Dissertações/Teses

2022
Descrição
  • ROZIRENE ARAÚJO SILVA
  • Expressão Do Antígeno Ki-67 No Epitélio Mamário De Ratas Em Estro Permanente Tratadas Com Exemestano.
  • Orientador : BENEDITO BORGES DA SILVA
  • Data: 15/08/2022
  • Mostrar Resumo
  • Ao longo da vida, nosso corpo passa por diferentes exposições e  alterações biológicas entre estas, o envelhecimento, o que eleva  o risco para diversas neoplasias, entre elas , o cancer de mama. Objetivo: Avaliar a expressão do antígeno Ki-67 no epitélio mamario de ratas em estro permanente tratadas com Exemestano. Métodos: Vinte e quatro ratas Wistar adultas, virgens e em estro permanente foram distribuídas aleatoriamente em dois grupos: grupo I - controle (n=12) que receberam propilenoglicol e grupo II - experimental (n=12) que receberam 10mg/kg/dia de Exemestano (Aromasin®) diluídos em 0,5mL de propilenoglicol durante 28 dias consecutivos. No 29º dia, realizou-se eutanásia das ratas e a remoção do tecido mamário, sendo colocados em formol tamponado a 10%. Os tecidos foram fixados em blocos de parafina, para posterior confecção de lâminas com estudo imunohistoquímico padronizado. As células com núcleos corados em marrom foram consideradas positivas para expressão de Ki-67. Os dados comparativos entre os grupos foram analisados utilizando test t de Student (p < 0,05). Resultados: As porcentagens médias de núcleos corados com Ki-67 por 500 células no epitélio mamario de ratas em estro permanente foi de 132.3±64,8 e 106,1±36 nos grupos I (controle) e II (Exemestano), respectivamente (p<0,71). Conclusão: O Exemestano administrado na dose de 10mg/kg/dia, durante 28 dias consecutivos, não reduziu de maneira estatisticamente significativa a expressão do antígeno Ki-67 no tecido mamàrio de ratas em estro permanente entre os grupos estudados.

     

  • JHULYANE CRISTINE DA CUNHA NUNES
  • INFLUÊNCIA DO MARCADOR RAÇA/COR NO ATENDIMENTO DE MULHERES AUTODECLARADAS PRETAS EM MATERNIDADES PÚBLICAS DE UMA CAPITAL DO NORDESTE BRASILEIRO.
  • Orientador : IONE MARIA RIBEIRO SOARES LOPES
  • Data: 11/07/2022
  • Mostrar Resumo
  •  A qualidade da atenção à saúde inclui vários fatores, entre eles a eliminação de iniquidades raciais, uma vez que as diferenças de tratamento no que tange as disparidades raciais no processo de atenção à gestação e ao parto influenciam nos indicadores finais da saúde. OBJETIVO: Verificar se a cor da pele é um marcador de iniquidade em saúde no atendimento pré-natal e no parto de mulheres pretas em maternidades públicas de uma capital do Nordeste brasileiro. Caracterizar o perfil sociodemográfico de puérperas autodeclaradas pretas e brancas/pardas atendidas em maternidades públicas da cidade de Teresina-PI; Comparar a assistência pré-natal e a assistência ao parto entre mulheres autodeclaradas pretas e brancas/pardas; Verificar se existem diferenças entre mulheres autodeclaradas pretas e brancas/pardas quanto a percepção da discriminação racial em saúde.  METODOLOGIA: Estudo do tipo descritivo de delineamento transversal, aprovado pelas instituições envolvidas e pelo Comitê de Ética em Pesquisa Humana da Universidade Federal do Piauí. Foram cenários da pesquisa cinco maternidades públicas de uma capital do nordeste brasileiro. Amostra constituída por dois grupos: Grupo I (caso) com 375 mulheres autodeclaradas pretas e o Grupo II (controle) com 375 mulheres autodeclaradas pardas/brancas. Os instrumentos utilizados foram um questionário, Escala Percepção de Discriminação Racial em Saúde - Versão Pessoal (EPDRS-VP) e questionário Biossociodemográfico. Na análise estatística utilizou-se o programa IBM SPSS (versão 22). Foi realizada a média dos dados do perfil sociodemográfico. O teste Qui-Quadrado, foi utilizado na análise dos dados, foi aplicado com o nível de 95% de confiança (α=0.05). RESULTADOS: A idade média das entrevistadas ficou entre 25 e 26 anos, mais da metade das participantes dos dois grupos são casadas/união estável. O Grupo I (caso) foi o que apresentou maior taxa de desemprego e maior porcentagem relacionada à renda de até um salário mínimo em comparação ao Grupo II (controle). as participantes do Grupo I foram as que menos receberam informação acerca do local de realização do parto. Acerca do atendimento recebido durante o parto, constatou-se que as participantes dos dois grupos apresentaram satisfação positiva. No que diz respeito ao tipo de parto, percebeu-se que o quantitativo de mulheres com parto cesárea foi superior entre as participantes do Grupo II e as do Grupo I foram as que apresentaram maior porcentagem de parto vaginal. CONCLUSÃO: Os achados deste estudo permitiram constatar que a cor da pele é um fator de iniquidade em saúde, isso ocorre porque existem diferenças quanto ao atendimento recebido entre os dois grupos estudados, ademais foi possível constatar a evidência de discriminação racial direcionada as participantes do grupo-caso.

  • DIONEIDE ARAUJO COSTA
  • SÍNDROME RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE NO PIAUÍ POR COVID-19: Perfil das Internações, Prevalência de Comorbidades e Mortalidade
  • Orientador : MAURICIO BATISTA PAES LANDIM
  • Data: 22/06/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A Síndrome Respiratória Aguda Grave é uma das manifestações da COVID-19 que podem levar a internação hospitalar. O Brasil foi um epicentro da COVID-19, assim é importante conhecer a população que precisou ser internada e saber informações sobre fatores de risco e mortalidade dessa doença no Estado do Piauí. Objetivos: Descrever os pacientes hospitalizados por Síndrome Respiratória Aguda Grave por COVID-19 e verificar a relação entre presença de comorbidades e mortalidade. Métodos: Estudo ecológico, descritivo com dados do Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe, do ano de 2021, de pacientes com diagnóstico de COVID-19 no Estado do Piauí. Foram coletados dados sociodemográficos, sinais e sintomas, comorbidades e desfechos. Aplicou-se Teste Qui-Quadrado de Wald para análise bivariada e regressão logística para identificar fatores relacionados ao óbito. Resultados: Foram analisadas 10.412 notificações, sendo 7.898 casos de COVID-19 confirmados. A média de idade foi de 55 anos, (57%) sexo masculino, (73,1%) eram pardos e (65,2% das internações foram na Capital. Os sinais e sintomas mais comuns foram dispneia (90,3%), tosse (87,3%) e saturação < 95% (87%). As doenças cardiovasculares (81,1%) e o diabetes (57,9,3%) foram as comorbidades mais comuns. A mortalidade hospitalar foi (36,7%).  A análise de regressão logística identificou associação das características: fatores de risco, doença cardiovascular, diabetes, imunodeficiência, doença renal crônica, internação em UTI e necessidade de ventilação mecânica (p< 0,05) com mortalidade. Conclusão: Ao término deste estudo observamos que a média de idade dos pacientes internados está na faixa etária da população economicamente ativa. Os mais velhos ainda são que mais precisaram ser internados. Os sinais e sintomas mais comuns foram dispneia, tosse e saturação < 95%. Apresentar comorbidades como: doenças cardiovasculares, diabetes mellitus, imunodeficiência e doença renal crônica; e precisar de internação em UTI e ventilação mecânica aumentam o risco de mortalidade. A mortalidade hospitalar geral assemelhou-se a mortalidade nacional, sendo discretamente maior na Capital do Estado comparado ao Interior.

     

     

  • MARIA DE FÁTIMA SOUSA BARROS VILARINHO
  • Tendência temporal da prevalência de excesso de peso, segundo a autopercepção da imagem corporal, em adolescentes escolares
  • Orientador : LUISA HELENA DE OLIVEIRA LIMA
  • Data: 03/06/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os anseios acerca da aparência corporal durante a adolescência são mais intensos, e a presença do excesso de peso neste ciclo indica uma vulnerabilidade, podendo afetar substancialmente nos hábitos de vida, sendo fator de risco para o desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis em fases precoces. Objetivo: Analisar a tendência temporal da prevalência do excesso de peso a partir da autopercepção da imagem corporal em adolescentes escolares brasileiros. Metodologia: Consistiu em um estudo ecológico de série temporal, que analisou os dados das três edições da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (2009, 2012, 2015), referente aos alunos do 9º ano de escolas públicas e privadas selecionadas nas 26 capitais brasileiras e o Distrito Federal. A amostra analisada constituiu-se de 173.310 escolares. Os dados foram coletados diretamente do site do IBGE e posteriormente organizados em planilhas, para em seguida realizar a análise estatística. Este estudo utilizou as variáveis presentes nas três edições, as quais foram categorizadas em: autopercepção de excesso de peso, consumo alimentar, nível de atividade física no lazer suficiente e tempo frente às telas. Realizou-se imputação múltipla, análise descritiva, de tendência e associação, considerando significância estatística quando p<0,05 e intervalo de confiança de 95%(IC95), ainda foram calculadas razão de prevalência, para o último ano da série. Não houve necessidade de aprovação deste estudo pelo Comitê de Ética em Pesquisa. Resultados: A autopercepção de excesso de peso se manteve em torno de 18% nos anos 2009 e 2012, com pequeno aumento em 2015. Não houve tendência significativa em toda a série, apenas a variável de escolaridade materna apresentou tendência crescente (0,25 pontos percentuais), relatada por adolescentes com mães que tinham como maior escolaridade o ensino médio completo. As maiores prevalências ao longo da série foram em meninas, de cor branca, na faixa etária de 13 anos ou menos que não viviam com os pais, matriculados em escolas particulares e residentes na região Sul. Observou-se ainda maior prevalência em adolescentes que não consomem alimentos in natura ou minimamente processados (22,7; IC95% 21,4-24,0), menor prevalência nos que fazem consumo de ultraprocessados (19,2; IC95% 18,4-20,0), além de maior prevalência nos que não realizam atividade física suficiente no lazer (20,3; IC95% 19,7-21,0) e despendem três ou mais horas em frente às telas (20,5; IC95%19,6-21,4). Observou-se que escolares com 16 ou mais anos de idade (RP: 0,83; IC95% 0,72-0,95), de cor parda (RP: 0,89; IC95% 0,82-0,97), que consumiam alimentos in natura ou minimamente processados (RP: 0,85; IC95% 0,78-0,92) e alimentos ultraprocessados (RP: 0,86; IC95% 0,81-0,91) relataram prevalências significantemente menores para a autopercepção de excesso de peso. Conclusão: Identificou-se um aumento na frequência da autopercepção do excesso de peso no decorrer dos anos, observou-se a associação dos fatores sociodemográficos e comportamentais em relação a maneira como os adolescentes se autopercebem, fatores estes que servem de alerta para os órgãos de saúde, para as famílias, pais e responsáveis, uma vez que o sobrepeso e a obesidade estão associados a inúmeras comorbidades, possibilitando uma intervenção precoce.

  • ANA RAFAELA SILVA PEREIRA
  • Complexo enzimático bromelina como possível agente antitumoral: efeitos biológicos e mecanismos de ação.
  • Orientador : JOAO MARCELO DE CASTRO E SOUSA
  • Data: 31/05/2022
  • Mostrar Resumo
  • A busca por tratamentos alternativos para o câncer, com ênfase para descoberta de novos fitoquímicos antitumorais, é uma constante nas pesquisas oncológicas, principalmente considerando fatores como a resistência de células tumorais e efeitos celulares e sistémicos adversos que o tratamento pode ocasionar. Desta maneira, componentes alimentares como o complexo enzimático bromelina, uma protease cisteína derivada do abacaxizeiro (Ananas comosus), destaca-se por sua potencialidade antiproliferativa e antitumoral. Além disso, por seu alto valor terapêutico, a bromelina apresenta variadas ações celulares, entretanto seus mecanismos de redução tumoral ainda não estão bem elucidados. Portanto, realizou-se uma revisão sistemática para avaliar os potenciais efeitos biológicos e mecanismos de ação da bromelina em diferentes linhagens de células tumorais. A busca na literatura foi realizada em junho de 2021, nas bases de dados PubMed, ScienceDirect, Scopus e Web of Science, utilizando os termos "Bromelain", "cancer", empregando o operador booleano "AND". Foram identificados 5.463 estudos, dos quais 49 atenderam aos critérios de elegibilidade. A bromelina isolada, associada ou em nanoformulações apresentou efeitos citotóxicos, citostáticos, genotóxicos, antiinvasivo e radiossensibilizante, todos relacionados para potencialidade antitumoral, através de ativações gênicas importantes, tais como P53, Bax, caspases e inativações como Bcl2 e COX2. Portanto, o complexo enzimático bromelina apresenta-se como um bom candidato para formulações antitumorais.

  • ELANNE NUNES DOS SANTOS
  • BIOPOLIMERO DA CASCA DO MARACUJÁ AMARELO (Passiflora edulis flavicarpa): EXTRAÇÃO, CARACTERIZAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA E ATIVIDADE BIOLOGICA PARA FORMULAÇÕES FARMACÊUTICAS E ALIMENTÍCIAS
  • Orientador : MARCIA DOS SANTOS RIZZO
  • Data: 27/05/2022
  • Mostrar Resumo
  • Os biopolímeros existentes na natureza podem ser classificados como ácidos
    nucleicos, proteínas e polissacarídeos. Os polissacarídeos apresentam uma
    ampla aplicabilidade devido às suas propriedades intrínsecas, como a de
    possuir baixa toxicidade; potente atividade biológica (efeitos antioxidantes,
    antitumorais, antidiabéticos e imunomodulador) e propriedades tecnológicas
    (agente gelificante, estabilizante, espessante e desintegrador), características
    que estimulam sua utilização pela indústria farmacêutica, cosmética e
    alimentícia. Dentre os polissacarídeos naturais destaca-se a pectina, a qual é
    encontrada de forma abundante na parede de células vegetais em
    desenvolvimento e, em especial, nos resíduos industriais (coprodutos) do
    processamento de frutos, como o fruto do maracujá, sendo este polissacarídeo
    o principal composto de sua casca. Assim, este trabalho objetivou extrair e
    caracterizar físico-química e biologicamente o biopolímero extraído do resíduo
    de maracujá (Passiflora edulis) (PolRMar) como fonte de pectina, com o intuito
    de fornecer subsídios para aplicações na indústria farmacêutica e alimentícia.
    Neste estudo investigou-se a morfologia, estrutura, carga química, análise
    térmica e composição de açucares), propriedades funcionais e atividade
    biológica (função antioxidante e citotoxicidade), além de possíveis formulações.
    O PolRMar mostrou ser um heteropolissacarídeo, com maior quantidade de
    ácidos galacturônicos (56,6%) e condutividade elétrica de 359,7 ± 20,4 µS.cm-
    1. Os resultados sugerem que o PolRMar apresenta características similares a
    da pectina extraída por outras metodologias mais complexas e de maior custo,
    com alto grau de esterificação (HMP - 58%), termoestabilidade de 200°C,
    característica semicristalina e de estrutura morfológica predominantemente
    porosa. O resultado do potencial zeta foi de -32,4mV, confirmando a
    estabilidade da dispersão coloidal do PolRMar. Os dados de propriedades
    funcionais apresentaram 100% de capacidade de emulsão, estabilidade e
    solubilidade, além de possuir atividade antioxidante comparável a da
    quercetina, e de características texturométricas similares ao do alginato
    (firmeza, coesividade e índice de viscosidade). Ainda, o PolRMar apresentou
    características de citocompatibilidade e hemocompatibilidade. O biopolímero
    mostrou potencial para desenvolver hidrogéis, biofilmes e formulações em pó.
    Devido ao apelo por tecnologias eco-friendly e das qualidades tecnológicas
    apresentadas, o PolRMar torna-se uma alternativa promissora para o
    desenvolvimento de novos produtos com aplicação na área farmacêutica e
    alimentícia

  • ISABEL OLIVEIRA AIRES
  • ASSOCIAÇÃO ENTRE OS NÍVEIS DE RETINOL, COBRE E ZINCO E A RECUPERAÇÃO CLÍNICA E NUTRICIONAL EM INDIVÍDUOS COM LEISHMANIOSE VISCERAL
  • Orientador : DORCAS LAMOUNIER COSTA
  • Data: 16/05/2022
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A leishmaniose visceral (LV) é uma doença causada por parasitas do gênero Leishmania, que faz parte de um conjunto de doenças provocadas por picadas de flebotomínteos, que causam diversas formas da doença, sendo a LV a forma mais grave associada à síndrome inflamatória sistêmica. Alguns estudos apontam micronutrientes como zinco (Zn), cobre (Cu), vitamina A (retinol) e a relação Cu/Zn como marcadores da progressão da LV. OBJETIVO: Associar os níveis de retinol, Cu e Zn antes do tratamento com a recuperação clínica e nutricional de indivíduos acometidos por LV. MATERIAIS E MÉTODOS: Estudo prospectivo de coorte fechada com 61 adultos de ambos os sexos acima de 19 anos admitidos no Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela com sintomas sugestivos de calazar e com diagnóstico laboratorial. Todos os participantes foram submetidos à anamnese e ao exame físico, de acordo com um questionário estruturado. Para avaliação nutricional, foram aferidos peso e altura para classificação do índice de massa corpórea (IMC), dobras cutâneas tricipital e subscapular e circunferência do braço. Calculou-se a área muscular do braço, área adiposa do braço e circunferência muscular do braço. Foram determinados os parâmetros bioquímicos de Cu, Zn e retinol e a mensuração da relação Cu/Zn na admissão e após 30 dias de tratamento. A análise estatística foi realizada pelo programa Stata/IC. RESULTADOS: Em média, os participantes tinham 38,38 anos de idade e 81,97% deles eram homens. A coinfecção pelo HIV estava presente em 30,61% dos indivíduos. O tempo médio de duração dos sintomas foi de 60,93 dias e as manifestações clínicas mais frequentes foram febre, palidez, apatia e inapetência. As alterações laboratoriais mais observadas foram anemia, leucopenia e hipoalbuminemia. Os participantes apresentaram uma perda de peso relevante portanto, a maioria ainda estava eutrófica. Após 30 dias do início do tratamento, foi possível observar um aumento significativo nos níveis de Zn e retinol, ao passo que o Cu, a relação Cu/Zn e a proteína C-reativa reduziram. Foi observada uma correlação do Zn com o tamanho do baço, sugerindo um potencial papel do Zn na esplenomegalia. CONCLUSÃO: Foi observada uma perda de peso significativa associada a circunferência do braço, evidenciando perda de gordura e massa muscular. Foram observados baixos níveis de vitamina A e Zn na admissão, que foram recuperados após um mês de tratamento. O Zn e Cu correlacionaram-se negativamente, ao passo que a relação Cu/Zn reduziu significativamente durante o acompanhamento.

  • MONALIZA SOUSA DOS ANJOS
  • Hanseníase em Teresina de 2017 a 2021: Desafios
  • Orientador : AIRTON MENDES CONDE JUNIOR
  • Data: 29/04/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A hanseníase é uma doença infectocontagiosa de evolução  crônica interrompida por surtos reacionais, afeta o sistema nervoso periférico e  secundariamente a pele e membranas mucosas. Caracteriza-se como um  processo destrutivo que causa sérias incapacidades físicas e sociais quanto  mais tardio for o seu diagnóstico e tratamento. A análise do perfil epidemiológico  da hanseníase, assim como de outras doenças, possibilita o desenvolvimento  de ações direcionadas pelos serviços de saúde para o enfrentamento  adequado. Objetivo: Descrever o perfil epidemiológico de indivíduos com  hanseníase no município de Teresina-Piauí. Métodos: Trata-se de um estudo  observacional, analítico do tipo ecológico, realizado de março a abril de 2022,  através de dados do SINAN. Foi feito análises exploratórias (descritivas) dos  dados, a partir da apuração de frequências simples, absolutas e percentuais.  Para verificar as diferenças de associação ou tendência entre os grupos foi  realizado o teste qui-quadrado com correção de yates e para análise de  normalidade foi feito o teste de Shapiro-wilk e o cálculo de odds ratio para  análise de probabilidades ou possibilidade em tabela 2x2. Resultados: Foi  possível identificar predominâncias do perfil clínico e epidemiológico como o  gênero predominantemente masculino, idade acima de 15 anos, cor/raça parda,  que tenham estudado até o ensino médio, com características clínicas dimorfo,  com a presença de mais de cinco lesões, no entanto sem reações  predominantes, mas com alto índice de incapacidades grau I. Conclusão: Foi  possível identificar um perfil predominante de indivíduos com hanseníase no  município de Teresina, no entanto, foi observado escassez de grande número  de informações provenientes do SINAN. 

  • LARISSA LIMA EMÉRITO
  • Avaliação dos Casos de Óbito em Menores de um Ano Quanto à Evitabilidade na Cidade de Teresina, 2012 a 2019
  • Orientador : VIRIATO CAMPELO
  • Data: 25/04/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A mortalidade infantil (MI) é um importante indicador de saúde pública. Ela refere-se a mortes precoces que acontecem por diversos fatores e, na maioria das vezes, são evitáveis. Mortes classificadas como evitáveis são total ou parcialmente preveníveis por ações efetivas dos serviços de saúde que estejam acessíveis à população. Objetivo: Analisar quanto à evitabilidade, os óbitos de crianças menores de um ano de idade, filhos de mães residentes no município de Teresina, notificados no Sistema de Informação de Mortalidade (SIM), no período de 2012 a 2019. Metodologia: Trata-se de um estudo transversal, descritivo, que investigou os óbitos evitáveis em menores de um ano de idade notificados no Sistema de Informação de Mortalidade (SIM), no período de 2012 a 2019. Resultados: Analisou-se 1.645 óbitos. Destes, 1153 (70,09%) foram classificados como evitáveis, 16 (0,97%) como óbitos por causas mal definidas por e 476 (28,94%) como óbitos por demais causas. Dentre os óbitos avaliados, 851 (51,7%) ocorreram durante o período neonatal precoce (entre o 0º e o 6º dia de vida), 302 (18,4%) durante o período neonatal tardio (entre o 7º e o 27º dia de vida) e 492 (29,9%) durante o período pós-neonatal (entre o 28º e o 364º dia de vida). A Taxa de Mortalidade Infantil (TMI) apresentou redução no período de análise. Conclusão: As taxas progressivas de mortalidade pós-neonatal e aumento de óbitos por causas mal definidas indicam uma possível deficiência dos serviços de saúde.


  • IGOR ALMEIDA SILVA
  • Detraining and retraining in badminton athletes following 1-year COVID- 19 pandemic on psychological and physiological response
  • Orientador : FABRICIO EDUARDO ROSSI
  • Data: 22/04/2022
  • Mostrar Resumo
  •  

    Purpose
    Badminton is a racket sport, with fast and explosive movementsAQ1and mental skills employed to anticipate the opponent’s
    movements. The COVID-19 pandemic, led to social restriction in Brazil and sport event cancellations, subsequently,AQ2sports
    training was banned. Thus, the objective of this study was to compare the impact of long-period detraining due to COVID-19 social
    restriction (8months and 1-year) on cardiorespiratory fitness, bodyAQ3composition, nutritional behavior, and profile of mood states
    in badminton athletes and to verify if the athletes who returned to their regular training 4months earlier than athletes who stopped their
    daily training routine during 1-year would improve these variables.
    Methods
    Twenty-three young badminton athletes were analyzed: retrained group (14 athletes who stopped their daily training routine for
    8months due to the COVID-19 pandemic plus 4months of retraining), and detrained group (9 athletes who stopped their daily training
    routineduring1yearoftheCOVID-19pandemicbutperformedhome-basedtraining).Weevaluatedbodycomposition,
    cardiorespiratory fitness, nutritional behavior, and mood states profilesResults
    Retrained athletes showed lower body fat (−24.1% vs. + 20.8%,p< 0.001) and higher fat-free mass (+ 6.0% vs. −0.2%,p= 0.007)
    after 1year compared with the detrained group. For cardiorespiratory fitness [retrained: baseline = 55.5 ± 5.3 (47.1, 63.9) and after
    1year = 58.1 ± 2.4 (54.2, 61.9), ES = 0.65 vs. detrained: baseline = 53.4 ± 6.7 (47.2, 59.5) and after 1year = 53.1 ± 5.6 (48.0, 58.3), ES
    = −0.03] and nutritional behavior, including sauces and spices [retrained: baseline = 8.9 ± 7.0 (4.5, 13.4), and after 1year = 3.4 ± 2.9
    (1.8, 5.5), ES = −1.11 vs. detrained: baseline = 6.8 ± 6.7 (1.6, 11.9) and after 1year = 6.3 ± 5.5 (2.1, 10.6), ES = −0.08], the ESs were
    medium and large, respectively, for Retrained but trivial for detrained group. For depression, ES was trivial in the retrained [baseline =2.7 ± 3.3 (0.7, 4.7) and after 1year = 2.6 ± 2.9 (0.8, 4.4), ES = 0.03] and moderate for detrained [baseline = 1.0 ± 1.5 (−0.1, 2.1) and
    after 1year = 1.8 ± 2.7 (−0.3, 3.8), ES = 0.50].
    Conclusions
    Young badminton athletes who returned to their regular daily training 4months earlier than athletes who stopped their daily training
    routine during 1-year due to COVID-19 social restriction decreased fat mass and increased fat-free mass. There were no significant
    differences between groups for cardiorespiratory fitness, nutritional behavior, and profile of mood state response.

     

     



  • HELAYNE CRISTINA RODRIGUES
  • Portadores de Hanseníase: Barreiras e Desafios Frente à Assistência nos Serviços de Saúde
  • Orientador : JOSE IVO DOS SANTOS PEDROSA
  • Data: 31/03/2022
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A hanseníase é uma doença infectocontagiosa proveniente de uma infecção causada pelo Mycobacterium leprae. O bacilo infecta com maior frequência o endotélio vascular e apresenta grande afinidade pelo sistema nervoso periférico. Ainda que a prevalência da hanseníase tenha sofrido uma redução nos últimos anos, continua sendo um problema de saúde pública no mundo. OBJETIVO: O presente estudo teve como objetivo levantar na literatura publicações sobre as barreiras que as pessoas portadoras de hanseníase enfrentam em seu cotidiano frente aos serviços de saúde. MÉTODO: Tratou-se de uma pesquisa bibliográfica de caráter exploratório, integrativa e com abordagem qualitativa, com bases em textos obtidos em fontes eletrônicas, realizado no período de 2017 a 2022. Foram selecionados artigos científicos consultados nas bases de dados BVS (Biblioteca Virtual da Saúde) coordenada pela BIREME e PubMed da National Library of Medicine, por meio de uma estratégia PICO com descritores encontrados no DECS e MESH. Optou-se pela análise temática para uma compreensão de núcleos temáticos mobilizados na construção dos problemas de estudo. Após esse procedimento, os estudos foram categorizados em três núcleos temáticos, que subsidiaram a interpretação e apresentação dos resultados da revisão. RESULTADOS/DISCUSSÃO: Foram selecionados oito (08) estudos incluídos nesta revisão encontram-se nos idiomas português (3/37,5%) e inglês (5/62,5%). Foram analisadas publicações correspondentes aos últimos 5 anos (2017-2022), havendo predomínio de estudos realizados no Brasil (6/75%). O estigma foi apontado como um dos principais fatores para a não adesão ao tratamento para hanseníase, causando impactos físicos e psicológicos em todos os aspectos da vida do paciente. O preconceito e as dificuldades enfrentadas para a inserção no meio social podem ser amenizados mediante à adoção de práticas educativas pelos serviços de saúde e de ações voltadas para o diagnóstico precoce e a prevenção de incapacidades. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Destaca-se que este estudo foi relevante para a saúde pública, uma vez a que a hanseníase diagnosticada em tempo oportuno, ameniza as deformidades e incapacidades físicas resultado do processo saúde-doença, promovendo a melhora na qualidade de vida destes indivíduos.

  • ELYUDIENNE ANDRESSA SILVA ALVES
  • ASSOCIAÇÃO ENTRE ÂNGULO DE FASE E DESFECHOS CLÍNICOS ADVERSOS EM PACIENTES HOSPITALIZADOS COM COVID-19: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA
  • Orientador : MARCOS ANTONIO PEREIRA DOS SANTOS
  • Data: 31/03/2022
  • Mostrar Resumo
  • O ângulo de fase, obtido por bioimpedância elétrica, é um indicador de integridade celular e
    tem sido proposto como parâmetro prognóstico em pacientes críticos. O objetivo desta revisão
    sistemática foi avaliar a associação entre ângulo de fase e desfechos clínicos adversos em
    pacientes hospitalizados com Covid-19. A busca dos artigos foi realizada nas bases de dados
    MEDLINE/PubMed, Embase e Web of Science, com interesse em estudos observacionais que
    avaliaram a associação entre ângulo de fase e desfechos clínicos adversos em indivíduos com
    idade igual ou acima de 18 anos hospitalizados com Covid-19. Os estudos foram selecionados
    por duas revisoras, de forma independente, conforme critérios de elegibilidade. Posteriormente,
    os dados foram extraídos e apresentados em uma síntese qualitativa. A avaliação da qualidade
    dos estudos foi realizada conforme a escala Newcastle-Ottawa. A revisão sistemática foi
    registrada no PROSPERO (no CRD42022306177). Foram identificados 392 artigos, que
    resultaram em sete estudos selecionados, dos quais seis eram coortes prospectivas e uma,
    retrospectiva. Na avaliação da qualidade, seis estudos obtiveram pontuação igual ou superior a
    sete, indicativa de baixo risco de viés. Um total de 750 indivíduos compôs as amostras dos
    estudos selecionados. Cinco estudos relataram associação independente entre ângulo de fase e
    desfechos clínicos adversos durante hospitalização por Covid-19, com destaque para internação
    e ventilação mecânica prolongadas e maior mortalidade em pacientes com menor ângulo de
    fase. Assim, a medida do ângulo de fase pode ser útil na identificação precoce de riscos em
    pacientes hospitalizados com Covid-19, para fins de adequação de conduta clínica.

  • VANESSA MARIA OLIVEIRA VIANA
  • REPRESENTAÇÕES SOCIAIS ACERCA DA PANDEMIA POR COVID-19 ELABORADAS POR ENFERMEIROS
  • Orientador : JOSIE HAYDEE LIMA FERREIRA PARANAGUA
  • Data: 25/03/2022
  • Mostrar Resumo
  • Objetivo: conhecer as representações sociais elaboradas por enfermeiros sobre a
    pandemia COVID-19. É uma pesquisa descritiva, de abordagem qualitativa, fundamentada
    na Teoria das Representações Sociais (TRS) de Moscovici (1976). Método: pesquisa
    descritiva, de abordagem qualitativa fundamentada na Teoria das Representações Sociais
    (TRS) de Moscovici (1961). A amostra compreendeu todos os enfermeiros de um hospital
    de referência para COVID-19 de um município do nordeste brasileiros, no período de julho
    a setembro de 2021. Os dados foram processados pelo software IRaMuTeQ (Interface de R
    pour lês Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionnaires). Resultados: As
    representações sociais dos enfermeiros em um hospital de referência para COVID-19
    geraram seis classes temáticas. A análise das classes mostrou uma percepção positiva do
    reconhecimento da profissão durante à pandemia, ao tempo que os enfermeiros enfrentaram
    sentimentos negativos como medo, angústia pelo risco de contágio e apreensão de veicular a
    doença no ambiente familiar. Como desafios principais na implementação das novas rotinas
    decorrentes da pandemia, foram relatados com frequência o “óbito”, procedimentos
    complexos, mudanças na estrutura laboral, superlotação, rotina intensa de trabalho. Os
    enfermeiros demonstram uma avaliação positiva das estratégias municipais de combate à
    pandemia. O destaque da palavra “enfermeiro’ na nuvem de palavras, foi interpretada uma
    auto responsabilização, onde o profissional se coloca em posição central no processo de
    cuidado. Conclusão: A forma como esses profissionais atribuem sentido à doença permite
    estabelecer nexos para reflexão acerca do objeto estudado, vislumbrado por enfermeiros a
    partir das realidades por eles vivenciadas.

  • FILIPE MELO DA SILVA
  • PERFIL DE MORBIDADE E MORTALIDADE DA DOENÇA DE CHAGAS NO ESTADO DO PIAUÍ NO PERÍODO DE 2007 A 2019.
  • Orientador : VAGNER JOSE MENDONCA
  • Data: 07/03/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A doença de Chagas, também conhecida como Tripanossomíase
    Americana, é causada pelo Trypanosoma cruzi, um protozoário hemoflagelado,
    pertencente à família Trypanosomatidae, incluído na ordem Kinetoplastida. É uma
    doença altamente negligenciada, onde o Brasil constitui-se em uma das principais áreas
    endêmicas do mundo. A transmissão é mediada por vetores onde os seres humanos
    normalmente adquirem o parasito por meio do contato com as fezes contaminadas dos
    insetos durante o repasto sanguíneo, de forma oral (por meio da ingestão de alimentos
    contaminados), congênita e por transfusão sanguínea. Objetivo: Analisar o perfil de
    morbidade e mortalidade da doença de Chagas no estado do Piauí referente ao período
    de 2007 a 2019. Metodologia: Trata-se de um estudo ecológico, que teve como cenário
    o estado do Piauí, situado no Nordeste Brasileiro. Como dado, utilizou-se todos os casos
    de morbimortalidade notificados de doença de Chagas pelo Sistema de Informações
    sobre Mortalidade (SIM), e Sistema de Informações, Agravos e Notificação (SINAN),
    disponibilizados pelo Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde
    (DATASUS), no período de 2007 a 2019. Quanto à análise estatística para os casos de
    mortalidade, utilizou-se o modelo de regressão linear de Prais-Winsten, que considera a
    autocorrelação serial, ou seja, a dependência de uma medida seriada de seus próprios
    valores em períodos anteriores. A variação percentual anual (VPA) e seus respectivos
    intervalos de confiança de 95% (IC 95% ) foram calculados. A tendência das taxas de
    mortalidade foi interpretada como crescente (p&lt;0,05 e beta positivo), decrescente
    (p&lt;0,05 e beta negativo) e estável (p≥0,05). Para os casos de morbidade foram
    calculadas as frequências absolutas. Resultados: Os resultados obtidos mostram que o

    número maior de óbitos ocorreu em hospital e acometeu indivíduos do sexo masculino
    de cor/raça parda na faixa etária de 60 ou mais, com nenhuma escolaridade. Apenas
    quatro regiões de saúde tiveram redução significativa da incidência, sendo maior na
    Chapada das Mangabeiras. Com relação à morbidade, o perfil de acometimento
    correspondeu aos indivíduos do sexo feminino de raça/cor parda, na faixa etária de 40 a
    59 anos, e com escolaridade de 1 a 3 anos. Os participantes vivos foram os mais
    frequentes no critério evolutivo.

  • ALINE TAVARES GOMES
  • Adesão de usuários à Profilaxia Pré- Exposição ao HIV: Interfaces com a pandemia da COVID- 19.
  • Orientador : MARIA ZELIA DE ARAUJO MADEIRA
  • Data: 16/02/2022
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Uma das mais novas estratégias de prevenção ao Vírus da Síndrome
    da imunodeficiência humana (HIV) é a Profilaxia Pré- exposição (PrEP). OBJETIVO:
    Avaliar a adesão dos usuários à Profilaxia Pré- Exposição ao HIV em um Centro de
    Testagem e Aconselhamento (CTA) diante do contexto da pandemia da COVID- 19.
    METODOLOGIA: Trata-se de um estudo do tipo quantitativo de natureza descritiva e
    analítica, com abordagem e delineamento transversal, realizado com 50 usuários em
    acompanhamento em um CTA. Os dados foram coletados no período de maio a outubro
    de 2021 de forma mista (on-line e presencial) por meio dos seguintes questionários:
    Formulário de caracterização sociodemográfica, atitudes e comportamento de saúde e
    uso da PrEP; Questionário de Avaliação da Adesão ao Tratamento Antirretroviral
    (CEAT- HIV); e a Escala de Medo da COVID- 19 (EMC- 19). A pesquisa foi aprovada
    pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Universidade Federal do Piauí (UFPI), sob
    o parecer nº 4.495.342. RESULTADOS: Os achados encontrados revelam alta adesão à
    PrEP por usuários desse serviço, mais utilizada por Homens que fazem Sexo com outros
    Homens (HSH), jovens, divorciados/viúvos, com nível de escolaridade alto e que
    avaliam sua saúde de forma positiva. Altos percentuais de abstenção de uso da PrEP
    durante a pandemia da COVID- 19 foram identificados, com tempo de abandono de um
    a mais de seis meses, tendo como principal motivação a indisponibilidade do serviço de
    saúde. A cor da pele influencia de forma significativa no uso da PrEP - enquanto
    pessoas brancas atingem escores referentes à excelente adesão, pessoas pardas são
    identificadas como as menos aderentes. Quanto aos aspectos relacionados à COVID-
    19, a maioria já foi contaminada, não se percebe como grupo de risco, relata risco
    elevado de vir a ser contaminado, e apresenta alto índice de adesão às medidas
    preventivas ao vírus. Maiores escores de medo da COVID-19 foram identificados em
    pessoas negras, não previamente contaminadas pelo coronavírus, e com menor renda
    salarial. CONCLUSÃO: Conclui-se que a população negra e com menor renda é a mais
    vulnerável aos impactos advindos da COVID- 19. Os achados contribuem para
    identificar nas populações mais vulneráveis o impacto de problemas sanitários,
    considerando as distintas formas de vivência da sexualidade típicas de contextos sociais
    da modernidade.

  • TICIANNE DA CUNHA SOARES
  • Caracterização epidemiológica de idosos com covid-19 internados em hospital universitário
  • Orientador : MARIA ZELIA DE ARAUJO MADEIRA
  • Data: 11/02/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O início do ano de 2020 foi marcado pelo surgimento e posterior surto de uma
    doença, uma pneumonia até então desconhecida, chamada de Coronavirus Disease 2019
    (COVID-19), causada pelo novo vírus, denominado Severe Acute Respiratory Syndrome
    Coronavirus 2 (SARS-CoV-2). Mesmo sendo uma doença infecciosa que causa inflamação
    respiratória, extremamente contagiosa e de rápida disseminação, alguns pacientes infectados
    desenvolvem a doença de forma leve ou moderada, sem sintomas ou com sintomas leves.
    Todavia, há um grupo tido como de maior risco, a saber, os idosos, sobretudo os portadores
    de doenças crônicas, que pode ser justificado devido a imunossenescência, que é referente ao
    declínio natural do sistema imunológico gerado pelo envelhecimento, que maximiza a
    vulnerabilidade às doenças infectocontagiosas e ocasiona piores prognósticos para os
    portadores de doenças crônicas não transmissíveis. Objetivo: Caracterizar o perfil
    epidemiológico do paciente idoso internado por COVID-19 no Hospital Universitário da
    Universidade Federal do Piauí (HU-UFPI). Método: Realizou-se um estudo epidemiológico
    observacional envolvendo 137 prontuários clínicos de pacientes idosos internados por
    COVID-19 no HU durante o período de abril a dezembro de 2020. Os dados foram coletados
    nos meses de agosto e setembro de 2021. Foi utilizado um formulário estruturado formado
    por questões equivalentes aos dados sociodemográficos e epidemiológicos dos pacientes
    idosos. Os dados foram analisados utilizando o software estatístico SPSS versão 25. O projeto
    de pesquisa foi submetido ao Comitê de Ética e Pesquisa do HU-UFPI e obteve parecer
    favorável, sob número 4.795.883. Resultados: Sobre a análise dos dados sociodemográficos,
    houve associação estatística significativa entre as variáveis desfecho e estado civil (p=0,009).
    Quanto as características clínicas, os dados que apresentaram diferença estatística
    significativa demonstraram maiores valores percentuais no sexo feminino, das quais 47,3%
    apresentaram três manifestações clínicas, 64,4% utilizaram ventilação mecânica e 66,1%
    foram a óbito. Ressalta-se que a média de idade dos pacientes que evoluíram para óbito foi
    superior (m=76,72 e p=0,000) e que o tempo de internação em dias foi maior nos casos de alta
    hospitalar (m=13,00 e p=0,018). Observou-se que o “tipo de leito de internação” (Odds Ratio:
    38,830 [14,561-103,547]) e “uso de ventilação mecânica” (Odds Ratio: 9,40 [2,69-32,82])
    foram as variáveis que melhor explicam os óbitos sendo preditoras independentes para esse
    desfecho. Houve associação estatisticamente significativa entre a quantidade de comorbidades

    (p=0,007), a presença de manifestações clínicas (p=0,003), a quantidade de manifestações
    clínicas (p=0,003) e óbito. O menor tempo de sobrevida foi associado a internação em UTI e
    uso de ventilação mecânica (p=0,000). Conclusão: Observa-se que os idosos que
    compuseram a população do estudo apresentavam em sua maioria comorbidades/fatores de
    risco para a COVID-19, manifestações clínicas da doença, estavam internados em leitos de
    UTI, em uso de ventilação mecânica e os que apresentavam idade superior tiveram piores
    desfechos.

  • RICARDO PESSOA ROCHA MELO
  • Expressão do Antígeno Ki-67 no Epitélio Endometrial de Ratas em Estro Permanente Tratadas com Exemestano
  • Orientador : PEDRO VITOR LOPES COSTA
  • Data: 04/02/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As alterações proliferativas endometriais e o câncer de endométrio são efeitos
    adversos conhecidos do tratamento prolongado com Tamoxifeno no câncer de mama hormônio
    sensível (CMHS). Nesse contexto, os inibidores da aromatase (IA), dentre eles o Exemestano,
    tem sido utilizados no tratamento do CMHS em mulheres na pós-menopausa, bem como na
    quimioprevenção, apresentando resultados promissores e reduzindo os efeitos adversos endometriais. Entretanto os efeitos do Exemestano no tratamento do CMHS no status pré- menopausa ainda são controversos. Objetivo: Avaliar a expressão do antígeno Ki-67 no epitélio endometrial de ratas em estro permanente tratadas com Exemestano. Métodos: Vinte e quatro ratas Wistar adultas, virgens e em estro permanente foram distribuídas aleatoriamente

    em 2 grupos: grupo I - controle (n=12) que receberam propilenoglicol e grupo II - experimental
    (n=12) que receberam 10mg/kg/dia de Exemestano (Aromasin®) diluídos em 0,5mL de
    propilenoglicol durante 28 dias consecutivos. No 29o dia, realizou-se eutanásia das ratas e a
    remoção do terço proximal do útero, sendo colocados em formol tamponado a 10%. Os tecidos
    foram fixados em blocos de parafina, para posterior confecção de lâminas com estudo
    imunohistoquímico padronizado. As células com núcleos corados em marrom foram
    consideradas positivas para expressão de Ki-67. Os dados comparativos entre os grupos foram
    analisados utilizando test t de Student (p < 0,05). Resultados: As porcentagens médias de
    núcleos corados com Ki-67 por 500 células no epitélio endometrial de ratas em estro
    permanente foi de 169,8±6,8 e 87,3±9,4 nos grupos I (controle) e II (Exemestano),
    respectivamente (p<0,0001). Conclusão: O Exemestano administrado na dose de 10mg/kg/dia,
    durante 28 dias consecutivos, reduziu de maneira estatisticamente significativa a expressão do
    antígeno Ki-67 no epitélio endometrial de ratas em estro permanente.

  • MARIA DEVANY PEREIRA
  • Insegurança Alimentar em Domicílios com Idosos na Pandemia de Covid-19
  • Orientador : ANA LARISSA GOMES MACHADO
  • Data: 28/01/2022
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O acesso a uma alimentação segura, em qualidade e quantidades adequadas é um direito fundamental do ser humano para garantir a sua qualidade de vida, entretanto com a pandemia da COVID-19 a situação de Insegurança Alimentar e Nutricional, que já vinha sendo pauta de atenção com seu aumento nos últimos anos, tomou maiores proporções. E os idosos fazem parte de um subgrupo da população que estão mais vulneráveis às consequências da alimentação inadequada. Objetivo: Avaliar a prevalência de insegurança alimentar e fatores associados em domicílios com idosos. Método: Trata-se de um estudo transversal e analítico, com participação de 335 idosos cadastrados no território de abrangência das Unidades de Saúde da Família na zona urbana de um município do Piauí. Para a coleta de dados foram realizadas visitas domiciliares e aplicados questionários com variáveis socioeconômicas, condições de moradia e saneamento, produção de alimentos e participação em programas socioassistenciais. Foi realizada também avaliação antropométrica e da prevalência de insegurança alimentar a partir da Escala Brasileira de Insegurança Alimentar na versão curta, com 5 questões sobre preocupação, acesso e redução da alimentação nos últimos três meses. Para a análise descritiva foi utilizado o software SPSS (Versão 26) com análises de associação e razão de chances e intervalo de confiança ao nível de 5%. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa com o parecer de número 4.859.579. Resultados: Houve predomínio de idosos do sexo feminino (66,6%), com idade entre 70 e 79 anos (42,1%), renda familiar mensal de um a dois salários mínimos (61,2%), com média de 1,98 (Dp= 3,26) anos de escolaridade, cor parda (62,7%) e média de 2,98 (Dp= 1,55) pessoas morando no domicílio, maioria casados (55,8%), sem ocupação (92,5%), nível de escolaridade do responsável financeiro pela família analfabeto ou fundamental incompleto (64,5%), não moram sozinhos (89,6%) e estão classificados economicamente em D-E (42,7%), estão com obesidade (47,2%), possuem água encanada (98,8%) e residem em rua pavimentada (93,7%). Verificou-se a prevalência de insegurança alimentar em 36,7% dos domicílios com idosos e foi possível observar associação estatística significativa entre a insegurança alimentar e as seguintes variáveis: renda total familiar (p-valor=0,002), a escolaridade do responsável financeiro pela família (p-valor=0,003), a classe econômica (p-valor=0,003) e a condição de não residir em rua pavimentada (p-valor=0,045). Conclusão: Foi possível identificar a presença da Insegurança Alimentar nos domicílios investigados, assim como associação com fatores sociais e econômicos. Essas condições impactam diretamente na qualidade de vida da pessoa idosa, sendo acentuados os riscos dos que vivem em situação de vulnerabilidade social, principalmente durante uma pandemia. Necessita-se, portanto, de maior atenção na promoção do acesso pleno e permanente a alimentos de forma adequada, segura e sustentável.

  • MARIA DO PERPETUO SOCORRO DE SOUSA COELHO
  • POTENCIAL ANTITUMORAL E QUIMIOPREVENTIVO DA VITAMINA E EM ESTUDOS PRÉ-CLINICOS PARA CÂNCER DE MAMA: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA
  • Orientador : JOAO MARCELO DE CASTRO E SOUSA
  • Data: 13/01/2022
  • Mostrar Resumo
  • A utilização de vitaminas, com destaque a vitamina E, tem sido alvo de estudo para investigação do seu potencial antitumoral em decorrência da capacidade de alterar vias gênicas desreguladas na carcinogênese e sua capacidade antioxidante. Assim, esta revisão sistemática teve como objetivo avaliar atividade antitumoral e quimiopreventiva de diferentes isoformas, naturais e sintéticas, de vitamina E (tocoferóis e tocotrienóis) utilizando modelos in vitro e in vivo. A revisão sistemática foi registrada no PROSPERO (n° CRD4202126207) e a busca foi realizada em quatro bases de dados eletrônicas (PubMed, Science Direct, Scopus e Web of Science) em junho de 2020 por três avaliadores de forma independente. A equação de busca utilizada foi: “Supplementation” AND (“Vitamin E” OR Tocopherol OR Tocotrienol) AND "breast cancer" AND (chemotherapy OR therapy OR prevention). Foram incluídos estudos desenvolvidos com modelo in vitro e modelo animal de câncer de mama com a suplementação dos vitâmeros tocoferol ou tocotrienol isolados ou combinados. Os resultados mostraram um total de 8.546 estudos relevantes que foram inicialmente identificados em nossa pesquisa. Ao final, um total de 12 estudos foram elegíveis para esta revisão sistemática. Todos os estudos incluíram avaliações em modelo animal, e destes, 5 realizaram experimentos em linhagem de células tumorais. Os estudos incluíram a suplementação com tocoferóis, misturas (tocoferóis e tocotrienóis) e formas sintéticas da vitamina E. Houve associação com estradiol, células dendríticas e pterostilbeno. Observou-se a capacidade da vitamina E em retardar o crescimento tumoral, diminuição do tamanho tumoral, redução da viabilidade celular, regulação positiva de genes pró-apoptóticos e supressores tumorais, redução da expressão de genes anti-apoptóticos e de proliferação celular, além do aumento e melhora da resposta imune. Os efeitos sobre marcadores de estresse oxidativo e atividade antioxidante foram distintos entre os estudos. Apenas um estudo com vitamina E sintética relatou cardiotoxicidade, porém não apresentou genotoxicidade para a vitamina E. Em conclusão, o estudo mostrou que as isoformas da vitamina E, isoladas ou associadas, apresentaram atividade antitumoral e quimiopreventiva. Contudo, devido a heterogeneidade dos estudos, há necessidade de novas pesquisas para se estabelecer a dose-resposta efetiva, a forma, o tempo de suplementação e estádio do câncer de mama para ser indicada.

2021
Descrição
  • JIVAGO GENTIL MOREIRA PINTO
  • “APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO EM PACIENTES HOSPITALIZADOS EM PRÉ-OPERATÓRIO DE CIRURGIA ELETIVA”
  • Orientador : MAURICIO BATISTA PAES LANDIM
  • Data: 21/12/2021
  • Mostrar Resumo
  •  

    INTRODUÇÃO: A prevalência de apneia obstrutiva do sono na população cirúrgica é alta e pode variar amplamente de acordo com a condição médica e tipo de cirurgia. A identificação precoce de apneia obstrutiva do sono em pacientes cirúrgicos pode reduzir prejuízos à evolução clínica minimizando complicações durante o intra e o pós-operatório desses pacientes. OBJETIVO: Avaliar o risco de apneia obstrutiva do sono em pacientes hospitalizados em pré-operatório de cirurgia eletiva. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo transversal e analítico, realizado em um hospital universitário do nordeste do Brasil. A coleta de dados ocorreu no período de maio a agosto de 2021. Foram critérios de inclusão na pesquisa idade igual ou superior a 18 anos, estar internado aguardando a realização de procedimento cirúrgico eletivo e apresentar condições clínicas estáveis, formando uma amostra de conveniência de 105 pacientes. Para a coleta de dados, foi utilizado um formulário com dados sociodemográficos e antecedentes pessoais. Para a avaliação do risco de apneia obstrutiva do sono foi utilizado o questionário STOP-Bang (acrônimo em inglês para Snoring, Tiredness, Observed apnea, high blood Pressure, Body mass index, Age, Neck circumference, and Gender). Todos os participantes assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí, sob o parecer número 4.628.194. Foram calculadas estatísticas uni e bivariadas com o software IBM® SPSS®, versão 26.0. RESULTADOS: Predominaram pacientes hospitalizados classificados com risco intermediário-alto para apneia obstrutiva do sono (61%). Dentre aqueles hospitalizados para cirurgia cardíaca, foi significativa a frequência de pacientes em risco para apneia obstrutiva do sono (p=0,025). Foi significativa a frequência de pacientes em risco para apneia obstrutiva do sono do sexo masculino (p=0,006), maior média de idade (p<0,001), ronco alto e frequente (p<0,001), IMC (p=0,011) e circunferência do pescoço (p<0,001). Além disso, foi verificada correlação estatisticamente significativa, porém, fraca entre o nível de sonolência diurna excessiva e o nível de risco de síndrome da apneia obstrutiva do sono (p=0,007; r=0,261). CONCLUSÃO: O nível de risco para apneia obstrutiva do sono nos pacientes em pré-operatório de cirurgia eletiva foi elevado, sinalizando-se que esse parece ser um problema recorrente em indivíduos hospitalizados para esse fim.

  • RENATA VIEIRA DE SOUSA SILVA
  • : Avaliação do perfil lipídico em indivíduos com leishmaniose visceral coinfectados pelo HIV
  • Orientador : CARLOS HENRIQUE NERY COSTA
  • Data: 21/12/2021
  • Mostrar Resumo
  • : As leishmanioses são doenças de transmissão vetorial que ocorrem nos países mais pobres e atingem as populações mais vulneráveis. A leishmaniose visceral (LV), é a forma mais grave das leishmanioses, podendo ser fatal em casos não diagnosticados e tratados adequadamente. A infecção por Leishmania spp. tornou-se complicada com a coinfecção da AIDS e obteve importância substancial como uma infecção oportunista em regiões onde ambas as infecções são endêmicas. Muitas doenças infecciosas apresentam alterações séricas do perfil lipídico. A LV é caracterizada por redução dos níveis de colesterol total, LDL e HDL, apoliproteínas A e B; e por hipertrigliceridemia. Em relação a leishmaniose visceral, existem poucos trabalhos referentes a esta alteração. No Brasil, há pouquíssimos estudos que descrevem as alterações no perfil lipídico em portadores de LV, contudo não há estudos que descrevem essas alterações em indivíduos coinfectados HIV/LV. Em vista disso, com o intuito de verificar essa possível resistência, foram realizados testes de viabilidade celular para avaliar a atividade metabólica celular. Os pesquisadores que integram o grupo de pesquisa do laboratório de pesquisa em leishmanioses decidiram então, avaliar primariamente cepas provenientes destes indivíduos a fim de buscar evidências sobre uma possível resistência ao fármaco utilizado (o que levaria à uma explicação sobre a má ou não resposta terapêutica).  Contudo, com os resultados obtidos foi possível aferir que possivelmente não haveria resistência ao fármaco e a partir dali foi levantada a hipótese a respeito dos níveis séricos do perfil lipídico nestes indivíduos. Objetivos: Investigar a causa de refratariedade ao tratamento com anfotericina B de indivíduos coinfectados com L.infantum e HIV. Metodologia: Trata-se de um estudo analítico e retrospectivo, considerando dados coletados a partir dos prontuários dos pacientes internados no Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela (IDTNP), situado em Teresina – PI, com diagnóstico de coinfecção HIV/LV. Os prontuários foram avaliados com o propósito de caracterizar o perfil epidemiológico, clínico e laboratorial dos participantes em estudo. Para o ensaio in vitro, os isolados foram obtidos de indivíduos com LV coinfectados pelo HIV admitidos no Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela. Estes isolados, encontravam-se criopreservados em nitrogênio líquido a -196 ºC no Laboratório de Pesquisa em Leishmanioses do Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela (IDTNP), em Teresina – PI. O descongelamento dos isolados seguiu o procedimento operacional padrão de descongelamento de amostras retiradas do criobanco. As promastigotas de L. infantum foram cultivadas primeiramente em meio NNN (Neal, Novy, Nicolle) com adição de 1 mL de meio Schneider’s suplementado. Posteriormente, uma alíquota de 100-200 µL era retirada desta cultura e colocada em 5 mL meio Schneider’s suplementado. As culturas foram mantidas em estufa a 26°C e os repiques foram feitos semanalmente. A anfotericina B e o MTT foram adquiridos na companhia Sigma-Aldrich. Numa placa de 96 poços, foram adicionados 200 µL de meio aos poços da primeira linha e aos que correspondem ao “branco”; nos poços restantes 100 µL de meio. A primeira linha recebeu a maior concentração de anfotericina B. Em seguida foi homogeneizado e transferiu-se 100 µL do primeiro poço à linha imediatamente abaixo; a diluição ocorreu até a penúltima linha, os últimos 100 µl foram desprezados. A última linha foi destinada somente para os parasitas, sem adição de droga. Promastigotas em fase logarítmica foram coletados por centrifugação a 4.000 rpm por 10 minutos e ressuspensos em meio. Após a diluição seriada do fármaco, foram adicionados 100 µL de parasita nos poços, exceto aos que correspondem ao ‘branco”. Posteriormente, a placa foi incubada a 25 ºC em uma BOD por 24 horas. Após o período de incubação, foram adicionados 30 µL de MTT 5mg/mL e novamente incubadas a 25 ºC por 2 horas. A reação foi interrompida pela adição de 50 µL de SDS (dodecilsulfato de sódio) a 20% a cada poço. A leitura da absorbância foi feita em um espectrofotômetro com comprimento de onda de 595 nm e usou-se como referência 690 nm. As dosagens das frações lipídicas foram realizadas no laboratório do Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela. As amostras de soro e/ou plasma encontravam-se armazenadas em freezer -20 ºC no Laboratório de Pesquisa em Leishmanioses e foram processadas no equipamento Incca Bit (Analisa). Para isto empregou-se o kit reagente Analisa para colesterol total, triglicérides e HDL direto. Resultados: Foram sensibilizados cinco isaolados em placa à anfotericina B por meio do teste MTT. O isolado 5567 obteve o maior valor de EC50, onde mostrou ser menos sensível ao fármaco quando comparado aos outros isolados. O isolado 7055 apresentou o menor valor, sendo o mais sensível ao fármaco. Todos os isolados foram provenientes de um segundo episódio de leishmaniose visceral dos indivíduos. A amostra foi composta por 29 pacientes, sendo 23 (79,3%) indivíduos com mais de um episódio de LV (recidivante) e seis (20,7%) indivíduos no primeiro episódio de LV (não recidivante), em que 89,7% eram do sexo masculino e 58,6% apresentaram idade superior a 40 anos. Dentre as manifestações clínicas observadas na admissão, as mais frequentes foram perda de peso, palidez, febre, esplenomegalia e hepatomegalia. As alterações laboratoriais mais frequentes foram anemia e leucopenia. A avaliação do perfil lipídico mostrou que os indivíduos apresentaram níveis de colesterol total e triglicerídeos normais e níveis HDL, LDL e VLDL abaixo do valor de referência. Os níveis de VLDL (p<0,004), triglicerídeos e LDL (ambos com valor de p<0,047) mostraram-se associados ao desfecho clínico e ao diagnóstico anterior de calazar, respectivamente. Não houve nenhuma correlação entre a quantidade de doses de anfotericina B lipossomal administradas com o perfil lipídico. Conclusão: Neste estudo, os isolados provenientes de indivíduos adultos com a coinfecção HIV/LV apresentaram valores de EC50 semelhantes, evidenciando que a falha terapêutica pode estar atribuída a outros fatores a serem esclarecidos. Pressupõe-se que o conhecimento das alterações metabólicas do perfil lipídico na coinfecção HIV/LV em associação à dados clínicos e laboratoriais podem ajudar no monitoramento desta coinfecção.

  • LETICIA DE ALMEIDA DA SILVA
  • Expressão do receptor fator de necrose tumoral alfa no leiomioma uterino e no miométrio normal
  • Orientador : PEDRO VITOR LOPES COSTA
  • Data: 10/12/2021
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os miomas uterinos representam um dos tumores benignos mais frequentemente manifestados em mulheres. Eles se originam das células musculares lisas do miométrio ou de seus vasos sanguíneos. Muitos estudos sugerem que a inflamação, fatores pró-inflamatórios e citocinas podem desempenhar um papel na carcinogênese deste tumor. Objetivo: Avaliar a expressão do receptor Fator de Necrose Tumoral alfa no leiomioma uterino e no miométrio normal adjacente. Metodologia: Trata-se de um estudo transversal, controlado e analítico, envolvendo 27 mulheres com leiomiomatose uterina que realizaram cirurgia de histerectomia abdominal, atendidas no Setor de Ginecologia do Hospital Getúlio Vargas, Teresina-PI. Avaliou-se a expressão imunoistoquímica do receptor fator de necrose tumoral alfa em amostras teciduais de leiomioma uterino e no miométrio normal adjacente. A expressão do TNF-α foi avaliada por técnica quantitativa observacional, através da contagem das células com citoplasma corados positivamente, usando um microscópio óptico. O programa SPSS versão 20.0 foi utilizado para a análise descritiva. Resultados: A idade média das pacientes correspondeu a 46,7 anos (DP=4,1) variando de 30 a 60 anos. A maioria (66,7%; n=18) se auto declararam não branca; média de 3 filhos (DP=2); tamanho dos miomas variaram de 1 a 11cm com média 5,1cm (DP=2,7); volume uterino de 161 a 500 cm3, média de 351,6 (DP=249,1); a maioria apresentou intensidade de sangramento (63%; n=14) e dor (44,4%; n=12) severa; níveis de hemoglobina > 9g/dL (88,9%; n=24) e IMC com média de 24,6 (DP=3,1). Na análise imunoistoquímica da expressão do receptor TNF-α em leiomioma e no miométrio normal adjacente não foram identificas alterações significativas em ambos os tecidos uma vez que a expressão focal deste marcador foi detectada em um pequeno número de amostras. Apenas duas amostras de tecido de leiomioma apresentaram expressão do receptor TNF-α com 10 e 20% e uma amostra de mioma com expressão de 10%. Conclusão: Neste estudo, houve poucas expressões nas análises imunoistoquímica da expressão do receptor TNF-α tanto em amostras de leiomioma como no miométrio normal adjacente.

  • MARIA DO CARMO CAMPOS PEREIRA
  • Expressão do receptor alfa- tocoferol no leiomioma uterino e no miométrio.
  • Orientador : PEDRO VITOR LOPES COSTA
  • Data: 10/12/2021
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Leiomioma uterino é um tumor benigno que afeta mulheres
    em idade reprodutiva. Atualmente o estrogênio e progesterona são considerados os principais
    elos na fisiopatologia desses tumores, além disso, seu desenvolvimento pode ser também
    influenciado por fenômenos biológicos como o estresse oxidativo. O alfa-tocoferol, vitamina
    E na sua forma mais ativa, constitui um sistema antioxidante e possui determinantes
    estruturais que os torna possíveis ligantes para os receptores de estrogênio, constituindo um
    fator importante na fisiopatologia dos leiomiomas. Objetivo: Avaliar a expressão do receptor
    alfa-tocoferol no leiomioma uterino e no miométrio adjacente. Método: estudo transversal,
    envolvendo mulheres entre 40 e 60 anos atendidas em um hospital público de Teresina-Piauí e
    que foram submetidas à histerectomia. A pesquisa foi realizada com 15 amostras de tecidos de
    leiomioma e 15 de miométrio adjacente. Foram excluídas do estudo mulheres portadoras de
    malignidade e que já tinham realizado algum tratamento hormonal ou cirúrgico para
    leiomiomas. A imunoistoquímica foi feita com o anticorpo policlonal alfa-tocoferol
    padronizado em 4 diluições, 1: 50, 1: 100,1:200 e 1:300, sem diferença de marcação nos
    controles positivos de mucosa gástrica. Os dados foram avaliados mediante análise descritiva,
    já que não houve expressão quantitativa para se realizar testes estatísticos. Resultados: A
    média de idade das mulheres foi 46 anos, maioria afro-brasileira (não brancas); 86,7% (13)
    tinham pelo menos um filho, o IMC variou de 20,1 a 32, de modo que 53,3% (8) estavam
    acima do peso. O tamanho dos miomas variou entre 1,2 a 41,4 cm, e o volume de 31 a 859
    cm 3 .Quanto a expressão do receptor alfa-tocoferol no leiomioma e no miométrio adjacente,
    não teve expressão do marcador. Conclusão: Não houve expressão do receptor alfa-tocoferol
    tanto no leiomioma quanto no miométrio adjacente e ressalta-se a necessidade de estudos
    com amostras maiores.

  • DINAH ALENCAR MELO ARAUJO
  • : TENDÊNCIA DOS FATORES DE RISCO PARA DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS EM ADOLESCENTES BRASILEIROS: ANÁLISE DE DADOS DA PESQUISA NACIONAL DE SAÚDE DO ESCOLAR 2009, 2012 E 2015
  • Orientador : LUISA HELENA DE OLIVEIRA LIMA
  • Data: 10/12/2021
  • Mostrar Resumo
  • Analisar a tendência temporal da ocorrência simultânea de fatores de risco (FR) comportamentais para doenças crônicas não transmissíveis em adolescentes escolares brasileiros. Método: Estudo ecológico de análise de série temporal que analisou os dados das três edições da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (2009,2012,2015), dos alunos do 9º ano de escolas públicas e privadas das 26 capitais brasileiras e o Distrito Federal. As variáveis utilizadas nesse estudo foram categorizadas em: consumo irregular de alimentos in natura ou minimamente processados, consumo regular de alimentos processados e ultraprocessados, nível insuficiente de atividade física no lazer, consumo de bebidas alcoólicas, uso de cigarro e de drogas ilícitas. Realizou-se a análise descritiva, de clustering e tendência; para isso o agrupamento foi definido quando a razão entre a prevalência observada e esperada foi maior que 1,20. A amostra constituiu-se de 173.310 escolares Resultados: O FR mais frequente entre os estudantes foi o nível insuficiente de atividade física no lazer (presente em mais de 84% dos escolares); o agrupamento formado pelos seis fatores analisados nesta pesquisa foi o que apresentou as maiores relações e/ou possibilidades de ocorrer nos dois últimos anos da série. As maiores razões PO/PE foram encontradas para as combinações em que estavam presentes o álcool e o cigarro, além disso, essas substâncias integram cinco dos seis clustering identificados. As maiores prevalências observadas durante as três edições foram encontradas em adolescentes que possuíam simultaneamente a presença dos fatores consumo irregular de alimentos in natura ou minimamente processados e nível insuficiente de atividade física no lazer, do sexo feminino e que residiam na região Norte. Os percentuais da ocorrência de nenhum FR foram 2,55% em 2009; 2,96% em 2012 e 3,74% em 2015. A análise de tendência demostrou que o agrupamento composto pelos fatores consumo regular de alimentos processados e ultraprocessados, nível insuficiente de atividade física no lazer, consumo de bebidas alcoólicas e uso de cigarro diminuiu 0,04 pontos percentuais ao ano (p <0,017) e o agrupamento formado pelos fatores atividade física insuficiente no lazer, consumo de bebidas alcóolicas, uso de cigarro e drogas ilícitas teve um aumento de 1,5 pontos (p < 0,041). Conclusão: A análise de tendência constatou que quatro dos seis clustering mantiveram-se estáveis durante toda a série, demostrando que esses fatores continuam presentes de forma persistente nos adolescentes.

  • LÍVIO AMARAL BASTOS
  • “ HOME CARE: PANORAMA DO SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR''
  • Orientador : MARIA ZELIA DE ARAUJO MADEIRA
  • Data: 24/11/2021
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A terminologia “assistência domiciliar” vem do inglês home care e denota cuidado do lar é uma forma de assistência em saúde em expansão pelo Brasil despontando como uma nova possibilidade de trabalho dentro do setor. OBJETIVO: Analisar os serviços hospitalares de assistência domiciliar (Home Care) no município de Teresina – Piauí. MÉTODO: A pesquisa do tipo descritiva, prospectiva e transversal, os participantes da pesquisa foram os responsáveis por empresa de Home care no município de Teresina-Piauí, o critério de inclusão foi à empresa atuar no mercado no mínimo de 06 meses e estar inscrita no Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde (CNES).Os dados foram coletados no período de junho à agosto de 2020 por meio de um questionário próprio elaborado pelo pesquisador o qual constava com 23 questões de múltipla escolha. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, com o parecer de nº 4 047199. Posteriormente foi realizado a análise descritiva exploratória com o uso das medidas de posição (média e mediana) e de dispersão (desvio padrão), para as variáveis quantitativas e frequência absoluta e relativa para as variáveis qualitativas. RESULTADOS: As empresas de Home care possuem no mínimo 5 anos de existência no mercado, dispõem de equipes multiprofissionais de saúde assistindo pacientes de todos os níveis de complexidade; trabalham simultaneamente para mais de uma operadora de saúde; fazem uso para classificar os pacientes de duas tabelas que são a ABEMID proposta pela Associação Brasileira de Empresas de Medicina Domiciliar e a NEAD proposta pelo Núcleo Nacional das Empresas de Assistência Domiciliar; têm como os maiores empecilhos na assistência em home care o desajuste familiar e condições socioeconômicas desfavoráveis encontradas nos lares dos pacientes. Taxa de óbito domiciliar e média de pacientes em internação domiciliar são os indicadores de desempenho mais utilizados pelas empresas com 37,5% e 25,0% respectivamente; já para avaliar a qualidade da assistência verifica-se que prevenção de lesão por pressão, prevenção dos erros de administração de medicamentos e prevenção de quedas são os mais utilizados pela prática de assistência domiciliar. CONCLUSÃO: A assistência domiciliar é uma realidade mundial de atenção à saúde onde tem como preceitos a diminuição das despesas hospitalares, das infecções hospitalares e a garantia de benefícios emocionais para o paciente. O cenário da assistência home care no município de Teresina está em crescimento e empresas privadas dominam o mercado e trabalham com uma equipe multiprofissional conjuntamente com os planos de saúde para a promoção de qualidade de vida aos pacientes no conforto do lar.

  • GLAUTO TUQUARRE MELO DO NASCIMENTO
  • AVALIAÇÃO DO USO DA IMUNOTERAPIA COM PEMBROLIZUMABE OU NIVOLUMABE EM PACIENTES COM CÂNCER COLORRETAL MUTADOS EM dMMR ou MSI-H: REVISÃO SISTEMÁTICA
  • Orientador : JOAO MARCELO DE CASTRO E SOUSA
  • Data: 19/11/2021
  • Mostrar Resumo
  • Estima-se que até 15% de todos os cânceres colorretais esporádicos (CCR) são deficientes em genes de reparo de incompatibilidade (dMMR) ou apresentam alto nível de instabilidade de microssatélites (MSI-H). Pacientes portadores dessas alterações genéticas estão fortemente associados à resistência à quimioterapia adjuvante tradicional à base de 5-fluorouracil (5-FU). Atualmente, os ensaios clínicos e relatos de casos mostraram benefícios de pembrolizumabe e nivolumabe (anticorpos monoclonais altamente seletivos contra PD-1) no câncer colorretal metastático. Assim, esta revisão teve como objetivo avaliar os benefícios, a toxicidade e os resultados clínicos do uso da imunoterapia em pacientes com MMR ou MSI-H defeituoso. A revisão sistemática foi registrada no PROSPERO (n ° CRD42021258676) e a busca foi realizada em quatro bases de dados eletrônicas (MEDLINE, Cochrane Library, Science Direct, Scopus). Não limitamos o tempo de publicação, considerando os primeiros estudos de pembrolizumabe e nivolumabe até a data da pesquisa (9 de abril de 2021). Os termos utilizados na busca foram: Incompatibility Repair Deficiency, Pembrolizumab, Nivolumabe. Os critérios de elegibilidade foram: indivíduos com 18 anos ou mais, com diagnóstico de CCR com dMMR ou MSI-H e uso de imunoterapia. Finalmente, os estudos elegíveis foram selecionados independentemente por dois revisores. Os resultados mostraram um total de 1.222 estudos relevantes que foram inicialmente identificados em nossa pesquisa. Ao final, um total de 16 estudos foram elegíveis para esta revisão sistemática. Os tipos de estudos incluíram relatos de casos (n = 8), ensaios clínicos randomizados (n = 2) e ensaios clínicos não randomizados (n = 6). Destes, nove estudos avaliaram o efeito de pembrolizumabe, seis estudos avaliaram o uso de nivolumabe, enquanto um relato de caso usou pembrolizumabe em dois pacientes e nivolumabe em um paciente. O uso de imunoterapia (nivolumabe ou pembrolizumabe) aumentou a sobrevida livre de progressão e melhorou a qualidade de vida do paciente em todos os ensaios clínicos avaliados. Relatos de casos com o uso de quimioterapia neoadjuvante, estando o imunológico associado ou não ao quimioterápico, mostraram resposta patológica completa. Em relação à toxicidade, o imunoterápico avaliado apresentou menos efeitos adversos em relação à quimioterapia convencional. Em conclusão, o estudo mostrou que a administração de imunoterapia em pacientes com CRC mutado em dMMR ou MSI-H, proporcionou benefícios clínicos, apontando para um futuro promissor para o uso da imunoterapia em pacientes não metastáticos ou em ambiente neoadjuvante.

  • IVONE VENÂNCIO DE MELO
  • TUBERCULOSE LATENTE EM PACIENTES COM DOENÇA DE CROHN EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO NORDESTE BRASILEIRO
  • Orientador : VIRIATO CAMPELO
  • Data: 03/11/2021
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A tuberculose latente (ILTB) é caracterizada pela infecção, ou seja, presença do M. tuberculosis no organismo, sem evidência clínica da doença. Aproximadamente 90-95% dos indivíduos infectados são capazes de desenvolver e manter uma resposta imune que impede a progressão da TBL para TB doença. No entanto, algumas situações clínicas atuam como fatores de risco para o desencadeamento da tuberculose ativa, inclusive, os pacientes portadores de doenças inflamatórias crônicas imunomediadas, como a Doença de Cronh. Objetivo: Investigar a infecção latente por tuberculose em pacientes com doença de Crohn no período de janeiro de 2005 a julho de 2019. Métodos: Estudo retrospectivo, descritivo transversal de análise quantitativa realizada nos casos diagnosticados de doença de Crohn do Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí (HU-PI) em Teresina Piauí, no período de 2005 a 2019. Foram incluídos todos os casos de pacientes com doença de Crohn em terapia com isoniazida ou rifampicina para tuberculose latente que fazem acompanhamento no HU-PI. Sendo excluídos todos os casos cuja situação seja mudança de diagnóstico. Os dados sobre doença de Crohn e tuberculose latente foram obtidos do banco de dados que foi solicitado ao HU-PI após aprovação da proposta de pesquisa no Comitê de Ética e Pesquisa da UFPI. Foram identificados todos os casos de pacientes com doença de Crohn com ILTB diagnosticados no HU-UFPI. Em seguida os dados foram tabulados e organizados em planilhas no Micro software Excel 2016 e analisados estatisticamente no programa Statistical Package for the Social Sciences-SPSS Versão 26. Foram utilizados o teste Exato de Fisher e o Teste U de Mann Whitney para testar associação entre as variáveis, sendo considerado o Intervalo de Confiança de 95% (IC). Resultados: Foram analisados 235 prontuários, observou-se que 56% eram do sexo masculino, com a média de idade 42,7. 54% de declaravam pardos, 31% tinham o ensino médio completo e 47% residentes na cidade de Teresina. As características clínico-epidemiológicas dos pacientes estudados classificados como portadores de TBL. 34% dos prontuários tinham diagnóstico pela prova tuberculínica, 48,51% foram investigados através do exame de raio X. Houve dados semelhantes em relação ao comportamento inicial e recente da doença de Cronh sendo 62% e 47% com a doença não estenosante/não penetrante, respectivamente, ao que se refere a localização inicial 31% acometido no Colón e Íleo terminal/Colón, e a localização recente acometido no Colón com 27%.Conclusão: De maneira geral, o perfil de saúde dos participantes do presente estudo coincide com os resultados previamente estabelecidos pela literatura, especialmente estudos realizados em outros estados brasileiros, bem como em outros países em desenvolvimento.

  • DANIELLE BARBOSA SANTOS
  • AVALIAÇÃO DE DOIS PROGRAMAS DE TREINAMENTO FÍSICO: CONCORRENTE E AERÓBICO EM MULHERES OBESAS OU COM SOBREPESO PORTADORAS DA SÍNDROME DO OVÁRIO POLICÍSTICO
  • Orientador : IONE MARIA RIBEIRO SOARES LOPES
  • Data: 03/11/2021
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) é um distúrbio endócrino, heterogêneo, cuja etiologia é desconhecida e com alta variação fenotípica .O tratamento de primeira linha para esta doença é o treinamento físico. OBJETIVO: Avaliar dois tipos de treinamentos físicos, concorrente e aeróbico, em mulheres obesas e com sobrepeso com SOP. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo clínico, analítico, prospectivo, controlado e randomizado, utilizando protocolos de treinamentos no “antes-depois”, onde utilizou-se o treinamento aeróbico, que é a utilização do oxigênio como fonte de energia, e o treino concorrente, que é a utlização de treino de força e treino aeróbico. Foram selecionadas 30 mulheres, nas quais 14,  aproximadamente, 47% do total de pacientes participaram efetivamento do programa, com idade entre 18 e 40 anos com SOP obesas e/ou sobrepeso e posteriormente randomizadas para o Grupo I e Grupo II: a avaliação dos efeitos dos dois treinamentos, concorrente e aeróbico, sobre os parâmetros antropométricos, metabólicos e hormonais foi feita através de protocolos específicos para os treinos aeróbicos e concorrente. Foi utilizado para análise estatística o programa IBM SPSS versão 27.0. A distribuição normal dos dados foi realizado pelo teste de Shapiro-Wilk e para avaliar a mudança significativa da variável pós-intervenção, foi aplicado o teste t-student pareado. RESULTADOS: Houve diferenças estatisticamente significante das variáveis estudadas nos parâmetros antropométricos no Treinamento Concorrente (TC) e Treinamento Aeróbico (TA) como peso, Índice de Massa Corporal (IMC), idade metabólica e gordura.O perfil da amostra demonstrou que dentre as selecionadas, a maioria (42,86%) possuía ensino superior, (57,14%) se autodeclararam negras e (100%) eram sedentárias.Comparando-se o TA e TC relativo aos parâmetros antropométricos, os grupos apresentaram homogeneidade, com diferença somente na coxa D(P=0,038). CONCLUSÃO: Os treinamentos físicos concorrentes e aeróbicos realizados três vezes por semana durante três meses reduzem de forma significativa vários parâmetros como peso, IMC, gorduras e parâmetros metabólicos. A eficácia é similar nos parâmetros antropométricos dos dois treinos físicos, concorrente e aeróbico.

  • MATHEUS HENRIQUE DA SILVA LEMOS
  • ANÁLISE DA DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DAS ARBOVIROSES NO ESTADO DO PIAUÍ – BRASIL NO PERÍODO DE 2015 A 2019
  • Orientador : LAURO LOURIVAL LOPES FILHO
  • Data: 29/10/2021
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste estudo foi estudar a morbimortalidade das arboviroses no estado do Piauí através do georreferenciamento dos casos registrados no período de 2015 a 2019.  Trata-se de um estudo epidemiológico do tipo ecológico, de caráter quantitativo, analítico, descritivo, retrospectivo, das principais arboviroses no estado do Piauí, que são: dengue, chikungunya, zika vírus, febre amarela e febre do Nilo. Os casos notificados e confirmados foram extraídos na Secretaria de Estado de Saúde do Piauí (SESAPI) no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN). Os dados corresponderam ao período entre 2015 e 2019, exceto a febre amarela, cujo os dados disponíveis foram de 2016 a 2019. Foi aplicada análise descritiva por meio da frequência absoluta e relativa. Quanto à análise bivariada, foi empregado o teste de associação qui-quadrado, considerando o nível de significância p <0,05. A análise espacial foi realizada a partir da correlação espacial, por meio do Terraview 5.4.3. A dengue, chikungunya e Zika vírus acometeram mais a população que se autodeclararam parda, do sexo feminino, na faixa entre 20 e 34 anos com a escolaridade alternando entre ignorado/branco e ensino médio completo, refletindo, assim, no não preenchimento dessa variável nas fichas de notificação. Em relação à febre amarela e febre do Nilo, o perfil de acometimento correspondeu a população que se autodeclarou parda, do sexo masculino, na faixa etária entre 20 e 34 anos com escolaridade ignorado/branco. No que se refere à distribuição espacial, a regional de saúde Entre Rios, assim como o município de Teresina apresentaram os maiores registros de casos confirmados e notificados. Neste estudo, a dengue, chikungunya e Zika vírus se comportaram como arboviroses endêmicas, no que se refere à febre amarela e febre do Nilo, por apresentarem poucos registros de casos são consideradas como um evento de grande relevância epidemiológica.

  • CAIO CÉSAR SILVA FRANÇA
  • NOTIFICAÇÕES DE CASOS DE FISSURAS LÁBIO PALATINAS NO ESTADO DO PIAUÍ
  • Orientador : REGILDA SARAIVA DOS REIS MOREIRA ARAUJO
  • Data: 27/10/2021
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A fissura labiopalatina (FLP) é resultado da falta de
    fusão total ou parcial dos processos embrionários que formam os lábios e o
    palato ocasionada por condições genéticas ou congênitas. Embora seja uma
    das mais comuns deformidades craniofaciais são escassos estudos de
    prevalência que caracterizem o perfil das pessoas acometidas por esta
    enfermidade no Brasil OBJETIVO: Investigar as notificações no Sistema de
    Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC) de casos de fissura lábio palatina
    (FLP) e fatores associados no estado do Piauí. METODOLOGIA: Trata-se de
    um estudo retrospectivo e transversal com amostra censitária constituída por
    indivíduos portadores de FLP nascidos e domiciliados no estado do Piauí,
    notificados no SINASC entre 01/01/2010 e 31/12/2018. Os dados foram
    coletados em outubro de 2020, a prevalência foi realizada por ano e obtida
    dividindo-se o número de crianças nascidas com FLP pelo total de nascidos
    vivos. Na análise descritiva obteve-se frequência absoluta e relativas
    porcentuais, mínimo, máximo, média e desvio padrão e testes de Kolmogorov-
    Smirnov e Shapiro-Wilk RESULTADOS: Entre as crianças notificadas, 64,3%
    (n= 79) eram do sexo masculino, enquanto o feminino representou 35,7% (n=
    44), respectivamente. A prevalência obtida foi de 23,7%. Entre os municípios,
    Teresina apresentou o maior número de casos (31,7%). As genitoras em sua
    maioria eram casadas (35,8%), possuíam mais de 8 anos de estudo (61%) e
    tinha mais que 25 anos de idade (27,64%) e aquelas que fizeram menos de
    duas consultas no pré-natal apresentam crianças com baixo peso ao nascer
    (86,7%). CONCLUSÃO: O perfil das crianças com FLP determinado neste
    estudo, foi semelhante ao encontrado em outras regiões do país. O perfil
    epidemiológico das mães identificado em sua maioria pardas, casadas, grau de
    instrução de 8 a 12 anos, idade de 25 a 29 anos.

  • JOANNE RIBEIRO RODRIGUES
  • Escherichia coli ISOLADAS DE FRANGOS COMERCIALIZADOS EM TERESINA PI: um estudo sobre prevalência, perfil de resistência e virulência
  • Orientador : JOSIE HAYDEE LIMA FERREIRA PARANAGUA
  • Data: 27/10/2021
  • Mostrar Resumo
  • As Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA) são consideradas um grande problema de saúde pública mundial. O consumo crescente de carne de aves requer uma contínua atenção na provisão de alimentos seguros para o consumidor. A Escherichia coli destaca-se entre os principais patógenos causadores de doenças transmitidas por alimentos, sendo o patotipo E. coli produtora de Shiga toxina (STEC) motivo de preocupação. Esse grupo patogênico é portador dos genes stx1 e/ou stx2, codificantes da toxina tipo Shiga e causa intoxicações com quadros clínicos de diarreia e colites hemorrágicas, podendo evoluir para manifestações severas como a síndrome hemolítico-urêmica e a púrpura trombótica trombocitopênica. Apesar da importância deste microrganismo na carne de ruminantes, sua presença em carne de aves tem sido pouco investigada. O presente estudo teve como objetivo avaliar a presença de Escherichia coli produtora de Shiga toxina em frangos resfriados comercializados na cidade de Teresina, Piauí, e caracterizar os isolados obtidos. Foram obtidas 107 amostras de frangos resfriados colhidas em diferentes estabelecimentos comerciais ou mercados públicos distribuídos nas diversas zonas (leste, norte, sul e sudeste) da cidade de Teresina, PI. Após a coleta, as amostras refrigeradas foram imediatamente transportadas, em caixa térmicas até o Laboratório de Pesquisa em Microbiologia e processadas no período máximo de três horas. As amostras foram avaliadas quanto à presença de E. coli, por testes bioquímicos e as amostras positivas confirmadas por amplificação do gene yaiO pela Reação em Cadeia da Polimerase (PCR). O isolados de E. coli obtidos foram caracterizados pela presença do antígeno O157 por teste sorológico, perfil de susceptibilidade a antimicrobianos e presença dos genes stx1 e stx2 associados ou não ao gene eae, utilizando-se a técnica de PCR. A frequência de E. coli nas amostras coletadas foi de 58,9% (63/107). Todos os isolados mostraram amplificação do gene yaiO, confirmando a identificação de E. coli. Observou-se que 12 cepas foram positivas para O157, 55,55% dos isolados apresentaram perfil de resistência à múltiplas drogas (MDR) e 11 cepas eram produtoras da enzima betalactamase de espectro estendido (ESBL). Nenhuma das cepas isoladas possuía os genes stx1, stx2 ou eae. Apesar da pesquisa não revelar a presença de E. coli enterohemorrágica ou enteropatogênica nas amostras de frangos analisados, esses resultados preocupam pela presença de E. coli multirresistentes, inclusive com a produção de beta-lactamase de espectro estendido (ESBL) em carne de frango comercializadas no município de Teresina, reforçando a necessidade de monitoramento na disseminação de patógenos multirresistentes.

  • JESSIKA ROBERTA FIRME DE MOURA SANTOS
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE TECNOLOGIA M-HEALTH PARA PROMOÇÃO DO ALEITAMENTO MATERNO
  • Orientador : LUISA HELENA DE OLIVEIRA LIMA
  • Data: 27/10/2021
  • Mostrar Resumo
  • O uso de aplicativos móveis têm se mostrado como alternativa de fácil acesso, baixo custo e capaz de auxiliar as ações de educação em saúde voltadas à promoção, apoio e suporte à amamentação. Objetivou-se elaborar e validar uma tecnologia m-health para a promoção do aleitamento materno. Trata-se de uma pesquisa metodológica, realizada de fevereiro de 2019 a julho de 2021. Para o desenvolvimento do aplicativo seguiu as fases: Diagnóstico situacional, Levantamento Bibliográfico e Definição de Conteúdo, Design de Interface realizada por um designer gráfico, Definição de Requisitos de software (levantamento dos aplicativos móveis nas lojas virtuais), Elaboração do Modelo Conceitual do Aplicativo, material educativo elaborado pautada na Teoria da Aprendizagem Significativa, Desenvolvimento do software (modelagem/prototipagem) realizada por profissionais da área de Tecnologia de Informação, Implementação e testes e Validação. Na fase de validação do material construído, 27 especialistas avaliaram a estrutura, adequação do conteúdo e aparência da tecnologia, sendo 20 juízes de conteúdo (Enfermeiros, Nutricionistas e Pediatras), 3 juízes de adequação pedagógica (Pedagogas) e 7 juízes técnicos (Analistas de Sistemas). Todos os juízes responderam a um instrumento de caracterização profissional e ao Suitability Assemment of Materials (SAM). Os juízes de conteúdo responderam ainda a um instrumento para avaliar a clareza, compreensão e adequação de linguagem, pertinência prática e relevância teórica. Após o levantamento das sugestões feitas pelos especialistas, foi realizada a adequação da versão final do aplicativo. O projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, obtendo parecer nº 3.764.351. O aplicativo Amamente foi centrado nos aspectos primordiais de contextualização e cuidados durante a amamentação: Aleitamento Materno; Produção de Leite; Minhas Mamas, Sinais de Posicionamento Correto; Sinais de “Pega” Correta; Extração de Leite; Problemas Mamários, Sinais de Amamentação Eficaz, Quando Não Amamentar e Espaço da Mamãe. Quanto à caracterização dos juízes, 33,3% eram enfermeiros(as), 22,2% nutricionistas, 7,4% pediatras, 11,2% pedagogas e 25,9% analistas de sistemas. As principais sugestões dos Juízes foram a simplificação de expressões técnicas, alteração do contraste de cores, inclusão de caixas explicativas e reorganização da escrita. Apresentou impressões assertivas como abordagem clara e compreensível, atende ao propósito, didático e acessível. Na análise, a tecnologia atingiu o Índice de Validade de Conteúdo 0,98, 0,96 e 0,98 para clareza, compreensão e adequação da linguagem, 0,98 pertinência prática e 0,98 relevância teórica, alcançando IVC global de 0,97. Em relação à adequação a partir do SAM, obteve classificação considerada excelente por 81,3% enfermeiros, 83,3% pedagogos, 78,0% nutricionistas e 77,2% pediatras e adequada por 69,2% analistas de sistemas, atingindo o SAM total de 77,4% considerando a tecnologia com execelente adequação à nutrizes. Desse modo, a tecnologia se mostrou válida quanto ao conteúdo, adequação e aparência. Assim, pode ser utilizada como ferramenta adicional ao processo de educação em saúde para nutrizes durante o processo de amamentação. Ao ser disponibilizada em serviço de distribuição digital, possui potencial de alcançar grande número de pessoas. Estudos futuros, no entanto, deverão comprovar a correlação entre a influência do uso da tecnologia m-health no aumento da adesão à amamentação.

  • HELTON PEREIRA DOS SANTOS NUNES DE MOURA
  • POTENCIAL EFEITO DOSE-RESPOSTA DA SUPLEMENTAÇÃO AGUDA COM CAPSIATE NO DESEMPENHO DE FORÇA DE MEMBROS SUPERIORES EM HOMENS TREINADOS: UM ESTUDO RANDOMIZADO, CROSSOVER E DUPLO-CEGO
  • Orientador : FABRICIO EDUARDO ROSSI
  • Data: 13/10/2021
  • Mostrar Resumo
  • O Capsiate (CAP) é uma substância natural encontrada em pimentas doces, o qual tem sido utilizado para aumento da termogênese e redução de gordura corporal, além de melhorar o desempenho físico, seja em exercício de força ou aeróbio. Entretanto, a dosagem mínima e ideal para induzir esses benefícios não está definida na literatura, bem como, se há um efeito dose-resposta em humanos. Neste sentido, o objetivo deste estudo foi comparar duas doses agudas de Capsiate (6 vs. 12 mg) no exercício de força muscular de membros superiores em homens treinados. Utilizando um desenho randomizado, crossover e duplo-cego, 20 homens com experiência prévia em treinamento de força realizaram três sessões: baixa dose de Capsiate (6 mg CAP), alta dose de CAP (12 mg) ou placebo (6 mg de Amido) 45 minutos antes do exercício. Os sujeitos realizaram 4 séries até a falha muscular concêntrica no supino horizontal, realizado na barra guiada, com 70% 1 repetição máxima (1RM) e 2 minutos de descanso entre séries. A Percepção Subjetiva de Esforço (PSE) e lactato sanguíneo foi analisada em repouso e após imediatamente pós-exercício. O volume total levantado foi maior quando 6 mg CAP foi utilizado (2454,6 + 448,6 kg) em comparação com o placebo (2354,7 + 458,6 kg, p=0,039) e 12 mg CAP (2309,3 + 428,1 kg, p=0,001). Não houve diferença estatisticamente significante entre as condições para a PSE (p=0,155) e lactato sanguíneo (p=0,434). Em conclusão, uma única dose de 6 mg de CAP melhora o exercício de força muscular de membros superiores em homens treinados, enquanto 12 mg não induziu nenhum efeito adicional. Além disso, não houve efeito dose-resposta em relação a essas duas dosagens analisadas, no exercício de supino horizontal e nessa amostra investigada.

  • PAULLINE PAIVA MENDES DE SOUZA
  • Morfologia e histomorfometria do músculo estriado esquelético de camundongos Balb/c experimentalmente infectados com Leishmania (L.) infantum chagasi.
  • Orientador : AIRTON MENDES CONDE JUNIOR
  • Data: 08/10/2021
  • Mostrar Resumo
  • A leishmaniose visceral (LV) é uma doença causada por parasitos do gênero Leishmania de grande impacto na saúde pública. No Brasil, a enfermidade encontra-se amplamente difundida, sendo uma doença progressiva. Recentes estudos têm fornecido conhecimentos sobre a infecção da Leishmania no músculo estriado esquelético, embora ainda sejam pouco estudadas as alterações musculoesqueléticas associadas à infecção na Leishmaniose. O objetivo deste trabalho foi analisar a morfologia do músculo estriado esquelético na infecção por Leishmania(L) infantum chagasi de camundongos BALB/c. Foram utilizados camundongos BALB/c  experimentalmente infectados com promastigotas  purificadas de L. (L.) infantum chagasi e suplementada com PBS, via intraperitoneal. O músculo estriado esquelético (esterno- hioideo) localizado na região esternal foi extraído e processado para coloração com hematoxilina/eosina e Tricrômico de Masson. O experimento foi realizado em dois momentos; na fase aguda com 7 dias, e na fase crônica com 50 dias. Com o intuito de esclarecer o mecanismo fisiopatológico nas células musculares estriadas esqueléticas. Histologicamente observamos que na fase aguda infectada apresenta desorganização fascicular e diminuição das fibras musculares, indicando atrofia do músculo, além de fibras com perda da forma poligonal característica. Na fase crônica experimental observou degeneração e hipoplasiadas fibras musculares. Os dados em conjunto sugerem que Leishmania infantum chagasi tem a capacidade de infectar as células musculares esqueléticas e provocar alterações de matriz extracelular e células que formam o sistema muscular.

  • PAULLINE PAIVA MENDES DE SOUZA
  • Morfologia e histomorfometria do músculo estriado esquelético de camundongos Balb/c experimentalmente infectados com Leishmania (L.) infantum chagasi.
  • Orientador : AIRTON MENDES CONDE JUNIOR
  • Data: 01/10/2021
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Estudos recentes têm fornecido conhecimentos sobre a infecção da
    Leishmania no músculo, embora ainda sejam pouco estudadas as alterações
    musculoesqueléticas associadas à infecção na Leishmaniose. O objetivo deste trabalho
    foi desenvolver um estudo morfológico do músculo estriado esquelético na infecção por
    Leishmania(L) infantum chagasi de camundongos BALB/c. METODOLOGIA: Foram
    utilizados 28 camundongos BALB/c  experimentalmente infectados com promastigotas 
    purificadas de L. (L.) infantum chagasi e suplementada com PBS, via intraperitoneal. O
    músculo estriado esquelético (esterno-hióideo) localizado na região esternal foi extraído
    e processado para coloração com hematoxilina/eosina e  Tricrômico de Masson. O
    experimento foi realizado em dois momentos; na fase aguda com 7 dias e na fase
    crônica com 50 dias. Com o intuito de esclarecer o mecanismo fisiopatológico nas
    células musculares estriadas esqueléticas. RESULTADOS: Histologicamente
    observamos que na fase aguda infectada apresenta desorganização fascicular e
    diminuição das fibras musculares, indicando atrofia do músculo, além de fibras com
    perda da forma poligonal característica. Na fase crônica experimental observou
    degeneração e hipoplasiadas fibras musculares. CONCLUSÃO: Os dados em conjunto
    sugerem que L. (L.) infantum chagasi tem a capacidade de infectar as células
    musculares esqueléticas e provocar alterações de matriz extracelular e células que
    formam o sistema muscular.

  • LETÍCIA DE SOUSA MILANEZ
  • ATENÇÃO À SAÚDE DAS MULHERES LÉSBICAS: EXPERIÊNCIAS E PRÁTICAS DAS ENFERMEIRAS DA ATENÇÃO BÁSICA
  • Orientador : JOSE IVO DOS SANTOS PEDROSA
  • Data: 08/09/2021
  • Mostrar Resumo
  • CONSIDERAÇÕES INICIAIS: As mulheres lésbicas enfrentam desafios quando buscam atendimento nos estabelecimentos de saúde, como situações de exclusão e violência. A atenção Básica é a principal porta de entrada do sistema de saúde brasileiro e as enfermeiras, profissionais atuantes nesse setor, devem desenvolver estratégias que permitam minimizar desigualdades e iniquidades entre os usuários. O objeto de estudo desta pesquisa foi delimitado como: “Experiências e práticas das enfermeiras da Atenção Básica voltadas para a atenção à saúde das mulheres lésbicas”. OBJETIVOS: Relatar as experiências e identificar as práticas das enfermeiras da Atenção Básica quanto à assistência à saúde das mulheres lésbicas; Identificar as especificidades da assistência à saúde das mulheres lésbicas, reconhecidas pelas enfermeiras da Atenção Básica; Levantar as dificuldades encontradas, pelas enfermeiras da Atenção Básica, no cotidiano das práticas de atenção à saúde das mulheres lésbicas. METODOLOGIA: Trata-se de uma pesquisa de natureza qualitativa e o método escolhido foi o Método de Interpretação de Sentidos, realizada junto a 15 enfermeiras da Atenção Básica de Teresina, Piauí. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética da Universidade Federal do Piauí, por meio do parecer nº 4.277.719.  A coleta de dados ocorreu em janeiro de 2021, por meio de entrevistas semiestruturadas, as quais foram gravadas e posteriormente transcritas. Os dados foram tratados, por meio do software NVivo, a análise dos dados gerou sete códigos e onze subcódigos, representadas graficamente em nuvem de palavras. A interpretação das narrativas das enfermeiras foi feita, com base no marco teórico-conceitual de Pierre Bourdieu. RESULTADO E DISCUSSÃO: Os dados são apresentados em forma de artigos, um de reflexão “Impactos da pandemia da Covid-19 na saúde das mulheres lésbicas”, um de revisão integrativa “Experiências de mulheres lésbicas e atitudes de enfermeiras nos serviços de saúde”, e um original “Atenção à saúde das mulheres lésbicas: experiências e práticas das enfermeiras da Atenção Básica”. CONSIDERAÇÕES FINAIS: As práticas de saúde das enfermeiras são influenciadas principalmente pelas crenças, valores pessoais e falta de conhecimento, fazendo com que as especificidades das mulheres lésbicas não sejam reconhecidas no âmbito da Atenção Básica.

  • ARILENE MARIA DA SILVA SANTOS
  • ALTERAÇÕES PSICOFISIOLÓGICAS E NAS CONCENTRAÇÕES SÉRICAS DO FATOR NEUROTRÓFICO DERIVADO DO CÉREBRO AO LONGO DA TEMPORADA DE TREINAMENTO EM ATLETAS JOVENS DE BADMINTON
  • Orientador : FABRICIO EDUARDO ROSSI
  • Data: 06/09/2021
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: O monitoramento dos aspectos fisiológicos e cognitivos ao longo da temporada  de treinamento torna-se cada vez mais importante na busca de melhores resultados em atletas de  alto rendimento, uma vez que são submetidos a cargas excessivas de treinamento e,  consequentemente, a períodos inadequados de recuperação. Neste sentido, compreender as  alterações psicofisiológicas e as relações com o desempenho físico e cognitivo dos atletas de  forma longitudinal faz-se necessária. OBJETIVO: Analisar as respostas psicofisiológicas e as  alterações do Fator Neurotrófico Derivado do Cérebro em atletas jovens de badminton durante a  temporada de treinamento e determinar a relação entre as variáveis pré e ao final da temporada.  MATERIAIS E MÉTODOS: Foram avaliados 14 jovens atletas de badminton, ao longo da  temporada de treinamento (pré-temporada, meio da temporada e final da temporada). O Fator  Neurotrófico Derivado do Cérebro sérico (sBDNF) foi determinado durante a pré-temporada e ao  final da temporada. A quantidade e qualidade do sono, prática de atividade física total e o tempo  em atividade vigorosa foram medidos por meio de um acelerômetro tri-axial ao longo da  temporada. A massa livre de gordura (MLG), a massa muscular esquelética (MME), a massa  gorda (MG), a força de preensão manual, a aptidão cardiorrespiratória (VO2máx) e a ingestão  alimentar foram avaliadas durante a temporada. O Stroop Color and Word Test foi empregado  para avaliar tarefas cognitivas e para avaliar o humor, foi utilizada a Escala de Humor de Brunel,  ambos os testes avaliados ao longo da temporada. RESULTADOS: Como resultados, pode-se  observar redução estatisticamente significante do sBDNF (-16,3 ± 46,8%; p = 0,007) e tempo de  sono (final da temporada = 5,7 ± 1,1 vs pré-temporada = 6,6 ± 1,1 horas por noite, p = 0,043) ao  final da temporada. Por outro lado, houve melhora na função cognitiva no final da temporada em  relação à pré-temporada, com diminuição no tempo para mencionar a cor e maior número de  palavras no teste de Stroop color (p <0,05). Houve redução na ingestão de carboidratos ao final  da temporada em relação à pré-temporada, bem como a ingestão total de calorias no meio e ao  final da temporada em comparação com a pré-temporada. Houve correlações significantes entre  sBDNF e VO2máx na pré-temporada (r = 0,61, p = 0,027), e uma tendência foi observada com a  MLG (r = 0,57, p = 0,051) e força de preensão manual (r = 0,55, p = 0,054). Não houve correlação  entre sBDNF e desempenho cognitivo, tempo de sono e porcentagem de jogos ganhos.  CONCLUSÃO: Pode-se concluir que, os atletas melhoraram a função cognitiva; no entanto,  somente as mulheres melhoraram a composição corporal (MLG e MME); enquanto que, no sexo masculino, no meio da temporada, foi observado um incremento no VO2máx, porém houve  diminuição no final da temporada, retornando aos valores iniciais. Os níveis de sBDNF foram  positivamente correlacionados com o VO2máx na pré-temporada e não foram observadas  correlações entre o sBDNF e parâmetros psicológicos, tempo de sono e desempenho esportivo no  final da temporada.


  • ANDRESSA BARROS IBIAPINA
  • MAPA DE EVIDÊNCIAS EM LEISHMANIOSE VISCERAL
  • Orientador : CARLOS HENRIQUE NERY COSTA
  • Data: 01/09/2021
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Leishmaniose visceral (LV) é uma doença tropical negligenciada endêmica no Brasil causada por protozoários do gênero Leishmania. Os sinais e sintomas incluem esplenomegalia, hepatomegalia, febre e perda de peso. Os mapas de evidências são ferramentas para identificação, organização e caracterização do conhecimento disponível em uma área específica. OBJETIVO: O objetivo deste estudo é desenvolver um mapa de evidências de LV. METODOLOGIA: Foi realizada uma ampla busca de revisões sistemáticas, utilizando PubMed e BVS. Após a seleção, cada revisão sistemática incluída foi avaliada, caracterizada e categorizada pelo tipo de intervenção e por desfechos, de acordo com a metodologia oferecida pela BIREME/OPAS/OMS. Foi realizada avaliação da qualidade metodológica por meio da ferramenta AMSTAR2, para determinar o nível de confiança e, portanto, as evidências foram classificadas como alta, moderada, baixa e criticamente baixa. RESULTADOS: Duzentas e dezoito revisões sistemáticas foram analisadas e 33 revisões sistemáticas foram incluídas. A aplicação de inseticidas, o uso de mosquiteiros e coleira com inseticida e o abate de cães foram avaliados, mas a coleira destaca-se como uma potencial medida de prevenção. O diagnóstico molecular e o sorodiagnóstico, principalmente o teste de aglutinação direta e o teste rápido imunocromatográfico rK39, tiveram ótimo desempenho. Antimoniais pentavalentes e anfotericina B em diferentes formulações foram as terapias mais encontradas para o sucesso do tratamento, mas eventos adversos graves ocorrem com o seu uso. CONCLUSÃO: Entre as lacunas observadas, incluem-se controle biológico de vetores, desenvolvimento de vacinas para cães e humanos, os efeitos do uso de suplementos nutricionais no tratamento, opções de diagnóstico e tratamento para outros grupos de pacientes imunossuprimidos e análises de custo-efetividade, destacando-se ainda a necessidade de realização de estudos com qualidade metodológica alta.

  • MARCELA ARAÚJO SÁ NOGUEIRA
  • : nível de atividade física, estresse e sintomas de ansiedade em universitários durante a pandemia de covid-19
  • Orientador : VIRIATO CAMPELO
  • Data: 31/08/2021
  • Mostrar Resumo
  •  

    Atividade Física é definida por qualquer movimento realizado pelo corpo, que ocasione um gasto energético, podendo ser ocupacional ou laboral, realizados em momentos de lazer, atividades domésticas e na forma de deslocamento (transporte). Possuindo uma função antidepressiva, sendo bastante eficaz de acordo com o tempo do programa e a intensidade da atividade, desde uma simples caminhada até mesmo outras práticas corporais, melhora a saúde mental, devido a adaptações biológicas resultadas pela atividade física, que diminuem a ansiedade e o estresse. O objetivo do presente estudo foi analisar a relação entre a prática da atividade física, os sintomas de ansiedade e estresse em graduando/as de Educação Física (licenciatura/bacharelado) de Teresina-PI, durante o período pandêmico. METODOLOGIA: O presente estudo é do tipo transversal, descritivo, com abordagem quantitativa. Os dados foram analisados por meio de estatística descritiva (percentuais, médias e desvio padrão) e inferencial (teste do qui quadrado). O programa estatístico utilizado foi o STATA 12.0 e o nível de significância adotado para todas as análises foi de 5%. A amostra foi composta por 160 universitários selecionados de forma não probabilística, por conveniência, e realizaram o preenchimento on-line de 4 questionários: um sociodemográfico, o questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ) – Versão Curta, Inventário de Sintomas de Stress 

    de Lipp (ISSL) e o sintomas de ansiedade por meio do inventário de Beck– BAI. RESULTADOS: O estudo mostrou que a maioria dos estudantes era do sexo feminino (58,13%), com média de idade 24,7 anos (±6). Observou-se ainda que (92,50%) moram acompanhados, (61,88%) sem companheiro e (54,38%) trabalham, maioria é de Instituição pública 59,75% e 41,25% relatam ter uma saúde como “muito boa ou boa”, foi verificado que 88,75% não possui doença crônica e (76,88%) relataram não fazer uso de medicamentos. Quanto à ajuda Psicológica ou Psiquiátrica, 76,88% responderam que não e 59,38% acessam sempre as redes sociais. Verificou-se que 54,70% e 48,43% dos universitários foram classificados como “muito ativo” na Instituição privada e pública, respectivamente. Observou-se um percentual elevado de (55,00%) de universitários em alguma fase de estresse. Quanto à prevalência do nível de ansiedade, 51,90% dos avaliados não apresentaram sintomas. Houve associação estatisticamente significativa no teste do x² qui-quadrado entre nível de atividade e estresse (p=0,038) e nível de atividade física e ansiedade (p=0,025), mostrando que a maioria dos universitários sem sintomas de estresse e ansiedade estão na categoria “muito ativo”. O nível de atividade física não teve associação estaticamente significativa com o sexo (p=0,155). CONCLUSÃO: Portanto, pôde-se observar nesse estudo, a maioria dos universitários pesquisados foram classificados como muito ativo e que o nível de atividade física teve relação com o estresse e a ansiedade nos universitários avaliados.

     

  • AISLAN ERICK PEREIRA DE SOUSA
  • EFEITO DA SUPLEMENTAÇÃO COM SUCO DE UVA COMO TRATAMENTO ADJUVANTE SOBRE INFLAMAÇÃO SISTÊMICA, FORÇA E ESTRESSE OXIDATIVO EM PACIENTES HOSPITALIZADOS COM COVID- 19
  • Orientador : MARCOS ANTONIO PEREIRA DOS SANTOS
  • Data: 27/08/2021
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Em dezembro de 2019 surgiu na China, um vírus que causa a doença COVID -19. Provoca inflamação sistêmica, falência de múltiplos órgãos e morte. O suco de uva é potencialmente anti-inflamatório e anti-oxidante, devido principalmente ao resveratrol no qual pode melhorar o estado metabólico de pacientes com COVID-19. OBJETIVO: Avaliar a suplementação do suco de uva tinto integral na inflamação sistêmica, na força, estresse oxidativo em pacientes hospitalizados com a COVID-19. METODOLOGIA: Ensaio clínico controlado com 36 pacientes, acometidos pela COVID-19, de ambos os sexos e maiores de 18 anos, randomizados, na qual, dezesseis (16) pacientes fizeram parte do grupo controle (GC) e vinte (20) pacientes do grupo tratado com suco de uva (GSU). Os pacientes do grupo experimental receberam 10 ml/kg de peso corporal de suco de uva por dia durante o período de internação. Foram aplicados questionários, teste de força com dinamômetro e coletas sanguíneas antes e após a intervenção, para análises de parâmetros hemodinâmicos, imunorregulação, inflamação sistêmica, força, marcadores da função renal e estress oxidativo. Teste de ANOVA two -Way para medidas repetidas foram realizados para comparar o efeito do suco de uva nas variáveis do estudo, além da análise multivariada por meio da regressão linear múltipla. Adotou-se o nível de significância p < 0,05.  RESULTADOS: Diminuição no tempo de internação GC 9,94 + 5,698 vs GSU 6,85 + 3,167 (p= 0,047*), redução no nível do marcador inflamatório PCR, GC 85,38 +  66,133 vs 56,51 +  73,294 , GSU 57,66  + 56,386 vs 16,35  + 26,818. Aumento de 3.01 kgf no teste FPPMD 3 e de 2.11 kgf no teste FPPMND 3 CONCLUSÃO: A suplementação com suco de uva foi capaz de melhorar parâmetros como redução do tempo de internação, diminuição da inflamação e aumento da força em pacientes internados com COVID-19.

  • RAYSSA DOURADO FONTENELE
  • CARACTERIZAÇÃO DAS ALTERAÇÕES HISTOPATOLÓGICAS PULMONARES E APOPTOSE NA INFECÇÃO AGUDA E CRÔNICA EM BALB/c EXPERIMENTALMENTE INFECTADOS COM LEISHMANIA INFANTUM CHAGASI
  • Orientador : AIRTON MENDES CONDE JUNIOR
  • Data: 21/07/2021
  • Mostrar Resumo
  • As alterações inflamatórias consistem na principal lesão pulmonar observada durante o curso da
    infecção por Leishmania chagasi infantum e a apoptose desempenha um papel importante na resolução
    da resposta inflamatória. Neste contexto, o objetivo deste estudo foi caracterizar a resposta
    inflamatória e quantificar a apoptose em camundongos BALB´c experimentalmente infectados com
    Leishmania spp, correlacionando com o período pós infecção (agudo ou crônico). Camundongos
    BALB´c foram infectados com 5x10
    6 promastigotas purificadas de Leishmania (L) infantum chagasi
    (MHOM/BR/72/cepa 46) em meio RPMI 1640. Fragmentos de pulmão foram coletados e processados
    por técnica de rotina para posterior coloração com HE e imunoperoxidase. Alterações histopatológicas
    foram analisadas através da aplicação de score (0-4) de acordo com a intensidade da lesão (análise
    semiquantitativa). Procedeu-se a morfometria da resposta inflamatória pela contagem diferencial das
    células inflamatórias, bem como do índice apoptótico. Como resultado, no grupo agudo observou-se
    hiperemia vascular, congestão, infiltrado inflamatório multifocal, perivascular médio de macrófagos,
    linfócitos e neutrófilos. No grupo crônico notou-se hiperemia vascular, congestão, infiltrado
    inflamatório mononuclear e deposição de fibrilas de colágeno. Não foi encontrado amastigotas de
    Leishmania e/ou seus antígenos no tecido pulmonar pela técnica de imunoistoquímica. Na
    morfometria, congestão e a inflamação obtiveram score superior nos camundongos infectados em
    relação aos seus respectivos controles. A celularidade do grupo infectado (agudo e crônico) foi
    superior aos controles, com predominância de neutrófilos, linfócitos e plasmócitos no grupo infectado
    agudo e de macrófagos no grupo infectado crônico, com diferença estatística significativa.
    Adicionalmente, grupo infectado agudo obteve um índice apoptótico superior ao grupo infectado
    crônico. Com base em nossos resultados concluímos que durante o processo inflamatório, na
    progressão do período pós infecção, alterações vasculares são predominantes no período agudo.
    Enquanto no período crônico, há uma exacerbação da resposta inflamatória com a predominância de
    macrófagos. A apoptose atua na modulação da resposta inflamatória pulmonar.


  • THALINE MILANY DA SILVA DIAS
  • ESTADO NUTRICIONAL RELATIVO AO MAGNÉSIO E SUA RELAÇÃO COM O METABOLISMO DOS HORMÔNIOS TIREOIDIANOS EM MULHERES OBESAS
  • Orientador : DILINA DO NASCIMENTO MARREIRO
  • Data: 20/07/2021
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A obesidade está associada à disfunção tireoidiana, sendo que estudos têm demonstrado a participação de micronutrientes, a exemplo do magnésio, na função da glândula tireoide e no metabolismo dos hormônios tireoidianos em indivíduos com obesidade. OBJETIVO: Avaliar o estado nutricional relativo ao magnésio e sua relação com os hormônios tireoidianos em mulheres obesas. METODOLOGIA: Estudo de natureza transversal envolvendo 177 mulheres, com idade entre 20 e 50 anos, sendo distribuídas em dois grupos: grupo caso (mulheres obesas, n= 73) e grupo controle (mulheres eutróficas, n=104). Foram realizadas medidas do peso corporal, estatura, índice de massa corpórea e circunferência da cintura, bem como analisadas a ingestão de magnésio, as concentrações plasmáticas, eritrocitárias e urinárias desse mineral, e as concentrações séricas dos hormônios tireoidianos (TSH, T3 e T4 livres). A análise da ingestão de magnésio foi realizada por meio do registro alimentar de três dias, utilizando o programa Nutwin, versão 1.5. As concentrações de magnésio plasmático, eritrocitário e urinário foram determinadas segundo o método de espectrometria de emissão óptica com plasma acoplado indutivamente. As concentrações séricas dos hormônios tireoidianos foram determinadas por meio de quimioluminescência. Os dados foram analisados por meio do programa estatístico SPSS for Windows 25.0. RESULTADOS: Os valores médios do consumo de magnésio estavam inferiores às recomendações, com diferença estatística entre os grupos estudados (p<0,05). As mulheres obesas possuíam concentrações plasmáticas e eritrocitárias de magnésio reduzidas, quando comparadas ao grupo controle (p<0,05). A excreção urinária desse mineral apresentou diferença significativa entre os grupos (p<0,05), sendo que as obesas excretavam quantidade superior de magnésio na urina.  As concentrações séricas de T3 e razão T3/T4 apresentaram diferença estatística entre os grupos (p<0,05), com valores inferiores nas mulheres obesas. Houve correlação negativa entre magnésio eritrocitário e o T4 livre sérico (p<0,05), entre magnésio dietético e razão T3/T4 (p<0,05), e correlação positiva entre magnésio plasmático e TSH sérico (p<0,05). CONCLUSÃO: A partir dos resultados deste estudo, pode-se concluir que as mulheres obesas apresentam alterações no estado nutricional relativo ao magnésio. Além disso, evidencia alteração no metabolismo dos hormônios tireoidianos, sendo essa caracterizada pela redução das concentrações séricas de T3 livre nas mulheres obesas. Diante da correlação negativa entre as concentrações de magnésio nos eritrócitos e os níveis de T4, esse estudo não evidencia possível atuação do mineral no metabolismo desse hormônio. Dessa forma, sugere-se provável comprometimento na atuação do magnésio sobre a absorção do iodo pelas células tireoidianas, bem como a provável interferência de outros fatores bioquímicos durante o processo de metabolização do seu precursor, o TSH, o que reflete de forma negativa na síntese do hormônio T4.

  • GABRIEL MARTINS DE BARROS
  • CORANTES EXTRAÍDOS DAS CASCAS DO PEQUI (Caryocar Brasiliense Camb.) E DA CAJÁ (Spondias Mombin L.): OBTENÇÃO E ANÁLISE DA BIOCOMPATIBILIDADE
  • Orientador : AIRTON MENDES CONDE JUNIOR
  • Data: 16/07/2021
  • Mostrar Resumo
  • Inovações a partir da exploração de corantes naturais aumentaram consideravelmente devido a malefícios à saúde humana e animal, ocasionados com uso de colorantes sintéticos. No campo da histologia as pesquisas são voltadas principalmente para a descoberta de um corante natural substituto da eosina. Plantas ácidas como cajá (Spondias Mombin l.) e pequi (Caryocar Brasiliense Camb.) que apresentam composição rica em carotenoides e são usadas como corantes na cultura popular, podem apresentar potencial coloração em tecidos biológicos, além de que suas cascas geralmente são descartadas e poucos utilizadas na indústria. Nessa perspectiva o objetivo deste estudo é obter os corantes extraídos das cascas do Pequi e Cajá, e verificar a biocompatibilidade dos colorantes em tecidos animais. Foi realizado um estudo experimental em que 5 kg da casca do pequi e 5 kg do cajá, foram desidratados, em seguida, as cascas foram trituradas, após uma semana o material foi colocado em um Rotaevaporador onde as misturas do pó do cajá e pequi foram separadas do etanol, com testes elaborados a melhor concentração para extrato do pequi foi definida em 25% e do cajá em 20%. Foram selecionados tecidos do coração, pulmão, fígado e rim provenientes de outra pesquisa previamente aprovada (506/18 CEUA- UFPI). Os materiais foram corados em consonância com seu respectivo grupo, Grupo 1: controle positivo, coloração com Hematoxilina e eosina; Grupo 2: coloração dos tecidos com o extrato do cajá unicamente; Grupo 3: coloração dos tecidos com o extrato do pequi unicamente. Os grupos 2 e 3 tiveram três subgrupos com bases em testes de concentrações: o extrato com etanol absoluto, extrato com etanol 70%, e etanol 70% e adição de ácido acético e alúmen de potássio. A análise histológica ocorreu por meio da avaliação do corte sob microscopia de luz e os resultados registrados por uma análise qualitativa dos tecidos, foi realizado também uma análise quantitativa do material. As estruturas foram escolhidas e classificadas em boa, quando permitiu apreciação suficiente de uma estrutura e ruim quando houve dificuldade na apreciação. Após a obtenção dos resultados quantitativos, foi aplicado o teste de análise de variância (ANOVA) com pós-teste (teste t), foi considerado o nível de significância de 95%. Os resultados mostraram o extrato das cascas do cajá e pequi, nas concentrações de 20% e 25% respectivamente em concentrações hidroalcoólicas de 70% foram capazes de gerar coloração e permitir a visualização da arquitetura dos tecidos, com o tom amarelado, principalmente do cajá, corando o citoplasma dos tecidos. O ácido acético e o alúmen de potássio não mostraram melhora na coloração. Diferentes concentrações devem ser testadas, a inclusão dos extratos com a hematoxilina também deve ser testada para verificação da usabilidade opção dos extratos pela eosina.

  • SINTIA ANDREA BARBOSA GOMES
  • PREVALÊNCIA DE FATORES DE RISCO CARDIOVASCULAR EM CRIANÇAS: UMA REVISÃO INTEGRATIVA
  • Orientador : LUISA HELENA DE OLIVEIRA LIMA
  • Data: 15/07/2021
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As doenças cardiovasculares são as alterações patológicas que afetam o sistema
    circulatório, podendo se manifestar de diferentes maneiras. A determinação de fatores de risco
    para doenças cardiovasculares tem início na infância e são influenciadas pelo estilo de vida e
    os hábitos pessoais. Entre os fatores de risco cardiovasculares identificados em crianças
    brasileiras, o excesso de peso é descrito com maior freqüência, porém outros fatores também
    são bastante encontrados, como: excesso de gordura corporal, pressão arterial elevada,
    dislipidemia, síndrome metabólica e inatividade física.
    Objetivos: Analisar na literatura
    científica a prevalência dos principais fatores de risco cardiovascular em crianças e
    caracterizar os artigos de acordo com seu ano de publicação, país, tamanho amostral, sexo e
    idade das crianças avaliadas, identificar os principais fatores de risco cardiovascular
    encontrados na literatura e analisar os métodos/técnicas de aferição dos fatores de risco
    identificados nos artigos.
    Metodologia: O estudo realizado trata-se de uma revisão integrativa
    da literatura, teve como alvo a localização de trabalhos que abordaram crianças com idade
    entre 03 a 12 anos e avaliaram a prevalência de fatores de risco cardiovascular. Os trabalhos
    foram pesquisados entre os meses de agosto a dezembro de 2020, nas bases de dados
    eletrônicos
    PubMed e Biblioteca Virtual de Saúde. O levantamento bibliográfico encontrou
    inicialmente 2.595 artigos compreendendo os anos de 2000 a 2020. Após aplicação dos
    critérios de elegibilidade e leitura criteriosa, 36 artigos compuseram essa revisão.
    Resultados:
    Os resultados encontrados da pesquisa bibliográfica abrangeram estudos de quase todos os
    continentes. Encontrou-se uma alta prevalência de excesso de peso entre as crianças e uma
    relação significativa entre excesso de peso e a dislipidemia, aumento da pressão arterial,
    hiperinsulinemia e síndrome metabólica. Na maioria dos estudos verificou-se uma maior
    prevalência de excesso de peso entre os meninos (8,6% a 30,6%), em relação às meninas
    (3,8% a 23,5%), prevalência de pressão arterial elevada chegando a 40,7% em crianças com
    excesso de peso.
    Conclusão: É importante que ocorra uma maior padronização de medidas
    que vislumbrem a correta classificação e identificação dos fatores de risco em crianças. A
    prevalência dos fatores de risco mostrou-se presente, realçando a necessidade do
    planejamento de ações para a diminuição do surgimento desses agravos no público infantil.
    Medidas de prevenção devem ser realizadas como auxilio as políticas públicas de prevenção à

    saúde. Como contribuição para demais trabalhos a serem desenvolvidos abordando métodos
    de investigação dos fatores de risco, outros parâmetros devem ser incluídos, visualizando a
    maior sensibilidade na identificação das alterações, como a medida da circunferência do
    pescoço em crianças.


  • ANDRESSA NATHANNA CASTRO DAMASCENO
  • ESTADO NUTRICIONAL, DISLIPIDEMIA E RISCO CARDIOMETABÓLICO EM IDOSOS DE TERESINA - PI
  • Orientador : MARIA DO SOCORRO PIRES E CRUZ
  • Data: 01/07/2021
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: O envelhecimento humano é um processo natural, dinâmico e progressivo, em que ocorrem alterações a nível fisiológico, metabólico, psicológico, levando a uma maior vulnerabilidade e aparecimento de doenças. OBJETIVO: Avaliar o estado nutricional, dislipidemia e risco cardiometabólico em idosos de Teresina – PI. METODOLOGIA: Estudo transversal em que foram avaliadas 173 pessoas idosas, cadastradas na estratégia saúde da família (ESF) há pelo menos três meses, sem diagnóstico de diabetes, doença renal crônica, hepatopatias, neoplasias, doença infectocontagiosa, doenças inflamatórias intestinais, alcoolismo ou outra dependência química, de ambos os sexos, com idade maior ou igual a 60 anos, residentes na cidade de Teresina, Piauí, Brasil. A coleta de dados foi realizada entre 2016 e 2017, por meio de questionário contendo indicadores antropométricos sendo peso, altura, índice de massa corporal (IMC), circunferência da cintura (CC), prega cutânea tricipital (PCT), circunferência do braço (CB), circunferência muscular do braço (CMB) além de aferição da pressão arterial e avaliação bioquímica do perfil lipídico e glicemia de jejum. Os dados foram analisados por meio do programa estatístico SPSS (for Windows versão 20.0). RESULTADOS: Os valores do estado nutricional global foram inadequados em mais da metade da amostra 118 idosos (68,2%) e somente em 55 (31,8%) adequado. A análise do perfil lipídico de idosos hipertensos e normotensos mostrou que ambos apresentaram em sua maioria uma classificação para desejável ou ótimo, tendo apenas o HDL predominando como limítrofe nesses grupos. Os valores para risco cardiometabólico mostraram que (59,5%) dos idosos apresentaram alto risco e (40,5%) baixo risco. A associação dos dados do perfil social e risco cardiometabólico mostraram uma relação estatisticamente significante para o sexo feminino (p = 0,006) e o estado civil casado (p = 0,011) com o risco cardiometabólico. A análise do perfil antropométrico com o risco cardiometabólico destacou uma associação estatisticamente comprovada para os parâmetros de IMC (p = 0,002), adequação da PCT (p < 0,001) e o estado nutricional global (p < 0,001). A análise inferencial da prevalência e razão de chance, mostrou que não existe diferença significante quanto a prevalência do alto risco cardiometabólico e nem do aumento de chance em relação ao sexo e estado civil, no entanto, demonstrou que a adequação da PCT foi estatisticamente significante (p = 0,009) e também para o estado nutricional global (p = 0,032). CONCLUSÃO: A partir dos resultados desse estudo, pode-se concluir que os idosos apresentaram em sua maioria alteração no estado nutricional, pequenas alterações do perfil lipídico e risco cardiometabólico elevado na maioria dos participantes do estudo. Espera-se que esse trabalho possa servir de base para o desenvolvimento de outros estudos mais completos envolvendo idosos.

  • BRUNO VIANA ROSA
  • EFEITO DA MÁSCARA FACIAL FFP2 / N95 NO DESEMPENHO DO EXERCÍCIO RESISTIDO DE ALTA E BAIXA INTENSIDADE EM JOVENS ADULTOS
  • Orientador : MARCOS ANTONIO PEREIRA DOS SANTOS
  • Data: 02/06/2021
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste estudo foi verificar os efeitos agudos de uma máscara facial FFP2 / N95 no desempenho de exercício resistido de intensidade baixa e alta em praticantes recreativos de musculação. Dezessete homens treinados em musculação realizaram quatro sessões aleatórias e cruzadas: alta intensidade [70% de uma repetição máxima (1RM)] e intensidade baixa (50% 1RM), com e sem máscara facial FFP2 / N95. Todas as sessões de exercícios foram realizadas em quatro séries no exercício supino reto, realizado em uma barra guiada até a falha do concêntrica, com dois minutos de recuperação entre as séries. Um transdutor de posição linear foi usado para medir a velocidade da barra e registrar a velocidade de propulsão média (VPM) e a velocidade máxima (Vmáx). O volume de exercício, percepção subjetiva de esforço (PSE), a frequência cardíaca (FC), a pressão arterial (PA) e a saturação de oxigênio (SpO2) foram registradas. Para a condição de alta intensidade, VPM (p = 0,021) e Vmáx (p = 0,004) foram significativamente menores na condição com máscara em comparação com sem máscara na série 1, no entanto, não houve diferenças significativas para intensidade baixa e também para o volume total em qualquer intensidade (p&gt; 0,05). Houve diferença significativa entre as condições, com menor SpO2 (p = 0,010) e maior PSE (p = 0,008) quando usava máscara facial apenas na intensidade baixa. Em conclusão, a máscara facial FFP2 / N95 impactou o desempenho no exercício resistido somente para condição de alta intensidade, mas diminuiu a saturação de oxigênio e aumentou a percepção subjetiva de esforço para exercício resistido realizado com intensidade baixa.

  • TATYANNE MARIA PEREIRA DE OLIVEIRA
  • CAUSAS DE INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA NO CICLO GRAVÍDICO-PUERPERAL
  • Orientador : JOSE ARIMATEA DOS SANTOS JUNIOR
  • Data: 06/05/2021
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A insuficiência renal aguda caracteriza-se por uma perda súbita de forma
    parcial ou total da função renal, que resulta na redução do ritmo de filtração glomerular e/ou
    oligúria, provocando um acúmulo de produtos nitrogenados e distúrbios hidroeletrolíticos.
    Este evento, embora raro durante o ciclo gravídico-puerperal, torna-se desafiador pois
    aumenta significativamente o risco de mortalidade materna. OBJETIVO: Avaliar causas de
    insuficiência renal aguda no ciclo gravídico-puerperal em uma maternidade de referência do
    Piauí, Região Nordeste do Brasil. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo transversal
    retrospectivo, com abordagem quantitativa. As amostras foram pacientes no ciclo gravídico-
    puerperal admitidas durante os anos de 2018 e 2019 na Unidade de Terapia Intensiva que
    desenvolveram insuficiência renal aguda. A coleta ocorreu por meio de dados secundários,
    oriundos dos prontuários por meio de um formulário abordando as características
    sociodemográficas, obstétricas e de internação. Os dados foram armazenados no software
    Microsoft Excel e para as análises estatísticas descritivas e inferenciais utilizou-se o programa
    Statistical Package for the Social Sciences versão 22. RESULTADOS: Verificou-se a
    ocorrência de 27 casos de insuficiência renal aguda, apresentando uma incidência de 3,7%. A
    idade média das pacientes que desenvolveram insuficiência renal aguda foi de 27,15 anos;
    59,3% eram solteiras; 63,0% eram procedentes do interior do Estado; 40,7% primigestas e
    multíparas; 22,2% apresentavam hipertensão; 55,6% realizaram pré-natal; 59,3% estavam no
    puerpério; 70,4% foram submetidas à cesariana. Quanto ao tratamento, 40,7% fizeram uso de
    drogas vasoativas; 96,3% utilizaram antibióticos; 88,9% diuréticos; 63,0% submetidas ao uso
    de ventilação mecânica. As síndromes hipertensivas relacionadas à gravidez foram as causas
    mais comuns de insuficiência renal aguda com 51,9%. A mortalidade materna entre as
    mulheres que desenvolveram essa complicação foi de 25,9%. Foi encontrada associação
    estatisticamente significante entre o número de gestações incluindo a atual (p= 0,041), uso de
    drogas vasoativas (p= 0,001), utilização de ventilação mecânica (p= 0,004) e tempo de uso de
    ventilação mecânica (p= 0,003) e o desfecho materno. CONCLUSÃO: A insuficiência renal
    aguda no ciclo gravídico-puerperal apresentou como principais causas as síndromes
    hipertensivas, sepse/choque séptico e hemorragia/choque hemorrágico, identificou-se também
    elevada mortalidade. A insuficiência renal aguda corresponde a um problema de saúde
    pública evitável, uma vez que muitas das etiologias podem ser detectadas e tratadas durante o pré-natal, bem como uma assistência adequada ao parto em vista a prevenção, identificação precoce e tratamento necessário para evitar esta complicação.

  • SUELLEN APARECIDA PATRICIO PEREIRA
  • APLICABILIDADE DO MICROAGULHAMENTO NO TRATAMENTO DE CICATRIZES DE ACNE NA FACE
  • Orientador : LAURO LOURIVAL LOPES FILHO
  • Data: 27/03/2021
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: O microagulhamento (MA) é uma das opções para o tratamento das
    cicatrizes de acne, com a qual se obtém uma melhora na síntese de colágeno. O objetivo deste
    estudo foi analisar a aplicabilidade da técnica do microagulhamento no tratamento de
    cicatrizes de acne. METODOLOGIA: Trata-se de uma pesquisa experimental, com
    abordagem quantitativa e qualitativa, utilizando experimentos “antes-depois”. Foram
    selecionados quinze participantes, mulheres com idade entre 18 e 45 anos. Na avaliação, além
    de um registro fotográfico, foram aplicados o Quantitative Global Scarring Grading System
    for Post Acne scarring e a Global Aesthetic Improvement Scale (GAIS) para estimar o grau de
    melhora das cicatrizes e a eficácia do microagulhamento. RESULTADOS: Houve redução
    estatisticamente significante dos escores da escala citada após a intervenção quando
    comparados aos valores anteriores [0,7 (2 ± 14) vs 0,8 (1 ±), p=0,0015]. Em relação aos
    resultados do GAIS, após a aplicação do microagulhamento, observou-se que os avaliadores
    classificaram 5% das faces como “Muito melhor”, 20% das faces receberam o conceito “Bem
    melhor”, 47% foram analisadas como “Melhor”, 23% foram considerados “Sem alteração” e
    5% da amostra recebeu o conceito “pior”. CONCLUSÃO: Neste estudo, o uso do
    microagulhamento reduziu as cicatrizes de acne, com redução dos valores da Quantitative
    Global Scarring Grading System após tratamento. Além disso, o uso dessa terapia
    proporcionou uma melhora estética óbvia, porém discreta de acordo com a GAIS.

  • RAUENE RAIMUNDA DE SOUSA
  • SAÚDE MENTAL E COMPORTAMENTO ALIMENTAR DE PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS DURANTE A PANDEMIA DA COVID-19”
  • Orientador : ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
  • Data: 22/02/2021
  • Mostrar Resumo
  • As mudanças na rotina dos professores, provocou transformações constantes do seu papel e de suas funções. O isolamento, particularmente obrigatório, juntamente com a sobrecarga ocupacional, podem resultar em uma alta prevalência de sofrimento psíquico, com perturbação emocional e mudanças nos hábitos alimentares. Objetivos: O presente estudo tem como objetivo avaliar a saúde mental e o comportamento alimentar de docentes de uma instituição pública de ensino superior durante a pandemia da covid-19. Metodologia: Trata –se de um estudo analítico, de caráter transversal, com abordagem quantitativa. A coleta de dados foi realizada no período de novembro a dezembro de 2020, de forma remota por meio do formulário online do Google (Google forms). Participaram 59 docentes, tendo sido avaliados quanto aos dados socioeconômicos e ocupacionais, aspectos relacionados a covid-19, nível de ansiedade, estresse, depressão pela escala DASS-21 e escores de Ingestão Emocional, Restrita e Externa, através do Questionário Holandês de Comportamento Alimentar. Para processamento e análise dos dados, foi utilizado software Statistical Package for the Social Sciences (SPSS), versão 22.0. Resultados: Na escala DASS21, verificou-se que o nível de estresse, se aplicou-se em algum grau, ou por pouco tempo: “Achei difícil relaxar” (47,5%). Na análise de comparação entre a classificação dos escores dos questionários de saúde mental e comportamento alimentar, houve uma associação entre níveis de ansiedade e episódios de restrição alimentar (p = 0,034). Foi verificada uma associação entre a ingestão externa (p = 0,032) e docentes que desenvolvem atividades remotas no turno vespertino, ingestão emocional (p = 0,049) e restrição alimentar (p = 0,019) em docentes que ministram aula no doutorado, ingestão emocional (p = 0,015), em docentes que têm projeto de pesquisa em andamento e que fazem orientação no mestrado (p = 0,043). Observou – se ingestão emocional (p = 0,049) e restrição alimentar (p = 0,019) em docentes que ministram aula no doutorado, ingestão emocional (p = 0,015), em docentes que tem projeto de pesquisa em andamento e que fazem orientação no mestrado (p = 0,043). Conclusão: Conclui-se que a maioria dos docentes avaliados apresentam algum nível de ingestão emocional, ingestão externa e restrição alimentar, estes comportamentos alimentares possuem relação com a ansiedade, estresse e sobrecarga ocupacional, com isso vale ressaltar a necessidade de atenção a este problema a partir da construção de medidas preventivas com foco no comportamento alimentar e saúde mental, a fim de melhorar a qualidade de vida dos docentes universitários.

     

     

  • HIGO JOSÉ NERI DA SILVA
  • CARACTERIZAÇÃO MOLECULAR E RELAÇÃO GENÉTICA ENTRE DIFERENTES FAMÍLIAS COM DEFICIÊNCIA DA ENZIMA LCAT, RESIDENTES NO ESTADO DO PIAUÍ
  • Orientador : ADALBERTO SOCORRO DA SILVA
  • Data: 10/02/2021
  • Mostrar Resumo
  • O metabolismo e o transporte reverso do colesterol extracelular em humanos são realizados pela enzima lecitina colesterol aciltransferase (LCAT). Essa proteína é codificada pelo gene GRCh37.p13 de seis éxons localizado no braço longo do cromossomo 16 (16q22). Já foram relatadas cerca de 90 mutações, que resultam em perda de atividade funcional da LCAT. A manifestação fenotípica de tal deficiência se dá pelos sinais patognomônicos de duas patologias: síndrome do olho do peixe (FED) e deficiência familiar de LCAT (FLD). Embora  seja considerada uma condição rara (prevalência mundial &lt; 1:1.000.000), foram identificadas cinco famílias distintas, em um total de 67 indivíduos portadores de mutação neste gene, todas residentes no estado do Piauí. Porque esta é uma frequência relativamente alta para uma região, começamos a estudar essas famílias com o objetivo de caracterizá-las molecularmente e investigar o grau de parentesco entre elas por meio de marcadores genéticos. Para tanto, casos índices e seus familiares foram convidados a participar do estudo por meio da doação de 5ml de sangue periférico, obtido por punção venosa. Tais células foram utilizadas para a extração de DNA e submetidas a protocolos de sequenciamento para determinação de mutações no gene GRCh37.p13 bem como para a comparação de conjunto de microssatélites de regiões polimórficas do genoma. As análises dos heredogramas das cinco famílias confirmam o caráter autossômico recessivo raro da deficiência de LCAT. Além disso, os testes de endogamia revelaram que, se existe alguma relação com o processo de endogamia, esta não ocorreu de forma reincidente nas últimas gerações e nem foi um fator comum para todas as famílias estudadas. Apesar disso, contudo, a estimativa de parentesco médio nas famílias foi superior ao encontrado no grupo controle, como mostrado pela análise de similaridade genética. No entanto, ao agrupar as famílias em um mesmo cluster para determinar o grau de parentesco, o resultado indica que se houver parentesco, este não é tão expressivo. Além disso, nas análises das distâncias genéticas foi interessante observar que as famílias F1, F2, F3 e F5 são descendentes de um ramo principal. Não é possível confirmar a existência de um efeito fundador, mas é possível que isso possa ter ocorrido há um tempo atrás restringindo a variabilidade genética. A análise Minimal Spanning Network demonstrou um possível parentesco entre as famílias F2, F3 e F5. Por fim, a análise Bayesiana corrobora com os outros testes realizados de comparação genética. Os resultados indicam a hipótese de um possível efeito fundador entre os participantes caso do presente trabalho, sugerindo um certo grau de parentesco entre os mesmos. Além disso, diversos estudos relacionam a proximidade geográfica, bem como casamentos entre indivíduos da mesma região como um fator importante para a ocorrência da baixa variabilidade genética.

  • LIVIA DE ARAUJO ROCHA
  • NÍVEIS DE ESTRESSE E FATORES ASSOCIADOS EM PROFESSORES DE ESCOLAS PÚBLICAS
  • Orientador : ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
  • Data: 04/02/2021
  • Mostrar Resumo
  • O estresse é uma resposta do nosso organismo à qualquer ameaça à nossa
    integridade. Essa resposta é gerada como uma forma de nos mantermos vivos e nos
    adaptarmos as mudanças que ocorrem constantemente em nosso dia a dia. Diversas situações
    podem contribuir para o aumento de nossos níveis de estresse, como por exemplo, as
    situações que fogem do nosso controle, o medo do desconhecido, o trabalho, o convívio com
    determinadas situações e pessoas. O trabalho e a busca insistente por mais produtividade tem
    feito com que alguns profissionais sofram com níveis elevados de estresse e ansiedade, como
    os professores, tornando-os mais vulneráveis ao desenvolvimento ou agravamento de
    doenças. Objetivos: O presente estudo tem como objetivo verificar os níveis de estresse e
    fatores associados em professores de escolas públicas do Piauí. Metodologia: Trata-se de um
    estudo epidemiológico com delineamento transversal, do tipo analítico e com abordagem
    quantitativa. O estudo foi realizado através de questionários online enviados para professores
    de escolas públicas do Piauí, utilizando-se do método bola de neve, no qual um participante
    indica outros possíveis participantes até que se atinja o número pretendido da amostra.
    Resultados: Participaram deste estudo 126 professores, dos quais eram em sua maioria
    mulheres (88,9%), com mais de 41 anos de idade (42,9%), pardos (56,3%), casados (51,6%),
    com renda familiar entre 3 e 4 salários mínimos (30,2%), com ensino superior completo
    (67,5%), que trabalham em dois turnos ou mais (55,6%), exercendo a profissão há mais de 15
    anos (42,1%). Em relação aos comportamentos de risco, 98,4% dos professores afirmaram
    não fumar, 95,2% apresentaram consumo de álcool de baixo risco e 33,3% foram
    classificados como insuficientemente ativos. A maioria da amostra apresentou-se com eutrofia
    (50,8%), 10,3% afirmaram possuir hipertensão, 8,7% disseram sofrer de doenças
    osteomusculares, 3,2% disseram possuir problemas relacionados à tireoide e 2,4% são
    diabéticos. Foi encontrada por este estudo uma associação estatisticamente significante entre
    os níveis de estresse e o sexo feminino (p = 0,003) e problemas de tireoide (p = 0,015).
    Conclusão: Conclui-se que os professores, especialmente as mulheres que exercem essa
    profissão sofrem de níveis de estresse expressivos, o que pode afetar diretamente a qualidade
    de vida dos mesmos, sendo necessário assim, que medidas preventivas de estresse sejam
    criadas a fim de melhorar a saúde e o rendimento destes profissionais, tanto em sala de aula,
    como em seus espaços pessoais.

2020
Descrição
  • MÍSIA JOYNER DE SOUSA DIAS MONTEIRO
  • Avaliação do estado nutricional e sua associação com as apresentações clínicas e laboratoriais em indivíduos com calazar
  • Orientador : DORCAS LAMOUNIER COSTA
  • Data: 27/11/2020
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: O calazar ou leishmaniose visceral nas
    Américas é causado pelo protozoário Leishmania infantum transmitido pela picada de
    flebotomíneos fêmeas infectadas do gênero Lutzomyia. A literatura tem evidenciado
    que pessoas com calazar apresentam desnutrição proteico-calórica e deficiência de
    micronutrientes, mas não está esclarecido se a desnutrição seria um fator de risco para
    a aquisição da infecção, se seria consequência do processo consumptivo prolongado e
    se estaria associada ao prognóstico. OBJETIVO: Avaliar o estado nutricional de
    pessoas com calazar e correlacionar esses achados com a apresentação clínica e
    laboratorial da doença e com os níveis de zinco e de retinol. METODOLOGIA:
    Estudo transversal com 139 pessoas admitidas no Instituto de Doenças Tropicais
    Natan Portela com sintomas sugestivos de calazar e com diagnóstico laboratorial.
    Foram incluídos indivíduos de ambos os sexos, com idade acima de seis meses. A
    classificação do estado nutricional para crianças, adolescentes e adultos seguiu as
    recomendações da Organização Mundial de Saúde e do Sistema de Vigilância
    Alimentar e Nutricional do Brasil. A antropometria seguiu o protocolo do Laboratório
    de Avaliação Nutricional de Populações- USP. O cálculo da área de gordura do braço e
    da porcentagem de gordura foram calculadas e a análise estatística foi realizada pelos
    programas Stata/IC, Anthro e Anthro Plus (WHO). RESULTADOS: Os sinais e
    sintomas de calazar mais frequentes foram febre, palidez, apatia, aumento do volume
    abdominal. Três quartos dos participantes eram do sexo masculino de 12% tinham
    infecção pelo HIV. Anemia, leucopenia ou plaquetopenia foram encontrados em

    133(95,7%) dos participantes. O percentual de peso perdido durante a doença foi maior
    em adultos. A prevalência de desnutrição variou com a idade e com os parâmetros
    nutricionais utilizados e foi mais frequente em adultos acima de 20 anos de idade
    (p&gt;0,001). O IMC/idade, o percentual de gordura calculado pela área adiposa do braço
    e o percentual de gordura calculado pela fórmula de Siri associaram-se
    significantemente à probabilidade de morte acima de 0,10, à presença de HIV, à
    hepatomegalia, à esplenomegalia, ao número de leucócitos e de linfócitos, à creatinina
    séria e ao retinol plasmático. Os níveis séricos de vitamina A foram significativamente
    maiores em homens em relação às mulheres adultas (p=0,02). Não houve diferença
    estatisticamente significante dos níveis de Vitamina A em pessoas com HIV ou sem
    HIV (p=0,08) e também não houve associação com o óbito (p=0,25). Os níveis de
    VitA se associaram à contagem de leucócitos (rho= -28; p=0,002), e à ureia sérica
    (rho=0,25; p=0,02). O zinco plasmático estava reduzido em todos os participantes, mas
    não houve associação deste mineral com as vaiáveis de desfecho. O zinco eritrocitário
    esteve estatisticamente associado à ureia sérica (rho= -0,24; p=0,02), mas não se
    associou às demais variáveis clínicas, laboratoriais, demográficas, de moradia e
    saneamento. CONCLUSÃO: A desnutrição presente em pessoas com calazar é mais
    prevalente em adultos e idosos e associa-se à gravidade da doença em todas as idades.
    Os níveis de Vitamina A e de zinco estão significantemente reduzidos em indivíduos
    com calazar. A deficiência de Vitamina A associou-se à desnutrição e à gravidade da
    doença. Os níveis plasmático e eritrocitário de zinco estão reduzidos na totalidade das
    pessoas com calazar, mas não se associou à gravidade ou ao risco de morte.

  • HENGRID GRACIELY NASCIMENTO SILVA
  • A produção social e individual da universidade na integração ensino-serviço-comunidade: reflexos da extensão universitária
  • Orientador : JOSE IVO DOS SANTOS PEDROSA
  • Data: 20/10/2020
  • Mostrar Resumo
  • A integração ensino-serviço-comunidade pode acontecer por meio da extensão universitária considerando a complexa interlocução dialética existente entre docentes, discentes, profissionais e a comunidade. Assim, objetivou-se analisar a produção social e individual do projeto de extensão universitária orientação a cuidadores de pessoas inseridas no transtorno do espectro do autismo: acolhendo para a produção sensível do cuidado em saúde sob perspectiva do ensino, serviço e comunidade. Trata-se de um estudo com delineamento qualitativo, de caráter observacional. A pesquisa foi desenvolvida com 54 participantes, sendo eles docentes, graduandos, pós-graduandos, funcionários da Associação de Amigos dos Autistas (AMA) e a comunidade assistida na instituição. A coleta de dados foi feita por meio de levantamento documental das atividades de extensão; entrevistas semiestruturada como os participantes que compunham os eixos do ensino e serviço e com a comunidade foram realizados grupos focais. Os dados foram analisados com base na Análise de Conteúdo Temática. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí. Os dados resultaram em três grandes categorias analíticas, a saber: ensino em saúde: nós que precisam ser desatados, se pensa uma extensão popular; serviço: a ponte entre o ensino e a comunidade; e comunidade: apontamentos sob a ótica social. Os relatos apontaram que os discentes e docentes enfatizaram a importância das práticas de extensão além dos muros da universidade, pautado sempre na aproximação com a comunidade e no cuidado em saúde. Em relação aos profissionais dos serviços foi evidenciado que essa prática fortalece os vínculos para a implantação de ações efetivas de cuidado e assistência, mas reconhecem que ainda há fragilidades nessa interlocução. As mães destacaram que a extensão, juntamente com a atuação dos profissionais do serviço, promove alento e atenção humanizada para com elas e seus filhos. Assim, as práticas de extensão universitária reafirmam que a integração ensino-serviço-comunidade é valorosa. Contudo, ainda necessita de análise conceitual e metodológica quanto à inclusão dos discentes e serviço e comunidade em todas as etapas da extensão, fazendo com que o projeto seja ainda mais uma fonte de aprendizagem crítica e transformadora.  

     

  • EDNA MARIA SILVA ARAUJO
  • NÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA E INDICADORES DE ADIPOSIDADE CORPORAL E SUA ASSOCIAÇÃO COM PRESSÃO ARTERIAL E VARIABILIDADE DA FREQUÊNCIA CARDÍACA: UM ESTUDO DE BASE POPULACIONAL.
  • Orientador : MARCOS ANTONIO PEREIRA DOS SANTOS
  • Data: 30/07/2020
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A obesidade e a hipertensão arterial são problemas de saúde bastante complexo e multifatorial, que representam graves problemas de saúde pública em diversos países, sendo que a falta de tratamento pode provocar ou agravar outras comorbidades no indivíduo. Diversos estudos mostram que a atividade física vem atuando como fator protetor para tais comorbidades. A Variabilidade da Frequência Cardíaca (VFC) reduzida tem sido associada à adiposidade corporal, por outro lado, a redução de peso pode melhorar o controle autonômico. Dessa forma o estudo deste parâmetro (VFC) tem se mostrado um método não invasivo, que atua como uma ferramenta clínica promissora para avaliação do sistema nervoso autônomo. OBJETIVO: Investigar a associação entre o nível de atividade física e indicadores de adiposidade corporal com a pressão arterial e a variabilidade da frequência cardíaca em indivíduos residentes na cidade de Teresina-PI. MÉTODO: Os dados da pesquisa são oriundos de uma pesquisa de cunho transversal de base populacional intitulado “Inquérito de Saúde Domiciliar” (ISAD-PI), no período de 2018 a 2019 na cidade de Teresina-PI. A amostra foi composta por adultos e idosos que atenderam os critérios de elegibilidade. Foram realizadas avaliações para a adiposidade corporal (gordura corporal, gordura visceral, circunferência da cintura e índice de massa corporal), nível de atividade física (questionário internacional de atividade física em sua versão curta - PAQ), pressão arterial e variabilidade da frequência cardíaca. A fim de verificar a existência de correlação entre as variáveis, realizou-se o teste de correlação de Spearman e Qui-quadrado. Para análise de associação realizou se a regressão logística binária (Odds Ratio), posteriormente, foram realizados ajustes para possíveis fatores de confusão, como idade e sexo.  Para todos os testes, adotou-se nível de significância de 5% e intervalo de confiança de 95%. O trabalho foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí/UFPI em 20 de março de 2018, com o número de parecer 2.552.426. RESULTADOS: A amostra foi composta por 285 moradores da cidade de Teresina-PI, sendo 35,1% representada pelo sexo masculino e 64,9%, pelo sexo feminino, com idade média geral de 45,1 ± 16,3 anos. Foi verificado o IMC médio de 26,5 ± 5,3 kg/m² no sexo masculino e 27,4 ± 5,4 kg/m² no sexo feminino. Observou-se uma correlação significativa entre a adiposidade corporal e a pressão arterial sistólica e diastólica para ambos os sexos e uma correlação significativa da circunferência da cintura com a atividade nervosa simpática na média geral. Após os ajustes para idade e sexo foi possível analisar que os indivíduos com elevada circunferência da cintura apresentaram 4,14 vezes mais chances de obterem baixos níveis de atividade parassimpática. Para o nível de atividade física houve associação significativa com a pressão arterial de modo que após o ajuste para idade os indivíduos insuficientemente ativos apresentaram 1,77 vezes mais chance de desenvolverem hipertensão arterial. Entretanto não houve associação significativa entre o nível de atividade física e o mecanismo autonômico. CONCLUSÃO: Conclui-se que indivíduos que possuem baixos níveis de atividade física e adiposidade corporal apresentam associação na hipertensão arterial e na modulação autonômica cardíaca, aumentando assim os riscos de doenças cardiovasculares.

  • ESMERALDA MARIA LUSTOSA BARROS
  • INVESTIGAÇÃO DO EFEITO DOS EXTRATOS ETANÓLICOS DE Dysharia ambrosioides (MASTRUZ) E Nasturtium officinale R.Br. (AGRIÃO) NA REPARAÇÃO ÓSSEA EM Rattus norvegicus
  • Orientador : PEDRO VITOR LOPES COSTA
  • Data: 16/07/2020
  • Mostrar Resumo
  • Devido à natureza e composição fotoquímica do Dysphania ambrosioides (mastruz) e do Nasturtium officinale R.Br (agrião) e, considerando os efeitos biológicos das plantas o presente trabalho tem como objetivoinvestigar os efeitos dos extratos etanólicos da folha domastruz e do caule do agrião na atividade anti-inflamatória e osteocondutora na reparação óssea em  Rattus norvegicus. Os extratos etanólicos foram utilizados por via oral e tópica na concentração de 5mg/kg. Foram utilizados 72 Rattus norvegicus divididos em 6 grupos com 12 animais,ondecada grupo foi subdividido de acordo como o tempo de avaliação (15 e 30) dia. Os grupos foram divididos em: GI- Preenchido tópico com extrato de Mastruz, GII -tratamento oral com extrato  deMastruz, GIII-preenchido tópico com extrato do agrião, G IV- tratamento oral com extrato  agrião, G V- preenchido tópico com  de Bio oss®, G VI- preenchidoapenas com coagulo sanguíneo e solução salina ao final do experimento foram feitas as dosagens séricas de cálcio e fosfatase alcalina, análise histológica e espectroscopia Raman das tíbias. Os níveis séricos de cálcio no organismo após a administração do extrato etanólico de mastruz por tópica e oral durante 15 dias e por via tópica por 30 dias aumentaram significativamente em relação ao controle negativo. Quanto aos níveis séricos de fosfatase alcalina, o grupo tratado por 15 dias com extrato etanólico de mastruz por via oral apresentou uma resposta melhor comparada ao controle negativo. A análise microscópica o G-I apresentou inflamação leve com boa cicatrização 15 e 30 dias. Nos G-II e G-IV apresentaram melhor qualidade de osso neoformado aos 15 e 30 dias pós-cirúrgico, o G-III apresentou inflamação ativa e uma cicatrização imatura. A análise Raman demostrou que G-II, G-III e G-IV apresentou média das razões entre os picos 967 cm-1 significativamente maior quando comparado a média dos demais grupos. Contudo o G-II e o G-V foram semelhantes ao osso hígido. Na análise de espectroscopia Raman observa-se que os grupos III e IV são similares entre si, e há fechamento parcial da lesão. Quando comparamos os grupos III e IV com os demais grupos (I, II, V e VI), os resultados do grupo III e IV só não apresentam resultados mais significativos que dos grupos II e grupo V.


  • REBECA DEOLINDO MAVIGNIER
  • Avaliação da técnica de alimentação artificial para colonização de Lutzomyia longipalpis (Diptera: Psychodidae)
  • Orientador : CARLOS HENRIQUE NERY COSTA
  • Data: 29/06/2020
  • Mostrar Resumo
  • A manutenção de colônias de insetos hematófagos requer o uso de animais como fonte alimentar sanguínea, o que constitui um problema para a maioria dos laboratórios de pesquisa com este fim. Desse modo, o aprimoramento de técnicas alternativas para a alimentação artificial é fundamental para atender esta demanda e assim manter colônias de insetos em laboratório.  Neste trabalho, a eficiência da técnica de alimentação artificial para a manutenção de uma colônia de Lutzomyia longipalpis foi avaliada. A pesquisa foi conduzida a partir de uma colônia estabelecida no Laboratório de Leishmanioses vinculado ao Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela e Universidade Federal do Piauí. Para este fim, um alimentador artificial de vidro (SPELLGLASS) foi acoplado a um banho-maria com fluxo constante de sangue e água a 36ºC para simular as condições de repasto sanguíneo. As variáveis: membrana, tipo de sangue e anticoagulante foram testadas e os resultados comparados com a técnica padrão, que consiste no uso de animais como fonte alimentar sanguínea. As membranas empregadas foram: pele de pinto (Gallus gallus domesticus), cápsula de Glisson, intestino bovino, intestino suíno, intestino suíno preparado industrialmente, Parafilm®, látex, plástico filme e luva de vinil. Como fonte alimentar sanguínea foi empregado sangue humano e bovino, desfibrinado ou previamente preparados com anticoagulantes como ácido etilenodiamino tetra-acético (EDTA) e heparina. Em todos os experimentos, fêmeas de L. longipalpis permaneceram expostas ao dispositivo de alimentação por uma hora. Considerando as variáveis elencadas, os parâmetros avaliados para estimar o sucesso do experimento foram: o número de fêmeas alimentadas, número de ovos postos e número de larvas eclodidas. Entre todas as membranas testadas, a pele de pinto e intestino bovino resultaram em fêmeas alimentadas. Ao avaliar a atratividade dos insetos à fonte alimentar bem como o desenvolvimento de formas imaturas de L. longipalpis após o repasto sanguíneo, observou-se que a membrana de alimentação pele de pinto, aliada ao sangue humano, revelou resultados significativos. O uso de diferentes anticoagulantes não influenciou na progressão do ciclo biológico do inseto nos experimentos. A análise dos resultados obtidos permite-nos inferir que as técnicas da alimentação artificial avaliadas, embora bastante promissoras, ainda não substituem o uso de animais vivos em condições laboratoriais para alimentação de L. longipalpis.

  • ADRIANA RODRIGUES ALVES DE SOUSA
  • Avaliação do risco de lesões por posicionamento cirúrgico em hospital de ensino
  • Orientador : MARIA ZELIA DE ARAUJO MADEIRA
  • Data: 26/06/2020
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: O posicionamento cirúrgico é um relevante critério para a segurança do paciente no perioperatório, quando não realizado de forma correta é responsável por vários danos, que podem variar de lesões de pele à lesões nervosas, contribuindo para o aumento da morbimortalidade dos pacientes cirúrgicos. Os pacientes cirúrgicos sobre o efeito da anestesia, associado ao longo tempo sobre mesa cirúrgica encontram-se numa condição de fragilidade e risco aumentado para o desenvolvimento de lesões por posicionamento cirúrgico. OBJETIVO: Analisar o risco para ocorrência de lesões decorrentes do posicionamento cirúrgico em pacientes submetidos a cirurgias eletivas em hospital universitário; Caracterizar o perfil cirúrgico dos pacientes, segundo as variáveis sociodemográficas, clínicas e relacionadas ao procedimento anestésico cirúrgico;Identificar os pacientes conforme o escoreda escala de Avaliação de Risco para o Desenvolvimento de Lesões decorrentes do Posicionamento Cirúrgico do Paciente (ELPO) para o risco da ocorrência de lesões perioperatórias por posicionamento;Investigar a relação entre os escores de ELPO, as variáveis sociodemográficas, clínicas e anestésico-cirúrgicas;Avaliar as tecnologias utilizadas para prevenir a ocorrência de lesões por posicionamento cirúrgico.MÉTODO: Trata-se de um estudo de abordagem quantitativa, descritivo, observacional e transversal. Realizada junto a 100 pacientes submetidos a cirurgias eletivas de média e alta complexidade, no hospital universitário da UFPI, no município de Teresina-PI, conforme parecer de aprovação do CEP nº2.256.571 no período de julho de 2019 a maio de 2020. RESULTADOS: Foi aplicada a escala da Escala de avaliação de Risco para o Desenvolvimento de Lesões Decorrentes do Posicionamento Cirúrgico (ELPO) em 100 pacientes cirúrgicos. Os pacientes tinham em média 50 anos de idade, maioria declara ser da cor branca (53,00%), apresentavam pelo menos uma comorbidade (67,00%), as mais frequentes foram hipertensão arterial sistêmica (71,64%) e diabetes mellitus (26,87%), a especialidade cirúrgica mais comum foi a cirurgia geral (34%), prevaleceu nos pacientes o escore ASA II (47%), a anestesia geral (74%), o posicionamento cirúrgico com maior ocorrência foi decúbito dorsal (75,00%), com uso de superfície de suporte (100,00%), rígida (43,00%), sem o uso de coxim (58,00%). Segundo a classificação dos pacientes de acordo com a ELPO, a média geral de risco foi 17,03, classificado como baixo risco para lesões. DISCUSSÃO:Causas diversas favoreceram o aumento dos riscos de lesão por posicionamento cirúrgico dos pacientes neste hospital, dentre elas, a falta de equipamentos adequados para que o posicionamento ocorra da forma correta, a prática incorreta do posicionamento cirúrgico e o pouco envolvimento do enfermeiro nessa prática, conferindo mais risco para esses pacientes, ou seja, antes de classificá-los de acordo com a ELPO, o ideal seria uma solução dos entraves institucionais para que a pontuação da ELPO fosse próxima do real, caso contrário, essa classificação pode não representar a realidade da instituição. CONCLUSÃO: Existem mais fatores, além dos pontuados pela escala ELPO, que interferem diretamente no risco de lesão por posicionamento cirúrgico para uma classificação mais real, considerando a realidade das instituições de saúde do país, que na maioria das vezes, as causas econômicas acabam somando mais riscos a esses pacientes, o que impacta significativamente na classificação do risco dos mesmos.

  • ROBERTA DUARTE BEZERRA PINTO
  • AVALIAÇÃO DERMATOSCÓPICA PRÉ-OPERATÓRIA PARA DEFINIÇÃO DE MARGENS CIRÚRGICAS LATERAIS DE CARCINOMAS BASOCELULARES
  • Orientador : LAURO LOURIVAL LOPES FILHO
  • Data: 25/06/2020
  • Mostrar Resumo
  • O carcinoma basocelular (CBC) é a neoplasia mais frequente nos seres humanos e o câncer de pele mais  comum. Se não tratado, possui capacidade invasora local, levando a significante destruição tecidual adjacente. A excisão cirúrgica completa da neoplasia corresponde a uma das formas de tratamento, entretanto é comum ocorrer excisão incompleta. Para se realizar a excisão cirúrgica de uma lesão tumoral, demarcamos a lesão clínica e a margem lateral de segurança. Caso essa margem ainda contenha componente tumoral, tal fato pode levar a recorrência (risco de 17%). Existem diretrizes que indicam que margens laterais de segurança adequadas devem variar de 3 a 10 mm de área. Em casos selecionados, como em tumores na face e pescoço associados a bordas bem definidas, margens laterais de 2mm bastam para excisão completa do tumor em 95% dos casos. A dermatoscopia ou microscopia de epiluminescência corresponde a um exame de imagem não invasivo, de baixo custo e com a capacidade de mostrar estruturas que podem corresponder a remanescentes tumorais. Uma vez aplicado nas margens laterais dos carcinomas basocelulares a serem excisados, pode ser que sejam vistas estruturas extras além das que foram vistas durante o exame clínico, o que confere benefício ao se ampliar essas margens e promover a retirada completa da neoplasia. Assim, objetivou-se investigar os benefícios da aplicação da dermatoscopia nas margens lateriais tumorais antes do procedimento cirúrgico e avaliar quais estruturas dermatoscópicas mais aparecem nessas margens. Trata-se de uma pesquisa do tipo caso-controle, observacional, de abordagem qualitativa e quantitativa, dividida entre grupo com exame clínico e dermatoscópico (teste) e outro com exame clínico (controle) para a marcação das margens tumorais. Foi realizado no período de junho de 2019 a março de 2020 no Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí. Os sujeitos incluídos na pesquisa foram 45 pacientes com CBC, sendo 23 para o grupo teste e 22 para o grupo controle. Não poderiam ser incluídos portadores de CBCs morfeiformes, recorrentes, superficiais multifocais; de síndrome de Gorlin-Goltz e aqueles CBCs presentes em áreas corporais onde o exame dermatoscópico não fosse acessível. Os dados foram avaliados por meio de análise descritiva e inferencial, considerando a variável com associação quando p<0,05 e intervalo de confiança de 95%. O trabalho foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí em 20 de maio de 2019, com o número de parecer 3334987. A prevalência foi do sexo feminino (64,44%), média de idade de 72 anos, maioria das lesões estava na face (no grupo controle índice foi de 86.36 % e no teste, 78.26 %), tamanho médio da área das lesões do grupo controle foi de 1.45 cm 2 e no grupo teste 1.34 cm 2 . A margem lateral da lesão no grupo teste foi livre em 100% dos casos e no controle em 95,45%, com p= 0,48. O subtipo histológico mais frequente foi o Nodular (53,3%) em toda amostra. A estrutura dermatoscópica mais comum foi o ninho ovóide (37,5%). Mesmo com as limitações de amostra, pode-se verificar que a dermatoscopia possui benefício na sua aplicação pré- cirúrgica, embora não tenha se obtido variação estatística significante para esta variável do estudo. Quanto às estruturas dermatoscópicas, este estudo mostra-se pioneiro e salienta que a existência destas nas bordas tumorais serve como um importante marcador para que a margem lateral tumoral seja expandida. Portanto, os resultados desta pesquisa são de suma importância, pois comprovaram a necessidade e a relevância de se avaliar com futuros estudos a aplicação da dermatoscopia pré operatória e quais estruturas dermatoscópicas devem ser avaliadas criteriosamente nas margens laterais dos carcinomas basocelulares.

  • JADIELSON DA SILVA SANTOS
  • Avaliação da estratégia de tratamento diretamente observado (TDO) em pessoas com tuberculose pulmonar.No município de Teresina-Piauí,no períodode 2007 a 2019.
  • Orientador : VIRIATO CAMPELO
  • Data: 22/06/2020
  • Mostrar Resumo
  • A tuberculose é uma doença infectocontagiosa causada pela bactéria que pertence ao
    complexo Mycobacterium tubeculosis. No Brasil, em 1998, o Programa Nacional de Controle
    da Tuberculose (PNCT) implantou o Tratamento Diretamente Observado (TDO), que é uma
    modalidade de tratamento da estratégia DIRECTLY OBSERVED TREATMENT Short
    Course (DOTS). Trata-se de uma política, cujos objetivos principais são: desenvolver vínculo
    com o usuário, estimular a adesão terapêutica e elevar as taxas de cura. Objetivo: avaliar a
    efetividade da estratégia de Tratamento Diretamente Observado (TDO), em pessoas com
    Tuberculose Pulmonar no Município de Teresina-PI, no Período de 2001 a 2019.
    Metodologia: trata se abordagem descritiva, utilizando o método quantitativo, para avaliar a
    estratégia de TDO realizada e não realizada por pessoas com Tuberculose Pulmonar, e o
    percentual de cura e abandono. Os dados foram obtidos através do Sistema de Informação de
    Agravos Notificados (SINAN). Resultados: o município de Teresina apresentou em relação a
    estratégia de TDO realizada por pessoas com TB pulmonar um percentual total de 34,96% e o
    percentual da estratégia de TDO não realizada de 25,34%. O percentual total de cura foi de
    37% e o percentual total de abandono foi de 33,65%. Conclusão: a estratégia de TDO
    realizado por pessoas com TB pulmonar teve o maior percentual. O percentual de cura, estar abaixo do percentual pactuado pelo ministério da saúde, e o percentual de abandono estar acima do pactuado pelo ministério da saúde.

     

  • BARUC BANDEIRA COSTA
  • GEORREFERENCIAMENTO DOS CASOS DE SÍFILIS EM GESTANTES E CONGÊNITA NO NORDESTE (2015-2018)
  • Orientador : LUISA HELENA DE OLIVEIRA LIMA
  • Data: 22/06/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A sífilis representa um grave problema de saúde pública mundial, sendo causada pelo Treponema pallidum, por relação sexual. A gestante infectada pode transmitir para o feto por via hematogênica, originando a sífilis congênita. Embora a Organização Mundial da Saúde e a Organização Pan-Americana da Saúde tenham realizado pactos para eliminar a sífilis congênita até 2015, houve um aumento considerável de casos nos últimos anos. Nesse contexto, o georreferenciamento é uma técnica que possibilita o dimensionamento longitudinal da ocorrência de uma doença em determinado espaço geográfico, facilitando a ação das equipes de Vigilância em Saúde. Objetivo: Assim, o presente estudo objetivou georrefenciar a sífilis em gestante e congênita no Nordeste, entre os anos de 2015 e 2018, caracterizando sua ocorrência a fatores sociodemográficos. Métodos: Trata-se de um estudo ecológico, de série temporal, analítico e descritivo. Foi realizado o georreferenciamento dos casos de sífilis gestacional e sífilis congênita no Nordeste, entre os anos de 2015 a 2018, registrados no Sistema Nacional de Agravos de Notificação. Os dados foram coletados no Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde e no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, sendo inseridos no Software QGIS 3.8 Zanzibar para distribuição espacial. Os resultados foram apresentados em tabelas, gráfico, mapas temáticos e foi utilizada a estatística descritiva para análise dos dados, de maneira que a taxa de detecção da sífilis em gestante e a taxa de incidência da sífilis congênita fossem evidenciadas. Resultados: Assim, foi registrado um total de 36.468 casos de sífilis em gestantes e 26.768 casos de sífilis congênita entre os anos de 2015 e 2018 para todo o Nordeste. Houve um grande aumento da taxa de detecção de sífilis em gestantes, da taxa de incidência de sífilis congênita e do coeficiente de mortalidade por sífilis congênita em menores de um ano de idade. O georreferenciamento dos casos apontou uma alta prevalência de sífilis em gestantes com faixa etária entre 20 e 30 anos, de baixa escolaridade, principalmente 5ª a 8ª série incompleta. Os estados mais populosos do Nordeste, como Bahia e Pernambuco registraram os maiores índices de pré-natal inadequado, de tratamento inadequado para a sífilis em gestantes e as maiores perdas nas quantidades de Equipes de Saúde da Família, segundo o georreferenciamento. Estados com os menores Índices de Desenvolvimento Humano e Produto Interno Bruto, apontaram alta incidência de sífilis congênita em crianças de mães que realizaram pré-natal tardio entre o 2º e 3º trimestres gestacionais e alta prevalência de adolescentes com sífilis gestacional. Ficou evidenciada uma forte influência do acompanhamento nos serviços de saúde, faixa etária jovem e baixa escolaridade sobre a incidência de sífilis em gestantes e congênitas, em todos os estados da Região Nordeste. Conclusão: Dessa forma, foi possível concluir com o georreferenciamento que há uma diferença entre os casos de sífilis em gestantes e de sífilis congênita em todos os estados nordestinos, colocando um alerta às equipes de Vigilância em Saúde, uma vez que o registro dos casos pode não refletir a realidade da ocorrência da doença. As variáveis sociodemográficas destacadas apresentaram forte influência sobre os casos. Além disso, em todos os estados, as ações de Saúde Coletiva precisam melhorar para a garantia do acesso à saúde.

  • FRANCISCO MAURÍLIO DA SILVA CARRIAS
  • EFEITOS CARDIORRESPIRATÓRIOS DA RETIRADA PRECOCE DO LEITO NO PÓS-OPERATÓRIO DE CIRURGIA CARDÍACA
  • Orientador : MAURICIO BATISTA PAES LANDIM
  • Data: 18/06/2020
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A cirurgia cardiovascular traz uma série de repercussões ao sistema respiratório e a imobilidade prolongada do pós-operatório pode gerar descondicionamento físico, perda de massa muscular e perdas funcionais que interferem nas atividades de vida diárias. A fisioterapia visa estimular o retorno mais breve às atividades físicas cotidianas, manter a capacidade funcional, desenvolver a confiança do paciente e minimizar complicações pulmonares. OBJETIVO: Verificar as repercussões cardiorrespiratórias da sedestação precoce, fora do leito, em pacientes submetidos à cirurgia cardíaca eletiva. MÉTODOS: Trata-se de um estudo clínico, intervencionista e de caráter quantitativo, realizado em uma Unidade de Terapia Intensiva Cardíaca de um hospital privado referência em cardiologia de Teresina Piauí, no período de setembro a dezembro de 2019. Foram incluídos os pacientes que foram admitidos na UTI no pós- operatório de cirurgia cardíaca e que estavam hemodinamicamente estáveis. A priori foram registrados dados do prontuário e, nas primeiras 24- 48 horas, os pacientes realizaram a sedestação precoce, fora do leito, sendo monitorizados durante as duas horas realizadas durante o procedimento. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa e para análise estatística utilizou-se o Programa Stata/SE 16. RESULTADOS: Dos 20 pacientes, a maioria eram homens (75%), com média de idade 67,76±9,61e 75% realizou revascularização do miocárdio. Não foram observados efeitos adversos significativos durante a sedestação. Após a realização do teste T de student, mas houve aumento da frequência cardíaca (p=0,0099), respiratória (&lt;0,0001), PaO2 (p=0,0007) e da quantidade de liquido drenado (p=0,0066) CONCLUSÃO: A retirada precoce não gerou instabilidade hemodinâmica tampouco respiratória, mostrando ser uma estratégia de reabilitação funcional segura e viável ao paciente pós-cirúrgico.

  • MARCELA AGUIAR REIS GONÇALVES
  • FATORES ASSOCIADOS A LESÕES PRECURSORAS E CÂNCER EM PÓLIPOS DE ENDOMÉTRIO DE MULHERES SUBMETIDAS À POLIPECTOMIA
  • Orientador : IONE MARIA RIBEIRO SOARES LOPES
  • Data: 17/06/2020
  • Mostrar Resumo
  • Os pólipos endometriais são projeções focais do endométrio. A prevalência de lesões precursoras e câncer nos pólipos do endométrio é baixa. Entretanto, há estudos que tentam relacionar diferentes parâmetros clínicos e epidemiológicos à ocorrência de neoplasia maligna associada aos pólipos, tais como idade, tempo após a menopausa, obesidade, hipertensão arterial, diabetes mellitus, terapia hormonal, utilização de tamoxifeno, tamanho do pólipo e sangramento uterino anormal. Este estudo teve como objetivo principal analisar a incidência e os fatores associados às lesões precursoras e câncer em pólipos de endométrio de mulheres submetidas à polipectomia. Trata-se de um estudo transversal retrospectivo de natureza descritiva e quantitativa, realizado em um hospital de ensino de referência. A população estudada foi composta por 186 mulheres, com base em cálculo amostral, que realizaram polipectomia histeroscópica no hospital em estudo. Foram excluídas as pacientes menores de 18 anos e as com laudos dos exames ausentes ou incompletos. Os dados foram processados no software estatístico Statistical Package for Social Sciences, versão 21.0. As associações de interesse foram verificadas utilizando-se o teste qui-quadrado e teste exato de Fisher, adotando-se nível de significância de p ≤0,05. A incidência de casos positivos para malignidade no estudo foi de 5,4%. A média de idade foi de 51,44(±11,48) anos para biópsia negativa e 49,97(±11,63) para pacientes com biópsia positiva. No estudo, o IMC médio encontrado nas pacientes com pólipos sem malignidade foi de 32,13kg/m 2 (±6,12) e este foi maior para as pacientes com biópsia positiva (35,58kg/m 2 ±6,24). O sintoma mais relatado pelas pacientes foi o sangramento uterino anormal, tanto para os casos de pólipos benignos (42,9%), quanto malignos (44,4%). A maioria das mulheres encontrava-se no menacme/ pré-menopausa, 62,3% (benignos) e 77,8% (malignos). O tamanho médio dos pólipos foi 2,2cm (±1,3). Houve associações significativas entre sangramento pós menopausa e hipertensão, diabetes, obesidade e hipotireoidismo. Em relação a malignidade, foi encontrada uma chance de 5,4 vezes maior para mulheres com infertilidade. Entretanto, o tamanho dos pólipos maior que 2cm foi associado a biópsias benignas. Apesar dos fatores de risco para malignidade estarem mais presentes na pós-menopausa, neste estudo houve uma maior prevalência e incidência de pólipos endometriais no menacme e pré-menopausa.

  • PATRÍCIA VIRNA SALES LEÃO
  • Modulação da resistência à antibióticos tradicionais pela Riparina b em isolados clínicos de Acinetobacter baumannii.
  • Orientador : JOSIE HAYDEE LIMA FERREIRA PARANAGUA
  • Data: 05/06/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Bactérias multirresistentes são responsáveis por elevados coeficientes de morbimortalidades em países de todo o mundo, exigindo desenvolvimento de novas estratégias de prevenção e tratamento. O Acinetobacter baumannii é um importante patógeno oportunista causador de infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS) severas, especialmente em unidades de terapia intensiva (UTI). Objetivo: Investigar a atividade antimicrobiana da Riparina B (Rip - B) isoladamente e em associação com antibióticos tradicionais contra cepas multirresistentes de A. baumannii. Metodologia: As concentrações inibitórias mínimas (CIMs) foram determinadas pelo método de microdiluição. Para a avaliação da atividade moduladora da resistência, a CIM dos antimicrobianos foi determinada na presença e na ausência de uma concentração subinibitória de Rip – B, Clorpromazina (CPZ) ou Brometo de Etídio (EtBr), inibidores conhecidos de bombas de efluxo bacterianos. Resultados: Os resultados mostraram que a Rip – B apresenta fraca atividade antibacteriana intrínseca contra as cepas testadas. Por outro lado, quando a Rip - B foi associada aos antibióticos e em concentrações subinibitórias, provocou redução significativa (p<0,0001) nos valores de CIM dos antibióticos Norfloxacina, Amicacina e Ceftazidima contra cepas de A. baumannii expressando fenótipo de resistência mediada por bombas de efluxo. Tal efeito modulador não foi evidenciado nas cepas que, embora resistentes, não expressavam fenótipo de resistência mediada por bombas de efluxo. 

  • RUTH CAMA LOUIS JEAN
  • “EXPRESSÃO DO BIOMARCADOR KI-67 NA PARENQUIMA MAMÁRIO E VAGINAL DE RATAS EM ESTRO PERMANENTE TRATADAS COM ANASTRAZOL”
  • Orientador : BENEDITO BORGES DA SILVA
  • Data: 15/05/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Atrofia vaginal e o câncer mamário hormônio sensível são condições comuns em mulheres pós - menopáusicas e o tamoxifeno, por sua vez, é a terapia endócrina padrão para esta doença, todavia apesar de mostrar efeito trófico vaginal pode provocar reações endometriais graves, daí a busca de endocrinoterapia alternativa. Objetivo: avaliar a expressão do antígeno Ki-67 no epitélio vaginal de ratas em estro permanente tratadas com anastrazol. Materiais e métodos: selecionadas 42 ratas induzidas ao estado de estro permanente e dividas em 2 grupos: grupo I (controle, n=21) o qual foi administrado 0,1 ml/animal/dia de propilenoglicol e grupo II (experimental n=21) receberam 0,5 mg/Kg ou 0,125 mg/animal/dia de anastrazol diluído em 0,1ml de propilenoglicol. Avaliação imunohistoquímica do marcador Ki-67 foi realizada e verificada criteriosamente com análise microscópica as células do epitélio vaginal. Resultados: A microscopia de luz mostrou uma maior concentração de células com núcleo corados em marrom com anti-Ki-67 no grupo controle do que no grupo experimental. A porcentagem média de núcleos corados com Ki-67 por 500 células no epitélio vaginal foi de 68,64 ± 2,64 e 30,46 ± 2,00 [média +/- erro padrão da média (SEM)] nos grupos controle e experimental, respectivamente (p <0,003). Conclusões: O presente estudo mostrou que o anastrazol, na dose e duração do tratamento utilizado, induziu uma diminuição significativa na proliferação celular da mucosa vaginal de ratas no estro permanente, avaliado pela expressão da proteína Ki-67.

  • LARISSA CAMPOS RODRIGUES PINHEIRO MARINHO
  • OS ENTRELACES DA INTEGRAÇÃO ENSINO-SERVIÇO-COMUNIDADE NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: UMA ABORDAGEM INSTITUCIONAL.
  • Orientador : JOSE IVO DOS SANTOS PEDROSA
  • Data: 13/03/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A Integração Ensino-Serviço-Comunidade (IESC) é um dos pilares fundamentais para a reorientação do ensino na saúde no Brasil. O trabalho integrado de estudantes, professores, trabalhadores do serviço e gestores é pactuado visando a qualidade da atenção à saúde da comunidade, o desenvolvimento dos trabalhadores dos serviços e uma nova maneira de pensar a formação em saúde. É nesse contexto, que a compreensão do grau de institucionalização da IESC na parceria entre a Universidade Federal do Piauí (UFPI) e a Estratégia de Saúde da Família (ESF) de Teresina, traz a reflexão sobre a materialização do desejo de unir a formação com a realidade dos serviços de saúde por meio do Contrato Organizativo Ensino-Saúde (COAPES), e qual a real organização das práticas de integração existentes. Objetivo: A pesquisa objetivou identificar o grau de institucionalização existente para a integração ensino-serviço-comunidade entre a Universidade Federal do Piauí e a Estratégia Saúde da Família em Teresina. Metodologia: A pesquisa é caracterizada como um estudo transversal, observacional e de abordagem qualitativa. As informações foram obtidas de documentos oficiais que regulamentam a IESC e os dados coletados através de entrevistas com discentes dos cursos de medicina, enfermagem e odontologia, docentes coordenadores das disciplinas de estágio extramuros, trabalhadores do serviço que são preceptores, gestores municipais, e usuários, todos presentes na ESF de Teresina. A coleta de dados foi realizada nas seguintes etapas: levantamento documental dos instrumentos legais que regem a IESC entre a UFPI e a FMS de Teresina, entrevistas semiestruturadas com os gestores da FMS, com os coordenadores das disciplinas de estágios extramuros da UFPI, e com os profissionais preceptores da ESF de Teresina; entrevista estruturada com discentes dos cursos de medicina, enfermagem e odontologia da UFPI campus central, e entrevista aberta com usuários da ESF que são atendidos por discentes dos cursos de medicina, enfermagem e odontologia da UFPI em Teresina. Resultados e discussão: A IESC que ocorre nos territórios adscritos pela ESF de Teresina ainda segue os moldes frágeis de uma relação convenial.  Os sujeitos envolvidos não reconhecem o COAPES como documento institucionalizador da IESC, e não tem conhecimento de suas atribuições operacionais para a orientação das práticas de ensino no serviço. Os arranjos institucionais envolvidos para a ocorrência da IESC encontram-se centralizados nos departamentos relacionados à saúde coletiva dos cursos e em núcleo específico da FMS. A IESC foi reconhecida como um dispositivo não só de aperfeiçoamento técnico, de ganho de autonomia profissional e agilidade no atendimento, mas também de desenvolvimento de habilidades sociais com a melhoria da comunicação e humanização no cuidado do paciente. Os sujeitos entrevistados discorreram, ainda, sobre a contribuição da presença dos estudantes nos campos de práticas para a educação permanente dos profissionais do serviço e para a melhoria do processo de trabalho na ESF. Considerações Finais: Considera-se que o grau de institucionalização existente para a integração ensino-serviço-comunidade entre a UFPI e a ESF de Teresina não pode ser considerado forte. Apesar da IESC estar cristalizada no COAPES vigente, no nível das práticas, estas não condizem adequadamente com as reponsabilidades mútuas e específicas das instituições e não são construídas coletivamente com a implicação de gestores, docentes, discentes, preceptores e usuários do serviço.

     

  • RAFAEL LEVI LOUCHARD SILVA DA CUNHA
  • ÂNGULO DE FASE COMO PREDITOR DE DESEMPENHO FÍSICO EM TESTE DE CORRIDA ATÉ A EXAUSTÃO.
  • Orientador : VIRIATO CAMPELO
  • Data: 11/03/2020
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: O Ângulo de Fase (AF) é uma variável determinada pela
    Bioimpedância Elétrica (BIA) que vem ganhando atenção nos últimos anos. Acredita-
    se que AF pode fornecer importantes dados clínicos a serem aplicados na ciência do
    esporte, uma vez que atletas são regularmente submetidos esforços expressivos e
    exigem adequada recuperação celular. OBJETIVO: Analisar a associação do AF
    com o desempenho esportivo em teste de corrida até a exaustão. METODOLOGIA:
    Estudo clínico, randomizado, com delineamento crossover, realizado corredores
    amadores com idade entre 18 e 40 anos de idade que foram submetidos a um
    protocolo composto de quatro estágios: 1) teste ergoespirométrico para determinar o
    consumo de oxigênio e adotar o valor para a carga usada nas demais etapas; 2)
    protocolo controle sem hidratação (PC); 3) protocolo experimental (PE) que consistia
    em dois estágios distintos onde em cada estágio o voluntário fazia a ingestão de
    uma bebida diferente (Isotônico Gatorade® e água). Os participantes foram
    submetidos a um teste de exaustão em esteira a VO 2máx e 1hora de recuperação em
    repouso. Todos os estágios foram divididos em dois momentos, momento um (M1) e
    momento dois (M2), que correspondiam ao pré e pós teste físico, respectivamente.
    Foram feitas também avaliações: antropométricas (peso e estatura); composição
    corporal (massa muscular, percentual de gordura, ângulo de fase, água intracelular - 

    AI e extracelular - AE) e desempenho físico. Os dados foram analisados por meio do
    programa estatístico SPSS for Windows 20.0. RESULTADOS: De acordo com os
    resultados obtidos, o AF da perna avaliado por BIA mostrou correlação significativa
    com o desempenho apenas no grupo controle, sendo que os grupos-testes não
    houve correlação significativa. Para os demais parâmetros funcionais e de
    composição corporal, não foi verificada associação com o desempenho físico. No
    tocante à AE, após o teste de corrida verificou-se que houve redução significativa
    em todos os grupos. Já com relação à AI, os valores diferiram no grupo Gatorade,
    ainda que não houvesse diferença significativa entre as bebidas ingeridas.
    CONCLUSÃO: Os parâmetros AF e água corporal podem ser importantes para a
    monitorização de praticantes desportivos, incluindo os de médio rendimento,
    podendo prever possíveis danos na integridade das células provenientes de cargas
    de treino excessivas, porém, as investigações correlacionadas ainda mostram
    resultados controversos e ainda há muito o que se elucidar sobre o AF como preditor
    de desempenho, sendo necessários novos estudos para ratificar esta hipótese.

  • BRUNA LORENA SOARES CAVALCANTE SOUSA
  • “EFEITOS DA QUIMIOTERAPIA NO ESTADO NUTRICIONAL, NA CAPACIDADE FUNCIONAL E NA FUNÇÃO AUTONÔMICA DE MULHERES COM CÂNCER DE MAMA”
  • Orientador : MARCOS ANTONIO PEREIRA DOS SANTOS
  • Data: 27/02/2020
  • Mostrar Resumo
  • O câncer de mama, à exceção dos tumores de pele não melanoma, é o mais incidente entre as mulheres do país, ocupando o primeiro lugar em todas as regiões brasileiras, exceto na região Norte. Em consequência do tratamento quimioterápico, pode haver complicações silenciosas, dose-dependente. Objetivo: Avaliar o efeito da quimioterapia no estado nutricional, na capacidade funcional e na função autonômica de mulheres com câncer de mama. Metodologia: Consistiu em um estudo observacional, descritivo, com abordagem quantitativa e delineamento longitudinal. Participaram de maneira voluntária 10 mulheres com diagnóstico de câncer de mama recente, com data prevista para o início da quimioterapia neoadjuvante ou adjuvante, idade acima de 18 anos, em condições clínicas estáveis mediante apresentação de autorização médica, permitindo a realização dos métodos de avaliação propostos pelo estudo. Por meio de uma entrevista e avaliação direta, foram investigadas variáveis sociodemográficas e clínicas. Posteriormente, foram realizadas as avaliações para investigação do estado nutricional e da capacidade funcional, por meio da bioimpedância, dinamometria manual, teste de caminhada de 6 minutos e nível de atividade física. Para análise da função autonômica, foi investigada a variabilidade da frequência cardíaca em repouso. Ao término da quimioterapia, as participantes foram reavaliadas nos aspectos funcionais e autonômicos. Os dados foram tabulados, média e desvio padrão calculados, posteriormente, avaliada a normalidade por teste de Levene, comparação das médias por teste t pareado, effect size da amostra por d de Cohen e correlação entre as variáveis por correlação de Pearson, considerando p<0,05 através do SPSS®, versão 20.0 for Windows. Resultados: Em relação aos dados sociodemográficos, a faixa etária de 45 a 65 anos teve maioria  (70%), 60% declararam ter pele branca, 80% ter companheiro estável, 70% concluíram o ensino superior, 60% exercem atividade remunerada e 60% relatam ter renda familiar acima 3 salários mínimos. Diante da antropometria, com base no IMC, 60% das mulheres estavam acima do peso, enquanto os potenciais riscos cardiovasculares por meio da medida de circunferência da cintura, foi apresentado 40% muito elevado. Quanto às variáveis clínicas, 70% encontravam-se na pré menopausa, 40% delas apresentaram consumo de bebida alcoólica e 20% de tabaco nos anos anteriores. 20% apresentavam comorbidades associadas, dentre elas, diabetes e câncer de pele tratado tardiamente. Quanto ao tipo histológico da formação tumoral, predominou o lobular invasivo, com 60% da amostra, logo, o subtipo mais frequente foi o Luminal A com 50%, onde prevaleceu o estadiamento I com 90% dos casos. Em relação a proposta terapêutica, 60% quimioterapia neoadjuvante, sendo que 80% realizou o esquema de doxorrubicina associada a ciclofosfamida e paclitaxel. Dados funcionais referente ao ângulo de fase de corpo inteiro (p=0,002, es=1,39) , ângulo de fase padronizado (p=0,002, es=1,41), dinamometria dominante (p=0, es=2,83), dinamometria não dominante (p=0,003, es=1,30)  e teste de caminhada de 6 minutos (p=0,007, es=1,09)  houve diferença significativa entre as médias pré e pós quimioterapia. Entretanto, o nível de atividade física (p=0,604, es=0,17), calculado por equivalente metabólico, valor em MET, não houve diferença significativa. Na correlação entre as variáveis, a relação LF/HF apresentou -se baixa quando relacionada ao ângulo de fase de corpo inteiro (r=0,477), dinamometria dominante (r=0,486), capacidade funcional aeróbica (r=-0,253) e nível de atividade física (r=0,250), enquanto o ângulo de fase padronizado (r=0,587)  manifestou relação moderada. Conclusão: O estado nutricional e a funcionalidade física e autonômica revelaram-se comprometidas pós quimioterapia. Levando em consideração a associação moderada entre o ângulo de fase padronizado e o balanço autonômico, considerou-se a variabilidade da frequência cardíaca como medida potencialmente sensível no rastreio de comorbidades.

     

  • CLARISSE MARIA BARBOSA FONSECA
  • Histomorfometria e imunohistoquímica da glândula parótida de cães naturalmente infectados
  • Orientador : AIRTON MENDES CONDE JUNIOR
  • Data: 12/02/2020
  • Mostrar Resumo
  • A leishmaniose visceral canina é uma importante doença zoonótica. Por
    ser uma enfermidade sistêmica pode afetar qualquer órgão e tecido do hospedeiro. Logo, a
    presente pesquisa está destinada a executar um estudo histopatológico, morfométrico e
    proteômico da glândula parótida de cães naturalmente infectados com Leishmania sp. tratados
    ou não com Alopurinol em combinação com um imunomodulador. Quinze cães machos e
    fêmeas, sem raça definida forma selecionados e distribuídos em três grupos: controle (animal
    hígido), sem tratamento (sem medicação) e com tratamento com Alopurinol durante 90 dias
    em combinação com o imunomodulador, no total de seis doses a cada três meses. Estes foram
    acompanhados durante 360 dias. Posteriormente, os animais foram eutanasiados e coletada a
    glândula parótida para a execução das técnicas histopatológicas, morfométrica e imuno-
    histoquímica usando o anticorpo anti-β-catenina. A avaliação histopatológica e morfométrica
    apresentou hipertrofia acinar, desorganização estrutural e aumento da área e do perímetro nos
    grupos tratados e não tratados. De acordo com a reação imuno-histoquímica, a marcação de β-
    catenina na membrana foi reduzida qualitativamente no grupo tratado e não tratado. A
    resistência ao medicamento desta pesquisa representa um impacto significativo da doença
    podendo apresentar-se como problema de saúde pública e veterinária.

  • GILBERTO ALBERTO MADEIRA NETO
  • FATORES DE RISCO DE SEPSE EM PACIENTES INTERNADOS EM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO.
  • Orientador : VIRIATO CAMPELO
  • Data: 07/02/2020
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Sepse é uma síndrome multifatorial que se manifesta do desiquilíbrio da resposta fisiológica inerente a uma infecção ocasionando uma disfunção orgânica. Os fatores condicionantes destas respostas são avaliados a partir das condições de saúde do paciente e eventos inerentes a sua internação hospitalar. OBJETIVO: Analisar os fatores de risco de sepse e suas associações em Hospital Terciário de Teresina-PI. METODOLOGIA: No qual foi realizado coleta de dados em portuários da aplicação de gerenciamento do Hospital Universitário (AGHU), juntamente com o banco de dados de notificação de infecção relacionada a assistência de saúde (IRAS) da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH), os quais foram correlacionados aos critérios de escore qSOFA para posto de internação e SOFA para UTI no intuito de classificação para Sepse. Os dados foram apresentados média, desvio padrão e comparação dos grupos que foi realizada pelo Teste exato de Fisher. Para análise das associações de fatores de risco de sepse utilizou-se o teste de Qui-quadrado (p ≤ 0,05) e intervalo de confiança de 95%. RESULTADOS: Foram analisados 438 prontuários clínicos com IRAS e desses, 209 prontuários foram classificados como sepse durante o período de janeiro de 2018 e janeiro de 2019. O perfil de internação foi equivalente para o sexo masculino e feminino com média de idade de 60 anos com variação de 18 anos a 89 anos. A média de dias de internação foi de 64,5 dias, com 57, 9% de óbitos. Destaca-se o número de internações em UTI com 32,5%, com tipo de doença de admissão de foco vascular 27,3% e Neoplasias com 22,5%. As clínicas com maior prevalência de sepse foram a Clínica Média com 19,1% e Geriatria com 14,4%. Do total, 60,28% realizaram algum tipo de intervenção cirúrgica. Das IRAS correlacionadas 23,4% foram ITU-NAC e 17,7% IPCS Laboratorial. Os microrganismos isolados com maiores prevalências foram a Klebsiella pneumoniae com 20,6%, e Acinetobacter baumannii com 16,3%, sendo destes respectivamente multidrug resistent (MDR), 79,1% e 85,3%. As associações de fatores de risco de sepse com p<0,05 pode-se destacar faixa etária e tempo de internação (p=0.0034), Bactéria MDR e Tempo de internação (p=0,0001), procedimento cirúrgico e neoplasia (p=0,0071) e Doença de admissão Infecção e Óbito (p=0,0246). CONCLUSÃO: Concluiu-se que os fatores de risco de sepse e suas associações tem relação de interação e levam a crer que podem influenciar na condição de saúde e desfecho desfavorável para o paciente séptico.

  • ANTONIA FABIANA RODRIGUES DA SILVA
  • Análise do uso de intervenção telefônica, realizada por enfermeiro, no autocuidado para prevenção do pé diabético
  • Orientador : ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
  • Data: 06/02/2020
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo objetivou avaliar o efeito de uma intervenção telefônica de suporte à assistência em saúde tradicional, como estratégia de incentivo à prática do autocuidado com os pés, para prevenção do pé diabético em pessoas com DM2, acompanhadas na atenção básica. Trata-se de um ensaio clinico randomizado, para avaliar uma intervenção educativa, desenvolvido com 102 usuários com Diabetes Mellitus tipo 2, sendo 52 pertencentes ao grupo controle e 50 ao grupo intervenção, vinculados a quatro Unidades Básicas de Saúde em uma cidade no Piauí.  A coleta de dados foi realizada durantes os meses de dezembro de 2018 a julho de 2019 e foi dividida em três momentos: pré-intervenção, a intervenção educativa e pós-intervenção. Na pré-intervenção, para ambos os grupos, os participantes foram convidados a participar do estudo, a responder um formulário, a realizar medidas antropométricas, e posteriormente randomizados em um dos grupos. A intervenção educativa, para o grupo intervenção, ocorreu de forma sistematizada, consistiu em uma ligação telefônica, realizada por enfermeira treinada, a cada 15 dias, totalizando seis ligações durante três meses; e, para cada sessão da intervenção foi preenchido um formulário com o número de tentativas e duração das chamadas. O grupo controle não participou de nenhuma intervenção educativa vinculada ao projeto, mas apenas de atendimento convencional recebido nas unidades de saúde. Para realizar as análises estatísticas dos dados foram utilizados os softwares R versão 3.5.3 e o Statistical Package for Social Sciences (SPSS) versão 20. Para a variáveis qualitativas foram utilizadas as frequências absolutas e relativas, já para as quantitativas, utilizou-se média e desvio padrão. Para comparar o conhecimento e práticas sobre os cuidados com os pés em diabéticos, nos tempos antes e após a intervenção, por grupo, foi utilizado o teste de McNemar devido a característica de amostragem pareada. Nas comparações entre os grupos, foi utilizado o teste qui-quadrado de homogeneidade para comparar proporções. Para as variáveis contínuas, utilizou-se teste t de Student para amostras independentes com variâncias iguais. Para testar a homogeneidade das variâncias foi utilizado o teste de Levene. Em todos os testes foi utilizado um nível de 0,05 de significância. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisas com Seres Humanos da Universidade Federal do Piauí, parecer nº: 3.018.155 e está cadastrado na Plataforma de Registros Brasileiros de Ensaios Clínicos sob o número do UTN: U1111-1218-1886. Com relação ao perfil dos participantes, a maioria é, em ambos os grupos, do gênero feminino, com baixa escolaridade, idade média de 60 anos, casadas, com renda média de um salário-mínimo. Possuíam tempo de diagnostico, em média, de 8 anos e possuíam a hipertensão associada ao Diabetes Mellitus. Na avaliação do conhecimento e prática sobre os cuidados com os pés diabéticos no pré-teste, notou-se semelhança entre os grupos (valor de p > 0,05). Com relação a comparação intragrupo, entre o pré e o pós-teste no grupo controle, ao avaliar a prática dos pacientes diabéticos sobre os cuidados com os pés, em nenhuma variável houve diferença significativa (P> 0,005), já ao comparar a prática de autocuidado com os pés no grupo intervenção, nos tempos pré e pós-teste, nota-se o efeito positivamente significativo da intervenção, em que 70% dos itens avaliados obtiveram melhora, obtendo um valor de p <0,001 a 0,031. Em relação a comparação intergrupal no pré-teste, sobre a pratica de autocuidado com os pés, pode-se se observar, que não houve diferença estatística entre os grupos, já no pós-teste, obteve-se diferenças estatisticamente significativas (valor de p < 0,001 a 0,031). Conclui-se, a partir dos resultados alcançados, que a intervenção educativa via chamada telefônica, foi eficaz na sensibilização dos pacientes com DM2, melhorando o conhecimento sobre cuidados com os pés e estimulando-os a praticar tais cuidados, podendo assim, ser uma estratégia utilizada de forma complementar aos métodos convencionais de educação em saúde. 

     

     

  • TATIANA VICTORIA CARNEIRO MOURA
  • EFETIVIDADE DO SUPORTE TELEFÔNICO NO CONHECIMENTO SOBRE A TÉCNICA DE APLICAÇÃO DA INSULINA
  • Orientador : ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
  • Data: 06/02/2020
  • Mostrar Resumo
  • A aplicação da insulina está entre os erros mais comuns de medicações no mundo em todas as suas diversas etapas de utilização. Esses erros podem gerar problemas na absorção de tal medicamento, gerando dificuldades no controle glicêmico e maximizando complicações referentes a hiperglicemia. Nesse contexto, viu-se a necessidade de desenvolver uma intervenção educativa com o intuito de proporcionar conhecimentos sobre a aplicação da insulina. Objetivo: Objetivou-se avaliar a efetividade da intervenção educativa através do suporte telefônico sobre o conhecimento da técnica de aplicação de insulina. Método: Trata-se de um ensaio clínico pragmático randomizado realizado nos meses de dezembro de 2018 a março de 2019, na cidade de Picos-PI com todos os diabéticos insulinodependentes e que recebem a insulina através da secretária de saúde, assim a amostra foi composta por 79 participantes. A coleta de dados ocorreu em três fases, a primeira era a aplicação do pré-teste através de uma entrevista semiestruturada, norteada pelo instrumento de coleta de dados, logo após foi feito à randomização dos participantes através do programa chamado Research Randomizer para alocação em grupos de intervenção e controle. A segunda fase foi composta por ligações telefônicas quinzenalmente durante dois meses, para os participantes alocados no grupo de intervenção. A terceira fase foi realizada depois de quinze dias após a última ligação do grupo de intervenção, foi aplicado o pós-teste para todos os participantes de ambos os grupos. Os dados foram processados no programa estatístico Statistical Package for the Social Sciences – SPSS versão 20, foram usados os testes de McNemar, qui-quadrado e teste exacto de Fisher. O nível de significância adotado foi de p<0,05. O projeto obteve parecer favorável no comitê de ética sob o número 3.018.16. Resultados: Das pessoas que se auto aplicavam a insulina 61,5% era do sexo feminino, 51,9% casadas, 44,2% tinham o fundamental 2 incompleto, 30,8% trabalham e tinham uma média de idade de 56 anos. Em relação as variáveis clínicas 83,5% tinha diabetes tipo 2, com tempo de aplicação da insulina de um a cinco anos (48,1%), 68,4% usavam a insulina duas vezes por dia e 39,2% receberam orientação sobre a aplicação do enfermeiro. O acompanhamento por telefone demonstrou-se eficiente com valores estatisticamente significativos em 19 das questões do grupo de intervenção. Nos itens sobre a técnica de preparo da insulina observou-se melhoria da maior parte das respostas. Deve-se destacar os itens com maior valor de significância no pós-teste do grupo de intervenção, são eles: reutiliza a seringa p<0,001, limpa a tampa do frasco, homogeneíza a insulina rolando o frasco entre as mãos, injeta ar no frasco correspondente ao valor que devem aspirar, ambas respostas obtiveram p<0,001. Além disso, houve melhora no conhecimento sobre os locais de aplicação da insulina, onde após as intervenções: 67,6% usam a parte externa dos braços, 97,3% a região abdominal, 89,2% as laterais das coxas e 35,1% a região glútea. 100% realizavam a limpeza da pele antes da aplicação e 97,3% descartavam os perfuro cortantes em garrafas PET e levavam para o posto de saúde para o descarte correto. Conclusão: Conclui-se que as intervenções e o acompanhamento por telefone foram efetivos como estratégia de melhoria do conhecimento sobre as técnicas de aplicação da insulina. Nesse sentido, verificou-se que a intervenção educativa por telefone obteve efetividade em diversos aspectos de conhecimento sobre a prática de aplicação da insulina.

     

     

  • MONALISA SILVA MATOS
  • INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS POTENCIAIS EM PACIENTES DE UMA UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO
  • Orientador : MARCIA DOS SANTOS RIZZO
  • Data: 04/02/2020
  • Mostrar Resumo
  • A diabetes mellitus (DM) e a hipertensão arterial sistêmica (HAS) são duas das doenças crônicas não transmissíveis mais prevalentes na sociedade. Não raro encontram-se indivíduos diabéticos que apresentam HAS, por conta da associação entre os fatores de risco, fazendo com que esses pacientes que utilizam anti-hipertensivos e medicamentos hipoglicemiantes simultaneamente sejam mais susceptíveis às Interações Medicamentosas (IM). Diante disso, a presente pesquisa teve como objetivo avaliar interações medicamentosas potenciais em indivíduos adultos com histórico de hipertensão e diabetes atendidos em Unidade de Pronto Atendimento na cidade de Caxias – MA. Realizou-se um estudo observacional, de caráter descritivo e retrospectivo, onde foram avaliados 373 prontuários de pacientes com hipertensão e/ou diabetes, atendidos durante julho de 2016 até dezembro de 2018. Foram coletados dados sociodemográficos, clínicos e farmacológicos dos pacientes e realizada a identificação dos fármacos e a sua classificação de acordo com o Anatomical Therapeutic Chemical. Os medicamentos prescritos foram analisados quanto a ocorrência de IM expostas, reações adversas potenciais e classificados quanto a sua gravidade (alta, moderada e baixa). Empregou-se a estatística descritiva simples e analítica na análise dos dados, utilizando o software Statistical Packager for the Social Sciences, versão 18.0, além da aplicação do teste Qui-quadrado para verificação de possíveis associações. Os resultados mostraram que 61% do público atendido foi constituído por mulheres, com a média de idade de 62 anos, com média de 3,912 fármacos prescritos por paciente, sendo que 88,31% eram moradores da cidade de Caxias - Ma. Quanto as enfermidades, 248 pacientes atendidos apresentaram HAS, 71 pacientes HAS associada ao DM e 54 pacientes apresentaram somente DM. As classes terapêuticas mais utilizadas, de acordo com Anatomical Therapeutic Chemical, foram as destinadas para distúrbios do trato alimentar e metabolismo (30%), seguidas pelas classes com ação no sistema cardiovascular (19%), sistema nervoso e sistema linfohematopoiético, ambos com 15%. Dentre os anti-hipertensivos mais utilizados, a losartana foi o fármaco mais prescrito (86 receituários), enquanto para os antidiabéticos identificou-se a glibenclamida e metformina como sendo as mais utilizadas, com 23 prescrições cada. A IM mais presente entre indivíduos com HAS+DM foi a associação simultânea entre losartana com glibenclamida e metformina (n = 10). Ao avaliar a gravidade das IM em pacientes com HAS, DM e HAS + DM, constatou-se que a maioria era de gravidade moderada, com 51,10%, 51,79% e 62,42%, respectivamente. Entre os efeitos adversos encontrados em pacientes com HAS, a disfunção renal foi a mais frequente (13%), devido a associação entre captopril com dipirona e de losartana com dipirona. Em pacientes com DM, a hipoglicemia foi a reação adversa preponderante devido a associação de insulina e metformina em 33% das prescrições. Entre os pacientes atendidos com HAS+DM, as interações medicamentosas verificadas foram hipoglicemia, disfunção renal e aumento da pressão arterial, presentes em 9% dos receituários. Os dados obtidos sugerem que os pacientes com HAS e/ou DM são susceptíveis aos efeitos das IM devido ao número de fármacos associados, ressaltando a necessidade de profissionais capacitados para garantir a qualidade e segurança da terapêutica e, assim, minimizar e/ou prevenir as consequências dos efeitos decorrentes de potenciais associações entre fármacos.

     

     

  • VILTON EMANOEL LOPES DE MOURA E SILVA
  • EFEITOS DA SUPLEMENTAÇÃO CRÔNICA COM CAPSAICINA COMBINADO AO TREINAMENTO RESISTIDO NO DESEMPENHO FÍSICO, COMPOSIÇÃO CORPORAL, APETITE, RESPOSTA INFLAMATÓRIA E HORMÔNIOS DO TECIDO ADIPOSO EM ADULTOS JOVENS.
  • Orientador : FABRICIO EDUARDO ROSSI
  • Data: 27/01/2020
  • Mostrar Resumo
  • A capsaicina é um fitoquímico bioativo encontrado principalmente nas pimentas, o qual é um forte agonista do potencial receptor transitório vanilóide-1 (TRPV1). Apesar de diversos estudos terem demonstrado os benefícios da CAP na redução do peso corporal, os potenciais efeitos ergogênicos, como aumento do desempenho aeróbio e resistido, bem como, redução de gordura corporal, ganhos de massa livre de gordura e respostas inflamatórias, principalmente em humanos, não estão claros na literatura. Neste sentido, o presente trabalho teve como objetivo: 1- Revisar os efeitos da capsaicina na composição corporal (massa de gordura, massa livre de gordura) e desempenho físico de ratos e humanos com e sem exercício e discutir os potenciais mecanismos envolvidos na suplementação da capsaina; 2- Verificar os efeito de 6 e 10 semanas da suplementação com capsaicina combinado ao treinamento resistido no desempenho físico, composição corporal, apetite, respostas inflamatórias e hormônios do tecido adiposo em adultos jovens. A composição corporal e o desempenho foram avaliados pré-treinamento e após 6 e 10 semanas de treinamento resistido. Uma sessão aguda foi realizada pré-treinamento, após 6 e 10 semanas, a qual consistia de 3 séries no leg press e 3 séries no supino horizontal com 70% de 1RM e 90 segundos de intervalo, realizadas até a falha muscular concêntrica. Durante essas sessões foram realizadas coletas sanguíneas para a análise das respostas inflamatórias (IL-6, IL-10, TNFα e receptor de TNFα) após 6 semanas e para as análises de leptina e adiponectina após 10 semanas. A ingestão alimentar foi avaliada no dia da sessão aguda e a escala de percepção subjetiva de fome foi aplicada (Jejum, pós-café da manhã, pré-exercício, imediatamente após o exercício, pós 30 min e pós 1 hora). Após 6 semanas de suplementação, houve aumento da massa livre de gordura e diminuição da razão IL-6/IL-10 e aumento no receptor solúvel de TNFα apenas para o grupo CAP. Houve uma correlação significativa entre ∆% de IL-10 e ∆% de ganho de massa livre de gordura (r = 0,57, p = 0,011). Em relação a 10 semanas de suplementação, houve aumento significativo da massa corporal (p <0,001), massa livre de gordura (p <0,001) e força máxima aos 45 leg press (p <0,001) e supino (p <0,001) nos dois grupos após o treinamento, no entanto, sem diferença entre os tratamentos. Para classificações subjetivas da fome, ingestão de energia, concentração de leptina e adiponectina, não houve efeito significativo da capsaicina, mas houve uma correlação negativa, forte e significativa entre as alterações relativas da massa livre de gordura e as concentrações de leptina após 10 semanas de intervenção apenas no grupo capsaicina (rho = -0,66, p = 0,026), mas não para o placebo (rho = 0,16, p = 0,651). Pode-se concluir que, 6 semanas de suplementação de CAP combinada com treinamento resistido aumentaram a massa livre de gordura e promoveram uma menor resposta inflamatória pós-exercício e 10 semanas de treinamento resistido aumentaram a massa livre de gordura e a força muscular em homens saudáveis e sem treinamento, sem efeitos adicionais de Capsaicina. Além disso, os ganhos de massa livre de gordura parecem induzir uma diminuição na concentração de leptina.

  • LUÍS EDUARDO SOARES DOS SANTOS
  • RELAÇÃO ENTRE MATURAÇÃO SEXUAL E FATORES DE RISCO CARDIOVASCULAR EM ADOLESCENTES
  • Orientador : LUISA HELENA DE OLIVEIRA LIMA
  • Data: 20/01/2020
  • Mostrar Resumo
  • A adolescência é considerada uma fase de diversas mudanças físicas e psicossociais. Com isso, estudos têm apontado uma ligação considerável entre a maturação sexual e o aumento da massa e da adiposidade corporal em adolescentes podendo levar ao aumento de riscos cardiovasculares. Assim, objetivou-se investigar a relação entre maturação sexual e os riscos cardiovasculares em adolescentes. Trata-se de uma pesquisa de cunho transversal e quantitativo, realizada em domicílios na cidade de Picos definidos por meio de cálculo amostral por conglomerados, com período de coleta entre agosto de 2018 e outubro de 2019. Os sujeitos incluídos na pesquisa foram 345 adolescentes com idade de 10 a 19 anos de ambos os sexos, tendo como critérios de elegibilidade ser residente permanente do domicílio, pertencer à faixa etária proposta para o estudo, bem como disponibilidade e anuência para participar da pesquisa. Foram coletados dados sociodemográficos, clínicos e antropométricos, que foram registrados e armazenados no software Epicollect. As variáveis clínicas analisadas foram pressão arterial e acantose nigricans, e as antropométricas foram o índice de massa corporal, circunferência do pescoço, prega cutânea tricipital, prega cutânea subescapular, circunferência da cintura e índice de conicidade. Os dados foram avaliados por meio de análise descritiva, inferencial (associação e correlação) e fatorial (análise de componentes principais), considerando a variável com associação quando p<0,05 e intervalo de confiança de 95%. O trabalho foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí/UFPI em 20 de março de 2018, com o número de parecer 2.552.426. A prevalência foi do sexo feminino (53%), média de idade de 14,58 anos, a maioria se autodeclaram pardos (57,9%), solteiros (99,4%), 17,9% estão na 3a série do ensino médio e 93,5% informaram não possuir nenhum tipo de vínculo empregatício. A maioria dos adolescentes foram classificados como normotensos (66,1%) e 86,7% não apresentaram de acantose nigricans, apesar disso 33,9% apresentaram pressão arterial alterada e 13,3% apresentaram acantose leve e moderada. A média de altura foi de 1,61 metros e a média de peso foi de 54,69kg. Quanto ao IMC a prevalência foi o peso normal (73%), contudo, 22,6% apresentaram o peso elevado. A média da circunferência do pescoço foi de 30,11 cm, a prega cutânea tricipital foi de 16,22 cm, a prega cutânea subescapular foi de 13,73 cm, a circunferência da cintura foi 76,46 cm e o índice de conicidade foi de 1,12. A maioria dos adolescentes encontravam-se no estágio 4 de maturação sexual, em ambos os sexos. Não houve associação significativa entre os estágios de maturação sexual e acantose nigricans. A Análise de Componentes Principais gerou 3 componentes de risco cardiovascular (Componente de Risco Cardiovascular 1, Componente de Risco Cardiovascular 2, Componente de Risco Cardiovascular 3) advindos do agrupamento das variáveis clínicas e antropométricas. Desta forma, os 3 componentes explicaram 69,37% da variância dos dados. Em seguida, foi realizado um teste de correlação entre os componentes e os estágios de maturação sexual. Tal análise mostrou que houve correlação positiva entre o desenvolvimento das mamas com o Componente de Risco Cardiovascular 1 e o Componente de Risco Cardiovascular 2, e correlação negativa entre mamas e o Componente de Risco Cardiovascular 3. Entre os meninos, observou-se que o desenvolvimento dos testículos e pelos pubianos estiveram positivamente correlacionados com o Componente de Risco Cardiovascular 2 e inversamente correlacionados com o Componente de Risco Cardiovascular 3. Conclui-se que houve relação entre o processo de maturação sexual e as variáveis representativas dos riscos cardiovasculares em adolescentes, mesmo que não em sua totalidade. Portanto, é de suma importância considerar, dentro da avaliação das medidas corporais e pressóricas, o estadiamento puberal desses sujeitos, visto que foi evidenciada a real influência de uma medida sobre a outra.

  • MAÍSA DE LIMA CLARO
  • ESTADO NUTRICIONAL E NEURODESENVOLVIMENTO INFANTIL
  • Orientador : LUISA HELENA DE OLIVEIRA LIMA
  • Data: 20/01/2020
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Acompanhar o desenvolvimento infantil nos primeiros anos de vida é uma das ferramentas de identificação do cuidado a saúde da criança, que promove a saúde, previne agravos e identifica atrasos no desenvolvimento neuropsicomotor. Objetivo: Avaliar a relação do estado nutricional com o neurodesenvolvimento infantil de lactentes. Metodologia: Consistiu em um estudo transversal realizado nas Unidades Básicas de Saúde e num Pronto Atendimento Infantil Municipal, com as mães de crianças menores de dois anos, que eram cadastradas no município de Picos/Piauí, sendo a amostra de 287 crianças. O levantamento dos dados foi realizado mediante a aplicação de um questionário socioeconômico, da escala de Bem Estar de Crianças Pequenas para obter os marcos do desenvolvimento, além de coletar as variáveis antropométricas ao nascer, por meio da análise da caderneta de saúde da criança e pela aferição das medidas atuais no momento da coleta, que aconteceu no período de outubro a novembro de 2019. Os dados foram tabulados, onde obteve-se a variável de desfecho, a explanadora e as de controle para realização dos testes estatísticos por regressão logística univariada e multivariada, considerando significância estatística quando p<0,05 e intervalo de confiança de 95%, sendo o trabalho submetido ao comitê de ética com parecer favorável. Resultados: Predominou a faixa etária de um a três meses (25,8%) e do sexo feminino (50,9%). Em relação aos dados maternos 55,7% tinham entre 20 e 29 anos, 46% haviam concluído o ensino médio e 74,2% não tinham renda fixa, sendo que 51,2% das famílias pertenciam a classe C. Em relação a antropometria, 8% das crianças segundo o peso ao nascer eram macrossômicos e quando classificados pelas curvas de Intergrowth-21st 15,7% eram considerados grandes para a idade gestacional. Na avaliação do estado nutricional atual pelo índice de massa corpórea para a idade, 21,6% apresentaram risco de sobrepeso, 5,9% sobrepeso e 4,5% obesidade. Já quando se analisou os marcos do desenvolvimento, 13% das crianças analisadas foram caracterizadas com atraso no desenvolvimento, onde a faixa etária contemplada pelo formulário de 18 meses teve maior prevalência com seis casos de atraso. Quando feito o rastreio para o transtorno do espectro autista, sete crianças foram classificadas como suspeitas. De todas as variáveis analisadas, somente a idade da criança em anos e a escolaridade materna, ensino fundamental completo, mostrou associação com o desfecho, onde ambos foram caracterizados como fatores de risco para atrasos no neurodesenvolvimento da criança. Desta maneira, o estudo veio reforçar a importância do rastreio e identificação precoce de qualquer atraso que possa ter no desenvolvimento e crescimento da criança, de modo a minimizar as sequelas a longo prazo. Conclusão: Na amostra avaliada o estado nutricional não apresentou associação com o neurodesenvolvimento infantil de lactentes.

2019
Descrição
  • JEFFERSON RODRIGUES AMORIM
  • Polimorfismo Do Gene Runx3 Em Mulheres Com Câncer De Mama
  • Orientador : BENEDITO BORGES DA SILVA
  • Data: 19/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • O câncer de mama é a neoplasia que mais afeta mulheres em todo mundo, sendo uma doença de etiologia desconhecida e multifatorial, cujo principal fator de risco são as alterações genéticas. O polimorfismo do gene do Fator de Runt 3 (RUNX3) tem sido foco de estudos recentes, devido a uma provável associação com a angiogênese no câncer. Na variante polimórfica rs906296 do RUNX3, assim como, em toda família RUNX, esse gene tem papel fundamental na regulação dos processos celulares e tem relação com diversas vias de sinalização celular mais comumente alteradas no câncer, tornando o estudo com base nessa variante atrativo para pesquisas relacionadas a etiologia do câncer de mama. Objetivo: Avaliar a associação entre o polimorfismo de nucleotídeo único (SNP) rs9062996 do gene do RUNX3 e o risco de câncer de mama. Pacientes e Métodos: estudo transversal controlado, envolvendo 138 mulheres, conforme dimensionamento amostral, divididas em dois grupos: grupo I (caso, n=69, mulheres com câncer de mama), e grupo II (controle, n=69, mulheres sem câncer de mama). Participaram do estudo, mulheres atendidas no Ambulatório de Mastologia do Hospital Getúlio Vargas (HGV/UFPI) e no Hospital São Marcos. O sangue periférico foi coletado das participantes para estudo do DNA genômico, extraído de leucócitos e submetido à técnica de genotipagem por Reação em Cadeia da Polimerase em tempo real (RT-PCR). Resultados: A frequência do genótipo C/G (rs906296) foi observada em 27 pacientes (39,13%) no grupo caso e 24 (34,79%) no grupo controle (p=0.3779). A frequência do genótipo G/G (rs906296) foi de 39 (56,13%) no grupo caso e 41 (59,42%) no grupo controle (p=0.4903). Após estratificação por status menopausal, na pré-menopausa foram encontrados 24 pacientes (54,54%) no grupo caso e 28 (60,87%) no grupo controle para o alelo G/G com p = 0.5437, já o alelo C/G foram encontrados 18 pacientes (40,90%) no grupo caso e 16 (34,78%) no controle com  p = 0.5490. Na pós-menopausa, para o alelo G/G foram observados 15 pacientes (60%) no grupo caso e 13 (56.52%) no controle (p=0.20), já o alelo C/G foram encontrados 9 pacientes (36%) no grupo caso e 8 (34,78%) no grupo controle (p=0,49). Conclusão: O presente estudou não evidenciou uma associação estatisticamente significante entre o polimorfismo rs906296 do gene RUNX3 com risco ao câncer de mama.

  • ÉMERSON DAVI DO NASCIMENTO BRAZIL
  • Avaliação da Expressão do Receptor IGF-I no Leiomioma Uterino e no Miométrio Adjacente
  • Orientador : PEDRO VITOR LOPES COSTA
  • Data: 16/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os miomas uterinos são tumores sólidos benignos que acometem principalmente mulheres em idade reprodutiva, sendo responsável por um grande número de histerectomias realizadas anualmente em todo o mundo. Apesar de amplamente estudados, possuem etiologia ainda desconhecida, a qual vem sendo associada a fatores hormonais, estilo de vida, histórico clínico e fatores de crescimento, como o IGF-I. Estudos têm mostrado uma associação entre a superexpressão dos receptores desse fator de crescimento (IGF-IR) com os miomas uterinos. Objetivo: Avaliar a expressão de receptores IGF-I em miomas uterinos e no miométrio adjacente. Pacientes e métodos: estudo transversal envolvendo 50 mulheres diagnosticadas com leiomiomatose uterina e que, em razão disto, foram submetidas ao procedimento de histerectomia total na Clínica Ginecológica do Hospital Getúlio Vargas, em Teresina- PI. Cortes histológicos de 4µm foram usados na técnica de imunoistoquímica utilizando-se anticorpos policlonais para o receptor IGF-I e analisadas através do método “quickscore”, que tem como base a avaliação semiquantitativa da intensidade de coloração e da porcentagem de células coradas positivamente nos tecidos. A análise estatística dos dados foi realizada através do teste de Wilcoxon e o nível de significância foi estabelecido em p<0,05. Resultados: O score médio de células coradas no miométrio e no mioma, para receptores IGF-I, foi de 11,36 ± 5,61 e 7,60 ± 4,46, respectivamente. Conclusão: observou-se uma expressão aumentada do receptor IGF-I no tecido miometrial uterino não neoplásico em comparação com o tecido das amostras leiomiomatosas, sendo essa diferença estatisticamente significante.

  • IANNE FERNANDES DA SILVA
  • RISCO CARDIOMETABÓLICO, DISLIPIDEMIA E CONSUMO ALIMENTAR DE MULHERES PRATICANTES DE TREINAMENTO DE FORÇA.
  • Orientador : REGILDA SARAIVA DOS REIS MOREIRA ARAUJO
  • Data: 04/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Fatores genéticos, ambientais, hábitos alimentares inadequados, diminuição da prática de atividade física, mudança no estilo de vida e outros exemplos podem gerar distúrbios metabólicos e serem fatores para Risco Cardiometabólico e Dislipidemias. OBJETIVO: Avaliar a presença de risco cardiometabólico, dislipidemia e consumo alimentar em mulheres praticantes de treinamento de força. Para isso, realizou-se um estudo transversal com mulheres saudáveis entre 18 a 45 anos praticantes de treinamento de força em Teresina-PI. METODOLOGIA: No qual foi aplicado um questionário pré-elaborado para coleta de dados pessoais, antropométricos, exames de sangue para o perfil lipídico. O consumo alimentar foi avaliado por meio de um Questionário de Frequência Alimentar. Foi utilizado o esfigmomanômetro de coluna de mercúrio para a medição da pressão arterial, fita métrica para aferição das circunferências (cintura, abdominal, quadril), balança antropométrica para a mensuração do peso corporal e a altura das mulheres avaliadas a fim de determinar o IMC.  Além disso, foi realizada a colheita de sangue das participantes, em jejum, que por meio do método de colorimetria enzimática obteve-se o resultado do colesterol total e demais frações lipídicas, punção da polpa digital para determinar a glicemia. Os dados foram apresentados pela média e moda e a comparação dos grupos foi realizada pelo teste de Kruskal-Wallis. Para análise das variáveis do consumo alimentar utilizou-se o coeficiente de Spearman e o teste de Pearson, (p ≤ 0,05) e intervalo de confiança foi 95%. RESULTADOS: Foram analisadas 141 mulheres praticantes de musculação, com média de idade de 29,4 anos, peso 61,8Kg, 1,59m de altura, IMC: 24,3kg/m2, com tempo de atividade física de 2 anos e tempo de treino semanal de 10h. 29,8% do grupo praticava musculação, sendo que associada a esta atividade, 26,2% praticavam caminhada, 14,3% dança e 9,5% pilates. Ademais, foram realizados 111 exames bioquímicos: Colesterol total, Triglicerídeos, HDL-c, LDL-c, VLDL-c e glicemia. Sendo que em relação ao perfil lipídico, 72,1% tinham colesterol total desejável, 41,4% tinha o LDL-c ótimo e 40,6% desejável, 75,7% tinham os triglicerídeos desejáveis, 8,1% tinha o VLDL-c desejável e 87,6% tinha HDL-c baixo. O teste de Kruskal-Wallis mostrou diferença significativa  (p≤ 0,001) entre as variáveis. Em relação ao Risco Cardiometabólico, 28,8% não tinha risco, 54,1% baixo risco, 17,1% tinha risco aumentado. 9,9% foi diagnósticada sem dislipidemias e 90,1% com dislipidemia. Sendo que das mulheres dislipidemicas, 91,9% foi classificada com HLD-c baixo, 5,4% com hipertrigliceridemia, 1,8% com hipercolesterolemia e 0,9% com hiperlipidemia mista. Os alimentos mais consumidos foram alho (97%), tomate (95,7%), cebola (94,2%), arroz (93,9%), ovo (93,6%), café (92,9%), leite (87,8%) e feijão (86,4%). O coeficiente de Pearson mostrou correlação entre CT, LDL-c, HDL-c, VLDL e TG e a frequência de alimentos consumidos. Sugerindo que os alimentos fontes de gorduras trans, saturadas e carboidratos simples tiveram maior influencia sobre o CT, LD-c, TG e VLDL-c e que alimentos como cebola e nozes tiveram maior influencia sobre o HDL-c. CONCLUSÃO: Concluiu-se que o consumo alimentar saudável associado a exercício físico regular pode promover benefícios no perfil lipídico e contribuir para controle dos fatores de risco cardiometabólico.

  • VANESSA MARIA MOURA PAZ
  • EFETIVIDADE DA FORTIFICAÇÃO DAS FARINHAS DE TRIGO E MILHO COM FERRO E ÁCIDO FÓLICO NO CONTROLE DE ANEMIA EM GESTANTES EM UMA MATERNIDADE DE REFERÊNCIA DE TERESINA -PI
  • Orientador : REGILDA SARAIVA DOS REIS MOREIRA ARAUJO
  • Data: 26/09/2019
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste estudo foi avaliar a eficácia da fortificação da farinha de trigo e milho com ferro e ácido fólico no controle de anemia em gestantes em um serviço de alta complexidade materno infantil de Teresina – PI O estudo do tipo transversal retrospectivo, descritivo  e analítico dos níveis de hemoglobina de 654 gestantes a partir de pesquisa em 442 prontuários e 212 entrevistas pós submissão e aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa entre  novembro de 2018 e janeiro de 2019.Utilizou-se  dos níveis plasmáticos de hemoglobina para estimar a prevalência e a correlação de Pearson  para verificação do efeito   das variáveis independentes (antecedentes gineco –obstétricos, consumo alimentar e estado nutricional: escolaridade, situação conjugal, atuação profissional, idade, paridade, abortamento, data da última menstruação)nos níveis de hemoglobina.O consumo dos alimentos alimentos fortificados com ferro e ácido fólico, e facilitadores ou inibidores da absorção do ferro foi verificado por meio de entrevistas utilizando-se um Questionário de Frequência de Consumo Alimentar.Foi adotado nível de significância de 5%, IC 95% e p < 0,05 .A prevalência de anemia  foi de 9,3%( 61 gestantes) as gestantes em na sua maioria casada, do lar, adulta jovem ( 22 a 35 anos) nível médio concluído. A anemia predominou entre  as multíparas, e com IMC acima de 24,99.A suplementação com ferro e ácido fólico foi observada em 97,8% das gestantes, tinham um consumo diário de alimentos fontes naturais de ferro, alimentos facilitadores, e inexpressivo consumo de alimentos inibidores da absorção de ferro. Houve correlação significativa entre os níveis de hematócrito  e hemoglobina ( p=0,000) e com a comparação entre os dois momentos da pesquisa : 2008 e 2019, com resultado significativo (r2= 1     p < 0,001) para  redução da hemoglobina plasmática. A prevalência de anemia após a fortificação compulsória das farinhas de trigo e milho com ferro e ácido fólico reduziu expressivamente neste grupo de gestantes, sendo categorizada como de grau leve, e inserida num evidente contexto de transição nutricional.

     

     

  • RENATO DE OLIVEIRA PEREIRA
  • AVALIAÇÃO DA ACURÁCIA DA MAMOGRAFIA, ULTRASSONOGRAFIA E RESSONÂNCIA MAGNÉTICA EM NÓDULOS MAMÁRIOS SUSPEITOS
  • Orientador : BENEDITO BORGES DA SILVA
  • Data: 23/09/2019
  • Mostrar Resumo
  • O câncer de mama é a malignidade mais comum e a principal causa de morte por câncer na população feminina em todo o mundo. Porém, se diagnosticado e tratado oportunamente tende a apresentar um prognóstico bom. O diagnóstico se baseia no exame clínico e em métodos de diagnósticos por imagem, sendo a mamografia (MMG), a ultrassonografia (USG) e a ressonância magnética (RM) os mais utilizados. O nódulo mamário é uma das formas de apresentação do câncer de mama e é considerado suspeito para malignidade de acordo com o padrão de suas características de imagem. A MMG tem grande aplicabilidade no rastreamento do câncer, porém apresenta limitações em pacientes com mamas densas. A USG é um método especialmente complementar a MMG, entretanto é operador dependente. A RM é um exame caro, muito sensível, porém com grandes variações na sua especificidade. Há escassez de estudos comparativos em nosso meio que avaliem a precisão desses métodos no diagnóstico do câncer de mama. Objetivo: Avaliar a acurácia da MMG, USG e RM na avaliação de nódulos mamários suspeitos. Material e Métodos: Estudo transversal envolvendo 32 pacientes do sexo feminino que realizaram exames de imagem da mama em um centro especializado em diagnóstico por imagem de Teresina (PI), através da revisão de registros médicos eletrônicos. Foram incluídas pacientes que dispunham desses três métodos de imagem, por ocasião da avaliação de um mesmo nódulo, que deveria ter sido classificado como suspeito pelo sistema BI-RADS® em pelo menos um dos métodos. Os dados de cada método foram comparados com o exame histopatológico. A análise estatística utilizou o cálculo das proporções em Excel 2010. Resultados: A MMG apresentou sensibilidade de 56,2%, especificidade de 87,5%, valor preditivo positivo (VPP) de 81,8%, valor preditivo negativo (VPN) de 66,7% e acurácia de 78,1% com área sob a curva ROC de 0,712. A USG sensibilidade de 75%, especificidade de 18,8%, VPP de 48%, VPN de 42,8% e acurácia de 46,9% com área sob a curva ROC de 0,500. A RM sensibilidade de 100%, especificidade de 50%, VPP de 66,7%, VPN de 100% e acurácia de 75% com área sob a curva ROC de 0,750. Todos os resultados estiveram dentro do intervalo de confiança. Conclusão: A RM e a MMG apresentaram maior acurácia na avaliação de nódulos mamários suspeitos em relação a USG. A RM teve uma baixa especificidade em nosso estudo, que pode ter sido influenciada pela alta densidade mamária. A MMG teve sua sensibilidade limitada também pela alta densidade mamária. Nessas pacientes a USG demonstrou-se útil, refletido em nosso estudo pela maior sensibilidade do método em relação a MMG.

     

     

  • ÉLIDA DA COSTA MONÇÃO
  • Perfil Psicossocial e Profissional dos Egressos do Mestrado em Ciências e Saúde da Universidade Federal do Piauí – Desde a Fundação á 2018.
  • Orientador : AIRTON MENDES CONDE JUNIOR
  • Data: 23/08/2019
  • Mostrar Resumo
  • A Coordenação de Pessoal de Nível Superior (CAPES) tem se mostrado concentrada no conhecimento do cenário da qualidade da pós-graduação no BRASIL que deve ocorrer de forma permanente e integrada, observando os valores dominantes nas suas atividades de ensino e pesquisa. A Universidade Federal do Piauí (UFPI) segue as resoluções emitidas pela capes e realiza avaliações periódicas com alunos e ex-alunos. O presente estudo tem como objetivo evidenciar qual o perfil psicossocial e profissional dos egressos do Programa de Pós-graduação em Ciências e Saúde da UFPI (PPGCS/UFPI), dos que obtiveram junto a esta IES o título de mestre entre os anos 2005 (primeira turma) e 2018. Para tanto, realizou-se uma pesquisa quanti-qualitativa, haja vista a aplicação de um questionário eletrônico via correio eletrônico e de levantamentos de dados sócio demográficos dos egressos por meio do Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (SIGGA) e da Plataforma Lattes. Para análise dos resultados, utilizou-se de ferramentas estatísticas descritivas (média, mediana, porcentagem e qui-quadrado). Constatou-se que 66 egressos são do gênero masculino (27%) e 175 do gênero feminino (73%), com predomínio na faixa etária entre 36 e 45.  A análise psicossocial dos egressos buscou a averiguação da: 1) motivação para o ingresso do mestrado: 51,8 % dos egressos escolheram o curso devido as possibilidades de reconhecimento e ascensão profissional; 2) autonomia e competência profissional: 159 (96,2%) reconhecem a importância da autonomia e consideram-se com boas capacidades intelectuais; 3) relações interpessoais: 39,6% dos egressos afirmaram ter boas relações afetuosas com os familiares e 27, 4% afirmaram ter as boas relações de amizade com colegas e professores que foram fundamentais para o êxito de seu curso e do sucesso profissional. Com relação ao desenvolvimento profissional, averiguou-se que 35,5% dos egressos mudaram de emprego e tiveram o aumento salarial e 29,6%, mudaram de função e aumentaram seus rendimentos mensais. Grande parte dos participantes do estudo tiveram dificuldades durante a realização da pós-graduação, sendo as principais dificuldades: problemas relacionados a metodologia dos projetos de pesquisa e com a didática dos professores, tempo para realização das atividades do Programa, adequação as solicitações do orientador, problemas relacionados à saúde, familiares e as dificuldades financeiras. Por fim, com as respostas obtidas na pesquisa, entende-se que o PPGCS/UFPI contribui para o desenvolvimento psicossocial e profissional de seus estudantes, haja vista a evolução pessoal e de carreira apresentadas pelos egressos.

     

  • ESTER MARTINS CARNEIRO
  • “A Residência Multiprofissional em Saúde da UFPI: expectativas dos profissionais ingressantes e percepções dos egressos”
  • Orientador : JOSE IVO DOS SANTOS PEDROSA
  • Data: 19/08/2019
  • Mostrar Resumo
  • A Residência é uma modalidade de treinamento em serviço que tem como base a aprendizagem pela prática cotidiana, marcada pela aquisição progressiva de atributos técnicos e relacionais, fundamentais no desenvolvimento do profissionalismo. O objetivo nuclear da Residência Multiprofissional em Saúde da Universidade Federal do Piauí (RMS-UFPI) abrange formar profissionais de diferentes áreas da saúde com competências e habilidades para o cuidado integral ao paciente em assistência de alta complexidade, permeado por atitudes reflexivas, críticas, humanitárias e éticas, com vistas ao aperfeiçoamento do Sistema Único de Saúde. Diante disso, o objetivo do estudo foi de conhecer as expectativas dos residentes ingressantes da RMS-UFPI e compará-las com os sentidos produzidos nos egressos. Trata-se de uma pesquisa qualitativa de caráter exploratório e descritivo, envolvendo 12 residentes e 7 egressos do Programa de RMS-UFPI, no ano de 2018. A coleta de dados com os ingressantes foi feita através de entrevista não diretiva, e com os egressos, através de grupo focal, no Hospital Universitário da UFPI. As entrevistas foram transcritas na íntegra, lidas e analisadas segundo a análise de conteúdo de Bardin. Os relatos dos ingressantes geraram uma categoria geral “expectativas”, de onde foram desveladas quatro subcategorias (pessoais, profissionais, relacionais, estruturais/organizativas) e doze unidades de registro, a saber: amadurecimento, novas experiências, conhecimento, inserção no mercado de trabalho, segurança/autoconfiança profissional, trabalho em equipe multiprofissional; relação com os residentes da RMS-UFPI, com os residentes médicos, com os profissionais do hospital e com os preceptores; carga horária e estrutura do hospital. Os sentidos produzidos nos egressos evidenciaram que expectativas quanto ao conhecimento teórico, trabalho multiprofissional, relação com residentes da RMS, com profissionais e preceptores foram aquém do esperado inicialmente. Já as expectativas quanto ao preparo e autoconfiança profissional, conhecimento prático, inserção no mercado de trabalho, carga horária e infraestrutura do HU foram atingidas no transcorrer dos dois anos desse tipo de pós-graduação. O conhecimento das expectativas e sentidos de residentes permite uma avaliação da Residência e pode oportunizar melhorias no planejamento e execução do ensino, e, por conseguinte, na qualidade do programa.

     

  • DIEGO CIPRIANO CHAGAS
  • EXPRESSÃO DO ANTÍGENO KI-67 NO EPITÉLIO VAGINAL DE RATAS EM ESTRO PERMANENTE TRATADAS COM ANASTRAZOL
  • Orientador : BENEDITO BORGES DA SILVA
  • Data: 18/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • Atrofia vaginal e o câncer mamário hormônio sensível são condições comuns em mulheres pós - menopáusicas e o tamoxifeno, por sua vez, é a terapia endócrina padrão para esta doença, todavia apesar de mostrar efeito trófico vaginal pode provocar reações endometriais graves, daí a busca de endocrinoterapia alterrnativa. Objetivo: avaliar  a expressão do antígeno Ki-67 no epitélio vaginal de ratas em estro permanente tratadas com anastrazol. Materiais e métodos: selecionadas 42 ratas induzidas ao estado de estro permanente e dividas em 2 grupos: grupo I (controle, n=21) o qual foi administrado 0,1ml/animal/dia de propilenoglicol e grupo II (experimental n=21) receberam 0,5 mg/Kg ou 0,125 mg/animal/dia de anastrazol diluído em 0,1ml de propilenoglicol. Avaliação imunohistoquímica do marcador Ki-67 foi realizada e verificada criteriosamente com análise microscópica as células do epitélio vaginal. Resultados: A microscopia de luz mostrou uma maior concentração de células com núcleo corados em marrom com anti-Ki-67 no grupo controle do que no grupo experimental. A porcentagem média de núcleos corados com Ki-67 por 500 células no epitélio vaginal foi de 68,64 ± 2,64 e 30,46 ± 2,00 [média +/- erro padrão da média (SEM)] nos grupos controle e experimental, respectivamente (p <0,003).Conclusões: O presente estudo mostrou que o anastrazol, na dose e duração do tratamento utilizado, induziu uma diminuição significativa na proliferação celular da mucosa vaginal de ratas no estro permanente, avaliado pela expressão da proteína Ki-67.

     


  • REGINA CÉLIA DA SILVA
  • PERFIL DA LEISHMANIOSE VISCERAL NOS ESTADOS DO PIAUÍ E MARANHÃO
  • Orientador : MARIA ZELIA DE ARAUJO MADEIRA
  • Data: 16/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • As  Leishmanioses  são  doenças  parasitárias  graves,  com  ciclos  zoonóticos  e
    antroponóticos, que podem levar à morte, chegando ao seu hospedeiro pela picada
    de  flebotomíneos,  e,  ao  afetarem  o  Sistema  Fagocitário  Mononuclear  (SFM),
    apresentam  duas  manifestações  clínicas  a  saber:  a  leishmaniose  tegumentar,
    caracterizada  por  manifestações  cutâneas,  mucocutâneas  ou  cutânea  difusa;  e  a
    Leishmaniose  visceral,  que  podem  levar  a  alterações  cutâneas  (GRIMALDI  JR;
    TESH, 1993). Segundo a Organização Mundial de Saúde, tais enfermidades são de
    grande  preocupação  para  a  Saúde  Pública,  classificadas  como  doença  não
    contagiosa negligenciada, ocupando o segundo lugar em mortalidade e o quarto em
    morbidade  entre  as  infecções  tropicais  (BRASIL,  2017).  Conforme  informações  de
    Gonçalves e segundo dados do Sistema de Informações de Agravos de Notificação
    –  SINAN-Net,  foram  registrados  no  ano  de  2017  no  Brasil  cerca  de  4.456  casos
    confirmados de LV, distribuídos nas cinco regiões, sendo que o Nordeste ficou com
    2.212, o Sudeste com 1.101, o Norte com 858, o Centro-Oeste com 264, o Sul com
    17,  Ignorado/  Exterior.  Assim,  concebermos  a  necessidade  de  estudos
    epidemiológicos  mais  consistentes,  a  fim  de  compreendermos  como  se  dá  a
    disseminação, prevenção e controle dessa zoonose no Nordeste e especificamente
    nos  estados  do  Piauí  e  Maranhão.  Com  isso  fomos  motivados  pela  seguinte
    problematização: Até que ponto o perfil do portador pode contribuir na elaboração de
    medidas de prevenção, controle, diagnósticos, análise de riscos e assim permitir a
    elaboração  de  um  planejamento  de  ações  para  as  leishmanioses  nos  referidos
    Estados do Piauí e Maranhão no  ano de 2017?  Diante do exposto, na possibilidade
    de procurar respostas a essa problematização, é que norteamos nossa investigação
    a partir dos seguintes questionamentos: qual é o perfil dos pacientes, considerando
    as variáveis escolaridade, faixa etária, sexo e raça, com Leishmaniose Visceral  nos
    estados  do  Piauí  e  do  Maranhão?   Como  se  identificam os  casos  confirmados  de
    Leishmaniose  Visceral  segundo  o  tipo  diagnóstico  no  estado  do  Piauí  e  do
    Maranhão?  Na  Leishmaniose  visceral,  existe  co-infecção  com  HIV?   Existem
    diferenças  entre  os  casos  de  pacientes  com  Leishmaniose  Visceral  no  Piauí
    diagnosticados  e  notificados  no  ano  de  2017?  Para  responder  a  esses
    questionamentos, utilizamos o Sistema de Informação de Agravos de Notificação  –
    SINAN-Net,  do  Ministério  da  Saúde,  para  o  ano  de  2017,  que  foi  atualizado  em
    04/02/2019, com intuito de mapear a LV no estado do Piauí e do Maranhão e, assim,
    fornecer subsídios aos Programas de prevenção, controle,  promoção e proteção da
    saúde da população nas Vigilâncias Sanitárias desses estados. Apesar da existência
    de  inúmeros  estudos  sobre  a  Leishmaniose  Visceral  humana  e  canina,  muitas
    lacunas  ainda  precisam  ser  preenchidas.  Esperamos,  com  este  estudo,  contribuir
    para  um  melhor  entendimento  da  complexidade  do  problema  da  LV  no  Piauí  e
    Maranhão e, assim, valorizar e incentivar novas investigações e pesquisas aplicadas
    como fontes importantes de informações para subsidiar o Programa de Controle da
    LV no Brasil.



  • MARIA SIMONE OLIVEIRA LIMA
  • Avaliação da expressão do receptor da vitamina D no leiomioma uterino e no miométrio não neoplásico
  • Orientador : PEDRO VITOR LOPES COSTA
  • Data: 06/06/2019
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os miomas uterinos são os tumores pélvicos sólidos benignos mais frequentes nas mulheres em idade reprodutiva. Atualmente, a presença de miomas uterinos constitui a principal indicação de histerectomia devido a morbidade que ocasionam sangramento intenso, compressão nos órgãos adjacentes, dor e infertilidade. Alguns estudos apontam que a expressão do receptor de vitamina D (VDR) se correlaciona com a etiologia dos leiomiomas uterinos. Objetivo: Avaliar a expressão do VDR no leiomioma uterino e no miométrio normal. Pacientes e Métodos: estudo transversal controlado, envolvendo 70 mulheres, atendidas no Setor de Ginecologia do Hospital Getúlio Vargas que realizaram a cirurgia de histerectomia abdominal.  Comparou-se a expressão imunoistoquímica do VDR entre as amostras teciduais do leiomioma uterino e tecido miometrial normal. A expressão do VDR foi avaliada através da contagem das células com núcleo corados positivamente de forma quantitativa, usando um microscópio óptico, com nível de confiança de 95% e p< 0,05. Resultados: Haviam células coradas positivamente em todas as amostras incluídas. A média da expressão do VDR no miométrio foi de 79,52% e em leiomiomas de 60,22% (p<0,0001). Conclusão: Observou-se níveis reduzidos de receptor de vitamina D em miomas uterinos humanos em comparação com o miométrio normal adjacente, sendo esta diferença estatisticamente significante (p<0,0001).

     

  • LUCIANA BRAGA MARCILON LAURINDO
  • PRESSÃO ARTERIAL SISTEMICA EM CRIANÇAS NA ATENÇÃO BÁSICA
  • Orientador : MAURICIO BATISTA PAES LANDIM
  • Data: 30/05/2019
  • Mostrar Resumo
  • O Brasil tem apresentado modificações no seu perfil epidemiológico durante os últimas décadas, prevalecendo doenças crônicas, principalmente a Hipertensão Arterial. Esta doença vem apresentando o dobro do percentual em crianças e adolescentes nos últimos anos, e acredita-se que esse valor esteja associado ao perfil nutricional e histórico familiar. Objetivos: Avaliar a pressão arterial sistêmica em crianças de 3-10 anos na Atenção Básica, Teresina – PI. Metodologia: Trata-se de um estudo transversal, desenvolvido nas Unidades Básicas de Saúde com apoio do Núcleo de Apoio de Saúde à Família, com 99 crianças, na faixa etária de 3 a 10 anos. Foi aplicado formulário que contemplou aspectos sociodemográficos e econômicas; para avaliação da alimentação foi utilizado um questionário com base no Formulário de Marcadores de Consumo Alimentar do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional, e uma ficha que foi preenchido com os dados antropométricos e Pressão Arterial da criança. Para análise dos dados, utilizou-se o software Statistical Package for the Social Science (SPSS), versão 20.0. Resultados: A maioria nasceram em Teresina/PI, do sexo feminino, frequentavam a escola da rede pública de ensino; com idades em média de 5,75 (dp ± 2,10). Dos responsáveis pelas a maioria possuíam o ensino médio, exerciam alguma profissão, com renda familiar entre 1 e 2 salários mínimos com mais de uma fonte de renda. Quanto ao histórico familiar 74,7% das crianças possuem algum parente hipertenso. Em relação a frequência com a qual as crianças vão aos serviços de saúde, 67,7% vão 1 vez a cada 6 meses, 91,9% não possuíam doenças de qualquer tipo. Quanto ao conhecimento sobre a temática, 66,7% dos responsáveis relatou que já conheciam, porém apenas 12,1% afirmaram que a abordagem do assunto sobre hipertensão arterial em crianças foi realizada por algum profissional de saúde. Quanto as questões perinatais, 9,1% nasceram prematuros. 53,1% das crianças tiveram aleitamento materno exclusivo. Em relação aos alimentos consumido predominou bebidas adoçadas com 81,8%, petiscos de pacote ou biscoitos salgados com 57,6%e biscoito recheado, doces ou guloseimas com 49,5%. O IMC na maioria, 78,7% foi eutrófico, já a taxa de sedentarismo foi alta com 62,6%. Não houveram associação estatisticamente significantes, porém a prevalência de PA elevada foi alta com 53,5%. Conclusão: Na Unidade Básica de Saúde a consulta é realizada por uma equipe formada para atender de forma holística seus pacientes, porém percebemos ao decorrer do trabalho realizado que alguns pontos são deixados de lado ou não é dada a devida importância como a pressão arterial das crianças, aqui observado uma alta prevalência de níveis pressóricos elevados. À despeito das limitações e dificuldades, observa-se a necessidade de alerta e capacitação dos profissionais da atenção primária para a implementação de um serviço amplo com potencial de identificar crianças propensas a condição clínica aqui abordada, e também direcionar planejamentos e intervenções dirigidas à família.

     

     

  • MARYANNA TALLYTA SILVA BARRETO
  • ANÁLISE DO CONHECIMENTO E DAS PRÁTICAS SEXUAIS E REPRODUTIVAS DE ADOLESCENTES
  • Orientador : LUISA HELENA DE OLIVEIRA LIMA
  • Data: 10/05/2019
  • Mostrar Resumo
  • Resumo da defesa: A adolescência é um momento de desenvolvimento humano, onde ocorre a transição da infância para a juventude e que se caracteriza por mudanças significativas. É nesse período que geralmente ocorre o primeiro contato sexual com envolvimento genital, podendo expor os adolescentes a vulnerabilidades, como as Infecções Sexualmente Transmissíveis e a gravidez na adolescência. Assim, o presente estudo objetivou investigar a saúde sexual e reprodutiva de jovens escolares. Trata-se de uma pesquisa de delineamento transversal, descritiva, de natureza quantitativa. Foi realizada em 12 escolas estaduais (6º ao 9º ano do ensino fundamental e ensino médio) e 7 escolas municipais (5º ao 9º ano do ensino fundamental), em todas as turmas que tinham alunos na faixa etária de 13 a 17 anos. Foram aplicados questionários para os adolescentes que aceitaram participar voluntariamente do estudo e que os pais liberaram previamente. A coleta de dados ocorreu no período de março a dezembro de 2018. Os dados coletados foram inseridos e tabulados no software Statistical Package for the Social Sciences (SPSS), versão 20.0. Os resultados foram apresentados em tabelas e gráfico, e foi utilizada a estatística descritiva e inferencial para análise. Para associação das variáveis qualitativas, foi utilizado o teste de Qui-quadrado para frequências esperadas maiores de 5 e o Teste de Verossimilhança ou o Teste Exato de Fisher para frequências esperadas menores de 5. Foi assumido o valor de p < 0,05 para significância estatística. Para a realização desta pesquisa, foram respeitados todos os princípios éticos e legais propostos pela Resolução 466/12. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal do Piauí com o parecer de nº 2.429.523. Assim, foram analisados 1.051 adolescentes e destes, 53,8% eram do sexo feminino, sendo 13 anos a idade com mais representantes (22,8%), da cor parda (48,7%). A série de estudo foi o 9° ano do ensino fundamental (22,5%), e o turno manhã (40,7%). 88,5% dos adolescentes relataram ser heterossexuais e em relação à identidade de gênero, 53,4% afirmaram se sentirem mulheres e 44,3% afirmaram se sentirem homens. A maioria dos adolescentes negou ter namorado(a) fixo(a) (67,2%) e 39,1% relataram já ter tido a primeira relação sexual. Destes, 21,4% iniciaram a vida sexual entre 10 e 14 anos de idade. Dos adolescentes que informaram sobre a proteção usada na última relação sexual, 24,3% deles usaram métodos para evitar gravides e/ou IST. Foram verificadas associações estatísticas entre o uso do preservativo na última relação sexual com o adolescente residir com o pai (p=0,027), a religião (p=0,002) e a renda familiar (p=0,015). E na análise de conhecimento sobre o uso do preservativo, IST/HIV e AIDS, 49,6% dos adolescentes apresentaram conhecimento moderado e apenas 1,4% dos participantes da pesquisa tiveram um conhecimento extenso sobre essa temática. Deste modo, percebe-se que as práticas e conhecimentos sobre saúde sexual e reprodutiva dos adolescentes estudados ainda são ineficazes, desencadeando riscos para a saúde dos mesmos. Sendo assim, faz-se necessário acompanhar desde cedo o processo de desenvolvimento sexual dos jovens com a finalidade de prevenir problemas futuros.

     

     

  • LAILA CAROLINE LEME DA SILVA
  • VULNERABILIDADE PROGRAMÁTICA DA VIGILÂNCIA DOS CONTATOS DE HANSENÍASE EM MUNICÍPIO HIPERENDÊMICO.
  • Orientador : MARIA ZELIA DE ARAUJO MADEIRA
  • Data: 11/03/2019
  • Mostrar Resumo
  • A hanseníase ainda se denota como um problema de saúde pública a ser eliminado no mundo e no Brasil. Dentre as ações de controle, a vigilância dos contatos constitui uma medida essencial no enfrentamento da hanseníase e capaz de modificar parâmetros de endemicidade. OBJETIVO: Analisar a vulnerabilidade programática da vigilância dos contatos de hanseníase em um munícipio hiperendêmico. MÉTODO: Estudo transversal, quantitativo, realizado no município de Teresina/PI, no período de outubro a dezembro de 2018 com 511 registros de contatos de hanseníase e 10 gestores das unidades básicas de saúde do município. Os dados foram analisados com a utilização dos softwares Stata versão 13.0 (Stata Corp LP, College Station, TX, USA) e QGis versão 2.18. Realizaram-se análises descritivas por meio de distribuição de frequências e análise inferencial através do teste qui-quadrado de Pearson e do teste exato de Fisher. Adotou-se como critério de significância das variáveis a associação em nível de p˂0,05. A coleta de dados foi realizada mediante aprovação do CEP/UFPI com parecer nº 2.504.997. RESULTADOS: A maioria dos contatos registrados residem na zona norte (42,86%) do município, são contatos domiciliares (100%), do sexo masculino (49,51%), faixa etária acima de 15 anos (54,99%), filho (a) (35,62%) do caso referência e com predomínio da classificação operacional multibacilar do caso referência (83,56%). A proporção de contatos avaliados foi maior na zona norte (82,64%) do município, dentre os quais a maioria avaliada foi do sexo masculino (78,26%) e faixa etária acima dos 15 anos (75,44%). A avaliação dermatoneurológica teve associação com o sexo (p=0,000) e a faixa etária (p=0,005) do contato. Houve também associação da classificação operacional do caso referência com o contato ser avaliado (p=0,005) e encaminhado para a vacina BCG (p=0,007). Foram detectados 32 novos casos entre os contatos. A detecção de casos teve associação com a faixa (p=0,000) etária e o grau de parentesco com o caso referência. Com relação aos gestores entrevistados, grande parte reportou que na UBS há estratégia padronizada de busca ativa de casos e contatos de hanseníase faltosos (70%); protocolo para seguimento de contatos domiciliares (70%); kit de monofilamentos (100%), Kit para teste dermatoneurológico (90%) e medicamentos para tratamento da hanseníase, estados reacionais e complicações (100%). CONCLUSÃO: Os serviços de saúde do município de Teresina apresentaram fragilidades quanto as ações de vigilância dos contatos de hanseníase, no que diz respeito aos registros, a busca ativa para avalição diagnóstica, ao seguimento e acompanhamento de contatos domiciliares e principalmente, contatos sociais. Barreiras relacionadas ao planejamento e desenvolvimento de ações para controle da hanseníase precisam ser superadas, de modo que os serviços de saúde devam considerar diferenças regionais e de gênero para minimizar disparidades do acesso aos serviços ofertados.

     

     

  • ANNA KLARA ALVES DA SILVA
  • AVALIAÇÃO DAS DISFUNÇÕES SEXUAIS EM MULHERES COM A SÍNDROME DOS OVARIOS POLICISTICOS
  • Orientador : IONE MARIA RIBEIRO SOARES LOPES
  • Data: 28/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • A síndrome dos ovários policísticos (SOP) é a mais comum endocrinopatia ginecológica e pouco é conhecido sobre a função sexual nessas mulheres. Objetivo: Comparar as diferenças na função sexual entre mulheres com e sem Síndrome dos Ovários policísticos, de diferentes Índices de Massa Corporal (IMC). Metodologia: Estudo observacional analítico e transversal desenvolvido em mulheres de 18 a 40 anos que preencheram critérios de Rotherdam para o diagnóstico de SOP foram comparadas com mulheres saudáveis. A amostragem foi não probabilística e composta por 200 participantes, recrutadas a partir de demanda espontânea no ambulatório de Reprodução Humana e Endocrinologia ginecológica de um hospital de ensino da cidade de Teresina-PI. Foram distribuídas em quatro grupos: IA(SOP com excesso de peso -IMC≥25); 1B (SOP e peso normal – IMC<25); IIA (mulheres saudáveis e excesso de peso -IMC≥25) e IIB (mulheres saudáveis com IMC<25) . Formulário estruturado, prontuário de atendimento e questionário IFSF (Funcionamento Sexual Feminino) foram utilizados como instrumentos de coleta de dados.  Os dados foram analisados utilizando-se estatísticas uni e bivariadas com o software IBM® SPSS® 21.0. Resultados: A população estudada tinha idade média de 27,7 anos de mulheres em maioria casadas, autodeclaradas pardas e com nível de escolaridade até o Ensino Médio. Os hábitos de vida (atividade física, tabagismo e etilismo) quando comparados os dois grupos I e II, não houve diferença estatisticamente significante (p>0,05). Baseado no total de escore do IFSF, a disfunção sexual esteve presente em 34% das mulheres com SOP quando comparadas ao controle, 36%. Em relação ao IMC, não foi verificado diferença estatisticamente significante entre as médias dos escores total do Índice da Função Sexual nos grupos (p-0,479), embora o domínio “desejo”, isoladamente foi a disfunção mais comprometida em todos os grupos. As mulheres com SOP e peso normal tiveram menos “satisfação” sexual  (p=0,008) e “dores” na relação sexual (p=0,007) do que as mulheres com SOP e excesso de peso.  As pacientes com SOP tiveram escores significantemente maior de 27 quando comparada com mulheres do grupo controle (p<0,05). Conclusões: Mulheres com SOP com diferentes IMC têm escores de funcionamento sexual semelhantes em comparação com controles, exceto  nos domínios “satisfação e dor”.

     

     

     

  • INGRED PEREIRA CIRINO
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE TECNOLOGIA EDUCATIVA PARA A AUTOEFICÁCIA MATERNA EM AMAMENTAR
  • Orientador : LUISA HELENA DE OLIVEIRA LIMA
  • Data: 28/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • O aleitamento materno é o melhor e mais completo alimento para os bebês, pois promove vínculo, afeto e nutrição, concedendo inúmeros benefícios para o binômio mãe e filho. Todavia, os indicadores mostram que as taxas de aleitamento materno no Brasil, em particular, as de amamentação exclusiva, encontram-se inferiores ao recomendado para um pleno crescimento e desenvolvimento das crianças. Dessa forma, é necessária a elaboração de tecnologias educativas com o propósito de elevar a autoeficácia materna para amamentar. Objetivou-se então, construir e validar uma cartilha educativa para promoção daquela tecnologia. Trata-se de uma pesquisa metodológica, com enfoque no desenvolvimento, avaliação e aperfeiçoamento de uma tecnologia educativa, realizada de agosto de 2017 a dezembro de 2018. A elaboração da cartilha educativa pautou-se na Breastfeeding Self-Efficacy Scale - short from e em referências atualizadas sobre aleitamento materno, seguindo os pressupostos da Teoria da Autoeficácia. Em seguida, foi realizada a validação do material construído. Assim, 25 especialistas avaliaram conteúdo, linguagem e aparência da tecnologia, sendo 22 juízes de conteúdo (11 docentes e 11 com experiência assistencial) e 3 juízes da área de design. Todos os juízes responderam a um instrumento de caracterização profissional e ao Suitability Assemment of Materials (SAM). Os juízes de conteúdo responderam ainda a um instrumento para avaliar a clareza de linguagem, pertinência prática e relevância teórica da cartilha. Após o levantamento de todas as sugestões feitas pelos juízes, foi realizada a adequação da mesma. Na sequência, 33 gestantes avaliaram a tecnologia educativa quanto à organização, estilo de escrita, aparência e motivação. O projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, obtendo parecer nº 2.429.527. A cartilha educativa intitulada “Eu sou capaz de amamentar meu filho” visa à promoção da autoeficácia materna para o aleitamento materno e foi elaborada para ser utilizada com gestantes em acompanhamento pré-natal. Quanto à caracterização dos juízes, 36,4% dos juízes de conteúdo eram enfermeiros, 27,3% nutricionistas e 36,4% pediatras, 50% destes têm mestrado como maior titulação. Em relação à formação dos juízes de design, 66,7% são mestres.  Na análise dos juízes de conteúdo, a cartilha atingiu índice de validade de conteúdo de 0,9, com confiabilidade (alpha de cronbach = 0,980) e concordância das respostas (Coeficiente de Correlação Intraclasse = 0,980) altas e adequação a partir da utilização do SAM foi “superior” (77%). Na análise dos juízes de design a partir do SAM, classificou-se a tecnologia educativa como “superior” com média de 90,1%. Participaram do estudo gestantes com faixa etária que variou de 18 a 42 anos, 42,4% destas estão na segunda gestação e 39,4% não têm nenhum filho.  Na análise do público-alvo, o nível de concordância das respostas positivas quanto à organização, estilo de escrita, aparência e motivação da cartilha foi de 100%. Foi realizado ainda o Teste de Legibilidade de Flesch, que avaliou a cartilha como muito fácil de compreender. Conclui-se que a cartilha educativa foi considerada válida e confiável para ser utilizada por gestantes com o intuito de promover a autoeficácia materna para o aleitamento materno.

  • MATHEUS SOUSA MARQUES CARVALHO
  • PREVALÊNCIA DA SÍFILIS EM PESSOAS QUE VIVEM EM SITUAÇÃO DE RUA EM UMA CAPITAL DO NORDESTE BRASILEIRO
  • Orientador : LAURO LOURIVAL LOPES FILHO
  • Data: 28/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • A sífilis é uma Infecção Sexualmente Transmissível com elevada prevalência em populações com maior vulnerabilidade. O estudo teve como objetivo investigar a prevalência e fatores associados da sífilis em pessoas que vivem em situação de rua. Trata-se de um estudo epidemiológico analítico transversal realizado no Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua em Teresina – PI, com 205 pessoas em situação de rua, sendo o recrutamento feito por conveniência. Foi aplicado um formulário com variáveis referentes a questões sociodemográficas, vivência em situação de rua, comportamento sexual, uso de álcool e outras drogas, e aspectos clínicos relacionados a sífilis. Além disso foi realizado testagem rápida para sífilis, e para casos reagentes, foi realizado exame VDRL. Os dados foram processados pelo programa SPSS, versão 21.0, e para verificação da associação entre as variáveis foi utilizado o teste Qui-quadrado ao nível de significância 5% (<0,05). O estudo atendeu todos os aspectos éticos da Resolução nº 466/12. Foram detectados 29 casos de sífilis. Do total de participantes (n=205) houve predomínio do sexo masculino (86,8%), faixa etária de 31 a 49 anos (52,2%), solteiros (73,2%), cor autodeclarada não branco (84,9%), natural da região nordeste (88,8%) e sem renda (57,6%). Relataram ter parceria fixa 24,4%, e eventual 32,7%, sendo o uso do preservativo em 8% e 43,3%, respectivamente. O consumo do álcool esteve em 62,4% dos participantes, e 41,5% relataram fazer o uso de outras drogas há mais de dez anos, sendo as principais mencionadas, maconha, crack e cocaína. Uma prevalência da sífilis de 14,1% foi considerada elevada, com significância estatística em relação a idade e histórico de outras infecções sexualmente transmissíveis. Dessa forma, faz-se necessário uma melhor atenção a essa população. Sugere-se realização de mais estudos com populações semelhantes e melhor investimento em capacitações de profissionais da área com vista na melhoria do acesso ao serviço de saúde, e ampliar a testagem rápida para detectar além da sífilis, outras infecções relacionadas, e garantir um diagnóstico e tratamento precoce.

     

     

     

     

     

  • JOÃO VICTOR SILVA ARAUJO
  • EFEITOS DA ADMINISTRAÇÃO DO BISFENOL A (BPA) SOBRE O SISTEMA NERVOSO ENTÉRICO DO ÍLEO DE RATOS WISTAR JOVENS
  • Orientador : AIRTON MENDES CONDE JUNIOR
  • Data: 20/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • O bisfenol A (BPA) faz parte de uma família de produtos químicos utilizados na fabricação de materiais plásticos, como garrafas de água, garrafas e embalagens reutilizáveis. Vários estudos demonstraram que o BPA tem efeitos tóxicos quando ingerido, causando exposição direta do trato gastrointestinal de humanos e animais a essa substância. Assim, o objetivo deste trabalho é analisar os efeitos da administração de BPA no sistema nervoso entérico de ratos jovens Wistar.Os animais foram divididos em três grupos: controle, óleo de milho (CO) e bisfenol A (BPA). Do 15º ao 30º pós-natal, os filhotes de BPA receberam doses diárias de BPA (5 mg kg-1 diluídos em 0,3 ml de óleo de milho), enquanto os filhotes do grupo OM receberam apenas 0,3 ml de óleo de milho e o grupo controle recebeu substância. No 31º pós-natal, os animais dos três grupos estudados foram eutanasiados. A região do íleo foi coletada e submetida à técnica de histoquímica do NADH-d para detecção de neurônios do plexo mioentérico e processamento histológico para avaliação da parede e mucosa intestinal. Além disso, o trânsito gastrointestinal foi avaliado pela progressão do azul de metileno. O grupo de BPA foi aumentado no número de neurônios entéricos e alterações na mucosa. Na espessura das camadas musculares foi observado, bem como diminuição no progresso do azul de metileno. O BPA tem um efeito tóxico na parede e na mucosa intestinal, assim como neurônios no plexo mioentérico, indicando alterações na motilidade intestinal.

  • GLEYSON MOURA DOS SANTOS
  • ESTADO NUTRICIONAL E QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES ATENDIDOS EM UM SERVIÇO AMBULATORIAL
  • Orientador : MARIA ZELIA DE ARAUJO MADEIRA
  • Data: 12/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A obesidade é predominante nos indivíduos ao longo da vida e isso enfatiza o interesse de investigação desta condição na qualidade de vida. Desse modo, o estudo teve como objetivo avaliar o estado nutricional e a qualidade de vida de pacientes atendidos no ambulatório de um hospital universitário na cidade de Teresina – PI. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo transversal do tipo descritivo, com abordagem quantitativa, realizado com 229 pacientes entre maio a julho de 2018. A coleta dos dados foi realizada por meio de antropometria e aplicação de instrumentos para obtenção de dados sociodemográficos, estilo de vida e qualidade de vida (SF-36). Para análise dos dados, foi realizada estatística descritiva das variáveis. Para verificação de diferença entre níveis de uma mesma variável em cada domínio, foi utilizado o teste de Kruskal-Wallis, ou o teste de Wilcoxon para duas amostras independentes. Os casos em que o teste Kruskal-Wallis acusou diferença utilizou-se o teste de Dunn-Bonferroni para comparação múltipla. O projeto foi aprovado no CEP-UFPI sob o numero de parecer de aprovação 2.654.138. RESULTADOS: Os resultados apontaram média de idade de 40,7 anos, 65,5% eram do sexo feminino, 55,6% de cor parda, 40,61% eram analfabetos ou possuíam apenas o ensino fundamental, 49,34% ganhavam menos que um salário mínimo, 49,78% casados e 80,79%, era residente em áreas urbanas. Os dados sobre estilo de vida mostraram-se positivos para as variáveis, hábitos de fumar e uso de bebidas alcoólicas. Por outro lado, 69% dos pacientes não praticavam nenhum tipo de atividade física e 65,07% referiram uso de medicação. Quanto ao estado nutricional, houve predominância de eutrofia (36,24%) seguido de sobrepeso (35,37%) e obesidade (25,76%). Em referência à qualidade de vida, metade dos domínios pesquisados apresentaram valores médios acima de 60, demonstrando uma percepção favorável de qualidade de vida. Relacionando os domínios do instrumento de qualidade de vida SF-36 com as variáveis estudadas, observou-se diferença significativa entre os sexos masculino e feminino em relação ao domínio capacidade funcional (p=0,023). A escolaridade apresentou diferença entre os domínios capacidade funcional (p=0,019) e aspectos físicos (p=0,007) entre os que possuíam ensino fundamental incompleto com aqueles com ensino médio completo. A renda apresentou diferença entre os domínios capacidade funcional (p<0,001) entre os que recebiam menos que um salário daqueles que recebiam de 2 a 4 ou mais de 5 salários e aspectos físicos (p=0,005) entre os que recebiam menos de um salário para aqueles que recebiam de 2 a 4 salários.Com relação à situação do estado civil, observou-se diferença entre limitação emocional (p=0,022) entre Casado/União Estável e Viúvos. Para as variáveis estilo de vida houve diferença significativa (valor de p<0,05) entre 7 dos 8 domínios do SF-36 para a prática de atividade física. Enquanto que o uso de medicamentos apresentou apenas para os domínios capacidade funcional, aspectos físicos e estado geral de saúde. No que concerne à influência do estado nutricional na qualidade de vida, diferença estatística foi observada apenas para o domínio emocional (p=0,04) entre os indivíduos obesos e desnutridos. CONCLUSÃO: Os achados deste estudo mostram que grande parte dos entrevistados apresentam estado nutricional adequado e que a percepção da qualidade de vida de forma geral apresenta-se positiva.

     

  • DANIELA FURTADO RODRIGUES DE ANDRADE
  • COLONIZAÇÃO POR Staphylococcus aureus DA NASOFARINGE E CIRCUITO DE VENTILAÇÃO MECÂNICA EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA
  • Orientador : VIRIATO CAMPELO
  • Data: 08/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • Em média, pacientes atendidos em UTI apresentam de 5 a 10 vezes mais chances de desenvolver IRAS comparado a outros setores de hospitalização. A ventilação mecânica é uma intervenção essencial em muitos pacientes gravemente doentes e um tubo orotraqueal é o elemento-chave nesse processo. Consequentemente, os pacientes que recebem VM estão em maior risco para IRAS, em especial para a pneumonia associada à ventilação mecânica. O estudo objetivou avaliar a colonização por Staphylococcus aureus em pacientes submetidos à ventilação mecânica. Trata-se de um estudo descritivo e delineamento transversal, realizado com 30 pacientes internados nas unidades de terapia intensiva (UTI’s) de um Hospital Público de Teresina- PI. A coleta de dados ocorreu no período de novembro/2018 a abril/2019, por meio de formulário que apresentou dados sociodemográficos dos participantes, relacionadas às variáveis clínicas da pesquisa, bem como houve coleta de amostras biológicas no 3º, 5º e 7º dia de ventilação mecânica, sendo a análise realizada no laboratório de Microbiologia da UFPI. Os dados foram processados no software estatístico Statistical Package for Social Sciences (SPSS), versão 20.0. Algumas associações de interesse foram verificadas utilizando-se o teste qui-quadrado e teste exato de Fisher, adotando- se nível de significância de p ≤0,05. Dos 30 pacientes foram coletadas 365 amostras referentes aos sítios de coleta (nasofaringe, orofaringe, traqueia inspiratória, traqueia expiratória e conector do ventilador mecânico ao tubo orotraqueal). Do total de amostras coletadas 150 foram positivas para S. aureus, sendo 37 (24,6%) da orofaringe, 45 (30%) da nasofaringe, 26 (17,3%) da traqueia expiratória, 22(14,6%) da traqueia inspiratória e 20 (13,3%) do conector. Além disso, a colonização por S. aureus foi de 28,67% no primeiro dia, 33,33% no segundo dia e 38,00% no terceiro dia. Das 150 amostras positivas para S. aureus, 88 (58,6%) eram resistentes à oxacilina, ou seja, sugestivas de MRSA.. A colonização do sítio traqueal inspiratório do ventilador mecânico leva à uma associação significativa com o desenvolvimento da PAV em um período maior que 7 dias.  Detectou-se que a traqueia expiratória do circuito de ventilação é o que apresenta maior colonização bacteriana (17,3%), enquanto que a traqueia inspiratória somou 14,6% das culturas positivas, o que sugere a participação do paciente na disseminação dessas bactérias ao longo do circuito, através de eliminação de secreções, gotículas ou aerossóis, não necessitando que o mesmo esteja infectado para que o processo ocorra. Além disso, foi demonstrado significativamente a translocação de um sítio para o outro. Os resultados também mostram que o circuito estando uma vez colonizado, há uma tendência de que assim o sistema se mantenha, colonizando o ramo oposto e favorecendo o crescimento de MRSA. As associações significativas leveram ao entendimento de que a partir do 5º dia de VM (2º dia de coleta) as chances de resistência à diversos antimicrobianos aumenta. Observa-se que com o passar do tempo de permanência na ventilação mecânica a chance de ser colonizada. Dessa forma, ressalta-se a importância de implementar a vigilância microbiológica de pacientes em uso de VM na UTI e sua contribuição para a prevenção de infecções nosocomiais e melhora na qualidade da assistência. O isolamento e determinação do perfil de susceptibilidade dessas bactérias são importantes para o monitoramento e prevenção de futuras infecções. 

  • THAIS ALVES NOGUEIRA
  • ANÁLISE DA APTIDÃO FÍSICA RELACIONADA À SAÚDE DE ESTUDANTES DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DE UMA UNIVERSIDADE FEDERAL DO NORDESTE
  • Orientador : VIRIATO CAMPELO
  • Data: 29/01/2019
  • Mostrar Resumo
  • Atualmente tem se observado que as incidências de mortes são ocasionadas por diversos fatores relacionados ao comportamento humano, entre eles baixos níveis de aptidão física ou pela inatividade física. O objetivo dessa pesquisa foi analisar os indicadores da aptidão física relacionada à saúde de estudantes do curso de Educação Física, de uma Universidade Federal do Nordeste.  É um estudo do tipo transversal com o total de 74 estudantes do 1º e 4º ano de curso (41 estudantes do sexo masculino e 33 do sexo feminino) com média de idade de 21,5±4,35 anos e altura de 1,69±0,08m. Utilizou-se testes físicos, dados antropométricos, hemodinâmicos, composição corporal e o questionário internacional de atividade física em sua versão curta, IPAQ. Os resultados mostraram que os parâmetros antropométricos e hemodinâmicos não diferiram entre os grupos (1º ano e 4º ano); os componentes da composição corporal (Índice de Massa Corporal, Percentagem de Gordura Corporal e Visceral) foram estatisticamente maiores (p<0,05) nos estudantes do 4º ano, por outro lado, a Massa Corporal Magra apresentou significante redução. Na comparação entre os grupos para os testes físicos, a Flexibilidade, a força de membros superiores e o nível de atividade física foram maiores estatisticamente significantes em estudantes do 4º ano de curso; todavia, estes possuem 3,1 vezes mais chances em ter fatores de risco relacionado às Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT). Desta forma, conclui-se que estudantes do 1º ano de curso têm melhores níveis de aptidão física no componente de composição corporal, com menor percentual de gordura corporal e maior percentual de massa corporal magra. E que alunos do 4º ano de curso têm melhor nível de aptidão física nos componentes de força muscular de membros superiores e resistência abdominal, observa-se ainda, que são fisicamente mais ativos que alunos do 1º ano de curso. Contudo, estes estudantes têm 208% mais chances de ter fator risco para DCNT que alunos do 1º ano do curso.

2018
Descrição
  • VALDENIA MARIA DE SOUSA
  • AVALIAÇÃO DO GRAU DE RISCO PARA O DESENVOLVIMENTO DO PÉ DIABÉTICO E DO CONHECIMENTO DE PACIENTES SOBRE AS PRINCIPAIS MEDIDAS PREVENTIVAS
  • Orientador : ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
  • Data: 17/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • Entre as complicações crônicas do diabetes mellitus, uma das mais graves constitui-se no pé diabético, o qual surge inicialmente após úlcera plantar em resposta à associação da neuropatia diabética juntamente com a doença arterial periférica e os fatores extrínsecos. É importante portanto, que o enfermeiro e os demais profissionais de saúde que trabalham na ESF conheçam o grau de risco a que os pacientes estão sujeitos para o desenvolvimento de lesões ulcerativas nos pés, assim como o conhecimento que os mesmos possuem acerca dos cuidados essenciais com os pés. Objetivou-se avaliar o grau de risco e conhecimento dos pacientes com diabetes mellitus acerca das medidas preventivas para o desenvolvimento do pé diabético. Trata-se de um estudo analítico, quantitativo, realizado com 171 pacientes com diabetes mellitus, assistidos pela Estratégia Saúde da Família da zona urbana do município de Picos-PI. A coleta de dados ocorreu nas Unidades Básicas de Saúde e em domicilio no período de fevereiro a maio de 2018, por meio de 03 formulários, já elaborados e disponíveis para utilização, que englobam: dados demográficos, diagnóstico social e epidemiológico, exame clínico dos pés e conhecimento acerca dos cuidados essenciais com os pés. Os dados foram coletados através de entrevista onde aplicou-se os formulários, seguida do exame físico dos pés. Foram calculadas estatísticas descritivas para variáveis quantitativas; e frequências para variáveis qualitativas. Para inferência analítica foram aplicados testes qui-quadrado bicaudal de Pearson para teste de associação e teste não paramétrico de Kruskal-Wallis, a fim de testar os diferentes grupos de risco com relação à pontuação sobre conhecimentos essenciais dos cuidados com os pés. No que se refere ao a avaliação do conhecimento, utilizou-se a escala de Zernick e Henderson (1998) adaptada, onde procedeu-se a uma distribuição dos valores por questão e posterior soma com enquadramento em uma das 3 categorias estipuladas referentes ao nível de conhecimento. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisas com Seres Humanos da Universidade Federal do Piauí, parecer nº 2.389.111. Dos pacientes avaliados observou-se o predomínio do sexo feminino (62,6%), destacaram-se as faixas etárias: 50 a 59 anos (28,7%) e 60 a 69 anos (29,8%), com uma média de 62,2 anos. O diabetes tipo 2 foi citado por 162 (94,7%) participantes. Com relação ao grau de risco observou-se que a maioria 85 (49,7%) apresentam grau de risco igual a um para o desenvolvimento do pé diabético, ou seja baixo risco. No que concerne os cuidados essenciais com os pés por grau de risco, ratifica-se que a distribuição da pontuação nos riscos 0 e 1 são superiores à pontuação dos pacientes em que se enquadram no grupo de risco 2. Já a pontuação entre os grupos 0 e 1 são estatisticamente iguais. Em relação ao nível de conhecimento, 143 (78,4%) possuem bom conhecimento acerca dos cuidados essenciais com os pés. Os achados deste estudo revelam que os pacientes apresentam risco para o desenvolvimento do pé diabético, no entanto, possuem bom conhecimento acerca dos cuidados essenciais com os pés, o que pode ser visto como um fator facilitador na inserção deste individuo no autocuidado. Este conhecimento pode ser ampliado  ainda através da adoção de estratégias por parte dos profissionais, em especial o enfermeiro, que  motivem  tais pacientes a estarem cada dia mais inseridos no seu processo de cuidar, assim como a necessidade de se trabalhar de forma mais ativa os cuidados essenciais com os pés durante a consulta de enfermagem em todos os níveis de atenção.

  • DENIZE EVANNE LIMA DAMACENA
  • QUALIDADE DE VIDA DE PESSOAS COM HIPERTENSÃO ARTERIAL
  • Orientador : ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
  • Data: 29/11/2018
  • Mostrar Resumo
  • Resumo da defesa: As doenças crônicas não transmissíveis são responsáveis pelas principais causas de mortes no mundo, dentre elas, a hipertensão arterial sistêmica se encontra em destaque, sendo considerada um grave problema de saúde pública no mundo e no Brasil.  Estudo transversal, com abordagem quantitativa, cujo objetivo foi analisar a qualidade de vida dos pacientes com hipertensão atendidos em um serviço público de saúde. O presente estudo foi realizado em três unidades básicas de saúde na cidade de Teresina-Piauí. A população foi constituída por todos os pacientes que possuem diagnóstico de hipertensão arterial sistêmica atendidos nos locais do estudo, obteve-se uma amostra de 322 pacientes. A coleta ocorreu de abril a junho de 2018, com o auxílio de três instrumentos, o Mini-Cuestionario de Calidad de Vida en la Hipertensión Arterial-Brasil (MINICHAL-BRASIL), World Health Organization Quality of Life-Bref (WHOQOL-BREF) e um formulário socioeconômico. 62,4% pertencentes ao sexo feminino, 48,1% com idade entre 40 a 59 anos, 53,7% com ensino fundamental incompleto, 66,8% são do interior do Piauí, 69,6% casados, 75,8%, tem renda familiar entre 1 e 2 salários mínimos, 60,7% católicos. Observa-se que o fator de risco cardiovascular diabetes mellitus prevaleceu na amostra 39,4%, 98,1% revelaram uso de medicamentos, com predomínio dos anti-hipertensivos, com relação ao tempo de diagnóstico da doença, 62% dos participantes relataram ter o diagnóstico entre 1 a 4 anos. Houve relação estatística entre as variáveis sociodemográficas (sexo, escolaridade, situação conjugal e idade) e os domínios do Minichal, assim como entre as variáveis clínicas e os referidos domínios. Para o Whoqol-Bref, houve relação estatística entre as variáveis naturalidade, escolaridade, situação conjugal, renda e idade. As variáveis clínicas que se relacionam a este instrumento foram: tempo de diagnóstico, fator de risco cardiovascular e realiza alguma atividade física. Ao se analisar os domínios de cada instrumento, para o Minichal, o domínio manifestações somáticas apresentou melhor média e para o Whoqol-Bref o domínio psicológico obteve melhor média, indicando melhor qualidade de vida para estes domínios. Os achados deste estudo mostram que os instrumentos se completam, visto que o Minichal possui menos questões, consequentemente abordando a qualidade de vida de forma mais resumida, entretanto, o Whoqol-Bref é mais abrangente, abordando diversos aspectos da qualidade de vida. Verifica-se que tanto os fatores sociodemograficos como os clínicos influenciaram na QV da população estudada.

     

     

     

  • FELIPE JOSÉ COSTA VIANA
  • Efeito da imunossupressão associada à infecção experimental pela Leishmania amazonensis no sistema nervoso central de camundongos BALB/c
  • Orientador : MARCIA DOS SANTOS RIZZO
  • Data: 04/10/2018
  • Mostrar Resumo
  • A leishmaniose é considerada uma Doença Tropical Negligenciada transmitida por vetor flebotomínio e causada por protozoários do gênero Leishmania. Além disso, é uma doença imunossupressora, o que torna o hospedeiro mais suscetível à outras enfermidades. A comorbidade com um agravo de característica imunossupressora, ou por tratamento prolongado com glicocorticoides, revela-se uma preocupação de saúde pública, pelo aumento de casos notificados de leishmaniose visceral, além de relatos de comprometimento neurológico. O objetivo desta pesquisa foi a validação de um modelo experimental de imunossupressão farmacológica, associada a infecção experimental por Leishmania amazonensis em camundongos BALB/c, e avaliar o possível comprometimento do tecido nervoso central. Os animais foram divididos em 4 grupos: grupo controle negativo, grupo imunossuprimido, grupo imunossuprimido e infectado com L. amazonensis e grupo infectado com L. amazonensis. Para a indução da imunossupressão foi utilizado uma dose de 20 mg/kg de dexametasona (ip), 6 dias/semana, por 4 semanas e, posteriormente, dose única de manutenção de 10 mg/kg, semanalmente. Foram realizadas eutanásias para colheita de órgãos e lavado peritoneal nos dias 15, 45 e 65 pós inoculação (ou término do período imunossupressivo). Realizou-se os ensaios para avaliação da atividade imunomodulatória de macrófagos, análise histopatológica e reação em cadeia da polimerase do tecido cerebral. Os animais imunossuprimidos e infectados e os do grupo apenas infectado apresentaram esplenomegalia e caquexia, evidenciando a visceralização. Os macrófagos obtidos do grupo imunossuprimido e infectado mostrou uma diminuição acentuada no espraiamento (p ≤ 0,05) no decorrer dos tempos experimentais, enquanto o grupo infectado não mostrou diferença significativa entre os tempos experimentais. Na contagem do número de formas amastigotas no interior de vacúolos de macrófagos peritoneais, verificou-se uma maior quantidade de amastigotas (p ≤ 0,05) para os 15 dias no grupo imunossuprimido e infectado e no grupo apenas infectado. A análise histopatológica revelou a presença de edema em bainha de mielina na substância branca cerebelar, na neurópila da ponte e medula oblonga para o grupo imunossuprimido, de forma progressiva, em todos tempos experimentais. No grupo imunossuprimido e infectado e grupo apenas infectado, o edema de bainha de mielina só foi observado aos 65 dias. Detectou-se pela PCR a presença de L. amazonensis em fragmento de tecido nervoso de animais do grupo imunossuprimido e infectado aos 15 dias pós inoculação. A validação do modelo de imunossupressão mostrou-se satisfatória, uma vez que os animais apresentaram características de visceralização, com leucoencefalopatia de neurônios do cerebelo, ponte e medula oblonga, além da imunomodulação de macrófagos peritoneais entre os diferentes tempos e grupos experimentais.

  • AMANDA DE ANDRADE GOMES SILVA
  • VALIDAÇÃO DE TESTES DE CULTURAS E MICROCULTURAS PARA O DIAGNÓSTICO DA LEISHMANIOSE VISCERAL
  • Orientador : DORCAS LAMOUNIER COSTA
  • Data: 28/09/2018
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: As leishmanioses constituem um conjunto de doenças com diferentes apresentações que incluem as leishmanioses cutânea, mucocutânea, difusa e leishmaniose visceral (LV) que é quase sempre letal se não for tratada. No período de 2001-2016 foram reportados 55.530 casos humanos de LV nas Américas com uma média anual de 3.457 casos, dos quais 96% dos casos ocorreram no Brasil. Por ser uma doença de notificação compulsória e com características clínicas de evolução grave, o diagnóstico deve ser feito de forma precisa e o mais precocemente possível. Dentre os testes utilizados para o diagnóstico da LV estão os sorológicos e imunológicos, molecular e parasitológico. OBJETIVO: Validar técnicas de cultivo de Leishmania spp para o diagnóstico parasitológico da LV. METODOLOGIA: Foram incluídos 101 pacientes dos quais amostras de medula óssea foram utilizadas para a realização da pesquisa direta e cultivo de parasitas utilizando as técnicas de cultura tradicional, cultura centrifugada 3 vezes, a cultura centrifugada 4 vezes, a microcultura e a microcultura modificada. Uma alíquota de soro foi utilizada para a realização do teste rápido. Reações em cadeia da polimerase foram realizadas utilizando medula óssea e sangue periférico. As variáveis avaliadas foram: sensibilidade, especificidade, acurácia, razões de verossimilhança e o tempo necessário para a identificação de formas promastigotas. RESULTADOS: A especificidade de todos parasitológicos foi de 100%. O teste rápido apresentou em sensibilidade de 76,7% e especificidade de 53,3%. Para a pesquisa direta a sensibilidade foi de 66,0%. Entre os distintos métodos de culturas a sensibilidade foi de 68,8% para a cultura tradicional, de 74,0% para a cultura centrifugada 3 vezes, e também de 77,5%, para a cultura centrifugada 4 vezes; a microcultura e microcultura centrifugada apresentaram sensibilidade de 7,84% e 51,0% respectivamente. A sensibilidade para PCR em material medular foi de 90,6% e em sangue periférico de 72,2%. O número médio de dias para a positivação da cultura tradicional foi de 10 dias; na cultura centrifugada 3 vezes foi de 6,2 dias; para a cultura centrifugada 4 vezes de 6 dias; na microcultura de 4,5 dias e na microcultura modificada de 4,2 dias. CONCLUSÃO: As técnicas de cultura e microcultura apresentaram desempenho semelhantes quanto a sensibilidade e especificidade da cultura tradicional, porém apresentaram um tempo de positivação muito menor, propiciando um diagnóstico oportuno e mais precoce.

     

     

  • GABRIELA LUSTOSA SAID UCHÔA
  • Perfil Clínico-Epidemiológico dos Pacientes com Reumatismo Crônico Pós Chikungunya Atendidos em um Hospital Universitário.
  • Orientador : AIRTON MENDES CONDE JUNIOR
  • Data: 28/09/2018
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÂO: A infecção pelo Chikungunya vírus (CHIKV) tem se tornado um importante problema de saúde pública nos países onde ocorrem as epidemias. Caracterizada clinicamente por febre e dor articular debilitante na fase aguda, pode evoluir para cronificação da doença com dor persistente e incapacitante. OBJETIVOS: Estabelecer o perfil clínico-epidemiológico dos pacientes com reumatismo crônico pós-Chikungunya (CHIK) atendidos em um Hospital Universitário. METODOLOGIA: Estudo transversal realizado no ambulatório de reumatologia do HU-UFPI entre janeiro a julho de 2018 com pacientes com suspeita de reumatismo crônico pós-CHIK. Foram coletados dados através de um questionário e amostras de sangue foram colhidas para a confirmação diagnóstica por sorologia ELISA e para a dosagem de marcadores inflamatórios (VHS e PCR). Foram incluídos 24 pacientes que tiveram sorologia confirmada para CHIKV. RESULTADOS: Dentre os pacientes com confirmação sorológica para CHIKV, observou-se persistência de imunoglobulina de fase aguda (IgM) nos pacientes. A maioria dos pacientes foi do sexo feminino (83%), e a média da idade dos pacientes foi 56,2 ± 12, com prevalência entre a faixa etária de 40 a 59 anos (54%). A maior parte foi de cor da pele parda (83%), com ensino fundamental incompleto (46%) e proveniente de Teresina (96%). O tempo médio de evolução da artralgia crônica pós-CHIKV foi de 14,32 ± 6,5 meses, com média de intensidade da dor (EVA 0-10) de 6,5 ± 2,32, e a articulação mais acometida foi o tornozelo. Marcadores inflamatórios, VHS e PCR, tiveram média de 25,15 ± 21,15 e 11,01± 27,68, respectivamente. Foi verificada associação estatisticamente significante entre VHS e PCR e intensidade da dor (p= 0,005 e p=0,025), sendo que no sexo feminino tanto a intensidade da dor (p= 0,009) como os valores dos marcadores inflamatórios estavam aumentados, em relação ao sexo masculino. CONCLUSÃO: O reumatismo crônico pós-CHIK nos pacientes atendidos no HU-UFPI é mais frequente em mulheres, com faixa etária entre 40 a 59 anos, com intensidade de dor e marcadores inflamatórios aumentados.

  • JOSÉ NEWTON FERNANDES DA SILVA JÚNIOR
  • Anatomia e Histologia do Joelho da Cutia (Dasyprocta prymnolopha Wagler 1831).
  • Orientador : AIRTON MENDES CONDE JUNIOR
  • Data: 28/09/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As cutias (Dasyprocta sp) são roedores silvestres de médio a grande porte,
    utilizados frequentemente como fonte de alimento e extração de couro por populações
    locais. Possuem grande potencial zootécnico, o que estimula estudos anatômicos e
    morfológicos a fim de fundamentar ações de manutenção em cativeiro, preservação em
    habitat natural e uso desse animal como modelo experimental. Objetivos: Descrever a
    anatomia e histologia da articulação do joelho da cutia. Metodologia: Foram utilizadas
    4 cutias (Dasyprocta prymnolopha) adultas (com idade 1 a 2 anos), constituídas de 2
    fêmeas e 2 machos. Os animais foram provenientes do Núcleo de Estudo e Preservação
    de Animais Silvestres - NEPAS (Certificado de Registro IBAMA/PI Nº 02/08-618), do
    Centro de Ciências Agrárias (CCA) da Universidade Federal do Piauí (UFPI). Os
    animais foram submetidos à dissecação e identificação das estruturas da articulação do
    joelho após a eutanásia. Para microscopia de luz no ligamento patelar, nos ligamentos
    cruzados cranial e caudal, e nos ligamentos colaterais medial e lateral, foram utilizados
    dois espécimes adultos de cada sexo. Resultados: A análise macroscópica identificou
    uma articulação patelofemoral de elevada congruência; patela alongada; fabelas medial
    e lateral na inserção proximal do gastrocnêmico; meniscos medial e lateral com lúnulas;
    ligamento patelar; 4 ligamentos femorotibiais (ligamentos cruzados cranial e caudal;
    ligamentos colaterais medial e lateral); 4 ligamentos meniscais (ligamento
    meniscofemoral, ligamento meniscotibial caudal do menisco medial, ligamento
    meniscotibial cranial do menisco medial e do menisco lateral). No aspecto histológico,
    o ligamento patelar apresentou feixes de colágenos paralelos com trajeto retilíneo e
    fibroblastos enfileirados; os ligamentos colaterais e cruzados apresentaram tecido
    conjuntivo denso modelado e frouxo, fibroblastos enfileirados e ondulações dos feixes
    de colágenos, esta ultima mais expressiva no ligamento cruzado cranial. Conclusão: O
    joelho da cutia apresentou composição semelhante ao de roedores e animais domésticos,
    aproximando-se em relação à espécie humana em alguns aspectos. Assim, os resultados
    desta pesquisa podem contribuir no adequado manejo dessa espécie, bem como
    fomentar o uso da mesma como modelo experimental.

  • LUIS GUSTAVO CAVALCANTE REINALDO
  • Avaliação da indicação de esplenectomia para pacientes com calazar refratário coinfectados ou não com o vírus HIV
  • Orientador : CARLOS HENRIQUE NERY COSTA
  • Data: 10/09/2018
  • Mostrar Resumo
  • calazar tem se comportado como uma infecção oportunista nos pacientes portadores do vírus HIV e essa associação tem sido descrita em várias regiões do mundo. As duas doenças exercem um efeito de sinergismo prejudicial na resposta imunitária celular por possuírem células imunitárias semelhantes como alvo. Uma parcela dos pacientes evoluem com calazar recorrente, apresentando permanência da esplenomegalia, falência terapêutica definitiva do calazar, HIV com persistência de células CD4 + baixas mesmo com carga viral indetectável e perfil hematológico de pancitopenia. Este território hostil ocorre provavelmente devido ao hiperesplenismo, que além de ser responsável pela pancitopenia é um reservatório de Leishmania e linfócitos repletos de vírus HIV. Com base nisso, descrevemos os resultados da esplenectomia em pacientes com leishmaniose visceral recorrente coinfectados ou não com HIV tendo como fundamento a experiência positiva de esplenectomia em pacientes com calazar imunocompetentes. Metodologia: Trata-se de uma coorte aberta envolvendo indivíduos com calazar recorrente, co-infectados ou não com HIV, acompanhados no Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela, em Teresina, Piauí, Brasil, no período de 2008 a 2016. Os critérios de elegibilidade para a cirurgia foram: pacientes com confirmação de calazar recorrente, com infectados ou não com HIV, que aderiram à profilaxia secundária para calazar e a terapia anti-retroviral, em condições clinicas de se submeter ao procedimento cirúrgico e que aceitaram o procedimento. Resultados: A esplenectomia foi realizada em 13 pacientes, um paciente teve a indicação definida porém foi a óbito ainda no preparo pré operatório. Apenas dois pacientes tiveram complicações precoces relacionados diretamente ao procedimento. A única complicação tardia descrita foi a leishmaniose dérmica pós calazar e ocorreu em dois pacientes. Quatro pacientes vieram a óbito ao longo da coorte. O tempo médio de internação após esplenectomia foi de 6 dias. Para todos os pacientes houve aumento das células CD4 (p = 0,003), diminuição de novas hospitalizações (p=0,001) e melhora da pancitopenia (p < 0,05). A estimativa média do tempo de sobrevida dos indivíduos é de 1327,98 dias após a cirurgia, ou seja, cerca de 3 anos e 7 meses. Peso, tamanho e espessura do baço importa para a programação cirúrgica, quanto maiores, mais difícil será o procedimento. Conclusões: A esplenectomia pode trazer benefícios ao grupo de pacientes com calazar recorrente, coinfectados ou não com HIV, que falharam no tratamento de ambas as infecções e desenvolverem hiperesplenismo.

     

  • BRENNA EMMANUELLA DE CARVALHO
  • Epidemiologia e Distribuição Espacial da Tuberculose Pulmonar na Infância e na Adolescência em Teresina-PI, 2001 – 2014.
  • Orientador : VIRIATO CAMPELO
  • Data: 31/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • A Tuberculose (TB), apesar de ser uma doença evitável e curável, atinge cerca de 10,4 milhões de pessoas no mundo. A TB em crianças e adolescentes tem sido negligenciada historicamente e o diagnóstico continua sendo um ponto sensível no manejo desse grupo. Em crianças e adolescentes a TB fornece o reservatório de quais futuros casos se desenvolverão. Sem a detecção e o tratamento bem-sucedidos da infecção e da doença nessa população, as estratégias de eliminação serão ineficazes. Objetivos: descrever os aspectos epidemiológicos e a distribuição espacial da Tuberculose pulmonar na infância e adolescência em Teresina (PI), entre 2001 e 2014. Metodologia: Trata-se de um estudo ecológico, de componente descritivo e analítico. Foram utilizados dados secundários do período entre 2001 e 2014, de casos novos e óbitos por tuberculose pulmonar em indivíduos, com idade menor ou igual a 19 anos, residentes em Teresina (PI) que foram registrados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) e Sistema de Informação de Mortalidade (SIM), respectivamente. Os dados quanto às características demográficas e socioeconômicas do município de Teresina, foram obtidos a partir do banco de dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e a base cartográfica dos bairros, para posterior análise espacial, foi obtida na Empresa Teresinense de Processamento de Dados (Prodater). Os softwares utilizados foram: Statistical Package for Social Sciences (SPSS), e, para geração dos mapas Qgis e GeoDa. Resultados: Foram identificados 271 casos de TB pulmonar em crianças e adolescentes no período de estudo, sendo 28 e 243 casos, respectivamente. A idade média foi 15,51 anos com maior prevalência do sexo masculino, a maior incidência ocorreu em adolescentes de 15 a 19 anos, o ano com maior número de casos foi 2002 e com menor 2010 e 2011. O coeficiente de incidência médio foi 6,92/100mil hab. Observou-se que 82,1% das crianças e 88,1% dos adolescentes apresentaram radiografia de tórax suspeita.

    Quanto à análise espacial, houve distribuição heterogênea com uma maior quantidade de regiões com altas densidades nas zonas Norte e Sul. O índice de Moran foi 0,95 e demonstrou correlação espacial significativa entre os bairros vizinhos e as taxas de incidência. Foi detectada uma relação entre a TB na faixa estudada, renda e presença de aglomerações como favelas. Considerações finais: A TB na população de crianças e adolescentes, apesar de seus baixos índices, é um marcador importante de extensão da doença a incidência na população geral. A escassez de trabalhos que avaliem a TB nessa população demonstra a pouca importância direcionada à temática. O estudo da epidemiologia dessa doença em crianças e adolescentes é importante devido à dificuldade do diagnóstico nessa população, sendo necessária a identificação do perfil sintomatológico para evitar subnotificações. A partir da análise espacial foi possível identificar as áreas com maior incidência de TB na infância e adolescência na cidade de Teresina, ressaltando a sua importância no planejamento das ações de controle da TB direcionadas aos grupos populacionais de risco.

     

     

     

     

  • REIJANE OLIVEIRA LIMA
  • Qualidade e padrão subjetivo do sono de pacientes hospitalizados.
  • Orientador : MAURICIO BATISTA PAES LANDIM
  • Data: 31/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Os hospitais costumam ser ambientes em que a obtenção de um sono de boa qualidade constitui um desafio. Alterações no padrão do sono-vigília deve ser alvo de atenção, pois causam alteração na homeostasia e no bem-estar dos pacientes causando má qualidade de sono que, por sua vez, diminuem o potencial de melhora e aumentam o número de dias de internação. OBJETIVO: Avaliar a qualidade e padrão subjetivo do sono de pacientes hospitalizados em um hospital universitário. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo transversal e analítico, realizado com 230 pacientes de um hospital universitário na cidade de Teresina-PI. A coleta de dados ocorreu no período de setembro de 2017 a março de 2018, foram incluídos na pesquisa pacientes com idade igual ou superior a 18 anos; internados há, no mínimo, 48 horas e, no máximo, cinco dias com condições clínicas estáveis, orientação preservada. Para a coleta de dados foi utilizado um questionário estruturado e para a avaliação da qualidade e do padrão subjetivo do sono foi utilizado, respectivamente, o Índice da Qualidade do Sono de Pittsburg (PSQI) e as Visual Analog Sleep (VAS) Scales. Todos os participantes assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí, sob o parecer número 1.901.494 e obedeceu aos critérios éticos da Resolução 466/12 do Conselho Nacional de Saúde – CNS. Foram calculadas estatísticas uni e bivariadas com o software IBM® SPSS®, versão 23.0. RESULTADOS: O escore global do PSQI nos últimos 30 dias foi 5,3 pontos. No domicílio foram observadas disfunções significativamente maiores no sexo feminino (p = 0,046). Na hospitalização, as escalas de Distúrbio, Efetividade e Suplementação atingiram, respectivamente, escores de 208,7 pontos, 353,8 pontos e 62,9 pontos. Os fatores que interferiram no sono durante a hospitalização foram prática de atividade física regular (p=0,024), maior índice de massa corporal (p = 0,033) e fatores do ambiente. CONCLUSÃO: Conclui-se que os pacientes apresentaram certo grau de distúrbio, com porcentagem alta para baixa efetividade do sono, e consequentemente necessidade de suplementação do sono durante o dia no período de internação. Observou-se também que fatores ambientais influenciaram negativamente a qualidade do sono no hospital, além disso, os pacientes com alguma dificuldade prévia relacionada ao sono apresentaram maiores prejuízos no padrão subjetivo do sono no hospital.

     

  • MARCELA FLAVIA LOPES BARBOSA
  • Associação entre Baixa Estatura com Fatores de Riscos Cardiovasculares em Adolescentes Matriculados no Ensino Médio.
  • Orientador : MAURICIO BATISTA PAES LANDIM
  • Data: 30/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: As doenças cardiovasculares (DCV) constituem causa importante de morbidade e mortalidade e são consideradas um dos problemas de saúde de maior magnitude no Brasil, em que a Baixa estatura vem sendo estudada devido sua associação entre as doenças cardiovasculares. OBJETIVO: Analisar a associação da baixa estatura com os fatores de riscos cardiovasculares em adolescentes. METODOLOGIA: Trata-se de uma pesquisa descritiva, transversal de abordagem quantitativa, realizada em escolas técnicas federais da cidade de Teresina-PI, com 267 adolescentes, selecionados a partir de amostragem aleatória simples. O estudo recebeu aprovação do comitê de ética por meio do número de parecer: 2.528.663. Os dados foram coletados por meio de preenchimento de questionário que buscou as variáveis independentes: dados socioeconômicos, fatores cardiovasculares, pressão arterial, índice de massa corporal, medidas antropométricas (peso, altura, circunferência abdominal, circunferência do pescoço) em ambos os sexos. Utilizou-se a análise inferencial, para a avaliação de diferenças nas frequências observadas e esperadas entre duas variáveis categóricas, utilizou-se o Teste Qui-Quadrado de Pearson e Teste de Verossimilhança. O teste de ANOVA foi realizado com o intuito de verificar as diferenças de médias dos dados numéricos entre os grupos ou dados categóricos. RESULTADOS: Revelaram que a amostra foi constituída predominantemente de adolescentes do sexo feminino, com média de idade de 16,43 anos (mínima 14 e máxima 19 anos), de cor parda, com renda familiar de até um salário mínimo e estudavam no IFPI sul. Não foi possível identificar associação com a estatura e as variáveis socioeconômicas, medidas antropométricas e fatores de riscos cardiovasculares em ambos os sexos, porém houve significância em relação ao peso e a circunferência abdominal. Identificou-se fatores de risco cardiovasculares em relação aos hábitos alimentares, pois destacaram os adolescentes que acrescentam sal na comida quando não está salgada o suficiente. A amostra apresentou como fator de proteção para as DCV a prática de atividade física regular, pois realizam caminhadas no mínimo três vezes por semana. Além disso, a maioria deles não fuma, não consomem bebidas alcoólicas, apesar de já terem experimentado esse último com média de idade de 14 anos. CONCLUSÃO: Portanto, torna-se fundamental a formulação de estratégias de prevenção para os adolescentes visando à promoção de estilos de vida saudáveis como dietas com baixa densidade energética, incremento na atividade física, avaliação de saúde de forma regular e mudanças de comportamento quanto ao controle do peso corporal.

     

  • LAÍS ROCHA LIMA
  • Perfil de resistência e presença de bomba de efluxo em isolados clínicos de acinetobacter spp em Teresina-PI
  • Orientador : VIRIATO CAMPELO
  • Data: 20/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • Acinetobacter baumannii é um patógeno oportunista causador de infecções relacionadas à assistência à saúde ( IRAS) , especialmente  em unidades de terapia intensiva (UTI). Suas crescentes taxas de resistência a múltiplas drogas representam um grave problema de saúde pública. O presente estudo teve como objetivos analisar o perfil epidemiológico de 106 pacientes internados no hospital de urgências de Teresina, Piauí, Brazil, bem como investigar o perfil de resistência das amostras de Acinetobacter isoladas destes pacientes. A identificação e a determinação do perfil de resistência dos isolados clínicos foram realizadas pelo método automatizado no BD PHOENIX 5.1. Para determinar a ocorrência de mecanismo de resistência mediado por bomba de efluxo, a concentração inibitória mínima de diferentes antibióticos foi determinada na presença e na ausência do Carbonilcianeto m-clorofenil-hidrazona. Observou-se que ,  a maioria dos pacientes era do sexo masculino (69%), entre 20 a 60 anos (56,6%) e com infecções do trato respiratório (77.3%).  Dos 106 isolados, 101 eram A. baumannii e 5 Acinetobacter spp ,e ntre os isolados clínicos de A. baumannii verificou-se um elevado percentual (96.0%) de cepas multirresistentes, com maior prevalência de resistência à gentamicina (98.0%), ceftriaxona (94.3%), ceftazidima (92.0%), ciprofloxacina (90.5%) e levofloxacina (90.5%). Por outro lado, todas as cepas foram sensíveis à colistina. A ocorrência de resistência mediada por bomba de efluxo foi verificada em 26.4%, 16,0% e 8.5% das cepas resistentes à ceftazidima, amicacina e ciprofloxacina, respectivamente. Estes resultados alertam para a necessidade da implementação de medidas preventivas visando reduzir a prevalência de cepas de A. baumannii multirresistentes no ambiente hospitalar.

  • LARRUAMA SOARES FIGUEIREDO DE ARAÚJO
  • MULHERES E CÂNCER DE MAMA: ITINERÁRIOS NO CUIDADO À SAÚDE
  • Orientador : JOSE IVO DOS SANTOS PEDROSA
  • Data: 14/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • As estatísticas sobre o câncer de mama são significativas. Com aproximadamente dois milhões de novos casos por ano no mundo, é responsável por meio milhão de óbitos todos os anos, e representa um grande desafio para a saúde pública. Na escolha de um caminho em busca de solução para a doença, os pacientes traçam alternativas diferenciadas. Diante disso, o objetivo do estudo foi compreender a experiência de cuidado à saúde de mulheres com câncer de mama na cidade de Parnaíba – Piauí. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, realizada com sete mulheres, recrutadas na Clínica João Silva Filho, onde funciona a Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia - UNACON da cidade de Parnaíba. Os critérios de inclusão envolveram: ser mulher, maior de 18 anos, cadastrada na clínica para tratamento e que assinassem o TCLE. O instrumento para a produção dos dados foi a entrevista não diretiva e para a realização da análise dos dados, foi utilizada a técnica de análise de conteúdo de Bardin. As informações foram agrupadas em quatro categorias temáticas: 1) Percepção sobre saúde, doença e cuidado; 2) Ser mulher com câncer de mama; 3) O itinerário de mulheres com câncer e a construção da rede de cuidados e saúde; E 4) Sentidos atribuídos ao câncer. As escolhas das mulheres durante o processo saúde/doença/cuidado expressam construções em um contexto amplo, envolvendo as experiências vivenciadas por cada pessoa durante sua trajetória de vida. O itinerário se desenvolve então, num contexto abrangente, não é linear e não segue a formalização prevista pelo Ministério da Saúde, pois as escolhas das mulheres são circunstanciais, se constroem a partir das necessidades dos sujeitos e das potencialidades do território.

  • VICTOR ALVES DE OLIVEIRA
  • POLIMORFISMO DO GENE DA METALOPROTEINASE MATRICIAL 9 EM MULHERES COM CÂNCER DE MAMA
  • Orientador : BENEDITO BORGES DA SILVA
  • Data: 13/07/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O câncer de mama é a neoplasia que mais afeta mulheres em todo mundo, sendo uma doença de etiologia desconhecida e multifatorial, cujo principal fator de risco são as alterações genéticas. O polimorfismo do gene da metaloproteinase matricial 9 (MMP9) tem sido foco de estudos recentes, devido uma provável associação com a angiogênese no câncer mamário e desenvolvimento de metástases. Na variante polimórfica rs17576 da MMP9, o alelo G tem sido investigado devido provocar uma alteração missense que leva a troca de uma Glutamina por uma Arginina, sendo relacionada, portanto, ao risco para câncer de mama, contudo, há escassez de estudos na literatura e na população brasileira. Objetivo: Avaliar a associação entre o polimorfismo de nucleotídeo único (SNP) rs17576 do gene do MMP9 e o risco de câncer de mama. Pacientes e Métodos: estudo transversal controlado, envolvendo 141 mulheres, conforme dimensionamento amostral, divididas em dois grupos: grupo I (caso, n=71, mulheres com câncer de mama), e grupo II (controle, n=70, mulheres sem câncer de mama). Participaram do estudo, mulheres atendidas no Setor de Mastologia do Hospital Getúlio Vargas em parceria com a Universidade Federal do Piauí. O sangue periférico foi coletado das participantes para estudo do DNA genômico, extraído de leucócitos e submetido à técnica de genotipagem por Reação em Cadeia da Polimerase em tempo real (RT-PCR). Resultados: A frequência do genótipo A/G (rs17576) foi de 26 (18,43%) no grupo caso e 22 (15,60%) no controle(p=0.2746), ao passo que, o genótipo G/G (rs17576) foram observados 10 (7,09%) nos casos e 1 (0,70%) no controle (p=0.0030 – OR(95% IC) 13.13 (1.73, 593.08)). Após estratificação por status menopausal, na pós-menopausa, o alelo A/G ocorreu em 14 (22,58%) mulheres do grupo caso e 4 (6,45%) do controle (p=0.0431), já o alelo G/G ocorreu em 8 (12,90%) pacientes casos e em nenhuma mulher do grupo controle (p=0,0065). Conclusão: O presente estudou mostrou uma associação estatisticamente significante entre o polimorfismo rs17576 do gene MMP9 com risco ao câncer de mama em relação ao genótipo GG entre casos e controle e em relação à pós-menopausa tanto o genótipo A/G quanto G/G estiveram associados a um maior risco para câncer de mama.

  • MÔNICA MARIA PEREIRA MARQUES
  • Estado nutricional, padrão de refeições e adequação do consumo alimentar de adolescentes de instituições de ensino público e privado.
  • Orientador : REGILDA SARAIVA DOS REIS MOREIRA ARAUJO
  • Data: 11/05/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Na adolescência o organismo apresenta requerimento de nutrientes elevados para suprir as necessidades de crescimento e desenvolvimento acelerado, dessa forma, são necessárias práticas alimentares adequadas para não comprometer o pleno desenvolvimento. Objetivo: Determinar o estado nutricional, o padrão das refeições e a adequação do consumo alimentar dos macronutrientes por adolescentes de escolas públicas e privadas de Teresina-Piauí. Metodologia: Estudo transversal realizado de junho a agosto de 2016, com 685 adolescentes de 14 a 19 anos de escolas públicas e privadas da cidade de Teresina, Piauí. Para determinação do estado nutricional utilizou-se o indicador IMC-para-idade. O consumo alimentar foi avaliado por meio do Recordatório 24 h que foi utilizado para verificar o padrão das refeições e a adequação do consumo alimentar. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da UFPI e todos os participantes assinaram o Termo de Assentimento Livre e Esclarecido e o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Para análise estatística, foram utilizados o teste qui-quadrado e t de Student, com nível de significância de 95%. Resultados e Discussão: Foram avaliados 674 adolescentes. Cuja amostra apresentou uniformidade entre a proporção de idade, sexo e rede de ensino. Houve baixa prevalência de magreza com apenas 3,4%, 76,9% de eutrofia, e 19,7% excesso de peso e obesidade, com maior prevalência nas escolas privadas. O padrão de refeições demostrou que a maioria dos adolescentes consumia as três principais refeições (café da manhã, almoço e jantar), omitiam os lanches intermediários e, substituíam principalmente o jantar por lanches. Os alimentos utilizados na substituição do almoço e jantar foram: frutas, vitaminas, sucos de frutas, leite e derivados e alimentos que além de nutritivos, fazem parte do cardápio regional, bolo de sal/ queijo, cuscuz de milho e de arroz, e tapioca. As proteínas obtiveram adequação do consumo entre os macronutrientes analisados. O consumo de carboidratos, lipídios e calorias apresentou déficit, e com destaque para inadequação no consumo das fibras alimentares.  Conclusão: Concluiu-se que a maioria dos adolescentes pesquisados apresentou estado nutricional adequado, padrão de refeições inadequado e consumo alimentar com baixa porcentagem de inadequação, estando elevada a inadequação apenas para as fibras alimentares. 

     

     

     

  • ANDRESSA SILVA DE MESQUITA
  • A indução da expressão de genes reguladores x inflamatórios em células dendríticas após tratamento com peptídeos da Hsp60”.
  • Orientador : ADALBERTO SOCORRO DA SILVA
  • Data: 30/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • Nosso objetivo, neste trabalho, foi determinar o perfil molecular de mRNA em linfócitos T de moléculas envolvidas em imunorregulação (FOXP3, GATA3, TGF-β, IL-10,) e de outras envolvidas em resposta imune pró-inflamatória (T-bet, IFN-у, TNF-α), realizamos a interação de antígenos da Hsp60 com essas diferentes DCs em linfócitos, T no contexto de células dendríticas imaturas. Primeiramente Células dendríticas humanas maduras (mDC) e imaturas (iDC) foram geradas, in vitro, a partir de monócitos de 16 de indivíduos saudáveis. Estas células foram caracterizadas quanto à (i) morfologia e (ii) imunofentotipagem. Após a cocultura com antígenos da Hsp60, os linfócitos T foram purificados e feita a análise em RT-PCR. Obtivemos DC totalmente diferenciadas, a eficiência de diferenciação de monócitos em DC foi maior do que 90% após a purificação. As análises da morfologia revelaram que ambos os tipos celulares apresentam semelhanças morfológicas: são multiformes e sem vacúolos. No entanto, essas mesmas células apresentaram também algumas diferenças quanto à posição do núcleo e quanto às projeções membranosas. No perfil molecular verificamos um predomínio de modificações reguladoras para os genes TGF-β, TGF-β R, GATA3, TNF-α e T-bet. O peptídeo N7 induziu modificações dominantemente reguladoras em quase todas as condições em que ele foi testado. Em conclusão, verificamos que antígenos da Hsp60 têm a capacidade de ativar, simultaneamente, em linfócitos T, na interação com as células dendríticas, genes funcionalmente antagônicos. Isto reafirma a diversidade funcional da Hsp60. Ademais, identificamos o peptídeo N7 como potencialmente imunorregulador.

     

     

     

     

  • IVISSON LUCAS CAMPOS DA SILVA
  • Mortalidade por Doenças Infecciosas e Parasitárias no município de Teresina-PI (Brasil), 2001-2014
  • Orientador : VIRIATO CAMPELO
  • Data: 28/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Algumas doenças infecciosas e parasitárias (DIP), embora tenham dominado o quadro nosológico da saúde no Brasil por longos anos, recentemente, obteve uma redução no número de mortes. Porém, o acréscimo da meningite, da pneumonia e do vírus influenza, ocasionou um aumento do coeficiente de mortalidade. Embora venha ocorrendo uma acentuada melhoria nos principais indicadores de saúde, a distribuição desses benefícios não se deu de forma homogênea entre as diferentes populações. OBJETIVO: Analisar a evolução da mortalidade por DIP de residentes em Teresina, no período de 2001 a 2014, segundo características relativas ao tempo e pessoa, e analisar os diferenciais de sua distribuição no espaço intra-urbano, considerando as condições de vida de sua população. METODOLOGIA: Estudo ecológico, incluindo análise espacial por densidade Kernel, dos casos de óbitos por DIP como causa básica, entre 2001 e 2014, com dados do Sistema de Mortalidade (SIM). RESULTADOS: Foram registrados 4.916 óbitos por DIP e que geraram 8,9% dos APVP, ocupando a penúltima posição dentre as principais causas básicas. Observou-se um expressivo aumento do coeficiente de mortalidade geral por DIP ao longo do período (34,3-61,3 óbitos/100.000 habitantes), assim como da mortalidade proporcional em ambos os sexos, sobretudo em homens com 80 anos e mais. As DIP com maiores percentuais de óbitos foram: pneumonia (53,2%), AIDS (12,8%), doenças infecciosas intestinais (10,3%) e septicemia (7,4%). maioria dos óbito eram do sexo masculino (53,8%), com faixa etária de 80 anos e mais (33,3%), casados (28,2%), da cor/raça parda (57,5%) e com 1 a 3 anos de estudo (20,6%). Todas as variáveis sociodemográficas e operacionais tiveram associação estatisticamente significante com a causa do óbito. A distribuição espacial se mostrou heterogênea. CONCLUSÃO: O resultado encontrado aponta para a urgência no investimento de prevenção e tratamento dessas morbidades, visto que são as que mais estão desperdiçando anos de vida, por afetarem de forma mais intensa jovens adultos e idosos. Essas informações tem relevância que podem contribuir para um maior impacto no aprimoramento de estratégias de prevenção e tratamento dessas doenças.

     

  • RODRIGO AMORIM OLIVEIRA NUNES
  • Análise da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde em uma Unidade de Terapia Intensiva.
  • Orientador : JOSE IVO DOS SANTOS PEDROSA
  • Data: 16/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) é uma ferramenta criada para fornecer uma linguagem comum para descrição dos fenômenos relacionados aos estados de saúde, que procura refletir sobre perspectiva universal e unificada a respeito da funcionalidade e a incapacidade. Objetivo: Classificar a funcionalidade, por meio da CIF, dos pacientes da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital público de Teresina/PI. Métodos: Trata-se de um estudo do tipo observacional, prospectivo e quantitativo realizado na UTI de um hospital público de Teresina no período de setembro a novembro de 2017. A coleta dos dados aconteceu em dois momentos, na admissão e alta da UTI, inicialmente, o registro sobre o caráter clínico e sociodemográfico do participante, e em seguida, era realizada a avaliação clínica para posterior codificação segundo uma lista resumida da CIF previamente elaborada. Ao final do estudo, todos os dados coletados foram analisados estatisticamente. A pesquisa foi desenvolvida com aprovação do comitê de ética em pesquisa das instituições colaboradoras da pesquisa, e os participantes que se enquadraram nos critérios de inclusão foram convidados a participar por meio da assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). Resultados: Houve melhora na qualidade funcional dos participantes quando comparado os valores da admissão e alta, e observou-se uma associação estatisticamente significativa entre o tempo de permanência na UTI e o nível de consciência, expansibilidade torácica, força muscular periférica e na capacidade de deitar-se, que são categorias da CIF. Conclusão: A CIF mostrou-se uma ferramenta útil e abrangente para caracterizar o estado funcional do paciente crítico, assim como o tempo de internação na UTI está relacionado a ganho ou perda na capacidade funcional.

    Palavras-chave: Unidade de Terapia Intensiva; Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde; Paciente crítico.

     

  • ROSEANNE DE SOUSA NOBRE
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE UMA TECNOLOGIA EDUCATIVA SOBRE PROMOÇÃO DA CULTURA DO ALEITAMENTO MATERNO EM ESCOLARES
  • Orientador : LUISA HELENA DE OLIVEIRA LIMA
  • Data: 16/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • A tomada da decisão em amamentar é um processo associando à educação desde a mais tenra idade, nesse sentido, tem sido reforçada a necessidade de que a mensagem de promoção da amamentação esteja presente desde a infância, dessa forma tornasse necessário trabalhar usando tecnologias educativas com vistas a sensibilizar a população desde cedo sobre a importância desse hábito. Objetivou-se a criação e a validação de uma tecnologia educativa destinada à promoção da cultura do aleitamento materno destinado a crianças. Trata-se de uma pesquisa metodológica, com enfoque no desenvolvimento, avaliação e aperfeiçoamento de uma tecnologia educativa, realizada de agosto de 2016 a novembro de 2017. Na primeira fase do estudo realizou-se revisão integrativa, sendo possível analisar as principais publicações disponíveis sobre a promoção da cultura do aleitamento materno em crianças. Em seguida através da síntese de conhecimentos foi possível traçar os tópicos que seriam abordados na história em quadrinhos abordaria e com o auxílio de um design gráfico foi elaborada a arte e a diagramação da tecnologia educativa. Na terceira fase, a história em quadrinhos foi validada quanto ao conteúdo e aparência por 21 juízes que avaliaram conteúdo e aparência da tecnologia, sendo 16 juízes de conteúdo, desses 8 docentes e 8 com experiência assistencial, além de 5 juízes da área de design. Além destes 37 crianças em idade escolar também avaliaram a tecnologia educativa quanto à organização, estilo de escrita, aparência e motivação. Para coletar os dados foram utilizados três questionários diferentes, cada um direcionado aos grupos distintos de avaliadores. Após o levantamento das sugestões dadas pelos juízes e pelos escolares, foi feita a adequação da história em quadrinhos em sua versão final. O estudo obteve aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, obtendo aprovação sob parecer nº 1.840.137. A tecnologia educativa criada trata-se de uma história em quadrinhos voltada à promoção do aleitamento materno para ser utilizada com crianças de 7 a 9 anos de idade, a qual tem como enredo mamíferos de um zoológico amamentando seus filhotes para assim demostrar a importância desse hábito para o crescimento e desenvolvimento. Na análise estatística a média dos escores dados pelos juízes de conteúdo foi de 90% e com confiabilidade da tecnologia (alpha de cronbach = 0,97) e concordância das respostas (Coeficiente de Correlação Intraclasse = 0,97) altas. O Índice de Validade de Conteúdo global, mensurado com base nas respostas dos juízes da área de design, foi igual a 90,4%. O nível de concordância das respostas positivas dadas pelas crianças foi de 95,6%. Foi realizado também o Teste de legibilidade de Flesch que demostrou que 100% das frases são muito fáceis de compreender. Conclui-se que a história em quadrinhos: “Passeio ao zoológico: Aprendendo sobre o aleitamento materno.” mostrou-se como um material válido e confiável para ser utilizada com crianças na promoção da cultura do aleitamento materno.

     

     

     

  • JAYNE RAMOS ARAUJO MOURA
  • Construção e validação de cartilha educativa para prevenção do excesso de peso em adolescentes.
  • Orientador : ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
  • Data: 15/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • O excesso de peso é um problema de saúde que pode ser prevenido com adoção de hábitos saudáveis de vida. É na adolescência que vários hábitos e comportamentos são estabelecidos, incorporados e possivelmente, perpetuados na idade adulta. Sendo, dessa maneira, imprescindível incentivar o adolescente a se tornar um sujeito ativo do seu cuidado, através de estratégias que visem à promoção da saúde, a prevenção de agravos e o autocuidado. Nesse sentido, este trabalho teve como objetivos desenvolver e validar uma cartilha educativa para prevenção do excesso de peso em adolescentes. Trata-se de uma pesquisa metodológica, com enfoque no desenvolvimento, avaliação e aperfeiçoamento de uma tecnologia educativa, realizada no período de maio de 2017 a fevereiro de 2018. Após diagnóstico situacional e levantamento bibliográfico, a cartilha educativa intitulada de “Psiu, quais as consequências do excesso de peso? Saiba como se prevenir!” foi elaborada a partir de orientação para o cuidado em saúde, contando com o auxílio de um designer gráfico, para elaboração das ilustrações e diagramação das páginas. Após o processo de criação, o material foi validado por 15 juízes, a saber: 9 juízes de conteúdo e 6 juízes de design e marketing, os quais avaliaram o conteúdo e aparência da tecnologia educativa. Para validação com o público-alvo, 36 adolescentes foram consultados, observando sua aparência e adequabilidade ao público e ao objetivo proposto. Foram utilizados três questionários distintos, um para cada grupo de avaliadores. Após o levantamento das sugestões feitas pelos juízes e adolescentes, as alterações foram realizadas e, concluída a versão final da cartilha. O projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da UFPI com parecer nº 853.499. Foram obedecidos os preceitos éticos dispostos na Resolução 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde. A maioria dos juízes de conteúdo era do sexo feminino; com formação em enfermagem; atuação na docência; titulação doutorado; a idade variou de 26 a 43 anos, com prevalência da faixa etária menor que 35 anos. Quanto à análise, a cartilha foi validada com Índice de Validade de Conteúdo de 0,87 pelos juízes de conteúdo. As principais sugestões tecidas por eles giraram em torno da substituição ou troca de termos e adequação de textos para tornar a tecnologia com maior rigor científico e eficaz durante a atividade de educação em saúde. A maioria dos juízes de design e marketing era do sexo masculino, com menos de 35 anos, atuantes na área de Design, da cidade de Picos-PI, avaliaram a cartilha com Índice de Validade de Conteúdo de 0,96.  Em relação ao público-alvo, participaram adolescentes de 14 a 18 anos, predominaram meninos, da cor parda, com renda maior de um salário mínimo. O nível de concordância nas respostas positivas dadas pelos adolescentes foi de 82% e as principais sugestões estiveram associadas às cores e ilustrações da cartilha. Diante dos resultados, é possível afirmar que a cartilha mostrou-se válida e confiável para utilização como tecnologia educativa em intervenções com adolescentes que visem torná-los agentes de mudança e protagonistas do cuidado com seu corpo.

     

     

  • EUGENIO BARBOSA DE MELO JUNIOR
  • Construção e validação de um aplicativo para smartphones sobre prática de exercício físico entre adolescentes.
  • Orientador : LUISA HELENA DE OLIVEIRA LIMA
  • Data: 23/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Atualmente, são indiscutíveis os benefícios no campo da saúde, resultantes do avanço tecnológico. Neste sentido, as tecnologias educativas constituem-se como importantes ferramentas para a promoção da saúde. De modo geral, o sedentarismo é um fator determinante para o desenvolvimento de doenças. Sua prevalência está aumentada, tanto em adultos quanto em crianças e adolescentes, tornando esta população mais propícia à manifestação dos mais variados tipos de enfermidades. Objetivo: construir e validar um aplicativo para smartphones, voltado à promoção da saúde de adolescentes, sobre a prática de exercícios físicos. Métodos: Trata-se de um estudo de validação de tecnologia, do tipo pesquisa de desenvolvimento metodológico, realizado no município de Picos-PI, durante o período de maio 2016 a novembro de 2017. O aplicativo foi elaborado seguindo as seguintes etapas: levantamento dos requisitos; planejamento; modelagem; implementação e testes; e validação. A amostra foi constituída por 12 juízes-especialistas e 21 adolescentes. A coleta de dados foi realizada por meio de questionários, direcionados aos grupos de avaliadores, contendo dados referentes à identificação, área de formação e atuação profissional. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisas com Seres Humanos da Universidade Federal do Piauí, sob o Parecer nº 1.630.846. Resultados: Em relação aos juízes, 75,0% eram do sexo masculino. A idade variou entre 25 e 36 anos, predominando idades iguais ou maiores que 30 anos (66,7%). Acerca da formação, a amostra ficou distribuída de forma igualitária entre graduados em Enfermagem, Sistemas de Informação, Ciências da Computação e Educação Física, cada categoria profissional representando 25,0% do total de juízes. Em relação ao tempo de formação, 75,0% possuíam entre três e dez anos, sendo que 83,4% possuíam entre três e dez anos de experiência. Na avaliação feita pelos Enfermeiros e Profissionais de Educação Física, 23 dos 29 itens avaliados, obtiveram valor máximo (1,00) do IVC calculado. Os demais itens, apesar de não terem atingido concordância de 100% entre os juízes-especialistas, obtiveram valores de 0,83, o que não compromete os resultados, pois valores maiores ou iguais a 0,78 são indicativos de adequação. Na avaliação dos Programadores e Designers Gráficos, nenhum dos itens foi assinalado no campo “Discordo totalmente” e, apesar de sete itens terem obtido avaliação “Discordo”, foram feitas sugestões em apenas três deles. Levando em consideração que houve concordância da adequação dos itens, pela maioria dos juízes e devido ao fato de que as correções sugeridas terem sido realizadas, todos os itens foram considerados adequados após as correções. Na amostra constituída pelos adolescentes, a idade prevalente foi de 17 anos, havendo predomínio do sexo feminino (52,4%). Na avaliação dos adolescentes, nenhum item foi conceituado como “Discordo totalmente” e, apesar de cinco itens terem recebido menção “Discordo”, nenhum dos adolescentes manifestou qualquer tipo de sugestão de mudança. O cálculo do IVC resultou em valores entre 0,86 e 1,00. Assim, o resultado dessa análise foi satisfatório e o aplicativo foi considerado validado, também, por esse grupo. Conclusão: o aplicativo foi validado com sucesso pelos juízes, mostrando-se uma tecnologia válida e confiável para estimular a prática de exercícios físicos em adolescentes.

     

     

  • MAYLA ROSA GUIMARAES
  • INDICADORES CLÍNICOS E METABÓLICOS E SUA RELAÇÃO COM RESISTÊNCIA À INSULINA ENTRE ADOLESCENTES
  • Orientador : ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
  • Data: 22/02/2018
  • Mostrar Resumo
  •  

    As alterações no perfil glicêmico, especialmente a resistência à insulina e as dislipidemias configuram-se, nos dias atuais, como relevante e crescente problema de saúde pública acometendo adolescentes do mundo todo, inclusive brasileiros, cujo perfil do estado nutricional mudou bruscamente nos últimos anos. Objetivou-se avaliar indicadores clínicos e metabólicos e sua relação com a resistência à insulina entre adolescentes. Trata-se de um estudo analítico, quantitativo, realizado com 357 adolescentes entre 10 a 19 anos, de escolas públicas estaduais na cidade de Picos – Piauí. A coleta de dados foi realizada nas escolas no período de agosto a dezembro/2014 e março/2015, por meio de um formulário contendo dados socioeconômicos, além de dados sobre variáveis clínicas e metabólicas. Foram consideradas variáveis clínicas: Índice de Massa Corporal, Circunferência da Cintura, Circunferência do Pescoço, Índice de Conicidade, Pressão Arterial Sistólica e Diastólica média; variáveis metabólicas: Triglicerídeos, Glicemia, High – Density Lipoprotein colesterol, Insulina e Índice Homeostasis Model Assessment. As coletas sanguíneas foram realizadas por laboratório especializado, respeitando o jejum de doze horas. Foram calculadas estatísticas descritivas como médias, desvio padrão, mínimos e máximos, para variáveis quantitativas; e frequências para variáveis qualitativas. Para inferência analítica, foram realizados testes de associações entre as variáveis clínicas e metabólicas com a resistência à insulina através do Qui-Quadrado e o teste Odds Ratio. Para a análise de correlação entre as variáveis triglicerídeos e High – Density Lipoprotein colesterol e a resistência à insulina foi aplicada a Correlação de Pearson para avaliar a força das associações entre as variáveis. Considerou-se significância estatística p<0,05. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisas com Seres Humanos da Universidade Federal do Piauí, parecer nº 714.995. Dos adolescentes avaliados, 63% eram do sexo feminino, 60,2% estavam na faixa etária de 15 a 19 anos, 53,5% se autodeclararam pardos e 66,9% pertenciam à classe C. O excesso ponderal esteve presente em 18,5%, distribuídos em 12,9% com sobrepeso e 5,6% com obesidade. As médias da circunferência da cintura, circunferência do pescoço, índice de conicidade, pressão arterial sistólica média e pressão arterial diastólica média estiveram alteradas respectivamente em 4,2%; 30%; 10,9%; 4,2% e 14% dos adolescentes. Os níveis de High – Density Lipoprotein colesterol estiveram diminuídos em 30,5% da amostra, ao passo que os triglicerídeos apresentaram-se elevados em 18,8% dos estudantes. Não foi identificada alteração na glicemia. A prevalência de resistência à insulina foi de 33,9%. Aqueles que apresentaram índice de massa corporal, circunferência da cintura, circunferência do pescoço, índice de conicidade e triglicerídeos alterados possuíam maiores chances de apresentar resistência à insulina (OD: 3,62; 11,54; 3,50; 4,49; 3,05, respectivamente). De maneira oposta, os adolescentes com pressão arterial sistólica média, pressão arterial diastólica média e High – Density Lipoprotein colesterol alterados não apresentaram significância estatística (p<0,05). Houve, ainda, correlação significativa entre a resistência à insulina e os triglicerídeos (r: 0,237; p=0,000). Os achados deste estudo revelam que a resistência à insulina está presente entre os adolescentes, com associações positivas e significativas com alterações clínicas e metabólicas, imprimindo assim, dados relevantes e preocupantes, justificando a monitorização das características clínicas nos adolescentes, assim como a adoção de estratégias educativas nas escolas que integrem os setores saúde e educação para promoção da saúde dos escolares.

     

     

  • JÉSSICA BATISTA BESERRA
  • RELAÇÃO ENTRE BIOMARCADORES DO ZINCO E O METABOLISMO DOS HORMÔNIOS TIREOIDIANOS EM MULHERES OBESAS
  • Orientador : DILINA DO NASCIMENTO MARREIRO
  • Data: 05/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • A expansão do tecido adiposo leva à sua disfunção, que é caracterizada por alterações no metabolismo do zinco e dos hormônios tireoidianos. Estudos têm demonstrado a participação desse mineral na síntese do hormônio liberador da tireotrofina (TRH) e da tireotrofina (TSH), na conversão de tiroxina (T4) em triiodotironina (T3), bem como na atuação do T3. OBJETIVO: Avaliar a relação entre biomarcadores do zinco e as concentrações séricas dos hormônios tireoidianos em mulheres obesas. METODOLOGIA: Estudo de natureza transversal, desenvolvido com mulheres, distribuídas em dois grupos: grupo caso (obesas com índice de massa corpórea - IMC ≥ 35 kg/m²) e grupo controle (mulheres com índice de massa corpórea - IMC entre 18,5 e 24,9 kg/m²). Foram realizadas medidas do peso corporal, estatura, índice de massa corpórea e circunferência da cintura. A análise da ingestão de zinco foi realizada por meio do registro alimentar de três dias, utilizando o programa Nutwin, versão 1.5. As concentrações de zinco plasmático, eritrocitário e urinário foram determinadas segundo o método de espectrometria de emissão óptica com plasma acoplado indutivamente. As concentrações séricas dos hormônios e anticorpos tireoidianos foram determinadas por meio de quimioluminescência. Os dados foram analisados por meio do programa estatístico SPSS for Windows 20.0. RESULTADOS: Os valores médios do consumo de zinco estavam superiores às recomendações, sem diferença estatística entre os grupos estudados (p>0,05). As mulheres obesas possuíam concentrações plasmáticas e eritrocitárias de zinco reduzidas, quando comparadas ao grupo controle (p<0,05). A concentração de zinco urinário das mulheres obesas estava superior ao grupo controle, com diferença estatística (p<0,05). As concentrações séricas de TSH, T3 e T4 não apresentaram diferença estatística significativa entre os grupos (p>0,05). Não houve correlação entre as concentrações séricas dos hormônios tireoidianos e biomarcadores do zinco (p>0,05). CONCLUSÃO: A partir dos resultados deste estudo, pode-se concluir que as mulheres obesas apresentam alterações no estado nutricional relativo ao zinco, bem como possuem concentrações séricas adequadas dos hormônios tireoidianos. Além disso, a análise da correlação entre as concentrações séricas de TSH, T3 e T4 e os parâmetros do zinco não demonstra influência desse mineral sobre o metabolismo desses hormônios.

     

  • JOÃO PAULO DA SILVA SAMPAIO
  • Polifomorfismo do Receptor da Vitamina D (VDR) em mulheres com câncer de mama
  • Orientador : BENEDITO BORGES DA SILVA
  • Data: 26/01/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O câncer de mama é uma doença multifatorial que envolve um desequilíbrio entre fatores genéticos, dietéticos, hormonais e reprodutivos, sendo determinada principalmente pela ocorrência de mutações ou de alguma ativação anormal de genes que controlam o crescimento e a proliferação celular. Estudos têm mostrado que o receptor da Vitamina D (VDR) está presente em vários tipos celulares, incluindo células malignas e normais da mama, com envolvimento na proliferação celular e redução da apoptose, bem como no crescimento e agressividade do câncer mamário. A proposito, a variante polimórfica ApaI (rs7975232) do gene VDR destaca-se como possível biomarcador no câncer de mama. Objetivo: Avaliar a associação entre o polimorfismo de nucleotídeo único do gene VDR e o câncer de mama. Pacientes e Métodos: estudo transversal controlado, envolvendo 140 mulheres, conforme dimensionamento amostral, atendidas no Setor de Mastologia do Hospital Getúlio Vargas e Hospital São Marcos em parceria com a Universidade Federal do Piauí. As mulheres foram divididas em dois grupos: grupo I, caso (mulheres com câncer de mama, n=70) e grupo II, controle (mulheres sem câncer de mama, n=70). Uma pequena amostra de 3 ml de Sangue periférico foi coletado das participantes para estudo do DNA genômico extraído de leucócitos, a genotipagem foi realizada pela Reação em Cadeia da Polimerase em Tempo Real (RT-PCR). Resultados: O genótipo aa esteve presente em 16 mulheres (22,8%) do grupo I (caso) e em 10 (14,3%) do grupo II (controle) (OR= 2,087; IC95%= 0,800-5,444; p=0,133), enquanto a frequência do genótipo Aa foi em 31 (44,4%) mulheres do grupo caso e em 30 (42,9%) das mulheres do grupo controle (OR= 1,344; IC95%= 0,996-4,372; p=0,051). Com relação ao status menopausal, as mulheres em pós-menopausa que apresentaram o genótipo Aa tiveram uma maior associação com o câncer de mama (OR= 3,980; IC95%= 1,102-14,373; p= 0,035) Conclusão: Os achados do presente estudo sugerem que a presença do genótipo Aa da variante polimórfica ApaI (rs7975232) gene VDR está associado a uma maior susceptibilidade ao câncer de mama nas mulheres na pós-menopausa.

  • LARYSSE MAIRA CARDOSO CAMPOS VERDES
  • ESTUDO DO POLIMORFISMO DO GENE DO RECEPTOR SENSÍVEL AO CÁLCIO EM MULHERES COM CÂNCER DE MAMA
  • Orientador : BENEDITO BORGES DA SILVA
  • Data: 19/01/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O câncer de mama é a principal causa de morte por câncer em mulheres em todo o mundo. Todavia é uma doença de etiologia desconhecida e causa multifatorial, envolvendo fatores reprodutivos, ambientais e genéticos, portanto, uma doença de causa multifatorial e tem como principal fator as alterações genéticas. Estudos têm mostrado uma associação entre o polimorfismo do gene do Receptor Sensível al Cálcio (CaSR) com o crescimento e agressividade do câncer mamário, assim como o seu papel na proliferação e apoptose das células do epitélio mamário, podendo ser um biomarcador interessante nas pesquisas com câncer mamário. Objetivo: Avaliar a associação entre o polimorfismo de nucleotídeo único do gene do CaSR e a presença de câncer de mama. Materiais e Métodos: estudo transversal controlado, envolvendo 137 mulheres, conforme dimensionamento amostral, divididas em dois grupos: e grupo I (caso, mulheres com câncer de mama), n=69 e II (controle, mulheres sem câncer de mama) n=68. Participaram do estudo mulheres, atendidas no Setor de Mastologia do Hospital Getúlio Vargas da Universidade Federal do Piauí. Sangue periférico foi coletado das participantes para estudo do DNA genômico extraído de leucócitos pela técnica de genotipagem por Reação em Cadeia da Polimerase em tempo real (RT-PCR). Resultados: A frequência do genótipo AA (rs17251221) foi de 56 (81,16 %) participantes nos casos e 60 (88,24%) nos controles (p=0,3434), ao passo que o genótipo GG não foi observado nos casos e controle, no entanto a frequência do genótipo AG (rs17251221) foi de 13 (18,84) nos casos e 8 (11,76) nos controles. Não foram observadas diferenças estatisticamente significantes na distribuição de qualquer genótipo de forma geral (P> 0,05). Conclusão: Em conclusão, não encontramos evidências da contribuição do polimorfismo rs17251221 do gene do CaSR para a suscetibilidade ao câncer de mama.

2017
Descrição
  • NATHASHA MARIA VIEIRA PESSOA SALDANHA
  • Efeito das suplementações com farinhas de linhaça e de feijão-caupi sobre o colesterol e a glicemia em mulheres praticantes de musculação”.
  • Orientador : REGILDA SARAIVA DOS REIS MOREIRA ARAUJO
  • Data: 06/12/2017
  • Mostrar Resumo
  • No momento atual, verifica-se a existência de um aumento na busca pelas academias para a atividade de musculação, visando a priori estética e preparação física. Além disso, os estudiosos vêm cada vez mais indicado o treinamento de força para promover o aumento de massa muscular, melhora da capacidade metabólica, redução da gordura corporal; aumento de massa óssea, gerando mudanças extremamente favoráveis na composição corporal. Estudos têm demonstrado o efeito positivo do uso de linhaça e leguminosas para controle dos níveis de colesterol e suas frações. Dessa forma, objetivou-se analisar efeito das suplementações com farinhas de linhaça e de feijão-caupi sobre o colesterol e a glicemia em praticantes de musculação. A duração da intervenção foi no período de 3 meses, amostra foi composta por 142 mulheres voluntárias com idade entre 18 e 45 anos. Foram divididas em dois grupos, um grupo foi suplementado com farinha de linhaça e o outro com farinha de feijã-caupi, ambas 6 gramas, 3 vezes na semana. Questionário de frequência de consumo alimentar foi aplicado no primeiro momento do estudo e os dados antropométrico e bioquímicos foram coletados antes e após a intervenção. Os resultados foram expressos em médias e desvios-padrão (DP) de cada variável. Além disso, foi realizado o teste de Kruskal-Wallis, t de Student, qui-quadrado e correlação de Pearson, além da análise descritiva dos dados por meio de média e desvio padrão. Com relação ao grupo que consumiu farinha de linhaça, as médias e desvios padrões obtidos, antes e após a intervenção, foram respectivamente: Peso 64,2 ± 2,3ª  e 64,0 ± 1,8a ; Altura 1,59 ± 0,4ª e 1,59 ± 0,4a ; Índice de massa corporal 25,4 ± 3,1ª e 25,4 ± 3,1a;  Circunferência da Cintura79,3 ± 1,1a  e 77,2 ± 1,1a ; Circunferência do Quadril100,1 ± 6,4ª e 100,4 ± 7,1a ; Circunferência do Braço 29,4 ± 4,4ª e 30,2 ± 4,6a; Circunferência do Abdômen 85,4 ± 1,8a e 86,6 ± 1,1a. Para os dados de colesterol e glicemia, antes e após a intervenção, foram respectivamente: Colesterol Total 180,96 ± 29,4ª e 183,78 ± 33,0a, Triglicerídeos 117,80 ± 43,5ª e 165,20 ± 79,4b ; HDL 54,02 ± 11,5ª e 55,35 ± 13,1a; VLDL 23,56 ± 8,7ª e 33,03 ± 5,8b ; LDL 103,36 ± 31,0a e 95,40 ± 24,7a; PCR 0,70 ± 0,01ª e 0,73 ± 0,02a e Glicemia 95,28 ± 11,1ª e 94,20 ± 10,3ª. Na suplementação com farinha de feijão-caupi  os dados obtidos para colesterol e glicemia, antes e após a intervenção, foram respectivamente: Colesterol Total 171,7 ± 1,2ª e 177,0 ± 1,5ª; Triglicerídeos 115,6 ± 3,1ª e 119,9 ± 3,5ª; HDL 47,4 ± 4,9ª e 56,1 ± 7,1ª; VLDL 23,1 ± 1,0ª e 23,9 ± 1,6ª; LDL 101,2 ± 3,2ª e 96,9 ± 2,4a; PCR 0,82 ± 0,03ª e 0,81 ± 0,01ª e Glicemia 91,0 ± 11,1ª e 103,4 ± 7,9b. Concluiu-se que as intervenções com farinhas de linhaça e de feijão-caupi não promoveu modificações significativas (p≤0,05) no colesterol e na glicemia.

     

  • BRUNO MELO CUNHA
  • INTERDISCIPLINARIDADE NO PROGRAMA DE MESTRADO EM CIÊNCIAS E SAÚDE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUI NA PERCEPÇÃO DOS ALUNOS
  • Orientador : AIRTON MENDES CONDE JUNIOR
  • Data: 30/09/2017
  • Mostrar Resumo
  • A interdisciplinaridade surgiu como uma resposta ao isolamento disciplinar, tendo como principal característica o diálogo entre especialistas de áreas diferentes para encontrar soluções a problemas complexos da atualidade, dentro desse contexto, em 1999 a CAPES cria área interdisciplinar com a finalidade de proporcionar as universidades maiores oportunidades de desenvolver atividades de pesquisa, aprimoramento do corpo docente por meio por meio da trocas que esse tipo de organização oferece e assim formar pessoal para lidar com essas demandas. Como base nessa afirmação, inquirimos: os alunos do curso de Mestrado em Ciências e Saúde o consideram interdisciplinar? Dessa forma, os nossos objetivos foram: saber se as disciplinas do ciclo obrigatório seriam úteis no desenvolvimento das pesquisas dos alunos; identificar se a prática docente com as disciplinas do ciclo obrigatório abrange todos os alunos; investigar se os alunos percebiam diálogo entre as disciplinas do ciclo obrigatório; saber se a participação em um mestrado interdisciplinar enriquecerá sua atuação profissional. Para tanto, fizemos uma pesquisa quali-quantitativa com alunos do Mestrado em Ciências Saúde regularmente matriculados em todas as disciplinas do ciclo obrigatório de 2015 e 2016, usamos como instrumento para geração de dados um questionário misto composto de quatro questões, no qual os participantes deveriam responder SIM ou NÂO e justificar suas respostas. O resultado obtido indica que o Mestrado em Ciências e Saúde apresenta características de interdisciplinaridade, mas não o atinge em sua totalidade.

     

     

     

  • MARIA AUGUSTA AMORIM FRANCO DE SÁ
  • NEUROPATIA PERIFÉRICA E FATORES DE RISCO ASSOCIADOS EM PACIENTES DIABÉTICOS ASSISTIDOS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE
  • Orientador : VIRIATO CAMPELO
  • Data: 25/09/2017
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A neuropatia diabética constitui a complicação mais comum da diabetes, afetando mais de 50% dos pacientes, sendo a neuropatia periférica simétrica distal sua forma mais freqüente, ocorrendo em 90% dos casos, resultando em alterações sensitivo-motoras e déficits funcionais variáveis, além de acarretar custos financeiros e sociais. O diagnóstico precoce e o tratamento adequado são importantes para prevenir complicações da doença, especialmente o pé diabético. Estudos que investiguem a ocorrência dessas complicações decorrentes da diabetes e os fatores de risco associados contribuem para a definição de medidas preventivas e terapêuticas, alem de estimular a implantação de políticas de saúde. OBJETIVOS: Estimar a prevalência de neuropatia periférica em pacientes diabéticos tipo 2 assistidos na Atenção Primaria em Saúde, e identificar os fatores de risco associados.  PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS: Trata-se de um estudo observacional, transversal, quantitativo, realizado em 15 Unidades Básicas de Saúde (UBS) da zona urbana da cidade de Teresina – PI. Participaram do estudo 263 pacientes com diagnóstico de diabetes tipo 2 (DM2), com idade de 30 a 60 anos, selecionados por amostragem não-probabilística. Para a coleta de dados foram utilizados o Instrumento de Classificação de Neuropatia de Michigan (MNSI - Brasil) o Questionário de Atividades de Autocuidado com o Diabetes (QAD) e um questionário semi-estruturado elaborado pelos pesquisadores. As variáveis numéricas foram previamente submetidas aos testes de Shapiro-Wilk para verificar a normalidade e Bartlet para observar a homocedasticidade de suas variâncias. Para verificar a influência das variáveis sobre a neuropatia foram utilizados os testes do Qui-quadrado, t não pareado, Exato de Fisher e o de Mann-Whitney. Todos os testes consideraram um nível de significância de 5% e foram realizados pelos pacotes estatísticos BioEstat 5.0 e GraphPad Prism 7.0.RESULTADOS: A neuropatia periférica simétrica distal foi diagnosticada em 32% da amostra, a qual foi constituída majoritariamente de mulheres (69,2%), sendo a maioria dos pacientes com pouca ou nenhuma instrução (52.8%), casados (58,6%), não consumidores de álcool (79,5%) ou tabaco (93,2%), não praticantes de atividade física (64,6%), e apresentando comorbidades (81,7%).  Entretanto, não houve influência significativa dessas variáveis sobre a presença de neuropatias. Embora a proporção de neuropatias não tenha mostrado relação com o tempo de admissão na UBS (p=0,2492), houve tendência significativa (p=0,0052) de aumento proporcional dos casos quanto maior era o tempo de diagnóstico da DM2. A maioria dos pacientes (87,5%) nunca foram submetidos à avaliação das condições neuropáticas em MMII, nem receberam orientações acerca dos cuidados com os pés (65,4%), não havendo, porém, relação com a presença de neuropatia (p=  0,663 e p= 0,9514, respectivamente).CONCLUSÃO: A prevalência de neuropatia periférica em pacientes com diabetes tipo 2 assistidos na Atenção Primária em Saúde na cidade de Teresina-PI foi de 32%; não havendo relação com fatores sociodemográficos, presença de comorbidades, nem com aspectos relacionados à assistência recebida nas UBSs, tendo influência apenas o tempo de diagnóstico da diabetes.

     

  • ANA VANNISE DE MELO GOMES
  • A tuberculose na atenção básica em saúde na cidade de Teresina-Piauí
  • Orientador : VIRIATO CAMPELO
  • Data: 19/09/2017
  • Mostrar Resumo
  • A tuberculose, atualmente, encontra-se como maior causa de morbimortalidade entre a as doenças infectocontagiosas no mundo. No Brasil, ainda é considerada um sério problema da saúde pública, com profundas raízes sociais. Com a finalidade de impulsionar as ações necessárias ao enfrentamento da tuberculose no Brasil foi implementado o Programa Nacional de Controle da Tuberculose, que prioriza a descentralização das ações de controle da doença, com participação efetiva da atenção primária nas práticas de diagnóstico, tratamento, acompanhamento e monitoramento dos casos, vacinação e outras ações destinadas à promoção de saúde. Este estudo teve o objetivo de analisar as ações de controle da tuberculose desenvolvidas pela atenção básica na cidade de Teresina –PI. Para tanto, realizou-se uma pesquisa de caráter transversal e descritivo com uma abordagem quantitativa que foi executada nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) da cidade de Teresina- PI no período de setembro de 2016 à maio de 2017. A amostra foi composta por pacientes com tuberculose já diagnosticados e em tratamento nas UBSs, pelos profissionais de saúde que atuam nas UBSs e pelos seus coordenadores. O instrumento de coleta de dados utilizado foi o PCA ToolPrimary Care Assessment Tool, adaptado e validado para a atenção à tuberculose. Participaram do estudo cento e dois (102) indivíduos: sendo trinta (30) pacientes portadores de tuberculose, quarenta e seis (46) profissionais de saúde (14 médicos e enfermeiros) e vinte e seis (26) coordenadores de UBSs. Segundo a percepção dos pacientes os atributos da atenção primária com pior classificação foram porta de entrada (escore médio 3,58 e DP ±2,31) e orientação para a comunidade (escore médio 1,93 e DP ±2,03), que indicam baixa orientação para o desempenho das ações da atenção básica para controle da tuberculose. O atributo que melhor foi avaliado, segundo os pacientes, foi adesão/vínculo (escore médio 8,03 e DP ±1,45). Na opinião dos profissionais de saúde entrevistados os atributos com pior classificação também foram porta de entrada (escore médio de 2,96 e DP ±1,98) e orientação para a comunidade (escore médio de 5,55 e DP ±2,20), sugerindo fragilidade destes atributos da atenção básica. Destacamos que os atributos vínculo (escore médio 8,03 e DP ±1,03), coordenação (escore médio 8,93 e DP ±0,89), enfoque na família (escore médio 8,91 e DP ±1,13) e formação profissional (escore médio 8,09 e DP ±1,73) foram os melhores avaliados. Em relação aos gestores, considera-se que os atributos com pior classificação foram porta de entrada (escore médio de 2,10 e DP ±1,79), orientação para a comunidade (escore médio de 6,26 e DP ±2,71) e formação profissional (escore médio 6,15 e DP ±2,11), e o atributo coordenação (escore médio 8,93 e DP ±0,89),) foi o melhor avaliado pelos coordenadores das UBSs, indicando alta orientação deste serviço da atenção básica para o controle da tuberculose. Assim, conclui-se que, na percepção de pacientes, profissionais de saúde e coordenadores de UBSs entrevistados, as ações de controle da tuberculose realizadas pela atenção básica na cidade de Teresina ainda apresentam um desempenho mediano, expondo fragilidades nos atributos porta de entrada e orientação para comunidade.

     

  • UMBELINA SOARES BORGES
  • ESTUDO DA EXPRESSÃO DO ANTÍGENO KI-67 NOS SUBTIPOS DE CÂNCER DE MAMA LUMINAL A E TRIPLO NEGATIVO
  • Orientador : PEDRO VITOR LOPES COSTA
  • Data: 01/09/2017
  • Mostrar Resumo
  •  

    Introdução: As estratégias terapêuticas e prognósticas do carcinoma mamário têm levado em consideração principalmente a expressão dos receptores hormonais, como receptor de estrogênio (RE), progesterona (RP) e do receptor do fator de crescimento epidérmico humano (HER-2), permitindo a subclassificação molecular do carcinoma mamário nos subtipos Luminal A, Luminal B, HER2 hiperexpresso e Triplo negativo. A proliferação celular por meio da expressão do antígeno Ki-67 é uma determinante chave na agressividade tumoral, sendo considerados menos e mais agressivos, o Luminal A e o Triplo negativo, respectivamente, contudo há escassez de estudos comparando a expressão do Ki-67 entre estes dois subtipos em um número significativo de células. Objetivo: Avaliar a expressão do antígeno Ki-67 nos subtipos moleculares de carcinoma mamário luminal A e triplo negativo. Metodologia: Estudo retrospectivo realizado em blocos de parafina de carcinoma mamário arquivados no Setor de Anatomia Patológica do Hospital Getúlio Vargas e Hospital São Marcos há menos de cinco anos. Cinquenta e nove casos foram imunoistoquimicamente divididos em dois grupos, Luminal A com 29 casos e Triplo Negativo com 30 casos. Foram consideradas positivas para a expressão do Ki-67, as células com núcleo corado em marrom. Os dados foram analisados estatisticamente usando o teste t de Student, Mann-Whitney, teste exato de Fisher e Kolmogorov-Smirnov (p<0,05). Resultados: A porcentagem média de núcleos corados com anti-ki-67 foi 10,14 nos carcinomas de mama do subtipo Luminal A e 77,22 nos carcinomas de mama do subtipo Triplo negativo e esta diferença foi estatisticamente significante (p < 0,0001). Conclusão: A expressão da proteína Ki-67 foi significantemente maior nos carcinomas de mama do subtipo molecular Triplo Negativo em comparação com o subtipo molecular Luminal A.

     

     

     

     

     

     

  • NAYLA ANDRADE BARBOZA
  • Avaliação da atenção primária à saúde no controle da hanseniase: Percepção dos usuários e profissionais de saúde em uma capital brasileira.
  • Orientador : VIRIATO CAMPELO
  • Data: 31/08/2017
  • Mostrar Resumo
  • A hanseníase é uma doença infectocontagiosa, crônica e granulomatosa, de evolução lenta, que se manifesta através de sinais e sintomas dermato-neurológicos. Em 2015, de todos os 28.806 casos novos de hanseníase detectados nas Américas, 26.395 ocorreram no Brasil (91,63%), o que representa 12,52% de todos os casos novos registrados pela Organização Mundial de Saúde no mundo. O Brasil apresenta uma distribuição territorial heterogênea da doença, com predominância nas regiões norte, nordeste e centro-oeste. Conforme dados de 2016, o Piauí ocupa a 6ª colocação do país, com coeficiente de prevalência de 2,4 casos/10mil habitantes, sendo Teresina uma cidade hiperendêmica. Este estudo teve como objetivo avaliar o desempenho da atenção primária à saúde em hanseníase na cidade de Teresina na perspectiva dos usuários e profissionais dos serviços. Trata-se de um estudo de campo transversal, com abordagem descritiva, e natureza quantitativa. A população do estudo foi constituída por 59 participantes, sendo 25 usuários com diagnóstico de hanseníase e 34 profissionais (médicos e enfermeiros) responsáveis pelo tratamento nas unidades básicas de saúde da zona urbana de Teresina. A coleta de dados ocorreu no período de janeiro a junho de 2017 mediante a aplicação do “Instrumento de Avaliação do Desempenho da Atenção Primária nas Ações de Controle da Hanseníase” baseado no Primary Care Assessment Tool - PCATool Brasil, que mede a presença e a extensão dos atributos essenciais e derivados da atenção primária. Neste instrumento, os escores médios acima de 6,6 correspondem à alta orientação dos serviços para a realização das ações de controle da hanseníase. Na análise estatística foram aplicados os testes U de Mann-Whitney, Kruskal-Wallis e Exato de Fisher, buscando-se a existência de associação entre as variáveis do estudo e a percepção da qualidade da atenção primária à saúde em hanseníase. Estimou-se significância de 5%, nível de confiança de 95%, com p < 0,05. Os dados foram analisados no programa SPSS for Windows® versão 20.0 e no Software R versão 3.4.0. Os resultados revelaram que o perfil socioeconômico e epidemiológico dos usuários foi caracterizado por indivíduos acima de 50 anos, do sexo masculino, casados ou em união estável, com baixa renda e escolaridade, predomínio das formas clínicas multibacilares e elevado percentual de incapacidade física no diagnóstico. Quanto ao perfil dos profissionais e suas condutas clínicas, ressalta-se que, embora apresentassem alta escolaridade e experiência na atenção primária e nas ações de controle da hanseníase, demonstraram nem sempre por em prática as atitudes necessárias ao diagnóstico e tratamento da doença. Quanto à percepção dos usuários sobre a qualidade da atenção, verificou-se que a média dos escores essencial, derivado e geral foi menor que 6,6, indicando que os serviços em atenção primária da zona urbana de Teresina-PI não são suficientemente orientados para a realização das ações de controle da hanseníase, com atenção especial para os atributos: acesso, integralidade dos serviços prestados, orientação familiar e orientação comunitária. A percepção dos profissionais, no entanto, foi diferente, com todos os atributos e escores desse grupo apresentando-se superiores a 6,6. Resultados discrepantes entre usuários e profissionais de saúde são relatados com frequência na literatura. Porém, a avaliação da qualidade da atenção no geral não foi influenciada por variáveis clínicas ou socioeconômicas dos usuários, e sim pela organização/prestação dos serviços. Os achados indicam que os serviços precisam estar mais fortemente orientados pelos atributos da atenção primária à saúde para atingirem altos níveis de satisfação dos usuários. Espera-se que este estudo possa contribuir para o desenvolvimento de políticas que garantam maior efetividade no combate à hanseníase.

     

     

     

  • CARLA RIAMA LOPES DE PÁDUA MOURA
  • PARASITISMO CUTÂNEO EM PACIENTES COM LEISHMANIOSE VISCERAL EM ÁREA ENDÊMICA.
  • Orientador : DORCAS LAMOUNIER COSTA
  • Data: 31/08/2017
  • Mostrar Resumo
  • Leishmaniose Visceral (LV) representa um problema de saúde pública em várias partes do mundo e 90% dos casos da América Latina ocorrem no Brasil, principalmente no Nordeste, onde é causada pela Leishmania infantum. É transmitida pela picada de Lutzomyia longipalpis e o cão doméstico é considerado a principal fonte de infecção. No entanto, pessoas com LV causada Leishmania infantum são capazes de infectar flebotomíneos em estudos experimentais. Existem evidências de parasitismo dérmico em cães com calazar, porém, estudos análogos em humanos são escassos. Pessoas infectadas que apresentam parasitismo cutâneo podem atuar como reservatório, permitir transmissão inter-humana e, caso não haja negativação cutânea após o tratamento, este sítio poderia ser responsável pela reativação da doença pós terapia. Este estudo busca avaliar o parasitismo cutâneo em humanos com LV americana em área endêmica. Para tanto, realizou-se estudo transversal, no qual os participantes foram selecionados de forma consecutiva. Foram incluídos pacientes com diagnóstico firmado de LV, internados no hospital de referência de enfermidades infecciosas do estado do Piauí “Instituto de Doenças Tropicais Natan Portella” (IDTNP), Teresina-PI, no período de outubro de 2016 a abril de 2017. Em cada indivíduo foi aplicado questionário sobre dados clínicos e laboratoriais e foi coletada biópsia de pele sã da face posterior do antebraço com punch 3mm para histopatológico e imuno-histoquímica. As variáveis foram analisadas descritivamente pelo software Stata versão 13.0. Foram incluídos no estudo 22 pacientes de 5 meses a 78 anos de idade. Sete (31,8%) indivíduos eram infectados pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV). Um paciente (4,5%), o qual era coinfectado por HIV, apresentou parasitismo cutâneo no exame histopatológico e na imuno-histoquímica, mas foi negativado após tratamento, mantendo-se ausente após sete meses. Assim, conclui-se que existe parasitismo cutâneo em alguns humanos com LV americana e que este fato deve ser levado em consideração no acompanhamento clínico do paciente e em programas de controle da doença.

  • PRISCYLA MARIA VIEIRA MENDES
  • Biomarcadores de avaliação do magnésio em mulheres com câncer de mama
  • Orientador : DILINA DO NASCIMENTO MARREIRO
  • Data: 09/05/2017
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A patogênese do câncer de mama é de etiologia complexa, com mecanismos ainda não totalmente esclarecidos, envolvendo a participação de minerais, a exemplo do magnésio, na progressão do tumor, provavelmente em decorrência da sua mobilização do sangue e de tecidos não-neoplásicos para as células cancerígenas. OBJETIVO: O estudo avaliou o teor de magnésio na dieta e parâmetros bioquímicos do mineral em mulheres com câncer de mama. MÉTODOS: Estudo transversal, envolvendo 60 mulheres, na faixa etária entre 29 e 69 anos, distribuídas em dois grupos: grupo caso (mulheres com câncer de mama, n=30) e grupo controle (mulheres sem câncer de mama, n=30). Foram realizadas medidas do peso corporal, estatura e circunferência da cintura, bem como analisadas a ingestão de magnésio e parâmetros bioquímicos do mineral e no grupo caso foi incluída a informação acerca do tipo e do grau histológico do tumor mamário. A análise da ingestão de magnésio foi realizada por meio do registro alimentar de três dias, utilizando o programa Dietpro clínico, versão 5i. As concentrações do magnésio plasmático, ionizado, eritrocitário e urinário foram determinadas segundo o método de espectrometria de emissão óptica com plasma acoplado indutivamente. Os dados foram analisados no programa estatístico GraphPrad Prism®, versão 6.01. RESULTADOS: O grupo caso apresentou valores médios do índice de massa corpórea e da circunferência da cintura elevados, sendo o tumor mamário do tipo carcinoma ductal invasivo o mais frequentemente encontrado. Os valores médios da quantidade de magnésio nas dietas estavam abaixo da recomendação, sem diferença estatística entre os grupos estudados (p>0,05). As concentrações de magnésio plasmático, ionizado e eritrocitário das mulheres com câncer de mama estavam reduzidas em relação ao grupo controle (p<0,0001). A excreção urinária estava elevada, com diferença significativa entre os grupos (p<0,0001) e o clearance do mineral também estava elevado no grupo caso (p<0,0001). Houve correlação negativa entre o magnésio plasmático e o clearance de magnésio e o magnésio urinário apenas no grupo controle (p>0,05). CONCLUSÃO: A partir dos resultados deste estudo, pode-se concluir que as mulheres com câncer de mama apresentam comprometimento na homeostase do magnésio, caracterizada pela sua redução na dieta, no plasma, nos eritrócitos e aumento na urina.

  • DANIELLE BENIGNO DE ANDRADE E SILVA
  • Expressão do antígeno Ki-67 no endométrio de ratas em estro permanente tratadas com anastrazol.
  • Orientador : PEDRO VITOR LOPES COSTA
  • Data: 31/03/2017
  • Mostrar Resumo
  • Objetivo: Avaliar a expressão do antígeno KI -67 no endométrio de ratas em estro permanente tratadas com anastrazol. Métodos: Vinte e oito ratas Wistar – Hannover adultas, virgens e estro permanente foram distribuídas aleatoriamente em 2 grupos: grupo I( n=14, controle) que receberam apenas veículo( propilenoglicol) e grupo II ( n= 14, anastrazol) que receberam anastrazol 0,5mg/kg ou 0,125mg/animal/dia diluído em 0,1 ml de propilenoglicol durante 28 dias consecutivos, por gavagem. No 29º dia, os animais foram sacrificados e o terço proximal do útero foi imediatamente removido e fixados em formol tamponado a 10%. Em seguida, realizou-se estudo imunoistoquímico padronizado. As células do epitélio endometrial com o núcleo corado em marrom foram consideradas positivas para a expressão do Ki–67. A porcentagem de células coradas foi obtida pela razão entre o número de células com núcleo corado e o número de total de células multiplicado por 100. Os dados foram analisados utilizando o teste t independente de Student e o teste de Mann – Whitney ( p < 0,05). Resultados: A porcentagem média de núcleos corados por Ki-67 por 500 células no epitélio endometrial foi 53,2±26,3 e 5,9±7,1 nos grupos controle e experimental, respectivamente (p<0,0001). Conclusão: O anastrazol administrado na dose de 0,5mg/Kg/dia durante 28 dias consecutivos levou a uma redução estatisticamente significante na expressão do Ki-67 no endométrio de ratas em estro permanente.

     


     

     

     

  • ERIKA GALVÃO FIGUERÊDO
  • INTEGRAÇÃO DO CURRÍCULO MODULAR DO CURSO DE MEDICINA DA UFPI/CAMPUS MINISTRO REIS VELLOSO
  • Orientador : JOSE IVO DOS SANTOS PEDROSA
  • Data: 31/03/2017
  • Mostrar Resumo
  • O currículo médico e a forma de ensinar a medicina têm sido discutidos em todo o mundo contemporâneo. Nesse contexto, a integração curricular preconizada no Projeto Pedagógico do Curso (PPC) de Medicina do Campus Ministro Reis Velloso (CMRV) da UFPI constitui um grande desafio para a formação, cuja superação inicia com a compreensão dos conceitos básicos de integração curricular, por parte dos atores envolvidos no processo. De maneira geral, o estudo busca avaliar o nível de integração de módulos componentes curriculares do curso. De maneira específica visa caracterizar os docentes de três módulos do curso de medicina da UFPI/CMRV; Descrever como os professores se articulam para ensinar os conteúdos do módulo de forma integrada; Identificar as metodologias de ensino-aprendizagem mais utilizadas e as formas como avaliam a aprendizagem dos conteúdos de cada módulo; Perceber na perspectiva dos docentes as contribuições dos Círculos de Cultura para a construção da integração curricular. Para tanto, realizou-se um estudo exploratório e descritivo, de abordagem quantitativa e qualitativa, com professores de três módulos do curso de Medicina da UFPI, sendo eles: Bases dos Processos de Agressão e Defesa (BPAD), Bases dos Processos Psicossociais (BPPS), e Atenção Primária em Saúde (APS). Utilizou-se um questionário para caracterizar a amostra e foram realizados quatro Círculos de Cultura (CC) orientados por perguntas problematizadoras, que foram gravadas e depois transcritas e analisadas. Os dados quantificáveis foram analisados por meio do programa estatístico SPSS, versão 18.0. e a etapa qualitativa contemplou a análise de conteúdo. A avaliação do nível de integração se baseou na escada de integração de Harden (2000) composta por 11 degraus. O estudo foi submetido à plataforma Brasil e aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa da UFPI. A amostra foi composta por 14 professores, com média de idade de 34 ± 6,6 anos e com diferentes áreas de formação. A maioria dos professores (38,5%) tinha de 6 a 10 anos de formação, 61,5% eram doutores, e maior parte deles (30,8%) exerciam a docência há um período de 4 a 6 anos. Para avaliar a integração, as categorias de análise foram organizadas em quatro blocos: Articulação, Metodologia, Avaliação da aprendizagem e Integração inter módulo, que juntamente com a análise baseada na escada de Harden concluíram que o módulo BPAD alcançou o sexto degrau, o da partilha, que remete à construção coletiva e um planejamento evitando o excesso de conceitos, bem como uma execução e uma avaliação partindo de temas comuns e complementares. Acredita-se que o módulo APS alcançou o degrau da coordenação temporal, quinto degrau, pois durante o planejamento, os docentes sugerem e adaptam instrumentos de prática no sentido de padronizá-los, para que os alunos atinjam os mesmos objetivos e competências.  O módulo BPPS alcançou o degrau da nidificação, quarto degrau, partindo do pressuposto que as competências gerais são reconhecidas, que existe comunicação entre os conhecimentos ministrados e que os professores utilizam como elemento integrador, uma variedade de metodologias ativas e participativas oferecendo aos alunos a capacidade de resolver problemas. Quanto às contribuições dos CC, estes permitiram que os professores construíssem seus próprios conhecimentos, reconhecessem suas fragilidades e pensassem coletivamente em soluções e caminhos para um ensino integrado. Em síntese, foi possível concluir a complexidade de um processo de integração curricular, bem como a necessidade de avançar nessa integração e para isso, professores precisam ter atitudes críticas, reflexivas e participativas.

  • GABRIELA DE SOUSA SILVA RIOS
  • Ingestão e percepção alimentar de portadores de Fadiga Crônica em população coberta pela Estratégia Saúde da Família.
  • Orientador : REGILDA SARAIVA DOS REIS MOREIRA ARAUJO
  • Data: 13/03/2017
  • Mostrar Resumo
  • A Fadiga Crônica-FC é uma patologia que interfere diretamente na qualidade de vida de seus portadores. Distúrbios de ansiedade, alterações do sono, fadiga excessiva e comprometimento da capacidade funcional e cognitiva são queixas frequentes que culminam em mudanças na rotina para realizar atividades cotidianas, podendo inclusive interferir no comportamento alimentar desses indivíduos. O trabalho teve por objetivo investigar modificações na ingestão e percepção alimentar de portadores de Fadiga Crônica residentes em área coberta pela Estratégia Saúde da Família de Teresina, PI. Foram entrevistados 6595 indivíduos, dos quais 104 foram diagnosticados com Fadiga Crônica. Foi aplicado questionário para identificar os portadores da Fadiga Crônica e depois um questionário abordando temas como situação do apetite, mudanças na ingestão alimentar, modificações do peso corporal, percepção da influência da alimentação sobre a patologia e capacidade para o preparo da alimentação. Para tanto os participantes assinaram termo de consentimento livre e esclarecido. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal do Piauí. Para análise estatística dos dados utilizou-se o Programa SPSS versão 21.2. Os testes estatísticos utilizados foram o t de Student para média de idade e sexo, qui-quadrado para variáveis nominais e Kruskal-Wallis para proporções. O nível de significância adotado foi p<0,05.  Dos 104 casos de FC verificou-se que a maioria eram mulheres com média de idade de 40,7 anos. Para a maioria dos entrevistados o acometimento da doença não interferiu na situação do apetite, permanecendo esse inalterado, assim como a ingestão alimentar que não sofreu mudanças em decorrência da patologia. Ansiedade foi o sintoma mais citado pelos pesquisados como fator determinante para o aumento no consumo alimentar habitual de alguns entrevistados sendo que os grupos mais citados nesse aumento foram os dos doces e frituras, enquanto que a fadiga excessiva foi associada à redução da vontade de se alimentar resultando em restrição do consumo por outros. Os grupos alimentares mais restringidos foram os das carnes vermelhas, doces, frituras, e álcool. O ganho de peso foi mais prevalente nesses indivíduos quando analisado alterações ponderais após o aparecimento dos sintomas. Na percepção da maioria dos pesquisados a alimentação influencia na melhora ou piora dos sintomas relativos à fadiga e a maior parte deles apesar dos sintomas apresentados ainda eram capazes de preparar a própria alimentação. Concluiu-se que a FC pode influenciar na ingestão e percepção alimentar dos indivíduos diagnosticados, entretanto, para a maioria dos pesquisados não houve alteração na situação do apetite, mudanças no hábito alimentar e comprometimento acentuado de tarefas como preparo de refeições.

  • CLÁUDIA MARIA DA SILVA VIEIRA
  • Fadiga crônica e sua relação com as atividades da vida diária em população coberta pela estratégia saúde da família.
  • Orientador : REGILDA SARAIVA DOS REIS MOREIRA ARAUJO
  • Data: 13/03/2017
  • Mostrar Resumo
  • A fadiga pode ser definida como a sensação de cansaço generalizado ou falta de energia que não está relacionada exclusivamente à exaustão, podendo se apresentar como fadiga crônica ou síndrome da fadiga crônica. Trata-se de uma doença que afeta o sistema nervoso humano e pode ocorrer em qualquer idade, sendo mais comum nos adultos. Esta pesquisa objetivou avaliar a relação entre fadiga crônica e as atividades da vida diária em adultos diagnosticados com de fadiga crônica que residem em área coberta pela Estratégia Saúde da Família em Teresina-Piauí. Trata-se de uma pesquisa transversal que foi realizada entre 2015 e 2016, tendo como amostra 6.595 sujeitos adultos, de ambos os sexos, com idade entre 18 e 65 anos, residentes em áreas com cobertura da Estratégia Saúde da Família no município de Teresina. O diagnóstico da fadiga crônica foi efetuado por meio de um instrumento validado. As atividades da vida diária foram avaliadas por meio de um questionário validado em outro estudo e adaptado. Os resultados demonstraram prevalência de fadiga crônica de 1,5%. Maior prevalência foi observada no sexo feminino 69,3% em comparação com o sexo masculino 32,7% havendo diferença significativa (p=0,001) entre as proporções.  Dentre a população diagnosticada com fadiga crônica, 95,2% apresentam déficit na realização de atividades da vida diária. O teste do qui-quadrado mostrou diferença significativa entre as porcentagens (p = < 0,001). Concluiu-se que a prevalência de fadiga crônica na população coberta pela ESF na cidade de Teresina foi de 1,5% com predominância nas mulheres. Quanto ao declínio das atividades da vida diárias relacionadas ao sexo, 92,8% das mulheres e 100% dos homens pesquisados, declararam redução nas atividades cotidianas.

  • CLECITON BRAGA TAVARES
  • Expressão do antígeno ki-67 e dos receptores de estrógeno e progesterona em astrocitomas de baixo e alto grau.
  • Orientador : BENEDITO BORGES DA SILVA
  • Data: 27/01/2017
  • Mostrar Resumo
  •  Introdução: Gliomas são tumores originados das células da glia e são as neoplasias primárias mais comuns do sistema nervoso central (SNC). De acordo com a célula de origem são denominados de astrocitomas, oligodendrogliomas, oliogoastrocitomas e ependimomas. O índice de proliferação celular sugere o grau de crescimento quantitativo destas neoplasias e uma variedade de métodos tem sido empregados para estimar este valor. Destes, o mais largamente utilizado é o Ki-67, que é um anticorpo monoclonal do tipo IgG1 que reconhece uma proteína, existente em células em proliferação e ausentes em células quiescentes. Os estrogênios e a progesterona são hormônios esteróides que exercem importantes efeitos sobre o trato reprodutivo, trato gastrointestinal, as glândulas mamárias, o esqueleto, o sistema imunológico e até mesmo o sistema nervoso central. O mecanismo de ação é mediado principalmente pela interação com os receptores destes hormônios. Objetivo: Avaliar a expressão do antígeno Ki-67 e dos receptores de estrógeno e progesterona em astrocitomas de baixo e alto grau. Pacientes e Métodos: Estudo retrospectivo realizado em blocos de parafina de tumores gliais arquivados no Setor de Anatomia Patológica do Hospital São Marcos. Quarenta casos, foram histologicamente divididos em dois grupos de 20 casos, de baixo e alto grau, consoante critérios da OMS. Foram submetidos a marcadores imunoistoquímicos para Ki67, receptores de estrógeno e progesterona. Os dados foram analisados estatisticamente usando o teste de Mann-Whitney (p<0,05). Resultados: A porcentagem média de núcleos corados com anti-ki-67 foi 0,19 nos astrocitomas de alto grau em comparação com 0,05 nos astrocitomas de baixo grau (p < 0,01). A porcentagem média de núcleos corados com anti-RE foi nula nos astrocitomas de alto grau em comparação com 0,04 nos astrocitomas de baixo grau (p < 0,0001). A porcentagem média de núcleos corados com anti-RP foi 0,09 nos astrocitomas de alto grau em comparação com 0,15 nos astrocitomas de baixo grau (p = 0,2). Conclusão:  A expressão do Ki67 é maior nos astrocitomas de alto grau. Só foram encontrados receptores de estrógeno em astrocitomas de baixo grau. Receptores de progesterona estão presentes tanto em gliomas de baixo como de alto grau, más sem diferença  estatisticamente significativa entre eles.

  • ANDREZZA BRAGA SOARES DA SILVA
  • Histomorfometria do pâncreas de embriões híbridos galináceos (Gallus gallus)
  • Orientador : AIRTON MENDES CONDE JUNIOR
  • Data: 26/01/2017
  • Mostrar Resumo
  • A multipotencialidade das células-tronco tem permitido aos cientistas vantagens experimentais, entre elas, a definição de processos gênicos para formação dos órgãos. O pâncreas compreende um importante órgão metabólico de carácter endócrino e exócrino que possui origem embrionária de brotos rudimentares que se fusionam para formar o órgão. O desenvolvimento do tecido é denominado histogênese, no pâncreas a histogênese é um processo modulado por uma cadeia de fatores externos. Com isso, o presente trabalho objetiva descrever a histogênese pancreática de embriões híbridos de galinhas (Gallus gallus) destacando os eventos que ocorrem no desenvolvimento de constituintes teciduais do pâncreas adulto e analisar parâmetros histométricos que contribuam conhecimentos relativos à estas. A pesquisa foi realizada no Laboratório de Histotécnica do Departamento de Morfologia da Universidade Federal do Piaui, previamente aprovada pela Comissão de Ética no Uso de Animais (CEUA/UFPI) com o protocolo nº 040/15. Foram utilizados 120 ovos fertilizados de galinhas domésticas híbridas (Gallus gallus) coletados no período de Dezembro de 2015 à agosto de 2016 e mantidos em chocadeira com temperatura e humidade controlados. Foram realizadas coletas diárias de embriões no período de 4 à 21 dias de incubação através de dissecação anatômica pós eutanásia. Os tecidos previamente fixados em formaldeído tamponado à 10% foram submetidos ao processamento histológico e corados em Hematoxilina e Eosina. Por fim, as lâminas confeccionadas foram analisadas em software de imagens para obtenção de dados morfométricos e na sequencia serem submetidos à análise estatística. O pâncreas de embriões híbridos galináceos tem origem por volta do 4º dia de incubação com a formação dos brotos pancreáticos dorsal e ventral, os quais são constituídos de células epiteliais e mesenquimais. Estas células sofrem um processo de transdiferenciação em células exócrinas e endócrinas. Em torno de 12 dias embrionários ocorre a fusão dos brotos e formação do órgão imaturo, o qual dará continuidade ao desenvolvimento do sistema ductal, vascularização e compartimentação das partes endócrina e exócrina. Até o 21º dia de incubação, ainda é possível identificar formas indiferenciadas do tecido, sugerindo que há histogênese pós natal. Durante a histogênese pancreática em galináceos híbridos há alterações significativas na morfometria das porções endócrina e exócrina, juntamente com seus constituintes teciduais, completando a maturação do órgão no período pos-natal. Descrever a histogênese do pâncreas com a utilização de dados histométricos em embriões híbridos galináceos contribui com os esclarecimentos acerca do desenvolvimento embrionário e reafirma a premissa de que galináceos servem como modelo experimental para mamíferos.

  • MARIA MICHELE ARAUJO DE SOUSA CAVALCANTE
  • ANATOMIA E MORFOFISIOLOGIA DO CORAÇÃO DE CUTIA (Dasyprocta prymnolopha, WAGLER 1831)
  • Orientador : AIRTON MENDES CONDE JUNIOR
  • Data: 25/01/2017
  • Mostrar Resumo
  • Os conhecimentos do sistema cardiovascular vêm se aprofundando cada vez mais, haja visto que o entendimento da biologia cardíaca nos diferentes níveis da cadeia animal tem sido visto pelos estudiosos como um importante parâmetro para responder problemas que acometem os seres humanos e os próprios animais. Com isso objetivou-se definir a anatomia, a morfofisiologia e a sintopia do sistema cardíaco da cutia Dasyprocta prymnolopha, visto que não existem estudos relacionado a descrição morfológica desse órgão nesses animais. Pode-se notar em análise macroscópica que as mensurações cardíacas quando correlacionadas ao peso corpóreo foram positivas para as fêmeas nos parâmetros Apicobasilar (AB) e Largura cardíaca (LL), porém nos machos essa correlação se tornou negativa quando comparado a medida AB com o peso do animal. O coração se localiza entre o final do 2º e início do 5º espaço intercostal, modificando esta localização dependendo do tamanho do animal, com início variando desde o 2º ao 4º espaço intercostal e o ápice podendo atingir até o 6º espaço. Possui particularidades anatômicas quando comparados aos mamíferos domésticos e roedores, como a presença dos dois ligamentos: frenopericárdio e esternopericárdio. A valva atrioventricular direita (tricúspide) consiste basicamente em duas cúspides, a parietal e a septal, podendo ter variações dentro da própria espécie para três cúspides, o que ocorre também com os músculos papilares, com variação de três a quatro. Observou-se também pequenas particularidades como a presença de projeções que interligam os músculos papilares entre si. No ventrículo esquerdo também ocorrem variações quanto a quantidade de músculos papilares, estes podendo variar de dois a quatro. A presença das valvas semilunares não diferiram das encontradas em outras espécies de mamíferos domésticos, porém houve uma diferença marcante encontrada na região da valva aórtica, que foi a presença de cinco óstios no seio aórtico esquerdo. Em nossas observações histológicas o coração apresentou-se semelhante a de outros mamíferos, sendo constituído por três camadas principais: o endocárdio, miocárdio e epicárdio. Notou-se também a presença de esqueleto cardíaco, com triangulo fibroso assim como nos equinos constituído de cartilagem hialina.

2016
Descrição
  • THAIS NORBERTA BEZERRA DE MOURA
  • ELABORAÇÃO E VALIDAÇÃO DE UM JOGO EDUCATIVO SOBRE HÁBITOS DE VIDA SAUDÁVEIS PARA ADOLESCENTES
  • Orientador : LUISA HELENA DE OLIVEIRA LIMA
  • Data: 02/12/2016
  • Mostrar Resumo
  • O aumento do sedentarismo e modificações dos hábitos alimentares no Brasil tem contribuído para o desenvolvimento de doenças e agravos não transmissíveis. Em contrapartida, a adoção de hábitos de vida saudáveis contribui para o controle de diversas patologias. Sabendo da dificuldade de se alterar um costume adquirido há muito tempo e já presente no dia a dia das pessoas, ressalta-se a importância da adoção de hábitos de vida saudáveis na infância e adolescência. Dessa forma, o presente estudo tem o objetivo de elaborar e validar um jogo educativo sobre hábitos de vida saudáveis para adolescentes. Trata-se de uma pesquisa metodológica com foco no desenvolvimento, avaliação e aperfeiçoamento de instrumentos e de estratégias metodológicas. Para a validação do instrumento foram selecionados 15 profissionais (juízes especialistas) das seguintes categorias: três enfermeiros, três educadores físicos, três nutricionistas, três programadores e três pedagogos. Também foram selecionados 10 adolescentes, que avaliaram os aspectos referentes à aparência e usabilidade do software. Os instrumentos de coleta de dados utilizados foram dois tipos de questionários individuais: um direcionado aos juízes especialistas e outro aos adolescentes. O jogo educativo desenvolveu-se de acordo com as etapas de engenharia de software: definição do tema, identificação dos objetivos educacionais e do público-alvo (etapa 1), definição do ambiente de aprendizagem e modelagem da aplicação (etapa 2), planejamento da interface (etapa 3) e avaliação e validação (etapa 4). O Índice de Validação de Conteúdo (IVC) foi utilizado para validação do jogo educativo. Após as sugestões feitas pelos especialistas e público-alvo, foi realizada a adequação do material educativo, incorporando tais sugestões, a fim de atender às necessidades e expectativas a que se propõe. A presente pesquisa foi submetida ao Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, sendo aprovado com o parecer de n° 1.544.066. Como resultado, para os juízes especialistas, o jogo teve IVC 0,88 para o item “objetivos”; 0,87 para “estrutura e apresentação”; e 0,99 para relevância, atingindo o IVC global de 0,89. Já para os adolescentes, o IVC atingido para os itens “objetivos”, “organização”, “estilo da escrita” e “motivação” foi de 1,0, enquanto o item “aparência” foi de 0,97, tendo como IVC global de 0,99. Algumas observações feitas pelos juízes especialistas como, aumento da fonte, finalização do jogo, mudança de fase no cenário de esporte e diminuição dos textos informativos, foram acatadas, bem como, observação feita pelos adolescentes como, cozinha maior e mais colorida. Conclui-se que o jogo educativo “Aventura Saudável” foi considerado validado, podendo ser utilizados por adolescentes como incentivo na adoção de comportamentos protetores à sua saúde.

  • RAMIRO MARX ALVES CORTEZ
  • EDUCAÇÃO EM SAÚDE COM ESCOLARES ACERCA DOS FATORES DE RISCO PARA SÍNDROME METABÓLICA
  • Orientador : ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
  • Data: 30/11/2016
  • Mostrar Resumo
  • As principais epidemias contemporâneas relacionam-se aos hábitos de vida não saudáveis, que comprometem a qualidade de vida e a sobrevida das populações, assim surge a necessidade de se planejar e implantar programas de prevenção de doenças cardiometabólicas, particularmente envolvendo estratos populacionais de maior risco, que traduzam para as realidades locais o conhecimento adquirido no âmbito científico. A educação em saúde promove o empoderamento, que é um processo de capacitação das pessoas para ampliar conhecimentos, habilidades e atitudes para assumir com sucesso a responsabi­lidade com as decisões acerca de sua saúde. Este estudo objetivou analisar o conhecimento de crianças e adolescentes acerca dos fatores de risco para Síndrome Metabólica (SM) antes e após intervenções educativas. Trata-se de um estudo do tipo quase-experimental, comparativo, prospectivo e de intervenção. Realizado no período de fevereiro a novembro de 2016, em escolas públicas da rede municipal e estadual de educação da cidade de Picos-PI. Participaram do estudo 43 estudantes de 9 a 17 anos, com dois ou mais fatores de risco para a SM. Foi realizada a análise do nível de conhecimento por meio da aplicação de pré-teste, com posterior implementação de cinco sessões de educação em saúde acerca da temática, aspectos gerais, cuidados e prevenção. Após os encontros foi aplicado pós-teste em dois momentos, um dia após o último encontro e o outro após 90 dias, quando também foi aplicado um questionário para avaliar atitude para mudança no estilo de vida. Conforme os resultados predominaram estudantes do sexo feminino (60,5%), na faixa etária de 9 a 13 anos (62,8%), de cor parda (46,5%), entre as classes econômicas C1 e C2 (58,1%), que só estudam (100%) e residem com os pais (88,4%). Destes, 16 (37,2%) estudantes estavam com sobrepeso e obesidade. Dos fatores de risco para SM mais prevalentes destacaram-se os TG (51,2%) e HDL-c (51,2%). Identificou-se aumento do nível de conhecimento entre o pré-teste e o pós-teste imediato, contudo não houve aumento entre o pós-teste imediato e o pós-teste tardio, embora a média encontrada no pós-teste tardio seja maior do que a do pré-teste, com diferença estatisticamente significante entre as médias (p<0,0001). Os alunos do sexo feminino e na faixa etária de 9 a 13 anos obtiveram melhores escores de conhecimento. Quanto à atitude referida para mudança no estilo de vida, 48,8% afirmaram que conseguiram mudar os hábitos alimentares, e os que não conseguiram, afirmaram que continuarão tentando, pois querem prevenir doenças, como DM2. Quanto à atividade física, 62,8% afirmaram que já praticavam, quanto aos outros que não praticavam, responderam que tentaram introduzir o hábito, mas não conseguiram. Conclui-se que houve aumento do conhecimento dos participantes após as intervenções educativas, contudo, é necessário que haja realização de programas educativos contínuos para que se possam encontrar resultados positivos em longo prazo.

  • IONARA HOLANDA DE MOURA
  •  

     

    Construção e validação de material educativo para prevenção de síndrome metabólica em adolescentes

  • Orientador : ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
  • Data: 19/09/2016
  • Mostrar Resumo
  • No âmbito da prevenção primária, associado ao emprego da educação em saúde, é cada vez mais frequente o uso de materiais impressos educativos, uma vez que a aplicação concomitante da orientação verbal com a escrita torna o método mais efetivo, o que facilita a compreensão por parte dos sujeitos e promove uma melhora na sua adaptação ao contexto social/cultural no qual estão inseridos. A partir de tais aspectos, este trabalho propõe a criação e validação de uma tecnologia educativa para a prevenção da síndrome metabólica voltada para adolescentes. Trata-se de uma pesquisa metodológica, com enfoque no desenvolvimento, avaliação e aperfeiçoamento de um instrumento, realizada no período de março de 2015 a setembro de 2016. Na primeira fase do estudo, através de revisão integrativa da literatura, foram analisadas as principais publicações disponíveis sobre prevenção da síndrome metabólica em adolescentes. Em seguida, utilizou-se a síntese de conhecimento adquirida anteriormente para construção do conhecimento teórico a ser abordado e, contando com o auxílio de um designer gráfico, foi elaborada a arte e diagramação das páginas. Na terceira fase, validação do material construído, 21 especialistas avaliaram conteúdo, linguagem e aparência da tecnologia, sendo: 8 juízes de conteúdo (pesquisadores e docentes), 6 juízes técnicos (profissionais da saúde com atuação prática) e 7 juízes da área de design. Além destes, 39 adolescentes também foram consultados, avaliando a cartilha quanto a estilo de escrita, aparência e apresentação. Na coleta de dados foram utilizados três questionários distintos, de acordo com o foco de avaliação de cada grupo de participantes. Após o levantamento de todas as sugestões feitas pelos especialistas e pelos adolescentes, foi feita a adequação da cartilha em sua versão final. O projeto de pesquisa foi enviado ao Comitê de Ética em Pesquisa da UFPI, através da Plataforma Brasil, obtendo parecer aprovado sob CAAE nº 48277015.6.0000.5214. Foram obedecidos os preceitos éticos dispostos na Resolução 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde. Na análise estatística, ratificando a validação da tecnologia educativa, a média dos escores dados pelos juízes de conteúdo e técnicos foi de 91,7%, com confiabilidade da escala (alpha de cronbach = 0,830) e concordância das respostas (Coeficiente de Correlação Intraclasse = 0,810) altas. O Índice de Validade de Conteúdo (IVC) global, mensurado com base nas respostas dos juízes da área de design, foi igual a 0,98, também com confiabilidade da escala (alpha de cronbach = 0,917) e a concordância das respostas (Coeficiente de Correlação Intraclasse = 0,917) altas. Além do mais, o nível de concordância das respostas positivas dadas pelos adolescentes foi de 88,4%. Sendo assim, a cartilha educativa intitulada “Síndrome Metabólica: como me prevenir?” mostrou-se como um instrumento válido e confiável para ser utilizada na promoção da saúde dos adolescentes.

     

     

  • DANYLO RAFHAEL COSTA SILVA
  • ESTUDO DO POLIMORFISMO DO GENE DO FATOR DECRESCIMENTO INSULINA SÍMILE TIPO 1 EM MULHERES COM CÂNCER DE MAMA

  • Orientador : BENEDITO BORGES DA SILVA
  • Data: 13/09/2016
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O câncer de mama é uma doença de etiologia desconhecida e multifatorial, que envolve fatores reprodutivos, ambientais e genéticos, tendo como principal fator de risco, as alterações genéticas. Estudos têm mostrado uma associação entre o polimorfismo do gene do Fator de Crescimento Insulina Símile 1 (IGF-1) com a proliferação celular e redução da apoptose, assim como o seu papel no crescimento e agressividade do câncer mamário. Duas variantes polimórficas do gene IGF-1 destacam-se na associação com o câncer de mama, rs6220 e rs7136446.  Objetivo: Avaliar a associação entre o polimorfismo de nucleotídeo único do gene IGF1 e o câncer de mama. Pacientes e Métodos: estudo transversal controlado, envolvendo 137 mulheres, conforme dimensionamento amostral, atendidas no Setor de Mastologia do Hospital Getúlio Vargas da Universidade Federal do Piauí e Hospital S. Marcos. As mulheres foram divididas em dois grupos: grupo I, caso (mulheres com câncer de mama, n=68) e grupo II, controle (mulheres sem câncer de mama, n=69). Uma pequena amostra de 3 ml de Sangue periférico foi coletado das participantes para estudo do DNA genômico extraído de leucócitos pela técnica de genotipagem por Reação em Cadeia da Polimerase em Tempo Real (RT-PCR). Resultados: O genótipo CC (rs7136446) esteve presente em 4 mulheres (5,7%)  do grupo I (caso) e em 2 (2,8%) do grupo controle (p=0,67), enquanto a frequência do genótipo GG (rs6220) foi em 8 (11,4%)  mulheres do grupo I (caso) e em 5 (7,2%) das mulheres do grupo controle (p=0,75). Conclusão: No presente estudo não houve associação estatisticamente significante entre o polimorfismo do gene IGF-1 com o câncer de mama.

     

  • MAYARA STOREL BESERRA DE MOURA
  •  

     

    Efeito da Suplementação com Zinco na Resposta Inflamatória em Pacientes com Retocolite Ulcerativa.

  • Orientador : NADIR DO NASCIMENTO NOGUEIRA
  • Data: 31/08/2016
  • Mostrar Resumo
  • A Retocolite Ulcerativa é uma doença inflamatória intestinal que afeta a mucosa do cólon. A patogênese não está clara, porém há complexa interação entre fatores genéticos, ambientais e imunológicos. Pacientes com RCU apresentam desequilíbrio entre citocinas pró e anti-inflamatórias, resultando em inflamação exacerbada. O zinco é importante na manutenção das células T e na ativação da timulina. Por ter propriedades anti-inflamatórias, esse mineral pode ser um coadjuvante no tratamento desses indivíduos. Este trabalho avaliou o efeito da suplementação com zinco na resposta inflamatória de pacientes com RCU. METODOLOGIA: Estudo de intervenção do tipo antes e depois, com 41 participantes, com faixa etária de 18 a 70 anos, caracterizados em dois grupos: grupo suplementado (n= 23) e grupo placebo (n= 18). Os pacientes do grupo suplementado receberam 35 mg de gluconato de zinco durante 60 dias, e o grupo placebo recebeu amido de milho por igual período. A ingestão dietética dos macronutrientes e zinco foi investigada por meio de registro alimentar de três dias, analisados pelo software “Nutwin”, versão 1.5.2.51. As concentrações plasmáticas e eritrocitárias do mineral foram analisadas por espectrometria de absorção atômica em chama. As concentrações da citocinas IL-2, IL-4, IL-6, IL-10, IL-17, TNF-α e IFN-g, foram determinadas por citometria de fluxo.  Realizou-se a análise estatística no software SPSS for Windows versão 20.0, adotando-se o nível de significância de 5%. RESULTADOS: Os pacientes apresentavam baixa probabilidade de adequação da ingestão energética.  Quanto aos macronutrientes, estavam de acordo com as recomendações. O grupo suplementado tinha menor probabilidade de adequação da ingestão de zinco em relação ao placebo. As concentrações plasmáticas e eritrocitárias no grupo suplementado tiveram diferenças significativas entre os tempos do estudo. As citocinas não mostraram diferenças significativas em suas concentrações nos diferentes tempos do estudo, exceto para a IL-2 e IL-10. O grupo suplementado apresentou correlações positivas no T0 entre a IL-2/TNF-α e TNF-α/IFN-ᵞ; no T1 para TNF-α/IL-2, IL-4/IL-2, IL-6/IL-2 e a IL-4/TNF- α. CONCLUSÃO: A suplementação com o gluconato de zinco se mostrou eficaz em relação ao estado nutricional relativo ao mineral sem refletir nas concentrações das citocinas pró e anti-inflamatórias. No entanto, o estudo das correlações evidencia a eficácia do mineral na ativação da resposta imune, fortalecendo a importância desse micronutriente para o equilíbrio imunológico.

  • LORENA DA ROCHA BARROS SOUSA
  •  

     

    Estudo comparativo da expressão do antígeno ki-67 em neoplasias mamárias benignas e malignas.

  • Orientador : PEDRO VITOR LOPES COSTA
  • Data: 31/08/2016
  • Mostrar Resumo
  • A gênese do câncer de mama é decorrente de eventos genéticos e epigenéticos desencadeados em uma só célula. Lesões fibroepiteliais representam os tumores mais comuns da mama, sendo a grade maioria representada por fibroadenomas. O grau de proliferação do tumor é um fator de prognóstico muito importante, o Ki-67 é um marcador de proliferação celular, sendo uma proteína nuclear não histona, expressa em todas as fases do ciclo celular com exceção de G0. Nesta pesquisa, objetivou-se comparar a expressão do antígeno Ki-67 em neoplasias mamárias benignas e malignas da mama. Realizou-se um estudo transversal comparativo em blocos de fibroadenomas e carcinomas mamarios de mulheres atendidas no Setor de Mastologia da Clinica Ginecológica do Hospital Getúlio Vargas, Teresina, Piauí, Brasil. Para avaliar a normalidade estatística utilizou-se o teste não paramétrico de kolmogorov-smirnov e para comparar as medianas foi utilizado o teste Mann-Whitney. Considerou-se o erro alfa menor que 5% (p<0,05). Na totalidade da amostra, a idade variou de 18 a 82 anos, com média de 38 anos. A média das porcentagens de núcleos corados em fibroadenomas foi de 8,07%, enquanto em câncer de mama foi de 35,72%. Não houve correlação estatisticamente significativa do Ki-67 com menopausa, idade e paridade. A proliferação celular no componente epitelial avaliada pela expressão imunohistoquímica do Ki-67 foi maior em câncer de mama do que em fibroadenomas.

     

     

     

  • LUCIANO BRITO SANTOS
  • "ANÁLISE ESPACIAL DA MORTALIDADE POR DOENÇAS DO APARELHO CIRCULATÓRIO EM TERESINA, PIAUÍ"

  • Orientador : MAURICIO BATISTA PAES LANDIM
  • Data: 30/08/2016
  • Mostrar Resumo
  • O número de indivíduos com mais de 60 anos de idade vem aumentando acentuadamente nas últimas décadas em todo o mundo, com projeções indicando que em 2050 esse grupo contará com cerca de 1 bilhão e 900 milhões de pessoas. No Brasil essa faixa da população apresentou um crescimento de 33,65% no período de 2000 a 2009, e com isso as Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) passaram a ser predominantes, com destaque para as Doenças do Aparelho Circulatório (DAC). Essas doenças, por sua importância e magnitude, constituem-se como um dos mais importantes problemas de saúde da atualidade, tanto em países desenvolvidos quanto em países emergentes. Entre seus principais subgrupos estão as doenças cerebrovasculares (DCBV) e as doenças isquêmicas do coração (DIC). Embora a mortalidade por DAC apresente diminuição, sobretudo em regiões desenvolvidas, a magnitude e o declínio podem apresentar variabilidades por períodos e regiões, em sexo e idade. O conhecimento do padrão desses agravos pode ajudar a levantar hipóteses sobre a sua ocorrência e subsidiar medidas de prevenção e controle. Nesta perspectiva, o presente estudo teve como objetivo analisar a distribuição espacial da mortalidade por doenças do aparelho circulatório e sua correlação com variáveis socioeconômicas no município de Teresina, Piauí. Foi realizado um estudo ecológico, observacional, retrospectivo, com base em dados secundários dos óbitos de pessoas residentes no município de Teresina, Piauí, no período de 2011 a 2015 tendo como causa básica de morte as doenças do aparelho circulatório. A coleta foi realizada no período de março a abril de 2016. Os dados foram pesquisados dos bancos de dados dos sistemas de informações Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) e do censo 2010 do IBGE. Para a organização dos resultados foi utilizado o programa Microsoft Excel for Windows®, e as análises estatísticas foram realizadas com o programa SPSS, versão 20.0, já a confecção do mapa temático foi utilizado o sistema de informações geográficas (SIG) QGIS 2.16. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa na UFPI com parecer 1.522.967. Verificou-se um declínio das taxas de mortalidade por DAC, DIC, DCBV. Foi calculado o coeficiente de correlação de Pearson para verificar a relação entre a taxa de mortalidade por DAC e as variáveis socioeconômicas onde apenas as variáveis taxas de analfabetismo de idosos e índice de envelhecimento apresentaram correlação positiva e estatisticamente significativa, p<0,05. Na autocorrelação espacial foi empregado o cálculo do Índice Moram I para verificar a dependência espacial de todas as variáveis estudadas. A taxa de mortalidade por DAC não apresentou dependência espacial, já as variáveis socioeconômicas apresentaram índices positivos indicando presença de aglomerados espaciais. A distribuição espacial da mortalidade por DAC nos bairros de Teresina apresentou uma grande variabilidade e o mapa temático um perfil heterogêneo. Novos estudos se fazem necessários com a utilização de séries temporais, outras variáveis socioeconômicas e diferentes unidades geográficas para uma melhor compreensão do impacto das relações no espaço urbano de Teresina e dessa forma subsidiar a tomada de decisões de gestores do sistema de saúde. 

     

     

  • SHEILA VIANA CASTELO BRANCO GONÇALVES
  •  

     

    Tratamento da leishmaniose cutânea com termoterapia no Brasil: estudo de eficácia e segurança.

  • Orientador : CARLOS HENRIQUE NERY COSTA
  • Data: 30/08/2016
  • Mostrar Resumo
  • Os antimoniais pentavalentes permanecem como as drogas padronizadas no tratamento da leishmaniose cutânea no Brasil. O alto custo, a dificuldade de administração, o tempo de tratamento, a toxicidade e o aumento da morbidade são fatores limitantes no uso dessas medicações. A busca por melhores opções terapêuticas continua a ser um desafio. Por esta razão, avaliamos a eficácia e a segurança da termoterapia com radiofrequência no tratamento da leishmaniose cutânea localizada no Brasil. Pacientes e métodos: Foi realizado um ensaio clínico aberto não comparativo conduzido no Instituto de Doenças Tropicais Natan Portella, em Teresina, Piauí, Brasil, no período de abril a setembro de 2015, com um total de 15 pacientes que tiveram o diagnóstico de leishmaniose cutânea confirmados parasitologicamente. Aqueles com infecção secundária nas lesões receberam antibiótico previamente. Foram excluídos do estudo pacientes com lesões na mucosa oral ou nasal, mais de dez lesões, lesões localizadas no nariz, nos lábios e nos olhos ou adjacente a esses locais e imunossuprimidos. Uma única sessão de termoterapia com radiofrequência (aparelho ThermoMed) a 50ºC por 30 segundos foi aplicada na lesão e em sua borda. Quando havia mais de uma lesão no mesmo paciente, apenas a maior era tratada inicialmente. Caso após 30 dias não demonstrasse evidências de cicatrização, a lesão menor também recebia a termoterapia. A cura clínica foi definida como cicatrização visível até três meses após a aplicação do tratamento. Os pacientes foram acompanhados durante seis meses e não houve perda de seguimento. Resultados: Um total de 23 lesões foram acompanhadas em 15 pacientes e somente duas evoluíram para cura sem necessidade de receber tratamento. Houve completa cicatrização das lesões em 13 dos 15 pacientes (86,67%). Os principais efeitos colaterais descritos foram prurido, ardência e dor. Apenas um paciente apresentou bolhas no local da aplicação. A área de reepitelização de mais da metade dos pacientes ficou com excelente aspecto. Cicatriz hipercrômica foi observada em 35% das lesões e somente uma paciente com duas lesões evoluiu com hipocromia no local do tratamento.  Conclusão: A leishmaniose cutânea localizada pode ser tratada com uma única aplicação de termoterapia com radiofrequência de maneira segura, eficaz, com bom resultado cosmético, sem a toxicidade e os efeitos colaterais do tratamento tradicional com os antimoniais pentavalentes.

     

     

     

     

     

  • LÍVIO PORTELA CARDOSO COELHO
  •  

    Estudo Comparativo entre a Citologia da Punção Aspirativa de Linfonodo Axilar e a Histopatologia do Linfonodo Sentinela em Mulheres com Câncer de Mama.

  • Orientador : BENEDITO BORGES DA SILVA
  • Data: 26/08/2016
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O câncer de mama é a segunda neoplasia maligna mais frequente nas mulheres em todo o mundo. No Brasil são estimados 57.960 casos novos em 2016. Entretanto, seu prognóstico está diretamente relacionado com o estadiamento no momento do diagnóstico. Nos casos considerados iniciais, apenas 30 a 40% tem comprometimento da axila, fazendo com que a maioria não necessite de linfadenectomia axilar, evitando suas complicações. A Pesquisa de Linfonodo Sentinela ainda é o padrão-ouro para o estadiamento, mas requer custos, complexidade técnica para sua realização, além de ter seus efeitos colaterais. Portanto, novas técnicas têm sido avaliadas para substituir a Pesquisa de Linfonodo Sentinela, como ultrassonografia e punção aspirativa por agulha fina (PAAF) guiada por Ultrassonografia. Objetivo: Comparar a citologia de linfonodo axilar obtida por punção aspirativa por agulha fina guiada por ultrassonografia (US) com a histopatologia do linfonodo sentinela em pacientes com câncer de mama. Métodos: Foi realizada punção aspirativa por agulha fina guiada por ultrassonografia para obtenção de citologia de linfonodo axilar em 27 pacientes com estádio inicial de câncer de mama, com indicação de Pesquisa de Linfonodo Sentinela e comparado com a histopatologia do linfonodo sentinela colhido destas pacientes. Resultados: A média de idade foi de 51 anos; o tamanho médio de tumor foi de 1,7cm. A média de linfonodos sentinelas colhidos foi de dois. Dos subtipos, 85% foram carcinoma ductal invasivo, 7% foram carcinoma lobular invasivo e 4% carcinoma tubular e carcinoma metaplásico. A sensibilidade da PAAF foi de 45%, a especificidade de 100%, o valor preditivo positivo de 100% e o valor preditivo negativo de 73%. Conclusão: A citologia de linfonodo axilar obtida por PAAF guiada por US em pacientes com câncer de mama apresenta uma especificidade similar à histopatologia do linfonodo sentinela nos casos de presença de metástases axilares, todavia, quando a citologia linfonodal é negativa, não afasta a presença de implantes metastáticos axilares, devido sua baixa sensibilidade em comparação com a histopatologia do linfonodo sentinela.

  • NIDIANY DA SILVA MEDEIROS
  • Fatores preditores à prematuridade na região Nordeste do Brasil.
  • Orientador : KEILA REJANE OLIVEIRA GOMES
  • Data: 19/08/2016
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A prematuridade é a segunda causa de morte em crianças menores de

    cinco anos e a maior causa mundial de mortes neonatais. A investigação da incidência e

    de fatores preditores à prematuridade no Nordeste do Brasil é pertinente e oportuna,

    uma vez que essa região apresenta fatores de risco de natureza demográfica.

    OBJETIVO: Analisar os fatores preditores à ocorrência de prematuridade em nascidos

    vivos na Região Nordeste do Brasil. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS:

    Trata-se de recorte de estudo, com abrangência nacional, intitulado “Nascer no Brasil:

    inquérito nacional sobre parto e nascimento”. A amostra do estudo original foi

    probabilística, realizada em duas etapas, referente aos estabelecimentos de saúde e às

    puérperas e seus conceptos. No presente estudo, foram selecionadas 6.096 puérperas do

    Nordeste do Brasil, que realizaram o parto nas maternidades selecionadas. A

    prematuridade foi categorizada de acordo com o preconizado pela OMS. A coleta de

    dados ocorreu por meio de entrevista e consulta ao prontuário hospitalar, a partir de

    formulário eletrônico pré-testado. Foram realizadas análises: univariada, por meio de

    estatística descritiva; bivariada, com o teste de qui-quadrado de Pearson e seu efeito

    medido por Odds Rattio (OR) não ajustado; e multivariada, adotando-se o Modelo de

    Regressão Logística Multivariada Hierárquica, ajustada pelo Método Enter, cuja

    eficiência foi verificada pelos testes de multicolinearidade de Hosmer e Lemeshow.

    RESULTADOS: A incidência de prematuridade foi de 11,5% dos nascidos vivos,

    sendo que, 84,6% eram prematuros de moderado a tardio. A prematuridade na gestação

    anterior aumentou 3,3 vezes as chances do parto atual ser prematuro (p&lt;0,001); dois ou

    mais partos cesáreos aumentaram a chance em 80,0% (p = 0,011) e o aborto anterior em

    37,0% mais chances (p= 0,002). Participantes com intercorrências clínicas ou

    obstétricas tiveram 3,9 vezes mais chances de prematuridade (p&lt;0,001) e aquelas com

    gestação gemelar aumentaram 7,3 vezes as chances (p&lt;0,001). O pré-natal diminuiu as

    chances de prematuridade em 49,0% (p=0,032) e 81,0% das puérperas que fizeram

    menos de seis consultas de pré-natal, estiveram mais propensas à prematuridade

    (p=0,021). Puérperas que foram gestantes de risco, tiveram 2,8 vezes mais propensão à

    prematuridade (p=0,002). Além disso, as crianças com muito baixo peso tiveram,

    aproximadamente, 19 vezes mais chances de serem prematuras (p&lt;0,001). O histórico

    anterior de parto prematuro aumentou quase 4,0 vezes mais chances de prematuridade

    extrema a muito pré-termo e 2,4 vezes mais chances de ter prematuro extremo a muito

    pré-termo com o peso menor que 1.500g. CONCLUSÃO: Como fatores preditores de

    prematuridade destacaram-se o histórico de parto prematuro e o muito baixo peso ao

    nascer, por levarem a maiores chances de prematuridade extrema a muito pré-termo, e o

    acompanhamento pré-natal, como fator de proteção, por reduzir a prematuridade. É

    necessário melhorar a adequação e qualidade dos serviços de assistência no período

    gestacional, por meio da identificação dos grupos de riscos de prematuros, bem como,

    medidas preventivas, tais como informações sobre o risco de parto pré-termo,

    monitoramento do desenvolvimento fetal e redução significativa do número de cesáreas

    desnecessárias.

  • GABRIEL REIS FERREIRA
  • Competência de seres humanos para transmitir Leishmania infantum para Lutzomya longipalpis e influência da infecção pelo HIV.

     

  • Orientador : DORCAS LAMOUNIER COSTA
  • Data: 19/08/2016
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A leishmaniose visceral (LV) se apresenta quase sempre com febre e hepato-esplenomegalia. Quando causada por Leishmania infantum, é uma zoonose transmitida por flebotomínios. Embora os cães sejam considerados os principais reservatórios, os humanos são também fontes de infecção. As pessoas com LV com co-infecção pelo HIV são muito infecciosas e por isto conjecturou-se se estes indivíduos podem contribuir de forma mais significativa para a transmissão da doença. Material e Métodos: A transmissão foi medida através de xenodiagnóstico com o vetor Lutozomyia longipalpis. Os parasitas foram identificados nos insetos através de microscopia óptica e da reação em cadeia da polimerase (PCR) convencional. A quantidade de L. infantum no sangue foi medida através da PCR quantitativa (qPCR). Resultados: Dos 61 participantes, 27 (44%) tiveram xenodiagnóstico positivo no exame microscópico ou na PCR. Entre os pacientes com LV e sem HIV, o exame foi positivo em 7 (35%). Entre os pacientes com LV e com HIV, 15 (75%) foram positivos. Entre os 19 indivíduos assintomáticos, o exame foi positivo em 4 (21%). Em 1 pessoa (4,3%) assintomática com HIV, o xenodiagnóstico foi positivo através da microscopia. Conclusões: O estudo demonstrou que indivíduos assintomáticos são capazes de transmitir o protozoário, que a infecção pelo HIV e a presença de sintomas de LV aumentam a competência do homem como reservatório para L. infantum, o que indica que estes indivíduos têm papel mais importante na transmissão da LV em áreas endêmicas. O xenodiagnóstico foi mais confiável que qPCR para medir a infectividade.

     

  • MAYARA MONTE FEITOSA
  •  

     

    Estado nutricional relativo ao selênio e sua relação com marcadores do estresse oxidativo em mulheres obesas

  • Orientador : DILINA DO NASCIMENTO MARREIRO
  • Data: 04/08/2016
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Estudos têm mostrado concentrações séricas reduzidas de selênio em obesos, o que parece comprometer a defesa antioxidante nesses indivíduos e, consequentemente, acentuar a produção de espécies reativas de oxigênio. OBJETIVO: O estudo avaliou a relação entre o estado nutricional relativo ao selênio e marcadores do estresse oxidativo em mulheres obesas. MÉTODOS: Estudo transversal, envolvendo 89 mulheres, com idade entre 18 e 50 anos, sendo distribuídas em dois grupos: grupo caso (obesas, n=44) e grupo controle (mulheres eutróficas, n=45). Foram realizadas medidas do índice de massa corporal e da circunferência da cintura, bem como analisadas a ingestão de selênio, concentrações plasmáticas, eritrocitárias e urinárias desse mineral, além das concentrações plasmáticas das substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico e da atividade da enzima glutationa peroxidase. A análise da ingestão de selênio foi realizada por meio do registro alimentar de três dias, utilizando o programa Nutwin versão 1.5. As concentrações do selênio plasmático, eritrocitário e urinário foram determinadas segundo o método de espectrometria de emissão óptica com plasma acoplado indutivamente. O estresse oxidativo foi analisado pelo método das concentrações plasmáticas das substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico. A determinação da atividade da enzima glutationa peroxidase eritrocitária foi realizada em analisador bioquímico automático, utilizando kit Ransel 505. Os dados foram analisados no programa estatístico SPSS for Windows 22.0. RESULTADOS: Os valores médios da quantidade de selênio nas dietas estavam adequados segundo as recomendações, sem diferença estatística entre os grupos estudados (p>0,05). As concentrações médias de selênio plasmático das mulheres obesas estavam reduzidas em relação ao grupo controle (p<0,05). Os valores médios do selênio eritrocitário nas mulheres obesas estavam reduzidos em relação ao grupo controle (p<0,05) e adequados segundo os valores de referência. A excreção urinária deste mineral não apresentou diferença significativa em ambos os grupos (p>0,05). No entanto, o clearance de selênio apresentou diferença significativa, com valores elevados nas mulheres obesas (p<0,05). A concentração média das substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico estava elevada nas mulheres obesas em relação ao grupo controle (p<0,05). Os valores médios da atividade da enzima glutationa peroxidase estava elevada nas mulheres obesas em relação ao grupo controle (p<0,05). O estudo também mostra correlação positiva significativa entre o selênio eritrocitário e a atividade da glutationa peroxidase. Entretanto, a análise de correlação entre os biomarcadores do estado nutricional relativo ao selênio e as concentrações plasmáticas das substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico (p>0,05) não revelou resultado significativo. CONCLUSÃO: A partir dos resultados deste estudo pode-se concluir que a ingestão adequada de selênio parece contribuir para manter as concentrações eritrocitárias do mineral. Associado a isso, os dados dessa pesquisa mostram a importância do selênio como nutriente antioxidante, por meio de sua influência sobre a atividade da enzima glutationa peroxidase nos eritrócitos.

     

     

  • MARIA DA CONCEIÇÃO BARROS OLIVEIRA
  • EXPRESSÃO DO ANTÍGENO KI-67 NO EPITÉLIO MAMÁRIO DE RATAS EM ESTRO PERMANENTE TRATADAS COM ANASTRAZOL

  • Orientador : BENEDITO BORGES DA SILVA
  • Data: 03/08/2016
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os inibidores da aromatase, em particular o anastrazol, inibem a aromatase reduzindo os níveis de estrogênio e a proliferação celular no epitélio mamário e, portanto, tem sido utilizado de forma eficaz no tratamento de cânceres estrogênio-dependentes na pós-menopausa e vem sendo propostos também na quimioprevenção, todavia o estudo dos efeitos diretos na mama humana encontra restrições éticas e um modelo animal que apresenta produção constante de estrogênios e ideal para o estudo do efeito de drogas que bloqueiam a síntese estrogênica é o de ratas em estro permanente. Objetivo: Avaliar a expressão do antígeno Ki-67 no epitélio mamário de ratas em estro permanente tratadas com anastrazol. Materiais e Métodos: Vinte e oito ratas Wistar-Hannover em estro permanente induzido por 1,25 mg/dia de propionato de testosterona e aos 90 dias de vida foram divididas ao acaso em dois grupos, controle e experimental, com 14 animais cada. Os animais do grupo controle receberam somente o veículo (propilenoglicol) e os do Groupo II (experimental) receberam 0,125 mg/dia de anastrazol por gavagem durante 28 dias. No 29º dia todos os animais foram sacrificados e extirpado o primeiro par mamário abdômino-inguinal e fixado em formol tamponado a 10% para avaliar a expressão do antígeno Ki-67 por análise imunoistoquímica. Os dados foram analisados estatisticamente usando o test t de Student (p<0,05). Resultados: a porcentagem média de núcleos corados por Ki-67 por 500 células no epitélio mamário foi 76,97±0,76 e 14,44±2,02 nos grupos controle e experimental, respectivamente (p<0,0001). Conclusão: O anastrazol reduziu significantemente a expressão do antígeno Ki-67 no epitélio mamário de ratas em estro permanente.

  • NAYANE REGINA ARAÚJO PIEROTE
  • MINERAIS E USO DE GLICOCORTICÓIDES E A SUA RELAÇÃO COM A DENSIDADE MINERAL ÓSSEA NA DOENÇA DE CROHN

  • Orientador : NADIR DO NASCIMENTO NOGUEIRA
  • Data: 28/07/2016
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Estudos têm mostrado redução na densidade mineral óssea (DMO) em pacientes com doença de Crohn (DC), e aumento na prevalência de osteopenia e osteoporose nesses pacientes. Nesse contexto, tem-se investigado o impacto que fatores nutricionais, clínicos e terapêuticos podem ter para ocorrência dessa perda óssea. Este estudo analisou a relação entre o consumo alimentar de minerais e o uso de glicocorticóides e a densidade mineral óssea em pacientes com doença de Crohn. MÉTODOS: Estudo de corte transversal, envolvendo 62 pacientes com DC, com idade de 16 a 40 anos, nas fases ativa e de remissão da doença. Foram realizadas medidas do índice de massa corpórea (IMC), bem como estimadas a ingestão de macronutrientes e micronutrientes, por meio do registro alimentar. O padrão de ingestão de referência utilizado para macronutrientes foi a faixa de distribuição aceitável de macronutrientes e, para os micronutrientes, utilizou-se os valores de necessidade média estimada propostos pelas DRIs.  O efeito dos glicocorticóides na terapêutica da doença foi investigado em relação a DMO. A DMO foi realizada pelo método de densitometria óssea (DEXA) na coluna lombar e colo do fêmur. Foram avaliados os valores de PCR (proteína C reativa ultra-sensível), VHS (velocidade de sedimentação das hemácias), albumina e ferritina. Os dados foram organizados no programa estatístico SPSS for Windows 18.0. Utilizou-se testes estatísticos para variáveis paramétricas e não paramétricas, adotando-se o nível de significância de 5% na decisão dos testes. RESULTADOS: O consumo dos minerais cálcio, zinco e magnésio encontravam-se abaixo dos valores de referência e normais para o consumo de fósforo. A média de ingestão de macronutrientes encontrava-se dentro das faixas de recomendação. Em relação ao IMC, 45,2% dos pacientes eram eutróficos e 37,1% apresentavam sobrepeso e obesidade. A albumina encontrava-se dentro dos valores de referência, e a ferritina com valor médio de 110,91ng/ml. Os marcadores inflamatórios, PCR (16,35) e VHS (24,52), tiveram valores médios acima da faixa de normalidade. A osteopenia e osteoporose apresentaram percentuais de 17,7% e 14,5%, respectivamente. Quanto ao uso de glicocorticóides, 22,6% dos pacientes utilizaram essa terapêutica, e apresentaram perda óssea significativa (p< 0,001). A DMO apresentou diferença significativa com relação a idade (p= 0,02) e VHS (p=0,049). Os pacientes na fase ativa da doença tiveram DMO significativamente reduzida (p< 0,001). Houve correlação entre a ingestão de zinco e cálcio e a DMO do colo do fêmur (p= 0,035; p= 0,032). CONCLUSÃO: A partir dos resultados deste estudo, pode-se concluir que a baixa ingestão de cálcio e zinco, bem o uso de glicocorticóides na fase ativa da doença e a idade favorecem a perda óssea.

  • ZÁIRA ARTHEMISA MESQUITA ARAÚJO
  • O Lugar da morte no ensino da medicina

  • Orientador : JOSE IVO DOS SANTOS PEDROSA
  • Data: 28/07/2016
  • Mostrar Resumo
  • O ensino da Medicina atual prepara o futuro médico para lidar com uma Medicina morta, sem alma, de maneira prática e emocionalmente infértil. O médico, em seu exercício, é diariamente acometido por estimulações que o incitam a esconder ou não expressar seus sentimentos em relação ao sofrimento ou à morte de um paciente. Cada vez mais, valoriza-se o diagnóstico e a cura, relegando-se a segundo plano o cuidado com o ser humano com prognóstico desfavorável, seja com ausência de planejamento paliativo ou pelo excesso de investimentos intensivos que dificultam o percurso natural do fim da vida. Este modo indiferente de agir diante da morte denota uma relação com a insuficiência do aporte teórico adotado para subsidiar a formação médica em situações de finitude da vida. Para melhor compreender este cenário, analisa-se o ensino sobre a morte nos cursos de Medicina do Estado do Piauí, averiguando a existência de conteúdos relativos ao tema nos projetos pedagógicos dos referidos cursos, através de um estudo descritivo e exploratório com abordagem qualitativa, do tipo análise documental, realizado em cinco IES do Estado do Piauí que ofertam o curso de Medicina, a partir da análise de terminologias que abordassem o tema morte em seus projetos pedagógicos dos cursos. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, com o número de protocolo: 50747815.5.0000.5214. Os resultados apontaram deficiência considerável de conteúdos e de disciplinas que fomentem, minimamente, a educação para a morte na graduação. A pesquisa verificou a necessidade de criação de projetos no ensino da Medicina que contemplem a temática morte como foco de discussões e de reflexões, para que seja possível o compartilhamento das angústias, dos desconfortos e dos sentimentos de dor, como forma de tornar mais humano o ofício do futuro médico, com repercussões positivas no trato de pacientes e familiares. A educação para a morte não arreda a angústia inerente do morrer, mas proporciona um ambiente psicológico seguro e equilibrado para que o médico possa promover uma melhor autorregulação de suas emoções e dignificar a partida de quem está se despedindo da vida.

  • SUSY ÉRIKA DE LIMA BARROS
  • Concentração de Selênio e Selenoproteínas e sua Relação com o Estresse Oxidativo em Pacientes com Doença de Crohn.

  • Orientador : NADIR DO NASCIMENTO NOGUEIRA
  • Data: 28/07/2016
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A Doença de Crohn (DC) caracteriza-se por uma inflamação crônica que pode comprometer qualquer segmento do aparelho digestivo, agredindo a mucosa de forma transmural e descontínua. Diversos fatores estão envolvidos na patogênese dessa doença, como a própria inflamação e o desequílibrio entre a produção de espécies reativas de oxigênio (EROs) e o sistema de defesa antioxidante. Nesse contexto, o selênio (Se) tem papel importante por integrar o sistema antioxidante. Este trabalho avaliou as concentrações de Se e selenoproteínas e sua relação com o estresse oxidativo em pacientes com DC. METODOLOGIA: Estudo do tipo caso-controle, com 72 participantes de ambos os sexos, na faixa etária entre 20 e 59 anos, categorizados em três grupos: GI (pacientes com DC em atividade, n=20), GII (pacientes com DC em remissão, n=27) e GIII (grupo controle (sem DC), n=25). Os pacientes eram assistidos no Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí. A ingestão dietética de Se foi investigada por meio de registro alimentar de três dias, analisados pelo software “Nutwin”, versão 1.5.1,1. As concentrações plasmáticas e eritrocitárias do mineral foram determinadas por espectrometria de emissão atômica óptica (ICP – OES). A Selenoproteína P (SepP) foi quantificada usando o método ELISA do tipo sanduíche, conforme kit específico. A atividade da enzima glutationa peroxidase eritrocitária (GPx) foi avaliada em analisador bioquímico automático, de acordo com kit comercial. A determinação do marcador de peroxidação lipídica foi realizada a partir da produção de substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico (TBARS). Realizou-se a análise estatística no software SPSS for Windows versão 20.0, adotando-se o nível de significância de 5%.  RESULTADOS: As médias da ingestão dietética do Se estavam adequadas, de acordo com a EAR (45 μg/dia), e significativamente menores em relação ao grupo controle. As concentrações de Se plasmático estavam reduzidas nos pacientes com DC, como também inferiores ao valor de referência, com diferença estatística entre os grupos. Os valores médios de Se eritrocitário mostraram adequação nas concentrações do mineral, conforme valor de referência, apresentando-se significativamente mais reduzidos nos grupos com a doença. As concentrações de SepP foram menores nos pacientes em atividade da doença em relação ao grupo controle, com diferença significativa.  A atividade da GPx mostrou-se elevada nos grupos com a doença, sem diferença estatística entre eles, porém com diferença ao compará-la com o grupo controle. As concentrações de TBARS foram significativamente mais elevadas nos pacientes em atividade da doença. CONCLUSÃO: Os pacientes com DC apresentam comprometimento no estado nutricional relativo ao Se, condição reafirmada pela SepP, como biomarcador desse mineral. A elevada atividade da GPx caracteriza o estresse oxidativo frente ao aumento da peroxidação lipídica independente do grau inflamatório da doença.

     

  • FLÁVIA RACHEL NOGUEIRA DE NEGREIROS FREITAS
  • SAÚDE DA POPULAÇÃO LGBT: A TRAJETÓRIA DA FORMAÇÃO MÉDICA À ATUAÇÃO PROFISSIONAL

  • Orientador : JOSE IVO DOS SANTOS PEDROSA
  • Data: 28/07/2016
  • Mostrar Resumo
  • A população LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais) está inserida em contexto peculiar com relação ao grau de vulnerabilidade no atendimento de seus direitos essenciais, incluindo a saúde, trazendo desafios para a consolidação do SUS (Sistema Único de Saúde) enquanto sistema universal, integral e equitativo. A implementação de ações direcionadas à melhoria da qualidade do acesso aos serviços e do atendimento básico à saúde é indispensável para garantir a afirmação social e cultural da saúde LGBT.  Partindo-se desse pressuposto, a situação-problema deste estudo consiste em: correlacionar as necessidades de saúde dessa população e o modo como são construídas as competências, habilidades e atitudes do médico para saúde-doença-cuidado dessa população. A elaboração deste trabalho tem como objetivo geral analisar a formação médica para assistência à saúde integral da população LGBT, no entendimento do médico do Sistema Único de Saúde (SUS). Desenvolvemos este estudo a partir de uma pesquisa exploratória e descritiva de análise qualitativa, tendo em vista a qualificação do processo de trabalho voltado à atenção à saúde LGBT, sendo considerados sujeitos-chave do estudo quatorze médicos vinculados às sete unidades de atenção primária à saúde, eleitas através de sorteio simples. Para obtenção das informações referentes à pesquisa, utilizou-se a entrevista semiestruturada e pesquisa documental como instrumentos de coleta de dados. Os resultados evidenciam a importância da implementação da Política Nacional de Saúde Integral da população LGBT no SUS como instrumento efetivo de promoção de cidadania e direitos humanos e a necessidade de uma substantiva mudança na relação estigmatizante entre os médicos com a população LGBT.  Persiste o desafio para uma formação médica capaz de romper com a segmentação e o fracionamento dos conteúdos disciplinares, evidenciando a necessidade de uma trajetória de formação que vise à construção de um profissional sensível, humano, transformador, capaz de amenizar a LGBTfobia

  • JESSICA DENISE VIEIRA LEAL
  • Síndrome metabólica em adolescentes: uso de um escore único

  • Orientador : LUISA HELENA DE OLIVEIRA LIMA
  • Data: 27/06/2016
  • Mostrar Resumo
  •  Não há ainda um consenso para o diagnóstico de síndrome metabólica em adolescentes, mas sabe-se as alterações iniciais de cada um dos fatores  podem ocorrer em associações variadas, que, mesmo com pequena expressão, determinam um perfil cardiovascular desfavorável para esses jovens. O objetivo desse estudo foi analisar a utilização de um escore único como preditor de síndrome metabólica em adolescentes. A pesquisa foi descritiva, transversal, com abordagem quantitativa, realizado em oito escolas privadas da zona urbana do município de Picos-PI, no período de julho de 2014 a julho de 2015, com 186 adolescentes de 10 a 19 anos. A coleta foi realizada através de um formulário semiestruturado, contendo dados demográficos, avaliação antropométrica e dados clínicos e bioquímicos. Considerou-se significância estatística valor de p < 0,05. Sendo trabalho aprovado pelo comitê de ética sob o número de parecer: 353.372. Observou-se prevalência do sexo feminino de 15 a 19 anos, com 19,4% e 6,5% de excesso de peso e obesidade, respectivamente. 3,7% dos adolescentes com risco cardiovascular aumentado, 8,6% com hipertensão em estágio em 1 e 2,2% com hipertensão estagio 2. Com relação aos triglicerídeos, 9,7% apresentaram aumentado, apenas 1,1% com intolerância a glicose, já com relação ao LDL-C 8,6% apresentou aumentado, enquanto que uma boa parte, 30,6% dos adolescentes, apresentaram baixo HDL-C. A prevalência de SM por critérios adaptados foi de 2,7% e com relação ao escore único foi de 12,9%. A análise da receiver operating characteristic indicou uma moderada precisão do escore em predizer a SM, verificada pela área sobre a curva de 0,83. Adolescentes com CC elevada tiveram 14 vezes mais chance de desenvolver SM, 5,3 vezes maior de desenvolver a síndrome aqueles com TAG elevada e com 8,4 vezes maior aqueles com PA elevada. Os dados do estudo parecem indicar que o uso do escore único para predizer a síndrome, teve melhor diagnóstico do que o demonstrado por critérios adaptados de estudos internacionais, que subestimaram tanto o risco, quanto o diagnóstico de síndrome metabólica.

     

  • MAYANE CARNEIRO ALVES PEREIRA
  • A hipertensão arterial em idosos e sua relação com a doença arterial periférica.

  • Orientador : MAURICIO BATISTA PAES LANDIM
  • Data: 23/06/2016
  • Mostrar Resumo
  • O envelhecimento populacional é uma realidade brasileira que trouxe consigo uma série de mudanças no panorama epidemiológico, além de uma reorganização da atenção à saúde, agora mais atenta as doenças crônicas não transmissíveis. Dentre as patologias que mais acometem os idosos estão as doenças cardiovasculares, a exemplo da hipertensão arterial e da doença arterial periférica (DAP). Ambas, apresentam um forte caráter comportamental, quando analisado os seus fatores de risco. Nesse sentido, o estudo teve o objetivo de analisar a prevalência e a relação entre a hipertensão arterial e a DAP em idosos participantes de um programa de envelhecimento saudável. A população do estudo foi formada por indivíduos com idade igual ou superior a 60 anos, participantes de um programa de envelhecimento saudável da cidade de Teresina, Piauí. Trata-se de um estudo transversal com amostragem por conveniência e coleta de dados realizada no período de agosto a dezembro de 2015. Foram colhidas informações referentes a suas características socio-demográficas e econômicas, situação de saúde, fatores de risco cardiovasculares e qualidade de vida. Além disso, foram realizadas medidas antropométricas e obtenção dos valores do Índice Tornozelo Braquial. Os testes estatísticos foram realizados por meio do software Statistical Product and Service Solutions (SPSS) versão 20.0 e os resultados foram considerados significantes para qualquer valor de p < 0,05. Foram entrevistados um total de 99 idosos, com idade média de 68,08 anos. Quanto aos fatores de risco comportamentais, 74,7% nunca fumaram; 32,3% ingerem bebidas alcoólicas e 15,2% praticam atividade física regular. Na análise da situação de saúde foi observado que 15,2% dos idosos são diabéticos e 38,4% apresentam colesterol elevado. Segundo o Índice de Massa Corporal, 35,4% dos participantes apresentam sobrepeso e, a partir do estudo da circunferência da cintura (CC), 78% apresentam médias acima da normalidade. A hipertensão arterial foi a doença mais prevalente entre os idosos pesquisados e a DAP apresentou prevalência de 8,1%, não sendo observada relação significativa entre essas duas patologias. Quanto ao consumo de medicamento entre idosos, os mais consumidos foram os anti hipertensivos (45,5%), seguido dos anti hiperlipidêmicos (38,4%). Nesse estudo foi observada relação estatisticamente significante a CC e o diagnóstico de hipertensão arterial (p=0,03) e, entre o diagnóstico de diabetes e a presença de DAP (p=0,005). Não foi observada relação significativa entre a presença de sintomas em membros inferiores e a DAP, apontando um caráter frequentemente assintomático. No que se refere a qualidade de vida, a média de todos os componentes apresentaram-se superiores a 50, em uma escala de zero a 100. Também foi observada relação estatisticamente significante entre o componente Capacidade Funcional e a prática de atividade física regular (p=0,003). Tais resultados indicam que a DAP mostrou-se silenciosa e assintomática e a hipertensão arterial continua com elevada prevalência, o que representa um elevado risco à saúde, especialmente entre os idosos. Por conta desses resultados, é necessário que os serviços de saúde permaneçam atentos quanto a ocorrência dessas patologias e a busca por respostas efetivas para seu controle.

  • MARTA MARIA DA SILVA LIRA BATISTA
  • INDICADORES DE QUALIDADE E O GERENCIAMENTO DA DISFAGIA NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA
  • Orientador : MAURICIO BATISTA PAES LANDIM
  • Data: 06/06/2016
  • Mostrar Resumo
  • Os altos custos na internação hospitalar nem sempre refletem a qualidade do serviço prestado e a criação de indicadores de qualidade é fundamental para a avaliação da qualidade do serviço. O principal objetivo deste trabalho é avaliar os principais indicadores de qualidade no gerenciamento da disfagia na Unidade de Terapia Intensiva. Trata-se de uma pesquisa descritiva, transversal, quantitativo e de caráter retrospectivo. Foram considerados como indicadores de processo: taxa de gravidade, Índice de demanda Fonoaudiologia, Tempo para avaliação da deglutição; e, como indicadores de resultados: Tempo para retirada da Via Alternativa de Alimentação e a taxa de decanulação. O número total de pacientes foi de 232 pacientes, houve uma leve predominância no sexo masculino, com 54,1%, com a média de idade de 54,9 ±20,2 anos de idade. O tempo médio de internação na UTI foi de 11,4±15,1 dias. Do total 49,5% foram intubados, permanecendo sob ventilação mecânica invasiva por 5,1 dias, em média, na primeira intubação e de 3,0 dias na segunda, sendo que 91,4% apresentavam algum grau de disfagia quando foram avaliados pelo Fonoaudiólogo, pela primeira vez. A presença do profissional em todo o seu turno de trabalho permite melhor interação com a equipe de cuidado, monitorização mais precisa do paciente no intuito de iniciar a terapêutica mais precocemente. No indicador Reintrodução Via Oral, 88,3% foram reabilitados nos primeiros 5 dias, bem com a Retirada da Via Alternativa de Alimentação, com 88,9%. Estes resultados foram positivos, demonstraram que o acompanhamento intensivo da Fonoaudiologia na UTI permite a interdisciplinaridade e cuidado integral do paciente, culminando em tempo menor de internação na UTI, menor percentual de colocação de vias alternativas para alimentação, além de proporcionar três vezes mais rápida a decanulação e a reintrodução da via oral como forma de nutrição

  • JOSÉ CLAUDIO GARCIA LIRA NETO
  • Relação entre o controle metabólico e adesão medicamentosa em pacientes com Diabetes Mellitus tipo 2

  • Orientador : MAURICIO BATISTA PAES LANDIM
  • Data: 11/04/2016
  • Mostrar Resumo
  •  O Diabetes Mellitus (DM) é um conjunto de doenças complexas, caracterizadas por hiperglicemia, de etiologia multigênica e multifatorial que desafia pesquisadores, clínicos e pacientes. A incidência e a prevalência dessa enfermidade vêm crescendo ano após ano, de forma assustadora, tornando-se um grave problema de saúde pública. Atualmente, essa moléstia já atinge mais de 415 milhões de pessoas ao redor do mundo. No entanto, caso nenhuma intervenção seja realizada, em 2040, a estimativa é de que o número de pessoas com DM chegue a 642 milhões, sendo 23,3 milhões apenas no Brasil. Frequentemente associada a complicações que geram alterações agudas e crônicas irreparáveis, essa doença tem em seu plano de cuidados medidas simples para a interrupção de seu avanço, tais como: mudanças no estilo de vida e adesão aos antidiabéticos orais (ADOs). Uma vez que o paciente adere ao tratamento instituído, as disfunções causadas pelo DM minimizam-se, e então um bom controle metabólico (CM) é alcançado. No entanto, a inconsistência e a falta de robustez dos dados que tracem uma relação direta entre adesão e CM traz à tona a necessidade de aprofundamento acerca do assunto. Dessa forma, esse trabalho tem como objetivo analisar a relação existente entre a adesão aos ADOs e o CM de pacientes com Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2). Trata-se de um estudo transversal, realizado com 201 pessoas com diagnóstico para DM2 cadastrados e acompanhados pelas 17 Unidades Básicas de Saúde (UBS) da cidade de Floriano, Piauí. Compuseram a amostra diabéticos maiores de 18 anos, que fossem atendidos na rede de atenção básica de Floriano, Piauí, e em uso exclusivo de ADOs há, no mínimo, seis meses. Inicialmente os pacientes que aceitaram participar da pesquisa preencheram um instrumento contendo informações sociodemográficas. Em um segundo momento, foram avaliados os dados antropométricos e clínicos, bem como aqueles ligados à adesão medicamentosa. As coletas de dados foram realizadas por um laboratório especializado, respeitando um jejum de 12 horas, para glicemia venosa de jejum (GVJ), hemoglobina glicada (HbA1c), triglicerídeos (TG), HDL colesterol, LDL colesterol e colesterol total (CT). O projeto foi submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da Universidade Federal do Piauí e aprovado conforme o parecer de número 485.420. Do total de pacientes investigados, 72,6% eram do sexo feminino, 71,1% não praticavam nenhum exercício físico e 71,6% estavam acima do peso. Quando avaliada a adesão medicamentosa por meio do Teste de Morisky, Green e Levine adaptado, apenas 23,9% da amostra foi considerada aderente. Já no que diz respeito ao CM, os valores de HbA1c, GVJ, TG, LDL, HDL, CT e pressão arterial estiveram alterados em 71,3%, 68,9%, 53,9%, 33,8%, 88,5%, 47,6% e 29,4% da amostra, respectivamente. Conclui-se que, quando aderentes, os pacientes com DM2 tem melhores níveis de HbA1c, GVJ e CT; que os homens têm melhor controle das frações de TG, LDL e CT; que os níveis pressóricos são mais bem controlados entre os pacientes que praticam exercícios físicos regulares e que, abster-se do uso de álcool gera melhores níveis de GVJ. Estudos de intervenção devem ser realizados na busca de incentivar hábitos de vida saudáveis, bem como incentivar a adesão aos ADOs em pacientes com DM2

  • BRENO DE OLIVEIRA FERREIRA
  • Babado, confusão e gritaria”: vivências e reflexões da população LGBT no SUS

  • Orientador : JOSE IVO DOS SANTOS PEDROSA
  • Data: 01/04/2016
  • Mostrar Resumo
  • Considerando que a população LGBT enfrenta discriminação por conta da sua orientação sexual e/ou identidade de gênero, que reflete nos determinantes sociais de saúde, gerando processos de adoecimento e sofrimento próprios de estigmas associados, o acesso ao SUS e a qualidade da atenção integral à essa população tornam-se mais complexos e os colocam em situação de vulnerabilidade por conta das violências e preconceitos vivenciados nos diferentes serviços de saúde. Diante desse cenário, de maneira geral, o estudo busca analisar as percepções de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais acerca da atenção à saúde no SUS em Teresina, Piauí. De maneira específica, o presente trabalho busca elencar as principais barreiras e facilidades no acesso e compreender as dimensões da qualidade da atenção à saúde na perspectiva dos usuários LGBT. Para tanto, realizou-se uma pesquisa exploratória e descritiva de abordagem qualitativa, em que participaram 4 lésbicas, 4 gays, 6 travestis e 5 mulheres transexuais que residem em Teresina, e que de forma direta ou indireta acessam os serviços de saúde. Os sujeitos foram selecionados pela técnica metodológica Snowball, e a coleta dos dados se deu através de grupos focais. A Análise de Conteúdo de Bardin foi utilizada para análise, tratamento e interpretação dos fenômenos sociais. No grupo de lésbicas duas categorias foram identificadas: especificidades no atendimento ginecológico; e estratégias de acesso aos serviços de saúde. Com os gays, as categorias foram: o acolhimento do gay afeminado no SUS; e as relações de gênero e as masculinidades na saúde. Para as travestis: violência institucional e especialização do cuidado. Já no grupo de mulheres transexuais emergiram: estigma, preconceito e AIDS; e o uso do nome social nos serviços de saúde. Foram identificadas iniquidades diante as condições do acesso aos serviços de saúde pela população LGBT nas dimensões do acolhimento, da humanização e da qualidade dos serviços prestados. Ao fim, destaca-se a necessidade de mais integração entre os diversos segmentos e serviços de saúde, a fim de que a Política LGBT se torne instrumento efetivo de promoção de cidadania e direitos humanos, do contrário, corre-se o risco do rompimento cada vez maior com essa população.

  • WILSON DE OLIVEIRA SOUSA JÚNIOR
  • Utilização da perfusão renal pulsátil para otimização do enxerto no transplante renal: Revisão da Literatura. 

  • Orientador : SEMIRAMIS JAMIL HADAD DO MONTE
  • Data: 03/03/2016
  • Mostrar Resumo
  • O transplante renal é a terapia renal substitutiva de escolha para os pacientes em insuficiência renal avançada. A qualidade do enxerto renal é isoladamente um dos fatores mais importantes para o sucesso do transplante. Considerando o aumento da demanda de enxertos renais numa proporção maior do que o número de doadores disponíveis cada vez mais tem-se utilizados doadores com critérios expandidos, que apresentam maior risco de falha após o transplante, por serem os mais susceptíveis á injúria de preservação, também denominados doadores marginais. Dessa forma torna-se necessária a utilização de estratégias com o objetivo de reduzir a lesão por preservação, reduzindo as taxas de funcionamento renal tardio (necessidade de hemodiálise na primeira semana pós transplante) e não funcionamento primário do enxerto bem como sobrevida do enxerto. Dentre essas medidas destacam-se desde o melhor suporte dado ao doador e consequentemente ao órgão doado até mesmo a utilização das máquinas de perfusão renal durante o período de isquemia fria. O objetivo é revisar o papel e impacto da utilização da máquina de perfusão pulsatil na preservação do enxerto renal. 

  • DEYLANE MENEZES TELES E OLIVEIRA
  • Papel das células dendríticas no direcionamento da resposta dos linfócitos T a peptídeos sintéticos derivados da proteína Hsp70 de Cryptococcus gattii


  • Orientador : ADALBERTO SOCORRO DA SILVA
  • Data: 29/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • A criptococose é uma micose sistêmica de significativa morbiletalidade caracterizada por afecções do trato respiratório e meningoencefalite. Diagnostica-se um milhão de casos novos anual, incidência que está associada a uma taxa de mortalidade em torno de 60% apesar das terapias antifúngicas. Cryptoccoccus neoformans e Cryptococcus gattii são os agente etiológicos da doença, e nos últimos anos C. gattii tem recebido notoriedade por surtos em regiões antes não reportadas como endêmicas. A sintomatologia da criptococose é confundida com aquela de outras patologias pulmonares mais comuns e, normalmente, o diagnóstico é impreciso ou tardio. Por conseguinte o tratamento ao qual o paciente é submetido se torna ineficaz. Assim, a prevenção é a maneira mais econômica e eficiente de resolução de uma problemática dessa magnitude. Não obstante, estudos objetivando o entendimento da resposta imune contra do patógeno e busca de alvos antigênicos para o diagnóstico precoce e imunoterapia vêm sendo desenvolvidos. Recentemente nosso grupo mostrou que pacientes com criptococose por C. gattii (genótipo VGII) desenvolvem anticorpos contra proteína Hsp70 desse patógeno, e que Hsp70 de C. gattii é uma proteína imunodominante e seus peptídeos são reconhecidos por anticorpos de pacientes. Aqui, investigamos se as células dendríticas estimuladas com peptídeos sintéticos derivados da Hsp70 de C. gattii (VGII) são capazes de induzir proliferação de células T, e se os linfócitos proliferados possuem fenótipo de células T reguladoras (CD4⁺ CD25alto Foxp3⁺). Para tanto, a estratégia experimental consistiu em avaliar a resposta proliferativa das células T (marcados com CFSE) direcionadas às células dendríticas autólogas previamente pulsadas com os peptídeos (H18, H21 e H26) da Hsp70 de C. gattii. Nossos resultados indicaram que os peptídeos H18 e H21, isoladamente ou conjugados, majoram a proliferação de células T autólogas e induzem predominantemente linfócitos T na ausência do fator de transcrição Foxp3. Os resultados apresentados neste estudo reforçam nossos achados prévios proporcionando o desenvolvimento de novas pesquisas utilizando esses peptídeos como antígenos promissores em imunodiagnóstico e/ou imunoterapia de criptococose, causada por C. gattii.


  • LARA OLIVEIRA BONA DO VALE E SILVA
  • ANÁLISE DE PACIENTES COM SEQUELAS DE TRAUMATISMO CRÂNIO-ENCEFÁLICO EM UM CENTRO DE REFERÊNCIA EM REABILITAÇÃO EM TERESINA-PIAUÍ, DE 2009 À 2013.

  • Orientador : VIRIATO CAMPELO
  • Data: 29/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO:

    TCE é definido como uma alteração na função encefálica, devido à uma causa externa, ou seja, algum trauma físico de origem externa e que leva à morbimorbidade, incapacidades e mortalidade em todo o mundo. Pode ser classificada em leve, moderada ou grave, de forma temporária ou permanente. Pode ser uma lesão dos tipos primária ou secundária, aberta ou fechada (Scholten et al, 2014; Hora e Sousa, 2005; Andrade et al, 2009).

    Este estudo pretende analisar as características de pacientes com sequelas de TCE em um Centro de Reabilitação de Referência no Estado do Piauí quanto aos aspectos sócio-demográficos; aspectos clínicos da sequela, custo com saúde no âmbito do SUS, evolução e destino do paciente após reabilitação.

    OBJETIVOS:

    3.1. Geral

     

    ● Avaliar as características de pacientes com sequelas de traumatismo crânio-encefálico em um centro de referência.

     

    3.2. Específicos

     

    ● Descrever as características sócio-demográficas de pacientes com sequelas de traumatismo crânio-encefálico.

    ● Especificar qual (is) a (s) causa (s) do TCE (acidente ou violência).

    ● Analisar os aspectos clínicos dos pacientes durante a consulta médica inicial.

    ● Identificar evolução clínica e destino dos pacientes ao final do período.

    ● Estimar o custo com saúde, no âmbito do SUS, de pacientes com sequelas de traumatismo crânio-encefálico.

    METODOLOGIA:

    Estudo de natureza analítica e quantitativa, visando identificar as características referentes a pacientes com sequelas de Traumatismo Crânio-Encefálico (TCE) em um centro de referência em Teresina-Piauí, no período de janeiro de 2009 à dezembro de 2013. Tratou-se de uma análise documental, retrospectiva, considerando os aspectos sócio-demográficos; tipo de causa do TCE, se por acidente, queda ou violência, especificando cada um; aspectos clínicos através da análise das sequelas no exame inicial e em um momento posterior (evolução); os custos com saúde no âmbito do SUS e o destino do paciente após reabilitação.

    Utilizou-se o banco de dados do próprio centro, através da análise documental registrada em prontuários para identificação de dados cadastrais, análise da ficha médica de admissão e reexame e das fichas de avaliação e reavaliação terapêuticas, além de dados da entrevista da assistência social. Analisou-se também um programa específico do centro denominado Sistema Reabilitar, no qual foram coletadas informações acerca dos tratamentos terapêuticos realizados (fisioterapia solo e aquática, terapia ocupacional, psicologia, fonoaudiologia, arteterapia, musicoterapia e reabilitação desportiva), atendimentos clínicos (médico, nutrição e odontologia) e órteses e/ou aditamentos adquiridos. Foram analisados ainda dados do programa do Centro Diagnóstico, denominado X-Clinic, para identificação de procedimentos específicos realizados, como exames de imagem e laboratoriais. Realizou-se a verificação dos valores de todos os procedimentos em saúde pertinentes à pesquisa utilizando-se a base de dados do SUS, denominada SIGTAP-DATASUS (Sistema de Gerenciamento da Tabela de Procedimentos, Medicamentos do SUS), no qual encontra-se a tabela unificada do SUS. Foram efetuadas ligações telefônicas para os pacientes e/ou responsáveis para elucidação de questões sobre o destino do paciente após reabilitação.

    RESULTADOS:

    Verificou-se o predomínio de pacientes do sexo masculino (86,36%), com idade entre 18 e 59 anos (80,68%); nível de escolaridade ensino médio completo (26,14%), de raça/cor parda (52,27%) e renda familiar entre um e cinco salários mínimos (60,23%).Com relação aos tipos de causa de TCE a mais comum foi acidente motociclístico (68,18%), seguido de acidente automobilístico (12,50%) e atropelamento (9,09%). Quedas, agressão por arma de fogo e por outros meios ocorreram em menor quantidade, cerca de 3,41% cada .Acidente motociclístico foi predominante no sexo masculino (71,05%) e nas faixas etárias de 12 à 17 anos (72,73%) e de 18 à 59 anos, em torno de 73,24%  Nos acidentes automobilísticos e em atropelamentos houve predomínio do sexo feminino (33,33% e 16,67% respectivamente) e nas idades entre 2 e 11 anos e maiores de 60 anos, com 33,33% cada.  Quedas, agressões por arma de fogo e por outros meios ocorreram, cada um, na faixa de 3,95% apenas no sexo masculino. Verificou-se que quedas foram predominantes na faixa etária de 2 e 11 anos (33,33%) e maiores de 60 anos (33,33%); agressão por ferimento de arma de fogo encontrou-se mais pertinentes entre 12 à17 anos (9,09%) e por outros meios entre 18 à 59 anos (4,23%).

    CONCLUSÃO: O presente trabalho mostrou que a maioria dos seuelados por TCE são homens, adultos jovens, acidentados de motocicleta,com ensino médio completo, renda entre 1 e 5 salários mínimos, cujo destino foi Teresina e sem realização de nenhuma atividade.

     

  • MARIA ALICE DE MORAES MACHADO BRITO
  • Mortalidade Perinatal em Teresina-Piauí de 2010-2014

  • Orientador : VIRIATO CAMPELO
  • Data: 29/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUçÃO:A mortalidade perinatal é entendida como a combinação de óbitos fetais e aos neonatais. Nos Estados Unidos em 2005 a taxa de mortalidade fetal com idade gestacional menor que vinte semanas correspondeu a 6,2 mortes fetais por 1000 nascidos vivos, estatística que se aproxima da mortalidade infantil, que é de 6,9/1000 nascidos vivos (BLENCOWE; CONSENS, 2013). No Brasil , as taxas de mortalidade infantil apresentam-se em niveis comparáveis aos observados nos países desenvolvidos, no final dos anos 60, e as causas perinatais revelem-se como primordiais no primeiro ano de vida      (LANSKY et al., 2012).

    Para Brasil (2009) mortalidade perinatal é obtida pelo número de óbitos totais ocorridos em determinado período, por mil nascidos vivos de uma população que mora em uma localidade, em um especificado ano. Os óbitos neonatais precoces são aqueles ocorridos de 0 a 6 dias de vida completos, por mil nascidos vivos, de uma população, que reside em uma localidade, de um dado ano. Os óbitos neonatais tardios diferem do precoce, quanto ao período que ocorrem, do 7º dia ao 27º dia de vida completo. E é considerada mortalidade pós-natal, óbitos observados do 28º dia ao 364º dia de vida completo.

    De acordo com este contexto alguns estudos realizados no Brasil percebe-se claramente que a melhoria da estrutura da assistência perinatal um grande percentual de mortes nessa faixa etária poderiam ser evitados. O Ministério da Saúde (MS) implementou uma política de saúde (rede cegonha) em 2011 com uma rede de atenção a saúde materno-infantil que legitima o acesso e resolutividade durante o pré-natal e puerpério. O sucesso dessa intervenção apoia-se em dados sociodemograficos atualizados sobre as principais causas de mortalidade perinatal de cada região ( SANTOS, et al., 2013).

    OBJETIVOS:

    Geral

    §  Analisar o perfil sociodemográfico e obstétrico dos óbitos fetais ocorridos em Teresina no período de 2010 a 2014

      Específicos

    §  Identificar os óbitos fetais segundo faixa etária e escolaridade da mãe.

    §  Avaliar os óbitos fetais conforme duração da gestação, tipo de gravidez e tipo de parto.

    §  Identificar os óbitos fetais quanto ao local do óbito e óbito no parto

    §  Caracterizar os óbitos fetais por faixa etária da mãe conforme local do óbito e tipo de parto.

    §  Traçar o perfil obstétrico dos óbitos fetais segundo duração da gestação, tipo de gravidez e tipo de parto.

    §  Apresentar os óbitos não fetais conforme faixa etária da mãe, tipo de parto, tipo de gravidez, duração da gravidez e peso.

    §  Calcular o coeficiente de mortalidade perinatal conforme ano de ocorrência.

    METODOLOGIA: Trata-se de um estudo observacional de coorte retrospectiva, com base em dados secundários de óbitos fetais a partir de 22 semanas de gestação e óbitos neonatais de zero a seis dias de vida, residentes em Teresina, Piauí, no período de 2010 a 2014.

    Nas pesquisas observacionais o pesquisador não domina nem a exposição nem a disposição dos componentes, lançando mão de um problema anunciado e observando os resultados. Estudo de coorte é uma averiguação na qual uma determinada quantidade de indivíduos é acompanhada para serem confrontados com a ocorrência do desfecho, conforme o grau de exposição a um possível fator de risco. O termo retrospectivo reporta-se a exposição e o desfecho são compassados após terem ocorridos, sendo concretizado por meio de arquivos (MEDRONHO, 2009).

    RESULTADOS: Foi identificado no banco de dados do SIM da FMS no período de 2010 - 2014 um total de 686 óbitos perinatais, com ocorrência do parto e residência da mãe em Teresina. Com relação aos óbitos fetais relacionados a escolaridade e faixa etária da mãe, observou-se que entre 27 a 33 anos  ocorreram proporcionalmente o maior número de óbitos no período de 2010 a 2014.  A idade gestacional onde ocorreu o maior numero de óbitos foi de 22 a  27 semanas de gestação. Sendo estatisticamente significativos. O tipo de gravidez única e o tipo de parto normal foi onde ocorreu o maior numero de óbitos. Ambos não foram estatisticamente significativos. O cruzamento entre a faixa etária da mãe com a duração da gestação, tipo de gravidez e tipo de parto mostrou que não houve predominância de nenhuma das faixas etária que não apresentou significância estatística. Quanto ao tipo de gravidez em todas as faixas etárias predominou gravidez única, não foi estatisticamente significativo. Em relação ao tipo de parto predominou o tipo de parto normal em todas as faixas etárias, tendo sido altamente significante.

    CONCLUSÃO: O presente estudo mostrou que a mortalidade de perinatal em Teresina está nos mesmos níveis do Brasil como um todo. Os óbitos fetais foram maiores que os não fetais , sendo que os maiores fatores de risco foram o baixo peso ao nascer e a prematuridade. A grande maioria ocorreu em hospitais com o tipo de parto vaginal.

     

  • LÍLIAN MELO DE MIRANDA FORTALEZA
  • Incidência e risco de near miss materno na região Nordeste do Brasil

  • Orientador : KEILA REJANE OLIVEIRA GOMES
  • Data: 18/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: O near miss materno configura-se como indicador de saúde e o conhecimento dos seus fatores de risco contribui para a definição de estratégias e políticas de saúde que otimizem a qualidade da assistência à saúde prestada às mulheres no ciclo grávido-puerperal. OBJETIVO: Estimar a incidência e analisar o risco do near miss materno na região Nordeste do Brasil. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS: Trata-se de estudo realizado com 6.096 puérperas admitidas em maternidades para realização do parto na Região Nordeste do Brasil, um recorte do inquérito Nascer no Brasil, de abrangência nacional. O desenho do estudo original incluiu a amostragem probabilística, em dois estágios, um correspondente aos estabelecimentos de saúde, e o segundo, às puérperas e seus conceptos. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevista e consulta ao prontuário hospitalar, a partir de formulário eletrônico pré- testado. Os dados deste subprojeto foram analisados nos softwares SPSS versão 18.0 e R Project. Foi feita análise univariada por meio da estatística descritiva e cálculo da incidência para o conjunto de variáveis. Para medir o efeito das variáveis sobre a ocorrência de near miss materno utilizou-se o cálculo do risco relativo, haja vista ser um estudo de incidência, com intervalo de confiança de 95%. Na presente pesquisa para caracterizar os casos de near miss materno utilizou-se a classificação da OMS. RESULTADOS: As mulheres que desenvolveram near miss materno se caracterizaram por terem companheiro (78,6%), cor da pele não branca (63,6%), faixa etária de 20 a 24 anos (41,8%), ter ensino médio completo (52,2%), estarem fora do mercado de trabalho (73,6%) e não possuírem plano de saúde (89,1%). Quanto à gestação, a maioria das entrevistadas eram primigestas (74,1%) e tinham gestação de risco (54,7%). A assistência ao pré-natal foi praticamente universal (93,5%), com início no primeiro trimestre (87,2%), com seis ou mais consultas (66,5%) e com orientações quanto ao hospital para a realização do parto (62,4%). A incidência de near miss materno foi de 10,6 por mil nascidos vivos. Os critérios clínicos para a identificação do near miss materno foram os mais prevalentes (66,2%). O near miss materno teve risco significante entre mulheres com ausência de plano de saúde (RR=1,8; IC95% 1,2-6,3), primigestas (RR=2,0; IC95% 1,1-3,4), primíparas (RR=3,1; IC95% 1,3-6,8), com cesariana anterior (RR=6,3 IC95% 1,8-10,5), gestações de risco (RR=4,0; IC95% 2,2-7,3), internação durante a gestação (RR=2,8; IC95% 1,4-4,1), ausência do pré-natal (RR= 4,4; IC95% 1,1-2,9), atendimento em hospital diferente do indicado (RR= 1,7; IC95% 1,5-8,2), ocorrência do segundo atraso (RR=2,4; IC95% 1,1-3,4), uso de ambulância/viatura oficial como meio de transporte até o hospital para o parto (RR= 2,6; IC95% 1,2-3,5), parto cesariano (RR=6,9; IC95% 5,4-32,3) e ter feito o parto financiado pelo SUS (RR=8,9; IC95% 4,3-14,2). CONCLUSÃO: A incidência e fatores de risco encontrados para o near miss materno reforçam a necessidade da qualificação dos serviços de assistência ao pré-natal e ao parto prestados pelo Sistema Único de Saúde que potencialmente reduziria a mortalidade materna no Nordeste brasileiro. Para isso, deve se priorizar a qualificação dos serviços públicos de saúde, integração entre os cuidados de pré-natal e parto, redução no número de cesarianas, provimento de assistência adequada ao parto, no momento certo e no local adequado à gestante de risco, sem que para isso ela tenha que peregrinar.

2015
Descrição
  • MARIELLA DE ALMEIDA MELO
  • Avaliação do efeito do polimorfismo do gene CYP2D6 no carcinoma de mama de mulheres tratadas com tamoxifeno 

  • Orientador : BENEDITO BORGES DA SILVA
  • Data: 18/12/2015
  • Mostrar Resumo
  • O câncer é uma doença que cresce em prevalência no mundo, sendo a estimativa mundial de cânceres diagnosticados para o ano de 2012 foi de mais de 14 milhões de casos novos, excluindo as neoplasias de pele não melanoma. Além de ser uma doença que vem aumentando sua incidência no mundo, o câncer tem alta taxa de mortalidade, com um número de mais de oito milhões de mortes previstas para o ano de 2012. O tratamento do câncer de mama é multidisciplinar e sua indicação  individualizada,  podendo  variar em diferentes regiões. O conhecimento da presença dos receptores de estrogênio e progesterona, que são positivos em 75% e 65% das pacientes, respectivamente, indica o tratamento endócrino (OSBORNE, 1998 ); AMORIN et al.,2011- scoc *), que mesmo sendo usado há vários anos na prática clínica no tratamento adjuvante do câncer de mama, a presença desses receptores continua sendo a única indicadora preditiva do uso da endocrinoterapia (GOETZ et al.,2007).O Tamoxifeno é uma pró droga que é extensamente metabolizada no fígado pela enzima P450 2D6 (CYP2D6) em seus metabolitos mais ativos, endoxifeno (4-hidroxi-N-dismetil-tamoxifeno) e 4-hydroxitamoxifeno, que são formados, principalmente, pelas enzimas CYP3A4 ( e CYP3A5)  e CYPD26, respectivamente.  Esses dois metabolitos se ligam ao RE com maior afinidade que o Tamoxifeno, cada um demostrou um potencial 30 a 100 vezes maior em inibir a proliferação estrógeno-dependente (MORROW et al., 2012).

    A associação entre os fenótipos de atividade da enzima CYP2D6 e o sucesso do tratamento com tamoxifeno no câncer de mama ainda é incerto (Martins et al. 2014). Consoante alguns estudos, as pacientes com polimorfismo do gene CYP2D6, com metabolismo intermediário e pobre, tem uma evolução desfavorável da doença (GOETZ et al., 2006 e SCHROTH et al., 2007), por outro lado, alguns autores, não mostraram associação entre o genótipo da enzima CYP2D6 e a resposta clínica das mulheres com câncer de mama tratadas com tamoxifeno (Morrow et a., 2012 ; Martins et al., 2014.   Assim, diante destas controvérsias e escassez de estudos sobre esta matéria em nosso meio, propomos o desenho do presente estudo.

    Pacientes e local do estudo

    O presente estudo envolveu 80 pacientes, portadoras de câncer de mama hormônio-sensível tratadas em uso de tamoxifeno adjuvante, atendidas no Hospital São Marcos, no período de outubro de 2014 a julho de 2015. As mulheres foram divididas em dois grupos, com recidiva da doença em uso de tamoxifeno (n=40) e sem recidiva em uso tamoxifeno (n=40). O estudo de biologia molecular foi realizada no Laboratório de Pesquisas em Leshimanioses da Universidade Federal do Piaui. 

      

  • FRANCISCA VANESSA BARROS COSTA
  • "Estado Nutricional de Pré-escolares e sua Relação com a Anemia"

  • Orientador : REGILDA SARAIVA DOS REIS MOREIRA ARAUJO
  • Data: 07/12/2015
  • Mostrar Resumo
  • O estado nutricional de uma população, sobretudo o das crianças, é um excelente indicador da qualidade de vida, espelhan­do o modelo de desenvolvimento de uma determinada sociedade. Acompanhar a situação nutricional das crianças constitui instrumento essencial para aferição das condições de saúde da população infantil tornando-se uma oportunidade ímpar para se obter medidas objetivas da evolução das condições de saúde de uma população (BRASIL; 2002a). A anemia causada por deficiência de ferro afeta pessoas de todas as classes sociais, e está intimamente relacionada com a pobreza, com os baixos níveis educacionais e com as precárias condições sociais, devido à baixa ingestão ou à falta de acesso a alimentos ricos em ferro (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2008; AILINGER et al, 2009; SATO et al, 2010). As variáveis de medidas antropométricas, fatores bioquímicos e sócio- econômicos, bem como o sexo, nível educacional, renda, idade, índice de massa corporal (IMC), sazonalidade e parasitologia são comumente associados com os níveis de hemoglobina. Todos estes podem ser determinantes na biodisponibilidade de ferro (SKJELBAKKEN et al, 2010 BAART et al, 2011; MARQUES, et al, 2015).Diante do exposto, o presente trabalho visou avaliar o estado nutricional de pré-escolares e sua relação com a anemia.O estudo foi desenvolvido com pré-escolares matriculados na Rede Municipal (Centros Municipais de Educação Infantil(CMEIS) e em uma Escola Privada de referência da Cidade de Teresina, Capital do Piauí.Foram pesquisadas 2016 crianças. Destas, 1210 (60%) eram de escolas públicas e 806 (40%) de escolas privadas do Município de Teresina-PI.Os pais de crianças matriculadas nas escolas públicas e privadas, com relação à situação sócio-econômica e cultural obtiveram rendas e escolaridades diferentes, mas apesar disso não houve influência no estado nutricional das crianças.Observou-se que, nas escolas públicas além da eutrofia havia em grande porcentagem presença do excesso de peso, diferente do resultado verificado na escola privada, onde embora tenha o excesso de peso, houve presença da obesidade em algumas crianças. A prevalência da anemia, ainda que presente nas crianças das escolas públicas foi moderada com  26,3%. Entre as crianças anêmicas, a maioria encontrou-se eutrófica em relação ao estado nutricional.

  • KATIA MAGALY PIRES RICARTE
  • ESTRATÉGIA EDUCATIVA SOBRE SÍNDROME METABÓLICA PARA ADOLESCENTES DO SEMIÁRIDO PIAUIENSE: UM ESTUDO DESCRITIVO.

  • Orientador : LUISA HELENA DE OLIVEIRA LIMA
  • Data: 06/11/2015
  • Mostrar Resumo
  • Resumo da defesa: INRODUÇÃO: Em tempos contemporâneos a saúde pública com foco na prevenção está sobrepondo o modelo biomédico tradicional, principalmente, quando se tenta compreender as patologias geradas por consequência do estilo de vida adotado no século XXI, elevando a necessidade do meio em exercer influências diretas nas condutas adotadas para a compreensão do processo saúde/doença. Neste sentido, vale salientar a importância de elaborar estratégias educativas que desenvolvam a autonomia da comunidade perante a condição da saúde individual e coletiva, tal processo, denomina-se como Educação em Saúde. OBJETIVO: Elaborar e validar uma cartilha sobre a prevenção da SM em adolescentes. MÉTODO: Estudo descritivo, prospectivo, do tipo pesquisa de desenvolvimento metodológico. A pesquisa foi destinada à construção e validação de uma tecnologia educativa, cartilha. Participaram da pesquisa alguns alunos de escolas particulares que estão localizadas na área urbana, integrantes de um projeto maior, intitulado como “Prevalência de Síndrome Metabólica e fatores de risco para doenças cardiovasculares em crianças e adolescentes de Picos-PI”, fomentado pelo Edital FAPEPI/SESAPI/MS/CNPq/No 03/2013 e aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal do Piauí no do parecer consubstanciado do CEP 352. 372, que possuem séries/anos que se destinam à faixa etária em estudo (10 a 14 anos de idade) e que espontaneamente aceitarem participar do estudo concedendo autorização institucional. A participação foi focada na avaliação do conteúdo, da linguagem e aparência contida na cartilha junto aos demais juízes, contando 12 Juízes de conteúdo, 03 Juízes de Design, Propaganda e Marketing e 09 consultores formados pelo público-alvo, perfazendo um total de 24 avaliadores. Este estudo adotou a técnica Delphi para construir e validar o material educativo utilizou questionários avaliativos no formato Likert e o Índice de Validação do Conteúdo – IVC para analisar a validação. RESULTADOS: O primeiro ciclo Delphi objetivou a seleção do conteúdo para construir a cartilha sob a ótica dos Juízes, neste momento houve validação do conteúdo (92%), mas, não da linguagem (33%) e nem das ilustrações (08%), porém, com este achado foi possível selecionar com êxito os itens almejados. No segundo ciclo Delphi foi construído a primeira versão da cartilha com o auxílio de um profissional de Design Gráfico, neste momento, atingiu o consenso desejado entre os Juízes técnicos de conteúdo e dos consultores formados pelo público – alvo, obtendo assim, a validação do conteúdo, da linguagem e das ilustrações (100%). No terceiro ciclo Delphi atingiu o consenso (100%) dos Juízes de Design, Propaganda e Marketing, simultaneamente, foi alcançado à versão final da cartilha. CONCLUSÂO: A cartilha intitulada “Coração valente é coração de adolescente” foi validada e está apta para reprodução por interessados, com o intuito de promover a educação para saúde de adolescentes escolares com idade de 10 a 14 anos, e ao fazer uso desta cartilha à fonte deverá ser consultada e citada.

    C.

  • ANAEL QUEIRÓS SILVA BARROS
  •  

    SÍNDROME METABÓLICA E SUA ASSOCIAÇÃO COM O CONSUMO ALIMENTAR EM ESCOLARES


  • Orientador : ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
  • Data: 07/10/2015
  • Mostrar Resumo
  • As doenças crônicas constituem um dos maiores problemas de saúde pública no mundo; a prevalência de obesidade e sobrepeso não apenas está aumentando mundialmente, como também apresenta o aumento de sua incidência em faixas etárias cada vez mais jovens. Objetivou- se analisar a associação entre os componentes da síndrome metabólica e o consumo alimentar em escolares. Estudo descritivo e transversal, realizado com 84 crianças e adolescentes de 9 e 14 anos de idade, de escolas públicas municipais, da cidade de Picos- Piauí, de janeiro a julho de 2015. Inicialmente, os estudantes preencheram um instrumento contendo dados de identificação, socioeconômicos, prática de atividade física e consumo alimentar. No segundo momento, avaliou- se os dados antropométricos como peso, altura, índice de massa corporal, circunferência abdominal e foi verificada a pressão arterial. As coletas sanguíneas foram realizadas por um laboratório especializado, respeitando o jejum de 12 horas, para glicemia venosa, triglicerídeos e High Density Level (HDL- colesterol). Para o diagnóstico de síndrome metabólica utilizou-se o proposto por Cook. O projeto foi aprovado pelo comitê de ética em pesquisas com seres humanos da universidade federal do Piauí, parecer nº 714.995. Dos entrevistados 64,3% tinham entre 9 e 11 anos, 54,8% eram do sexo masculino, 35,7% eram de cor branca, 67,9 % estava presente na classe C, 85,7% moravam com seus pais. As crianças/adolescentes com síndrome metabólica apresentaram maior circunferência abdominal; maior pressão arterial sistólica; e menores níveis de HDL – colesterol, mostrando associação significativa (p= 0,00; p= 0,03; p= 0,00). As variáveis que caracterizam a síndrome quanto à sua associação com o sexo, houve prevalência entre as crianças e adolescentes do sexo feminino em relação à circunferência abdominal adequada 55,6%, pressão arterial sistólica 57,1%, pressão arterial diastólica normal 54,7%, glicemia venosa normal 54,8%, triglicerídeos elevado 70,0% e HDL-c baixo 70,8%. A prevalência de síndrome metabólica foi de 4,76 %; para o sexo feminino e 3,57 % para o sexo masculino. Correlacionado o IMC versus a presença ou ausência de síndrome, pode-se observar que os escolares com síndrome metabólica apresentaram maiores  valores de IMC (p<0,00) em relação aos que não tinham síndrome. Não encontrou-se associação estatisticamente significativa entre síndrome metabólica e estilo de vida. Verificou-se que todas as crianças e adolescentes do grupo com síndrome metabólica, consumiram proteínas (57%), em proporções adequadas em relação a distribuição do valor energético total. Por outro lado, 71% do grupo com Síndrome metabólica consumiram acima do recomendado de lipídios em relação a distribuição do valor energético total (15- 30%). E, 86% consumiram carboidrato abaixo do recomendado. Os valores médios e desvios padrão para energia, macro e micronutrientes encontrados nas dietas consumidas pelos grupos com síndrome e sem síndrome, não observou -se diferença estatística de consumo entre os grupos (p>0,05). Diante dos resultados encontrados pode-se considerar urgente e prioritário o desenvolvimento de propostas de intervenção sobre os hábitos de consumo de alimentos voltadas para crianças e adolescentes, dado que esse grupo etário apresentou consumo alimentar inadequado, marcado pelo alto consumo de alimentos considerados não saudáveis.

  • ADRIANA CUNHA TEIXEIRA
  • DESENVOLVIMENTO NEUROPSICOMOTOR DE CRIANÇAS APÓS CALAZAR.

  • Orientador : DORCAS LAMOUNIER COSTA
  • Data: 25/09/2015
  • Mostrar Resumo
  • O neurodesenvolvimento da criança é um processo complexo e dinâmico que envolve a interação entre o perfil genético e fatores biológicos, sociais, e ambientais, resultando em mudanças na expressão gênica, interações celulares, formação de circuitos e estruturas neurais. O período gestacional e os dois primeiros anos de vida são decisivos para o desenvolvimento global da criança e os fatores que afetam adversamente a saúde da criança nesta fase podem associar-se a posterior comprometimento do crescimento e do amadurecimento do sistema nervoso central, com repercussões negativas sobre a capacidade cognitiva geral do indivíduo. A desnutrição proteico-calórica e a deficiência de oligoelementos, especialmente o ferro, têm sido associadas deficits cognitivos futuros.  O calazar é doença de curso prolongado caracterizada por febre, inflamação sistêmica, desnutrição aguda, anemia, hipoferrinemia. Os estudos de prognóstico têm avaliado os danos imediatos da doença, mas não se tem discutido sobre as repercussões tardias desta doença. Este estudo comparou crianças que receberam o diagnóstico de calazar com outras sem história de calazar, provenientes da mesma população. A avaliação clínica, laboratorial e nutricional revelou que as crianças com passado de calazar eram comparáveis às crianças que não tiveram a doença, mas, contudo, apresentavam significativo comprometimento neuropsicomotor nas áreas da linguagem, motora fina e pessoal-social de acordo com o Teste de Denver II.  Este estudo ressalta a importância da promoção da saúde e de ações preventivas nos primeiros anos de vida como forma de garantir o potencial de desenvolvimento de cada criança. Especificamente, o trabalho chama a atenção para a necessidade diagnóstico precoce do calazar como forma de reduzir os danos ao sistema nervoso central.

  • JAILTHON CARLOS DA SILVA
  • Comparação entre microscopia óptica e reação em cadeia da polimerase quantitativa para estimativa de parasitemia no calazar.

  • Orientador : CARLOS HENRIQUE NERY COSTA
  • Data: 11/09/2015
  • Mostrar Resumo
  • A identificação de seres humanos como fontes de infecção de Leishmania infantum pode sugerir novas estratégias de intervenção para o controle da doença. O único método atualmente disponível para esta finalidade é o xenodiagnóstico, que é incompatível para intervenções populacionais. Tem sido proposto O uso de técnicas moleculares como a PCR quantitativa (qPCR) tem sido proposto, mas seu significado real na detecção de parasitas viáveis não é bem conhecido. Nesta direção, resolveu-se verificar microscopicamente a concentração de amastigotas no sangue periférico de 30 pacientes com calazar no Nordeste do Brasil através do exame do creme leucocitário do sangue periférico e comparar com a qPCR. Foram identificados parasitas no sangue periférico em 67% dos pacientes, em concentração muito baixa (média 0,3 parasitas por mL) em contraposição com a qPCR que apresentou 93% de sensibilidade. A quantidade de parasitas foi maior no plasma (22.090 parasitas/mL) do que no sangue total (mediana = 7,905 parasitas/mL). Conclui-se que tanto os amastigotas circulantes como os resultados do qPCR não correspondem aos resultados de xenodiagnóstico e que o sangue não é a fonte de infecção para os vetores do calazar.

  • JULIANA NADIELLE BARBOSA CUNHA
  • INFECÇÕES URINÁRIAS NO ESTADO DO PIAUÍ: BACTÉRIAS CAUSADORAS E PERFIL DE SENSIBILIDADE A ANTIMICROBIANOS

  • Orientador : ADALBERTO SOCORRO DA SILVA
  • Data: 31/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • As infecções do aparelho urinário (ITU) são as infecções bacterianas mais comuns seja no ambiente hospitalar ou comunitário. A epidemiologia das infecções urinárias varia de acordo com idade e sexo. Na idade adulta as infecções urinárias passam a ser mais frequente em pessoas do sexo feminino. Os agentes etiológicos mais frequentes nas ITU são provocadas por bactérias gram-negativas que pertencem a família Enterobacteriaceae. A terapêutica para indivíduos acometidos com ITU pode ser realizada por uma diversidade de antibióticos ou quimioterápicos. Entretanto, o amplo uso de antibióticos utilizado na medicina humana e o número de prescrições inadequadas tem se tornado um dos principais problemas de saúde pública devido ao aumento exacerbado de bactérias comensais e patogênicas resistentes a agentes antimicrobianos . O objetivo principal desse trabalho foi analisar a etiologia e o perfil de resistência bacteriana a antimicrobianos de patógenos que ocasionam infecção do trato urinário no Laboratório Central do Piauí (LACEN - PI). O presente trabalho trata-se de um estudo de prevalência realizado no departamento de microbiologia do Laboratório Central do Piauí durante julho de 2013 a dezembro de 2014. Os dados foram obtidos a partir de registros no sistema GAL. Todas as amostras de urinas foram inoculadas em meios de culturas Ágar Cled, Ágar MacConkey e/ou Ágar sangue pelo período de 18h a 24h. Posteriormente, foi realizado  testes de difusão em discos para determinar o perfil de susceptibilidade de acordo com o método de Kirby - Bauer. 1032 culturas foram positivas. A E.coli foi a bactéria mais frequente (62,2%),seguida pela Klebsiella sp (18,7%), Pseudomonas aeruginosa (4,6%), Enterococcus spp (2,2%). O sexo feminino apresentou maior índice de infecção (70, 4%), sexo masculino (29,5%). E.coli apresentou um padrão de resistência elevada a sulfametoxazol/trimetropim (53%) e a Ácido Nalidixíco (49.8%). Klebsiella spp apresentou resistência a ácido nalidixíco e ampicilina, e sensibilidade a imipenem e amicacina. Enterococcus faecium mostrou-se resistente a ciprofloxacina, penicilina, norfloxacina, moxifloxacina, e ampicilina/sulbactam, e apresentou elevada sensibilidade à vancomicina, teicoplanina, gentamicina, estreptomicina, amoxacilina/ácido clavulônico e ampicilina. As bactérias fermentadoras Pseudomonas ssp e Acinetobacter baumani apresentaram padrão de resistência diferentes aos antibióticos testados. A Acinetobacter baumani foi resistente a ampicilina, ciprofloxacina, cefalotina, ácido nalídixico, cefetriaxona, sulfametoxozol/trimetropim, cefuroxima e nitrofurantoína. Pseudomonas spp  apresentou resistência a ampicilina, ampicilina/sulbactam, cefetriaxona, cefepime, piperaciclina/ Tazobactam. O conjunto de patógenos encontrados no presente trabalho correlaciona-se com diversos trabalhos realizados ao redor do mundo. A bactéria mais frequente encontrada nas uroculturas analisadas foi a E. coli, e o sexo feminino foi o sexo maior índice de infecção urinária, dados citados por diversos autores na literatura. Quanto ao perfil de sensibilidade, encontrou-se diferentes resultados quando comparado a diferentes locais, tendo em vista que o padrão de resistência bacteriana depende de diversos fatores.

  • FRANCIRRAIMY SOUSA SILVA
  • RESPOSTA PRESSÓRICA AO ESFORÇO E RISCO CARDIOVASCULAR: CORRELAÇÃO COM ESCORE DE FRAMINGHAM

  • Orientador : MAURICIO BATISTA PAES LANDIM
  • Data: 31/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • As doenças cardiovasculares constituem causa importante de morbidade e mortalidade e são consideradas um dos problemas de saúde de maior magnitude no Brasil e no mundo. A redução da incidência das doenças cardiovasculares e a consequente diminuição da morbidade e mortalidade tem sido um dos principais objetivos das políticas de saúde pública. No Brasil, o Ministério da Saúde recomenda a utilização do Escore de Framingham como estratégia de identificação de indivíduos para estimativa de risco cardiovascular. Nesta pesquisa, objetivou-se correlacionar a resposta pressórica ao esforço com o grau de risco cardiovascular pelo Escore de Framingham. Foi realizado um estudo observacional, do tipo transversal com 83 pacientes da Unidade de Métodos Gráficos do Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí. Os pacientes tiveram seu escore de risco cardiovascular pelo Escore de Framingham calculado e depois foram submetidos ao teste ergométrico para avaliação da variação da pressão arterial sistólica e outras variáveis. Foi observada a variação de pressão arterial sistólica no pico máximo de esforço menos a pressão arterial sistólica de repouso. Utilizou-se o programa Statistical Package for the Social Sciences para a análise estatística descritiva com aplicação do teste t para amostras independentes ou a Análise de Variância one way, seguida de Post Hoc de Tukey quando adequado. Para verificar a correlação entre as variáveis categóricas aplicou-se o teste Qui-quadrado de Pearson. Em todos os testes aplicados considerou-se sempre um nível de significância estatística de 95% (p < 0,05). A idade média dos participantes foi de 49,6 ± 11,3 anos. As mulheres representaram a maioria da amostra 55,4%. A variação de pressão arterial sistólica teve a média de 39,2 ±7,4 e quando foi feita a categorização a grande maioria (90,36%) se enquadrou no intervalo entre 31 e 60 mmHg. Mais de 70% das mulheres da amostra foram classificadas na faixa de baixo risco cardiovascular, enquanto a maioria dos homens foi classificada como fazendo parte do risco intermediário ou alto. A resposta pressórica ao esforço, avaliada pela variação de pressão arterial sistólica durante o teste ergométrico, não teve relação estatisticamente significativa com o risco cardiovascular pelo Escore de Framingham (p=0,672). A variação de pressão arterial sistólica não se correlacionou de forma estatisticamente significativa com as variáveis que compõem o Escore de Framingham. Novos estudos com maior número de participantes são necessários para conclusões mais precisas a respeito da relação entre resposta de pressão sistólica ao esforço e risco cardiovascular.

  • FABIANO VIEIRA DA SILVA
  • Detecção do antígeno de galactomanana (GM) em Soro de pacientes neutropênicos atendidos em um centro de referência de Teresina, Piauí.

  • Orientador : ADALBERTO SOCORRO DA SILVA
  • Data: 31/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • A Aspergilose Pulmonar Invasiva (API) é uma doença grave que afeta o Trato Respiratório (TR) e que vem assumindo no cenário clínico um papel relevante por ser considerada uma das micoses mais comum a indivíduos imunodeprimidos responsável por altas taxas de morbi-mortalidade, sendo fundamental a associação com a clínica, imagem e diagnóstico laboratorial. Este trabalho teve como objetivo analisar o teste de diagnóstico de detecção do antígeno de galactomanana (GM) na API em amostras sorológicas a fim de avalia-lo como um marcador no diagnóstico precoce de aspergilose invasiva (AI) em pacientes imunodeprimidos atendidos em um centro de referência em Teresina – PI, Brasil. De 86 pacientes foram analisadas de forma individual os exames laboratoriais de detecção de GM em amostras sorológicas (soro) obtidos dos prontuários médicos de pacientes neutropênicos; faixa etária; gênero; cor; microrregião; diagnóstico; exame laboratorial hematológico e tratamento. Dos 86 pacientes, em 57 (66%) foi observada neutropenia >10 dias e positividade na GM para uma possível aspergilose pulmonar, a partir de critérios estabelecidos pela EORTC/MSG. A predominância foi para o gênero masculino com 60% (n=52/86) e faixa etária entre 1 e 76 anos (mediana 17 anos) tendo predominância para <10 anos (19/86); a leucemia foi a principal doença envolvida com 69% (31/45) nos pacientes com doença hematológica onde a leucemia mieloide aguda (LMA) foi a mais prevalente 40% e a taxa de óbito para esse grupo foi de 36% (10/30); a densidade óptica (DO) observada nos resultados do teste de GM foi de 0,01 a 8,70. A sensibilidade e a especificidade foram de 96 % (CI 95%, 0,92 – 0,98) e 92 % (CI 95%, 0,85 – 0,97) e os valores preditivos positivo e negativo foram de 86,7% (CI 95%, 0,54 – 0,70) e 78% (CI, 95%, 0,87 – 0,98), respectivamente. A acurácia foi 96% (p<0.001) e o tratamento foi de 48% com antibiótico. Na aspergilose pulmonar o teste de GM é indispensável e eficiente como teste rápido tanto no diagnóstico precoce quanto no início do tratamento.

  • FERNANDO ANTONIO COSTA ANUNCIAÇÃO
  • EpViX: programa via web para análise de reatividade epitópica do pré ao pós transplante. Desenvolvimento e implantação em Pernambuco, Brasil.

  • Orientador : SEMIRAMIS JAMIL HADAD DO MONTE
  • Data: 24/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • O desafio global para os programas de transplantes de órgãos sólidos é identificar doadores de baixo risco imunológico para receptores sensibilizados para moléculas HLA. Como anticorpo reconhece epitopos em moléculas de HLA, o objetivo do presente trabalho foi de desenvolver e descrever o software EpVix, que é capaz de executar a prova cruzada virtual epitópica automática no momento do processo de doação de órgãos. EpVix é, um aplicativo gratuito baseado na web desenvolvido para ser utilizado por qualquer pessoa conectada à internet usando o navegador do tablet, smartphone ou computador. Ele foi desenvolvido em linguagem Ruby usando o framework Ruby-on-Rails. Para melhorar a experiência do usuário, a interface do software EpVix foi desenvolvido com base nas melhores práticas de interface humano-computador. Para facilitar análise do epítopo e crossmatch virtual epitópico, foi integrado ao programa importantes recursos gratuitos disponíveis na web, como OPTN, IMGT / HLA e Epitope Registry. Nós desenvolvemos com sucesso um software que ajuda as pessoas a trabalhar de forma colaborativa e eficaz durante o processo de doação, usando uma ferramenta precisa para prever prova cruzada negativa, poupando tempo entre outros recursos.

  • RAIMUNDO ANTÔNIO CARDOSO JÚNIOR
  • EPVIX : PROGRAMA INOVADOR para análise epitópica do pré ao pós transplante de órgãos e tecidos. IMPLEMENTAÇÃO E VALIDAÇÃO em Pernambuco, Brasil

  • Orientador : SEMIRAMIS JAMIL HADAD DO MONTE
  • Data: 24/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • Nós desenvolvemos e testamos a nova prova cruzada virtual baseada em análise de reatividade epitópica realizada no programa EpViX(EvXM) para predizer resultado da prova cruzada por microlinfotoxicidade(CDC) no processo de alocação de rim de doador falecido no estado de Pernambuco(PE), Brasil, bem como determinar o numero de alocação renal para receptores hipersensibilizados considerando EvXM aceitável.

    Os resultados de CDC foram comparados com os resultados da EvXM de 131 doadores renais falecidos consecutivos do programa do estado de Pernambuco no periodo de 13 meses. O HLA dos doadores foi tipado por PCRSSO para todos os loci. O código NMDP foi utilizado para inferir o alelo HLA.  A análise de reatividade epitópica com a determinação de alelos contendo o epítopo inaceitável estava previamente definida e armazenada no banco de dados do EpViX.

    O critério de aceitabilidade do receptor de PE foi não anticorpo específico(NDSA) ou DSA <5000 com epítopo reativo identificado. Foi construída tabela 2x2 para calculo de sensibilidade, especificidade, acurácia, valor preditivo positivo(VPP), valor preditivo negativo(VPN) e intervalo de confiança(IC).

    O EvXM apresentou respectivamente 92,38%, 94,78%, 94,04%, 88,08% e 96,75% de sensibilidade, especificidade, acurácia, VPP e VPN. 42 receptores hipersensibilizados encontraram um doador aceitável, mas apenas três foram transplantandos porque estes receptores com prova cruzada negativa não pode ser priorizado no Brasil quanto a posição no ranque de potenciais receptores.

    Como esperado o VPP do EvXM foi de 88% ja que o padrão- ouro utilizado não é especifico e exige presença de anticorpo fixador de complemento e de alta avidez. A maioria dos casos discordantes apresentavam DSA com MFI variando de 1000- 17000 e epítopo reativo explicativo identificado. Por outro lado o EvXM é um excelente teste para predizer CDC negativo. Apenas 5,92% dos testes terem sido discordantes e desses nenhum receptor tinha soro com reatividade anti-HLA comprovado no teste LSA, permitindo concluir que se há anticorpo esse não é anti-HLA e portanto não é contraindicação para a alocaçao do órgão.

    Assim o desempenho do EvXM foi excelente. É de baixo custo, identifica doador de baixo risco imunológico para receptores hipersenbilizados aumentando a equidade ao transplante e pode ser implantado de imediato em todo o Brasil já que os exames necessários para a sua realização participam da  rotina do Programa de transplante renal do Brasil.

  • RAQUEL VILANOVA ARAÚJO
  • FATORES PREDITORES DA QUALIDADE DE VIDA DE MULHERES COM CÂNCER DE MAMA.

  • Orientador : VIRIATO CAMPELO
  • Data: 17/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O câncer de mama é responsável pelo aumento no número de mortes prematuras, pela perda de qualidade de vida e pelo alto grau de limitação nas atividades de trabalho e de lazer. Pesquisas que visam analisar o impacto da doença na qualidade de vida de um grupo são de grande relevância à sociedade, pois ajudam a direcionar a atenção da saúde pública para a melhoria de seus serviços em benefício da população. Metodologia: Estudo descritivo, exploratório e transversal, realizado no Setor de Quimioterapia e nas Unidades de Internação do Hospital São Marcos, na cidade de Teresina, Piauí, no período de abril a junho de 2015. A amostra foi de 170 mulheres com diagnóstico de câncer de mama. Foi adotada a amostragem não probabilística, por cotas, com margem de erro de 5%, intervalo de confiança de 95%. Foi utilizado o teste Shapiro-Wilk para verificar normalidades dos dados em grupos com mais de três classes; o teste não paramétrico H, de Kruskal Wallis, para verificar diferença significativa entre três ou mais amostras independentes; a Correlação Linear de Pearson, para verificação de correlação entre os escores do questionário FACT-B e dos Domínios do Coeficiente de Correlação de Spearman. Os escores do Trial outcome índex (TOI), Functional Assessment of Cancer Therapy – General (FACT-G), e Functional Assessment of Cancer Therapy-Breast (FACT-B) foram calculados conforme orientação Socoring Guiderlines, tabulados em planilha eletrônica Microsoft Office Excel e analisados no programa The R Project for Statistical Computing versão 3.2.0. O nível de significância adotado para todos os testes foi de 5%. Resultados: Das mulheres que participaram do estudo, 42,9% tinham idade entre 35 e 49 anos; 37,7%, entre 50 e 64 anos, 12,9%, entre 65 e 79 anos; e 6,5%, de 20 a 34 anos. Delas, 54,1% eram casadas; 24,2%, solteiras; 8,8%, separadas; 7,1% tinham união estável; e 5,9% eram viúvas. Em relação à religião, 71,2% eram católicas; 24,7%, evangélicas. Entre as pesquisadas, 26.5% eram “do lar”; 14.1%, lavradoras; 9,4%, professoras; 8,2%, domésticas; 4,7%, aposentadas; e 37,1% exerciam outras atividades. Acerca de remuneração, 26,8% tinham renda inferior ou igual a um salário mínimo (SM); 47,6%, de um a dois SMs; 18,5%, de dois a quatro SMs; e 7,1% maior ou igual a quatro SMs. Em se tratando de nível de escolaridade, 34,7% tinham o Ensino Fundamental incompleto; 21,8%, Ensino Médio completo; 11,8% não alfabetizadas; 10,6%, Ensino Fundamental completo; 10%, Ensino Superior completo; 9,4%, Ensino Médio incompleto; 1,8%, Ensino Superior incompleto. Sobre a origem, 41,9% eram procedentes de Teresina/Piauí; 80% residiam em zona urbana e 20% em zona rural. Quanto aos fatores preditores, 7,1% tiveram menarca antes dos 12 anos de idade; 10,6% já haviam feito terapia de reposição hormonal; 38,2% já fizeram uso de anticoncepcional; 18,8% tiveram filhos após os 30 anos de idade; 6,7% não amamentaram; 53,5% tinham história familiar de câncer; 27,9% tinham hipertensão arterial; 9,8%, diabetes; 9,8%, dislipidemia; 37,1% estavam com sobrepeso e 25,9% com obesidade; 33,5% já fumaram e 3,6% continuavam fumando; 42,4% já consumiram alguma bebida alcoólica e 0,6% continuavam consumindo; 65,3% não praticavam atividade física e 91,1% não estavam praticando. Quanto à terapêutica, 38,8% fizeram quimioterapia e cirurgia; 31,8% apenas quimioterapia; 17,6% cirurgia, quimioterapia e radioterapia; e 4,7% quimioterapia e radioterapia. Conclusão: A melhor qualidade de vida esteve presente entre as mulheres com idade entre 35 a 49 anos; com Ensino Superior Completo; com renda entre dois e quatro SMs; com ciclo menstrual presente, que não estão na menopausa; que fizeram uso de terapia de reposição hormonal; que não fizeram uso de anticoncepcional; que não fizeram e nem fazem consumo de fumo e de bebida alcoólica; que praticavam e praticam atividade física; entre aquelas mulheres que tem filho que engravidaram antes dos 30 anos; e que amamentaram; que realizaram quimioterapia, radioterapia e hormonioterapia e que não tinham metástase.
    Portanto, o estudo demonstra que as características socioeconômicas, os
    fatores preditores do câncer de mama e a terapêutica exerceram influência
    sobre a qualidade de vida das mulheres com neoplasia.

  • DÉBORA CRISTINA COUTO OLIVEIRA COSTA
  • RELAÇÃO ENTRE ATIVIDADE FÍSICA E O TIPO DE PARTO DE ADOLESCENTES

  • Orientador : KEILA REJANE OLIVEIRA GOMES
  • Data: 17/07/2015
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A prática regular de exercícios durante a gestação pode gerar benefícios à saúde das adolescentes grávidas, que devem ser encorajadas à prática regular de exercícios, quando não houver contraindicações. OBJETIVO: Analisar a relação entre o nível de atividade física e o tipo de parto entre adolescentes. METODOLOGIA: Estudo transversal realizado com 415 adolescentes que finalizaram a gestação de março a junho de 2014, em Teresina-PI. A amostragem foi do tipo acidental e a coleta de dados foi realizada por meio de formulário pré-testado.  O nível de atividade física foi mensurado por meio do Questionário de Atividade Física para Gestantes-QAFG. Na descrição estatística dos dados, utilizou-se análise univariada e para a análise bivariada utilizou-se o teste qui-quadrado de Pearson (x2). Fatores associados ao nível de atividade física das participantes foram verificados por análise multivariada em variáveis com p valor < 0,20 na análise bivariada. RESULTADOS: As participantes do estudo apresentaram média de idade de 17,3 anos (desvio padrão 1,3), com predominância daquelas com companheiro (72,8%), fora do mercado de trabalho (88,7%), baixo poder aquisitivo (56,0%), sem renda própria (88,7%), com ensino fundamental completo (59,8%), escolarização inadequada para faixa etária (40,2%), renda familiar inferior a um salário mínimo (56,0%) e ocupação predominante “do lar” (47,9%). Também predominaram as que realizaram pré-natal (99,5%), com frequência de 4 a 6 consultas (47,0%), nascimento de conceptos a termo (75,4%) e parto cesáreo (76,9%). Caracterizaram-se ainda por comportamento sedentário (84,3%), consideravam-se ativas (57,6%) no último trimestre gestacional e acreditavam que o comportamento ativo poderia ajudá-las em um possível parto normal (81,2%), mas a maioria não praticou nenhum tipo de exercício físico (78,8%). A cesárea confirmou-se para maioria das participantes (76,9%). O nível de atividade física não apresentou associação significativa com o tipo de parto (p= 0,269). A análise multivariada mostrou que gestantes adolescentes que são estudantes ou do lar têm menos chances de realizar atividade física que outras ocupações profissionais (ORajust= 0,25/0,14), p= 0,000. De forma semelhante, adolescentes cujo parto foi cesáreo realizaram menos atividade física durante a gestação, comparadas aquelas que tiveram parto normal (ORajust= 0,53).  CONCLUSÃO: As participantes deste estudo apresentaram comportamento sedentário e a cesárea confirmou-se como tipo de parto para a maioria das participantes. Durante o pré-natal, faz-se necessário que informações sobre os benefícios da prática regular de exercícios físicos sejam disseminadas pelos profissionais de saúde, de modo que as gestantes, que não apresentem contraindicações para os exercícios físicos, sejam incentivadas a adquirir ou manter um padrão de comportamento ativo durante e após a gestação.

  • SIMONE SOARES LIMA
  • Biomarcadores de evolução clínica na leishmaniose visceral

  • Orientador : DORCAS LAMOUNIER COSTA
  • Data: 26/06/2015
  • Mostrar Resumo
  •  

    RESUMO

    LIMA, S.S. Biomarcadores de evolução clínica na leishmaniose visceral. 2015.157f. Dissertação (Mestrado em Ciências e Saúde). Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2015.

    Introdução: A leishmaniose visceral (LV) é causada por protozoários intracelulares obrigatórios do complexo Leishmania donovani. Na fase aguda da LV ocorrem alterações no sistema imune do hospedeiro com intensa resposta inflamatória e comprometimento da imunidade celular antígeno-específica. Hipotetiza-se que as citocinas e quimiocinas regulem a magnitude dessa resposta imune e estejam associadas à evolução clínica e à resolução da LV. Objetivos: Avaliar a evolução da atividade inflamatória na LV pelo nível de citocinas desde o diagnóstico até o 180º dia de tratamento e correlacionar os níveis das citocinas IL-1b, IL-6, IL-10, IL 12, IFN-γ, TNF-α e da quimiocina CXCL8 com a evolução clínica e laboratorial da doença. Pacientes e Métodos: Estudo de coorte prospectivo, não pareado, composto por 36 pacientes com LV sintomática. Foi realizada avaliação clínica e laboratorial e dosagem dos níveis de IL-1b, IL-6, CXCL8, IL-10, IL-12 e TNF-α pré- tratamento e no sétimo, 14º, 21º, 30º e 180º dias de terapia. Os níveis de IFN-γ foram mensurados pré- tratamento e no sétimo, 21º, 30° e 180º dias de terapia. Utilizou-se o equipamento BD FACSCanto™ (Becton Dickinson, USA) seguindo as instruções sugeridas pelo fabricante. Resultados: Os níveis das citocinas IFN-γ, IL-1b, IL-6, IL-10 e TNF-α e da quimiocina CXCL8 foram mais elevados na fase pré-tratamento da LV e observou-se regressão significativa entre o sétimo e 30º dia de terapia. Houve correlação entre os níveis de citocinas e quimiocinas entre si e com a evolução clínica e laboratorial. Os níveis de IL-12 não apresentaram diferença significativa durante os seis meses de estudo. A proteína C reativa (PCR) esteve associada a citocina inflamatória TNF-α e aos marcadores de função hepática, bem como às extensões do fígado e do baço. Conclusões: A resposta inflamatória está exacerbada antes do tratamento na LV com elevados níveis de citocinas, quimiocinas e PCR e atenua-se com a melhora clínica e laboratorial. Existe correlação entre os níveis pré-tratamento de INF-γ e o tempo para clareamento da febre e entre os níveis de TNF-α e o tempo de regressão da hepatomegalia e esplenomegalia. Pode-se esperar que os pacientes com altos títulos de INF-γ e TNF-α apresentem resposta clínica pós-tratamento mais tardia.

    Palavras-chave: Leishmaniose visceral, Leishmania, citocinas, quimiocinas, inflamação

  • NARA MAGALHÃES CARVALHO
  • "Universidade e a Política Nacional de Humanização: Reflexões Aplicadas ao Ensino de Enfermagem"

  • Orientador : VIRIATO CAMPELO
  • Data: 15/04/2015
  • Mostrar Resumo
  • Objetivo: analisar o Curso de Enfermagem da Universidade Federal do Piauí, no campus de Teresina, em relação ao ensino da humanização em Saúde. Métodos: estudo descritivo exploratório, com abordagem qualitativa. Para a análise documental utilizou-se como fonte de informações a descrição das características apresentadas pelo curso em termos de infraestrutura, corpo docente, corpo discente, projeto pedagógico, ementas, com base nos dados institucionais do sistema de informações e nos documentos institucionais da Pró -Reitoria de Ensino e Graduação (PREG). As entrevistas foram realizadas através de um roteiro semiestruturado com vinte e sete informantes-chaves entre os corpos docentes e discentes que tiveram experiências práticas com o problema pesquisado.Resultados: os dados revelam uma preocupação e convergência tanto a nível institucional como dos sujeitos, à inserção dos conteúdos humanísticos no currículo, por encontrarem-se em seu programa de ensino pontos de contato com essa formação e em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais proposto para a saúde. Porém, foram reveladas fragilidades na formação do enfermeiro da UFPI. Averiguou-se uma deficiente integração e interdisciplinaridade no Curso, predominando a adoção do modelo de ensino tradicional, fragmentado, em acordo com o que propõe o paradigma biomédico. Observou-se o distanciamento entre ensino e serviço e consequentemente em detrimento da oferta de oportunidades que estimulem as habilidades para executar o serviço humanizado no e para o SUS. Conclusão: emergiu a necessidade da realização de reflexões sobre a inclusão efetiva dos conteúdos humanísticos na graduação em enfermagem da UFPI, e a precisão de desenvolver oportunidades práticas de ensino-aprendizagem que estimulem habilidades correlatas para a promoção do cuidado sensível na saúde, na perspectiva de uma formação reflexiva, ética, moral e integrada ao ensino-serviço, com maior ênfase às ciências sociais e humanas, às Políticas Públicas de Saúde, especialmente à PNH e ao SUS. Espera-se contribuir com a ciência e para mudanças significativas no processo de gestão, organização do trabalho, ensino na área da saúde e a construção de uma consciência coletiva de todos os envolvidos no processo educacional, com o ingresso de profissionais melhor qualificados e com uma atuação voltada a uma assistência integral e universal a população.

     


  • RUMAO BATISTA NUNES DE CARVALHO
  • Fatores de risco cardiovasculares e síndrome metabólica em crianças e adolescentes

  • Orientador : ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
  • Data: 30/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • Resumo da defesa: Nas últimas décadas, as Doenças Cardiovasculares (DCV) foram responsáveis pela morte de 17 milhões de pessoas, comportamento, esse, semelhante as grandes endemias dos séculos passados ao se analisar sua epidemiologia. A presença da obesidade aliada à Síndrome Metabólica (SM) é fator imprescindível no desenvolvimento de doenças cardiovasculares ainda na infância, como também, a apresentação da Diabetes Melito Tipo 2 (DM2). E não obstante, o sedentarismo contribui significativamente para o surgimento dessas disfunções. No contexto internacional e no Brasil há evidências quanto a prevalência de fatores de risco cardiovascular e SM. No estado do Piauí e especificamente na cidade de Picos, se conhece pouco a sua prevalência, assim como de seus fatores isolados e/ou associados em populações específicas, como em escolares. Objetivou-se avaliar a frequência de fatores de risco cardiovascular entre crianças e adolescentes e sua associação com a SM. Trata-se de um estudo descritivo e transversal, realizado com 421 crianças e adolescentes entre 9 e 17 anos, de escolas públicas municipais da cidade de Picos – PI, em 2014. Inicialmente os estudantes preencheram um instrumento contendo dados de identificação, socioeconômicas e relacionados a prática de atividade física. Em segundo momento, foram avaliados os dados antropométricos peso, altura, índice de massa corporal e circunferência abdominal, como ainda mensurado a pressão arterial. Coletas sanguíneas foram realizadas por um laboratório especializado, respeitando o jejum de doze horas, para glicemia venosa, triglicerídeos e HDL – colesterol. Para o diagnóstico de SM utilizou-se o proposto por Cook et al. (2003). O projeto foi submetido ao Comitê de Ética em Pesquisas com Seres Humanos da Universidade Federal do Piauí, obtendo aprovação sob parecer nº 714.995. Dos avaliados, 59,6% eram do sexo feminino, 85% estavam na faixa etária de 09 – 13 anos e 45,1% se auto declararam pardos; 70,3% pertenciam a classe econômica C; 96,7% apenas estudavam; 98,3% eram solteiros e 82, 9% moravam com seus pais. O excesso ponderal (EP) esteve presente em 20,5%, sendo distribuídos como em sobrepeso e obesidade em 11,2% e 9,3%, respectivamente. Da amostra, 30,2% eram sedentários. A circunferência abdominal, a Pressão arterial média, os níveis de glicose sanguínea e os de Triglicérides estiveram aumentados em 8,6%, 11,9%, 0,5% e 20,9% dos estudantes, respectivamente. Os níveis de HDL – colesterol estiveram diminuídos em 26,1% da amostra. A prevalência da SM foi de 4,1%. Houve associação estatisticamente significativa entre nível de atividade física com sexo e idade (9-13 anos) (p=0,000), pressão arterial sistólica com o sexo masculino (p=0,014) e idade (p=0,002), pressão artéria diastólica e menor faixa etária (p= 0,000), triglicerídeos com o sexo feminino (p=0,020) e idade (p=0,016) e, EP com os componentes agregados da SM

     

    (p=<0,001). Conclui-se que parcela significativa dos escolares eram sedentários e apresentaram EP associado ao maior número de componentes da SM, sugerindo risco cardiovascular aumentado, além de ser mais um componente mensurável da gordura corporal no seu diagnóstico. Estratégias de intervenção devem ser realizadas na busca de incentivar hábitos de vida saudáveis e diminuir a presença de risco cardiovascular neste grupo.

  • ADINAIDE CRISTINA ALMONDES LEAL
  • AVALIAÇÃO DA EXPRESSÃO DO ANTÍGENO KI-67 NO EPITÉLIO VAGINAL DE RATAS CASTRADAS TRATADAS COM RALOXIFENO E TAMOXIFENO

  • Orientador : BENEDITO BORGES DA SILVA
  • Data: 13/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • Um terço da vida das mulheres ocorre no período pós-menopáusico, em que a associação câncer de mama e a atrofia vaginal é comum, sendo também comum o uso de endocrinoterapia e contra-indicada a estrogenioterapia. Objetivo: avaliar o efeito do tamoxifeno e raloxifeno sobre a expressão do antígeno Ki-67 no epitélio vaginal de ratas castradas. Método: trinta e nove ratas da espécie Wistar-Hannover virgens e castradas foram divididas randomicamente em três grupos: grupo I (controle, n = 13), grupo II (raloxifeno, n = 13) e grupo III (tamoxifeno, n = 13), que receberam, após confirmação do hipoestrogenismo, 0,5 ml de propileno glicol, 750 μg de raloxifeno e 250 μg de tamoxifeno diluídos em 0,5 ml de propileno glicol, respectivamente, diariamente por gavagem por 30 dias. No 31º dia, as ratas foram sacrificadas e suas vaginas foram removidas e fixadas em formol tamponado a 10% para o estudo imunoistoquímico da expressão do Ki-67. Para análise dos dados foram utilizados o teste de Levene e o método de Tukey’s (p<0.05). Resultados: o índice médio da expressão Ki-67 em epitélio vaginal de ratas dos grupos I, II, e III foi de 27±2,6, 32,3±1,9 e 43,7±3,5, respectivamente. O grupo III (tamoxifeno) mostrou uma maior proporção de células coradas do que os grupos I e II (p<0.0003) e não houve diferença entre o grupo I e II (p=0.3626). Conclusão: os resultados do presente mostraram que o tamoxifeno aumentou significantemente a proliferação celular do epitélio vaginal de ratas castradas e que não houve diferença entre o raloxifeno e o grupo controle.

     

  • PATRICIA FERREIRA DE SOUSA VIANA
  • EFEITOS DO PET-SAÚDE NO ENSINO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ

  • Orientador : JOSE IVO DOS SANTOS PEDROSA
  • Data: 26/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • O Brasil detém um modelo oficial de saúde que garante o acesso universal, o atendimento integral e equânime, a ampla participação social e, o dever constitucional de ordenar a formação de recursos humanos para operar no SUS. Paralelamente, no cenário do ensino na saúde, observa-se ainda a predominância da formação fragmentada, centrada no professor e dependente de tecnologias duras e de grande densidade, em um contexto de mais de uma década de implantação das Diretrizes Curriculares Nacionais, criadas para reorientar o perfil profissional em saúde. E na interseção entre os mundos da saúde e do ensino, surge o PET-Saúde com o intento de impulsionar uma formação com base nos princípios do SUS. O objetivo primeiro do estudo é a investigação dos efeitos da implantação do PET-Saúde no processo de formação do aluno do curso de Odontologia da UFPI, em específico a identificação dos saberes discentes em relação ao PET-Saúde e a compreensão dos petianos acerca do seu processo de formação. Trata-se de um estudo exploratório e descritivo com abordagem qualitativa, com população de estudo composta por cinco estudantes do curso de Odontologia da UFPI, participantes do grupo Pró-PET-Saúde Atenção Primária à Saúde; três alunas não participantes do programa; e três professores do corpo diretivo do curso. A pesquisa foi dividida em fase exploratória e descritiva, a primeira consistiu em pesquisa bibliográfica e documental a cerca da estrutura, dos processos e dos sujeitos implicados na formação em Odontologia na UFPI.  A fase descritiva iniciou-se pela pesquisa de campo, a qual foi realizada com o auxílio de oficinas sociopoéticas para a produção de dados pelos alunos e, por meio de entrevistas semiestruturadas para a coleta de informações dos docentes. A análise dos dados produzidos pelos alunos foi realizada pelo método sociopoético em três passos: categorização, classificação e estudos transversais. As informações obtidas a partir das entrevistas com os professores foram analisadas pela técnica análise de conteúdo também em três tempos: pré-análise, categorização e inferência dos dados. A pesquisa apontou o PET-Saúde como indutor de mudanças na formação em Odontologia, percebidas pela abordagem interdisciplinar no enfrentamento dos problemas de saúde, na utilização de tecnologias leves na relação aluno-profissional-paciente, e também na formação ético-humanista. Entretanto, as mudanças estruturais e pedagógicas não foram incentivadas pelo PET-Saúde, mas sim pelo Pró-Saúde, em 2005, com a reformulação do Projeto Pedagógico do Curso e a remodelação da matriz curricular em 2006, colocando os estágios supervisionados extramuros como dispositivos essenciais para a formação do perfil profissional em Odontologia ensejado pelas Diretrizes.

  • MARIA LUCI ESTEVES SANTIAGO
  •  O ENSINO DA SAÚDE NO CURSO DE EDUCAÇÃO FISICA NA UFPI: UMA ANÁLISE COM BASE NOS DOCUMENTOS NORMATIVOS.

  • Orientador : JOSE IVO DOS SANTOS PEDROSA
  • Data: 19/01/2015
  • Mostrar Resumo
  • A Educação Física (EF) vem sendo, cada vez mais, relacionada à promoção, prevenção e recuperação da saúde. Contudo essa relação é marcada por um fazer quantitativo, que reduz o fenômeno a uma relação causal, determinada biologicamente, que desconsidera o contexto social dos sujeitos. Assim, o estudo teve como objetivo analisar o enfoque da saúde que orienta os documentos normativos do Curso de Educação Física (CEF) na Universidade Federal do Piauí (UFPI). O estudo integra um projeto matriz, em resposta ao Edital nº 24/2012 da  CAPES/Pró-Ensino na Saúde, que tem como projeto secundário O perfil da formação de profissionais na área da saúde na UFPI: um estudo sobre ensino na saúde. Realizada através de pesquisa documental, envolvendo o Projeto Pedagógico do Curso (PPC) de EF da UFPI, Diretrizes Curriculares Nacionais de EF (DCNEF) e Plano de Desenvolvimento Institucional da UFPI; o plano das disciplinas do CEF relacionadas à temática da saúde e o currículo lattes dos docentes, que ministraram aulas nas referidas disciplinas. A análise mostrou que, especialmente no PPCEF/UFPI e DCNEF, tais documentos fundamentam-se em um Enfoque teórico pautado por uma concepção reducionista de saúde, não considerando, a contento, as influencias dos determinantes sociais para obtenção e manutenção da saúde. Fato que exerceu influência nas demais categorias analisadas: a abordagem pedagógica, o cenário de prática, a formação docente e o mercado de trabalho na saúde.  Os dados analisados mostraram que as disciplinas específicas analisadas, apesar de apresentarem elementos que apontam perspectivas positivas, no trato com a temática da saúde, parecem não ter densidade suficiente para produzir superações do enfoque teórico-metodológico de saúde hegemônico, para um enfoque ampliado, em consonância com as necessidades da saúde pública. Estas tomaram em consideração o enquadramento na estrutura curricular, o período de oferta, a carga horária, a orientação teórica, as metodologias de ensino, os cenários de prática os conteúdos programáticos e bibliografia básica. As análises mostraram que os docentes, das disciplinas selecionadas, demonstram potencial formador, necessitando maior preocupação com a formação oferecida, por meio da pesquisa e extensão, considerando a maior predominância do enfoque das ciências naturais e biológicas, em relação às ciências humanas e sociais relacionados à EF e saúde, e aos poucos projetos de extensão identificados, fato que vem a contribuir com a formatação da formação evidenciada nos documentos. Conclui-se assim ser necessário o amadurecimento sobre o real sentido da saúde e da promoção da saúde, buscando a ampliação das interpretações do processo saúde-doença nos documentos analisados, para além da aptidão física, estilo de vida e da responsabilização do sujeito pela sua saúde, para um entendimento dos determinantes sociais da saúde, contribuindo assim para a melhoria da formação profissional em EF e sua atuação com a temática da saúde.

2014
Descrição
  • REGINA CELIA VILANOVA CAMPELO
  • Risco cardiovascular estimado pelo Escore de Framingham e sua associação com marcadores de risco na aterosclerose.

  • Orientador : MAURICIO BATISTA PAES LANDIM
  • Data: 11/12/2014
  • Mostrar Resumo
  • Nas doenças cardiovasculares, podemos destacar as doenças ateroscleróticas que são consideradas um grave problema de saúde pública. Desse modo, é importante conhecer a epidemiologia da doença aterosclerótica em pacientes, a fim de planejar intervenções para prevenir e tratar essa patologia. O objetivo deste estudo foi identificar a prevalência do risco cardiovascular estimado pelo Escore de Framingham (ERF). Estudo transversal, com amostra de 201 pacientes (62,2% do gênero feminino), atendidos na Unidade do Sistema Cardiovascular do Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí, selecionados por amostragem probabilística casual simples. As variáveis independentes estudadas foram: espessura íntima-média de carótida (EMIc), Dilatação fluxo mediada da artéria braquial (DILA), Nível de Atividade Física (NAF), Índice de Massa Corporal (IMC), Relação Cintura Quadril (RCQ), Circunferência da Cintura (CC), Circunferência do Pescoço (CP), gênero e idade. Para associações entre a variável dependente (ERF) e as independentes foi utilizado o teste de regressão linear múltipla, estratificada por gênero. Para estes testes a medida adotada foi o beta padronizado (β). A significância (p) adotada foi de 5%. A prevalência do baixo risco cardiovascular entre os pacientes foi de 72,1% (masculino=19,4%, feminino=52,7%, p<0,001). O gênero masculino apresentou percentual alterado nas variáveis DILA (80,3%) e CP (64,4%), entre as mulheres as variáveis DILA (66,4%), CC (65,4) e RCQ (70%) apresentaram valores alterados. Entre os gêneros, nas variáveis independentes CC, RQC e CP houve diferença estatística significativa (p<0,5). O ERF foi significativamente associado de modo negativo com o IMC (p=0,03) para o gênero masculino e positivamente associado com o IMC (p=0,04) e CC (p=0,05) entre o gênero feminino. Houve uma predominância de pacientes classificados de acordo com o nível de atividade física, como insuficientemente ativo. Conclui-se que a prevalência do risco cardiovascular estimado pelo ERF é baixa em pacientes sem diagnóstico prévio de doença aterosclerótica. Entre os gêneros, valores alterados nas variáveis DILA e IMC foram prevalentes. O gênero feminino apresentou mais variáveis independes com valores alterados em comparação aos homens, entre elas, a CC e RCQ, consideradas fatores de risco cardiovascular.

  • ALDENORA OLIVEIRA DO NASCIMENTO
  •  

    RELAÇÃO ENTRE OS PARÂMETROS BIOQUÍMICOS DO ZINCO E AS CONCENTRAÇÕES DAS METALOPROTEINASES 2 E 9 EM MULHERES COM CÂNCER DE MAMA

  • Orientador : DILINA DO NASCIMENTO MARREIRO
  • Data: 05/12/2014
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: O câncer de mama é uma doença multifatorial, determinada principalmente pela ocorrência de mutações ou de alguma ativação anormal de genes que controlam o crescimento celular. Assim, diversos estudos evidenciam a participação de micronutrientes em mecanismos anticarcinogênicos na perspectiva de preservação do câncer. O zinco, em particular, atua em processos bioquímicos, na defesa antioxidante e funciona como fator de transcrição de enzimas envolvidas na síntese de DNA e RNA. No entanto, alterações nas suas concentrações desse mineral podem promover a disfunção e proliferação celular, contribuindo para o desenvolvimento e progressão do câncer de mama, pois ativa as metaloproteinases da matriz (MMPs), proteínas envolvidas na patogênese dessa doença. MÉTODOS: Estudo transversal, envolvendo 66 mulheres, com idade entre 20 e 50 anos, sendo distribuídas em dois grupos: grupo caso (mulheres com câncer de mama, n=34) e grupo controle (mulheres saudáveis, n=32). Foram realizadas medidas do índice de massa corpórea e da circunferência da cintura, bem como analisados a ingestão de zinco, concentrações plasmáticas e eritrocitárias desse mineral, além da concentração das metaloproteinases 2 e 9. A análise da ingestão de zinco foi realizada por meio do registro alimentar de três dias, utilizando o pragrama Nutwin versão 1.5. As concentrações de zinco plasmático e eritrocitário foram determinadas segundo o método de espectrofotometria de absorção atômica de chama (λ= 213,9). Os dados foram organizados no programa estatístico SPSS for Windows 18.0. Para análise das metaloproteinases 2 e 9 foi utilizada a Tecnologia Luminex™ xMAP, utilizando os Kits Milliplex (Instituto Genese de Análises Clínicas, Lifescience, Brasil) RESULTADOS: Os valores médios da ingestão de zinco estavam superiores às recomendações, sem diferença estatística entre os grupos estudados (p>0,05). As concentrações médias do zinco plasmático foram de 60, 45 ± 7,46 μg/dL para as mulheres com câncer de mama e de 64,59 ± 10,07 μg/dL para o controle (p>0,05). A média do zinco eritrocitário foi de 37,51 ± 8,26 μgZn/gHb e de 35,97 ± 5,57 μgZn/gHb para as mulheres com câncer de mama e para o controle, respectivamente (p>0,05). Os valores médios da concentração da MMP-2 foram de 67663,84 ± 58564,32 pg/mL para o grupo caso e de 1172,20 ± 1813,89 pg/mL para o controle.  Os valores médios da concentração da MMP- 9 foram de 74810,98 ± 51858,00 pg/ml para o grupo caso e de 819,36 ± 444,07 pg/mL para o controle. Verifica-se que houve diferença estatística significante entre os dois grupos (p<0,05). CONCLUSÃO: A partir dos resultados desse estudo, pode-se pressupor que a ingestão de zinco pelas pacientes com câncer de mama não influencia as concentrações plasmáticas e eritrocitárias desse mineral, e que as concentrações reduzidas desse mineral nos componentes sanguíneos avaliados estão relacionadas com aumento das concentrações plasmáticas da metaloproteinase 2 nesse grupo.

  • UYLMA ASSUNÇAO COSTA
  • AVALIAÇÃO DO ABANDONO DE TRATAMENTO COMO INDICADOR DE QUALIDADE DAS AÇÕES E SERVIÇOS OPERACIONAIS DO PROGRAMA DE CONTROLE DA HANSENÍASE EM TERESINA-PIAUÍ

  • Orientador : VIRIATO CAMPELO
  • Data: 04/12/2014
  • Mostrar Resumo
  • A hanseníase é uma doença de investigação e notificação compulsória em todo o território nacional. A assistência aos casos de hanseníase é considerada de absoluta responsabilidade do setor público, no que concerne ao diagnóstico, ao tratamento e medidas de controle. O abandono do tratamento está intimamente ligado ao controle da endemia, implica em uma reflexão sobre o risco de transmissão dos casos bacilíferos detectados e não tratados adequadamente, do risco de desenvolvimento de incapacidades físicas. Objetivou-se analisar a proporção de casos de hanseníase em abandono de tratamento entre os casos novos diagnosticados nos anos de 2008-2013 no município de Teresina- Piauí, bem como avaliar os principais indicadores relacionados ao abandono de tratamento da hanseníase. Utilizou-se como sujeitos todos os casos de abandono de tratamento da hanseníase, de ambos os sexos e faixas etárias. O abandono de tratamento foi delineado a partir dos indicadores sócios demográficos e da proporção de casos de hanseníase em abandono. A análise espacial comparativa dos casos de abandono por unidade de saúde foi realizada através do georeferenciamento nas regiões de Teresina. Os casos de abandono são na maioria multibacilares, com forma clínica dimorfa, do sexo masculino, de cor parda, possuem um baixo nível de instrução, faixa etária de 20 a 34 anos; sendo que em números absolutos a regional Centro-Norte foi a que mais ocorreu casos de abandono. Por todos os aspectos analisados na pesquisa há de se ressaltar que, o município de Teresina tem uma taxa de abandono classificada como boa, embora tenha verificado a maior taxa de abandono nos casos multibacilares. O baixo nível de instrução contribuiu para o abandono do tratamento e que este tem sido obstáculo para a eliminação da hanseníase no município.


  • CINTHYA VIVIANNE DE SOUZA ROCHA
  • ESTADO NUTRICIONAL, ESTRESSE OXIDATIVO E SUA RELAÇÃO COM O CÂNCER DE MAMA.

  • Orientador : NADIR DO NASCIMENTO NOGUEIRA
  • Data: 03/09/2014
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: O câncer de mama é um importante problema de saúde pública, sendo considerado o mais comum em mulheres. Estudos têm mostrado a importância de fatores ambientais na etiologia desta doença, com destaque para a composição corporal, dieta e estresse oxidativo (EO). Este estudo avaliou a relação entre estado nutricional, estresse oxidativo e câncer de mama. MÉTODOS: Estudo de corte transversal, envolvendo 66 mulheres com idade entre 20 e 50 anos, pré-menopáusicas, assistidas em hospital público do estado do Piauí, categorizadas em dois grupos: G1 (com câncer de mama, n = 34) e G2 (sem câncer, n = 32). Para o cálculo do índice de massa corpórea foram aferidos peso e estatura e realizada a medida da circunferência da cintura, bem como avaliação do consumo alimentar por meio do questionário de frequência alimentar, analisado no software DietSys versão 4.01. Para classificação do estado nutricional utilizou-se a recomendação da OMS (2000,2008), e para a ingestão de nutrientes considerou-se a faixa de distribuição aceitável dos macronutrientes (AMDR), e a necessidade média estimada (EAR), segundo a Ingestão Dietética de Referência. A determinação do malondialdeído (MDA) foi realizada pelo método das substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico e a atividade da enzima superóxido dismutase (SOD) por meio da inibição na formação de nitrito. A análise estatística foi realizada no software SPSS for Windows versão 20.0, adotando-se o nível de significância de 5%. RESULTADOS: Os valores de ingestão dos macronutrientes estavam em conformidade com a AMDR, a exceção dos carboidratos nas mulheres com câncer de mama. No entanto, segundo a EAR, a ingestão de carboidratos foi maior nas mulheres com câncer (p < 0,05), sem diferença para os demais macronutrientes (p >0,05). A ingestão dos micronutrientes antioxidantes não diferiu entre os grupos; à exceção do zinco estando maior no grupo com a doença. A distribuição dos micronutrientes foi superior à RDA para cobre, zinco, vitamina A e C; entre a EAR – RDA para o selênio e abaixo da EAR para a vitamina E, em ambos os grupos. Quanto à antropometria, encontrou-se alta prevalência de pré-obesidade e elevado risco metabólico para doenças associadas à obesidade nas mulheres estudadas, sem diferença entre os grupos (p > 0,05). As médias das concentrações de MDA não diferiram entre os grupos com valores de 5,02 + 4,55 e 3,95 + 1,85 para os grupos G1 e G2, respectivamente (p > 0,05), entretanto, teve correlação inversa entre este marcador e a vitamina E nas mulheres com câncer de mama. A SOD foi significativamente maior nas mulheres com câncer de mama (p < 0,05), com médias de 8924,32 + 3829,35 e 7170,14 + 3132,32 em mulheres com e sem a doença, nesta ordem. CONCLUSÃO: A ingestão de carboidratos foi mais elevada nas mulheres com câncer, estando adequado o consumo para os demais macronutrientes, sem diferença entre os grupos. A ingestão de micronutrientes foi adequada, à exceção do baixo consumo de vitamina E, nos dois grupos, tendo correlação inversa com o MDA, nas mulheres com câncer.O câncer de mama não teve relação com a elevada prevalência de pré-obesidade e risco elevado para RMDAO. O estudo reforça a participação do EO no câncer de mama, justificado pela maior atividade da SOD nessas mulheres.

  • FABIANA TELES RODRIGUES
  • Fatores de risco modificáveis e capacidade funcional em idosos diabéticos.

  • Orientador : ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
  • Data: 29/08/2014
  • Mostrar Resumo
  • O envelhecimento é um processo dinâmico no qual ocorrem alterações progressivas no organismo tornando-o mais susceptível a agressões intrínsecas e extrínsecas, aumentando de forma exponencial o aparecimento de doenças crônicas. Ao passo que afeta grande parte dessa população, causam sérias consequências econômicas e sociais, constituindo-se em desafio para os atuais sistemas de saúde. O diabetes mellitus está inserido nesse contexto por ser uma doença crônico- degenerativa que traz consigo associação com diversas comorbidades. Dessa forma idosos com diabetes têm um risco aumentado para alteração na capacidade funcional decorrente de deficiência nas funções ou estruturas do corpo e/ou limitação na atividade ou participação do indivíduo, podendo reduzir a sua qualidade de vida. Os efeitos negativos podem estar agravados de acordo com o estilo de vida, fator de risco modificável que envolve o tabagismo, álcool, inatividade física, alimentação não saudável e obesidade. Diante dessa perspectiva propôs-se analisar fatores de risco e capacidade funcional dos idosos diabéticos do Centro de Convivência da Terceira Idade de Teresina. Trata-se de estudo transversal, descritivo com abordagem quantitativa, realizado com 45 idosos com diabetes (GD) e 19 idosos sem diabetes (GC) cadastrados no centro de convivência escolhidos aleatoriamente. Foram investigados os fatores de risco modificáveis (Inatividade Física, Alimentação não saudável, Consumo abusivo de álcool, Tabagismo) e nível de capacidade funcional. Os instrumentos utilizados foram: Teste de Alimentação Saudável, AUDIT; e os questionários elaborados pelos pesquisadores: Questionário Sociodemográfico e Investigação de Tabagismo. Para capacidade funcional utilizou-se Teste de Caminhada de Seis Minutos, EEB, Whoqol-bref e teste de sensibilidade protetora plantar. Através dos softwares Bioestat 5.0 e Microsoft Office Excel 2007 foi aplicado o Teste Qui-quadrado (X2) e teste U de Mann Whitney para a análise estatística descritiva e associação entre as variáveis com nível de significância (p<0,05). Para relação entre dados métricos indicadores de saúde e nível de capacidade funcional utilizou-se teste de Kruskal Wallis. A média de idade dos participantes foi de aproximadamente 70 anos, houve predomínio do sexo feminino (65,6%), aposentados (82,8%), casados (43,8%), com renda de até 1 salário mínimo (64,1%), sendo que  92,2% moram até 1 pessoa/quarto, ensino médio no GC(52,6%) e 1 a 9 anos no GD (75,6%).Entre as comorbidades, a hipertensão arterial e dislipidemia foram as mais citadas, destacaram-se as doenças neurológicas entre os diabéticos. A maioria são eutróficos e apenas 15,6% em inatividade física, não-fumantes (54,7%),com baixo risco para etilismo (79,7%). Analisando os escores de Berg encontrou-se risco de quedas aumentadas no GD (p=0,001), pior desempenho no teste de caminhada em distância percorrida (p=0,001) e índice funcional (p=0,002), mostrando probabilidade de incapacidade de 64,4% no GD e 52,4% no GC (Odds ratio de 6,797). Não houve diferença quanto aos domínios de qualidade de vida e sensibilidade protetora entre os grupos.Os resultados mostram que mesmo não tendo associação dos fatores de risco modificáveis com a presença do diabetes entre os idosos do centro de convivência, o declínio funcional entre os diabéticos ficou evidente. Dessa forma sugere a necessidade de ações de diferentes níveis de prevenção voltadas para esses idosos, pertencentes ao Centro de referência para atividades voltadas aos idosos da cidade, controlando melhor a participação dos mesmos na assistência oferecida.

  • SHEILA LIMA DIÓGENES SANTOS
  •  

     

    "Fatores de risco para mortalidade infantil em Teresina Piauí: Linkage entre SIM e SINASC”

  • Orientador : ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
  • Data: 29/08/2014
  • Mostrar Resumo
  •  

    A preocupação mundial em relação à mortalidade infantil ganhou visibilidade com a divulgação no ano 2000, dos Objetivos do Desenvolvimento do Milênio, em que se propõe reduzir em dois terços a taxa de mortalidade de crianças menores de cinco anos, no período entre 1990 a 2015. Reduzir a mortalidade infantil tem sido uma das prioridades das políticas sociais de saúde do governo brasileiro. A identificação de fatores de risco relacionados com a mortalidade infantil pode auxiliar no planejamento de ações para a reestruturação da assistência materno-infantil. Nesta perspectiva, o presente estudo teve como objetivo analisar a utilização do método Linkage na identificação dos fatores de risco para a mortalidade infantil segundo determinantes socioeconômicos, assistenciais, obstétricos e biológicos. Foi realizado um estudo observacional, de coorte retrospectiva, com base em dados secundários de nascimentos e óbitos de crianças menores de um ano, de mães residentes no município de Teresina, Piauí. A coleta foi realizada no período de janeiro a abril de 2014. Os dados foram pesquisados dos bancos de dados dos sistemas de informações SIM e SINASC local. Foi realizada a categorização das variáveis para realização de uma análise hierarquizada conforme modelo teórico de determinação da mortalidade infantil a partir da relação hierárquica, temporal e causal, existente entre elas, em três níveis de determinantes: distal, intermediário e nível proximal. A variável dependente correspondeu à ocorrência do óbito infantil. Para a organização dos resultados foi utilizado o programa Microsoft Excel for Windows®, e as análises estatísticas foram realizadas com o programa SPSS, versão 20.0. Para explicar o efeito conjunto das variáveis independentes sobre a mortalidade infantil foi utilizada a Regressão Logística Multivariada, com nível de significância de 5%. A medida de associação empregada foi o Odds Ratio ajustado. O projeto foi aprovado com o número de parecer 514.075. O percentual Linkage encontrado foi de 95,40%, sendo 43,48% do tipo determinístico, enquanto 56,52% foi do tipo probabilístico. A completitude do SINASC foi melhor que a do SIM, sendo incrementada após realização do método. A TMI obtida foi de 14,91 óbitos infantis para cada 1000 nascidos vivos, dos quais 72,95% ocorreram no período neonatal. Para o nível distal de determinação da mortalidade infantil, as características que se mantiveram estatisticamente significativas foram idade materna, escolaridade materna e ocupação materna, com p<0,001. No nível intermediário, todas as variáveis apresentaram significância estatística, com destaque para o tipo de gravidez e de parto com p<0,001. O sexo do bebê representou a característica do nível proximal de determinação que não obteve associação significativa com o desfecho, enquanto as demais variáveis desse nível associadas com p<0,001. O método utilizado demonstrou permitir não só maior aproveitamento de sistemas de informações já estruturados nos serviços, como também a formulação de críticas à qualidade desses bancos, as quais podem servir de estímulo para os seus aperfeiçoamentos. Fica evidente que além da determinação da mortalidade infantil pelos fatores biológicos, destaca-se a importância da condição socioeconômica e da assistência à saúde agindo como determinantes, já que são fatores passíveis de mudanças garantidas por políticas públicas eficazes.

  • CAMILA GUEDES BORGES DE ARAÚJO
  • Zincemia, atividade da enzima superóxido dismutase e sua relação com o marcador do estresse oxidativo em mulheres com câncer de mama.

  • Orientador : DILINA DO NASCIMENTO MARREIRO
  • Data: 29/08/2014
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Estudos têm mostrado alterações no metabolismo do zinco em mulheres com câncer de mama. Este mineral possui ação antioxidante, e distúrbios nos seus parâmetros bioquímicos estão relacionados ao pior prognóstico da doença e agravamento do processo carcinogênico. Portanto, esse estudo avaliou a atividade da enzima superóxido dismutase e parâmetros bioquímicos relativos ao zinco, bem como investigou a existência de correlação entre essas variáveis e o marcador do estresse oxidativo nestas pacientes. MÉTODOS: Estudo caso-controle, envolvendo 66 mulheres, com idade entre 20 e 50 anos, sendo distribuídas em dois grupos: grupo caso (mulheres com câncer de mama, n=34) e grupo controle (mulheres saudáveis, n=32). Foram realizadas medidas do índice de massa corpórea e da circunferência da cintura, bem como analisados a ingestão de zinco, concentrações plasmáticas e eritrocitárias desse mineral, além da atividade da enzima superóxido dismutase e da concentração do malondialdeído. A análise da ingestão de zinco foi realizada por meio do registro alimentar de três dias, utilizando o programa Nutwin versão 1.5. As concentrações de zinco plasmático e eritrocitário foram determinadas segundo o método de espectrofotometria de absorção atômica de chama (λ= 213,9). A determinação da atividade eritrocitária da enzima superóxido dismutase foi realizada pelo método colorimétrico de Griess. A concentração plasmática do malondialdeído foi analisada pela medida da produção de substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico. Os dados foram organizados no programa estatístico SPSS for Windows 18.0. RESULTADOS: Os valores médios da ingestão de zinco estavam superiores às recomendações, sem diferença estatística entre os grupos estudados (p>0,05). As concentrações médias do zinco plasmático foram de 60, 45 ± 7,46 μg/dL para as mulheres com câncer de mama e de 64,59 ± 10,07 μg/dL para o controle (p>0,05). A média do zinco eritrocitário foi de 37,51 ± 8,26 μgZn/gHb e de 35,97 ± 5,57 μgZn/gHb para as mulheres com câncer de mama e para o controle, respectivamente (p>0,05). As médias da atividade da enzima superóxido dismutase e da concentração do malondialdeído foram respectivamente, 8924,32 ± 3829,35 μgSOD/gHb e 5,02 ± 4,55 μmol/L para as mulheres com câncer de mama e 7170,14 ± 3132,32 μgSOD/gHb e 3,95 ± 1,55 μmol/L para o grupo controle. Não houve correlação estatística significativa entre os parâmetros do zinco e a concentração da enzima superóxido dismutase e do malondialdeído. CONCLUSÃO: A partir dos resultados desse estudo, pode-se pressupor que a ingestão de zinco pelas mulheres com câncer de mama não influencia as concentrações plasmáticas e eritrocitárias desse mineral. A atividade da enzima superóxido dismutase elevada nas mulheres com câncer de mama parece ser decorrente de um mecanismo de regulação compensatório mediante o estresse oxidativo presente nessa doença.

  • IRENE SOUSA DA SILVA
  • ÓBITOS EVITÁVEIS EM MENORES DE UM ANO NA CIDADE DE TERESINA NO PERÍODO DE 2007 A 2011

  • Orientador : VIRIATO CAMPELO
  • Data: 29/08/2014
  • Mostrar Resumo
  • SILVA, I. S. Óbitos evitáveis em menores de um ano na cidade de Teresina no período de 2007 a 2011. 2014. Dissertação (Mestrado) – Programa de Mestrado em Ciências e Saúde, Universidade Federal do Piauí. Teresina-PI

     

    RESUMO

     

    Mortes evitáveis ou reduzíveis são aquelas preveníveis, total ou parcialmente, por ações efetivas dos serviços de saúde que estejam acessíveis em um determinado local e época. É considerada um indicador sensível à qualidade e diversidade da atenção à saúde prestada pelo sistema de saúde como uma medida resultado ou de impacto dos serviços de saúde. Este estudo analisou as causas de óbito evitáveis em menores de um ano de idade, filhos de mães residentes no município de Teresina, no período de 2007 a 2011. Trata-se de um estudo transversal que coletou junto às bases de dados do sistema de informação de mortalidade e sistema de informação de nascimentos. Foram analisados 1.058 óbitos para as variáveis: causa básica do óbito na classificação de causa evitável, causa mal definida e causa não claramente evitável, de acordo com a lista brasileira de causas de mortes evitáveis por intervenções do SUS. Para avaliar os fatores relacionados ao óbito evitável (fatores sociais, biológicos e assistência à saúde) considerou-se casos os óbitos evitáveis e controle os não claramente evitável. Os dados foram processados no programa SPSS (versão 20.0), calculou-se a taxa de mortalidade infantil evitável, teste qui-quadrado, análise bivariada e razão de chance ao nível de significância de  p <0,05 para associação dos fatores relacionados aos óbitos evitáveis.  Análise das causas básicas do óbito mostrou que 71,5% foram classificados como evitáveis, 28% não claramente evitável e 0,57% causas mal definidas. A taxa de mortalidade infantil evitável passou de 11,59/1000NV em 2007 para 10,01/1000NV em 2011 e redução relativa proporcional de 14%. Predominou o subgrupo de reduzíveis por adequada atenção a mulher na gestação (65,3%) tendo como causas mais frequentes as afecções maternas que afetam o feto e RN, transtornos relacionados com gestação de curta duração e baixo peso ao nascer. As causas reduzíveis por adequada atenção a mulher no parto (20,2%) tiveram como principais causas: hipóxia intrauterina e asfixia ao nascer, placenta prévia e descolamento prematuro da placenta. Evitáveis por adequada atenção ao RN (14,4%) e contribuíram principalmente as infecções e transtornos respiratórios específicos do período perinatal. Causas reduzíveis por ações de diagnóstico e tratamento adequado (7%) e de promoção à saúde, vinculadas a ações adequadas de atenção à saúde (5,4%). Associou-se ao óbito evitável o peso ao nascer, prematuridade, malformação congênita, natureza jurídica do hospital e tipo de parto. A taxa de mortalidade infantil teve pequena redução, elevada proporção de óbitos evitáveis, sugerindo um desafio na organização dos três níveis de atenção a saúde.

     

     

  • MARIA ALINE FERREIRA DE CERQUEIRA
  • AVALIAÇÃO DE PARÂMETROS HEMATOLÓGICOS PERIFÉRICOS E MEDULARES EM PACIENTES COM LEISHMANIOSE VISCERAL: UMA CORRELAÇÃO COM PROGNÓSTICO CLÍNICO

  • Orientador : CARLOS HENRIQUE NERY COSTA
  • Data: 29/08/2014
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A medula óssea de pacientes com leishmaniose visceral (LV) geralmente costuma ser hiperplásica e densamente parasitada. Porém, durante as fases mais adiantadas da infecção, ocorre desregulação da hematopoese caracterizada pela diminuição da produção celular, sendo as infecções, as hemorragias e a anemia grave responsáveis por grande parte das mortes por LV. O objetivo do presente estudo foi descrever os parâmetros hematológicos quantitativos e os achados citomorfológicos medulares em pacientes com leishmaniose visceral, correlacionando - os ao prognóstico clínico. PACIENTES E MÉTODOS: Estudo de coorte retrospectivo composto por 40 pacientes, admitidos em hospital de referência no período de dezembro de 2006 a maio de 2007. Foram avaliados os índices hematimétricos do hemograma no momento da admissão além de avaliação citomorfológica medular executada por 02 hematologistas, em momentos distintos e independentes, através de lâminas coradas pelo método May – Grunwald – Giemsa. RESULTADOS: Do total de pacientes avaliados, a maioria era do sexo masculino (52,5%), procedente do interior do Maranhão (45%), residente em área urbana (65%) e recebeu alta com melhora clínica (85%). Os valores médios de hemoglobina encontrados foram de 7,8±1,32 g/dL. A contagem média de leucócitos totais foi de 3173 ± 2177/mm³ enquanto que os níveis médios de plaquetas foram de 111.570 ± 75.880/mm³. Em 22,5% dos pacientes, havia neutropenia grave que não demonstrou ser preditora para óbito dos pacientes. Em 52,5% dos casos, a medula óssea era normocelular. Figuras de displasia foram frequentes, sendo que 26% das amostras analisadas mostravam diseritropoese, 50% evidenciavam disgranulopoese e 21% mostravam dismegacariopoese. Entre o total de pacientes que evoluiu para o desfecho fatal, 66% possuíam medula hipocelular e 83% apresentavam hiperplasia medular no setor eritroide. CONCLUSÃO: Na vigência de LV, a maioria dos pacientes demonstra anemia, leucopenia e/ou plaquetopenia porém também é possível a existência de contagens mais elevadas, dentro dos parâmetros da normalidade e sem correlação com o prognóstico dos acometidos. Achados de displasia medular também são frequentes nesse grupo mas não sugerem associação com o desfecho clínico dos pacientes.

  • CRISTINA CARDOSO DA SILVA
  • " Qualidade de Vida de Pais de Crianças com Bruxismo do Sono "

  • Orientador : LUCIA DE FATIMA ALMEIDA DE DEUS MOURA
  • Data: 29/08/2014
  • Mostrar Resumo
  •  

    Bruxismo é um hábito parafuncional provocado por atividades musculares repetitivas e caracterizado pelo apertamento ou ranger de dentes que pode ocorrer durante o sono ou em estado de vigília. A condição pode desencadear impacto  na qualidade de vida dos individuos. O presente estudo teve comoobjetivo avaliar o impacto que o bruxismo do sono de crianças exerce na qualidade de vida de seus pais/responsáveis. Material e Método: Estudo observacional transversal. A amostra foi composta por pais/responsáveis de crianças, na faixa etária de 2 a 5 anos, com e sem bruxismo  do sono, atendidas na  Clínica Odontológica Infantil da Universidade Federal do Piauí, no período de junho a dezembro de 2013. A coleta de dados foi realizada  através  da aplicação de questionários socioeconômico e de qualidade de vida (Early Childhood Oral Health Impact Scale - B-ECOHIS). O diagnóstico de bruxismo do sono foi considerado pelo relato dos pais/responsáveis que afirmavam ou negavam a presença da condição. Para análise dos resultados foi utilizado o cálculo de estimativa de chances (Odds Ratio ajustada - ORaj), análise descritiva, teste de Qui-quadrado de Pearson, teste de Razão de Verossimilhança e Regressão Logística. Resultados: Houve associação entre o bruxismo do sono nas crianças e a qualidade de vida de seus pais/responsáveis (p=0,045). O modelo de regressão logística demostrou que pais/responsáveis de crianças com bruxismo do sono apresentaram pior  qualidade de vida do que os pais/responsáveis de crianças sem a referida condição, com Índice ORaj=2,20 (1,46 - 2,99).  O perfil socioeconômico mostrou que a renda familiar apresentou alto impacto na qualidade de vida dos pais/responsáveis, com prevalência de 55,6% (p<0,005). Conclusão: O bruxismo do sono em crianças pré-escolares gera impacto negativo na qualidade de vida de pais/responsáveis.

  • JUSSARA RIBEIRO CHAVES
  • IMPACTO DA TUBERCULOSE NA QUALIDADE DE VIDA

  • Orientador : VIRIATO CAMPELO
  • Data: 29/08/2014
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A tuberculose é uma doença infecciosa que afeta principalmente os pulmões, mas, também pode ocorrer em outros órgãos do corpo, como ossos, rins e meninges. Objetivos: Analisar a qualidade de vida de indivíduos em tratamento da tuberculose no Município de Teresina – PI. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa do tipo descritiva de corte transversal. A coleta de dados foi realizada por meio dos registros do banco de dados do Sistema de Informação e Agravos de Notificação (SINAN) por meio de um formulário contendo os dados sociodemográficos e clínicos de 76 pacientes, os quais estavam em tratamento da tuberculose nas unidades de saúde da zona centro/sul, sudeste e leste da cidade de Teresina-PI. Posteriormente para avaliar o impacto da tuberculose na qualidade de vida relacionado à saúde, foi administrado o Medical Outcomes 36-Item Short-Form Health Survey SF-36. Resultados: Houve predominância do 55,3% do gênero feminino e 44,7% tinham de 31 a 69 anos, 55,3% eram casados ou com união estável, 73,7% eram da cor parda, 94,7% residem em zona urbana e 31,6% eram analfabetos. Quanto à apresentação clínica da tuberculose 84,2% tinham a forma pulmonar, sendo que 65,8% não possuíam comorbidades associadas e 94,7% fizeram o tratamento convencional. Foi possível considerar que eles apresentaram boa Qualidade de Vida. No entanto, se destacam as limitações por aspectos físicos e aspectos emocionais como os domínios mais negativos. A análise multivariada mostrou que na relação de dependência entre a capacidade funcional, estado geral de saúde, dor e aspectos sociais têm relação de dependência negativa. Conclusão: estudo do impacto da tuberculose na qualidade de vida só reforça a necessidade de implementação de estratégias mais efetivas de diagnóstico precoce e quebra da cadeia de transmissão da à doença, uma vez que a forma pulmonar da TB apresentou reduzido impacto negativo na Qualidade de Vida.

  • ADENO GONÇALVES OLIVEIRA
  • PERSISTÊNCIA DE LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA NO HOSPEDEIRO HUMANO: PROTEÇÃO OU SUSCETIBILIDADE?

  • Orientador : CARLOS HENRIQUE NERY COSTA
  • Data: 29/08/2014
  • Mostrar Resumo
  • CONTEXTO. A persistência parasitária no hospedeiro humano é uma característica peculiar das espécies de Leishmania provavelmente por sua grande capacidade de adaptação para evasão dos mecanismos de defesa celular. Graças ao desenvolvimento das técnicas de diagnóstico molecular, infere-se, a partir de resultados da reação em cadeia da polimerase (PCR) que, na leishmaniose tegumentar americana (LTA), esta persistência está associada tanto a doença recorrente e disseminação hematogênica do parasita da cicatriz para a mucosa oral/nasal, quanto à proteção imunológica contra a reinfecção clínica em indivíduos que permanecem em áreas endêmicas. Enquanto a L. braziliensis permanece na cicatriz em cerca de 80­90% dos casos curados anos após o tratamento, a recorrência ocorre apenas em cerca de 5% dos casos. Embora se saiba da persistência de Leishmania no hospedeiro humano, ainda não se tem conhecimento claro sobre a quantidade de parasitas que persistem, e que variáveis podem ter efeito determinante sobre esta quantidade. OBJETIVO. Assim, este trabalho analisou o efeito de variáveis sociodemográficas, clínicas, imunológicas e de tratamento prévios sobre a carga parasitária atual da Leishmania no sangue e na cicatriz, e sua relação com a recorrência da doença. METODOLOGIA. Incluiu-se no estudo 30 indivíduos curados para LTA, que vivem atualmente na região de Santa Teresa em Teresina-PI, a partir do cadastro no SINAN/SESAPI e da Equipe Básica de Referência da Estratégia Saúde da Família da FMS/Teresina (EBS/FMS) da região. Dados sociodemográficos, clínicos, laboratoriais, terapêuticos foram obtidos do SINAN, enquanto que dados clínicos atuais, de evolução da doença, de caracterização da cicatriz foram realizados em visita domiciliar. Foram realizadas nova reação de Montenegro, coleta de sangue periférico e biopsia da borda da cicatriz correspondente à lesão primária. Estas amostras biológicas foram processadas para realização de PCR convencional e PCR quantitativo em tempo real. RESULTADOS. Na amostra, houve homogeneidade de gênero (feminino: 63,3%, p > 0,05), com a maioria dos casos com diagnóstico nos anos de 2009 e 2010 (27/30, IC 95%: 76,7% a 96,7%). Todos apresentaram resultado positivo na PCR convencional para a presença de DNA de Leishmania no sangue periférico, havendo quatro casos com histórico de doença recorrente (13,3% Intervalo de Confiança de. 95% ­ I.C. 95%: 3,3% a 20%), associados a alta carga parasitária. A ausência de história de recidiva aumentou em 69% a probabilidade de baixa carga parasitária no sangue periférico (RR = 0,31, I.C. 95%: 0,138 a 0,483), enquanto que o tratamento com amoniato de N-metil meglumina reduziu a probabilidade de elevada carga parasitária em 64,1% (RR = 0,359, IC 95%: 0,154 a 0,839%) Entretanto, a elevada carga parasitária no sangue periférico esteve associada à cicatriz menor que 2 cm (p = 0,021) e ao menor diâmetro da reação de Montenegro (p = 0,036). CONCLUSÃO. Leishmania é uma parasita persistente por ser capaz de se evadir dos mecanismos da resposta imunológica do hospedeiro humano. É possível que o DNA de parasita encontrado no sangue advenha de parasitas vivos em monócitos circulantes infectados ou da persistência do parasita vivo na cicatriz provocando uma inflamação leve responsável por destruir parasita e distribuir DNA do parasita no sangue periférico. Uma elevada intensidade da reação imunológica do tipo de resposta TH1 pode ser refletida no diâmetro da reação de Montenegro e embora controle a infecção, não elimina completamente o parasita do organismo. Essa forte reação de Montenegro pode indicar proteção e resistência a doença recorrente mesmo com parasita persistente no organismo. Uma resposta fraca ao teste de Montenegro está associada a uma elevada carga parasitária no sangue periférico, o que indica alerta e necessidade de monitorização ao longo do tempo pois disfunções metabólicas e condições imunossupressoras podem conferir maior vulnerabilidade para doença recorrente a este grupo, principalmente nos casos infectados com L. braziliensis. O seguimento destes casos para avaliação de desfecho pode complementar este estudo, pois a análise da carga parasitária, juntamente com a reação de Montenegro e com fatores de resistência ao parasita contribuem para a melhor compreensão da imunologia da LTA.

  • JOSÉ MÁRIO NUNES DA SILVA
  • Capacidade para o trabalho de cirurgiões-dentistas da estratégia saúde da família

     

  • Orientador : LUCIA DE FATIMA ALMEIDA DE DEUS MOURA
  • Data: 29/08/2014
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Dentre as atividades laborais, o exercício da odontologia enquadra-se como uma das categorias que mais expõe os profissionais a fatores de risco para desenvolvimento de distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho, fato que pode afetar negativamente a capacidade para o trabalho. OBJETIVO: Avaliar os fatores associados à capacidade para o trabalho em cirurgiões-dentistas. MATERIAL E MÉTODO: Trata-se de um estudo transversal desenvolvido com 167 cirurgiões-dentistas vinculados à Estratégia Saúde da Família (ESF), do município de Teresina (Piauí). A coleta de dados ocorreu no período de janeiro de 2014 a março de 2014. O levantamento de dados foi feito por meio da aplicação de questionários no local de trabalho dos CD com dados referentes a capacidade para o trabalho, dados sociodemográficas, caraterísticas relacionadas ao trabalho, aspectos de saúde auto relatados, estilo de vida e fadiga. Na análise univariada utilizou-se a estatística descritiva, na bivariada o teste Qui-quadrado de Pearson, e na multivariada a regressão de Poisson com efeito medido pela razão de prevalência (RP) e intervalo de confiança de 95% através do software SPSS, versão 18.0. RESULTADOS: 56,9% eram do gênero feminino, com idade média de 40,3 anos (±10,7), 62,9% possuíam mais de um vínculo empregatício, 68,3% tinham tempo de trabalho menor que 10 anos, 58,1% trabalhavam em regime de tempo integral com carga de trabalho semanal média 39,3 horas (±11,8). A pratica de atividade física foi relatada por 70,1% dos CD, 97,6% não possuíam hábito tabagista, 70,1% possuíam estado nutricional eutrófico. 40,1% relataram estar satisfeito com o sono, 67,6% consideram seu próprio estado de saúde como bom. Os resultados apontaram que 73,0% dos CD relataram apresentar lesões em alguma parte do corpo e 68,4% doenças musculoesqueléticas. Capacidade inadequada para o trabalho foi observada em 46,7% e de 26,3% para altos níveis de percepção de fadiga. As variáveis independentes associadas a capacidade inadequada para o trabalho foram gênero (p=0,037), limpeza não adequada (p=0,042), ambiente úmido (p<0,001), às vezes úmido (p=0,002), ambiente de trabalho com muito barulho (p=0,044), tarefas às vezes repetitivas e monótonas (p=0,027), repetitivas e monótonas (p<0,001), não está insatisfeito nem satisfeito com seu sono (p=0,020), está muito insatisfeito ou insatisfeito com sono (p=0,002), considerar ser estado de saúde regular (p=0,001), relatar uma a quarto (p=0,005) ou cinco ou mais morbidades (p<0,001) e níveis altos de percepção de fadiga (p=0,005). CONCLUSÃO: Grande parte da população estudada apresentou capacidade inadequada para o trabalho e uma parcela significativa teve alto níveis de percepção de fadiga. A pesquisa demonstrou que fatores sociodemográficos, características do trabalho, aspectos de saúde e altos níveis fadiga contribuíram para perda da capacidade de trabalho.

  • ELIZABETH SOARES OLIVEIRA DE HOLANDA MONTEIRO
  • EDUCAÇÃO MÉDICA: UMA ANÁLISE DA RELAÇÃO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO, DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS E O SISTEMA ÚNICO

  • Orientador : JOSE IVO DOS SANTOS PEDROSA
  • Data: 29/08/2014
  • Mostrar Resumo
  • O texto constitucional brasileiro, em relação ao Sistema Único de Saúde, afirma que cabe a este, ordenar a formação de recursos na área da saúde, e transcorrido mais de vinte e cinco anos, se constitui um desafio para as Instituições de Educação Superior, a formação dos profissionais de saúde para atender as reais necessidades dos usuários e do sistema. Estudo realizado com objetivo de analisar o processo de formação nas Escolas Médicas do Piauí no atual cenário de mudanças teóricas, conceituais e institucionais voltados para atuar no Sistema Único de Saúde. Pesquisa bibliográfica e documental em instituições de ensino, que representam 67,5% das vagas oferecidas para o curso de medicina no estado. O levantamento do material efetivou-se por meio de determinações legais e documentos, tanto impresso, como eletrônico. O estudo integra um projeto em resposta ao Edital nº 24/2012 –CAPES/DPB/CGPE/CII – PRÓ – ENSINO NA SAÚDE, intitulado Educação e Saúde: bases epistemológicas e metodológicas da formação de profissionais para o Sistema Único de Saúde. O projeto agregador foi intitulado O perfil da formação de profissionais na área da saúde na UFPI: Um estudo sobre ensino na saúde, com aprovação no Comitê de Ética em Pesquisa – CEP, sob o processo nº 06878/11/23. Os referenciais que fundamentaram as análise e discussões apresentadas no estudo foram: Os princípios do SUS conforme os preceitos legais; As premissas da educação superior médica expressas nas DCNM; Os Eixos do PROMED; O PPC das IES e por último, A proposta apresentada pelo GT na expansão de vagas do ensino médico nas IFES. Observou uma similaridade das IES estudadas quanto ao período de integração do curso, turno de oferta e forma de ingresso, apresentando diferenças relativas à distribuição da carga horária executadas nos cursos. Ambas as IES apresentam PPC formatados de acordo com o que determina as Resoluções CNE/CES nº 2/2007. Conclui com este estudo que o ensino praticado nas escolas médicas estudadas ainda é fragmentado, departamentalizado, não garantindo ao discente vínculo com o usuário, relação fragilizada entre escola/serviço/comunidade, as IES utilizam o usuário como objeto de estudo para aprendizados das práticas médicas. Como contribuição, essa pesquisa possibilitou uma maior reflexão sobre a formação médica, no cenário atual de mudanças teóricas, conceituais e institucionais e o Sistema Único de Saúde no Piauí. Como limitação da pesquisa tem-se a análise de cinquenta por cento das IES e 67,5% das vagas disponíveis para o curso de medicina no Estado. Como recomendação para trabalhos futuros poder-se-á verificar a efetividade do processo de formação médica e a articulação com o sistema de saúde atual em outras IES com o curso de medicina e ainda avaliação dos cursos de acordo com as novas DCNM, instituída em 2014.

  • MARIA LÍCIA LOPES MORAIS ARAÚJO
  • Excesso de Peso, obesidade e sua correlação com a frequência do consumo alimentar em pré-escolares de Teresina- Piauí.

  • Orientador : REGILDA SARAIVA DOS REIS MOREIRA ARAUJO
  • Data: 29/08/2014
  • Mostrar Resumo
  •  A obesidade é atualmente caracterizada, como o acúmulo generalizado de gordura corporal decorrente de diversas influências, como:  genéticas, psicológicas e ambientais; associando-se também ao estilo de vida e aos hábitos alimentares, estando relacionada de forma direta à prática de atividade física. Diante do exposto, o presente trabalho visa conhecer a prevalência de excesso de peso, obesidade e sua correlação com a frequência de consumo de alimentos, a nível escolar e domiciliar, em pré-escolares assistidos em escola privada, de Teresina- Piauí. Trata-se de um Estudo Transversal Descritivo de base escolar, que foi realizado em escola da rede particular de ensino da cidade de Teresina entre o período de março a julho de 2013. O tamanho da população para entrar na pesquisa foi de 400 crianças. Essas crianças foram selecionadas de forma “probabilística” onde todas as 1.044 crianças matriculadas na Educação Infantil tiveram a chance de participar da pesquisa. Foi utilizada uma lista de números randomizados para identificar cada criança. Em seguida de cada série foi retirada uma amostra de 110 crianças, estimando-se perdas. Para análise estatística, foi criado um banco de dados no Programa Statistical Package for the Social Sciences, version 13,0. Os dados foram apresentados por meio de tabelas e figuras. Para verificar a diferença entre as médias das idades entre os sexos foi utilizado o teste t de Student e para verificar a associação entre as variáveis nominais teste do Qui-quadrado. O nível de significância estatística adotado foi de 5. Concluiu-se que a prevalência de risco de excesso de peso e obesidade em pré-escolares foi elevada, sem ocorrer diferença significativa relacionada ao sexo ou idade das crianças estudadas. Ocorrendo uma correlação  com a alta frequência de  consumo de alimentos, como: carboidratos simples, açúcares e gorduras.

  • ARETHUZA DE MELO BRITO CARVALHO
  • BRUXISMO E QUALIDADE DE VIDA EM ESCOLARES DE 11 A 14 ANOS

  • Orientador : LUCIA DE FATIMA ALMEIDA DE DEUS MOURA
  • Data: 29/08/2014
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Bruxismo é o hábito de apertar e/ou ranger os dentes, que pode desencadear problemas funcionais e psicossociais com possíveis consequências na qualidade de vida dos indivíduos. Materiais e Métodos: Estudo observacional transversal desenvolvido com escolares na faixa etária de 11 a 14 anos do município de Teresina-Piauí. Para a avaliação da qualidade de vida foi utilizada a versão brasileira do questionário CPQ11-14, na forma curta (ISF:16) abrangendo os domínios sintomas bucais, limitações funcionais, bem-estar emocional e bem-estar social. A presença do bruxismo do sono foi considerada através de relatos dos responsáveis legais. A análise dos resultados foi realizada através da análise univariada (estatística descritiva), bivariada (teste Qui-quadrado de Pearson e teste de Razão de Verossimilhança) e análise multivariada (regressão logística múltipla com efeito medido pela razão de chances), intervalo de confiança de 95%, através do software SPSS, versão 21.0. Resultados: Foi observada diferença entre escolares com bruxismo do sono e o escore total do CPQ11-14 (p< 0,001), e com os escores dos domínios limitação funcional (p= 0,033) e bem- estar social (p= 0,020). As variáveis gênero e idade não apresentaram associação com a qualidade de vida. O modelo final de regressão revelou que a presença de bruxismo do sono aumenta a chance de ter maior impacto na qualidade de vida (ORaj=1,82 (1,54 - 2,10) , IC= 95%). Conclusão: Bruxismo do sono apresentou impacto negativo na qualidade de vida dos escolares, principalmente nos domínios, limitações funcionais e alterações no bem- estar social.

  • HEILA DIAS DE SOUSA PINHO AGUIAR
  • Estado nutricional relativo ao zinco e estresse oxidativo em estudantes universitários.

  • Orientador : NADIR DO NASCIMENTO NOGUEIRA
  • Data: 28/08/2014
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Estudos têm mostrado que estudantes universitários tendem a adotar condutas de saúde pouco saudáveis, em especial refeições nutricionalmente desequilibradas. A alimentação inadequada parece contribuir com o aumento do estresse oxidativo e risco para surgimento de doenças crônico não transmissíveis. Nesse contexto, o zinco tem papel importante por integrar o sistema antioxidante. Este estudo avaliou a relação entre estado nutricional relativo ao zinco e estresse oxidativo em estudantes universitários. MÉTODOS: Estudo de corte transversal, envolvendo 242 universitários, de ambos os sexos, com idade de 20 a 30 anos. Foram realizadas medidas do índice de massa corpórea (IMC) e da circunferência da cintura (CC).  A análise da ingestão de calorias, macronutrientes e zinco foi realizada utilizando o método do registro alimentar de três dias. O padrão de ingestão de referência para os macronutrientes foi a faixa de distribuição aceitável de macronutrientes. Para a estimativa da prevalência da ingestão inadequada de Zn foi utilizado a EAR como valor de referência. As concentrações plasmáticas e eritrocitárias do mineral foram determinadas por espectrofotometria de absorção atômica de chama. A atividade da enzima superóxido dismutase foi determinada segundo a metodologia do fabricante Randox, e as concentrações do malondialdeído, por cromatografia líquida de alta eficiência (HPLC/PDA). Os dados foram analisados no programa SPSS for Windows 18.0, adotando-se o nível de significância de 5% na decisão dos testes. RESULTADOS: Os valores de ingestão de macronutrientes encontravam-se dentro das faixas de recomendação. Com relação ao consumo de zinco, observou-se que a média estava acima da EAR em ambos os sexos. Por outro lado, o percentual de inadequação desse mineral foi de 27,09% para os estudantes do sexo masculino e de 16,85% para o feminino. Os estudantes apresentaram concentrações médias de Zn no eritrócito inferiores aos pontos de corte. As concentrações plasmáticas de zinco estavam adequadas para o sexo masculino em relação ao feminino (p<0,05).  A atividade da enzima SOD encontrava-se dentro dos valores de normalidade, enquanto que a média do MDA foi inferior aos valores de referencia, sendo que ambos os resultados não diferiram entre os gêneros (p>0,05). Houve correlação negativa entre o zinco plasmático e a SOD (p<0,05) e positiva entre o zinco eritrocitário e a atividade dessa enzima (p<0,05). Não houve correlação entre os parâmetros do zinco e o MDA (p>0,05). CONCLUSÃO: Os estudantes apresentam comprometimento nutricional e das concentrações de zinco eritrocitário. A correlação positiva entre a atividade da SOD e as concentrações eritrocitárias de zinco reforçou a hipótese da participação desse mineral no sistema de defesa antioxidante, atuando indiretamente como protetor da peroxidação lipídica nas membranas celulares.

  • ANA CATHARINA NUNES FERNANDES
  • Análise da situação vacinal de crianças pré-escolares em Teresina-PI

  • Orientador : KEILA REJANE OLIVEIRA GOMES
  • Data: 25/08/2014
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A imunização infantil é uma ação prioritária do Ministério da Saúde, porém, estudos evidenciam aumento de atrasos vacinais e não vacinação. OBJETIVO: Analisar a situação vacinal de crianças pré-escolares em Teresina-PI. METODOLOGIA: Estudo seccional envolvendo 542 crianças de 2 a 6 anos matriculadas na rede pública municipal de ensino, oriundas de quatro Centros Municipais de Educação Infantil selecionados aleatoriamente, obedecendo a divisão proporcional por regiões da cidade. Os dados foram coletados por meio de formulário pré-codificado e pré-testado, além da digitalização da caderneta de vacina da criança. Realizou-se análise estatística descritiva univariada, utilizou-se o teste qui-quadrado de Pearson e exato de Fisher para análise bivariada e procedeu-se regressão logística múltipla, pelo aplicativo SPSS versão 17.0. O estudo obedece preceitos éticos conforme legislação vigente. RESULTADOS: O perfil dos sujeitos apresentam em sua maioria: cuidadores com idade adulta (94,6%); crianças com idade entre 4 a 6 anos (57,7%); cuidadores sendo a própria mãe da criança (82,8%); crianças do sexo feminino (51,1%); moradia de alvenaria (90,6%); cuidadores casados ou em união estável (66,6%); cuidadores alcançando, no máximo, o ensino médio incompleto (61,5%).  A frequência de atraso vacinal/não vacinação foi de 24,9%. Destes, a média de vacinas não administradas foi de 1,7 (DP±1,2) e de vacinas atrasadas de 3,3 (DP±1,6). O modelo de regressão logística binomial revelou associação significativa (p<0,05) entre os cuidadores jovens (até 24 anos) e a baixa frequência em consulta de puericultura com atraso vacinal/não-vacinação. CONCLUSÕES: Saber que crianças que não frequentam as consultas de puericultura têm mais chances de atrasar suas vacinas comprova que a melhor estratégia para resolver essa situação é: garantir e fortalecer as próprias ações de atenção básica, sobretudo, a Estratégia Saúde da Família, fazer o controle da cobertura vacinal em sua área e a busca ativa de crianças faltosas.

  • RIVALDO LIRA FILHO
  • Um Estudo sobre Detecção de Desvios: Aplicação em banco de dados do Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica – PMAQ – BRASIL


  • Orientador : JOSE IVO DOS SANTOS PEDROSA
  • Data: 21/08/2014
  • Mostrar Resumo
  • Referencial Teórico: O PMAQ deve ser utilizado como um instrumento que possa retratar a realidade da saúde no Brasil. Dessa forma espera-se que este instrumento de pesquisa, possa descrever a realidade da saúde, possa mostrar dados importantes para sua melhoria e que possa dar um diagnóstico preciso sobre a situação do setor no Brasil. A técnica de DCBD/Mineração pode ser utilizada para melhorar o conteúdo das informações colhidas no PMAQ, pois como outros instrumentos de coleta de dados o mesmo pode apresentar inconsistências nas suas informações. O conhecimento tem sido reconhecido como um dos mais importantes recursos de uma organização, tornando possíveis ações inteligentes nos planos organizacional e individual, induzindo a inovações e capacidade de continuamente criar produtos e serviços excelentes em termos de complexidade, flexibilidade e criatividade. O processo de gestão do conhecimento abrange toda a forma de gerar, armazenar, distribuir e utilizar o conhecimento, tornando necessária a utilização de tecnologias de informação para facilitar o processo, devido ao grande aumento no volume de dados.

    Justificativa: O presente estudo justificou-se pela necessidade de analisar o banco de dados do PMAQ Brasil o que permitiu a produção de informações qualitativas e quantitativas resultantes desta pesquisa. Os testes realizados na base de dados do PMAQ utilizam-se de conceitos de seleção e preparação de dados e técnicas de mineração (data mining), apresentadas em diversas propostas na bibliografia estudada. Este trabalho descreveu todas as etapas desenvolvidas para a realização do estudo sobre detecção de desvios em dados da Avaliação externa do Programa de Avaliação da Qualidade da Atenção Básica.

    Objetivo: O objetivo principal deste trabalho é analisar algumas técnicas de detecção de desvios e aplicá-las em dados da Avaliação Externa o Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB).

    Metodologia: A metodologia aplicada foi satisfatória para a detecção de desvios, pois permitiu a identificação, avaliação e a sistematização do processo desenvolvido. Em alguns momentos da pesquisa foi necessário o retorno às etapas anteriores, pois, baseado nos resultados obtidos era necessário reorganizar os dados e avaliá-los novamente. Os resultados obtidos mostraram que a estrutura do arquivo, a definição do tipo de dado e a forma como está expressa a informação dentro do arquivo, podem dificultar ou auxiliar no processo de detecção de desvios.

    Resultados: Os resultados foram satisfatórios de acordo com a metodologia proposta. Foram identificados a necessidade de ampliar as avaliações estatísticas. Pois, nem sempre os dados permitiam uma verificação válida ou ainda não resultavam valores satisfatórios para a pesquisa. Nesta fase foram definidas técnicas estatísticas mais específicas para os desvios encontrados, esses cálculos foram: o cálculo do qui-quadrado para a avaliação bivariada dos registros qualitativos, e o cálculo do teste de razão de verossimilhança para a avaliação bivariada dos registros quantitativos. Os experimentos realizados a partir da metodologia utilizada no trabalho apresentaram resultados interessantes para a pesquisa. As avaliações de determinadas informações agregaram conhecimento ao trabalho realizado.

    Considerações Finais: Um trabalho futuro seria identificar e estudar outras técnicas estatísticas para aplicar na detecção de desvios. Existem diversas técnicas e cada uma pode se adequar melhor aos objetivos definidos para a pesquisa realizada. Também poderia ser feito um estudo mais aprofundado sobre a detecção de desvios como um dos objetivos a serem alcançados na aplicação de outra técnica de mineração como associação, classificação entre outras. Com relação ao banco de dados, a técnica permitiu encontrar os desvios, algumas variáveis precisam de avaliações mais aprofundadas para se corrigir a base de dados, outras podem ser mantidas.

  • BRUNA LUISA FIGUEIRÊDO PIEROTE
  • ANÁLISE DA EXPORTAÇÃO TÍMICA DE CÉLULAS T COM PERFIL REGULADOR EM PACIENTES PORTADORES DE HANSENÍASE.

  • Orientador : ADALBERTO SOCORRO DA SILVA
  • Data: 11/08/2014
  • Mostrar Resumo
  • A hanseníase é uma doença infecciosa crônica causada pelo patógeno intracelular Mycobacterium leprae, um microorganismo que evoluiu com notável capacidade de evadir–se da resposta imune do seu hospedeiro. Embora os mecanismos que  permitem tal evasão imune ainda não sejam totalmente compreendidos, há evidências na literatura de que eles incluem a participação de células T reguladoras (Tregs). Essas células ou são induzidas a se tornar reguladoras na periferia (iTreg) ou são naturalmente reguladoras (nTreg). A característica mais proeminente das células nTregs é que elas são produzidas endogenamente, pelo timo normal, como uma subpopulação de células T funcionalmente distinta e que persiste na periferia com função estável. A ocorrência de células reguladoras no sistema imune oferece oportunidade para o planejamento de estudos de manipulação imunológica que visem tratar ou prevenir desordens imunológicas bem como controlar inflamação patológica ou fisiológica. A estratégia mais simples para a exploração do papel regulador das Tregs é a alteração no número dessas células seja no sangue circulante seja em um sítio inflamado. Trabalhos recentes têm mostrado que o número de células T com perfil regulador estão aumentados em lesões de pele em pacientes com hanseníase. Em tais trabalhos, no entanto, não foi avaliada se as células T com perfil regulador observadas nos pacientes são iTreg ou nTreg. No presente trabalho nós estudamos esta questão. Nossa estratégia experimental envolveu a comparação do número de células T com perfil regulador  entre pacientes e controles saudáveis pareados por idade. As células dos pacientes forma coletadas em três tempos estratégicos: por ocasião do diagnóstico, três meses após a terapia convencioanl e seis meses após a terapia convencional.  As células assim quantificadas foram imunofenotipadas para a determinação de emigração tímica recente e o soro sanguíneo foi avaliado quanto ao perfil de citocinas nele contido. Nós encontramos níveis mais elevados de nTreg durante os períodos iniciais da doença, com uma contínua diminuição ao longo do período de tratamento. Além disso as Treg encontradas nos pacientes foram, majoriatriamente, recém emigrantes do timo, como mostrou pela expressão de marcador específico (PTK7). Nós não encontramos nenhuma diferença no perfil de citocinas quando comparamos pacientes e controles. Em conclusão nossos achados expandem  os resultados de outros relatos da literatura por mostrar que a população de células T com perfil regulador em pacientes com hanseníase (i) estão aumentadas no sangue periférico e (ii) e que estas são principalmente emigrantes tímicas recentes. Como acontece com os resultados de todo trabalho científico envolvendo enfermidades com diferentes formas polares, novos estudos contemplando um maior número de casos e formas espectrais da doença precisam ser realizados para a confirmação dos resultados obtidos no presente trabalho.

  • MARIA DAS GRACAS SILVEIRA SANTOS SILVA
  • CONTEÚDO DE MINERAIS, COMPOSTOS BIOATIVOS E ATIVIDADE ANTIOXIDANTE NO NONI (Morinda citrifolia L.).

  • Orientador : REGILDA SARAIVA DOS REIS MOREIRA ARAUJO
  • Data: 07/07/2014
  • Mostrar Resumo
  • O noni (Morinda citrifolia L.) é uma rubiácea, árvore pequena, sempre verde, com folhas elípticas, flores tubulares brancas e frutos ovóides amarelos, semelhantes a uma granada. É utilizado tradicionalmente pela população local para o tratamento de diversas desordens na saúde. Uma das atividades mais descritas nos estudos é a atividade antioxidante. Esse estudo objetivou a caracterização físico-química, determinação do conteúdo de minerais do noni (Morinda citrofilia L.) pré-seco e do teor de compostos bioativos e atividade antioxidante do fruto in natura e pré-seco do noni (Morinda citrofilia L.). Foram analisados características físico-químicas, minerais, fenólicos totais, β-caroteno, licopeno, antocianinas, taninos, vitamina C e atividade antioxidante, pelo métodos DPPH, FRAP e ABTS. Quanto às características físico-químicas da polpa, obteve-se 9,30 °Brix para sólidos solúveis, pH 3,98 e 89,06% de umidade. Quanto ao conteúdo de macronutrientes, destacou-se o conteúdo de carboidratos (7,28%) e lipídeos (3,31%), e baixo conteúdo de proteínas (0,51%) e cinzas (0,86%). Nas análises do noni pré-seco obteve-se 3,06 °Brix para sólidos solúveis, pH 4,74 e 18,66% de umidade. Dentre os macronutrientes, destacou-se o conteúdo de carboidratos (52,41%), proteínas (22,65%) e cinzas (4,29%), e baixo conteúdo de lipídeos (1,99%). Verificou-se que o noni pré-seco é fonte de cálcio (182 mg/100g) , ferro (3,15 mg/100g) e zinco(1,70 mg/100g ) e possui um alto teor de potássio (1690 mg/100g), magnésio (85,64 mg/100g) e manganês (1,19 mg/100g). O teor de fenólicos totais no fruto in natura e pré-seco do noni, respectivamente, foi de 71,73 mgAG/100g e 835,36 mgAG/100g, em extrato aquoso, e 102,36 mgAG/100g e 746,11 mgAG/100g, em extrato acetônico. O conteúdo de antocianinas e taninos não foram detectados pelos métodos propostos, na polpa, sendo que o fruto pré-seco apresentou  2,19 mg de cianidina 3-glicosídeos/100g e 21,74 mgEC/100g de antocianinas e taninos, respectivamente. Enquanto que o conteúdo de β-caroteno e licopeno obtido foi de 164,80mg/100g e 64,39mg/100g, respectivamente, na polpa e 19,57mg/100g e 3,37mg/100g, respectivamente, no fruto pré-seco. Os teores de Vitamina C obtidos na polpa e fruto pré-seco foram 20,45 mgAA/100g e 11,50 mgAA/100g, respectivamente.Os resultados da atividade antioxidante no extrato aquoso e acetônico, foram 148,16 e 507,27 μmol TEAC/100g pelo método ABTS, 272,55 e 367,54 μmol TEAC/100g pelo método DPPH e 251,77 e 1660,32 μmol TEAC/100g pelo método FRAP no fruto in natura e 5610,11 e 7593,04 μmol TEAC/100g pelo método ABTS, 4427,87 e 5184,51 μmol TEAC/100g pelo método DPPH e 14816,63 e 17504,77 μmol Fe²+/100g pelo método FRAP, no fruto pré-seco. Dessa forma, o noni apresentou-se como alimento nutritivo, destacando-se o teor de carboidratos, proteínas e minerais do fruto pré-seco e elevado teor de compostos fenólicos e atividade antioxidante, confirmada por três diferentes métodos, nas duas amostras.

  • MARA JORDANA MAGALHAES COSTA
  • Excesso de peso e obesidade em pré-escolares de Teresina-PI e sua relação com a prática de atividade física.

  • Orientador : REGILDA SARAIVA DOS REIS MOREIRA ARAUJO
  • Data: 02/07/2014
  • Mostrar Resumo
  • A obesidade caracteriza-se pelo excesso de gordura corporal em relação à massa magra, tratando-se de uma doença multifatorial, determinada por vários fatores, dentre eles: fatores genéticos, comportamentais, ambientais e culturais. Assim, realizou-se a presente pesquisa com o objetivo de conhecer a prevalência do excesso de peso e obesidade em pré-escolares da rede privada de ensino de Teresina-PI e sua relação com a prática de atividade física. O estudo foi do tipo transversal, descritivo, tendo como amostra 403 pré-escolares, matriculados em uma escola da rede privada de Teresina-PI. Foi realizada avaliação antropométrica, para obtenção dos valores do Índice de Massa Corporal - IMC, foram coletados também os dados socioeconômicos, dados sobre a criança, com registro em ficha própria, e informações sobre a prática de atividade física dos pré-escolares. Os resultados demonstraram que 60,1% dos pré-escolares estavam eutróficos e 1,2% com magreza. O risco de excesso de peso apresentou-se em 20,8% da população, enquanto o excesso de peso em 5,2% e a obesidade, em 12,7% do total de indivíduos que participaram do estudo. Observou-se uma forte correlação entre os pré-escolares com menor tempo de atividade física semanal e o risco de excesso de peso (0,879), excesso de peso (0,734) e obesidade (0,712), apresentando significância estatística (p = 0,001). Concluiu-se que os pré-escolares, na sua maioria, estavam eutróficos, apesar de apresentarem valores para excesso de peso e obesidade. Além disso, foi possível observar que quanto menor a prática de atividade física, maior a correlação com o excesso de peso e obesidade. 

  • JOSÉ FRANCISCO RIBEIRO
  • PERFIL SOCIODEMOGRÁFICO E CLÍNICO DE MULHERES COM CÂNCER DE COLO DO ÚTERO EM UMA CIDADE DO NORDESTE

  • Orientador : ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
  • Data: 18/06/2014
  • Mostrar Resumo
  • No Brasil, o câncer de colo do útero é a terceira neoplasia maligna mais comum entre as mulheres, superado apenas pelos cânceres de mama e de pele não melanoma, e representa 10% de todos os tumores malignos em mulheres. Em uma análise regional pode ser observada a incidência crescente do câncer de colo do útero, principalmente em regiões menos desenvolvidas. Este estudo teve como objetivo descrever o perfil sociodemográfico e clínico das mulheres com câncer de colo do útero na cidade de Teresina-PI, com base em registros pertencentes a uma instituição filantrópica de referência em oncologia de Teresina, no período de 2008 a 2012. Trata-se de um estudo descritivo com base em dados secundários onde foram consultados 699 prontuários eletrônicos de mulheres residentes em Teresina. A coleta de dados aconteceu em agosto de 2013, através do uso de um formulário contendo o perfil sociodemográfico e clínico das mulheres com câncer de colo do útero, estágio da doença ao final do tratamento e situação de encerramento dos casos diagnosticados. Houve predominância de casos na faixa etária de50 a 59 anos (21,5%), raça/cor não branca (82,1%), casadas (54,5%), ensino fundamental incompleto (38,8%), ocupação do lar (43,8%), multiparidade (25,9%), com encaminhamento do Sistema Único de Saúde (93,1%). O tipo histológico, carcinoma de células epidermoides, esteve presente em 49,8% dos casos, seguidos do adenoma (28,5%). O estadiamento inicial II ocorreu em 31% dos casos acompanhado do III (27,5%). Dos tratamentos realizados a quimioterapia e a radioterapia estiveram presentes em 37,5% dos casos, seguidos de cirurgia, radioterapia e quimioterapia (16,6%). A situação de encerramento para remissão parcial (30,9%), doença em progressão (38,8%) e óbitos (14,4%) dos casos diagnosticados. Tais dados fornecem subsídios e apontam para a necessidade de aplicar medidas essenciais para melhor aplicabilidade de políticas de saúde direcionadas para os níveis de atenção à saúde da mulher. A inserção de educação em saúde especificamente moldada na facilitação da transmissão dos conhecimentos em saúde da mulher são de grande importância para as mudanças no perfil de morbidade e mortalidade da doença nessa clientela.

  • ARY OLIVEIRA PIRES
  • “Estudo das metástases ósseas de câncer de mama pela cintilografia e tomografia por emissão de positrons”.

  • Orientador : BENEDITO BORGES DA SILVA
  • Data: 25/04/2014
  • Mostrar Resumo
  • As metástases mais comuns do câncer de mama são para os ossos e o exame mais comumente solicitado para detectá-las é a cintilografia, contudo há controvérsias na literatura sobre a sensibilidade da cintilografia e da tomografia por emissão de pósitrons acoplado à tomografia computadorizada (PET-CT) na detecção das lesões. Objetivo: Investigar as metástases ósseas de cancer de mama por cintilografia óssea e PET-CT. Métodos: Vinte pacientes com câncer de mama e dores ósseas foram submetidas tanto à cintilografia óssea quanto ao PET/CT-FDG de julho de 2012 à junho de 2013. A cintilografia foi realizada após a administração endovenosa de 99mTc-MDP cerca de 10 dias antes do exame de PET-CT por meio da injeção endovenosa de F18- fluorodeoxyglucose, seguido de CT do corpo inteiro. As metástases ósseas foram caracterizadas à cintilografia pela hipercaptação de tecnécio superior às demais áreas do esqueleto enquanto que no exame de PET-CT foram consideradas metastáticas as lesões hipermetabólicas que captaram FDG em intensidade acima da captação observada no restante do esqueleto, tendo a CT como exame de referência para definição das metástases. Para análise comparativa dos dados utilizou-se o teste t de Student pareado (p<0.05). Resultado: A tomografia mostrou 422 implantes metastáticos nas 20 pacientes, enquanto a cintilografia mostrou 239 (56%) destas lesões e o PET-CT mostrou 303 (71%), contudo não houve diferença estatisticamente significante entre as médias das lesões em cada paciente mostrada pelos dois exames (P=0.186). Conclusão: No presente estudo, não houve diferença estatisticamente significativa entre o PET-CT e a cintilografia óssea na detecção de metástases ósseas de câncer de mama

  • GABRIELA VERAS DE SOUSA
  • “Expressão do Antígeno Ki-67 no epitélio mamário de ratas em estro permanente tratadascom raloxifeno”

  • Orientador : BENEDITO BORGES DA SILVA
  • Data: 11/04/2014
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As ratas em estro permanente estão sob constante estimulação estrogênica e mimetizam síndrome dos ovários policísticos, apresentando tecido ducto-lobular aumentado e, a propósito, mulheres com aumento da densidade mamária mamográfica e uso de terapia hormonal (HT) na pós-menopausa estão associadas com aumento do risco de câncer de mama, que pode ser reduzido pelo raloxifeno.  Objetivo: Avaliar a expressão do antígeno Ki-67 no epitélio mamário de ratas em estro permanente tratadas com raloxifeno. Material e métodos: Quarenta e uma ratas Wistar-Hannover em estro permanente induzido por 1,25 mg de propionato de testosterona foram divididas ao acaso em dois grupos:  Groupo I (controle, n=21), em que os animais receberam somente o veículo (propilenoglicol) e Groupo II (experimental, n=20)  em que os animais receberam 750µg/dia of raloxifeno por gavagem. Após 21 dias do tratamento, todos os animais foram sacrificados e extirpado o primeiro par mamário abdômino-inguinal e fixado em formol tamponado a 10% para investigar a expressão da protein Ki-67 para análise imunoistoquímica. Os dados foram analisados estatisticamente usando o test t de Student (p<0.05). Resultados: a porcentagem media de núcleos corados por Ki-67 por 500 células no epitélio mamário foi 42,33±6,18 e 15,51±3,71 (SEM), nos grupos controle e experimental, respectivamente (P<0.001). Conclusão: O raloxifeno reduziu significantemente a expressão do antigeno Ki-67 no epitélio mamário de ratas em estro permanente.

  • ÉRIDA ZOÉ LUSTOSA FURTADO
  • Fatores associados ao acesso de adolescentes e jovens à assistência pré-natal e ao parto na região Nordeste do Brasil”

  • Orientador : KEILA REJANE OLIVEIRA GOMES
  • Data: 31/03/2014
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A assistência ao pré-natal e ao parto adequado constitui importante indicador de saúde relacionado à mãe e ao bebê, com potencial de reduzir as principais causas de mortalidade materna e neonatal. O acesso a esses serviços, por sua vez, tem como um de seus determinantes as características sociodemográficas dos indivíduos. OBJETIVO: Verificar fatores associados ao acesso de adolescentes e jovens à assistência pré-natal e ao parto na região Nordeste do Brasil. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS: Na presente pesquisa o termo acesso foi usado para designar o ato de ingressar nos serviços de assistência ao pré-natal e ao parto em tempo oportuno, para tanto, considerou-se que as puérperas adolescentes e jovens que não fizeram pré-natal, iniciaram o pré-natal no terceiro trimestre e/ou peregrinaram em busca de assistência ao parto, tiveram acesso inadequado aos serviços de saúde. Trata-se de estudo seccional realizado com 3.014 adolescentes e jovens admitidas nas maternidades, selecionadas por ocasião da realização de parto na região Nordeste do Brasil. O desenho da amostra foi probabilístico, em dois estágios: o primeiro correspondeu aos estabelecimentos de saúde; e o segundo, às puérperas e seus conceptos. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevista e consulta ao prontuário hospitalar, a partir de formulário eletrônico pré-testado. Os dados foram analisados com a utilização do software SPSS versão 17.0. Foram realizadas análises univariadas, por meio de estatística descritiva bivariada, adotando-se o teste qui-quadrado de Pearson, com nível de significância (p≤0,05) e multivariada, através de regressão logística binomial com nível de significância (p˂0,05). O critério de inclusão de variáveis no modelo logístico foi a associação com as características socioeconômicas e aspectos reprodutivos em nível de p˂0,20 na análise bivariada. RESULTADOS: A média de idade das participantes deste estudo foi de 20 anos. A maioria referiu ter laços conjugais (77,6%), ser da cor não branca (84,2%), saber ler e escrever (96,1%), possuir até o ensino fundamental (54,6%) e pertencer às classes econômicas D e E (50,7%). Menos de 1/5 das entrevistadas tinha trabalho remunerado (16,7%), e quase 91,0% não possuíam plano de saúde. Aproximadamente 58,0% das entrevistadas eram primigestas; entre aquelas que já haviam engravidado, 22,8% tiveram apenas um parto, e pelo menos um abortamento ocorreu para 12,0% das adolescentes e jovens. O acesso inadequado ao pré-natal e ao parto ocorreu para 3,2% e 33,3% das adolescentes e jovens, respectivamente. A análise bivariada situação conjugal, trabalho remunerado e plano de saúde mostraram associação significativa com o acesso inadequado à atenção pré-natal e ao parto. A análise multivariada, por sua vez, apontou que as puérperas adolescentes e jovens que mantinham laços conjugais e não possuíam plano de saúde eram mais propensas a apresentarem acesso inadequado a esses tipos de assistência. CONCLUSÃO: Os achados reforçam que o acesso inadequado à assistência pré-natal e ao parto esteve especialmente associado a vários fatores indicativos da persistência de desigualdade social, evidenciando a necessidade de envidar esforços no sentido de aumentar o acesso em tempo oportuno a esses serviços, especialmente entre aquelas com condições socioeconômicas desfavoráveis, a fim de contribuir para desfechos materno-infantis mais favoráveis.

  • ARIANE GOMES DOS SANTOS
  • Saúde suplementar e SUS: fatores associados ao pré-natal e parto de adolescentes e jovens no Nordeste brasileiro”

  • Orientador : KEILA REJANE OLIVEIRA GOMES
  • Data: 31/03/2014
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Assistência pública com qualidade deficiente e difícil acesso, configura-se como um problema de saúde pública. Dificuldades de acesso aos serviços públicos para o pré-natal e parto de adolescentes e jovens leva parcela desse público a recorrer à saúde suplementar, em busca de assistência rápida e com melhor atendimento. OBJETIVO: Analisar as diferenças de fatores ligados à assistência ao pré-natal e ao parto de adolescentes e jovens usuárias da saúde suplementar e do SUS, no Nordeste brasileiro. METODOLOGIA: Estudo transversal, de base hospitalar, com puérperas com idade de 10 a 24 anos internadas em estabelecimentos de saúde do Nordeste-Brasil, onde foram realizados 500 ou mais partos registrados em 2007. A amostra foi probabilística de 3.014 entrevistadas, com ponderação dos dados para estimar a população estudada (337.451 puérperas). A coleta de dados ocorreu de fevereiro de 2011 a outubro de 2012. Para entrevista utilizou-se formulário eletrônico. Na análise univariada realizou-se estatística descritiva, na bivariada o teste qui-quadrado de Pearson, com efeito medido por meio da Odds Ratio (OR) e com intervalo de confiança de 95,0%. Para tanto, utilizou-se o software SPSS, versão 17.0. RESULTADOS: Apenas 9,1% das entrevistadas possuíam plano privado de saúde. Destas, a maioria tinha direito a consulta médica (91,6%), internação hospitalar (81,8%), assistência ao parto (71,9%), exames complementares (87,6%) e metade teve assistência ao pré-natal e parto totalmente coberta pela saúde suplementar. Houve significância estatística na associação entre utilização de saúde suplementar e faixa etária de 20 a 24 anos (p<0,001); cor da pele branca (p <0,001); trabalho remunerado (p <0,001); saber ler e escrever (p =0,048); maior escolaridade (p <0,001); maior econômica (p <0,001); menor número de gestações anteriores (p <0,001); primiparidade (p =0,011); ausência de partos normais anteriores (p =0,002); desejo de esperar mais para engravidar (p =0,024); realização do pré-natal (p =0,023); início precoce do pré-natal (p =0,002); número de consultas realizadas igual ou superior a seis (p =0,001); realização das consultas no serviço privado ou misto (p <0,001); realização de três ou mais ultrassonografias (p <0,001); ter informações sobre: início de trabalho de parto (p =0,034); sinais de risco da gestação (p =0,019); técnicas facilitadoras do nascimento (p =0,008) e sobre a maternidade de referência para o parto (p =0,001). Também houve associação com realização do parto no serviço de saúde indicado (p =0,023); desejo pela cesariana no início da gestação (p =0,005); decisão pela cesariana no final da gravidez (p <0,001); e responsabilidade pela decisão sobre o tipo de parto não ser do médico (p =0,022). CONSIDERAÇÕES FINAIS: Evidenciaram-se grandes diferenças nos fatores relativos à assistência recebida, durante o pré-natal e parto, por adolescentes e jovens usuárias da saúde suplementar e do SUS, no Nordeste brasileiro, favoráveis às usuárias da saúde suplementar. Os gestores públicos devem investir em recursos humanos e materiais para o SUS e promover a qualificação multiprofissional das equipes de saúde, reduzindo as diferenças assistenciais existentes quando comparadas à saúde suplementar.

  • ELAINE MONTEIRO DA COSTA
  • Estratégias de enfrentamento dos determinantes e a produção do cuidado em famílias de Teresina-PI.

  • Orientador : JOSE IVO DOS SANTOS PEDROSA
  • Data: 27/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • A saúde e os modos de viver da população devem ser pautados no exercício do protagonismo, partindo da própria compreensão de necessidade de saúde, e definição das estratégias de enfrentamento. Os determinantes sociais de saúde constituem um conjunto de fatores que interagem e condicionam a saúde dos sujeitos, inseridos em um território que é próprio. Analisar as condições de vida a partir deste espaço é estratégia prioritária para avaliar toda a complexidade que o meio revela, sem fragmentar os eventos determinantes e os impactos sobre a saúde. Este estudo objetivou analisar as estratégias de cuidado adotadas pelas famílias em relação à saúde de seus membros, identificando as estratégias voltadas para a atenção à saúde de crianças, adultos e idosos, além de correlacionar com as características atinentes às famílias (aspectos sociais, demográficos e econômicos). Trata-se de estudo descritivo com abordagem qualitativa. Participaram cinquenta e seis sujeitos, representando suas famílias, pertencentes a um território adstrito da Estratégia Saúde da Família de Teresina-PI, localizado na Vila Irmã Dulce. A coleta de dados foi realizada, inicialmente, através de um questionário previamente elaborado e, na segunda etapa, realizaram-se dez entrevistas guiadas por três perguntas norteadoras. Também foram levantadas informações referentes às condições de moradia e saneamento das famílias, obtidas através da análise das Fichas A, instrumento utilizado pelas equipes de Saúde da Família para cadastro das famílias. A análise dos questionários e informações das Fichas A foi realizada por meio de software estatístico. As variáveis abertas foram recategorizadas e analisadas (univariada) através de tabelas de frequências e percentagem. Para a análise bivariada, utilizou-se o teste exato de Fisher, fornecendo as correlações significativas entre as variáveis do estudo. Os diálogos das entrevistas foram gravados em MP4 e, posteriormente, transcritos e organizados por similaridade de respostas. Para cada membro da família, criança, adulto ou idoso, existe um cuidado peculiar. O saber popular continua presente nas estratégias de cuidado, e a busca aos serviços de saúde é comum como segunda opção. A religiosidade também é marcante. Deus é fonte de cuidado e força para continuar lutando contra as adversidades da vida. As famílias, mesmo vivendo em um território marcado pela exclusão, desigualdade e preconceito, revelam sua força, união, autonomia e identidade, por meio de suas histórias de vida e modos de viver.

  • SOCORRO ADRIANA DE SOUSA MENESES BRANDÃO
  • EXCESSO DE PESO, OBESIDADE, CONSUMO ALIMENTAR E ATIVIDADE FÍSICA EM PRÉ-ESCOLARES DE TERESINA-PI

  • Orientador : REGILDA SARAIVA DOS REIS MOREIRA ARAUJO
  • Data: 27/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • Um processo de transição nutricional vem se caracterizando no Brasil, com uma redução marcante na prevalência da desnutrição e elevada prevalência da obesidade. Objetivo: avaliar o excesso de peso, obesidade, o consumo alimentar e a prática de atividade física em pré-escolares dos CMEIs de Teresina-PI. Métodos: estudo transversal descritivo, com 548 pré-escolares entre o período de outubro/2012 a junho de 2013, após autorização do Secretário Municipal de Educação. A amostra foi aleatória, sendo sorteados quatro CMEIs, um em cada região da cidade. A aferição antropométrica seguiu normas padronizadas. Dentre os CMEIs que participaram da pesquisa foi realizado um sorteio para a realização de um estudo piloto, com 10% da amostra para a elaboração de uma lista de alimentos para a avaliação da frequência de consumo no domicílio. Nos CMEIs o cardápio foi avaliado por meio da pesagem direta de alimentos consumidos durante uma semana. Para se determinar o resto alimentar individual, os alimentos deixados no prato por cada criança após a refeição, foram pesados. A quantidade ingerida foi considerada pela diferença entre a quantidade pesada e o resto deixado no prato. A prática de atividade física foi avaliada, por meio de um questionário elaborado para averiguação das atividades físicas sistemáticas realizadas dentro e fora do contexto escolar. Para análise estatística aplicou-se o teste do c2 e a correlação de Pearson, com nível de significância de 5%. Resultados e Discussões: segundo o IMC-para-Idade, mostrou que 85,2% estavam eutróficas 2,4% das crianças apresentaram magreza, enquanto 12,4% apresentaram risco/excesso de peso. Os alimentos mais consumidos no domicilio diariamente foram: arroz, feijão, leite e derivados e pães. Observou-se que houve um déficit energético nas faixas etárias estudadas, o consumo de proteínas e lipídios ultrapassou as recomendações em todos os CMEIs. Enquanto os carboidratos tiveram uma inadequação apresentando-se aquém das recomendações. Quanto a atividade física nos CMEIs os pré-escolares não realizavam nenhuma atividade física rotineira. Fora da escola, apenas 1,1% das crianças realizavam atividades físicas. Com relação ao tempo assistindo televisão, 52,6% das crianças ficavam até 30 minutos. Conclusões: são necessárias medidas educativas e preventivas para conter o avanço risco/excesso de peso nessa população.

2013
Descrição
  • FABIANE ARAUJO SAMPAIO
  • Parâmetros Bioquímicos Relativos ao Magnésio e sua Relação com o Metabolismo do Ferro e Marcador do Estresse Oxidativo em Pacientes Diabéticos Tipo 2.

  • Orientador : DILINA DO NASCIMENTO MARREIRO
  • Data: 02/08/2013
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Estudos têm demonstrado que o estresse oxidativo, presente em pacientes diabéticos tipo 2, pode ser decorrente de alterações no metabolismo de minerais, como por exemplo, o magnésio e o ferro. No entanto, dados sobre a compartimentalização de magnésio e a sobrecarga de ferro nesses pacientes são escassos e controversos. Assim, este estudo avaliou o estado nutricional relativo ao magnésio, bem como investigou sua relação com parâmetros bioquímicos do ferro e o malondialdeído em diabéticos tipo 2. MÉTODOS: Estudo caso-controle, envolvendo 88 indivíduos com idade entre 27 e 59 anos, de ambos os sexos, sendo distribuídos em diabéticos tipo 2 (n=40) e grupo controle (n=48). Foram realizadas análises do consumo de magnésio, concentrações plasmáticas, urinárias e eritrocitárias de magnésio, malondialdeído plasmático e parâmetros do controle glicêmico. A análise da ingestão de magnésio foi realizada por meio do registro alimentar de três dias, utilizando o software Nutwin versão 1.5. As concentrações de magnésio plasmático, urinário e eritrocitário foram determinadas segundo o método de espectrofotometria de absorção atômica de chama (λ=285,2). As concentrações de ferritina, ferro e capacidade de ligação ao ferro (CLTfe) foram analisadas pelo método de quimioluminescência, colorimétrico e Goodwin modificado, respectivamente. A determinação de malondialdeído plasmático foi realizada por meio da produção de substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico. RESULTADOS: Os valores médios do consumo de magnésio estavam inferiores às recomendações, com diferença estatística entre os grupos estudados (p<0,05). As concentrações médias de magnésio no plasma, eritrócito e urina foram respectivamente, 0,72 ± 0,09 nmol/L, 2,29 ± 0,29 nmol/L, 2,08 ± 1,18 nmol/d para os diabéticos e 0,76 ± 0,08 nmol/L, 2,25 ± 0,48 nmol/L, 2,00 ± 1,08 nmol/d para o grupo controle. Os valores médios de ferro sérico, ferritina e CLtfe demonstraram diferença estatística entre os grupos pesquisados (p<0,05). As concentrações plasmáticas de malondialdeído os diabéticos foram de 2,40 ± 0,97 nmol/L e para o grupo controle de 1,81 ± 0,67 nmol/L (p<0,05). Houve correlação negativa (p<0,05) entre o magnésio eritrocitário e o ferro (r=-0,317), a ferritina (r=-0,373) e a CLtfe (r=-0,336). Houve correlação positiva (p<0,05) entre o malondialdeído e a glicemia de jejum (r=0,310) e a hemoglobina glicada (r=0,263). CONCLUSÕES: A partir dos resultados, pode-se pressupor que alterações na compartimentalização do magnésio possibilita concentrações normais desse mineral no eritrócito, o que parece evitar o excesso de ferro sérico. Assim, o estresse oxidativo presente nos diabéticos tipo 2 estudados parece ser decorrente de fatores envolvidos na fisiopatologia do diabetes e não resultante da sobrecarga de ferro no organismo desses indivíduos.

  • INGRIDI DE SOUZA SENE
  • Associação da Diversidade de Fatores Clinicos de Paciêntes com Leishmanniose Visceral com a Quantidade de Parasitas e Citocinas Pró e Anti-Inflamatórias Circulantes

  • Orientador : CARLOS HENRIQUE NERY COSTA
  • Data: 19/07/2013
  • Mostrar Resumo
  • A leishmaniose visceral (LV) é uma doença letal que afeta 12 milhões de pessoas em 98 países. A fisiopatologia da doença grave é pouco compreendida e pouco se sabe sobre a influência da quantidade de parasitas e o perfil de resposta imune observado. Este estudo teve como objetivo verificar a associação da diversidade clínica da LV com a quantidade estimada de parasitas no sangue periférico e medula óssea e com os níveis de citocinas pró e anti-inflamatórias circulantes. Participaram deste estudo 241 pacientes com diagnóstico confirmado de LV. O diagnóstico clinico investigativo realizado por Um único profissional registrou as evidencias clinicas. Para obtenção do DNA de sangue periférico e medula óssea utilizou-se QIAmp DNA Blood Mini Kit, seguindo o protocolo sugerido pelo fabricante. A qPCR foi baseada em sondas TaqMan®. Para a quantificação exata das sequências alvo foram usados primers específicos baseados na sequência do gene do kDNA  e albumina (gene de referência). A amplificação e análises foram realizadas no StepOne™ Real-Time PCR (Applied Biosystems, USA). As citocinas IL-8, IL-1β, IL-6, IL-10, TNF- α, IL-12, TGF-β e IL-17 foram mensuradas no equipamento BDFacsArray™ (Becton Dickinson, USA), seguindo as instruções do kit sugerido pelo fabricante. Para análises estatísticas foram utilizados o teste Mann-Whitney e t-Student para comparação de medianas e médias e o teste Pearson para as correlações. Carga parasitária e parasitemia correlacionam entre si (r = 0.45; valor de p < 0.001). As associações estatisticamente significantes foram: a) com parasitemia: sexo, idade inferior a 18 anos, óbito, co-infecção HIV-1, febre > 39 oC, sangramento a admissão, sangramento gengival, epistaxe, hemorragia, diarreia e perda de peso; b) com carga parasitária: idade inferior a 18 anos, febre > 39 oC, sangramento gengival, epistaxe, edema, alteração em raio-x de pulmão e perda de peso; c)  com citocinas: IL-8: perda de peso, hemorragia, diarreia, petequias, edema e equimose; IL-1β: sepse, hemorragia, diarreia e oliguria; IL-6: óbito, sepse, hemorragia, diarreia, oliguria e petequias; IL-10: co-infecção com HIV-1; TNF-α: diarreia, oliguria e pulmão normal; IL-12: oliguria, pulmão normal, diarreia e esplenomegalia; TGF-β: febre > 39 oC. A citocina IL-17 foi detectada em 21 pacientes e não mostrou associação com quantidade de parasitas e sintomas clínicos. Não houve correlação entre a quantidade de parasitas e as citocinas séricas estudadas. As características clinicas associadas à LV grave e dados demográficos estão associados com a quantidade de parasitas circulantes e na medula óssea. Pacientes com a forma grave da infecção pela Leishmania também apresentaram concentração mais elevada de algumas citocinas, porém não houve correlação de citocinas com a quantidade de parasitas.

  • RUBENS DE SOUSA SANTANA
  • Dinâmica de células T reguladoras no contexto da tuberculose pulmonar

  • Orientador : ADALBERTO SOCORRO DA SILVA
  • Data: 17/07/2013
  • Mostrar Resumo
  • A tuberculose (TB) permanece como uma das doenças infecciosas mais importantes em termos de morbidade e mortalidade em todo o mundo. A resposta imune contra a tuberculose (TB) realiza um papel fundamental no resultado da infecção pelo Mycobacterium tuberculosis(MTB). Na maioria dos indivíduos, a infecção com MTB, o principal agente etiológico da tuberculose, provoca uma resposta imune específica que resolve a infecção. Em alguns pacientes, no entanto, a eliminação das bactérias não ocorre, e tal persistência parece estar associada a uma imunidade Th1 ineficiente. A identificação de subconjuntos de células T CD4+ reguladoras (Treg) com função imunossupressora, juntamente com a demonstração de que elas podem suprimir a resposta Th1 efetora contra patógenos infecciosos expandiu o nosso entendimento dos mecanismos de regulação das respostas de células T durante processos infecciosos (Mcguirk & Mills 2002). Há relatos na literatura de vários tipos de Treg, alguns dos quais são induzidos em resposta a desafio infeccioso e alguns que são naturalmente reguladores (Belkaid & Rouse 2005). Nesse trabalho Investigamos a cinética das células T reguladoras na imunopatogênese da tuberculose pulmonar. A estratégia experimental adotada no presente trabalho consistiu na comparação dos níveis de células T reguladoras presentes na circulação de indivíduos portadores de tuberculose pulmonar e de indivíduos saudáveis. O sangue periférico coletado foi utilizado para obtermos os Linfócitos T de interesse para o estudo utilizando o protocolo segundo a literatura, foram feitas etapas de separação com Ficoll-Hypaque e logo após sua purificação utilizando o método de separação magnética negativa. Então seguimos para a utilização dos marcadores anti-CD25 com FITC; anti-FoxP3 com PE; anti-PTK7 com PE e anti-CD4 com PerCP. A análise das células é feita com a contagem no citômetro de fluxo (BD,FACSCanto II). A análise das células T por citometria revelou que, quando comparados com indivíduos saudáveis da mesma idade, pacientes com TB pulmonar no início da doença apresentam números aumentados da população de células T CD4+CD25highFOXP3+. Porém o número relativo dessas células vai diminuindo gradativamente ao longo do tratamento covencional atingindo valores semelhantes aos dos controles ao término da terapia. Estas células não têm o marcador de emigração tímica recente PTK7 na sua membrana celular, o que sugere que elas são expandidas na periferia. Quando comparados aos controles, pacientes a presentaram diferenças significativas quanto aos níveis das citocinas reguladoras (IL-4 e IL-10) e das citocinas inflamatórias (IL-6 e IL-17). No entanto, não mostraram diferenças quanto aos níveis das citocinas inflamatórias IL-2 e IFN-γ. Tomados juntos nossos resultados sugerem que os números aumentados de Treg nas fases iniciais da TB e  alteração na produção de citocinas inflamatórias e anti-inflamatórias podem contribuir para a evasão do patógeno da vigilância imune do hospedeiro. Os mecanismos que levam a tais modificaçãoes no compartimento imunológico ainda permanecem elusivos mas os resultados aqui apresentados abrem oportunidade para futuras investigações sobre a participação ativa do  Mycobacterium tuberculosis nesse processo.

  • LAURO RODOLPHO SOARES LOPES
  • “Avaliação dos Efeitos do Tamoxifeno Intralesional em Quelóides”

  • Orientador : BENEDITO BORGES DA SILVA
  • Data: 03/07/2013
  • Mostrar Resumo
  • Objetivo: Avaliar os efeitos antiproliferativos do tamoxifeno intralesional em queloides, especificamente a ação no colágeno, no infiltrado inflamatório dérmico e na concentração de fibroblastos.  Pacientes e Métodos: Um ensaio clínico do tipo pré e pós tratamento, prospectivo foi realizado envolvendo 13 pacientes portadores de queloides de ambos os sexos. Após biópsia para confirmação do queloide, foi administrada infiltração intralesional de tamoxifeno semanalmente por oito semanas. A seguir foi realizada nova biópsia da lesão, que foi preparada em hematoxilina e eosina para estudo morfológico e morfométrico com auxílio de microscópico óptico Nikon Eclipse E 400. Foi avaliado o número de fibroblastos presentes em cinco campos aleatórios de cada lâmina, além do grau de infiltração inflamatória e degeneração das fibras colágenas. Foi utilizado o teste t de Student para análise do número médio de fibroblastos antes e depois do tratamento intralesional com tamoxifeno. O nível de significância foi estabelecido em P<0,05 (ou 5%). O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética da Universidade Federal do Piauí (UFPI). Resultados: O número médio de fibroblastos nos queloides pós-tratamento intralesional com tamoxifeno foi significantemente menor que o número médio de fibroblastos antes do tratamento (p<0,0001). O grau de degeneração do colágeno e o grau de infiltrado inflamatório estavam ausentes antes do tratamento e presentes em 100 por cento dos casos após o tratamento. Conclusão: O tamoxifeno administrado intralesionalmente reduziu significantemente o número de fibroblastos produtores de colágeno e promoveu um estímulo inflamatório e uma degeneração do colágeno nas lesões.

  • ISABEL CLARISSE ALBUQUERQUE GONZAGA
  • “Atenção Pré- Natal, Prematuridade e Baixo Peso ao Nascer em Maternidade de Referência.’’

  • Orientador : VIRIATO CAMPELO
  • Data: 24/06/2013
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo analisou a atenção pré-natal na rede do Sistema Único de Saúde (SUS) e fatores de risco associados à prematuridade e/ou baixo peso ao nascer em puérperas atendidas em maternidade de referência no município de Teresina. Trata-se de um estudo caso-controle com 208 puérperas, realizado no período de outubro de 2012 a abril de 2013. Foram definidos como caso, as puérperas com recém-nascidos prematuros e/ou baixo peso ao nascer e como

    controle, as puérperas com recém-nascidos a termo e de peso adequado. As

    variáveis de interesse foram colhidas a partir do cartão da gestante, prontuários

    médicos e por entrevista com as puérperas. Foi construído um modelo de adequação do pré-natal composto por quatro indicadores que avaliou o início do pré-natal e número de consultas, a realização dos procedimentos clínicos obstétricos, a realização da rotina de exames laboratoriais básicos e da vacinação antitetânica. Utilizou-se estatística descritiva para análise univariada; testes de Wald, de tendência linear, teste t de Student e o teste do qui-quadrado de Pearson para a análise bivariada e regressão logística múltipla para análise multivariada. No Indicador I, observou-se adequação para 57,7%dos casos e 66,3% dos controles, no Indicador II encontrou-se adequação para 56,7% dos casos e 66,3% dos controles. Quanto ao Indicador III, observou-se adequação para 24,0% dos casos e 40,4% dos controles, no Indicador Geral a atenção pré-natal foi adequada para 20,2% dos casos e 35,6% dos controles. A análise multivariada mostrou que a inadequação do Indicador III (p= 0,039), baixa escolaridade (p= 0,042), não realizar atividade remunerada (p= 0,019), parto cesáreo (p= 0,008), oligodrâmnio (p<0,001), descolamento prematuro da placenta (p= 0,021) e pré-eclâmpsia (p= 0,001) são fatores independentes associados com a prematuridade e/ou baixo peso ao nascer. Os resultados desse estudo evidenciam a necessidade de reorganização da rede de atenção às gestantes no município estudado.

  • LIDIANE DE MORAIS EVANGELISTA
  • SAÚDE BUCAL DE PACIENTES HEMOFÍLICOS

  • Orientador : LUCIA DE FATIMA ALMEIDA DE DEUS MOURA
  • Data: 08/04/2013
  • Mostrar Resumo
  • Objetivo: Avaliar a saúde bucal de indivíduos portadores de hemofilia freqüentadores de um Hemocentro.

    Metodologia: Estudo observacional transversal cuja amostra foi composta de 76 pacientes: 40 crianças e adolescentes hemofílicos, na faixa etária de 1 a 18 anos, e 36 adultos na faixa etária de 19 a 47 anos de idade.  A coleta de dados ocorreu por meio da aplicação de formulário e exame clínico da cavidade bucal. A saúde bucal foi determinada mediante aplicação dos índices epidemiológicos  ceo-d, CPO-D, índice de sangramento gengival e IPC.

    Resultados: Na avaliação de experiência de cárie em crianças e adolescentes o valor médio do índice ceo-d foi de 4,77 e CPO-D, 2,0. O componente cariado foi prevalente nos dois índices avaliados. A média do índice de sangramento gengival foi 1,74. Nos adultos o índice CPO-D foi 8,65, com prevalência do componente obturado.  Quanto à condição periodontal ocorreu prevalência de sextantes sadios.  

    Conclusão: A maioria dos portadores de hemofilia apresentou saúde bucal insatisfatória com necessidade de tratamento restaurador e boas condições de saúde periodontal.

     

  • MARAYZA GOMES CARVALHO
  • Representatividade e Contribuição Genética dos Doadores Voluntários de Medula Óssea do Piauí para o Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea do Brasil (REDOME)

  • Orientador : SEMIRAMIS JAMIL HADAD DO MONTE
  • Data: 27/03/2013
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O sistema HLA é altamente informativo em estudos de genética de populações, devido ao seu elevado polimorfismo e ao forte desequilíbrio de ligação entre alelos de locos próximos. OBJETIVOS: Estudar o polimorfismo alélico e haplotípico dos principais genes clássicos HLA, em Doadores Voluntários de Medula Óssea (DVMO) do Piauí, cadastrados no REDOME. METODOLOGIA: A amostra foi constituída de 21.943 tipificações HLAs de DVMOs do Piauí, no período de 2006 a 2011, e tipificados no Laboratório de Imunogenética e Biologia Molecular da Universidade Federal do Piauí (LIB – UFPI). O banco de dados de Doadores Voluntários de Medula Óssea foi utilizado como fonte para a obtenção dos seguintes dados demográficos: data de nascimento, gênero, etnia, procedência e tipificação HLA de classe I e II. As genotipagens HLA de classe I (-A e -B) e de classe II (-DRB1) foram feitas por PCR–SSO, e utilizadas como input para o programa Arlequim que retornava como output as frequências alélicas e haplotípicas. Tais frequências foram então utilizadas para teste do equilíbrio de Hardy-Weinberg (HW), para o teste de neutralidade Ewens-Waterson e para o cálculo do desequilíbrio de ligação entre os loci HLA. A análise multivariada desses dados foi realizada por meio dos métodos de Análise de Componente Principal (PCA) e análise de agrupamento hierárquico (HCA) com o auxílio do programa SPSS. RESULTADOS: No banco de DVMOs do Piauí houve o predomínio de jovens e de mulheres. O grupo alélico mais frequente era HLA-A*02, seguido de -DRB1 * 13, -DRB1*04, -DRB1*07, -B*15, -B*35, -B*44, -A*24 e -A*03. Os três haplótipos mais comuns foram A*29 B*44 DRB1*07 (1,45%), A*01 B*08 DRB1*03 (1,4%) e A*03 B*07 DRB1*15 (0,92%), e todos eles estavam em desequilíbrio de ligação. A PCA mostrou que os DVMOs em 98% (49/52) dos municípios são geneticamente próximos do DVMOs da capital Teresina, e revelou também uma maior proximidade com a etnia hispânica, intermediária com caucasianos e africanos, e uma relação distante com ameríndios. A proximidade hierárquica das populações portuguesas e latino-americanas com o Piauí evidencia a forte influência da primeira sobre a segunda. CONCLUSÃO: O Banco de DVMO do Piauí é composto predominantemente por indivíduos jovens, sendo que a população desse estado é composta por um pool de genes de origem caucasoide, hispânica e africana, com pouca ou nenhuma influência ameríndia.

  • DANIELE RODRIGUES CARVALHO CALDAS
  • “BIOMARCADORES DO ESTADO NUTRICIONAL DO FERRO E SUA RELAÇÃO COM AS CONCENTRAÇÕES DO MALONDIALDEÍDO E DA CERULOPLASMINA NA PRÉ-ECLÂMPSIA.”

  • Orientador : NADIR DO NASCIMENTO NOGUEIRA
  • Data: 25/03/2013
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: O diagnóstico da pré-eclâmpsia é, em geral tardio e a doença é responsável, na gravidez, pelos mais graves resultados obstétricos e perinatais em gestantes com síndromes hipertensivas. Acredita-se que o estresse oxidativo e a peroxidação lipídica estejam envolvidos em seus mecanismos fisiopatológicos, e que biomarcadores desses processos possam ser utilizados como preditores para o risco da doença.  Objetivou-se com este estudo avaliar o perfil bioquímico do ferro e sua relação com as concentrações do malondialdeído e da ceruloplasmina na pré-eclâmpsia. MÉTODOS: Estudo caso-controle conduzido com 102 gestantes adultas, das quais51 com pré-eclâmpsia (GPE) e 51 com gravidez normal (GC), assistidas na Maternidade Dona Evangelina Rosa em Teresina-PI. Foram determinados ferro sérico, Capacidade Total de Ligação do Ferro (CTLF), ferritina sérica, hemoglobina (Hb), percentual de Saturação de transferrina (Tf) e ceruloplasmina sérica utilizando-se kit’s comerciais. A concentração do malondialdeído foi determinada pelo método das substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico. RESULTADOS: Os valores de ferritina (PE = 106,03 ± 203,30 ng/dL; GC = 25,48 ± 46,11 ng/dL) e CTLF (PE = 429,01 ± 148,60; GC = 535,09 ± 145,35)  apresentaram diferença significativa entre os grupos (p<0,05) e para os outros parâmetros bioquímicos do ferro não houve diferença significativa entre as gestantes com pré-eclâmpsia e grávidas normais.As concentrações do malondialdeído e ceruloplasmina não diferiram entre os grupos (p>0,05)CONCLUSÕES: As gestantes com pré-eclâmpsia apresentaram aumento na concentração de ferritina e diminuição da CTLF comparadas àquelas com gravidez normal.O malondialdeído e a ceruloplasmina parecem ser marcadores inespecíficos para a pré-eclâmpsia, uma vez que o estado oxidativo é uma condição inerente à gravidez.

  • BRUNO GUEDES ALCOFORADO AGUIAR
  • “IDENTIFICAÇÃO DE POLIMORFISMOS NO GENE NAGT DE Leishmania infantum ASSOCIADOS À VIRULÊNCIA E PATOGENICIDADE EM HUMANOS’’

  • Orientador : CARLOS HENRIQUE NERY COSTA
  • Data: 21/03/2013
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Resumo da defesa: A maioria dos pacientes com leishmaniose visceral apresenta quadro clínico habitual e são tratados com sucesso. No entanto, alguns desenvolvem complicações, tais como hemorragias e infecções bacterianas. Alguns fatores, a exemplo da variabilidade genética do parasita, podem ser determinantes para o fenótipo apresentado pelo hospedeiro. Este estudo buscou a associação de variações genéticas no genoma do protozoário com as manifestações clínicas. Para verificar o genótipo do parasita em pacientes com calazar, o gene N-acetilglucosamina-1-fosfato transferase (NAGT) de Leishmania infantum de 68 pacientes foi sequenciado. Os pacientes pertencentes a duas manifestações clínicas distintas foram agrupados em: 35 indivíduos com calazar clássico sem complicações e 33 com complicações, como infecções bacterianas, sangramento e morte. A sequência do gene foi amplificada utilizando iniciadores (L0 e L5) desenhados e otimizados para regiões exteriores ao NAGT gerando um fragmento de aproximadamente 1706 pb. Após a amplificação por PCR, os fragmentos foram sequenciados (em duplicata), com o auxílio de dois primers internos (L2B e L3B), de modo que a ocorrência de sobreposição de leitura fosse possível. A montagem dos reads para formar contigs de cada amostra foi realizada por shell scripts usando CAP3, seguida de análise para a identificação de polimorfismos através da ferramenta de bioinformática. Com a estratégia de ação utilizada, o sequenciamento do NAGT foi bem desenvolvido e a montagem dos contigs com a obtenção de sequências maiores que o gene (1401 pb), com ≈ 1630 pb, foi facilmente possível. A análise da presença de polimorfismos genéticos, mostrou a ausência de qualquer SNP (Polimorfismo de um único nucleótido) ou gap. Todos os 68 contigs analisados, a partir dos 544 reads, apresentaram 100% de homologia uns com os outros e com a sequência de referência, independentemente da forma clínica apresentada. Altamente conservado entre os diferentes isolados da mesma espécie, pode ser utilizado em inferências filogenéticas, ou, eventualmente, para diagnóstico.

  • VALÉRIA RAQUEL ALCANTARA BARBOSA
  • A violência como pauta no ensino médico: um desafio à agenda da saúde no século 21.

  • Orientador : JOSE IVO DOS SANTOS PEDROSA
  • Data: 20/03/2013
  • Mostrar Resumo
  • A violência, grave violação dos direitos humanos e uma das principais causas de morbimortalidade exige abordagens que não integram as referências orientadoras das ações do setor saúde para que os médicos se tornem figuras estratégicas em seu enfrentamento. Analisou-se a abordagem do tema “violência” no Curso de Medicina da Universidade Federal do Piauí (UFPI), em que se identificaram espaços para discussão da temática; descreveram-se estratégias didático-pedagógicas utilizadas para o enfoque do assunto; e se identificou convergências e divergências entre práticas teóricas e didáticas e práticas assistenciais para abordar o tema. O estudo foi de natureza qualitativa, descritivo-exploratório, através de pesquisa documental (momento descritivo) e entrevista semi-estruturada (momento exploratório). Na etapa descritiva apreciou-se, Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) do Curso de Medicina, Código de Ética Médica, Projeto Pedagógico do Curso de Medicina da UFPI, Plano de Desenvolvimento Institucional da UFPI (2010-2014), programas das disciplinas e currículos lattes dos professores. Na etapa exploratória entrevistou-se 5 professores de disciplinas em que o tema violência foi evidenciado na pesquisa documental, e 5 alunos que cursavam o Internato. A amostra foi não probabilística e intencional. Utilizou-se como critério no examine dos documentos a identificação do termo violência ou de alguma das expressões-chave: maus-tratos, causas externas, cidadania, direitos humanos, psicologia, psiquiatria, medicina legal, notificação; sendo as informações relevantes evidenciadas sistematizadas em quadros. Adotou-se o enfoque da hermenêutica-dialética na etapa exploratória. As DCN do Curso de Medicina foram eleitas como documento base através do qual se comprovou os paradigmas norteadores dos documentos e das experiências dos entrevistados. Os documentos normativos sugerem que a formação deve ser integral, generalista, humanista, crítica e reflexiva; aliar o ensino à pesquisa; ser guiada para desenvolver profissionais preparados para compreender a saúde como direito, valorizar os direitos humanos e cidadania, agir com ética e responsabilidade social, trabalhar em equipe. Os programas de disciplinas e currículos apontaram atributos do ensino sobre orientação teórica, estratégias de ensino-aprendizagem e trajetória profissional dos professores. As entrevistas demonstraram, impressões dos sujeitos quanto ao contato com a violência, como se dá enfoque ao tema “violência”, quais estratégias pedagógicas e cenários de aprendizagem utilizados para abordar o assunto; e evidenciaram que a formação deve orientar-se para desenvolver a sensibilidade do profissional e prepará-lo para o trabalho em equipe. Constatou-se prevalência do paradigma biomédico como norteador dos documentos e da trajetória dos docentes; o que se refletiu no ensino, mormente, pautado pelo modelo conteudista, que prioriza habilidades para detectar e intervir sobre sintomas e sequelas visíveis do problema; onde a sala de aula é o cenário de aprendizagem privilegiado. Os alunos mostraram-se, na maioria, adeptos ao paradigma biomédico, o que denota assimilação/reprodução da cultura dos docentes. Entretanto, identificou-se professores que envidam estratégias apoiadas pelo paradigma biopsicossocial, o que sinaliza potencialidades para impulsionar transformações atinentes à formação integral, efetivamente generalista, humanística, crítica e sensível às singularidades/necessidades dos usuários. Portanto, o debate sobre violência no ensino médico deve valorizar a aprendizagem em serviço-comunidade, a interdisciplinaridade, transdisciplinaridade e intersetorialidade.

  • SIMONE DA SILVA FREITAS
  • ESTUDO COMPARATIVO DOS TRATAMENTOS DE LESÕES CERVICAIS NÃO CARIOSAS COM SENSIBILIDADE DOLOROSA

  • Orientador : RAIMUNDO ROSENDO PRADO JUNIOR
  • Data: 27/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste estudo foi comparar in vivo o efeito da terapia com substância dessensibilizante, associada a uma técnica restauradora, para o tratamento de lesão cervical não cariosa em uma amostra de pacientes. Cada um dos 17 voluntários possuíam quatro dentes (N=68) com hiperestesia a estímulo evaporativo de grau moderado a severo. Os dentes foram selecionados aleatoriamente para compor os seguintes grupos, segundo o tratamento: Grupo 1 (G1) – uso de gel de substância ativa de nitrato de potássio a 5% e fluoreto de sódio a 2% aplicado uma vez por semana até a remissão da dor; Grupo 2 (G2) – uso de gel de substância ativa de nitrato de potássio a 5% e fluoreto de sódio a 2% e restauração imediata com resina composta (Filtek Z250, 3M Espe); Grupo 3 (G3) – uso de gel de substância ativa de nitrato de potássio a 5% e fluoreto de sódio a 2% aplicado uma vez por semana até remissão da dor e restauração com resina composta (Filtek Z250, 3M Espe); Grupo 4 (G4) – restauração com resina composta (Filtek Z250, 3M Espe). Cada paciente foi submetido aos quatro tipos de tratamentos e avaliados imediatamente, após 7, 30, 90 e 180 dias. Na análise de normalidade dos dados utilizou-se o teste Kolmogorov-Smimov Z. Os testes Kruskal-Wallis, Wilcoxon e Mann-Whitney foram utilizado nas comparações dos grupos.  No exame inicial 50% dos 68 dentes tinham hiperestesia grau moderado e 50% grau severo. As médias dos escores de sensibilidade aos sete dias foi significativamente inferior à do período inicial (p<0,001), porém as dos períodos subsequentes não se alteraram quando comparadas com a do período prévio. As médias dos escores de sensibilidade aos 7 dias segundo o tratamento foram: G1-1,47; G2-1,35; G3-0,71 e G4 -1,12. As médias da variação dos escores de sensibilidade  no período de 7 dias em relação ao período inicial foram: G1-0,94; G2-1,05; G3-1,76 e G4-1,58. Concluiu-se que dentes com sensibilidade dolorosa moderada ou severa que tem indicação de restauração com resina composta respondem melhor quando a HDC é tratada antes do procedimento restaurador.

  • THATIANA ARAUJO MARANHAO
  • FATORES QUE INFLUENCIAM AS RELAÇÕES FAMILIARES E SOCIAIS DE JOVENS APÓS A GESTAÇÃO

  • Orientador : KEILA REJANE OLIVEIRA GOMES
  • Data: 25/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: As reações da família diante da gravidez de uma jovem tendem a ser contraditórias, com a sobreposição de sentimentos de desespero, alegria e aceitação desta nova situação. Quando a gravidez ocorre de forma inesperada, os mecanismos de apoio são geralmente procurados no companheiro, entre os membros da família, especialmente os pais, e nos contatos sociais. Assim, para que haja o provimento satisfatório desse apoio torna-se imprescindível o estabelecimento de relações positivas entre a jovem e as pessoas a sua volta. OBJETIVO: Analisar os fatores que interferem nos relacionamentos sociais e familiares de jovens dois anos após a finalização de uma gravidez. METODOLOGIA: Estudo transversal realizado com 464 jovens de 17 a 22 anos residentes na zona urbana de Teresina-PI que finalizaram uma gravidez no primeiro quadrimestre de 2006 em seis maternidades do município. A coleta de dados se deu entre maio e dezembro de 2008 por meio da identificação das jovens nos registros das maternidades. A entrevista foi realizada por meio da aplicação de formulário pré-codificado e pré-testado. A análise univariada se deu por meio de estatística descritiva e a análise bivariada através do teste qui-quadrado de Pearson. A análise multivariada foi feita por meio de Regressão Logística Multinomial que apontou os fatores que influenciam os relacionamentos das jovens. Para tanto, utilizou-se o software SPSS versão 18.0 para Windows.  RESULTADOS: A maioria das jovens relatou mudanças positivas no relacionamento conjugal (39,9%) e ausência de mudanças nas relações com o pai (62,1%), mãe (51,8%) e com os amigos (48,7%) dois anos após a resolução da gravidez. Dentre as jovens que perceberam modificações no relacionamento com o companheiro, 34,3% referiu mudanças positivas, pois o parceiro se tornou mais atencioso e carinhoso. As mudanças no relacionamento com o pai e a mãe também foram favoráveis na percepção de 64,1% e 78,1% das jovens que perceberam alguma mudança, respectivamente, devido à maior proximidade e apoio dos genitores. Todavia, para 63,4% das jovens que referiram modificações nas relações sociais, as mudanças foram negativas devido ao afastamento dos amigos. As jovens que mantém laços conjugais são 80% menos propensas a ter relacionamento negativo com o cônjuge. As participantes na faixa-etária de 20 a 22 anos são 2,4 mais propensas de ter relacionamento positivo com a mãe delas quando comparadas às adolescentes na faixa-etária de 17 a 19 anos. As jovens que não estudam são 1,97 mais propensas de ter relacionamento negativo com os amigos e as entrevistadas que referiram ser católicas apresentaram 50% menos propensão de ter as relações de amizade conturbadas. CONCLUSÃO: Foram identificados fatores sociodemográficos que interferem positivamente e negativamente nos relacionamentos das jovens mães com o seu companheiro, pai, mãe e amigos. Entretanto, embora estas variáveis exerçam influência, faz-se necessário medidas de cunho educacional que orientem os indivíduos que convivem com a jovem mãe sobre a importância do apoio social e suporte emocional neste momento da vida, bem como o desenvolvimento de políticas públicas de saúde reprodutiva que favoreçam o aumento do vínculo.

  • LAÍS NORBERTA BEZERRA DE MOURA
  • Planejamento familiar: uso dos serviços de saúde por jovens com experiência de gravidez

  • Orientador : KEILA REJANE OLIVEIRA GOMES
  • Data: 25/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: O planejamento familiar tem papel decisivo na abordagem e intervenção da gravidez na adolescência como problema social e de saúde pública. OBJETIVO: Analisar o uso e a satisfação de jovens com experiência de gravidez com a assistência ao planejamento familiar. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS: Estudo transversal realizado com 464 jovens que finalizaram uma gravidez no primeiro quadrimestre de 2006, quando tinham entre 15 e 19 anos, em seis maternidades de Teresina. A amostragem foi do tipo acidental. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevista, a partir de formulário pré-codificado e pré-testado. Foi utilizada estatística descritiva para análise univariada, teste qui-quadrado de Pearson para análise bivariada, e regressão logística binomial e multinomial para análise multivariada. RESULTADOS: Cerca de 58% das jovens referiram serem usuárias do serviço de planejamento familiar, e quase 65% destas, afirmaram estarem satisfeitas com a assistência recebida. Na análise bivariada escolaridade,  renda familiar, número de gestações e de filhos vivos, uso de contraceptivo nas últimas relações sexuais, fonte de informação sobre sexualidade, e motivo para buscar serviço especializado para adolescentes mostraram associação significativa (p<0,05) com o uso do serviço de planejamento familiar. A análise multivariada apontou que as jovens de menor renda, maior número de gestações, que tinham como fonte de informação os profissionais de saúde, família e parceiro, e que usaram método contraceptivo nas últimas relações sexuais eram mais propensas a serem usuárias dos serviços de planejamento familiar. Quanto à satisfação, constatou-se associação significativa com escolaridade, e busca por serviço especializado, na análise bivariada. A análise multivariada revelou que as jovens de menor escolaridade tinham cerca de quatro vezes mais chances de relatarem insatisfação com o serviço de planejamento familiar e que as jovens que relataram que buscariam serviço especializado, tinham 50% menos chance de estarem satisfeitas com o serviço. CONCLUSÃO: Nota-se a necessidade de investimentos em serviço especializado para jovens, o qual deve possuir características próprias que facilitam o acesso precoce, bem como, atendam aos anseios das jovens que mesmo tendo vivenciado uma gravidez na adolescência, não utilizam os serviços de planejamento familiar disponíveis. Sendo importante também, o desenvolvimento de estratégias para aumentar a satisfação das jovens, principalmente aquelas de baixa escolaridade, mediante a conscientização das dificuldades advindas do precário nível de instrução.

  • ANTONIO VIEIRA DE JESUS
  • ANÁLISE DOS PACIENTES COM INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO ADMITIDOS EM SERVIÇO DE URGÊNCIA DE REFERÊNCIA EM TERESINA

  • Orientador : VIRIATO CAMPELO
  • Data: 22/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: As doenças cardiovasculares apresentam um papel preponderante dentre as causas de morbimortalidade, sendo o Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) a principal causa de morte em países desenvolvidos e em desenvolvimento. Esta patologia constitui uma das apresentações da síndrome coronariana aguda(SCA), que inclui além do  IAM com supradesnivelamento do segmento de ST(IAMCSST),sem supradesnivelamento do segmento ST(IAMSSST) e  a angina instável(AI).  No Brasil, a exemplo do mundo, o IAM possui alto impacto em termos de hospitalizações e mortalidade e uma sobrecarga  de recursos financeiros, seu crescimento acelerado em países em desenvolvimento representa uma das questões públicas mais relevantes apesar do avanço no diagnóstico e terapêutico. OBJETIVO:Este trabalho teve como objetivo analisar casos de infarto agudo do miocárdio quanto ao perfil epidemiológico, tratamento inicial e desfecho de tais indivíduos em Hospital de Urgência de Teresina. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo retrospectivo, descritivo com abordagem quantitativa e será desenvolvida através de revisão de prontuários dos pacientes internados em um do Hospital de Urgência de Teresina com diagnóstico de Infarto Agudo do miocárdio. O presente estudo será divido em duas etapas: primeiramente será realizado um levantamento dos prontuários dos pacientes que foram internados com diagnóstico de Infarto agudo do Miocárdio, através do sistema de informática do hospital e depois solicitado os prontuários no Serviço de Arquivo Médico e Estatística. Após levantamento dos prontuários será confirmado o diagnóstico de IAM pelos exames complementares: Quadro clínico descrito, ECG com alteração típica de IAM e a elevação dos marcadores cardíacos que é a troponina e CKMb.

  • ANA CAROLINA PINTO SOARES
  • A UNIVERSIDADE E A PROMOÇÃO DA CULTURA DE HUMANIZAÇÃO EM SAÚDE NA FORMAÇÃO MÉDICA

  • Orientador : JOSE IVO DOS SANTOS PEDROSA
  • Data: 20/02/2013
  • Mostrar Resumo
  •  

    Esta pesquisa tem como objeto de estudo a formação médica, sob a perspectiva humanística, do curso de Medicina da Universidade Federal do Piauí. Como método para a realização do estudo, optou-se pela análise documental dos aspectos formais que expressassem a presença de conteúdos humanísticos na formação médica da universidade. O levantamento do material efetivou-se por meio de determinações legais e documentos, currículos e ementas, impressos e eletrônicos, do curso de Medicina da UFPI, bem como de documentações referentes ao curso, disponibilizadas pela própria IES. Além disso, foram selecionados informantes- chaves entre os corpos docente e discente da instituição para a realização de entrevista semiestruturada, onde se buscou através da análise dos discursos, detectar nas falas dos sujeitos subsídios que possibilitassem contextualizá-las com a formação humanística. Os dados obtidos na realização desse estudo apontaram a predominância da formação flexneriano no Curso Médico da Universidade Federal do Piauí, onde, corroborando com a literatura consultada, pôde-se observar o predomínio de conteúdos técnico-científicos, em detrimento das diretrizes atuais que defendem a formação médica generalista, humanística e contextualizada com a realidade social. Ao longo do estudo, verificou-se cumplicidade às tradições, à especialização médica precoce e ao modelo hospitalocêntrico de saúde na formação dos futuros profissionais da área. No entanto, foi possível observar uma preocupação e tendência, tanto a nível institucional como dos sujeitos, à inserção de conteúdos humanísticos na pauta curricular, tendo em vista encontrarem-se em seu programa de ensino alguns pontos de contato com esta formação e em consonância com o proposto pelas Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos da área de saúde. A conclusão deste estudo apontou a necessidade de reflexão sobre a inclusão formal de conteúdos relacionados à formação humanística na graduação em Medicina da UFPI, bem como a necessidade de se desenvolver, no cotidiano das práticas de ensino-aprendizagem e nas relações ali estabelecidas, aspectos referentes à formação humanística do aluno como ética, moral e valores humanos, além do diálogo contínuo com conteúdos das Ciências Sociais e Humanas e as Políticas Públicas de Saúde, especialmente a Política Nacional de Humanização e o Sistema Único de Saúde.

     

2012
Descrição
  • JULIANA SANTOS OLIVEIRA
  • DEFICIÊNCIA INTELECTUAL E IMPACTO NA SAÚDE BUCAL: UM ESTUDO PAREADO

     

  • Orientador : REGINA FERRAZ MENDES VIANA
  • Data: 17/12/2012
  • Mostrar Resumo
  • Objetivos: Comparar o estado de saúde bucal, a necessidade de tratamento e o acesso aos serviços de saúde bucal de Deficientes Intelectuais (DI) e de seus respectivos irmãos em Teresina, Piauí, Brasil.

    Métodos: A pesquisa foi realizada com 103 DI matriculados em Centros de Referência no atendimento a pacientes especiais e 103 irmãos, representando o Grupo Controle. Inicialmente aplicou-se um formulário para coleta de dados sobre a situação sócio-econômica, hábitos de saúde bucal e acesso aos serviços de saúde. Em seguida foram realizados os exames clínicos. Os critérios para pareamento foram: mesma moradia, mesmos pais, convivência entre irmãos e faixa etária. Os resultados foram analisados usando teste T pareado, qui-quadrado e razão de chances com intervalo de confiança de 95%.

    Resultados: Após exame IHOS, foi constatado que higiene bucal dos DI é considerada “Média” [n=103 (63.1%) p<0.005] e na maioria das vezes eles são responsáveis pela sua própria higiene bucal [n=103 (67%)]. A maioria dos irmãos possui higiene bucal considerada “Boa” [n=103 (55.3%) p<0.005].  Um grande número de dentes cariados [n=103 (3.52); p<0.005] e dentes perdidos [n=103 (1,17), p<0.005] foi associado aos DI. Além disso, os deficientes intelectuais possuem 2.33 mais chances de ter um dente cariado e 2.15 mais probabilidade de ter um dente perdido que seu irmão sem deficiência. Restaurações dentais foram menos frequentes em DI [n=103 (1,68) p=0.012] que em seus irmãos [n=103 (2.58) p=0.012]. DI possuem grande necessidade de exodontia [n=103 (21,4%) p=0.002] quando comparado com seus irmãos [n=103 (6.8%) p=0.002]. Um considerável número de DI [n=103 (30,01%) p=0.037] nunca recebeu nenhum tipo de tratamento odontológico e possuem dificuldade de acesso aos serviços públicos de saúde odontológicos.

    Conclusão –   Deficientes Intelectuais possuem experiência de cárie e necessidade de tratamento maior que pessoas sem deficiência. O acesso dos deficientes intelectuais aos serviços de saúde odontológicos não foi considerado satisfatório. É necessário ressaltar a importância da inclusão da política de promoção de saúde bucal para deficientes intelectuais, e também facilitar o acesso ao tratamento odontológico.

  • FIDELIS MANES NETO
  • AVALIAÇÃO DA FREQUÊNCIA DE METILAÇÃO DEO GENE RUNX3 EM CÂNCER GÁSTRICO HUMANO.

  • Orientador : BENEDITO BORGES DA SILVA
  • Data: 30/11/2012
  • Mostrar Resumo
  • O CÂNCER GÁSTRICO É A SEGUNDA CAUSA DE MORTALIDADE POR CÂNCER NO MUNDO, ALTERAÇÕES GENÉTICAS E EPIGNÉTICAS ESTÃOENVOLVIDAS NAS ETAPAS DE PROGRESSÃO ATÉ O SURGIMENTO DAS CÉLULAS NEOPLÁSICAS. ATRAVÉS DE ESTUDOS EPIGENÉTICOS, OBSERVA- SE QUE A METILAÇÃO DO GENE RUNX3 É UM DOS PRINCIPAIS MECANISMOS RESPONSÁVEIS PELO PROCESSO DE CARCINOGÊNESE GÁSTRICA. OBJETIVO: AVALIAR O PERFIL DE METILAÇÃO DO GENE RUNX3 EM CÂNCER GÁSTRICO HUMANO. MÉTODOS: 72 PACIENTES (62 COM CÂNCER GÁSTRICO E 10 SEM CÂNCER GÁSTRICO) FORAM AVALIADOS QUANTO A PRESENÇA DE METILAÇÃO DO GENE RUNX3 ENTRE MARÇO DE 2011 E SETEMBRO DE 2012. UMA AMOSTRA DE TECIDO GÁSTRICA FOI OBTIDA DURANTE A REALIZAÇÃO DO ATO CIRÚRGICO DE CADA PACIENTE PARA ANALISAR O PERFIL DE METILAÇAO DO GENE RUNX3 ATRAVÉS DA TÉCNICA DE METILAÇÃO PCR - ESPECÍFICA. PARA ASSOCIAÇÃO DAS VARIAVÉIS UTILIZOU - SE O TESTE DE CORRELAÇÃO NÃO PARAMÉTRICO SPPEARMAN. ADOTOU-SE P- VALOR 0,05 PARA SIGNIFICÂNCIA. RESUSLTADOS: PACIENTES COM CÂNCER GÁSTRICO DO TIPO DIFUSO APRESENTAM 6,56 VEZES MAIS CHANCES DE APRESENTAREM O GENE RUNX3 E GÊNERO, IDADE E ESTADIAMENTO TNM. CONCLUSÃO: HOUVE ASSOCIAÇÃO ESTATISTICAMENTE SIGNIFICANTE ENTRE A METILAÇÃO DO GENE RUNX3 E O ADENOCARCINOMA GÁSTRICO DO TIPO DIFUSO.

  • MARCELO ADRIANO DA CUNHA E SILVA VIEIRA
  • POTENCIAIS EVOCADOS VISUAIS COMO PREDITORES DE HIPERTENSÃO INTRACRANIANA EM PACIENTES COM MENINGITE CRIPTOCÓCICA.

  • Orientador : CARLOS HENRIQUE NERY COSTA
  • Data: 05/10/2012
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO E OBJETIVOS: A hipertensão intracraniana (HIC) é a principal responsável pela mortalidade precoce e pelas sequelas auditivas, visuais e cognitivas de meningite criptocócica. A multiplicação deste basidiomiceto aliada ao desprendimento de compostos polissacarídeos e à produção de exsudato inflamatório reacional promovem limitação mecânica à reabsorção do líquor nas vilosidades aracnóideas. Manifestações clínicas e radiológicas na meningite criptocócica (MC) são fracos preditores de pressão intracraniana (PIC) elevada. Portanto, recomenda-se aferição deste parâmetro através de manometria por punção lombar repetidamente. Efeitos compressivos e isquêmicos induzidos pela HIC sobre as vias visuais podem provocar lentificação da condução neuronal passível de demonstração através do exame de potenciais evocados. O objetivo do presente estudo foi verificar a associação entre PIC e latência N2 do potencial evocado visual por flash (PEVF) em pacientes com MC. MÉTODOS: Trata-se de estudo observacional, analítico e transversal. Amostragem por conveniência incluiu 18 adultos com diagnóstico de MC internados no Instituto de Doenças Tropicais Natan Portella no período de maio / 2011 a fevereiro / 2012. As idades dos pacientes variaram entre 20 a 56 anos. A maior parte pertencia ao gênero masculino (16/18) e era soropositiva para o HIV (17/18). Utilizou-se técnica de estimulação por flashes de luz difusa para aferição da variável latência N2. A variável PIC foi inferida por raquimanometria. Calcularam-se as medidas de associação coeficiente de correlação linear de Pearson e razão de prevalências e procedeu-se análise de regressão linear. Através da curva ROC, foram calculados valores preditivos, sensibilidade, especificidade e acurácia do prolongamento das latências N2 para diagnóstico de HIC. O teste t de Student pareado examinou se houve redução das latências N2 após drenagem de líquor. Para análises inferenciais, fixou-se nível de significância de 5% e poder estatístico de 80%. RESULTADOS: À primeira punção lombar realizada no bojo da pesquisa, a latência N2 mostrou-se fortemente correlacionada à PIC (r = 0,83; IC = 0,60-0,94; p < 0,0001) e seu prolongamento carreou probabilidade 9,43 (p = 0,003) vezes maior de PIC indicativa de drenagem de líquor. A direção deste relacionamento foi mantida em punções subsequentes realizadas em cada paciente. Latência N2 > 87ms apresentou acurácia de 86% para diagnóstico de HIC (PIC > 20 cmH2O) e de 89% para indicar necessidade de punção lombar (PIC  25 cmH2O). Latência N2 > 115ms diagnosticou HIC grave (PIC > 40 mmHg) com 94% de precisão. Não houve diferenças significativas entre as latências N2 verificadas antes da punção lombar e 20 minutos depois do término do procedimento. CONCLUSÃO: A PIC aferida por raquimanometria mostrou associação positiva forte com a latência N2 do PEVF; o prolongamento deste parâmetro apresentou sensibilidade, especificidade, valores preditivos e acurácia expressivos para detecção e estimativa de gravidade de HIC e para indicar necessidade de drenagem liquórica na população estudada.

  • RODRIGO JOSÉ DE VASCONCELOS VALENÇA
  • Polimorfismos do gene CYP2D6 em mulheres com câncer de mama tratadas com tamoxifeno

  • Orientador : BENEDITO BORGES DA SILVA
  • Data: 14/09/2012
  • Mostrar Resumo
  • Referencial Teórico:  O câncer é uma doença com alta taxa de mortalidade e morbidade no mundo, no Brasil o câncer de mama é a neoplasia maligna mais frequente e a principal causa de óbitos por câncer em mulheres. O tamoxifeno é um modulador seletivo dos receptores de estrógeno, atualmente é considerado uma pró-droga, sendo metabolizado principalmente pela enzima CYP2D6, esta enzima é codificada pelo gene de mesmo nome (CYP2D6), contudo este gene é polimórfico e possui mais de 100 alelos variantes descritos na literatura, gerando fenótipos com enzima de atividade reduzida, nula ou exacerbada, com variação quanto ao desempenho  clínico em relação a taxa de recidiva, sobrevida livre de recidiva, sobrevida livre de doença e sobrevida global, demonstrando que a avaliação do status do CYP2D6 é de grande valia para a individualização do tratamento das pacientes com câncer de mama.

    Justificativa:  Até a data atual estudos sugerem associação entre a redução da atividade da CYP2D6 e a consequente redução dos níveis plasmáticos do seu metabólito ativo, o endoxifeno, entretanto estudos atuais são controversos em relação à associação dos polimorfismos do CYP2D6 e piores desfechos clínicos em usuárias de tamoxifeno. Acreditando que na população brasileira, onde existe uma descendência genética com varias etnias, como o caucasiano, o negro africano e o índio americano; e que a freqüência e o tipo de polimorfismos do gene CYP2D6 dependem diretamente destes fatores, nos propomos a avaliar a presença do alelo *4, mais comum em brancos, do alelo *10 mais comum em asiáticos e do alelo *17, mais comum em negros, aja visto que segundo o conhecimento dos autores este é o primeiro estudo que descreve a frequência desses três polimorfismos em uma população oncológica brasileira.

    Objetivo: Determinar a frequência dos polimorfismos *4, *10 e *17 do gene CYP2D6 em pacientes portadoras de câncer de mama usuárias de tamoxifeno atendidas no ambulatório de oncologia.

    Métodos: A população estudada foi constituída de 65 pacientes com câncer de mama em uso de tamoxifeno, sendo colhido amostra de sangue periférico e encaminhado para laboratório especializado onde foi realizado pesquisa dos polimorfismos descritos pela técnica de reação em cadeia de polimerase  alelo específica para análise dos haplótipos * 1,*4, *10 e *17 do gene CYP2D6, os mesmos foram determinados através dos estudos de diferentes SNP com seus respectivos iniciadores.

    Resultados: Os resultados mostraram frequência dos alelos CYP2D6*4, *10 e *17 em 16,9%, 36,9% e 3% das mulheres respectivamente, tendo o haplótipo *1/*10 sido o mais frequente entre os polimorfismos estudados (26,2%). Este foi o primeiro estudo a identificar a presença dos haplótipos *4/*17 e *10/*17 em uma população brasileira .O fenótipo de metabolização intermediária foi presente em 12,6% da amostra, as quais, segundo dados atuais parecem ter uma menor concentração do metabólito endotifeno.

    Considerações Finais: O conhecimento da frequência dos polimorfismos da CYP2D6 na população brasileira ainda não estar definido e estudos posteriores são de importância para melhor entendimento do metabolismo do tamoxifeno.

  • CARLA MARIA DE CASTRO DIAS E SILVA
  • “Validade da causa básica e evitabilidade dos óbitos neonatais da Rede Norte-Nordeste de saúde perinatal em teresina-PI”

  • Orientador : KEILA REJANE OLIVEIRA GOMES
  • Data: 07/08/2012
  • Mostrar Resumo
  • A mortalidade neonatal se mantém em níveis elevados no Brasil. A política de saúde brasileira deve prezar por informações de qualidade sobre mortalidade para se conseguir visibilidade e embasamento que subsidiem o planejamento das ações dos serviços de saúde para o enfrentamento da mortalidade neonatal. Dentro deste contexto, os sistemas de informação são uma importante ferramenta. A avaliação dessas informações deve considerar as circunstâncias clínicas que a propiciaram, além da correta codificação da causa básica de morte. Esse estudo objetivou analisar a validade da causa básica e a evitabilidade dos óbitos neonatais na Rede Norte-Nordeste de Assistência Perinatal (Renospe) em Teresina-PI. Metodologia: A amostra foi constituída de 53 casos de óbitos neonatais ocorridos em maternidade pública de Teresina-PI e contida no banco de dados da Renospe. No processo de validação, as causas básicas de óbito contidas na Renospe foram comparadas às causas encontradas após a análise dos prontuários e comparadas, também às declarações de óbitos correspondentes, sendo calculado indicador Kappa e sensibilidade. Na análise da redutibilidade foi utilizada a Lista Brasileira de Causas de Mortes Evitáveis. Resultados: Predominaram as causas maternas nos prontuários, na Renospe e nas DOs. Quando comparadas as causas de óbitos entre Renospe e prontuários, o kappa foi de 47,6% para causas maternas e 73,9% para malformações congênitas e a sensibilidade de 95% e 83,3%, respectivamente. O percentual de óbitos evitáveis na RENOSPE foi elevado, sendo reduzível por adequada atenção à mulher na gestação em 72% dos casos. Apenas as causas de óbitos classificadas como malformações congênitas foram válidas e a maioria dos óbitos que ocorrem neste período são preveníveis. Conclusão: O óbito neonatal ainda é um grande problema para saúde pública e a presente pesquisa aponta para necessidade do controle da gravidez enfocando possíveis falhas na qualidade do pré-natal.

  • POLYANA DA COSTA RIBEIRO
  • “Diagnostico comunitário no planejamento estratégico situacional das equipes saúde da família em Teresina: estudo de caso”

  • Orientador : JOSE IVO DOS SANTOS PEDROSA
  • Data: 20/04/2012
  • Mostrar Resumo
  • O diagnostico comunitário de saúde ´e fundamental para o processo de planejamento e implantação de equipes multiprofissionais, tendo como suporte técnico-gerencial, para a sua construção, os sistemas de informação em saúde, especificamente o Sistema de Informação da Atenção Básica. O objetivo geral desta pesquisa foi analisar similaridades e divergências do diagnostico comunitário no âmbito do Planejamento Estratégico Situacional das equipes saúde da família em Teresina. Tratou-se de um estudo de caso qualitativo que utilizou a técnica de grupo focal comtres equipes pertencentes a uma mesma base territorial local, envolvendo hospital, centro de saúde da zona urbana e rural. Discutiram-se três dimensões amnaliticas: 1) Processo de planejamento, 2)Diagnostico no planejamento das equipes de saúde e 3) Facilidade e limites. Evidenciou-se que o planejamento ´´e pontual, imediatista, individualizado, insatisfatório ``as necessidades da demanda sendo que as intervenções não implicaram necessariamente em ações sustentáveis. Nota-se na formulação da programação forte adesão entre os integrantes, típico de um 'trabalho em equipe'. Entretanto, na implemataçao, por não compartilharem o plano, faz com que ocorram dispersões e um 'trabalho em grupo', executado de forma parcelar, o que ratifica a subutilização do diagnostico comunitário. Dentre os profissionais, o enfermeiro demonstrou maior envolvimento com o processo de trabalho, sendo isso atribuído ao prefil, hegemonia da classe desde a implementação da estratégia alem das capacidades. Esses atributos fazem com que o enfermeiro assuma enconscientemente o protagonismo nas reuniões, que restringem-se a assuntos administrativos, normativos e intercorrencias advindas da comunidade, porem sem a participação social, incluindo nessa mediação os agentes comunitários de saúde. Apontaram-se como facilitadores, a motivação, a criatividade, o trabalho em equipe e a intersetorialidade. Referiram dificudades, tais como: tempo insuficiente, burocracias, sobrecarga de trabalho, ausência de tecnologias simplificadas que permitissem consolidadar os dados e informações, fragmentação do trabalho, conflitos intraequipe, capacitações instittucionais oferecidas de forma isolada e negligenciamento em relação ao treinamento introdutório, alem da inexpressividade dos conselhos locais de saúde. O Planejamento local qualificou-se como fragmentado, incompleto, desaticulado e incipiente, distante, portanto da proposta do Planejamento estratégico Situacional, o que pode ser reflexo da verticalidade dos programas e de distorções no processo de implementação das equipes. Urge dos gestores vigilância para com o alicerce organizacional da atenção básica, que ´´e o diagnostico, ale de implementar estratégias para a saúde do home, do adolescente, acamados e cuidadores e educação coletiva, eixos negligenciados.

  • RAQUEL GALVÃO FIGUEREDO
  • “Análise dos fatores associados à ocorrência de quedas entre idosos assistidos pela Estratégia Saúde da Família em Teresina-PI”

  • Orientador : CECILIA MARIA RESENDE GONCALVES DE CARVALHO
  • Data: 20/04/2012
  • Mostrar Resumo
  • INTRUDUÇAO: O envelhecimento populacional de amplitude global vem acompanhado de mudanças no perfil epidemiológico dos agravos ``a saúde. Doenças crônicos-degenerativas e riscos de incapacidades físicas destacam-se como condições freqüentes. Neste contexto, inserem-se os acidentes por quedas, reconhecidos como importante problema de saúde publica entre os idosos, considerando-se a frequencia, a mortalidade e o elevado custo social e econômico decorrente das lesões provocadas. O reconhecimento e discussão das condições associados ``a queda na população  longeva ´´e essencial para o enfrentamento do problema. OBJETIVO: este estudo teve como objetivo geral analisar os fatores sociodemograficos, nutricionais, funcionais e de saúde geral associados ``a ocorrência de quedas em idosos assitidos pela estratégia Saúde da Família (eSF) de Teresina-PI. METODOLOGIA: Traeta-se de uma pesquisa quantitativa, de delineamento transversal, realizada no período de fevereiro a junho de 2011. participaram 311 idosos a parti de 60 anos, de ambos os sexos, que residiam em áreas de abrangência da eSF do município. Realizou-se uma avaliação dos dados sociodemograficos, de saúde geral e nutricional por meio de entrevistas domiciliares e exames bioquímicos, alem de avaliação de desempenho físico de membros inferiores de todos os idosos, por meio da SPPB (Short Physical Performance Battery). A analise de associação entre variáveis nominais foi verificada pelo teste T de Student. A investigação dos fatores de risco para quedas foi possível com o calculo do odds ratio. Adotou-se nível de significância de 5% ou p<0,05. RESULTADOS: A prevalência de quedas na amostra estudada foi de 25,7% e, dentre os idosos que caíram,38,8% referiram duas ou mais quedas no ultimo ano. As variáveis sexo feminino; idade igual ou superior a 80 anos; autopercepçao nos pés, diabetes mellitus,  artrite/artrose, vestibulopatia, hipercolesterolemia e déficit isual importante; alem de incapacidade ou baixo desempenho físico de membros inferiores configuram-se como fatores de risco para o desfecho queda. Não foi observada associação estatística entre estados de vitamina D e cálcio em relação ``as quedas. CONCLUSAO: A prevalência de quedas foi relevante na população estudada. A analise dos fatores associados a quedas revela dados que se assemelham aos de outros estudos com idosos. Reforça-se a necessidade de maior atenção dos profissionais de saúde para condições que possam predispor as quedas, particularmente fatores modificáveis como o desempenho físico e o acompanhamento de saúde, alem de planejamento de ações de prevenção junto ``a comunidade, tendo em vista a manutenção da autonomia e melhoria da qualidade de vida dos idosos.

  • TAGORA DO LAGO SANTOS
  • “Avaliação da carga de enfermagem em unidade de terapia intensiva mediante aplicação do Nursing Activities Score”

  • Orientador : LIDYA TOLSTENKO NOGUEIRA
  • Data: 23/03/2012
  • Mostrar Resumo