtido com a aplicação de 675 mm de água e

    199,1 kg„ªha-1 de nitrogênio. A máxima receita líquida estimada de R$ 4.274,60 ha-1 foi obtida

    com um rendimento de 28.517,5 kg„ªha-1 de melão, utilizando-se 597,1 mm de água e

    198,3 kg„ªha-1 de nitrogênio. A eficiência do uso da água foi crescente com o aumento das

    doses de nitrogênio com o máximo valor obtido de 176,31 kg„ªha-1„ªmm-1 com a dose de

    75 kg„ªha-1 juntamente com a lâmina de 125,75 mm. A eficiência ótima econômica do uso da

    água estimada foi de 93,28 kg„ªha-1„ªmm-1, para uma dose de 198,9 kg„ªha-1 de nitrogênio

2011
Descrição
  • HERBERT MORAES MOREIRA RAMOS
  • Características produtivas, fisiológicas e econômicas do feijão caupi para grãos verdes sob diferentes regimes hídricos

  • Data: 27/11/2011
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste trabalho foi avaliar as características produtivas, fisiológicas e econômicas do feijão-caupi, para grãos verdes, sob diferentes regimes hídricos. Conduziu-se o experimento em área experimental da Embrapa Meio-Norte, em Teresina, Piauí, em um Argissolo Vermelho-Amarelo Eutrófico, no período de setembro a novembro de 2009. Foram avaliadas cinco lâminas de irrigação, estabelecidas com base em frações das evapotranspiração de referência (25% ETo, 50% ETo, 75% ETo, 100% ETo e 125% ETo) e duas cultivares de feijão-caupi (BRS Guariba e BRS Paraguaçu). Aplicou-se a irrigação por meio de um sistema por aspersão convencional fixo. Usou-se o delineamento experimental em blocos casualizados,com quatro repetições e parcelas subdivididas. Determinou-se a produtividade de grãos verdes, os componentes de produção e a eficiência do uso de água para produtividades de grãos verdes e vagens verdes. Avaliou-se o potencial hídrico foliar, o teor de clorofila e o índice da área foliar. Definiram-se as estratégias ótimas de irrigação do feijão-caupi para produção de grãos verdes.As máximas produtividades de grãos verdes, 2.937,3 kg.ha-1 (BRS Guariba) e 2.492,9 kg.ha-1 (BRS Paraguaçu), foram obtidas com as lâminas de irrigação de 354 mm e 423 mm,respectivamente. A máxima eficiência de uso da água é atingida com a aplicação da lâmina deirrigação 275 mm e 231 mm para as cultivares BRS Paraguaçu e BRS Guariba, respectivamente. A produtividade de grãos verdes, o potencial hídrico foliar, o índice de área foliar e o teor de clorofila total são influenciados negativamente com a redução das lâminas de irrigação. Aprodutividade de grãos verdes correlaciona-se positivamente com o potencial hídrico, o índice de

    área foliar e o teor de clorofila total. As lâminas de irrigação entre 250 mm a 423 mm e entre 238 mm e 354 mm mostraram-se viáveis na faixa de variação de preço do produto entreUS$ 0,75 kg-1 e US$ 2,00 kg-1, para a cultivar BRS Paraguaçu e entre US$ 0,50 kg-1 e US$ 2,00 kg-1, para a cultivar BRS Guariba. A cultivar BRS Guariba mostrou melhor

    desempenho no que concerne às receitas líquidas e produtividades de grãos verdes quando comparada com a cultivar BRS Paraguaçu.

  • FLÁVIO LUIZ SIMÕES CRESPO
  •  

     

     

    ESCARAVELHOS (COLEOPTERA: SCARABAEIDAE) EM
    AGROECOSSISTEMAS E MATA NATIVA NO MUNICÍPIO DE PARNAÍBA,
    PIAUÍ, BRASIL

  • Orientador : PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
  • Data: 20/10/2011
  • Mostrar Resumo
  • Considerando a importância de estudos comparativos entre ambientes naturais
    e antrópicos, objetivaram-se com essa pesquisa a avaliação de impactos
    causados pelos agroecossistemas estudos sobre comunidades da família de
    Scarabaeidae (Insecta: Coleoptera). Objetivos específicos: analisar o equilíbrio
    ambiental das áreas; avaliar os impactos causados às comunidades de
    Scarabaeidae pelo manejo orgânico e convencional; correlacionar a
    diversidade com a complexidade estrutural da vegetação de cada área
    estudada. Os escaravelhos foram coletados em dois sistemas de produção de
    goiaba (Psidium guajava), sendo: sistema de goiaba convencional, sistema de
    Goiaba orgânica e mata nativa, localizados no Perímetro Irrigado Tabuleiros
    Litorâneos do Piauí, Parnaíba, Piauí, Brasil. As coletas foram realizadas no
    mês de abril de 2011. Para tanto foram utilizadas 20 armadilhas tipo pitfall
    traps, pequenos baldes com volume igual a 3 L para cada área, sendo 10
    iscadas com fezes humanas frescas e 10 com vísceras de galinha apodrecidas.
    As armadilhas distaram 20 m uma da outra e foram distribuídas, paralelamente,
    em 4 transectos de 100 m, distando 20 m um do outro. No primeiro e no
    terceiro transecto foram dispostas as armadilhas iscadas com fezes, no
    segundo e no quarto transecto foram dispostas as armadilhas iscadas com
    víscera de galinha apodrecida. Sendo dispostas 5 armadilhas por transecto. As
    iscas foram colocadas em coletores de material para exames clínicos com
    capacidade de 80 ml perfurações na tampa para permitir que o odor exalasse
    no ambiente e que ficasse protegida de outros animais. Tais coletores foram
    presos aos baldes com o auxilio de um fio de arame galvanizado. Em cada
    armadilha foram colocados 0,3 l de uma solução a 2% de detergente líquido
    neutro. As armadilhas foram enterradas com as aberturas nível do solo e foram
    utilizados pratos descartáveis sustentados a 0,01m do solo por 3 palitos de
    madeira, com 0,25 m de comprimento, para proteção das mesmas. As
    armadilhas foram recolhidas 48 h após serem armadas e o material coletado foi
    levado ao laboratório de Agronomia do Campus Alexandre Alves de Oliveira da
    Universidade Estadual do Piauí, onde foi feita triagem. Foram coletados 5.323
    indivíduos, distribuídos em 13 gêneros. A espécie Dichotomius geminatus com
    3.917 indivíduos representou 73,59% do total de indivíduos coletados. A
    riqueza de espécie observada no sistema de goiaba orgânico foi menor que no
    sistema de goiaba convencional que foi menor que na mata nativa. Das
    espécies observadas, 8 ainda não tinham suas ocorrências registradas no
    estado do Piauí e 6 podem ser espécies novas. As modificações na estrutura
    vegetal provocadas pela implantação dos agroecossistemas, independente do
    manejo neles empregado, afetam a diversidade da fauna de Scarabaeidae.

  • ADAILTON BARBOSA DOS SANTOS JUNIOR
  • EROSIVIDADE E PADRÃO DE CHUVAS EM TERESINA E PARNAÍBA NO PIAUÍ

  • Data: 30/09/2011
  • Mostrar Resumo
  • A erosividade representa o potencial que as chuvas têm de provocar erosão hídrica no solo. A Equação Universal de Perda de Solo (EUPS) é um dos modelos mais

    empregados na predição das perdas de solo por erosão hídrica. O objetivo deste trabalho

    foi calcular a erosividade das chuvas nos municípios de Teresina e Parnaíba no estado

    do Piauí, para subsidiar aplicações práticas em conservação do solo. A partir de

    pluviogramas diários, adquiridos no Instituto Nacional de Meteorologia- INMET

    referentes aos anos de 2005 a 2009 foram separados para cada chuva individual e

    erosiva, os segmentos de mesma intensidade, registrados em planilha e analisados pelo

    programa Chuveros, que calculou o índice EI30. O EI médio anual para o município de

    Teresina, Piauí, foi de 9.655 MJ.mm.ha-1.h-1.ano-1, variando de 6.717,8 MJ.mm.ha-1.h-

    1.ano-1 a 11.803,6 MJ.mm.ha-1.h-1.ano-1. Os meses de dezembro a maio determinam o

    período crítico, concentrando 95,7% da precipitação e 95,43% da erosividade total

    estimada para o período estudado. Para o EI médio anual do município de Teresina é

    esperado que este retorne a cada 2 anos com uma probabilidade de 50,00%. O EI médio

    anual para o município de Parnaíba, Piauí, foi de 9.964,3 MJ.mm.ha-1.h-1.ano-1, variando

    de 6.926,5 MJ.mm.ha-1.h-1.ano-1 a 11.279,5 MJ.mm.ha-1.h-1.ano-1. Os meses de janeiro a

    maio determinam o período crítico, concentrando 87,6% da precipitação e 88,8% da

    erosividade total estimada. Para o EI médio anual do município de Parnaíba é esperado

    que este retorne a cada 2 anos com uma probabilidade de 50,00%.

  • ALYNE FREIRE DE MELO
  • Avaliação do potencial insetiicida da proteina recombinante rCV2935 purificada da bactéria chromobactrium violacem sobre Spondoptera frugiperda (J.E.Smith).

  • Orientador : LUIZ EVALDO DE MOURA PADUA
  • Data: 29/09/2011
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  •  

    ESUMO GERAL –

    A lagarta Spodoptera frugiperda (J.E. Smith) é atualmente a principal praga da cultura do milho. Seu controle demanda elevado número de aplicações de inseticidas sintéticos, o que agrava o problema de resistência da praga a esses produtos e contaminação do ambiente. Chromobacterium violaceum (ATCC12472) é um bacilo gram-negativo, saprófito, capaz de sintetizar um pigmento de cor violeta denominado violaceína, o qual apresenta grande atividade como antibiótico. Devido ao grande potencial de aplicação biotecnológica, a C. violaceum foi escolhida pelo Brazilian National Genome Project Consortium para ter o seu genoma inteiramente seqüenciado. As quitinases são responsáveis pela hidrólise da quitina, que é o segundo biopolímero natural mais abundante na natureza, inferior apenas à celulose. A quitina é encontrada no exoesqueleto de artrópodes e em plantas, dentre outros organismos. A sua utilização em controle biológico de insetos e de fungos fitopatógenos destaca-se em meio às aplicações da quitinase. O experimento foi desenvolvido com as larvas de S. frugiperda no Laboratório de Entomologia, do Departamento de Fitossanidade do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Piauí, em Teresina – PI, em sala sob condições controladas e a proteína recombinante rCV2935foi preparada e purificada no Laboratório de Genética Molecular da Universidade Federal do Ceará. As Larvas foram inoculadas com uma seringa de Hamilton de 10μl com Água MilliQ Estéril (testemunha), Ácido Acético glacial 0,5 M e as concentrações 250 μg/μL, 500 μg/μL e 750 μg/μL de proteína recombinante rCV2935. O tratamento capaz de ocasionar mortalidade de 100% das larvas foi a concentração 750 μg/μL de proteína recombinante rCV2935.

2005
Descrição
  • ALZIMAR BRANDÃO DE BRITO
  • INFLUÊNCIA DE TIPOS DE BANDEJAS, ESTÁDIOS DE CRESCIMENTO
    E ADUBAÇÃO QUÍMICA, NO DESEMPENHO DE MUDAS DE
    ABOBRINHA (Cucurbita pepo L.)

  • Orientador : REGINA LUCIA FERREIRA GOMES
  • Data: 21/10/2005
  • Mostrar Resumo
  • A produção de mudas atualmente se tornou prática indispensável na
    olericultura, tendo em vista o uso de sementes com elevado potencial genético,
    particularmente dos híbridos, considerados de alto custo e da perspectiva de
    garantir melhor qualidade, como resultado do maior controle fitossanitário. A
    abobrinha é uma espécie da família Cucurbitaceae identificada pelo hábito de
    crescimento determinado e elevada susceptibilidade às viroses, razões que
    justificam a contínua busca pela modernização dos métodos de propagação. As
    bandejas de poliestireno expandido (isopor) identificam bem esta evolução,
    merecendo figurar no rol das estratégias utilizadas para tecnificar ainda mais a
    exploração desta cultura, desde que sejam testados tipos, substratos, adubação e
    idade adequada ao transplantio. O presente trabalho foi conduzido em viveiro
    telado com sombrite de 50%, no Departamento de Fitotecnia do Centro de
    Ciências Agrárias, da Universidade Federal do Piauí. O objetivo foi avaliar a
    influência de tipos de bandejas, adubação do substrato e de diferentes idades de
    transplantio na produção de mudas de abobrinha. O delineamento experimental foi
    montado utilizando o delineamento blocos casualizados, com 8 repetições em
    arranjo fatorial 2 x 3 x 2, sendo o primeiro fator o tipo de bandeja (72 e 128
    células) o segundo a época do aparecimento das folhas verdadeiras (1a, 2a e 3a) e
    o terceiro com e sem adubação na dose de 2g da fórmula 4-14-8 (NPK) por litro de
    substrato. As bandejas de 72 e 128 células tinham respectivamente as
    profundidades de 12 cm e 6 cm. Foram avaliados os parâmetros altura da muda
    medida do colo à gema terminal, comprimento da raiz, peso da matéria fresca da
    parte aérea e da raiz. Houve interação para todos os fatores estudados. As
    bandejas com 72 células propiciaram melhor desenvolvimento das mudas,
    independentemente dos parâmetros considerados, permitindo retardar o
    transplantio até o estádio de terceira folha. Nas bandejas de 128 células o
    transplantio deve ser antecipado, devendo ser feito no estádio de primeira folha.

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.instancia1 05/12/2019 14:56