Dissertações/Teses

2021
Descrição
  • JOSÉ DE SIQUEIRA BARBOSA NETO
  • ATRIBUTOS QUÍMICOS DOS SOLOS EM TERRAS ALTAS E BAIXAS NO VALE DO GURGUÉIA E MANEJO DA ADUBAÇÃO DO SORGO NO VALE DO CANINDÉ
  • Orientador : JULIO CESAR AZEVEDO NOBREGA
  • Data: 03/09/2021
  • Mostrar Resumo
  • O processo de modernização da agricultura no Piauí tem promovido mudanças essenciais no sistema de produção, alterando, principalmente, os atributos do solo. Nesse contexto, no presente trabalho, foram realizados dois estudos, visando melhorias na qualidade dos solos piauienses através do manejo da adubação. No primeiro estudo, avaliou-se o diagnóstico da fertilidade do solo em áreas sob cultivo de feijão-caupi em 67 propriedades, sendo 44 no Vale do Rio Gurguéia e 23 na Serra do Quilombo de 0-0,20 m e 0,20-0,40 m, totalizando 402 amostras de solos. Em cada amostra de solos foram avaliados atributos químicos relacionados as condições de fertilidade, bem como a variabilidade espacial dos mesmos nas duas profundidades do solo. Os solos do Baixão do Rio Gurguéia são naturalmente mais férteis que os da Serra do Quilombo. Nas duas áreas de estudo, os teores de sódio não demonstraram ser prejudicais ao cultivo de feijão-caupi. As áreas de Baixões aparentam mais uniformidade entre as variáveis estudadas, tendo três delas (fósforo disponível, saturação por bases e saturação por sódio) apresentado efeito pepita puro, ou seja, não apresentam dependência espacial. No segundo experimento avaliou-se à cultura do sorgo granífero irrigado sob o efeito de doses de NPK na presença ou ausência da adubação orgânica e de micronutrientes em Neossolo Quartzarênico do semiárido piauiense. Os tratamentos estudados foram resultantes da combinação de cinco doses de NPK 10-20-10 (T1= 0; T2= 5-10- 5; T3= 10-20-10; T4= 15-30-15; T5= 20-40- 20 kg ha - ¹), na presença e ausência da adubação orgânica com esterco bovino e de micronutriente. O delineamento experimental adotado foi o DBC, com esquema fatorial 5 x 2 x 2. Os parâmetros avaliados foram: altura da planta sem panícula, altura da planta com panícula, diâmetro do colmo e produtividade. A adubação com NPK, associada a aplicação de esterco bovino, promove aumento nos parâmetros biométricos e de produção do sorgo granífero. A adubação com micronutrientes, quando associado com NPK e esterco bovino, não proporcionou aumento nos parâmetros biométricos e de produção do sorgo granífero. Para maior produção de sorgo granífero recomenda-se a aplicação de 20- 40-20 kg ha -1 de NPK, associado a dose de 20.000 kg ha -1 de esterco bovino.
  • TATIANA DOS SANTOS ALMEIDA
  • APLICAÇÃO DA ESPECTROSCOPIA DE INFRAVERMELHO PRÓXIMO NO MAPEAMENTO DE ELEMENTOS TERRAS RARAS EM SOLOS DO PIAUÍ
  • Orientador : YURI JACQUES AGRA BEZERRA DA SILVA
  • Data: 18/02/2021
  • Mostrar Resumo
  • O estado do Piauí é um dos maiores produtores de commodities agrícolas da região Nordeste do Brasil. O crescimento da produção de grãos é estimulado pelo manejo de fertilizantes que contém elementos terras raras (ETRs) na sua composição. Diante dos riscos ambientais e para a saúde, as concentrações de ETRs em solos devem ser monitoradas. Técnicas tradicionais empregadas na determinação de ETRs são onerosas, demoradas e requerem intensa preparação das amostras. Diante disso, o objetivo deste estudo foi empregar a espectroscopia de reflectância de infravermelho próximo (NIR) na determinação do conteúdo de ETRs em solos e investigar a contribuição desse método para o mapeamento de ETRs no estado do Piauí. Foram coletadas 243 amostras compostas de solos em áreas sob nenhuma ou mínima influência antrópica. Os ETRs foram quantificados por espectroscopia atômica óptica por plasma indutivamente acoplado (ICP-OES). Os espectros foram obtidos na faixa do infravermelho próximo (NIR: 1000 a 2500 nm). O modelo regressão parcial de mínimos quadrados (PLSR) foi selecionado para calibrar os espectros e o conteúdo medido por ICP-OES. O filtro de variação normal padrão (SNV) foi aplicado no pré-tratamento dos espectros.  O desempenho do modelo foi avaliado por meio dos seguintes indicadores estatísticos: coeficiente de determinação ajustado (R2), raiz quadrada do erro médio quadrático (RMSE) e desvio residual da predição (RPD). O La, Pr e Nd foram preditos com sucesso. O modelo PLSR apresentou predição confiável para o Ce, Sm, Gd, ƩETRLs, ƩETRPs e para os ƩETRs. As concentrações estimadas por espectroscopia de reflectância difusa no NIR foram utilizadas na distribuição espacial. A espectroscopia no NIR possibilitou o mapeamento das concentrações de ETRs no estado do Piauí, tarefa importante para o monitoramento e gestão da qualidade dos solos.  Os resultados indicam que o NIR é uma ferramenta rápida para determinar ETRs no solo e possibilita o mapeamento das concentrações de ETRs em grandes territórios em menor tempo.

2020
Descrição
  • THATIANE GOMES ANDRADE
  • Técnicas de estatística espacial e sensoriamento remoto para estimativa da produtividade de grãos de soja
  • Data: 18/12/2020
  • Mostrar Resumo
  • O agronegócio da soja na região do Sudoeste do Piauí necessita de estudos e tecnologias que permitam a estimativa prévia da produtividade de grãos da cultura, com destaque para as técnicas de estatística espacial (análise multivariada) e sensoriamento remoto com a adoção de modelos de previsão de safra com base no índice NDVI oriundo de imagens de satélite. Assim, os objetivos deste estudo foram: 1) avaliar a correlação entre os atributos de solo (químicos e físicos) e de planta (IAF, biomassa seca da parte aérea e análise foliar) e a produtividade de grãos da soja, por meio de análise multivariada, para a identificação de zonas distintas de produtividade da cultura a nível de talhão comercial e 2) propor modelos de regressão linear múltipla para estimativa da produtividade de grãos de soja com base no índice NDVI em uma fazenda referência no cerrado da região Sudoeste do Piauí. Para tanto, realizou-se coletas de amostras de solo deformadas, em 12 pontos amostrais em um talhão comercial, nas profundidades de 0-0,2 e 0,2-0,4 m, no estádio R4 (aos 88 dias após a semeadura da cultura da soja), para análises de atributos físicos, químicos e matéria orgânica do solo. Quanto aos atributos da planta, realizou-se a determinação do índice de área foliar (IAF), biomassa seca da parte aérea (MS) e a produtividade de grãos (PG). Para análise dos dados foi aplicado a técnica de análise de componentes principais (CP) e agrupamento, utilizando a distância euclidiana e o método Unweighted Pair-Group Method using Arithmetic Avarages (UPGMA). Para proposição dos modelos de produtividade de grãos, foram utilizadas cinco imagens de satélite durante o ciclo de cultivo da soja, safra 2018-2019, sendo uma do Landsat 8 e quatro do Sentinel 2. Efetuou-se a análise de regressão linear múltipla com os valores de NDVI extraídos das imagens e os dados de produtividade de grãos obtidos dos mapas de colheita do talhão. Para seleção dos melhores modelos usou-se os índices estatísticos coeficiente de determinação (R2) e o erro padrão de estimativa (EPE). Para a validação dos modelos, utilizou-se como indicadores do grau de ajuste dos modelos os índices estatísticos raiz quadrada do erro quadrado médio (RMSE) e a raiz quadrada do erro quadrado médio normalizado (nRMSE). A análise de CP indicou que a PG da soja é determinada pelas interações entre os atributos de solo e planta avaliados, com destaque para o IAF, MS, o Ca e o Zn. A análise de agrupamento definiu três zonas distintas de produtividade de grãos da soja no talhão: baixa (3476,73 kg ha-1), média (3844,26 – 4168,39 kg ha-1) e alta (4332,95 – 4651,73 kg ha-1). O modelo de produtividade que utiliza os valores de NDVI obtidos nos estádios R2 a R5 é indicado como melhor modelo de regressão linear múltipla para estimativa da produtividade de grãos (R2=0,99; EPE=562,7 kg ha-1). A validação dos modelos indica que os menores valores de RMSE foram observados em áreas amostrais de 100 x 100 m (RMSE=620,9 kg ha-1), enquanto os menores valores de nRMSE ocorreram nas áreas amostrais maiores (250 x 250 m), variando de 12,3 a 13,4%. Os resultados indicam que as duas técnicas se mostraram promissoras para a estimativa da produtividade de grãos da soja.
  • ODÁLIA CAROLINNE MOTA DE SOUSA
  • Características físico-hídricas e matéria orgânica em Latossolos sob diferentes tempos de adoção de palhada
  • Data: 16/12/2020
  • Mostrar Resumo
  • Os solos da região dos Cerrados piauiense são favoráveis à agricultura; porém, o uso intensivo aliado com manejo inadequado, tem provocado degradação dos solos da região. Por isso, estudos voltados para utilização de sistemas alternativos de produção como sistema de plantio direto (SPD) tem se tornado essenciais. Assim, objetivou-se avaliar as alterações nas características físico-hídricas e matéria orgânica em Latossolos sob diferentes tempos de adoção de cultivo sob palhada em áreas de Cerrado do Sudoeste Piauiense. A pesquisa foi realizada em fazendas comerciais nos municípios de Baixa Grande do Ribeiro, Uruçuí e Bom Jesus. As áreas estudadas apresentavam tempos distintos de adoção de cultivo sob palhada: SPD2 – 2 anos, SPD3 – 3 anos, SPD6 – 6 anos, SPD10 – 10 anos, SPD12 – 12 anos, SPD15 – 15 anos e SPD18 – 18 anos e mata nativa, nas quais foram avaliados os atributos físico-hídricos (frações granulométricas, densidade do solo, porosidade total, macro, microporosidade, água disponível e capacidade de campo), matéria orgânica e a fração humina. Os dados foram submetidos à análise multivariada, univariada e correlação de Spearman. Os resultados mostraram que houve alterações nos atributos físico-hídricos e conteúdo de matéria orgânica, notadamente, nas camadas mais superficiais do solo (0,0-0,2m), apenas para as áreas com mais de 10 anos de cultivo sob palhada em comparação a mata nativa.

  • CIPRIANO ANTONIO DA LUZ NETO
  • CULTIVO FERTIRRIGADO DE MINI MELANCIA SUBMETIDA À NÍVEIS DE SALINIDADE E APLICAÇÃO FOLIAR DE SILÍCIO
  • Orientador : EVERALDO MOREIRA DA SILVA
  • Data: 31/07/2020
  • Mostrar Resumo
  • O acumulo de sais em cultivos fertirrigados tem apresentado efeitos deletérios ocasionados pelo acúmulo de sais em ambientes protegidos e, isso tem sido uma problemática constante para os produtores de frutíferas e olerícolas sob essas condições, no entanto, o uso de silício, tem sido utilizado como mitigador dos estresses bióticos e abióticos nas plantas. Com isso, objetivou-se avaliar o efeito de diferentes níveis de salinidade da água, associado ao uso de silicato de sódio sobre os parâmetros produtivos e teor de nutrientes na folha e caule da mini melancia em ambiente protegido. O estudo foi conduzido na área experimental da Universidade Federal do Piauí, Campus Professora Cinobelina Elvas. Para condução do experimento adotou-se delineamento em blocos casualizados, em esquema fatorial 6 x 2, com 4 repetições, sendo seis níveis de salinidade (1,05; 2,12; 3,26; 4,41; 5,91 e 7,32 dS m-1) com e sem silício aplicado em solução via foliar. As variáveis estudas foram: Altura das plantas, diâmetro do caule, número de folhas, peso da matéria fresca e seca de folhas e caule, nos frutos, avaliou-se o peso de polpa, espessura da casca, teor de sólidos solúveis totais, número de sementes, firmeza da polpa, diâmetro e peso do fruto, teor de nutrientes nas folhas e caule, avaliou-se o cálcio, magnésio, fósforo, potássio, cobre, manganês, ferro, zinco e silício. Os resultados revelaram que uso do silício associado a fertirrigação com diferentes níveis de salinidade proporcionaram melhor desempenho produtivo para as variáveis espessura de casca, ºBrix, peso de massa fresca e seca de folhas e, maior acúmulo de silício nas folhas e caule, enquanto que a salinidade isolada apresentou resultados significativos para peso de polpa e ºBrix dos frutos e, incrementou o teor de manganês e inibiu teor de zinco nas folhas, no caule teve resposta positiva para o teor de potássio na mini melancia híbrida cv. Smile. Houve interação significativa para o teor de manganês no caule, com resposta positiva na ausência de silício foliar e negativa com aplicação foliar de silício sob diferentes níveis de salinidade.

  • GABRIEL DOS SANTOS DA CRUZ
  • Dinâmica do fósforo inorgânico em solos do cerrado piauiense: última fronteira agrícola, Brasil
  • Orientador : CACIO LUIZ BOECHAT
  • Data: 27/07/2020
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se estudar a quantidade e a disponibilidade do fósforo em cinco áreas com diferentes tempos de uso, as formas inorgânicas de fósforo no solo, a fração inorgânica que mais retém fósforo no solo e indicar qual área teve maior retenção de fósforo no solo via adsorção dos óxidos. A princípio realizou-se a amostragem de solo de 36 pontos de coleta em cada área avaliada, posteriormente, as amostras foram submetidas uma análise química de fósforo disponível através do método Mehlich-1 e de uma metodologia alternativa, em sequência, realizou-se o fracionamento químico sequencial de fósforo inorgânico, posteriormente, foi feita leitura da suscetibilidade magnética em alta e baixa frequência utilizando um medidor MS2 e ao final a SM foi calculada através da expressão de Dearing, e por fim, a fração argila, foi submetida a caracterização química através da fluorescência de raios-x. Ao final, empregou-se analise da estatística descritiva juntamente com analise multivariada (ACP e Análise de Cluster). O método alternativo de extração de P disponível apresentou resultados superiores ao Melich-1, os maiores valores para o P adsorvido foi observado nas áreas agrícolas, a fração P-Al apresentou maiores teores de P adsorvido em quatro das cinco áreas avaliadas, a área T7 apresentou maiores concentrações das frações P-Al e P-Fe, a área T10 teve os maiores valores para a fração P-Ca, a área T7 foi a que mais adsorveu P dentre todas, a SM teve maiores valores na área T17.

  • KARLA MICHELLY MATOS MOREIRA MOTA
  • Interação nutricional de zinco e boro sobre o desempenho produtivo da soja em Latossolo Amarelo
  • Orientador : JULIAN JUNIO DE JESUS LACERDA
  • Data: 27/02/2020
  • Mostrar Resumo
  • As deficiências de Zn e B são, respectivamente, a primeira e a segunda, restrições nutricionais mais importantes nas culturas agrícolas no Brasil e no mundo, no entanto os limites entre deficiência e toxidez para o B nas plantas são estreitos. O objetivo deste trabalho foi avaliar o estado nutricional, aspectos morfológicos e produtividade da soja em função de combinações quantitativas de B e Zn na adubação de semeadura, bem como a disponibilidade destes elementos em Latossolo Amarelo no Cerrado. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, no esquema fatorial 4x4, com quatro repetições. Os tratamentos consistiram em combinações de quatro doses de boro: 0; 1,5; 3,0 e 4,5 kg ha-1 e quatro doses de zinco: 0; 2,0; 5,0 e 8,0 kg ha-1, aplicadas via solo. Foram avaliadas as disponibilidades de Zn e B no solo, os teores de Zn e B nas folhas e grãos, os parâmetros produtivos e produtividade da soja. Houve variação de produtividade de 2.357 a 2.709 kg ha-1 de grãos para a dose de 0 e 8 kg ha-1 de Zn aplicadas no solo, e de 2.450 a 2.890 kg ha-1 de grãos para a dose de 0 e 2 kg ha-1 de B. Doses entre 2,1 e 4,5 kg ha-1 de B no solo causam toxidez das plantas de soja, mas não matam as plantas. O adequado fornecimento de Zn atenua os efeitos tóxicos do B. As maiores produtividades da soja são obtidas quando o teor de Zn foliar é 28,77 mg kg-1, o B foliar 32,31 mg kg-1 e a disponibilidade no solo igual a 1,9 mg dm-3 de Zn e 0,17 mg dm-3 de B. Sugere-se o fornecimento de 8 kg ha-1 de Zn e 2 kg ha-1 de B na forma de ZnSO4.7H2O e H3BO3 para o cultivo da soja, quando os teores iniciais no solo forem baixos e médios, para Zn e B, respectivamente.  

  • LUIS BORGES ROCHA
  • SELEÇÃO DE ESTIRPES DE Bradyrhizobium NATIVAS DO CERRADO PIAUIENSE COM POTENCIAL DE USO COMO INOCULANTES EM PLANTAS DE SOJA
  • Orientador : ELAINE MARTINS DA COSTA
  • Data: 21/02/2020
  • Mostrar Resumo
  • A soja (Glycine max L.) é uma importante fonte de proteína e ocupa lugar de destaque no cenário do agronegócio brasileiro e mundial. Essa cultura pode obter até todo o nitrogênio (N) exigido para seu desenvolvimento através da simbiose com estirpes de Bradyrhizobium. Nesse contexto, no presente trabalho, foram realizados dois estudos em casa de vegetação, visando à seleção de estirpes de Bradyrhizobium nativas do Piauí eficientes no fornecimento de N para a soja, comparando-se ao um inoculante comercial de soja e dois controles sem inoculação, um com e o outro sem N mineral. No primeiro, avaliou-se seis estirpes (UFLA06-13, UFLA06-15, UFLA06-19, UFLA06-21, UFLA06-22 e UFLA06-24) em simbiose com soja cultivada em vasos com solos (um arenoso e outro de textura média) do Sudoeste piauiense. Os parâmetros avaliados foram: número de nódulos, biomassa (nódulos, raiz e parte aérea), clorofila, teor e acúmulo de N nas plantas. A maioria das estirpes promoveram melhores características simbióticas quando inoculadas no solo de textura média. As estirpes que apresentaram maior eficiência no fornecimento de N à cultura no solo de textura média (UFLA06-19, UFLA06-22 e UFLA06-24) foram selecionadas para avaliar sua eficiência em simbiose com três cultivares de soja (M8349 IPRO, M8372 IPRO e Bônus 8579 RSF IPRO) em solo do Cerrado piauiense, no segundo experimento. Avaliou-se as mesmas variáveis do primeiro experimento, além de outros parâmetros fisiológicos (carotenoides e carboidratos), número e massa seca de grãos, teor e acúmulo de nitrogênio no grão (TNG e ANG) e teor de proteína bruta no grão (TBP). Houve interação significativa entre os fatores para todos os parâmetros avaliados, exceto para nodulação, na qual houve apenas efeito isolado dos fatores. As três estirpes UFLA foram mais eficientes na acumulação de N na cultivar M8372 IPRO que o inoculante comercial e as comunidades nativas de rizóbios. As estirpes UFLA06-22 e UFLA06-24 foram os tratamentos mais eficientes no TNG e TPB nas três cultivares, e também no ANG das cultivares M8349 IPRO e M8372 IPRO. Esses resultados indicam o potencial das estirpes UFLA06-22 e UFLA06-24 para uso como inoculantes na cultura da soja.
  • ALEX PINTO DE MATOS
  • CALAGEM, VARIABILIDADE ESPACIAL E SUSCEPTIBILIDADE MAGNÉTICA EM SOLO CULTIVADO COM BANANEIRA
  • Data: 20/02/2020
  • Mostrar Resumo
  • A produção de banana no Brasil tem obtido grande atenção mundial na última década pelo aumento significativo e consolidação no cenário mundial contribuindo para o aumento do PIB nacional. Entretanto, apesar do país apresentar condições favoráveis em todas as regiões, a maior parte da produção nacional está concentrada em poucos Estados. O conhecimento da variabilidade espacial permite identificar zonas que necessitam de manejo diferenciados, o que pode contribuir para aumento da produtividade, redução na aplicação e/ou melhor uso de insumos e melhorar a produção nessas regiões com a prática da agricultura de precisão. Mas devido o alto custo com amostra, alternativas vêm sendo criadas para otimizar a adoção dessa prática. Dentre elas, está o uso de atributos como a susceptibilidade magnética que apresenta uma relação com os demais atributos permitindo expressar o comportamento da variabilidade da área. Por isso, objetivou-se com esse trabalho avaliar a variabilidade de atributos químicos, físicos e susceptibilidade magnética do solo, como também, os teores de nutrientes nas folhas de bananeira cultivadas em área com aplicação de calcário incorporado e não incorporado. O trabalho foi realizado no sudeste do Piauí, em um pomar de bananeira, dividido em duas áreas, a primeira com a incorporação e a segunda sem incorporação de calcário dolomítico, sendo aplicado 4 toneladas por área. Foram coletadas amostras de solo na profundidade de 0,20 m e folha, em uma malha amostral de 30 x 35 m, cada ponto foi devidamente georreferenciado. Nas amostras coletadas no solo foram analisados os macronutrientes, matéria orgânica e a susceptibilidade magnética do solo e calculados a SB, CTC e V%. Nas amostras foliares foram analisados os teores dos macronutrientes. Os resultados obtidos foram submetidos a análise de variância, análise descritiva e geoestatística para identificar zonas de manejo. Os resultados das análises mostram o pH teve menor variação. A área em que o calcário foi incorporado apresentou os maiores valores de pH, bases trocáveis bem como V%, isso provavelmente devido a incorporação permitir maior contato das partículas do corretivo com o solo úmido, favorecendo maior solubilidade. A maioria dos atributos do solo apresentaram dependência espacial permitindo identificar zonas de manejo específico para fins de agricultura de precisão. A susceptibilidade magnética apresentou correlação entre os atributos de solo podendo ser uma alternativa para identificar zonas de manejo e contribuir para o planejamento de amostragem de solo.

2019
Descrição
  • ESTEFENSON MARQUES MORAIS
  • Controle biológico de fitopatógenos por Trichoderma spp. isolados de espécies arbóreas florestais de ecótono piauiense
  • Orientador : FRANCISCA DIANA DA SILVA ARAUJO
  • Data: 12/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • O uso indiscriminado de agrotóxicos vem causando cada vez mais danos à saúde dos seres vivos e ao meio ambiente. Com isso, o controle biológico efetuado por micro-organismos tem ganhado cada vez mais destaque, por ser eficaz no controle de fitopatógenos, seguro para os manipuladores e ambientalmente correto. Neste contexto, o objetivo do presente trabalho foi avaliar o potencial de fungos endofíticos do gênero Trichoderma, isolados de espécies arbóreas florestais de uma área de ecótono cerrado/caatinga do sul do Piauí, no biocontrole de fungos fitopatogênicos de interesse agrícola. Foram utilizados 19 isolados de Trichoderma spp. (T1 a T19) pelo método de pareamento de culturas para avalição do potencial antagônico. Os isolados T1, T2, T3, T6, T7, T8, T9, T13, T14, T15, T16 e T17 destacaram-se quanto à inibição do crescimento micelial de Colletotrichum sp., T11, T14 e T18 contra Lasiodiplodia theobromae, T1 contra Macrophomina phaseolina COUFPI 10, T1, T2, T9, T13, T14, T15, T16, T17, T18, e T19 contra M. phaseolina COUFPI 11, T6 e T16 contra Sclerotium delphinii COUFPI 209 e T1, T6 e T14 contra S. delphinii COUFPI 249. No ensaio in vivo, em casa de vegetação, utilizando os isolados de Trichoderma spp. T1 e T16, o isolado T1 foi o mais promissor, reduzindo a severidade da lesão causada por Colletotrichum sp. em plantas de soja com desempenho superior ao fungicida comercial. No ensaio in vitro com os extratos orgânicos de Trichoderma spp. frente a Colletotrichum sp., todos os isolados reduziram o diâmetro da colônia do fitopatógeno quando comparados ao controle, com exceção dos isolados T2, T6, T9 e T17 na concentração de 0,5 mg mL-1. Estes resultados apontam para a presença de metabólitos secundários bioativos nos extratos orgânicos, promovendo a redução do crescimento micelial do fitopatógeno em um mecanismo de ação de antibiose. Os isolados de Trichoderma spp. da referida área de estudo, portanto, apresentam potencial para serem utilizados como agentes de controle biológico dos fitopatógenos avaliados.

  • ELYZAMA LIMA SANTOS
  • CARACTERIZAÇÃO MORFOLÓGICA, QUÍMICA E FÍSICA DO SOLO DO PARQUE NACIONAL SERRA DA CAPIVARA, ESTADO DO PIAUÍ
  • Orientador : JULIAN JUNIO DE JESUS LACERDA
  • Data: 31/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • Os solos são produto da ação do clima e de organismos sobre materiais de origem sob a influência do relevo em uma área, ao longo do tempo. Assim, o conhecimento dos atributos do solo permite a obtenção de informações relativas à distribuição espacial das diferentes classes de solos, além de subsidiar o planejamento e conservação do solo e da biodiversidade. Diante disso, o objetivo deste trabalho foi identificar e caracterizar o solo quanto os atributos morfológicos, químicos e físicos de quatro áreas que subdividem o Parque Nacional Serra da Capivara, PI.  O trabalho foi executado conforme as normas adotadas pelo Centro Nacional de Pesquisa de Solos (CNPS), da Embrapa. Assim, foram coletadas 112 amostras de horizontes superficiais e subsuperficiais pertencentes a 30 perfis de solos, distribuídos na área de estudo. As amostras de solos foram encaminhadas aos laboratórios da ESALQ e da UFPI para realização das análises, segundo a metodologia da Embrapa (1997). Com o levantamento pedológico foram identificadas as seguintes classes de solos: Latossolo Vermelho, Latossolo Vermelho-Amarelo, Latossolo Amarelo, Latossolo Bruno, Cambissolo Háplico, Neossolo Litólico e Quartzarênico. Com relação aos teores da fração argila, houve um aumento gradual em profundidade, e consequentemente uma redução nos teores da fração areia nos horizontes das classes de solos identificadas. Portanto, a classe de solo predominante no parque foram os latossolos. A CTC de ambos os solos teve dependência considerável dos minerais associados à fração argila. Os atributos estudados permitiram uma unidade de pesquisa altamente representativa dos solos da região.

  • FERNANDO BRAGA RIMÁ
  • Concentração e fracionamento de fósforo em solos sob diferentes usos e em sedimentos de uma bacia hidrográfica do cerrado, sul do Piauí
  • Orientador : YURI JACQUES AGRA BEZERRA DA SILVA
  • Data: 17/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • As margens do rio Gurguéia vem desde muito tempo sendo explorada pelo cultivo agrícola, aumentando a degradação dos solos e afetando as concentrações de nutrientes nos recursos hídricos, especialmente o fósforo. Neste sentido, o estudo teve como objetivo quantificar as concentrações de P em solos sob diferentes usos (i.e. culturas anuais, pastagens e vegetação nativa) e sedimentos fluviais (leito, sedimento em suspensão e banco de canais) além de entender como este elemento está retido nos sedimentos ao longo do curso d’água principal de uma bacia hidrográfica representativa do bioma Cerrado no estado do Piauí. As amostras de solo foram coletadas na camada de 0-5 cm. Foram analisados sedimentos, canais fluviais e amostras de solo na camada de 0-5 cm do solo distribuídos em 187 pontos sendo coletadas em cada classe de solo. As amostras de canais foram coletadas onde o rio deposita material nas margens e os sedimentos em suspensão foram coletados por meio de amostradores por integração no tempo. As amostras de solo, bancos de canais, sedimentos em suspensão e sedimentos do leito foram analisados quanto aos atributos físico-químicos tais como cálcio, magnésio, fósforo, potássio, pH, carbono orgânico total e granulometria. Foram selecionadas amostras de sedimento dos bancos de canais, sedimentos do leito e sedimentos em suspensão para realizar o fracionamento químico do P. O teor de PT e as formas de fósforo foram maiores nas áreas onde há perturbação antrópica (áreas de cultivo agrícola) e nos sedimentos em suspensão, bancos de canais e sedimentos do leito, independentemente das espécies de P. O P disponível (PD) apresentou comportamento semelhante ao PT, pois também foram encontrados valores maiores em bancos de canais, sedimentos em suspensão e sedimentos do leito. A concentração de COT foi maior em áreas preservadas, pastagens e áreas de culturas anuais devido á decomposição dos restos vegetais que ocorre na mata nativa e nas pastagens e incorporação dos resíduos vegetais de culturas nas áreas de cultivo agrícola. O Ca, Mg e K foram maiores em sedimentos em suspensão, sedimentos do leito e bancos de canais e menores em áreas preservadas. Esses elementos são pouco adsorvido no solo, e portanto são mais facilmente transportados pelo escoamento superficial. O impacto causado pelo conteúdo de P na qualidade dos ambientes aquáticos não pode ser determinado apenas com base nos níveis totais de P presentes nos bancos de canais, sedimentos em suspensão e sedimentos do leito; o método de fracionamento químico de P foi útil para determinar os potenciais de poluição por P nos sedimentos de bacia hidrográfica do rio Gurguéia.

  • KAMYLLA GONÇALVES OLIVEIRA ASSIS
  • Identificação de áreas susceptíveis à erosão hídrica e transporte de sedimentos em suspensão na bacia hidrográfica do riacho Corrente dos Matões
  • Orientador : JOAO CARLOS MEDEIROS
  • Data: 15/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • As perdas de solo foram calculadas em uma sub-bacia, onde estão ocorrendo mudanças no uso do solo e aumentando a área de pastagens e lavouras. O objetivo dessa pesquisa é identificar as áreas susceptíveis à erosão hídrica, analisar a qualidade da água e avaliar o transporte de sedimentos em suspensão na sub-bacia hidrográfica do Riacho Corrente dos Matões. A bacia hidrográfica localiza-se na região sudoeste do Piauí, onde o agronegócio está em pleno desenvolvimento. Para a quantificação do transporte de sedimentos foram realizadas campanhas de medição direta durante os anos de 2018 e 2019, em duas seções representativas no riacho Corrente dos Matões, denominadas de Corrente dos Matões (montante) e Barra Verde (jusante), seguindo a metodologia da amostragem por igual incremento de largura (IIL), utilizando-se o amostrador DH-48 para amostragem do sedimento em suspensão. Para quantificar a perda de solo foi utilizada a Equação Universal de Perda do Solo (USLE), associada a Sistemas de Informações Geográficas, que permitiu estimar a erosão, sob variadas condições de uso e cobertura do solo, declividade, comprimento de rampa, tipos de solo e chuva, por meio da elaboração de mapas temáticos. Observou-se a ocorrência de maiores concentrações de sedimento na Seção Corrente dos Matões de 107,10 mg L-1 ocorrendo com uma vazão de 0,54 m3 s -1e na seção Barra Verde a maior concentração de 99,28 mg L-1, no período chuvoso, com vazão variando de 0,31 a 0,39 m3 s -1.  Entre os tipos de uso do solo, foi observado a maior perda de solo em solo descoberto e agricultura. Dos fatores da USLE observados neste trabalho o responsável pela maior taxa de erosão do solo 76,64 t/ha−1 ano −1 foi o LS. A estimativa mostra que as maiores perdas de solo estão associadas com uma maior declividade e solo descoberto e o transporte de sedimentos na sub-bacia foi baixa nas duas seções,.o que comprova que o riacho não está recebendo os sedimentos da perda de solo, devido à preservação da sua APP’s.

  • LIZANDRA DE SOUSA LUZ DUARTE
  • Teores naturais e valores de referência de qualidade para metais pesados em solos do estado do Piauí
  • Orientador : CACIO LUIZ BOECHAT
  • Data: 28/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • As mesorregiões Norte, Centro-norte e Sudeste do estado do Piauí comportam a grande maioria da população, abrigam uma boa parcela das indústrias e apresentam o maior crescimento populacional do estado. Este crescimento populacional, a alta demanda por produtos industrializados e o descarte de resíduos gerados pela população são uma ameaça ao equilíbrio ambiental, em especial para o solo, receptor desses resíduos, muitas vezes ricos em elementos potencialmente tóxicos como metais pesados. Esses metais podem interferir nos processos naturais, tornando-se um risco à saúde de plantas, animais e humanos. Assim, o Conselho Nacional do Meio Ambiente por meio da Resolução nº 420 de 2009, determinou que cada estado da federação determinasse, a partir dos teores naturais de metais no solo, os respectivos Valores de Referência de Qualidade (VRQs), para auxiliar os órgãos de controle ambientais na fiscalização, legislação e planejamento ambiental de áreas sob risco de contaminação. Assim, o objetivo deste trabalho foi estabelecer as concentrações naturais e os VRQs para os metais Ba, Cd, Co, Cr, Cu, Fe, Mo, Ni, Pb, Sb, V e Zn em solos das mesorregiões Norte, Centro-norte e Sudeste do estado do Piauí. As amostras foram coletadas em 146 locais, em áreas de baixa interferência antrópica, na camada de 0,0 – 0,2 m utilizando trados de material inoxidável. Em seguida as amostras foram secas, peneiradas e maceradas, posteriormente digeridas pelo método 3051A da USEPA e os metais foram determinados por espectrometria de emissão óptica (ICP-OES). Os dados foram analisados através de métodos estáticos descritivos e após a retirada de valores anômalos com auxílio de gráficos “boxsplot” os VRQs foram estipulados. Em geral os solos das mesorregiões estudadas apresentaram teores de metais pesados menores que os encontrados em outros estados brasileiros, o que atesta a necessidade de regionalização dos VRQs, como determina o Conselho Nacional do Meio Ambiente. 

  • JACQUELINE SOUSA PAES LANDIM
  • TEOR NATURAL E VALORES DE REFERÊNCIA DE QUALIDADE DE ELEMENTOS TERRAS RARAS EM SOLOS DO PIAUÍ
  • Orientador : YURI JACQUES AGRA BEZERRA DA SILVA
  • Data: 27/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • Os elementos terras raras são representados por 15 elementos da família dos lantanídeos, que têm grande importância econômica na indústria de alta tecnologia, bem como na agricultura. O crescente uso de ETRs é uma preocupação ambiental quanto ao enriquecimento no solo, causando posteriormente impactos na saúde humana. Nesse sentido, a determinação dos teores naturais e, posteriormente, os Valores de Referência de Qualidade, têm como principal função identificar e monitorar áreas possivelmente contaminadas, visando proteger a saúde humana e o meio ambiente. Nesse contexto, o presente trabalho tem como objetivo: i) Determinar os teores naturais de ETRs em solos do Piauí; ii) Estabelecer os Valores de Referência de Qualidade desses elementos e iii) Elaborar mapas de distribuição espacial das concentrações de ETRs em solos do Piauí. Foram escolhidos locais com mínima influência antrópica para coleta de solo. As amostras 263 amostras compostas de solos coletadas representam toda a diversidade pedológica e geológica da região. As concentrações de Elementos Terras Raras foram determinadas por espectroscopia de emissão óptica com plasma acoplado indutivamente. A concentração média de Elementos Terras Raras seguiu a ordem: Ce >La > Nd > Pr > Sm > Dy > Gd > Er > Yb > Eu > Tb > Lu. Os VRQs seguiram a ordem (mg kg-1) e Ce (17,49) > La (7,58) > Nd (6,33) > Pr (2,36) > Sm (1,27) > Dy (0,66) > Gd (0,41) > Er (0,29) > Yb (0,24) > Eu (0,21) > Tb (0,15) > Lu (0,09) e Ce (30,31) > La (13,42) > Nd (11,40) > Pr (3,85) > Sm (2,21) > Dy (1,42) > Gd (0,88) > Er (0,54) > Yb (0,42) > Eu (0,38) >Tb (0,29) >Lu (0,15), percentil 75 e 90, respectivamente. Os ETRs obtiveram correlação significativa positiva com os atributos do solo: pH, soma de bases, CTC, V%, e fração silte. A concentração média de Elementos Terras Raras nos solos do Piauí, foi maior do que as encontradas em outros estados brasileiros, destacando a importância de se estabelecer os VRQs para cada estado do Brasil. A correlação significativa positiva dos ETRs com os atributos do solo, confirma a influência destes na distribuição e concentração dos ETRs. O tamanho das partículas do solo influenciou no conteúdo total de ETRs nos solos piauienses.

2018
Descrição
  • ALDELAN ARNALDO SILVA
  • SUPLEMENTAÇÃO COM SILÍCIO NO CRESCIMENTO, PRODUTIVIDADE E QUALIDADE DOS FRUTOS DE MINI TOMATE SOBRE DIFERENTES NÍVEIS DE SALINIDADE
  • Orientador : EVERALDO MOREIRA DA SILVA
  • Data: 22/10/2018
  • Mostrar Resumo
  • O cultivo do mini tomate ambiente protegido é uma atividade promissora, considerando a maior seguridade fitossanitária e climática. Tem-se a considerar, entretanto, que neste ambiente é usual o acúmulo de sais fertilizantes no substrato de cultivo. O desempenho do mini tomate é reconhecidamente prejudicado quando seu crescimento se dá em substratos salinos, estando a espécie classificada como moderadamente sensível aos sais. Com base nas informações disponíveis, este estudo foi conduzido de forma a obter informações sobre o efeito da salinidade no momento do transplantio do mini tomate e se a aplicação do silício via fertirrigação promove algum efeito positivo ou não nas características produtivas do mini tomate respeitando tanto as exigências nutricionais da cultura quanto a demanda hídrica. Num primeiro momento elaborou-se a curva de salinização artificial do substrato e seus respectivos teores de sais suficientes para elevar a condutividade elétrica da solução do substrato a níveis representativos dos tratamentos. No final do ciclo da cultura avaliou-se as características produtivas do tomate como número de frutos por planta, peso total de frutos por planta, e o percentual desses valores que correspondem a faixa de interesse comercial tanto em número quanto em peso; também avaliou-se as características morfológicas do mini tomate como a matéria seca e a matéria fresca e as variáveis referentes a qualidade dos frutos como °Brix, Acidez Total Titulável (ATT), a palatabilidade (°Brix/ATT) e o pH. A aplicação de silício em fertirrigação promoveu significativamente o crescimento radicular assim como o aumento dos níveis iniciais de salinidade contribuiu para o aumento da qualidade dos frutos do mini tomate em ambiente protegido.

  • TIAGO PIETA RAMBO
  • Adubação fosfatada e potássica na cultura da soja no cerrado Piauiense
  • Orientador : JULIAN JUNIO DE JESUS LACERDA
  • Data: 27/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • O entendimento sobre a resposta de diferentes doses da adubação fosfatada e potássica para a cultura da soja em solo com teores iniciais distintos é de grande importância para o melhor aproveitamento dos fertilizantes minerais, bem como o correto manejo da fertilidade construída ou em processo de construção dos solos do cerrado piauiense. O objetivo do trabalho foi avaliar as características agronômicas e a produtividade da soja submetidas a diferentes doses de fosforo e potássio, cultivada em solos com teores iniciais disponível distintos. O experimento foi montado em três áreas com teores iniciais de fósforo e potássio disponível no solo distintos, na Serra da Laranjeira no município de Currais-PI, o solo classificado como Latossolo Amarelo Distrófico. Utilizou-se o delineamento experimental de blocos ao acaso, com parcelas sub-subdividas e quatro repetições. As parcelas consistiram nas três áreas com diferentes teores de fósforo e potássio, as subparcelas foram cinco doses de P2O5 (0, 50, 100, 150 e 200 kg ha-1) e as sub-subparcelas cinco doses de K2O (0, 40, 80, 120 e 160 kg ha-1). Foram avaliadas a altura de plantas, diâmetro de caule, índice de clorofila foliar, fitomassa seca e produtividade. Não houve interação significativa entre as doses de fósforo e potássio, potássio e áreas, nem para fósforo, potássio e áreas com relação as variáveis estudadas. Para a altura de plantas, diâmetro de caule, fitomassa seca e produtividade houve interação significativa entre as áreas e as doses de fósforo. Em áreas do cerrado piauiense onde os teores de fósforo e de potássio no solo estiverem em níveis adequados, a adubação de manutenção é suficiente para manter a fertilidade nessas áreas e atingir boas produtividades.

  • ADRIANO DE OLIVEIRA SILVA
  • Partição das substancias húmicas da matéria orgânica em solo de várzea na região sul do Piauí
  • Orientador : JULIAN JUNIO DE JESUS LACERDA
  • Data: 31/07/2018
  • Mostrar Resumo
  • A matéria orgânica dos solos de várzea difere de terras altas por estes solos serem submetidos à condição de má drenagem e/ou alagamento durante alguns meses do ano e/ou todo ano, esse fato determina a dinâmica diferenciada para suas transformações. O presente trabalho tem como objetivo avaliar o teor de carbono orgânico total e o carbono nas frações químicas da matéria orgânica em ambientes de várzea na região Sul do estado do Piauí. O estudo foi desenvolvido em quatro propriedades de agricultura familiar no Município de Currais-I. Em cada propriedade foram coletadas amostras de solo em pousio e solo sob cultivo, totalizando oito áreas. As amostras do solo foram coletadas nas profundidades de 0-05, 05-10, 10-20 e 20-40 cm, com quatro repetições.  Foram quantificados os teores de carbono orgânico total (COT) e das frações húmicas da matéria orgânica do solo (ácido fúlvico - FAF, ácido húmico - FAH e humina -HUM), bem como as relações dos diferentes índices de humificação; razão de humificação e grau de polimerização. Nos solos de várzea, os teores de carbono orgânico total são superiores nas áreas de pousio em relação às áreas cultivadas e há decréscimo em profundidade. Os maiores teores de ácido húmico, ácido fúlvico e humina estão nas áreas em pousio, principalmente nas profundidades superficiais. A fração ácido húmico é a de maior representatividade no carbono nas substâncias húmicas, seguida pelas frações ácido fúlvico e humina. A relação entre o C-FAH/C-FAF nos solos de várzea estudados é próximo de 1,0.

  • DAYARA LINS PORTO
  • FUNGOS MICORRÍZICOS ARBUSCULARES NO CRESCIMENTO INICIAL E AVALIAÇÃO MORFOFISIOLÓGICA DA Parkia platycephala Benth. SOB ESTRESSE HÍDRICO
  • Orientador : ADRIANA MIRANDA DE SANTANA ARAUCO
  • Data: 31/07/2018
  • Mostrar Resumo
  • Parkia platycephala Benth., conhecida popularmente como fava-de-bolota é encontrada em área de transição cerrado-caatinga, uma espécie que apresenta potencial para a alimentação de ruminantes em regiões áridas. Objetivou-se avaliar a inoculação dos fungos micorrízicos arbusculares (FMAs) no crescimento inicial e avaliação morfofisiológica das plantas de fava-de-bolota sob estresse hídrico. O delineamento experimental utilizado foi em blocos causalizados com esquema fatorial 2x6, correspondendo a duas condições de regime hídrico (com e sem estresse); quatro estirpes de FMAs (Gigaspora rosea, Gigaspora margarita, Acaulospora koskei e Acaulospora morrowiae), um tratamento com os inóculos consorciados (Mix) e um controle com cinco repetições. Para avaliar o efeito do estresse hídrico adotou-se o método de pesagem dos vasos periodicamente, aos 120 dias após a semeadura foram aferidas as variáveis morfológicas (altura, diâmetro, número de folhas, comprimento de raiz, massa seca da parte aérea, raiz e total), volume total de raiz, para os parâmetros fisiológicos foram analisados (taxa de transpiração foliar (E), fotossíntese líquida (A), concentração intercelular de CO2 (Ci), condutância estomática (Gs), eficiência de uso da água (EUA), com o uso do analisador de gás por infravermelho (IRGA) modelo GFS-3000 (Heinz Walz, Germany), além da taxa de colonização micorrízica, macro e micronutrientes da parte área da planta e teor de glomalina no solo. Quanto as características morfológicas, de maneira geral, a estirpe A. morrowia apresentou melhores resultados entre os tratamentos na condição sem estresse hídrico. Nos parâmetros fisiológicos as variáveis E, A, Ci e Gs apresentaram interação significativa entre as estirpes e as condições com e sem estresse hídrico diferindo do controle. entretanto para EUA as estirpes A. koskei e G. margarita apresentaram as maiores médias sob os demais tratamentos. A taxa de colonização micorrízica foi baixa, porém, a estirpe de A. morrowia foi a que promoveu melhor resultado. Para os teores de P, Mg e Mn houve interação, onde as melhores respostas foram encontrada pelas estirpes A. morrowia, G rosea, inóculo Mix e o controle, respectivamente, na condição sem estresse hídrico. No teor de glomalina no solo as melhores respostas ocorreram com as estirpes A. koskei, A. morrowiae, G. margarita e o inóculo Mix diferindo do controle para esta espécie arbórea aos 118 dias de cultivo frente às condições estudadas.

  • MARIA CATIANA DE VASCONCELOS
  • Potencial de acúmulo de carbono e frações da matéria orgânica em solos sob biomas Cerrado e Caatinga associados aos impactos de cobertura e uso da terra.
  • Orientador : BRUNO DE OLIVEIRA DIAS
  • Data: 31/07/2018
  • Mostrar Resumo
  • A mudança do uso da terra pode causar alterações na dinâmica da matéria orgânica do solo, contribuindo com reduções nos teores de carbono nos diversos compartimentos e frações orgânicas. Para entender melhor a influência das práticas de uso do solo na dinâmica do carbono no solo, esse trabalho teve como objetivo quantificar os estoques de carbono e as frações granulométricas da matéria orgânica até 1 metro de profundidade em solos sob agricultura, pastagem e vegetação nativa nos Biomas Caatinga e Cerrado. O estudo foi realizado em dois municípios do Piauí, sendo um na Serra do Quilombo, situada no município de Bom Jesus e outro na localidade de Criuli, situado no município de Santa Luz. Para o estudo foram selecionados dois biomas (Cerrado e Caatinga) e três formas de usos da terra (mata nativa, pastagem e agricultura) constituídas de sete profundidades de coleta do solo no perfil (0-10,10-20, 20-30, 30-40, 40-60, 60-80 e 80-100 cm), com três repetições, totalizando 126 amostras. A pesquisa consistiu em 2 estudos o primeiro foi caracterizar a matéria orgânica do solo (MOS), carbono orgânico total (COT) e estoque de carbono do solo (Est C) em profundidades em solos sob bioma Cerrado e Caatinga e sob distintas formas de uso (nativo, pastagem e agricultura), o segundo determinar o fracionamento físico da matéria orgânica, matéria orgânica particulada (MOP), C- asociado a matéria orgânica particulada (C- MOP), C - associado aos minerais (COM) e o índice de manejo do carbono (IMC) correlacionando com as diferentes formas de uso do solo e granulometria. A substituição da vegetação nativa para uso da terra no bioma Cerrado foi melhor que o uso do solo no bioma Caatinga. A distribuição vertical do carbono afeta as MOS, bem como seus compartimentos. O uso do solo com agricultura na região da Caatinga do sudoeste do Piauí apresentou maior potencial de estocar carbono no solo em relação a agricultura e pastagem. Já no Cerrado, o uso do solo com pastagem foi maior quando comparado aos demais usos do solo. A mudança da mata nativa para o uso do solo com pastagem causou reduções nos teores de matéria orgânica particulada no bioma Caatinga, no entanto o uso da terra com pastagem e agricultura aumentou os teores de carbono associado a matéria orgânica nas profundidades de 0-100 cm quando comparada com vegetação nativa.

  • RAIMUNDO NONATO VIEIRA SANTOS
  • Bagaço de cana inoculado com fertbokashi como cobertura de solo na produção de mudas de pimenta dedo de moça
  • Orientador : CACIO LUIZ BOECHAT
  • Data: 31/07/2018
  • Mostrar Resumo
  • A agricultura brasileira nos últimos anos vem crescendo bastante e anualmente são geradas bilhões de toneladas em resíduos sólidos provenientes da agroindústria. Os solos tropicais, caracterizados pelos baixos teores de matéria orgânica e baixa fertilidade natural limita o potencial produtivo e aumenta os custos de produção. A aplicação do bagaço de cana nesses solos contribui para reabilitação dos teores de nutriente, melhorando as características químicas, físicas e biológicas do solo. Objetivou-se com esse trabalho avaliar o efeito no crescimento inicial das mudas de pimenta dedo de moça em solos cobertos com doses de palha de cana e doses de fertbokashi. O experimento foi conduzido em casa de vegetação. Os tratamentos foram dispostos em um delineamento experimental em blocos casualizados em esquema fatorial 5 x 4, sendo cinco doses de resíduos da cana: 0; 253; 633; 1266; e 3798 g m-2 e quatro concentrações do composto Fertbokashi: 0; 10; 50 e 100 ml m-2, com quatro repetições. Aos 45 dias após o transplante foram clorofila a, clorofila b, comprimento de raiz, massa fresca da parte aérea e raiz, massa seca da parte aérea e raiz, massa seca total, altura da planta, número, comprimento e diâmetro de folhas, diâmetro do coleto, comprimento do coleto, largura da planta. Houve efeito significativo decrescente do bagaço cana para todas as variáveis avaliadas, e quanto ao bokashi não houve respostas significativas nas doses testadas. Conclui-se, que o bagaço de cana em cobertura influencia negativamente no crescimento de mudas de pimenta dedo de moça em ambiente controlado.

  • KLENDSON MEDEIROS DA SILVA
  • PEDOSTUDENT: DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO DE APOIO AO ENSINO DE GÊNESE E CLASSIFICAÇÃO DE SOLOS
  • Orientador : RONNY SOBREIRA BARBOSA
  • Data: 30/07/2018
  • Mostrar Resumo
  • O conhecimento da área de Ciência do Solo é fundamental para o seu manejo e conservação. Por isso, é preciso utilizar as ferramentas tecnológicas disponíveis para sua popularização. Considerando a abrangência e importância do tema para a sociedade, o objetivo deste trabalho foi verificar a aceitabilidade e eficiência do aplicativo educacional PedoStudent por discentes de graduação do curso de Engenharia Agronômica, como ferramenta para auxílio do processo de ensino e aprendizagem. Para isso, foi desenvolvido o software PedoStudent (plataforma Android) composto por um conjunto de questões que envolvem conteúdos como química básica e geologia. Participaram deste estudo 31 estudantes da disciplina de Gênese do Solo do curso de Engenharia Agronômica da Universidade Federal do Piauí/Campus Professora Cinobelina Elvas (UFPI/CPCE) em Bom Jesus – PI. Para a análise da aceitabilidade do aplicativo, os discentes foram submetidos a um questionário prévio (antes da utilização do aplicativo) e um posterior (após o uso do aplicativo). A contribuição e eficiência do uso do aplicativo foram analisadas por meio do teste do Qui-quadrado, cujo verifica a existência de relação entre duas variáveis categóricas, aqui apresentadas como: “uso do aplicativo” e “aprovação na disciplina”. Os resultados mostraram que o aplicativo teve boa aceitabilidade e que existe uma relação entre a utilização do aplicativo e aprovação na disciplina. Dessa forma, concluiu-se que a utilização do aplicativo PedoStudent como ferramenta de auxílio educacional possui boa aceitação e é eficiente frente às formas tradicionais de ensino.

  • ELIAS GOMES DE OLIVEIRA FILHO
  • Monitoramento das emissões de óxido nitroso (N2O) em sistemas de produção agrícola no Cerrado
  • Orientador : JOAO CARLOS MEDEIROS
  • Data: 30/07/2018
  • Mostrar Resumo
  • Atualmente no Brasil, 87% do N2O liberado à atmosfera é proveniente da agricultura (Signor e Cerri, 2013), o Cerrado nordestino, tem apresentado nos últimos 20 anos grande expansão, no entanto sendo necessário estudos que avaliem o papel da agricultura local nas emissões de GEE. Com isso o devido trabalho objetiva avaliar a dinâmica dos fluxos de N2O em sistemas de produção de grãos, e identificar a relação desses fluxos com os atributos físicos e químicos do solo. O trabalho foi realizado no cerrado nordestino, município de Bom Jesus, PI. Os tratamentos constaram de diferentes sistemas de cultivo de grãos conduzidos sob sistema de semeadura direta: soja (SO), milho (MI), consórcio de milho e braquiária (MB) e como sistema de referência o Cerrado nativo (CN). A área experimental era de aproximadamente 0,5 ha, com quatro repetições. Para a coleta dos gases utilizou-se o método da câmara estática, onde foram instaladas a uma distância de 20 metros. A concentração de N2O foi calculada por meio de regressões lineares; a emissão total foi realizada atráves da estimagem em dias nãos medidos, sendo calculada através da estatística descritiva (média e erro padrão). Foi realizado amostragem da temperatura do solo e do ar, umidade do solo, e coletado solo para determinação da densidade, e dos teores de amônio, nitrato e pH do solo. A fim de se observar a influência das variáveis físicas e químicas do solo sobre as emissões de N2O, utilizou-se a análise multivariada por meio da técnica da análise dos componentes principais (ACP), apresentada por meio dos gráficos BIPLOT. Realizou-se também análise de correlação de Pearson, para constatar as possíveis correlações entre essas variáveis. Os tratamentos que apresentaram o maior fluxo de N2O foram milho e consórcio milho e braquiária. Os menores fluxos ocorreram nos tratamentos de soja e Cerrado nativo. Os maiores fluxos de N2O correlacionaram-se com o nitrato e o amônio disponíveis no solo, permitindo afirmar que a adubação nitrogenada, aumenta os fluxos de N2O no solo.

  • DENISE BATISTA DE MORAIS
  • SISTEMA DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM SUCESSÃO DE CULTIVO CONSORCIADO COM PLANTAS DE COBERTURA
  • Orientador : RAFAEL FELIPPE RATKE
  • Data: 27/07/2018
  • Mostrar Resumo
  • O uso de sistema consorciado utilizando plantas de cobertura favorece benefícios na qualidade química e física do solo, principalmente quando cultivados em solos arenosos por possuírem baixa fertilidade natural . O uso de plantas de cobertura como fabáceas e poaceas consórciadas favorecem a proteção do solo e na ciclagem de nutrientes para culturas sucessoras, podendo assim proporcionar maior produtividade a outras culturas quando cultivadas sob a palhada remanescente. Porém, necessário o aprimoramento desse sistema devido à falta de informações naregião de transição Cerrado-Caatinga. Nesse sentido, descreve-se no capítulo 1 informações extraidas da revisão de literatura para maior compreensão sobre o sistema produtivo conservacionista com uso de consórcio de plantas de cobertura na cultura de grãos em ambientes de Cerrado e Caatinga. O segundo capitulo relaciona uma técnica de cultivo que tem como objetivo avaliar o desempenho da produtividade de massa seca, acúmulo de nutrientes, nutrientes em função do tempo e produtividade do milho consorciado com plantas de cobertura, bem como, a avaliação da produtividade do feijão caupi em sucessão da cultura do milho consorciado, em sistema de plantio direto. O experimento foi conduzido na Fazenda Experimental da Universidade Federal do Piauí (UFPI) – localizada no município de Alvorada do Gurgueia-PI/Brasil. Na safra 2016-2017 foi iniciado o plantio em solo arenoso, o delineamento experimental foi em blocos ao acaso com quatro repetições. Os tratamentos são consórcios: milho + Urochloa brizantha (U. brizantha) cv. marandu (MU); milho + Crotalária (crotalaria juncea) (MC); milho + feijão guandu-anão (Cajanus cajan) cv. Iapar 43 (MF); milho + Urochloa brizantha + crotalaria juncea (MUC); milho + Urochloa brizantha + feijão guandu-anão (MUF). Como referência para os consórcios foi utilizado o milho exclusivo ME (Zea mays). Na safra 2016-2017 foram avaliados: massa seca, acúmulo dos nutrientes, taxa de cobertura do solo e avaliação dos nutrientes na massa seca nos períodos 30, 60, 90 120 e 150 dias logo após a dessecação e roçagem da área, produtividade de grãos do milho. No início da safra 2017-2018 plantou-se o feijão caupi em sistema de plantio direto sob as parcelas do experimento e avaliados a massa seca, nutrição e produtividade do feijão caupi. As avaliações na massa seca do milho consorciado com plantas de cobertura, grãos de milho e as folhas de feijão-caupi foram realizadas procedimentos para as determinações dos teores de N, P, K, Ca, Mg e S. O maior acúmulo de macronutrientes foram observadas nos consórcios MU, MUF e no tratamento ME na safra 2016-2017. O consórcio de plantas de cobertura influencia a produtividade e exportação de macronutrientes em grãos de milho. Dentre os teores de massa seca e macronutrientes na palhada são influenciados pelos consórcio de plantas e pelo tempo de avaliação. A taxa de cobertura do solo foram influenciadas pela presença das plantas de cobertura. Na safra 2017-2018 A produtividade de grãos do feijão caupi apresentou benefícios quando cultivado sob a palhada de consórcio de milho com plantas de cobertura.

  • BÁRBARA DE ALBUQUERQUE PEREIRA
  • ELEMENTOS TERRAS RARAS EM SOLOS DE UMA BACIA SEDIMENTAR NO CERRADO DO PIAUÍ: TEORES NATURAIS, VALORES DE REFERÊNCIA, DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL E COMPARAÇÃO COM ÁREAS CULTIVADAS COM SOJA
  • Orientador : YURI JACQUES AGRA BEZERRA DA SILVA
  • Data: 13/07/2018
  • Mostrar Resumo
  •  

    Os elementos terras raras (ETRs) compreendem um grupo de 14 elementos da série dos lantanídeos e têm sido reconhecidos como poluentes emergentes. O uso intensivo de fertilizantes pode promover o acúmulo desses elementos no solo. A bacia hidrográfica do rio Uruçuí-Preto é uma unidade de conservação de grande representatividade para a região Sudoeste do Piauí, onde compreende a 5% do estado e abrange 25 municípios com destaque para Baixa Grande do Ribeiro e Uruçuí, maiores produtores de soja do estado. O objetivo desse trabalho foi determinar os teores naturais de ETRs em solos da bacia hidrográfica do Rio Uruçuí Preto, visando estabelecer Valores de Referência de Qualidade de ETRs em solos, assim como avaliar se o cultivo de soja está contaminando os solos com ETRs. Também foi investigada a influência das propriedades do solo na distribuição espacial dos ETRs. As 56 amostras compostas foram coletadas em áreas preservadas (30 amostras; i.e., sob mínima influência antrópica) e áreas sob cultivo de soja (26 amostras). A digestão das amostras foi realizada de acordo com a metodologia proposta pela Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA 3051A). Os ETRs foram quantificados por espectrometria de emissão óptica (ICP-OES) acoplada a uma câmara ciclônica. As concentrações médias dos ETRs em solos de áreas preservadas seguiram a ordem (mg kg-1): Ce (5,85) > Nd (2,37) > La (2,13) > Pr (0,85) > Sm (0,54) > Yb (0,22) > Er (0,18) > Eu (0,14) > Dy (0,13).  As concentrações médias de ETRs em solos cultivados com soja foram baixas e seguiram a ordem (mg kg-1): Ce (5,50) > La (1,78) > Pr (1,24) > Nd (0,75) > Sm (0,32) > Dy (0,25) > Er (0,10) = Yb (0,10) > Eu (0,04). O fator de enriquecimento das amostras de solos cultivados com soja apresentou valores inferiores a um para todos os ETRs calculados. Portanto, o risco de contaminação de fertilizantes por ETRs é muito baixo. As concentrações de ETRs em solos da bacia do rio Uruçuí-Preto são inferiores às encontradas em solos do Brasil. Esses baixos teores estão relacionados à origem da bacia, que é sedimentar, com predomínio de solos originados de arenitos. O carbono orgânico (CO) não exerceu influência na concentração de ETRs da bacia. O baixo fracionamento entre ETRs leves e pesados, evidenciadas pelas razões LaN/YbN inferiores a um, pode ser explicado pelos baixos teores naturais de ETRs em solos da bacia sedimentar. De acordo com o Percentil 90 (P90), os valores de referência de qualidade (VRQs) para ETRs em solos da bacia apresentaram a seguinte ordem (mg kg-1): Ce (5,20) > La (1,76) > Nd (1,35) > Pr (0,74) > Sm (0,38)> Dy (0,15) > Yb (0,14)> Er (0,12) > Eu (0,06). Os baixos valores de VRQs corroboram a importância do cálculo de VRQs em nível de bacia hidrográfica. Com base na distribuição espacial, a bacia do rio Uruçuí-Preto apresenta, predominantemente, áreas com baixa e muito baixa probabilidade de a concentração dos ETRs nos solos da bacia serem superiores aos VRQs. Dessa forma, as concentrações de ETRs encontradas na bacia são importantes para o monitoramento de futuros impactos decorrentes das atividades agrícolas na região.


  • REJANE MEYSON VIEIRA DE SOUSA
  • PARÂMETROS PRODUTIVOS E QUALITATIVOS DO MINI TOMATE SOB NÍVEIS DE SALINIDADE EM FERTIRRIGAÇÃO COM E SEM SILÍCIO
  • Orientador : EVERALDO MOREIRA DA SILVA
  • Data: 29/06/2018
  • Mostrar Resumo
  • O excesso de sais fertilizantes, tem sido uma problemática constante no cultivo em ambiente protegido, em especial em culturas de alto valor agregado, como a do mini tomate, pesquisas no mundo inteiro tem sido desenvolvidas com intuito de minimizar os efeitos deletérios ocasionados pelo acumulo de sais em ambientes fertirrigados, surgi neste contexto as fontes de silício, como o silicato de potássio utilizado amplamente na
    agricultura como mitigador de estresse biótico e abiótico sofrido pelas plantas, sendo mais recentemente estudado como bioestimulante para melhorar o desempenho produtivo das culturas. Assim objetivou-se com este trabalho avaliar os níveis de salinidade em fertirrigação com e sem uso de sílicio, sobre parâmetros produtivos e qualitativos do mini tomate, cultivado em substrato contido em vasos sob ambiente protegido. O estudo foi conduzido na área experimental da Universidade Federal do Piauí, Campus Professora Cinobelina Elvas. Para condução do experimento adotou-se delineamento em blocos casualizados, em esquema fatorial 6 x 2, com 4 repetições, seis níveis de salinidade inicial do substrato (S1 = 1,22; S2 = 2,13; S3 = 3,12; S4 = 4,07; S5 = 5,12 e S6 = 6,07 dS m-1) e dois manejos de fertirrigação, sendo um com adição de silício e sem adição de silício. As variáveis analisadas foram: Número de fruto, biomassa fresca, biomassa seca e qualidade dos frutos, mensurando produção e produtividade da cultura. Os resultados revelaram que uso do silício associado a fertirrigação com diferentes níveis de salinidade proporciona um melhor desempenho produtivo e qualitativo dos frutos do híbrido Sweet Heven, elevando assim a salinidade limiar dessa cultura. As variáveis estudadas, biomassa seca e fresca da cultura do mini tomate não sofreram influência negativa quando submetidos aos níveis de salinidade testados, por outro lado, a qualidade dos frutos, é afetada com o incremento dos níveis de salinidade, sendo amenizada no tratamento com a adição de silício.

  • LETÍCIA DA SILVA RIBEIRO
  • Comportamento físico de Latossolos Amarelos coesos e não coesos do Nordeste do Brasil
  • Orientador : JULIO CESAR AZEVEDO NOBREGA
  • Data: 28/06/2018
  • Mostrar Resumo
  • Os horizontes coesos são reconhecidos como potencialmente limitantes ao desenvolvimento das plantas, devido à elevada resistência do solo à penetração quando seco, elevados valores de densidade do solo e redução da condutividade hidráulica. Tal fato, afeta o desenvolvimento do sistema radicular das plantas, o teor de água disponível, a aeração e a absorção de nutrientes, constituindo um inibidor físico que influencia negativamente a produção agrícola. Neste sentido, por constituir os Tabuleiros Costeiros, uma área importante para a produção agrícola, principalmente no Nordeste brasileiro, objetivou-se com o presente estudo, avaliar o comportamento físico de Latossolos Amarelos coesos e não coesos nos Tabuleiros Costeiros da Bahia e no Cerrado piauiense (capítulo 2), bem como avaliar os limites de consistência e índices de estabilidade de agregados de um Latossolo Amarelo distrocoeso sob diferentes sistemas agroflorestais na região do Recôncavo da Bahia, bem como sua relação com o teor de matéria orgânica (capítulo 3). Para o primeiro estudo foi selecionado dois perfis de solos com expressiva manifestação do caráter coeso, ambos classificados como Latossolo Amarelo distrocoeso típico, no município de Cruz das Almas, região dos Tabuleiros Costeiros da Bahia e um perfil sem a presença do caráter coeso, no município de Palmeira do Piauí, região do Cerrado piauiense. Para o segundo estudo o delineamento experimental adotado foi o inteiramente casualizado em esquema fatorial 5x3, constituído por cinco sistemas de manejo e uso do solo com três profundidades de solo, com 3 repetições, totalizando 45 unidades amostrais. Os sistemas de uso avaliados foram compostos por quatro povoamentos com plantas de espécies nativas e uma área sob pastagem, sendo: Angico vermelho – PAV, Sabiá-PS, Gonçalo Alves-PGA, Jenipapo-PJ e Pastagem (PAST). As frações de areia muito grossa e grossa está associada a gênese desses horizontes com caráter coeso, permitindo um melhor arranjamento das partículas tornando o perfil mais adensado e sujeito a cimentação. A maior proporção das frações areia muito grossa e grossa verificada nos solos coesos, contribuiu para elevar os valores de densidade do solo, microporosidade e resistência a penetração, com redução da relação macro/microporosidade e condutividade hidráulica. As áreas sob pastagem e sob o cultivo de Sabiá são as que mais contribuíram para a estabilização dos agregados do solo nos primeiros 4 cm de profundidade. O índice de estabilidade e a percentagem de agregados maiores que 2,0 mm estáveis em água demonstraram ser propriedades de avaliação da estabilidade de agregados e apresentaram correlações com o teor de C orgânico total do solo.As áreas sob pastagem apresentaram os maiores teores de COT, em todas as profundidades estudadas, com decréscimos ao longo do perfil. Os solos sob pastagem e cultivo de Jenipapo apresentaram os maiores valores de limite de plasticidade nas camadas de 0-0,2 e 0,2-0,4.

  • ELIABE BARROS DE OLIVEIRA
  • ELEMENTOS TERRAS RARAS EM SOLOS DE UMA BACIA HIDROGRÁFICA REPRESENTATIVA DO BIOMA CERRADO, SUL DO PIAUÍ
  • Orientador : YURI JACQUES AGRA BEZERRA DA SILVA
  • Data: 29/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • Os elementos terras raras (ETRs) constituem um grupo formado por 15 elementos da série dos lantanídeos (lantânio ao lutécio). Baseado no número atômico, estes elementos são frequentemente divididos em dois grupos: elementos terras raras leves (ETRLs; La à Eu) e elementos terras raras pesados (ETRPs; Gd à Lu). Apesar da nomenclatura “raros”, parte destes elementos são abundantes nos compartimentos pedológicos e geológicos, a exemplo do Cério - 25° elemento mais abundante da crosta terrestre. Como são amplamente utilizados na produção tecnológica e industrial, o destino incorreto desses produtos, pode incorrer em diversos problemas ambientais. A bacia hidrográfica do rio Gurguéia representa 19% do estado do Piauí e está inserida dentro de uma das últimas fronteiras agrícola do país. Dessa forma, o uso intensivo de máquinas e insumos agrícolas, pode provocar o aumento da concentração de ETRs no solo, tornando-se um problema ambiental. O trabalho teve como objetivo determinar a concentração natural e estabelecer os valores de referência de qualidade de ETRs em solos originados de diferentes materiais de origem da bacia hidrográfica do rio Gurguéia, assim como avaliar a associação geoquímica entre os ETRs e os elementos maiores.  Foram coletadas 55 amostras compostas de solo na profundidade de 0 a 20 cm, em áreas com pouca ou nenhuma ação antrópica. A digestão das amostras foi realizada de acordo com a metodologia proposta pela Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA 3051A). As concentrações de ETRs foram determinadas por Espectroscopia de emissão Óptica. Os elementos maiores foram determinados por espectrometria de fluorescência de raios X.  A concentração média de ETRs em solos da bacia hidrográfica do rio Gurguéia seguiu a seguinte ordem (mg kg-1):  Ce > Nd > La > Pr > Sm > Gd > Dy > Er > Yb > Tb > Eu > Lu > Ho > Tm. Os baixos teores de ETRs estão relacionados ao predomínio de solos originados de arenitos que, geralmente, apresentam baixas concentrações desses elementos. Os ETRs leves e pesados representam 91 e 9% do total dos elementos terras raras, respectivamente, sendo a maior parte dos ETRs leves constituído pelo Ce (47%). Em geral, os baixos teores de ETRs em solos, em consequência do predomínio de textura arenosa, explicam o baixo fracionamento observado entre ETRs leves e pesados, assim como as ausências de anomalias de Cério e Európio.  Baseado no percentil 75, Os VRQs para ETRs apresentaram a seguinte ordem (mg kg-1): Ce (3,31) > La (10,94) > Nd (9,48) > Pr (4,32) > Sm (1,87) > Gd (1,520 > Dy (0,69) > Er (0,43) > Yb (0,19) > Tb (0,14) > Lu (0,18) > Ho (0,06). Esses resultados servirão de referência para o monitoramento da qualidade dos solos da região, devido principalmente à acelerada expansão do cultivo agrícola.

  • JOAO LUCAS DA SILVA PEREIRA
  • PERDA DE SOLO POR EROSÃO HÍDRICA EM SISTEMAS DE PREPARO DO SOLO SOB CHUVA SIMULADA
  • Orientador : JOAO CARLOS MEDEIROS
  • Data: 28/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • A erosão hídrica promove a perda de solo, e as suas consequências variam de acordo com a sua severidade. No entanto, esta (erosão hídrica) pode ser combatida através de práticas culturais. Neste sentido, foi desenvolvido um estudo com o intuito de avaliar as perdas de solo por erosão hídrica em sistemas de preparo do solo sob chuva simulada. Assim, foi desenvolvido um estudo na estação experimental do Campus Professora Cinobelina Elvas da Universidade Federal do Piauí, em Bom Jesus-PI, em delineamento experimental DBC, com parcelas subdivididas no tempo e quatro repetições. As parcelas eram constituídas por três métodos de preparo do solo: preparo convencional do solo, cultivo mínimo e semeadura direta sem revolvimento do solo; as subparcelas foram constituídas por 10 intervalos de tempo sob chuva simulada, com intensidade de 68 mm h-1 (6, 12, 18, 24, 30, 36, 42, 48, 54 e 60 minutos), totalizando 120 unidades experimentais. O volume de água escoado em cada intervalo foi utilizado para estimar a infiltração e determinar a perda de solo. A menor infiltração e maior escoamento superficial foram observados no plantio convencional, com valores de  32,9 mm e 33,9 mm, respectivamente. Já o solo tratado com a semeadura direta apresentou escoamento e infiltração intermediários (25,4 e 41,5 mm, respectivamente), no entanto, a menor perda de solo (0,12 Mg ha-¹), maior densidade e teor de silte. Observou-se que após uma chuva intensa (68 mm h-1), o solo da semeadura direta apresentou uma menor perda da quantidade de solo por erosão em comparação ao solo preparado para plantio convencional e cultivo mínimo. Já plantio convencional implica em uma menor infiltração, maior escoamento superficial de água e maior perda de solo. Diante dos resultados, conclui-se que o preparo conservacionista com menor revolvimento reduz as perdas de solo por erosão hídrica.

     

2017
Descrição
  • ADRIANNE CAVALCANTE LEAL PINHEIRO
  • INOCULAÇÃO MICORRÍZICA NO CRESCIMENTO INICIAL DE CLONE DE EUCALIPTO SOB DOSES DE BOKASHI
  • Orientador : ADRIANA MIRANDA DE SANTANA ARAUCO
  • Data: 30/11/2017
  • Mostrar Resumo
  • A inoculação de mudas de espécies florestais com fungos micorrízicos arbusculares (FMA) apresenta-se como uma importante estratégia de manejo em condições de revegetação de áreas degradadas, além disso tem sido muito explorada em plantios comerciais visando o aumento da produção madeireira. O estabelecimento da associação micorrízica em espécies de eucalipto e os benefícios da simbiose têm sido explorados comercialmente em diversas regiões do Brasil, devido aos benefícios que esses proporcionam às plantas, tornando possível o estabelecimento das mudas em solos com baixa disponibilidade de nutrientes. Os compostos fermentados do tipo bokashi vêm ganhando espaço na produção de mudas de diversas espécies, devido a sua principal característica de estimular e aumentar a microbiota do solo, principalmente FMAs. Neste contexto, este trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar a inoculação com diferentes estirpes de fungos micorrízicos arbusculares associado à aplicação de doses de FertBokashi Premium® no crescimento inicial do clone de eucalipto KL104. O experimento foi conduzido em casa de vegetação no Campus Profª Cinobelina Elvas, Bom Jesus-PI e os tratamentos distribuídos em um delineamento em blocos casualizados, em esquema fatorial de 7x5, sendo seis tratamentos com fungos micorrízicos (E1-Claroideoglumos etunicatum, E2- Acaulospora morrowiae, E3-Gigaspora albida e os consórcios entre as estirpes: E1+E2, E1+E3 e E2+E3) e um tratamento controle sem inoculação e cinco doses do Fertbokashi Premium®(0; 2,3; 5,6; 11,3 e 22,5 μL dm-3). Aos 90 dias após o plantio avaliou-se a altura das plantas (H), número de folhas (NF), matéria seca da parte aérea (MSPA) e das raízes(MSR), diâmetro do coleto (DC), comprimento de raízes (CR), colonização micorrízica (CM), relação altura e diâmetro do caule (RH/DC), relação altura e massa seca da parte aérea (RHMSPA), relação massa seca da parte aérea/massa seca da raiz (RMSPA/R), e o índice de qualidade de Dickson (IQD). Houve interação entre os tratamentos com micorrizas e as doses do bokashi para as variáveis H, MSR, CR, RH/DC, RMSPA/R e CM. Para as variáveis MSPA e DC somente os tratamentos foram significativos. O tratamento E1+E3 apresentou maior MSR (9,33 g planta-1) na dose 11,3 μL dm-3. O maior CR de raiz (108,62 cm) foi observado no tratamento E1+E2 na dose 5,6 μL dm-3. O tratamento com a estirpe E3 proporcionou a maior média para H com 78,25 cm, sem o Fertbokashi. A CM variou de 15,23 a 51,9%, sendo as estirpes E1 e E2 as que apresentaram maior taxa de CM. O tratamento E3-G. Albida sem o Fertbokashi obteve a maior RMSPAR com 15,22. A RHDC foi maior no consórcio E1+E2, com 1,75, sem a aplicação do bokashi. O tratamento E2 obteve 7,75 g planta-1 para MSPA, e o consórcio E1+E2 proporcionou incremento no DC com 5,39 cm. A aplicação de FMAs em conjunto com o Fertbokashi Premium promoveu resultados positivos para massa seca da raiz (MSR), relação massa seca da parte aérea/massa seca da raiz (RMSPA/R), altura (H), relação altura/diâmetro do caule (RH/DC), colonização micorrízica (CM), comprimento da raiz (CR) e índice de qualidade de Dickson (IQD).

  • DIEGO FERREIRA DE SOUZA
  • GÊNESE DE SOLOS EM CERRADO DE CLIMA TROPICAL COM ESTAÇÃO SECA DE INVERNO
  • Orientador : MARCIO CLETO SOARES DE MOURA
  • Data: 31/07/2017
  • Mostrar Resumo
  • Estudos de caracterização de solos em regiões ainda pouco exploradas, além de disponibilizarem e ampliarem a base de informações sobre as mais distintas ordens de solos do território nacional, também permitem sistematizar informações sobre suas propriedades, que poderão servir de subsídio para o desenvolvimento de práticas de manejo e uso sustentável das terras.
    O objetivo deste trabalho foi caracterizar atributos morfológicos, físicos, químicos e mineralógicos de solos formados em Cerrado de clima tropical com (estação seca de inverno). Utilizaram-se cinco perfis localizados na microrregião do Alto médio Gurguéia, sudoeste do Estado do Piauí. Os perfis foram numerados de P1 a P5 seguindo a seguinte ordem: NEOSSOLO FLÚVICO (RY), LATOSSOLO AMARELO (LA), NEOSSOLO LITÓLICO (RL), NEOSSOLO QUARTZARÊNICO (RQ) e ARGISSOLO VERMELHO (PV). Os perfis foram submetidos à descrição morfológica e a amostragem em seus horizontes. Foram feitas as caracterizações físicas, químicas e mineralógicas. Os perfis amostrados apresentaram características compatíveis com as observações descritas no sistema brasileiro de classificação de solos. Os solos dessa região apresentaram-se com elevados teores de areia e com pH ácido e baixa saturação por bases (V), que é reflexo direto da influência do arenito material de maior expressão na formação destes solos. Com os difratogramas da argila foi possível observar a presença de caulinita, goethita, hematita, quartzo, muscovita, ilita, rutilo, anatásio, vermiculita. Conclui-se que é possível traçar um padrão entre os solos dessa região que é, principalmente, em resposta ao elevado teor de areia e a maior ocorrência de minerais 2:1.

  • LAÍSA MARIA MARTINS AZEVÊDO
  • PRODUÇÃO DE moringa oleífera EM FUNÇÃO DO TIPO DE RECIPIENTE E DOSES DE COMPOSTO ORGÂNICO
  • Orientador : JULIO CESAR AZEVEDO NOBREGA
  • Data: 31/07/2017
  • Mostrar Resumo
  • A região semiárida do Nordeste do Brasil compreende uma área caracterizada pela deficiência hídrica, fortes irregularidades das precipitações e solos pobres em matéria orgânica. Espécies adaptadas às essas condições e de uso diversificado com especial destaque para áreas de alimentação animal e revegetação de pastagem tem sido objeto de estudo para a região. Moringa oleífera é leguminosas capaz de produzir boa quantidade de forragem sob baixas condições pluviométrica ou mesmo em épocas de prolongada estiagem. O objetivo desse trabalho foi avaliar a influência de diferentes volumes de recipientes e substratos na produção de Moringa oleífera. O experimento foi conduzido em casa de vegetação da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, em delineamento inteiramente casualizado. Os tratamentos consistiram da combinação de três volumes de tubetes: 55, 180 e 280 cm3 e cinco diferentes proporções de composto orgânico (0:100, 20:80, 40:60, 60:80 e 80:20). As avaliações consistiram em se fazer altura da planta, diâmetro do colo e número de folhas e a partir dessas determinar massa seca da parte aérea (MSPA), massa seca da raiz (MSR), massa seca total (MST) suas relações e o índice de qualidade de Dickson (IQD). Os resultados mostraram que os efeitos dos substratos nas variáveis morfológicas das mudas de moringa variaram de acordo com as proporções do substrato e o volume dos recipientes. A adição do composto proporcionou aumento na altura da planta, diâmetro do colo, razão entre massa seca de parte aérea por massa seca de raiz e IQD. As mudas avaliadas nos tubetes com maior volume mostraram maiores média exceto para as variáveis MSR e AP/MSPA que mostraram mesmo desempenho no tubete de 180 cm3.

  • ANA CLECIA CAMPOS BRITO
  • TEORES NATURAIS DE METAIS PESADOS E CONTAMINAÇÃO EM SOLOS AGRÍCOLAS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO URUÇUÍ PRETO, MESORREGIÃO SUDOESTE PIAUIENSE
  • Orientador : CACIO LUIZ BOECHAT
  • Data: 28/07/2017
  • Mostrar Resumo
  • O solo possui funções que auxiliam a sustentabilidade do ecossistema por possuir capacidade de imobilizar substâncias nele depositadas, servindo como um filtro para essas substâncias. Práticas como o desmatamento, aplicação de agroquímicos, deposição de resíduos urbanos e industriais, e a utilização de lodo de esgoto como fertilizantes causa efeitos acumulativos de substâncias tóxicas prejudicando o equilíbrio natural do solo. Os metais pesados ocorrem naturalmente nos solos, dependem do material de origem, dos processos pedogenéticos, normalmente apresentam baixos teores. O conhecimento dos teores naturais dos metais no solo torna-se importante para a avaliação e manutenção de sua qualidade e monitoramento de áreas com suspeita de contaminação. As fontes de contaminação provenientes de áreas agrícolas geralmente ocorrem pela a aplicação de agrotóxicos e fertilizantes. O cerrado piauiense, apresenta características favoráveis ao desenvolvimento da agricultura de larga escala, com o avanço técnico vislumbrou-se a sua incorporação no circuito internacional de produção como maneira de satisfazer à demanda por alimentos. A bacia hidrográfica do rio Uruçuí Preto, possui valiosa importância para o estado. Destacando-se como principal atividade econômica a agricultura. O trabalho objetivou determinar os teores naturais e estabelecer os valores de referência de qualidade (VRQs) e monitorar a contaminação por metais pesados em áreas agrícolas cultivadas com grãos. Foram coletadas 30 amostras de solo em área natural e 32 amostras de solos agrícolas, levando em consideração a geologia, pedologia, relevo e vegetação. Os extratos foram obtidos através do método de digestão 3051A da USEPA e os teores de metais nas amostras foram determinados por espectrometria de emissão óptica (ICP-OES). Os dados foram analisados por métodos estáticos descritivos e após a retirada de valores anômalos com auxílio de gráficos “boxsplot” os VRQs foram estipulados. Em geral os solos da bacia hidrográfica do rio Uruçuí Preto apresentaram teores naturais de metais pesados menores que os encontrados na mesorregião sudoeste do Piauí e em outros estados brasileiros, essas diferenças ocorrem, principalmente, as respostas do material de origem e os processos pedogenéticos envolvidos. Os VRQs estabelecidos nos solos da bacia do Uruçuí Preto em relação a outros estados ou mesmo dentro do estado são relativamente baixos refletindo a diversidade dos materiais de origem. Para os solos agrícolas houve um aumento significativa nas concentrações de metais pesados comparando com os teores naturais, indicando que as atividades agrícolas por meio da aplicação de fertilizantes contribuindo de forma indireta para o aumento das concentrações dos metais nesses solos. O FE para os metais pesados avaliados, indica que intenso uso de fertilizantes e defensivos, houve acúmulo desses metais no solo ao longo dos anos, logo, merecem ser monitorados. De maneira geral os VRQs estabelecidos para a bacia hidrográfica do rio Uruçuí Preto são considerados baixos quando comparados aos solos de outros estados. As práticas agrícolas empregadas nas áreas antropizadas estão contribuindo para a contaminação desses solos por metais pesados.

  • CINTHIA MARIA CORDEIRO ATANÁZIO CRUZ SILVA
  • CONCENTRAÇÕES NATURAIS E DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DE ELEMENTOS TERRAS RARAS EM SOLOS DO RIO GRANDE DO NORTE
  • Orientador : RONNY SOBREIRA BARBOSA
  • Data: 27/07/2017
  • Mostrar Resumo
  • O crescimento dos setores agrícola e industrial tem aumentado a demanda dos elementos terras raras (ETRs) para a produção de dispositivos tecnológicos e de fertilizantes, portanto, o acúmulo desses elementos no solo pode se tornar uma preocupação ambiental. Nesse contexto, os objetivos do trabalho são: i) determinar o teor natural de ETRs em solos do RN; ii) avaliar a influência dos elementos maiores e das propriedades físicas e químicas do solo na distribuição dos ETRs; iii) elaborar os mapas de distribuição espacial dos ETRs em solos do RN. As concentrações de lantânio (La), cério (Ce), praseodímio (Pr), neodímio (Nd), samário (Sm), európio (Eu), gadolínio (Gd), itérbio (Yb), lutécio (Lu), disprósio (Dy), érbio (Er), hólmio (Ho), térbio (Tb), túlio (Tm), ítrio (Y) e escândio (Sc) foram determinadas por Espectroscopia de emissão óptica de plasma indutivo acoplado (ICP-OES/Optima DV7000, Perkin Elmer). Os elementos maiores foram determinados por espectrometria de fluorescência de raios X (FRX). A concentração média de ETRs em solos do RN seguiu a ordem: Ce > La > Nd > Pr > Sm > Gd > Dy > Er > Yb > Eu = Tb > Ho > Lu. O pH do solo e o CO não exerceram influência na concentração de ETRs em superfície. Isso sugere que a composição química da matéria orgânica e a interação dos compartimentos químicos desta com os ETRs é mais importante que a concentração total. Também ficou evidente que o efeito da concentração de argila se sobrepõe em relação ao efeito do carbono orgânico. Dentro dos minerais na fração argila, a elevada correlação entre o Fe2O3 e os ETRs indica que os óxidos de ferro governam predominantemente a distribuição dos ETRs nos solos do RN.

  • TAMARA ARAÚJO SCHÊNFERT
  • DOSES DE CALCÁRIO E GESSO NA CULTURA DA SOJA EM ÁREA DE ABERTURA NO CERRADO PIAUIENSE
  • Orientador : RAFAEL FELIPPE RATKE
  • Data: 20/07/2017
  • Mostrar Resumo
  • O Cerrado ocupa 21% do território nacional, nesse bioma está concentrado as atividades agropecuárias do Brasil, última fronteira agrícola do planeta. Nesse sentido, o Cerrado piauiense, vem se destacando nacionalmente como uma região de grande potencial de produção de grãos, principalmente com a cultura da soja. O presente trabalho teve por objetivo avaliar os teores foliares dos macronutrientes, a produtividade e o peso de 100 grãos em área de abertura no cerrado piauiense, submetido a doses de calcário e gesso agrícola. O experimento foi conduzido na Fazenda União (Serra das Laranjeiras), Município de Currais – PI, em solo classificado como Latossolo amarelo distrófico típico, em condições de sequeiro e em área recém-desbravada. O delineamento experimental utilizado foi em blocos completos ao acaso, com quatro repetições e 20 tratamentos. Foram avaliados os teores foliares (N. P, K, Ca, Mg e S) produtividade e peso de 100 grãos em anos consecutivos 2016 e 2017. A produtividade e o peso de 100 grãos do primeiro ano foram influenciados pela interação calcário e gesso e expressaram um aumento de 100% em relação a testemunha. A aplicação de calcário associada à de gesso alterou significativamente os teores de cálcio foliar e expressou um aumento de 64% em comparação a testemunha. Na produtividade do segundo ano a dose de 10 t ha-1 de calcário expressou aumento de 87% na produtividade da soja em relação a testemunha e o efeito de gesso isolado aumento de 70,28% em relação a testemunha. A máxima concentração de nitrogênio (N) foliar da soja foi encontrada com 2 t ha-1 de gesso. A gessagem aumentou 0,5% de fósforo (P) na concentração foliar da soja em relação ao valor encontrado na testemunha. O gesso (dose de 4 t ha-1) reduziu o teor de potássio (K+) foliar. A aplicação de calcário também apresentou uma redução máxima de 27% no teor foliar de K+. Observou-se resposta quadrática na absorção de magnésio pela cultura da soja, sendo o teor máximo foliar do elemento igual a 5,59 g kg-1, proporcionado pela dose de 8 t ha-1 de calcário. O gesso favoreceu o acumulo de S nas folhas de soja. Houve uma redução de 15% do teor de S foliar em relação as doses de calcário. A calagem e a gessagem favoreceram incrementos na soja, tanto na produtividade quanto nos teores foliares.

  • MARCELA CHRISTOVAM BERTECHINI
  • FRAÇÕES DA MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO EM FUNÇÃO DE FONTES E DOSES DE FERTILIZANTE MINERAL E ORGANOMINERAL NO CERRADO PIAUIENSE
  • Orientador : RAFAEL FELIPPE RATKE
  • Data: 19/07/2017
  • Mostrar Resumo
  • Devido ao elevado grau de intemperismo e à alta capacidade sortiva do fósforo (P) em solos de regiões tropicais e subtropicais, a utilização de fontes mais eficientes de fertilizantes como os fertilizantes organominerais granulados, resultantes da mistura de uma fonte mineral de fósforo com uma ou mais fontes de matéria orgânica, é uma alternativa para aumentar a eficiência da adubação fosfatada nesses solos, possibilitando a redução de perdas, aumento da biodisponilibilidade de P e melhoria na qualidade do solo. Nesse sentido o presente trabalho tem por objetivo avaliar o efeito da utilização de fertilizante organomineral granulado e fertilizante com substâncias húmicas em área agrícola com sucessão milho-soja, nos compartimentos da matéria orgânica do solo. O estudo foi desenvolvido a campo em Latossolo Amarelo distrófico no município de Uruçuí, PI, o delineamento experimental foi em blocos casualizados arranjado em esquema fatorial (2x5), com quatro repetições. Os tratamentos constituíram-se de duas fontes de fertilizantes (organomineral e NPK com substâncias húmicas), aplicados em cinco doses crescentes (0, 20, 40, 60 e 80 kg ha-1 de P2O5). As amostras de solo foram coletadas na profundidade de 0 a 0,2 m e determinados os teores de carbono orgânico total, carbono orgânico particulado, carbono lábil, carbono orgânico associado aos minerais e o carbono das frações ácido húmico, ácido fúlvico e da humina . Os tratamentos que receberam adubação mostraram-se superiores em relação à testemunha, sem adição de fertilizante, nos compartimentos da matéria orgânica. O uso de fertilizantes organominerais granulados e minerais com substâncias húmicas incrementa os teores de carbono orgânico total, frações lábeis e húmicas na sucessão milho-soja em solos do Cerrado piauiense.

  • LUCAS SILVA BARREIRA
  • CRESCIMENTO E RENDIMENTO DA SOJA AFETADA PELA COMPACTAÇÃO E NÍVEIS DE COBERTURA EM SOLO ARENOSO
  • Orientador : JOAO CARLOS MEDEIROS
  • Data: 02/03/2017
  • Mostrar Resumo
  • A compactação do solo é considerada um dos principais problemas da agricultura moderna, afetando diretamente a qualidade do solo e do ambiente e, consequentemente o rendimento das culturas. Entretanto, a presença de palhada na superfície do solo, pode atenuar o efeito de degradante da compactação na estrutura do solo. Neste sentido, foi desenvolvido um estudo com o objetivo de avaliar os efeitos do tráfego de máquinas no sistema solo-planta, utilizando-se diferentes níveis de compactação e de palhada e avaliando-se os atributos físicos do solo e também sobre o desenvolvimento e produtividade da cultura da soja. O trabalho foi realizado no Cerrado nordestino na região sudoeste do Piauí, sob um Latossolo Amarelo distrófico. O delineamento experimental foi em blocos casualizados em arranjo de parcelas subsubdivididas com quatro repetições. Nas parcelas foi alocado o fator compactação (número de passadas de trator: 0, 2, 3, 5 e 7) e nas subparcelas o fator palhada (0; 10; 20 e 30 Mg de palha ha-1). Os atributos físicos do solo avaliados foram: resistência do solo a penetração (RP), infiltração (I) e velocidade básica de infiltração de água (VIB). Foram avaliadas as seguintes variáveis de crescimento na cultura da soja: altura de plantas (AP), área foliar (AF), massa seca das plantas (MS) e massa seca de raiz (MSR) e ao final do ciclo a produtividade da cultura. O aumento no tráfego de máquinas aumenta linearmente a resistência à penetração do solo, reduz a infiltração acumulada e a velocidade de infiltração de água, e consequentemente reduz o crescimento e a produtividade da soja. A cobertura do solo com 30 t ha-1 de palhada, reduz o efeito do tráfego de máquinas na compactação do solo, com aumento do crescimento da parte aérea e desenvolvimento radicular, e da produtividade da soja. Desta forma, manter o solo coberto representa uma medida significativa para reduzir os efeitos da compactação do solo pelo tráfego de máquinas agrícolas.

  • ANTONNY FRANCISCO SAMPAIO DE SENA
  • TEORES NATURAIS E VALORES DE REFERÊNCIA DE QUALIDADE PARA METAIS PESADOS EM SOLOS DA MESORREGIÃO SUDOESTE DO ESTADO DO PIAUÍ
  • Orientador : CACIO LUIZ BOECHAT
  • Data: 02/03/2017
  • Mostrar Resumo
  • A mesorregião sudoeste do Estado do Piauí é tida como umas das áreas mais promissoras para produção de grãos no Brasil. A ocupação de novas áreas, o crescimento populacional e a alta demanda por insumos industrializados são comuns na cadeia produtiva do agronegócio. No entanto, práticas como o uso de agroquímicos, utilização de maquinários e o descarte de resíduos gerados pela população são uma ameaça ao equilíbrio ambiental, em especial para o solo, que se torna receptor e acumulador desses resíduos, muitas vezes ricos em elementos potencialmente tóxicos como os metais pesados. Esses metais, quando presentes em quantidades maiores que as naturalmente encontradas em um determinado ecossistema podem interferir nos processos naturais, tornando-se um risco à saúde de plantas, animais e humanos. Sendo assim, o Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) por meio da Resolução nº 420 de 2009, determinou que cada estado da federação determinasse, a partir dos teores naturais de metais no solo, os respectivos Valores de Referência de Qualidade (VRQs), para auxiliar os órgãos de controle ambientais na fiscalização, legislação e planejamento ambiental de áreas sob risco de contaminação por metais pesados em cada estado do território brasileiro. Este trabalho teve como objetivo determinar os teores naturais e estabelecer os VRQs de Ba, Cd, Co, Cr, Cu, Fe, Mo, Ni, Pb, Sb, V e Zn para a mesorregião sudoeste do estado do Piauí. Foram coletadas 116 amostras de solo, representando as diferentes características da área de estudo, levando-se em conta a geologia, pedologia, relevo e vegetação. Os extratos foram obtidos através do método de digestão 3051A da USEPA e os teores de metais nas amostras foram determinados por espectrometria de emissão óptica (ICP-OES). Os dados foram analisados por meio de métodos estáticos descritivos e após a retirada de valores anômalos com auxílio de gráficos “boxsplot” os VRQs foram estipulados. Em geral os solos da mesorregião sudoeste do Piauí apresentaram teores de metais pesados menores que os encontrados em outros estados brasileiros, o que atesta a necessidade de regionalização dos VRQs, como determina o Conselho Nacional do Meio Ambiente. Esses resultados irão proporcionar o suporte científico necessário para que os órgãos de monitoramento ambiental do Piauí possam monitorar a qualidade dos solos da mesorregião sudoeste do estado.

  • DALLIANE NOGUEIRA DE SOUZA LIRA
  • CRESCIMENTO INICIAL E NUTRIÇÃO DE CANA-DE-AÇÚCAR INOCULADA COM BACTÉRIAS DIAZOTRÓFICAS
  • Orientador : ADRIANA MIRANDA DE SANTANA ARAUCO
  • Data: 28/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • A cultura da cana-de-açúcar constitui uma das primeiras atividades de importância econômica no Brasil, compõe o mais antigo setor agroindustrial do País e ocupa uma posição de destaque na economia nacional. Dentre as várias formas de incrementar a produção vegetal, destaca-se o suprimento de fertilizantes minerais. E o entendimento da dinâmica nutricional nos diferentes estágios fenológicos da cultura juntamente com o uso de bactérias fixadoras de nitrogênio tem sido uma das alternativas para diminuir o consumo de fertilizantes. Desta forma, este trabalho teve por objetivo geral avaliar os atributos morfofisiológicos e a distribuição dos nutrientes no estágio de crescimento inicial de duas variedades de cana-de-açúcar, proporcionados pela aplicação de inoculantes microbianos contendo bactérias diazotróficas previamente selecionadas, inoculadas em consórcio e de forma individualizada. O experimento foi conduzido em casa de vegetação na Universidade Federal do Piauí (UFPI), Campus Professora Cinobelina Elvas, em Bom Jesus – PI, utilizando recipientes plásticos de 18 Kg de solo. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso, em arranjo fatorial (2 x 8) com quatro repetições, o primeiro fator foi constituído por duas variedades (Co 1341-76 e RB 867515) e o segundo fator por plantas inoculadas com a mistura das estirpes de Gluconacetobacter diazotrophicus (BR 11284), Burkholderia tropica (BR 11366), Herbaspirillum seropedicae (BR 11175), Herbaspirillum rubrisubalbicans (BR 11192) e Azospirillum amazonense (BR 11140) e plantas inoculadas com cada tipo de estirpe estudada de forma individualizada. Dois tratamentos controles, um com adubação nitrogenada mineral de 120 kg de N ha-1 e outro sem adubação nitrogenada e sem inoculação. Foram avaliadas as variáveis biométricas, o acúmulo de biomassa e os teores de macro e micronutrientes contidos nas estruturas das folhas, caule e raiz. No experimento foram observados efeitos positivos quanto aos atributos morfofisiológicos e aos teores de nutrientes, proporcionados pela inoculação individual de bactérias diazotróficas. Os resultados demonstram a viabilidade da tecnologia para a cana-de-açúcar e principalmente ganhos ambientais.

  • RICARDO DOS SANTOS LOPES
  • TEORES DE MACRONUTRIENTES E PRODUTIVIDADE DO MILHO EM FUNÇÃO DE FONTES E DOSES DE ENXOFRE EM LATOSSOLO DO CERRADO
  • Orientador : MARCIO CLETO SOARES DE MOURA
  • Data: 24/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • As necessidades nutricionais de uma planta são determinadas pelas
    quantidades de nutrientes absorvidos e o conhecimento dessas quantidades permite
    estimar as necessidades e as taxas exportadas, bem como as formas de adubação para
    disponibilizar de maneira adequada cada nutriente para as culturas. Desse modo,
    objetiva-se determinar os teores de macronutrientes na folha e grãos de milho em
    função da disponibilidade dos macronutrientes da adubação com enxofre. O
    experimento foi conduzido na Serra do Quilombo, no município de Bom Jesus – PI. O
    delineamento experimental utilizado foi blocos ao acaso, com 4 repetições. Os
    tratamentos foram dispostos em esquema fatorial, com tratamento adicional, 3 x 4 + 1,
    totalizando 52 unidades experimentais. Sendo três fontes de enxofre: gesso,
    superfosfato simples e sulfurgran, nas doses de 0, 15, 30, 45, e 60 kg ha-1 de S a lanço
    antes do plantio. Foram avaliados os seguintes parâmetros, teores de macronutrientes no
    solo nas profundidades de 0-20 e 20-40 cm, teor de N, P, K, Ca, Mg e S na folha e grão
    de milho, relação entre produtividade e teor de enxofre exportado. Os adubos contendo
    enxofre não influenciaram no valor de pH em nenhuma das fontes e doses avaliados, e
    não foram significativas para as profundidades. O sulfato é translocado pelo perfil do
    solo. O sulfurgran disponibilizou quantidade de sulfato menor em comparação com as
    outras duas fontes. O acúmulo total de sulfato na cultura do milho segue um padrão
    similar ao do N, entretanto as quantidades de enxofre acumulado são inferiores. A maior
    absorção de macronutrientes no grão se foi com a utilização do adubo sulfurgran. As
    quantidades de S-exportado apresentaram efeito significativo atingindo maiores valores
    entre as maiores doses, seguindo os padrões da produtividade usando o adubo gesso. O
    solo na profundidade 0-20 cm apresentou correlação positiva para o enxofre no grão e
    no enxofre exportado.

  • LILIANE OLIVEIRA LOPES
  • EFICIÊNCIA DA ADUBAÇÃO SULFATADA NOS TEORES DE MACRONUTRIENTES E NAS CARACTERÍSTICAS AGRONÔMICAS DA CULTURA DA SOJA NO CERRADO
  • Orientador : MARCIO CLETO SOARES DE MOURA
  • Data: 24/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • O enxofre (S) é um macronutriente essencial e suas exigências para as culturas
    agrícolas são inferiores às de nitrogênio e de potássio, mas similares ou superiores às de
    fósforo. Apesar disso, o S muitas vezes é deixado de lado no manejo da adubação de
    culturas.Objetivou-se avaliar o efeito de fontes e doses de fertilizantes com enxofre,
    sobre as características agronômicas da soja bem como os teores de nutrientes na folha,
    grãos e no solo do Cerrado brasileiro.O experimento foi conduzido em uma fazenda
    agrícola na Serra do Quilombo, município de Bom Jesus – PI. O delineamento
    experimental foi em blocos ao acaso, com 4 repetições.Os tratamentos foram dispostos
    em esquema fatorial com um tratamento adicional 3x5+1,totalizando 64 parcelas
    experimentais.Foram utilizados fontes de enxofre:uma fonte de S elementar (90% de S),
    Superfosfato Simples (10% de S) e Gesso (15% de S) e cinco doses de S, 20, 40, 60, 80
    e 100 kg ha-1 de S, mais o controle (sem adubo).Foram avaliados os seguintes
    parâmetros: Produtividade, eficiência agronômica (EA), altura da planta no
    florescimento (APF), número de vagens por planta (NVP), número de vagens com 3
    grãos (NV3G), massa de mil grãos(M1000G), teor de proteína e dos macronutrientes
    das folhas e dos grãos de soja, análise do solo nas camadas de 0,0–0,20 e 0,20–0,40 m,
    quantidade de enxofre exportado no ciclo da soja e correlação entre as variáveis
    analisadas.A aplicação de doses e fontes de enxofre promoveu efeito nas variáveis APF,
    P1000G, Produtividade e EA, já o NVP só foi influenciado pelas fontes e o NV3G não
    se diferenciou estatisticamente em nenhum tratamento. Os tratamentos também
    influenciam o estado nutricional da cultura da soja tanto nas folhas como no grãoe nos
    atributos químicos do solo. A maior produtividade foi alcançada com a dose de 80 kg
    ha-1 de S com a fonte gesso (1927,31 kg ha-1).

  • DAIANE CONCEIÇÃO DE SOUSA
  • Desempenho de plantas de cobertura e alterações nos atributos químicos e microbiológicos do solo no Cerrado
  • Orientador : JOAO CARLOS MEDEIROS
  • Data: 23/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • O uso de plantas de cobertura pode aumentar os teores de matéria orgânica e melhorar a qualidade dos solos do Cerrado. Entretanto, o desempenho das espécies de plantas de cobertura e seus efeitos nos atributos químicos e microbiológicos são diferenciados. Com isso desenvolveu-se o presente trabalho com o objetivo de quantificar a produção de biomassa, ciclagem de nutrientes e decomposição de espécies de plantas de cobertura, além de determinar as alterações nos atributos químicos e microbianos do solo, em um sistema de plantio direto, no Cerrado do Piauí. O experimento foi conduzido de janeiro de 2015 a julho de 2016 em Baixa Grande do Ribeiro, PI, em um Latossolo Amarelo. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, com onze tratamentos e quatro repetições. Os tratamentos constituíram de seis espécies de fabáceaes, duas de poáceaes, dois consórcios e, vegetação espontânea (testemunha). As avaliações realizadas foram: produção de massa seca, composição nutricional da parte aérea das plantas, extração de nutrientes em função da massa seca produzida e avaliação da decomposição da fitomassa. Aos 14 e 18 meses após a implantação das espécies de cobertura foram realizadas coletas de solo para análise dos atributos químicos e microbianos, respectivamente. As camadas de solo amostradas foram: 0,0-0,10; 0,10-0,20 e 0,20-0,40 m para os atributos químicos e de 0,0-0,10 e 0,10-0,20 m para os microbianos. Determinou-se os teores de fósforo (P), potássio (K+), cálcio (Ca2+), magnésio (Mg2+), alumínio (Al3+), acidez potencial (H+Al), carbono orgânico total (COT) e pH do solo. Calculou-se a saturação por bases (V%), saturação por alumínio (m%) e CTC efetiva. Os atributos microbianos foram: carbono e nitrogênio da biomassa microbiana do solo (Cmic e Nmic) respectivamente, respiração basal do solo (C-CO2) avaliada no tempo: 1, 2, 4, 7, 10, 13, 16, 21, 26, 36, 56, 80 e 112 dias após a incubação e o carbono orgânico total do solo (COT). Calculou-se o quociente metabólico (qCO2), o quociente microbiano (qMIC), e a relação carbono e nitrogênio da biomassa microbiana (C/Nmic). A maior produção de matéria seca foi obtida com crotalária juncea, guandu fava larga, milheto e braquiária e, a menor com mucuna preta, vegetação espontânea e no consórcio de crotalária espectabilis + milheto. Os maiores acúmulos de nutrientes na parte aérea ocorreram em guandu fava larga, crotalária juncea e crotalária espectabilis. As plantas de cobertura apresentaram bom potencial de proteção do solo, pela permanência dos resíduos na superfície, com exceção da mucuna-preta e crotalária espectabilis. Os teores de COT foram mais elevados com uso de guandu fava larga, braquiária e consórcio de crotalária ochroleuca + milheto, principalmente na camada superficial do solo. Crotalária espectabilis, vegetação espontânea, mucuna preta, braquiária e crotalária ocroleuca foram às coberturas mais eficientes na ciclagem de K. Os atributos microbianos do solo são sensíveis à utilização de plantas de cobertura. A maior liberação de C-CO2 é observada nas áreas com vegetação espontânea, Crotalária juncea, guandu fava larga e consórcio de Crotalária espectabilis + milheto na camada de 0-0,10 m, até o quarto dia após a incubação. O maior incremento na atividade da biomassa microbiana ocorre na camada superficial.

2016
Descrição
  • SARAH PRISCILLA DO NASCIMENTO AMORIM
  • Atributos microbianos do solo alterados pela incorporação de palhada de plantas de cobertura

  • Orientador : CACIO LUIZ BOECHAT
  • Data: 31/08/2016
  • Mostrar Resumo
  • O ecossistema é sustentado por duas rotas bioquímicas produtoras de energia , a fotossintese realizada por organismos autotróficos e a decomposição do material orgânico proviniente dos organismos fotossisntetizantes depositados no solo (serrapilheira) mediada por organismos heterotróficos. A decomposição de da inicialmente pelo ataque da macro e mesofalna, que realizam a primeira fragmentação do material vegetal para posteriormente ser degradados por bactérias e fungos do solo.

  • AURINO AZEVEDO DE SOUZA
  • MINERALIZAÇÃO DO C E N EM PALHADA DE PLANTAS DE COBERTURA CULTIVADAS EM LATOSSOLO NA REGIÃO DO CERRADO PIAUIENSE

  • Orientador : CACIO LUIZ BOECHAT
  • Data: 30/07/2016
  • Mostrar Resumo
  • Plantas de cobertura consolidam-se cada vez mais como técnicas conservacionistas, eficaz e sustentável capaz de incorporar a baixo custo carbono e nitrogênio no solo. A mineralização de C e N fornece informações essenciais para escolha e manejo adequado de resíduos orgânicos nos sistemas agrícolas. Objetivou-se neste trabalho avaliar a dinâmica de mineralização de C e N sob doses de resíduos de plantas de coberturas cultivadas na Fazenda Cantagalo, região do Cerrado piauiense, município Baixa Grande do Ribeiro-PI. Foram conduzidos dois experimentos na Universidade Federal do Piauí - UFPI, Bom Jesus - PI.  O experimento foi conduzido em um esquema fatorial 10 x 3 + 1, sendo oito espécies de plantas de cobertura em sistema individual e duas consorciadas, três doses de resíduos 10; 20 e 30 Mg ha-1 mais um tratamento testemunha (solo sem resíduos), com três repetições. Os tratamentos foram constituídos por necromassa de MI - milheto, BR - braquiária, MP - mucuna-preta, CO - crotalária-ochroleuca, CS - crotalária-spectabilis, CJ - crotalária-júncea, GFL - gundu fava larga, GA - guandu anão, MI + CO – milheto + crotalária-ochroleuca e MI+ CS- milheto + crotalária-spectabilis. Avaliou-se a taxa de CO2 evoluído de cada tratamento ao longo de 140 dias e a mineralização de N-amoniacal (NH4+) e N-nítrico (NO3-) ao longo de 105 dias. Observou-se que a mineralização de C e N foi significativamente influenciada pelo resíduo, dose e data de avaliação em todas as variáveis. Resíduos que apresentaram os maiores valores de carbono potencialmente mineralizado (C0), e nitrogênio potencialmente mineralizado (N0) apresentaram as menores taxas de mineralização (k) e as maiores estimativa do tempo de meia-vida (t½). As leguminosas crotalária-ochroleuca, crotalária-spectabilis, crotalária-júncea e o consócio milheto + crotalária spectabilis destacaram-se na mineralização do C, e as leguminosas mucuna-preta, guandu anão e guandu fava larga na mineralização do N. 

  • GÉSSICA MARAFON
  • Frações de carbono e fósforo no solo em ambientes agrícolas e naturais com e sem queimadas no cerrado

  • Orientador : RONNY SOBREIRA BARBOSA
  • Data: 29/07/2016
  • Mostrar Resumo
  • Tanto o desmatamento para ocupação agrícola quanto os incêndios, alteram o fluxo e a natureza do carbono orgânico do solo, resultando em impactos nos corpos hídricos, e na qualidade dos solos. Nos solos cultivados, onde há adições periódicas de fosfatos, o sistema de manejo determina as alterações na distribuição das formas e nas concentrações do fósforo no perfil e, mais especificamente, na camada superficial. Assim, os objetivos deste trabalho foram avaliar as frações de carbono oxidável em áreas de cerrado, com vegetação natural protegida de queimadas e uma área adjacente sem proteção; e comparar a labilidade do C das áreas nativas (com e sem queimadas) com a das áreas usadas para agricultura em sistema de plantio direto (SPD) e convencional (PC); avaliar as frações de fósforo inorgânico e orgânico, em áreas de cerrado com vegetação natural protegida e sem proteção contra as queimadas, e áreas de cultivo agrícola em SPD e PC. As coordenadas geográficas do local são 09° 18’48” S e 44° 45’26” W e altitude de 645 m, situado no município de Bom Jesus-PI. O solo foi classificado como Latossolo amarelo distrófico típico, com textura média. Foram coletadas amostras de solo nas camadas de 0-10 cm e 10-20 cm em quatro áreas adjacentes na Serra do Quilombo, duas naturais e usadas em cultivos agrícolas. Uma das áreas naturais está protegida das queimadas por 10 anos, e na outra tem ocorrido incêndios a cada dois anos, entre os meses de agosto a outubro, que são os mais quentes no ano. As áreas em exploração agrícola são usadas no cultivo de soja e milho, uma cultivada no SPD por 13 anos (2002-2015) e outra no sistema PC com cinco anos de implantação (2010-2015). Foram determinadas quatro frações de C com graus crescentes de oxidação: lábil (F1), facilmente lábil (F2), moderadamente lábil (F3) e resistente (F4). Foram determinadas as frações de P orgânico e inorgânico do solo. Na camada de 0-10 cm, para a fração F1 não houve diferença entre as quatro áreas avaliadas. Para a F2 a mata com queimadas apresentou menor teor de C (2,3 g kg-1) do que as demais. Para a F3, a área em PC apresentou maior teor de C do que as demais e para F4 as áreas não diferiram entre si. Na camada de 10-20 cm, F1e F3 não diferiram entre as áreas estudadas, F2 foi maior na área em PC, e F4 foi menor nas áreas protegidas do que nas cultivadas, a área em PC apresentou maior teor de C na F4 do que a área em SPD. Os valores percentuais de P-orgânico em relação ao P-total na camada de 0-10 cm, nas áreas de mata, foram maiores do que nas áreas de produção de grãos, 54%, 30,8% e 38,6% para as áreas de mata, PC e SPD, respectivamente. A mata nativa com eventos periódicos de queimada diminuiu os teores de COT e das frações de carbono oxidáveis do solo em relação a mata sem queimada. A mata protegida e sem proteção contra os eventos de queimada apresentam semelhante distribuição percentual das frações de P orgânicas e inorgânicas no solo. Os sistemas cultivados (SPD e SPC) apresentam maior estoque de carbono até 20 cm de profundidade do que as áreas de mata. O SPD apresentou estoque de N semelhante à área de mata protegida contra queimadas.

  • KEILANE MENÊS DA SILVA
  • PRODUTIVIDADE DE MILHO CONSORCIADOS COM PLANTAS DE COBERTURA EM SOLO ARENOSO

  • Orientador : RAFAEL FELIPPE RATKE
  • Data: 28/07/2016
  • Mostrar Resumo
  • Pastagens degradadas são um exemplo insustentável de monocultivo. Desta forma, a recuperação dessas pastagens torna-se viável com cultivos de milho consorciados com planta de cobertura e adubos verdes. O trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar a produção de massa, análise econômica, taxa de decomposição e a ciclagem de nutrientes em solo arenoso. O experimento ocorreu na fazenda escolar da Universidade Federal do Piauí (CPCE). O delineamento utilizado foi em blocos casualizados com quatro repetições. Os tratamentos foram os consórcios: milho + Urochloa brizantha (U. brizantha) cv. marandu (MU); milho + Crotalária (crotalaria juncea) (MC); milho + feijão Guandu (Cajanus cajan) cv. Iapar 43 (MFG); milho + U.brizantha + crotalaria juncea (MUC); milho + Urochloa + feijão guandu (MUFG). Como referência para os consórcios foi utilizado o milho solteiro (Zea mays). Foram avaliados a produção massa verde e seca, os teores de N, P e K na massa seca da parte área, a produtividade de grãos, análise econômica e de risco de utilização dos sistemas consorciados e a decomposição e ciclagem de nutrientes. Os consórcios triplos são viáveis economicamente devido ao retorno fomentado pelo N, P2O5 e K2O promovido pela interação positiva entre poáceas e fabáceas. 

  • PABLO CRISTÓVÃO DE ALENCAR FERNANDES
  • Crescimento, produção e qualidade do melão amarelo “diplomata F1” fertirrigação de N e K no vale do Gurgueia.

  • Orientador : EVERALDO MOREIRA DA SILVA
  • Data: 28/07/2016
  • Mostrar Resumo
  • O melão é umas das principais olerícola cultivada no Nordeste brasileiro devido a sua adaptabilidade às condições edafo-climáticas, tornando de suma importância na geração de emprego e renda. A fertirrigação permite administrar a quantidade adequada de nutrientes nos momentos oportunos, otimizando o processo, contudo, a utilização correta dessa técnica exige grande conhecimento sobre os adubos aplicados e a cultura a ser explorada. Dentre os nutrientes de maior importância para o bom desenvolvimento da cultura do meloeiro estão o nitrogênio (N) e o potássio (K). Nesse sentido, o presente trabalho teve como objetivo avaliar o crescimento, produção e qualidade do melão amarelo “diplomata F1” fertirrigação com doses de N e K no município de Bom Jesus – PI. O experimento foi conduzido no Sitio São Luiz, no município de Bom Jesus-PI, em uma área de 2.500 m2, durante o período de 29 de janeiro a 05 de abril de 2016. O loca apresentando as seguintes coordenadas geográficas: latitude Sul - 9º05’20,4’’ , longitude Oeste - 44º20’55,1’’ e altitude 283 m. O experimento foi conduzido em delineamento experimental de blocos em faixas, aplicou-se cinco doses de nitrogênio (0, 45, 90, 135 e 180 kg/ha), na forma de ureia (45% N) e cinco doses de potássio (0, 60, 120, 180 e 240 kg/ha) de P2O5, na forma de cloreto de potássio (60% K2O), em fertirrigação, estabelecida a partir da marcha de absorção destes nutrientes pela cultura do meloeiro com quatro repetições e dez plantas por parcela, considerando-se como área útil as oito plantas centrais. Aos 40 dias após o plantio realizando três leituras no, ápice, centro e na base da 5a folha, excluindo o tufo apical da metade até 2/3 do ciclo da planta. Aos 70 dias após o plantio foram avaliados: a) diâmetro de caule, b) comprimento do ramo principal, c) índice de área foliar, d) massa seca da folha, e) massa seca da parte aérea, f) área foliar específica, g) razão de área foliar, h) massa média, i) número médio de frutos por plantas, j) rendimento por planta, k) produtividade total, l) EUN e EUK, m) sólidos solúvel total (SST), n) espessura da casca e polpa, o) diâmetro longitudinal e transversal. O aumento das doses de N e K promoveu crescimento linear para as variáveis de crescimento. Para o cultivo do melão amarelo Diplomata é possível recomendar as dose de 108, 84 kg ha-1 de N e 141,75 kg ha-1 de K2O.

  • NAYANA ALVES PEREIRA
  • RELAÇÃO ENTRE DESENVOLVIMENTO DE PLANTAS DE EUCALIPTO E ATRIBUTOS FÍSICOS E HÍDRICOS DO SOLO

  • Orientador : JOAO CARLOS MEDEIROS
  • Data: 09/07/2016
  • Mostrar Resumo
  • O trabalho foi realizado com o objetivo de relacionar atributos físicos e hídricos de um Latossolo Vermelho com o desenvolvimento de plantas de eucalipto no terceiro ano após o transplante, na Fazenda Chapada Grande-Real Agropecuária, município de Regeneração-PI. Estudou-se, portanto, 10 perfis de solo, sendo 5 perfis nas áreas com plantas vivas e 5 perfis nas áreas com plantas mortas.  Avaliaram-se os indicadores físicos de qualidade do solo como: índice S proposto por Dexter, a capacidade de água disponível no solo (CAD) e a curva de retenção da água no solo (CRA). As duas áreas apresentaram valores semelhantes para os parâmetros avaliados em todas as camadas de solo estudadas. Em geral, observa-se resultados semelhantes para ambas às áreas estudadas, desta forma, as diferenças encontradas não justificaram a morte das plantas de eucalipto na área estudada. 

  • GUSTAVO CASSIANO DA SILVA
  • DINÂMICA DO NITROGÊNIO NO MARACUJAZEIRO, EM UM LATOSSOLO AMARELO EM FUNÇÃO DE DOSES DE N APLICADAS VIA FERTIRRIGAÇÃO.

  • Orientador : JULIO CESAR AZEVEDO NOBREGA
  • Data: 29/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • O maracujazeiro é uma cultura bastante exigente quanto à disponibilidade de água e nutrientes, principalmente nitrogênio (N). O presente trabalho objetivou avaliar as concentrações de nitrogênio total, nitrato e amônio no perfil de um Latossolo Amarelo, em função de doses de N aplicadas via fertirrigação. As amostras de solo foram coletadas em um experimento desenvolvido na Fazenda Panasco, município de Cristino Castro, região Sul do estado do Piauí. O experimento foi conduzido em blocos casualizados com cinco tratamentos e 4 repetições. Os tratamentos foram constituídos por cinco doses de N (0, 100, 200, 300, 400 e 500 kg ha-1) na forma de sulfato de amônio e ureia via fertirrigação. Foram analisados os teores de N-total, nitrato e amônio no solo, nas profundidades 0-20, 20-40 e 40-60 cm. Foram gerados modelos de regressão e gráficos de superfície de resposta considerando as doses de N fornecidas e as profundidades de coleta do solo para estimar os teores de N- total, amônio e nitrato no solo e também foram gerados coeficientes de correlação, com os teores de nitrogênio e os paramentos de clorofila, produtividade, número de frutos e peso dos frutos. As maiores concentrações deN-NH4+ e N-total foram encontradas na profundidade de 0-20 cm, independentemente da fonte de N aplicada, ureia ou sulfato de amônio. As maiores concentrações de NH4+ foi encontrado com a fonte de sulfato de amônio. Os teores de N-total do solo decresceram em profundidade. Houve lixiviação de NO3- para a camada de 40-60 cm na segunda coleta. As maiores concentração de N-NO3- e N-total, foi encontrado com a fonte ureia. Nas profundidades de 0-20 e 20-40 cm, para a 1º e 2º coleta, e para as duas fontes de N, houve correlação dos teores de N-NO3-, N-NH4+ e N-total no solo com os parâmetros avaliados na planta. 

  • LAÉRCIO DA SILVA PEREIRA
  • Parâmetros de crescimento qualidade eficiência e produtividade da cultura da melancieira submetida a lâminas de irrigação e doses de nitrogênio em fertirrigação

  • Orientador : EVERALDO MOREIRA DA SILVA
  • Data: 29/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • O estado do Piauí, sobretudo na região do Vale do Gurgueia, conta com solos e clima propícios para o cultivo da cultura da melancia, desde que haja suplementação hídrica. Os níveis adequados de água e nitrogênio aplicados nas plantas em seus estádios, são fundamentais para obtenção de uma elevada produtividade e boa qualidades dos frutos na melancieira. Visando obter níveis adequados de irrigação e adubação nitrogenada para região do Vale do Gurgueia. Objetivou-se avaliar o efeito de lâminas de irrigação e doses de nitrogênio em fertirrigação no crescimento da melancieira hibrido Top Gun. O experimento foi conduzido no Sitio São Luiz, localizado a 3 km da cidade de Bom Jesus - PI, durante o período de 04 de agosto a 15 de Outubro de 2015. O delineamento estatístico adotado foi de blocos casualizados em esquema de subparcelas com 4 repetições, sendo 5 lâminas de irrigação (114,17, 156,86, 221,16, 268,87, 317,09 mm) e 5 níveis de nitrogênio em fertirrigação (0, 50, 100, 150 e 200 kg ha-1aplicados na forma de Uréia). Realizou-se a análise exploratória por média, desvio padrão e coeficiente de variação e posteriormente a análise de variância (Anova) ao nível de 5% de probabilidade e efetuadas análises quantitativas de regressão polinomial para avaliar o efeito dos tratamentos utilizados para as características diâmetro do colo (DC), taxa de crescimento do ramo principal (TCRP), taxa de crescimento de ramo primário (TCRPR), área foliar (AF), índice de área foliar (IAF), número de folhas por planta (NF), massa seca de folhas (MSF), área foliar específica (AFE), massa seca da parte aérea (MSPE) e razão de área foliar da parte aérea (RAFPA). As doses de nitrogênio fertirrigado influenciaram significativamente em todas as características avaliadas; A interação entre as laminas de irrigação  e doses de nitrogênio fertirrigado influenciou em todas as características exceto DC, MSF e MSPA; A Dose de 200 kg/ha de N possibilitou melhores resultados paras as características TCRP (11,82 cm dia-1), AF (23.285,2 cm²), IAF (5.821,3 cm² m²), NF (841,65), AFE (133,88 cm² g-1) e RAFPA (92,33 cm² g-1); O maior valor para TCRPR foi obtido com o uso de 159,76 kg/ha de N possibilitando um crescimento de 10,21 cm dia-1; As variáveis DC, MSF e MSPA não foram influenciadas pelas lâminas de irrigação e obtiveram os maiores valores de 17,71 cm, 178,31 g, 265,14 g com o uso de 114,13, 133, 51 e 124, 63 kg/ha de N respectivamente; A lâmina de irrigação correspondente a 150% da ETo (317,09 mm ciclo-1) destacou-se como a melhor para todas as características em que influenciou possibilitando valores de 11,66 cm dia-1  para TCRP, 10,6 cm dia-1 para TCRPR, 24.587,42 cm² para AF, 6.146,85 cm² m² para IAF, 895 para NF,  179,63 cm² g-1 para AFE e 104,40 cm² g-1 para RAFPA. 

  • NARA NÚBIA DE LIMA CRUZ
  • DEPENDÊNCIA ESPACIAL DE ATRIBUTOS QUÍMICOS,FÍSICOS E SUSCETIBILIDADE MAGNÉTICA NA REGIÃO PIAUIENSE DO MATOPIBA


  • Orientador : RONNY SOBREIRA BARBOSA
  • Data: 27/02/2016
  • Mostrar Resumo
  •          O solo apresenta características intrínsecas tanto no sentido vertical como horizontal que são influenciadas pelo fatores e processos de formação do solo, associado a esses as práticas de manejo exercidas conferem características de variabilidade .Desta forma se faz necessário a utilização de ferramentas que avaliem a variabilidade do solo no intuito de reduzir os efeitos da variabilidade sobre a produção das culturas .Uma das ferramentas que permitem essa análise e a geoestatistica onde consiste em uma técnica que permite identificar o grau de dependência espacial e descreve-las por meio de um interpolador exato e preciso. Em função da intensa produção de soja em áreas de cerrado sendo executados diferentes práticas agrícolas: O primeiro capitulo consiste em conceituar, identificar os principais pontos do estudo sobre a variabilidade na região MATOPIBA   e o segundo consiste em verificar se existe variabilidade espacial nos atributos físicos e químicos na região piauiense do MATOPIBA e verificar se e possível estimar atributos com auxílio de um atributo pedoindicador. Após a obtenção dos resultados foi possível verificar que os valores encontrados para os macro nutrientes do solo avaliados foram teores relativamente baixos tal fato associado a baixos teores de nutrientes conferidos pelos Latossolos, e por conseguinte e possível verificar que os atributos físicos e químicos apresentaram uma variabilidade espacial e a suscetibilidade magnética apresentou-se como bom preditor de atributos físicos.

  • GLÁUCIA VIANA DOS SANTOS
  • COMPORTAMENTO ELETROQUIMICO DE LATOSSOLO AMARELO SOB SISTEMAS DE MANEJO NO CERRADO PIAUIENSE

  • Orientador : MARCIO CLETO SOARES DE MOURA
  • Data: 26/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • A região sudoeste piauiense apresenta alterações significativas, em virtude da expansão agrícola, pois o Sul do Piauí é considerado como a última fronteira agrícola do Brasil, onde se tem investido muito na agricultura mecanizada, fomentando entre outras atividades a produção de larga escala da soja. De fato, o potencial da região para a agricultura mecanizada é elevado e nesse caso, as áreas sob explorações precisam ser monitoradas a fim de que sejam avaliados os impactos causados com a intervenção antrópica nos solos do cerrado piauiense. Diante do exposto, o presente estudo tem por objetivo verificar as alterações químicas e eletroquímicas em Latossolo no cerrado sudoeste piauiense.  A pesquisa consistiu em dois estudos o primeiro foi verificar as alterações nos atributos químicas de um Latossolo Amarelo do cerrado piauiense sob diferentes sistemas de manejo; e avaliar o efeito dos sistemas de manejo e tempos de implantação, sobre o ponto de efeito salino nulo, o ponto de carga zero e a carga líquida de um Latossolo Amarelo no Cerrado piauiense e a correlação do PESN com atributos químicos e eletroquímicos. Os resultados do primeiro estudo indicam que em todas as profundidades, os teores de Al3+ e H+Al foram menores nos sistemas PD e PC em relação ao CN.  Os sistemas de cultivo (PD e PC) apresentaram maiores teores de P disponível e de Ca, Mg, K trocáveis e SB principalmente nas camadas superficiais.  A MO apresentou maior teor para o PC15 e PD10, onde esses valores apresentaram declínio com o aumento da profundidade. De modo geral, os atributos químicos do solo foram afetados em função dos tipos de manejos, sendo essas alterações mais evidentes na camada superficial do solo. A substituição da vegetação nativa pelos sistemas plantio convencional e direto melhora os atributos químicos do Latossolo Amarelo do cerrado Piauiense. Pois para a maioria dos nutrientes, os maiores valores médios, nas três profundidades estudadas, foram verificados nas áreas sob cultivo, quando comparados com a área testemunha (CN).  Para o segundo estudo os resultados demonstra que as cargas elétricas predominantes no Latossolo Amarelo do Cerrado Sudoeste Piauiense são negativas, possivelmente em decorrência da ação do mineral caulinita e da matéria orgânica. O PESN correlacionou-se com o PCZ positivamente para todos os sistemas de manejo estudados e significativamente somente para 4 dos 5 sistemas, exceto para o PD10.

2015
Descrição
  • KAÍSE BARBOSA DE SOUZA
  • INFLUÊNCIA DO USO E OCUPAÇÃO DO SOLO NA DISPONIBILIDADE HÍDRICA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO URUÇUÍ-PRETO

  • Orientador : JOAO BATISTA LOPES DA SILVA
  • Data: 30/09/2015
  • Mostrar Resumo
  • A ocupação dos ecossistemas para o desenvolvimento da agropecuária vem se intensificando, tornando assim um motivo de grande preocupação no que se refere ao desmatamento e ocupação das regiões de Cerrado. Assim, objetivou-se com este trabalho identificar a alteração do uso e ocupação do solo entre os anos 1984 à 2007 na bacia hidrográfica do rio Uruçuí-Preto, Piauí. A bacia do rio Uruçuí-Preto apresenta área de 15.777 km2. Foram utilizadas imagens do Satélite Landsat 5 sensor TM (Thematic Mapper) no período de 1984 a 2007. Inicialmente fez-se o pré-processamento das imagens, correção geométrica e de contraste das imagens. Após correção fez- a classificação das imagens, a análise foi realizada por meio da classificação automática supervisionada utilizando o algoritmo de máxima verossimilhança. As classes atribuídas as fisionomias de interesse foram Cerrado/Caatinga, Solo Exposto/Talhão Agrícola, Queimada e Mata Ciliar. Com base nos resultados apresentados houve variações em todas as classes de uso e ocupação do solo ao decorrer do período analisado.  Ao se comparar os anos de 1984 e 2007, a classe Cerrado/Caatinga apresentou redução de 20,9% (3.332,96 km2), a classe Solo Exposto/Talhão Agrícola apresentou aumento de 13,48% (2.149,17 km2), a classe Mata Ciliar apresenta grande oscilação durante o período analisado, devido a dinâmica da vegetação, apresentando redução de 2,4% (383,46 km2) e a classe Queimada apresentou dois anos com grandes áreas, 1990 (2.280,47 km2) e 2007 (1.567,24 km2). Percebe-se então a substituição da cobertura de vegetação nativa por áreas destinadas as atividades agrícolas.

  • KARLA NAYARA SANTOS DE ALMEIDA
  • Aptidão agrícola dos solos do estado do Piauí

  • Orientador : JOAO BATISTA LOPES DA SILVA
  • Data: 30/09/2015
  • Mostrar Resumo
  • A avaliação da aptidão das terras estabelece o uso dos recursos naturais segundo a aptidão, evitando situações de subutilização ou sobreutilização, pois consiste na interpretação das qualidades do ecossistema baseando-se nas suas limitações para o uso agrícola e nas alternativas e possibilidades de correção ou redução dessas limitações através de diferentes níveis de manejo. Neste contexto, objetivou-se com esta pesquisa realizar o mapeamento da aptidão agrícola das terras do Estado do Piauí. A dissertação foi estruturada em dois capítulos. No capítulo 1 foi realizada uma revisão de literatura sobre o tema. No capítulo 2, objetivou-se realizar o mapeamento da aptidão agrícola das terras do Estado do Piauí, a fim de oferecer uma visão sinóptica sobre o potencial agrícola de seus solos. O método utilizado para a avaliação da aptidão agrícola das terras foi o descrito por Ramalho Filho e Beek (1995), denominado Sistema de Avaliação da Aptidão Agrícola das Terras. A partir do mapa de aptidão agrícola do estado do Piauí, observou-se que grande parte das terras do território piauiense são aptas para usos agrícolas menos intensivos como pastagem plantada e natural.

     

  • MARCELO SIMEÃO
  • CRESCIMENTO E PRODUTIVIDADE DE GRÃOS DE SOJA SOB DEFICIT HÍDRICO NO SOLO

  • Data: 31/07/2015
  • Mostrar Resumo
  • O estresse hídrico constitui-se como um dos principais responsáveis pela queda na produtividade de grãos da soja, cuja intensidade varia com a fase fenológica, sendo mais prejudicial quanto coincide com a fase crítica da cultura. Objetivou-se avaliar o efeito do estresse hídrico, ao longo das fases fenológicas, sobre o crescimento e a produtividade de grãos da soja, cultivar BRS Sambaíba RR, nas condições edafoclimáticas de Bom Jesus, PI. O experimento foi conduzido durante o período de agosto a dezembro de 2014. O ensaio foi conduzido com um sistema de irrigação por gotejamento superficial, utilizando fita gotejadora, com espaçamento entre emissores de 0,30 m, com vazão nominal de 1,6 L h-1. O tempo de irrigação foi calculado através dos valores diários da ETo. O monitoramento do conteúdo de água no solo foi efetuado pelo método gravimétrico, onde foram coletadas amostras de solo, nas profundidades de 0 a 0,2 m e de 0,2 a 0,4 m, Os tratamentos consistiram na imposição de estresse hídrico no solo nas diferentes fases de desenvolvimento da soja. O estresse foi efetuado aplicando-se 55% da evapotranspiração requerida pela cultura em cada fase. Os tratamentos (T) avaliados foram:T1: estresse hídrico na fase de crescimento vegetativo (II); T2: estresse hídrico na fase de florescimento e enchimento de grãos (III); T3: estresse hídrico na fase de maturação dos vagens (IV) e T4: testemunha: irrigação plena em todas as fases. O delineamento experimental foi de blocos ao acaso, com seis repetições, totalizando 24 parcelas. Durante o crescimento da cultura avaliou-se: diâmetro do caule, altura das plantas, número de folhas, área foliar, massa seca total e na produção: altura média de inserção da primeira vagem, número de vagens por planta, comprimento de vagens, peso médio de 100 grãos e produtividade de grãos. O estresse hídrico aplicado nas fases fenológicas II, III e IV afetou o crescimento e a produtividade de grãos da soja. Contudo, o impacto foi maior quando a falta de água coincidiu com a fase crítica (florescimento e enchimento dos grãos). No crescimento, o parâmetro mais sensível ao estresse hídrico foi a área foliar, com queda de 55% em relação a irrigação plena. A produtividade de grãos sofreu redução de 62% com a imposição do estresse hídrico na fase III em relação a irrigação plena.

  • AURELIANO DE ALBUQUERQUE RIBEIRO
  • Comparação entre dados meteorológicos obtidos por estações convencionais e automáticas e estimativa da evapotranspiração de referência no Estado do Piauí

  • Data: 30/07/2015
  • Mostrar Resumo
  • O registro de elementos climáticos é efetuado por estações meteorológicas convencionais e automáticas. Porém, por questões operacionais e de custo, as estações automáticas estão substituindo as convencionais. Contudo, para que as séries de dados dessas estações sejam únicas, há a necessidade de estudos comparativos entre as duas estações. O estudo objetivou comparar dados meteorológicos obtidos por estações convencionais e automáticas, em operação, pertencentes à rede de estações do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), localizadas em seis municípios do Estado do Piauí (Paulistana, Picos, São João do Piauí, Floriano, Parnaíba e Piripiri), as quais situam-se em diferentes biomas, buscando-se avaliar a influência da caracterização climática típica dos biomas na análise comparativa dos dados e na estimativa da evapotranspiração de referência (ETo). Os dados coletados foram divididos em três períodos: anual, seco e chuvoso. Os elementos meteorológicos avaliados foram: temperaturas do ar máxima (°C) mínima (ºC) e média (ºC), umidade relativa média do ar (%), velocidade do vento a 10 m (m s-1), precipitação pluviométrica (mm) e pressão atmosférica média (hPa), radiação solar global (MJ.m-2.dia-1), radiação solar líquida (MJ.m-2.dia-1), com os quais estimou-se a ETo (mm.dia-1) por Penman-Monteith. As comparações dos dados foram feitas por meio dos seguintes indicadores estatísticos: precisão (R2), exatidão (a=0 e b=1), erro absoluto médio (EAM), coeficiente de correlação (r), índice de concordância de Willmott (d) e índice de confiança (c). Embora as estações meteorológicas convencionais e automáticas apresentem diferentes sensores e com sensibilidades diferentes para cada elemento meteorológico avaliado, a concordância dos dados foi relativamente boa, com exceção da velocidade do vento. A ETo estimada com dados obtidos nas duas modalidades de estações apresentou pequena diferença em todos os municípios avaliados.


  • DJAVAN PINHEIRO SANTOS
  • Macrofauna edáfica sob sistemas de manejo em LATOSSOLO AMARELO na região Sudoeste do Piauí

  • Orientador : GLENIO GUIMARAES SANTOS
  • Data: 26/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • A macrofauna edáfica é de fundamental importância para a manutenção da qualidade do solo, pois promove a redistribuição de nutrientes e de matéria orgânica,por meio de suas atividades biodinâmicas e que, ainda, avalia o estágio de degradação e de recuperação de vários ambientes. Assim, objetivou-se com este trabalho avaliar a macrofauna edáfica associada a diferentes plantas de cobertura e sistemas de manejo em Latossolo Amarelo em áreas de transição cerrado/caatinga e áreas de cerrado na região Sudoeste do Piauí. O presente estudo foi realizado em áreas de transição cerrado/catinga e cerrado, na região Sudoeste do estado do Piauí. Na primeira área, foi realizado na área experimental do Campus Prof.ª Cinobelina Elvas, Universidade Federal do Piauí no município de Bom Jesus, cujas coordenadas geográficas são: latitude Sul, 09º04’59,9”, longitude Oeste, 44º19’36,8”, e altitude de 287 metros. Já, na segunda área, realizou-se em quatro localizadas do bioma Cerrado, na região Sudoeste do estado do Piauí. As propriedades foram: Fazenda União, localizada no município de Baixa Grande do Ribeira (07°48’10” S e 45°00’60” W, altitude de 600 metros), Fazenda Chapada do Céu sediada no município de Sebastião Leal (07°39’14” S e 44°02’37” W, altitude de 450 metros); Fazenda Emílio, em Uruçuí (08º14’07” S e 44º38’09” W, altitude de 550 metros); e Fazenda Slaviero, localizada no município de Bom Jesus (09º10'35" S e 44º50'36" W, altitude de 600 m). Em ambas as áreas, o solo foi caracterizado como Latossolo Amarelo de textura franco arenosa com temperaturas médias de 30ºC e precipitação média anual de 1000 a 1100 mm. Coletou-se monólitos de solo em dois sistemas de manejo (sistema plantio convencional e direto) e área nativa (considerada área de referência). Seguiu-se recomendações do TSBF (Tropical Soil Biology and Fertility), com uso de quadro amostrador metálico não qual foi lançado aleatoriamente nas áreas. Os sistemas de manejo do solo associados ás culturas de cobertura do solo proporcionaram maiores densidades de indivíduos por metro quadrado e riquezas de grupos taxonômicos quando comparados com a vegetação nativa de transição cerrado/caatinga, enquanto os sistemas de manejo do solo do Cerrado, proporcionaram menores densidades, sem alteração na riqueza. Quanto as camadas de solo associados a culturas de cobertura, 0-0,1 m de profundidade foi a que proporcionou maior densidade total de indivíduos por metro quadrado e a liteira, maior riqueza de grupos taxonômicos, enquanto que, para as camadas dos sistemas de manejo do Cerrado e riqueza de grupos taxonômicos na área nativa, não sofreram alterações.

  • LEANDRO DOS SANTOS SOARES
  • PRODUÇÃO DA SOJA E ATRIBUTOS QUIMICO DE SOLO EM RESPOSTA A FERTILIZANTES MINERAIS E ORGANOMINERAIS

  • Orientador : RAFAEL FELIPPE RATKE
  • Data: 26/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • O Cerrado, mesmo com solos de baixa fertilidade, representa elevada importância dentro do cenário agrícola brasileiro visto, a grande produção de grãos em especial a soja. Nessas regiões, o fósforo (P) é um dos nutrientes que mais limita o crescimento e a produção das culturas. Devido ao elevado grau de intemperismo desses solos e à alta capacidade sortiva desse nutriente às cargas elétricas positivas, presentes nos oxidróxidos de ferro e alumínio, o que resulta em baixa disponibilidade às plantas. Uma alternativa para aumentar a eficiência da adubação fosfatada nesses solos é a utilização de fontes mais eficientes, como os fertilizantes organominerais granulados, resultantes da mistura de uma fonte mineral de P com fontes de matéria orgânica, que possibilita redução de perdas e aumento da biodisponibilidade de P, além de determinar doses adequadas ao melhor rendimento agronômica. Neste contexto, objetivou-se com este trabalho avaliar a eficiência agronômica de fertilizantes minerais e organomineral granulados, enriquecidos com fontes minerais de fósforo na melhora da qualidade química do solo, para atender à demanda nutricional das plantas, aumentar a produtividade. O experimento foi realizado no ano agrícola de 2013/14 na Serra branca distrito Nova Santa Rosa, Fazenda Balsan, localizada no município de Uruçuí (Latitude 7º 17’ 49.70”S, Longitude 44º 29’ 49.90”W e Altitude de 192 metros), em solo classificado como Latossolo Distrófico locado no região sudoeste do estado do Piauí. Em esquema fatorial de 4 x 5, sendo quatro tipo de fertilizante e cinco doses, foram utilizadas quatro fontes de fertilizantes fosfatados: Camap (organomineral, 26,6% P205); NPK-FHHumicas (25% P205 + substancias húmicas);  MAP (monoamônio fosfatado, 52% P205) e um formulado NPK (3-25-8) ), e cinco doses crescentes dos fertilizantes. As doses utilizadas foram de 0, ½x, 1x, 2x e 4x (0, 20, 40, 60 e 80 kg ha-1 de P205, respectivamente). Foram siguinicativos a aumento nos teores de P remanescente no solo, o que reflete na eficiência na adubação minaral, com destaque do NPK-SH, no entanto, as menores concentração de P no solo analisado, esteve presente quando este recebeu a adubação com organomineral. Nesse sistema, notou-se aumento de produtividade da soja na dose aproximadamente 60 Kg ha-1de P2O5 aplicado na fonte mineral, NPK. A melhor dose da adubação fosfatada pode variar de acordo com a solubilidade da fonte utilizada. A adubação com organominaral não incrementou no aumento da produtividade da cultura da soja se comparado as fontes minerais.

     

  • RODRIGO FONSECA DA SILVA
  • QUALIDADE ESTRUTURAL DE UM LATOSSOLO AMARELO SOB DIFERENTES USOS E MANEJO NA REGIÃO SUDOESTE DO CERRADO PIAUIENSE

  • Orientador : GLENIO GUIMARAES SANTOS
  • Data: 25/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • A apreensão quanto a escassez de água e alimentos em função do aumento progressivo da população mundial, bem como à carência por novas alternativas na produção agropecuária, tem levado à deterioração dos atributos físico-hídricos do solo. Além de oferecer condições favoráveis ao crescimento e desenvolvimento das culturas agrícolas, a qualidade física do solo, fundamenta a sustentabilidade dos sistemas de produção, no entanto, estudos dessa natureza são incipientes na região do Cerrado piauiense. Diante disso, dois estudos foram conduzidos com objetivo de: i) avaliar a estabilidade de agregados em água em função dos diferentes sistemas de uso, manejo e tempo de adoção destes em áreas de Cerrado na região sudoeste do Piauí ii) estudar o intervalo hídrico ótimo em um Latossolo Amarelo distrófico, em função dos diferentes sistemas de uso, manejo e tempo de adoção destes em áreas de Cerrado na região sudoeste do Piauí. O estudo foi realizado na serra branca distrito Nova Santa Rosa, no município de Uruçuí, locado na região sudoeste do estado do Piauí. Neste estudo Foram avaliados nove sistemas com diferentes históricos de uso e manejo, disposto da seguinte forma: área recentemente desmatada (área nova - AN), áreas sob sistema de plantio direto (PD3 e PD9, respectivamente com três e nove anos de cultivo), áreas sob pastagem (PA2 e PA6, respectivamente com dois e seis anos de cultivo), áreas sob plantio de eucalipto (EU6 e EU12, respectivamente com seis e doze anos de cultivo), áreas sob sistema de plantio convencional com oito anos de cultivo (PC8) e cerrado nativo (CN), representando uma condição de equilíbrio. Os sistemas sob plantio direto e pastagens favoreceram a agregação do solo, no entanto os cultivos com eucalipto foram os apresentaram as melhores condições estruturais com base no intervalo hídrico ótimo.

  • EDSON DE OLIVEIRA SANTOS CAMPOS
  • Crescimento e estado nutricional de espécies arbóreas em substratos alternativos

  • Orientador : ADRIANA MIRANDA DE SANTANA ARAUCO
  • Data: 25/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • Em razão da ocupação de terras com futuros plantios florestais de forma equilibrada, faz-se necessário produzir, avaliar e selecionar substratos de fácil aquisição e que atenda às exigências das espécies. Devido a estes aspectos, objetivou-se, com este trabalho avaliar a germinação, índices biométricos, e o teor de macronutrientes na parte aérea de mudas de Anadanthera colubrina (Vell.) Brenan, Enterolobium contortisiliquum (Vell.) Morong e os índices biométricos nas mudas de Parkia Pendula (Willd.) Bent. Ex Walp denominadas vulgarmente de angico branco, tamboril e fava-de-bolota, respectivamente. As espécies foram cultivadas em diferentes substratos orgânicos acrescidos de amostras do horizonte B de um Latossolo Amarelo. Os tratamentos foram constituídos das seguintes proporções (v/v) de três resíduos (bagana de carnaúba, composto orgânico e paú de buriti): solo: 0:100; 20:80; 40:60; 60:40; 80:20 e dispostos em esquema fatorial (3:5) três resíduos orgânicos e cinco proporções, com dez repetições. Foram avaliados os índice biométricos, o acúmulo de matéria seca de parte aérea e raiz, o índice de qualidade de Dickson, bem como se procedeu à análise química do tecido vegetal de parte aérea. As mudas de angico branco em geral são responsivas a adição de resíduos orgânicos ao substrato constituindo de terra de subsolo. As mudas cultivadas com os substratos acrescidos de composto orgânico na proporção 80:20 (composto orgânico: solo) apresentaram maior índice de qualidade de Dickson, sendo esse de 1,1. Os teores de macronutrientes na parte aérea das mudas de angico branco, exceto o magnésio, variaram com as doses de cada resíduo orgânico. Os substratos constituídos de bagana de carnaúba e o composto orgânico adicionados à terra de subsolo proporcionaram maior porcentagem de emergência e IVE, das sementes de Tamboril, os substratos acrescidos de 58:42 (bagana de carnaúba: solo) obtiveram maior índice de qualidade de Dickson, esse sendo de 0,20. O tamboril possui alto teor de nutrientes em seus tecidos da parte aérea apresentando a seguinte ordem de acúmulo no limbo foliar: N > K > Ca> Mg > P. Em relação as mudas de fava de bolota a proporção média de 60:40 (bagana de carnaúba: solo) apresentaram melhores resultados, e é capaz de promover o crescimento inicial com resultados superiores aos das demais proporções, sendo essa a mais indicada.

  • JOSÉLIA PAES RIBEIRO DE SOUZA
  • ELETROQUÍMICA DE LATOSSOLO AMARELO SOB SISTEMAS DE MANEJO NO CERRADO PIAUIENSE.
  • Orientador : BRUNO DE OLIVEIRA DIAS
  • Data: 24/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • A utilização e manejo do solo pela agricultura deve observar as condições eletroquímicas do mesmo, visto que as cargas elétricas fundamentalmente importantes na fertilidade, são geradas tanto através dos processos pedológicos, quanto nas variações de condições do solo, especialmente pH e teor de Matéria Orgânica do Solo (MOS). Assim, o presente trabalho teve por objetivo avaliar o efeito de diferentes sistemas de manejo e tempos de implantação, sobre os atributos eletroquímicos de um Latossolo Amarelo, no Cerrado piauiense. Foram coletadas amostras nas profundidades de 0 – 5; 5 – 10; 10 – 20 e 20 – 30 cm, na fazenda Novo Horizonte, localizada na Serra do Quilombo em Bom Jesus – Piauí e avaliados seis diferentes sistemas de manejo: cerrado nativo (CN), área nova (AN), plantio convencional (PC) com 4 e 8 anos de implantação e plantio direto (PD) com 1 e 3 anos de implantação. Nos laboratórios da Universidade Federal do Piauí (UFPI) em Bom Jesus-PI, foram determinados, Ponto de Carga Zero (PCZ), predomínio de cargas dos solos (ΔpH), Ponto de Efeito Salino Nulo (PESN), ψo e Argila Dispersa em Água (ADA). Os atributos eletroquímicos, PESN, PCZ, ΔpH e ψo, foram correlacionados com ADA, CTC e MOS e os resultados obtidos demostram que em todos os sistemas de manejo, foram encontrados valores negativos de ΔpH, indicando natureza eletronegativa para o Latossolo Amarelo estudado. Os sistemas de cultivo pesquisados foram capazes de elevar o PESN do solo, pois numa mesma camada, houve aumento nos valores de PESN das áreas de CN e AN, para as áreas de cultivo, tanto PC, quanto PD. No horizonte subsuperficial houve correlação significativa entre a MOS e a CTC, confirmando a capacidade da geração de cargas negativas pela MOS. O atributo ΔpH apresentou correlação significativa com o potencial elétrico superficial (Ψo) indicando relação entre estas medidas de carga de superfície. O PCZ apresentou correlação com a MOS, pela capacidade da geração de cargas negativas pela MOS, especialmente em solos de clima tropical. Houve uma correlação positiva entre os atributos CTC, PESN, PCZ e Ψo.

  • EMANUEL FRANÇA ARAÚJO
  • Àgua Residuária de suinocultura no crescimento de mudas de espécies florestais em substratos orgânicos

  • Orientador : ADRIANA MIRANDA DE SANTANA ARAUCO
  • Data: 23/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • A reutilização de resíduos orgânicos sólidos e efluentes líquidos de diversas origens na irrigação e fertilização do substrato pode contribuir na redução dos custos de produção de mudas florestais, além de uma destinação sustentável para esses materiais, minimizando problemas ambientais e sociais. Neste contexto, objetivou se com esta pesquisa avaliar a reutilização da água residuária da suinocultura (ARS) na produção de mudas de Enterolobium contortisiliquum (Vell.) Morong, Acacia mangium Willd e Khaya senegalensis A. Juss, cultivadas em substratos contendo resíduos orgânicos regionais. Os experimentos foram conduzidos em ambiente telado com 50% de sombra, na Universidade Federal do Piauí, município de Bom Jesus. A dissertação foi estruturada em quatro capítulos. No capítulo 1 foi realizada uma revisão de literatura sobre o tema. No capítulo 2, objetivou se avaliar diferentes formulações de substrato contendo resíduos orgânicos e solo e a utilização da ARS na irrigação de mudas de tamboril (Enterolobium contortisiliquum (Vell.) Morong). Os resultados indicaram que a ARS não é indicada na irrigação de mudas desta espécie. A adição do resíduo orgânico contribui para a melhoria da fertilidade dos substratos, e consequentemente maior crescimento das mudas. A melhor combinação testada foi a proporção 60:40 (resíduo orgânico:solo). O capítulo 3 aborda a avaliação de substratos a partir de diferentes proporções de caule decomposto da palmeira do buriti, também conhecido como paú de buriti (PaB) e a irrigação com ARS na produção de mudas de Acacia mangium Willd. As variáveis de crescimento das mudas de Acacia mangium Willd não foram influenciadas pela qualidade da água de irrigação. A adição de PaB no substrato de cultivo proporcionou maior crescimento das mudas de Acacia mangium Willd. No capítulo 4, avaliou se a utilização de diferentes concentrações da ARS na formação de mudas de Khaya senegalensis A. Juss em diferentes substratos.  A concentração 50% mostrou se a mais indicada na produção de mudas desta espécie. Em relação aos substratos, a utilização do substrato comercial proporciona maior crescimento das mudas de Khaya senegalensis A. Juss.

  • FLAVIA LOUZEIRO DE AGUIAR SANTIAGO
  • EFEITOS DA ADUBAÇÃO COM MACRONUTRIENTES SOBRE COMPONENTES DE PRODUÇÃO E NUTRIÇÃO DO FEIJÃO-FAVA EM SOLOS DO CERRADO PIAUIENSE

  • Orientador : BRUNO DE OLIVEIRA DIAS
  • Data: 23/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • O feijão-fava é uma importante fonte de proteína, principalmente para a região do Nordeste, além disso, é uma excelente alternativa para a agricultura familiar na geração de emprego e renda. Contudo, sua produção é bastante limitada devido não possuir um plano de adubação e nutrição que atenda adequadamente as necessidades da cultura. Neste contexto, pela insuficiência de recomendações de adubação e falta de subsidio técnico para os pequenos e médios agricultores, objetivou-se com esta pesquisa avaliar o efeito da aplicação de doses dos macronutrientes sobre a nutrição e produtividade do feijão-fava em solos do Cerrado piauiense. O estudo foi conduzido na Universidade Federal do Piauí, Campus Professora Cinobelina Elvas, no município de Bom Jesus, PI, no período de fevereiro a julho de 2014, em viveiro com 50% de luminosidade. Foram instalados dois experimentos, um utilizando como substrato o solo Latossolo Amarelo distrófico e o outro um Neossolo Quartzarênico, coletados na camada de 0 – 20 cm de profundidade. Os tratamentos foram constituídos segundo o arranjo estatístico da matriz baconiana, sendo avaliados seis nutrientes (nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio e enxofre), em três diferentes doses, e ainda dois tratamentos adicionais, um com doses de referência e outro sem adição de nutrientes, totalizando 20 tratamentos que serão dispostos em delineamento inteiramente casualizado, com quatro repetições. Como componentes de produção foram avaliados comprimento de vagem, número de vagem por planta, peso de vagem, número de grãos por vagem, número de grãos por planta e peso de grãos por planta. As avaliações foram realizadas após a colheita de todas as vagens produzidas. Para os componentes de produção do feijão-fava, observou-se efeito significativo com a presença dos macronutrientes, cultivado em Neossolo Quartzarênico. Exceto para o número de grãos por vagem, evidenciando a dependência desta variável com o material genético. Pôde-se observar maior rendimento de grãos por planta, quando se variou as doses de K2O, MgCl2 e K2SO4, obtendo nas doses de 93, 0,50 e 28 mg dm-3 um incremento máximo 34,7, 37,4 e 34,1 grãos, respectivamente. A presença e interação de doses adequadas dos macronutrientes foram capazes de promover incrementos na produção do feijão-fava. 

  • FRANKLIN EDUARDO MELO SANTIAGO
  • Crescimento, produção e estado nutricional do capim-Marandu em função da aplicação da formononetina, calagem e doses de fósforo

  • Orientador : JULIO CESAR AZEVEDO NOBREGA
  • Data: 23/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • O Brasil possui a maior área de terras agricultáveis do mundo, contendo uma vasta área de pastagens, o que o torna um dos maiores produtores de leite e carne a pasto. Nesse contexto, objetivou-se avaliar o efeito da aplicação de formononetina e da calagem adubado com diferentes doses de P no crescimento, produção e estado nutricional da Brachiaria brizantha cv. Marandu. O experimento foi conduzido em viveiro telado com sombrite a 50% de luminosidade no Campus Prof.ª Cinobelina Elvas da Universidade Federal do Piauí, situado no município de Bom Jesus, Piauí. O delineamento experimental adotado foi o inteiramente casualizado, com quatro repetições, sendo os tratamentos dispostos num esquema fatorial 2x2x5 constituídos por dois tratamentos de formononetina (aplicação ou não de formononetina), dois tratamentos de calagem (com calcário e sem calcário) e cinco doses de P (0, 25, 50,100 e 200 mg dm3 de solo). A formononetina formulada na forma do produto comercial Myconate® pela empresa Plant Health Care (PHC), INC-Pittsburg, EUA, foi aplicada na dose corresponde a 2 mg de Myconate® por quilograma de solo, conforme Novais & Siqueira (2009). O tratamento submetido à calagem foi calculado pelo método de saturação por bases para se elevar o valor de V para, referente a exigência da Brachiaria brizantha cv. Marandu.Foram realizados três cortes da parte aérea da braquiária, após um primeiro corte de uniformização, para realização das avaliações necessárias. Após o corte de uniformização marcou-se três perfilhos por vaso com fios de nylon coloridos, para avaliações das características estruturais e morfogênicas. Para isto, foi registrado o dia do aparecimento do ápice foliar, o dia da exposição da lígula, o comprimento do pseudocolmo, o comprimento da lâmina foliar expandida, o número de folhas por perfilho, número de folhas vivas por perfilho, número de perfilhos por planta, relação massa seca viva e massa seca morta e relação folha-colmo. Os perfilhos marcados foram mensurados a cada três dias, para avaliação da taxa de aparecimento de folhas, filocrono, taxa de alongamento foliar, taxa de senescência foliar, taxa de alongamento de colmo, duração do alongamento foliar e duração de vida da folha. Determinou-se também às características de produção: massa seca de lâmina viva, de colmo vivo, de forragem morta, de forragem viva e de forragem total. As raízes foram recuperadas e determinadas o volume radicular, colonização micorrízica e massa seca de raíz. Determinou-se também a densidade de esporos de fungos micorrízicos arbusculares no solo antes e depois do experimento. Após, todo material vegetal da parte aérea foi moído, as amostras sofreram digestão nitroperclórica e o extrato da digestão foi usado para a determinação dos teores de N, P, K, Ca, Mg e S.A aplicação da formononetina não se mostrou eficiente ao ponto de mitigar o crescimento e  incrementar a produção do capim-Marandu. Houve efeito da aplicação da calagem nas características morfogênicas, estruturais, produtivas e nutricionais do capim-Marandu, promovendo a redução da taxa de senescência foliar e incrementou a taxa de alongamento do colmo, número total de folha, número total de folhas viva número total de perfilhos, e comprimento do colmo, assim como para a maioria das características de produção e nutricionais. Quanto as doses de P, de maneira geral, apresentou efeito e interações entre a calagem e a formononetina para as variáveis estudadas, com dose estimada de90 mg dm-3 de P2O5 para o incremento nas variáveis estruturais e morfogênicas.

  • REGIANA DOS SANTOS MOURA
  • DOSES E FONTES DE NITROGÊNIO VIA FERTIRRIGAÇÃO EM MARACUJAZEIRO AMARELO NO VALE DO GURGUÉIA - PI

  • Orientador : EVERALDO MOREIRA DA SILVA
  • Data: 30/01/2015
  • Mostrar Resumo
  • A produção do maracujazeiro amarelo (Passiflora edulis Sims f. flavicarpa Deg.) encontra-se em franca expansão no Brasil representando aproximadamente 95% da produção nacional, tornando este país o maior produtor e consumidor mundial dessa frutífera. O maracujazeiro amarelo apresenta ampla distribuição nos países tropicais e subtropical sendo a variedade mais cultivada no Brasil e tem grande aceitabilidade para o consumo in natura e para a produção de sucos. Nesse sentido, foi desenvolvido um experimento objetivando avaliar os efeitos de doses e fontes de nitrogênio, aplicadas via fertirrigação, sobre o estado nutricional, clorofila foliar, produtividade e qualidade dos frutos do maracujazeiro amarelo cultivados no Vale do Gurgueia, PI. O experimento foi desenvolvido no período de junho de 2013 a agosto de 2014 no município de Cristino Castro-PI, localizado as coordenadas geográficas (08º40’55,39”S, 44º05’09,42”W, Alt. 240 m). O experimento foi instalado em esquema fatorial 2 x 5, referente a aplicação de 2 fontes nitrogenadas (ureia e sulfato de amônio) e 5 doses de N (100, 200, 300, 400 e 500 kg ha-1 ano-1). Os tratamentos foram distribuídos em DBC, com 4 repetições e 6 plantas por parcela, com espaçamento de 3 x 3 m, totalizando 240 plantas na área experimental, e uma densidade de 1.111 plantas ha-1. A fertirrigação durante o ciclo da cultura foi distribuída semanalmente. Avaliou-se o índice de clorofila (ICF), os macronutrientes foliares (N, K, P, Ca, Mg e S), produção por planta, produtividade e peso médio do fruto. Na polpa foram avaliados: o pH, sólidos solúveis, acidez titulável, ratio e percentual de polpa. Houve influência das fontes e doses de nitrogênio sobre os teores dos macronutrientes foliares das plantas. A aplicação de ureia aumenta os teores de Ca e Mg e reduz o teor de S foliar em relação ao sulfato de amônio. O incremento das doses de N eleva a concentração foliar de N e Mg foliar. Para o Ca, a dose ótima de sulfato de amônio é de 296,30 kg ha-1. Há influência das fontes e doses de nitrogênio sobre o número de frutos por planta, produção por planta, produtividade, percentual de polpa e sólidos solúveis do maracujazeiro amarelo. O peso médio do fruto, pH, acidez titulável e ratio da polpa não são influenciados pelas diferentes fontes e doses de nitrogênio aplicado via fertirrigação. O aumento das doses de N, fonte sulfato de amônio, causa uma redução no percentual de polpa do maracujazeiro amarelo. Recomenda-se para a fonte ureia 227,87 kg ha-1 de N, para uma produtividade de 15,48 t ha-1 e para o sulfato de amônio 309,5 kg ha-1 de N, para produtividade de 14,92 t ha-1

  • MARIA REGINA GMACH
  • Compartimentos e qualidade da matéria orgânica em diferentes sistemas de uso e manejo nos solos do cerrado do Piauí

  • Orientador : BRUNO DE OLIVEIRA DIAS
  • Data: 28/01/2015
  • Mostrar Resumo
  • A retirada do cerrado nativo em função da implantação de culturas de interesse agronômico tende a provocar uma forte mudança no cerrado piauiense, o que pode provocar sérios impactos de natureza física, química e biológica no ecossistema e no solo. Uma consequência desta alteração pode ser notada com a redução dos teores e frações da matéria orgânica do solo o que pode comprometer a sustentabilidade agrícola da região. O objetivo geral deste trabalho foi avaliar os teores e a distribuição de carbono suas frações em distintas profundidades de perfis de solo no cerrado piauiense submetido a diferentes sistemas de manejo e avaliar o impacto destes na quantidade e qualidade da matéria orgânica do solo. As coletas de solo foram realizadas no sul do estado do Piauí, Brasil, em Latossolo Amarelo, sob Cerrado nativo (CN), plantio direto há três (PD3), seis (PD6) e nove (PD9) anos, pastagem há dois (PA2) e seis (PA6) anos, eucalipto com seis (EU6) e doze (EU12) anos, plantio convencional há oito anos (PC8) e área nova (AN) com dois anos de cultivo, as coletas foram realizadas nas profundidades de 0-10, 10-20, 20-30 e 30-40 cm.  Os resultados apresentados mostraram que o PC8, PD9 e PA6 foram os que mais se aproximaram do CN quanto ao teor e estoque de C na maioria das camadas, e comparando métodos de uso destacaram-se PA6 e PD9 e comparando métodos de manejo destacaram-se PD9 e PC8. Quanto aos três sistemas de PD, o de nove anos foi o que apresentou maiores resultados. Os valores de ácido húmico (AF) e ácido fúlvico (AH) não foram eficientes para comparar sistemas de manejo, pois se mostraram frações instáveis no perfil do solo. No segundo estudo as amostras foram separadas em areia e silte+argila para determinar a matéria orgânica particulada e a matéria orgânica ligada aos complexos organo-minerais do solo. Os resultados encontrados foram maiores no CN nas duas frações. Apenas CN e PA2 mantiveram uma homogeneidade no perfil quanto a proporção de C lábil, sendo que a porcentagem de C reduziu conforme aumentou a profundidade. Os sistemas avaliados apresentaram proporções de C muito semelhantes em cada camada avaliada, variando relativamente pouco entre eles, dentro do perfil todo houve uma variação pouco maior. Todos os tratamentos apresentaram aumento de complexos organo-minerais (MOP) da primeira camada em relação a segunda e, consequentemente, redução daquela particulada. O sistema PC8 apresentou teor de MOP sempre elevado em todas as profundidades. O sistema PA6 apresentou valores relativamente altos de C nas primeiras camadas. Os sistemas de PD não alcançaram os teores de C esperados, sendo que PD9 ainda foi o que apresentou os maiores valores de MOP dentro de todo o perfil.

  • JAURENE MOURA FÉ MORAES
  • Caracterização física e química de substratos hortícolas à base de resíduos orgânicos regionais

  • Orientador : ITALO HERBERT LUCENA CAVALCANTE
  • Data: 16/01/2015
  • Mostrar Resumo
  • Visando o melhor aproveitamento dos resíduos orgânicos regionais na obtenção de insumo para o cultivo de plantas, o presente estudo objetivou avaliar a qualidade física e química de resíduos e materiais orgânicos regionais para uso como substrato agrícola. As avaliações foram realizadas na Universidade Federal do Piauí Campus de Bom Jesus e no Instituto Agronômico de Campinas/São Paulo. Foram formulados vinte e um substratos compostos de caule decomposto de buriti, bagana de carnaúba semidecomposta, bagana de carnaúba com casca de arroz e esterco caprino com areia em diferentes proporções em delineamento inteiramente casualizado com três repetições. A avaliação física levou em consideração a densidade úmida e seca, capacidade de retenção de água, espaço de aeração e volume de poros, e a química foram: potencial hidrogeniônico (pH), condutividade elétrica e teores totais de macro e micronutrientes determinados. Os resultados indicaram que os materiais orgânicos regionais, testados, podem ser utilizados como substrato agrícola ou como condicionadores de substratos. Os substratos apresentam diferentes características físicas, sendo que a maioria encontra-se dentro da faixa ideal recomendada para substratos agrícolas. Mas, há necessidade de ajustes nas propriedades químicas para uso como substrato hortícola.

2014
Descrição
  • RENATO FALCONERES VOGADO
  • Manejo da adubação nitrogenada e molíbdica no cultivo de melancia híbrido Olímpia em Bom Jesus, Piau

  • Orientador : ITALO HERBERT LUCENA CAVALCANTE
  • Data: 29/09/2014
  • Mostrar Resumo
  • A melancia (Citrullus lanatus) é originaria das regiões de clima tropical e subtropical da África. É caracterizada pelo crescimento rápido e rasteiro, possuem ramas que podem atingir até cinco metros de comprimento, com floração e frutificação concomitantes e ininterruptas, necessitando de adubação durante boa parte dos seus estágios fenológicos, destacando-se entre os macronutrientes o nitrogênio que é requerido em grandes quantidades por fazer parte de diversas funções estruturais na planta e o molibdênio que tem como uma das principais funções auxiliar a planta na utilização do nitrogênio através da enzima redutase do nitrato. Nesse sentido o trabalho teve como objetivo avaliar os atributos fitotécnicos, acúmulo de nitrogênio e molibdênio foliar, produtividade e qualidade dos frutos de melancia híbrido Olímpia em função de diferentes doses de nitrogênio em cobertura e molibdênio via foliar. O experimento foi desenvolvido na área experimental do campus Professora Cinobelina Elvas (CPCE) da Universidade Federal do Piauí (UFPI), localizado no município de Bom Jesus, Piauí, situado nas coordenadas geográficas 09º 04’ 28” de latitude Sul, 44º 21’ 31” de longitude Oeste com altitude média de 277 m, durante o período de 21/10/2013 a 08/01/2014. Adotou-se o delineamento em blocos casualizados em esquema fatorial 4 x 4, correspondentes a: i) doses de nitrogênio (N) em cobertura (0, 60, 120, 180 kg.ha-1) e ii) doses de molibdênio (Mo) pulverização foliar (0, 15, 30, 45 g.ha-1), resultando em 16 tratamentos com 4 repetições, totalizando 64 parcelas na área experimental. As variáveis avaliadas foram: comprimento do ramo principal (CRP), diâmetro do ramo principal (DRP), área foliar (AF), índice de conteúdo de clorofila (ICC), número de flores (NF), nitrogênio foliar (N Foliar), molibdênio foliar (Mo Foliar), produtividade total (PT), produção total por planta (PTP), massa média total dos frutos (MMTF), número de frutos totais por planta (NFTP), diâmetro longitudinal (DL), diâmetro transversal (DT), espessura de polpa (EP), espessura de casca (EC), rendimento de polpa (RP), potencial hidrogeniônico (pH), sólidos solúveis totais (SST), acidez total titulável (ATT) e relação sólidos solúveis totais/acidez total titulável (SST/ATT). O aumento nas doses de nitrogênio e molibdênio promoveram os melhores resultados para: DRP, AF, NF, N Foliar, Mo Foliar, PT, PTP, MMTF, DL, DT, EP, EC, RP, pH, SST e SST/ATT. No entanto as variáveis: CRP, ICC, NFTP e ATT não foram afetadas pela adubação nitrogenada e molíbdica. Os resultados demostram que a adubação nitrogenada e molíbdica promovem aumento na produtividade e qualidade da melancia.

  • LEOVÂNIO RODRIGUES BARBOSA
  • QUALIDADE DO SOLO SOB MANEJO CONVENCIONAL EM DIFERENTES ANOS DE CULTIVO E MATA NATIVA NO CERRADO PIAUIENSE

  • Orientador : LUIS ALFREDO PINHEIRO LEAL NUNES
  • Data: 25/09/2014
  • Mostrar Resumo
  • A produção agrícola brasileira vem se destacando nas áreas sob bioma de Cerrado devido aos ganhos significantes na produção e produtividade nessas áreas. No entanto, o modelo de produção com uso intensivo de máquinas por vários anos provoca alterações drásticas nos indicadores do solo diminuindo sua qualidade. Neste trabalho, objetivou-se determinar o índice de qualidade do solo em áreas de Cerrado piauiense com 1 (PC1), 3 (PC3) e 6 (PC6) anos de plantio convencional, por meio de alterações nos indicadores físicos, químicos e biológicos em relação a uma Mata de Cerrado (MN). Os resultados mostram que os sistemas de manejo com maior tempo de uso do solo (PC3 e PC6) apresentaram aumento da densidade do solo e da resistência à penetração, e menor porosidade total, enquanto que PC1 mostraram valores intermediários. Verificou-se aumento da fertilidade do solo nas áreas com maior tempo de exploração e a área de MN apresentou uma pobreza química. O carbono orgânico total mostrou-se sensível com o tempo, visto que a mudança foi gradual conforme o uso do solo, sendo o menor valor encontrado em PC6.  Os valores do carbono da biomassa microbiana (CBM) foram consistentemente mais elevados no solo sob vegetação natural, indicando a ocorrência de efeitos adversos de monocultura manejada por plantio convencional sobre essa variável.  O solo sob PC6 mostrou o maior valor de qCO2 na profundidade de 0 a 0,10 m que demonstra a baixa eficiência dos microrganismos em converter os resíduos orgânicos em biomassa microbiana neste sistema. O ordenamento dos ambientes para a qualidade de solo, através dos valores encontrados no índice de qualidade do solo, revelou que os sistemas poucos manejados ficaram próximos ao ambiente de referência. O manejo convencional utilizado contribuiu para a perda de qualidade de solo desses sistemas que aumentou com o tempo de uso.

  • JOÃO CARLOS ROCHA DOS ANJOS
  • Dinâmica da água e da temperatura de um Plintossolo Argilúvico cultivado com cana de açúcar sob diferentes níveis de palhada

  • Data: 31/07/2014
  • Mostrar Resumo
  • A colheita da cana-de-açúcar crua é uma tendência tecnológica de curto prazo por reduzir o impacto ambiental da atividade sucroalcooleira. Por outro lado, o avanço tecnológico para obtenção de álcool de 2ª geração a partir dos restos culturais (folhas e ponteiros) tem se mostrado uma alternativa promissora para o futuro. O uso do bagaço como fonte de energia nas caldeiras já é uma prática muito comum nas usinas de açúcar e álcool. A questão básica é definir qual a proporção de palha deve ser removida do campo para fins energéticos (co-geração de energia e produção de álcool de 2ª geração) e/ou quanto deve permanecer sobre a superfície do solo, para assegurar nos próximos ciclos de cultivo a sua sustentabilidade agronômica. O estudo objetivou estabelecer o nível de palhada em cobertura do solo que proporcione menor perda de água e oscilação da temperatura do solo e seus reflexos sobre o crescimento da planta, a produtividade de colmos e qualidade tecnológica do caldo da cana-de-açúcar cultivada nas condições edafoclimáticas da microrregião de Teresina, Piauí. Foram avaliados cinco níveis de palhada (0; 4,19; 9,54; 13,04 e 18,38 t/ha) em cobertura do solo equivalentes as proporções de 0, 25, 50, 75 e 100% da palhada produzida na colheita anterior. Usou-se um equipamento TDR (reflectometria no domínio do tempo) e termopares tipo T (cobre/constantan) para acompanhar a dinâmica da água e da temperatura de um PLINTOSSOLO ARGILÚVICO cultivado com cana-de-açúcar, cultivar SP813250, ciclo de 4a folha, durante o período de outubro de 2013 a julho de 2014. A biometria foi realizada mensalmente, por metodologia destrutiva, medindo-se o número de perfilhos por metro linear, diâmetro dos colmos, comprimento dos colmos, número de folhas verdes, comprimento e largura da folha +3, com as quais efetuou-se a estimativa da área foliar (AF), taxa de crescimento da cultura (TCC) e a taxa de crescimento relativo (TCR). Por ocasião da colheita, quantificou-se a produtividade de colmos e a qualidade tecnológica do caldo (ºBrix, PCC, ATR, açúcar redutores totais, teor de fibra e pureza de caldo). O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso, com quatro repetições. Os tratamentos foram arranjados em parcelas subdivididas, com os níveis de palhada dispostos nas parcelas e as profundidades de medição da umidade (0,3 e 0,6 m) e da temperatura do solo (0,05 e 0,10 m), nas subparcelas. Os dados foram analisados utilizando o programa SAS (Statistical Analysis System). Houve diferença significativa (p<0,05) entre os níveis de palhada e o conteúdo de água e temperatura do solo nas profundidades estudadas pelo teste t. As perdas e o armazenamento de água no solo nos níveis de palhada de 13,04 t/ha e 18,38 t/ha não diferiram significativamente entre si pelo teste de Tukey. No entanto, os mesmos diferiram dos demais tratamentos independentemente da profundidade avaliada. As menores perdas de água do solo foram observadas mantendo-se o solo com 13,04 e 18,38t/ha de palhada em cobertura. A oscilação de temperatura do solo foi significativamente maior no solo sem cobertura quando comparada aos demais níveis de palhada. A TCR e a AF apresentou-se superior nos tratamento 13,04 e 18,38 t/ha. Não houve diferença significativa para pureza de caldo e teor de fibra entre os tratamentos estudados. No entanto, o Brix e a ATR nos tratamentos 9,54; 13,04 e 18,38 t/ha diferiram dos demais. Concluiu-se que 4,19 t/ha (25%) da palhada pode ser removida do campo sem afetar a eficiência agronômica da cana-de-açúcar, nas condições ambientais do estudo. 

  • FERNANDA BENÍCIO COÊLHO DE ARAÚJO
  • Caracterização físico-química e microbiológica das águas superficiais e sorção de fósforo nos sedimentos do rio corrente dos matões, Piauí

  • Orientador : MARCIO CLETO SOARES DE MOURA
  • Data: 30/07/2014
  • Mostrar Resumo
  • A ocupação e uso do solo pelas atividades agropecuárias alteram sensivelmente os processos biológicos, físicos e químicos dos sistemas naturais. Estas alterações ocorridas em uma bacia hidrográfica podem ser avaliadas através do monitoramento da qualidade da água e dos sedimentos. Neste estudo objetivou-se avaliar os parâmetros físico-químicos e microbiológicos das águas do rio Corrente dos Matões na região hidrográfica do Parnaíba/PI, nas épocas seca e chuvosa com a utilização da análise estatística multivariada (ACP e AAH). Além de analisar as concentrações de fósforo e nitrogênio nos sedimentos nas épocas seca e chuvosa e os parâmetros de adsorção de fósforo do rio. As amostragens de água e sedimentos na microbacia ocorreram em dois períodos seco e chuvoso, em 08 pontos no mês de setembro de 2013 e 09 pontos no mês de janeiro de 2014, compreendendo nascentes, segmentos intermediários e foz. Na água foram avaliadas as variáveis hidroquímicas e medidas as concentrações de fósforo total, fósforo inorgânico dissolvido, nitrogênio total, nitrato, além da contagem do número mais provável de coliformes totais e termotolerantes. Nos sedimentos foi realizada a granulometria e medidas as concentrações das frações de fósforo (PT, PIT, POT) e nitrogênio total, além da determinação dos parâmetros de adsorção. Os parâmetros físico-químicos e microbiológicos nas águas do rio são fortemente influenciados pelas sazonalidades e como consequência das atividades antrópicas (atividades agrícolas, pecuária e descargas domésticas), principalmente no período chuvoso. As análises de componentes principais e agrupamento hierárquico mostrou-se uma ferramenta importante na classificação dos parâmetros indicadores de qualidade das águas na microbacia. Verificou-se o predomínio do teor de matéria orgânica durante o período seco, principalmente no segmento intermediário do rio, devido à presença da cobertura vegetal e brejos composto por buritizais. O período seco e a baixa diluição e algumas atividades antrópicas contribuíram para o aumento nas concentrações de fósforo e nitrogênio total em sedimentos do rio. Os parâmetros de adsorção de fósforo, através das isotermas de Langmuir e Freundlic apresentaram o comportamento da adsorção de fósforo, que foram maiores na região intermediária do rio, podendo estar associada às características dos sedimentos.

  • LUCIMÁRIA FARIAS PEREIRA
  • Dinâmica do Nitrogênio em solo sob diferentes sistemas de uso e manejo no cerrado piauiense

  • Data: 29/07/2014
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo desse trabalho é avaliar teores e formas de nitrogênio em Latossolos amarelos, sob diferentes sistemas de uso e manejo no cerrado piauiense.

  • JOSE FERREIRA LUSTOSA FILHO
  • Frações de fósforo e teores de nutrientes em Latossolos do Cerrado piauiense após anos de adoção de sistemas de uso e manejo. 

  • Orientador : JULIO CESAR AZEVEDO NOBREGA
  • Data: 28/07/2014
  • Mostrar Resumo
  •       

    O sistema de uso, manejo e tempo de adoção influenciam na disponibilidade de nutrientes, promovendo mudanças nas formas com que estes nutrientes se acumulam no solo, principalmente no caso do fósforo. O presente trabalho foi desenvolvido com os seguintes objetivos: i) avaliar os atributos químicos e teores de matéria orgânica de Latossolo do Cerrado; ii) avaliar as mudanças promovidas nas frações orgânicas e inorgânicas de P em Latossolo do Cerrado piauiense sob diferentes sistemas de uso, manejo e tempo de adoção. Foram avaliados dez diferentes sistemas de uso e manejo do solo: áreas sob sistema de plantio direto (PD3, PD6 e PD9, respectivamente com três, seis e nove anos de cultivo), áreas sob pastagem (PA2 e PA6, respectivamente com dois e seis anos de cultivo), áreas sob plantio de eucalipto (EU6 e EU12, respectivamente com seis e doze anos de cultivo), áreas sob sistema de plantio convencional (PC2 e PC8, respectivamente com dois e oito anos de cultivo) e cerrado nativo (CN), representando uma condição de equilíbrio As amostras do solo foram coletadas em quatro profundidades (0-10, 10-20, 20-30 e 30-40 cm), para determinação dos atributos químicos, matéria orgânica do solo e frações de fósforo. No primeiro estudo, verificou-se que: O cultivo do solo, independente do sistema de uso e manejo, promove a melhoria dos atributos químicos em relação ao Cerrado nativo; as áreas sob eucalipto demonstram maior potencial em estocar MO nas camadas subsuperficiais do solo; o cultivo sob PD promove aumento na camada 0-10 cm nos teores de Ca2+, t, V, pH e K+, sendo estas duas últimas variáveis apenas para o PD com três e seis anos; o PD9 promove maior disponibilidade de P nas camadas superficiais do solo e a maioria dos sistemas de manejo e uso adotados no Cerrado piauiense apresentam níveis adequados de micronutrientes no solo. No segundo estudo, foi verificado que: a fração P-Al apresenta maiores valores em relação às demais frações, independente do sistema de manejo e profundidade, exceto para a fração P-Fe nas profundidades 10 a 20 e 20-30 cm para o PD3 e na profundidade 30-40 cm para o PD3 e PD6; as áreas sob PD3 e PD6 promovem maior acúmulo da fração P-Ca nas camadas de 0-10 e 10-20 cm. Nas camadas de 20-30 e 30-40 cm o PD3 e PD6, respectivamente, apresentam maiores teores desta fração; o PD3 acumula a fração P-Fe nas camadas de 0-10, 10-20 e 20-30 cm, principalmente, pela à entrada de P via adubação fosfatada e conteúdo de matéria orgânica neste sistema; maior teor de P inorgânico é verificado na fração moderadamente lábil (Pi hid0,1). Com médias superiores para os sistemas PD3 e PD6 na camada de 0-10 cm, PD6 na camada de 10-20 cm, PD9 e EU12 na camada de 20-30 cm e EU12 na camada de 30 a 40 cm; a adoção do PD, PA e EU resultam em acúmulo de frações orgânicas lábil e moderadamente lábil, principalmente na camada superficial do solo. a fração de fósforo orgânico predomina sob a forma inorgânica do fósforo em quase todos os sistemas de uso e manejo estudados.

  • ALINE BARBOSA NEGREIROS
  • CORREÇÃO DA ACIDEZ, DISPONIBILIDADE E FORMAS DE FÓSFORO EM FUNÇÃO DE FONTES DE CORRETIVOS, FERTILIZANTES FOSFATADOS E SISTEMAS DE MANEJO DO SOLO NO CERRADO PIAUIENSE

  • Orientador : JULIO CESAR AZEVEDO NOBREGA
  • Data: 28/07/2014
  • Mostrar Resumo
  • Na região sudoeste do estado do Piauí, uma das últimas fronteiras do cerrado brasileiro em franca expansão agrícola, o manejo da fertilidade do solo normalmente ocorre associado ao uso de corretivos e fertilizantes sem nenhuma avaliação que comprove sua eficácia nas condições edafoclimáticas da região, atualmente explorada principalmente com as cultuas de arroz, milho e soja em sistemas de plantio convencional e direto. Neste sentido, estudos que avaliem a eficiência de diferentes corretivos de acidez do solo e fontes de fertilizantes fosfatados nos atributos químicos e biológicos do solo; bem como das frações de fósforo no solo em função de práticas de manejo do solo são importantes para o melhor manejo da fertilidade dos solos da região. No presente estudo foram avaliados os atributos químicos e biológicos de um Latossolo Amarelo sob efeito de diferentes tipos de calcários e fontes de fósforo comercializado na região do cerrado piauiense e; as frações de fósforo orgânico e inorgânico em solo sob sistemas de plantio direto e convencional. Para as fontes de calcários avaliadas foram o Minasul (MSUL), Ibitirama (IBIT), Cincal (CINC) e Ceará (CEAR) e para as fontes de fósforo o superfosfato simples (SSP), o superfosfato triplo (SPT), fosfato natural reativo (FNR) e o fosfato natural reativo + enxofre (FNR+S), ambos, com amostragem do solo em diferentes profundidades. No estudo de fracionamento de fósforo as frações orgânicas e inorgânicas foram avaliadas em áreas sob cerrado nativo (CN), área sob sistema de plantio convencional com um ano (PC1) e áreas sob plantio direto com um ano e oito anos (PD1 e PD8), com amostragem do solo nas profundidades 0,0-0,5; 0,5-0,10; 0,10-0,20 e 0,20-0,30m. Os resultados obtidos mostraram efeitos diferenciados dos tipos de corretivos de acidez e fontes de fósforo nos atributos químicos e biológicos do solo, bem com das formas orgânicas e inorgânicas de fósforo em função do sistema de manejo de solo. 

  • ALCINEI RIBEIRO CAMPOS
  • CLASSIFICAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO MINERALÓGICA DE SETE PERFIS DE SOLO EM TRANSECTO NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO GURGUÉIA


  • Orientador : RAFAEL FELIPPE RATKE
  • Data: 25/07/2014
  • Mostrar Resumo
  • O solo é o resultado da interação entre os diferentes processos e fatores pedogenéticos, a variabilidade em qualquer um deles resulta na formação de solos com um conjunto de características ou atributos peculiares, necessitando assim de sua caracterização e classificação. A região da bacia hidrográfica do rio Gurguéia, sul do Piauí dispõe apenas do Levantamento Exploratório de Solos do Estado realizado na década de 80, expondo assim a necessidade da realização de novos estudos e em um nível mais detalhado. Nesse contexto, este trabalho teve como objetivo realizar a caracterização e classificação e de sete perfis de solo ao longo de um transecto na bacia hidrográfica do rio Gurguéia, Piaui. Foram selecionados, descritos e amostrados sete perfis de solos, distribuídos em um transecto em diferentes ambientes, desde a nascente do rio Gurgueia localizado no Sul do Piauí até o município de Alvorada do Gurguéia mais próximo à foz do Rio Gurgueia. Foram realizadas descrição morfológicas em cada perfil e analises químicas e granulométricas nas amostras. Foram identificadas sete classes de solos nesse estudo: ARGISSOLO AMARELO, LATOSSOLO AMARELO, LATOSSOLO VERMELHO, LATOSSOLO VERMELHO-AMARELO, LUVISSOLO CRÔMICO, NEOSSOLO QUARTZARÊNICO e VERTISSOLO HIDROMORFICOS. A composição mineralógica da fração Areia, Silte e Argila dos solos estudados são similares entre os perfis, com predomínio de respectivamente de Quartzo e Caulinita. Apenas o perfil P6 apresenta minerais 2:1 na fração argila, caracterizando o material expansivo contidos no VERTISSOLO.

  • ROBERTO LUSTOSA SILVA
  • FERTIRRIGAÇÃO NITROGENADA E SUBSTÂNCIAS HÚMICAS NO CULTIVO DO MARACUJAZEIRO-AMARELO EM JUAZEIRO-BA.

  • Orientador : ITALO HERBERT LUCENA CAVALCANTE
  • Data: 23/07/2014
  • Mostrar Resumo
  • O maracujazeiro-amarelo (Passiflora edulis Sims f. flavicarpa Deg) é uma planta trepadeira da família das Passifloráceas, originária da América Tropical, sendo cultivado em países tropicais e subtropicais. O Brasil é o maior produtor e consumidor da fruta. Por ser uma planta de crescimento rápido e contínuo, com processos de floração, crescimento e maturação dos frutos ocorrendo simultaneamente nas regiões mais quentes do país, a cultura exige um rígido e sistemático calendário de adubação em todo o seu ciclo para potencializar o crescimento, atividades fotossintéticas e produção. Neste sentido, o trabalho foi desenvolvido no período de fevereiro a dezembro de 2013, para avaliar os atributos produtividade, nutricional e a qualidade dos frutos do maracujazeiro-amarelo em da fertirrigação nitrogenada e substâncias húmicas. O experimento foi desenvolvido no núcleo habitacional 02 do perímetro irrigado Curaçá, distrito de Itamotinga, situado no município de Juazeiro-BA, situado às coordenadas geográficas latitude: 09º 07’ S, longitude: 40º 04’ W com altitude de 376 m. Adotou-se delineamento experimental em parcela subdividida, com tratamentos distribuídos em faixas 5 x 2, referentes, respectivamente às doses de N (180, 200, 260, 330 e 350 kg ha-1 ano-1 de N)­­­­­­, e aplicação de substâncias húmicas (sem e com), com 5 repetições e 6 plantas por parcela, onde foram avaliadas as quatro plantas centrais de cada parcela, totalizando 200 plantas avaliadas. Pelos resultados registrados a interação entre as doses de nitrogênio e substâncias húmicas influenciaram os atributos produtivos e o estado nutricional do maracujazeiro-amarelo, entretanto, sobre os atributos de qualidade dos frutos foi verificado efeito apenas sobre os atributos químicos pH e acidez titulável não exercendo efeito sobre os atributos físicos, para a maioria das variáveis analisadas a dose de maior eficiência econômica esteve associada à dose de 290 kg ha-1 ano-1 de N na ausência das substâncias húmicas.

     

  • LEONARDA BESERRA MAGALHÃES
  • Atributos químicos e biológicos do Parque Nacional de Sete Cidades, Piauí

  • Orientador : ADEMIR SERGIO FERREIRA DE ARAUJO
  • Data: 01/04/2014
  • Mostrar Resumo
  • O Parque Nacional de Sete Cidades (PNSC) é uma unidade de conservação federal considerada um ambiente prioritário para estudos de conservação da biodiversidade do cerrado. Entretanto, não há estudos relacionados à diversidade microbiana do solo. Neste sentido, o objetivo do estudo foi avaliar a diversidade microbiana do solo em áreas de Cerrado e Cerradão no PNSC. As avaliações foram realizadas em parcelas permanentes com cerrado sensu strictu e cerradão. Uma área sob agricultura de corte e queima foi utilizada como referencia de efeito antrópico. Os valores de biomassa microbiana foram maiores na parcela de cerradão, enquanto que os menores valores foram encontrados na área antropizada. Analise de Componentes Principais (ACP) separou claramente as áreas dos diferentes ambientes dos atributos do solo, especificamente entre as áreas de Cerrado. O DGGE detectou diferenças na estrutura das comunidades bacterianas nas áreas em estudo. Os resultados mostram que há diferenças de diversidade microbiana entre os diferentes ambientes preservados no PNSC.

  • ISNARA REGINA ASSUNÇÃO MEDEIROS
  • Dinâmica de carbono, crescimento e distribuição radicular da soja sob biochar com e sem adubação fosfatada.

  • Data: 25/03/2014
  • Mostrar Resumo
  • A necessidade de buscar alternativas ecológicas para conservação do solo fez surgir o interesse por meios pouco estudados até então. A descoberta da alta fertilidade dos solos antropogênicos na região amazônica do Brasil despertou o interesse de pesquisadores na busca dos compostos que levavam àqueles resultados. Desta forma, descobriu-se que o biocarvão (biochar) possui estruturas físicas favoráveis, como a elevada porosidade, a qual possibilita a retenção de nutrientes e água em suas moléculas. O biocarvão é uma fonte de matéria orgânica recalcitrante, o que possibilita ao solo uma fertilidade prolongada. A adição de biochar ao solo melhora a sua fertilidade e induz o rendimento das culturas nos solos agrícolas, pela estimulação dos organismos do solo que consequentemente, leva a um aumento das renovações de nutrientes principalmente o P e o S, presos nos resíduos de biomassa carbonizada. No entanto dentre os macronutrientes, o fósforo, apesar de requerido em quantidades relativamente menores que os demais macronutrientes, é dos elementos mais utilizados em adubação nas condições de um Latossolo. O experimento foi instalado na Embrapa Meio-Norte, em Parnaíba-PI. Utilizou-se delineamento experimental em blocos casualizados com quatro repetições e parcelas divididas. As doses de biochar foram de (0, 5, 10, 20 e 40 ton.ha-1), com e sem adubação fosfatada (0 e 60 kg.ha-1), constituíram as parcelas e as camadas (0-10 e 10-20) as subparcelas. Foram determinadas no período de floração as variáveis do sistema radicular como: crescimento, diâmetro, densidade e área radicular, números de nódulos, biomassa seca das raízes, dos nódulos e da parte aérea, além dos teores de N, P e K das raízes e parte aérea. Posteriormente, quando os grãos estavam com 14% de umidade foi realizada a colheita da soja para avaliar a produtividade. Para maioria das variáveis houve interações com as doses de biochar com e sem adubação fosfatada. Para os atributos do carbono (C), Respirometria, C microbiano, Nitrogênio (N) microbiano, N total, Estoque de N, Estoque de C, MO, C oxidável, Fracionamento Físico (COM e COP) e o Fracionamento químico da matéria orgânica (Humina, Ácidos Fúlvicos e Ácidos húmicos), os resultados obtidos também mostraram para a maioria dessas variáveis respostas satisfatórias para as doses de biochar com e sem adubação fosfatada. O incremento do biochar no solo contribui para a melhoria de seus atributos químicos e físicos, apesar de algumas variáveis não terem apresentado mudanças expressivas com o aumento das doses. O biochar em função de seus compartimentos, tem demonstrado um potencial de sistema de manejo capaz de acumular C e muitos outros nutrientes no solo, levando ao acréscimo da fertilidade do solo.

  • ADRIANA GUIMARÃES DA SILVA
  • Atributos químicos e frações humicas e granulométricas da matéria orgânica do solo sob diferentes níveis de palhada de cana- de- açúcar (sacharum ssp.)

  • Data: 28/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • Dentre os impactos ambientais gerados pela agroindústria da cana-de-
    açúcar sem dúvida o mais problemático tem sido a prática da queima da palha antes da

    colheita, em vista disso o sistema de colheita mecanizada está cada vez mais presente

    nas áreas de produção do Brasil. O objetivo desse estudo foi avaliar os atributos

    químicos e as frações humicas e granulométricas da matéria orgânica de um Plintossolo,

    sob diferentes níveis de palhada de cana- de- açúcar. O experimento foi instalado

    na Usina Comvap, em União/PI. Utilizou-se delineamento experimental em blocos

    casualizados com quatro repetições e parcelas divididas. Os níveis de palhada (T1: 0

    Mg/ha; T2: 4,7 Mg/ha; T3: 9,5 Mg/ha; T4: 14.2 Mg/ha; T5: 18.8 Mg/ha) constituíram as

    parcelas e as camadas ( 0-5; 5-10; 10-20 e 20-40 cm) as subparcelas. Para avaliação dos

    atributos químicos as amostras de solo foram coletadas nos períodos seco e chuvoso.

    Os teores de C e N desenvolveram tendências lineares crescentes com aumento dos

    níveis de palhada em todas as camadas avaliadas e em ambos os períodos. Os teores

    de P aumentaram linearmente em todas as camadas somente no período chuvoso. O

    aumento dos níveis de palhada não contribuiu efetivamente para o aumento dos teores

    de K, Ca e Mg, CTC potencial e efetiva, SB e V%. Observou- se tendências lineares

    decrescentes para a H + Al em ambos os períodos, e para a Al³+

    seco chuvoso. Os estoques de COT, teor de C da fração humina (FHUM), teor de

    C ligado aos minerais (COM) e índice de estoque de carbono (IEC) desenvolveram

    tendências lineares crescentes com aumento dos níveis de palhada em todas as camadas

    avaliadas. Para os estoques de NT essa tendência foi observada somente nas camadas de

    0-5, 5-10 e 20-40 cm e para os teores de carbono orgânico particulado (COP) somente

    nas camadas de 0-5 e 20-40 cm. A manutenção dos níveis crescentes de palhada sobre o

    solo não favoreceu o aumento do teor de C nas frações acidos fúlvicos (FAF) e humicos

    (FAH) e a relação extrato alcalino/ humina (EA/HUM). O IMC apresentou tendências

    lineares crescente nas camadas de 0-5, 5-10 e 20-40 cm e decrescente na camada de

    10-20 cm. O incremento da palhada no solo contribui para a melhoria de seus atributos

    químicos, apesar de algumas variáveis não terem apresentado mudanças expressivas

    com o aumento dos níveis de palhada. A manutenção dos níveis crescentes de palhada

    sobre o solo contribui para o aumento dos seus estoques de COT e NT, bem como

    para os teores de C da FHUM e das frações granulométricas (COP (5-10 e 20-40 cm) e

    COM). O IMC aumenta em função do aumento dos níveis de palhada, demonstrando o

    potencial desse sistema de colheita para acumular C no solo.

  • BRUNA MULLER CHIODINI
  • Atributos químicos e biológicos em Latossolo Amarelo sob sistemas de manejo e plantas de cobertura no Cerrado piauiense

  • Orientador : JULIO CESAR AZEVEDO NOBREGA
  • Data: 21/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • A região do cerrado brasileiro assume papel destacado na produção agrícola nacional, sendo favorecida por características físicas e topográficas do solo, mas limitada em suas características químicas, como baixo pH e escassez de nutrientes. Tais limitações podem ser amenizadas ou corrigidas por meio de práticas de manejo do solo, necessárias para obtenção de um bom desenvolvimento das culturas e elevação da produtividade, contudo quando mal empregadas estas podem induzir a redução da capacidade produtiva dos solos em curto espaço de tempo. A utilização de plantas de cobertura é considerada uma prática milenar, utilizada com sucesso desde os povos antigos. É possível afirmar que esta prática promove melhoria nos atributos biológicos, físicos e químicos do solo, tendo como consequência aumento na produtividade das culturas. O equilíbrio entre o ambiente e as culturas econômicas, depende das propriedades do solo que são fatores essenciais para o êxito dos cultivos. Na região dos cerrados algumas gramíneas tem se destacado como cobertura do solo, como é o caso do Pennisetum glaucum (milheto), que tem sido apontada como espécie produtora de elevada fitomassa e persistente a escassez de água. No entanto, estudos que relacionem o uso de plantas de cobertura e a sua influência nos atributos microbiológicos, fauna edáfica e químicos é incipiente no cerrado piauiense.

  • GABRIELLA SANTANA CARREIRO GUIMARÃES
  • Uso da Análise Multivariada na avaliação de parâmetros físico-químicos das águas da Bacia do Alto Gurguéia e Sub-bacia do riacho Contrato.

  • Orientador : MARCIO CLETO SOARES DE MOURA
  • Data: 21/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • O sul do estado do Piauí é uma das regiões mais ricas em termo de disponibilidade hídrica. O rio Gurguéia sub-bacia do Rio Parnaíba, drena todo o extremo sul do estado e um dos seus afluentes mais representativos é o riacho Contrato.  A sub-bacia vem passando por transformações em seus ecossistemas aquáticos devido às práticas inadequadas de uso do solo, que provocam erosão na área de contribuição da bacia acarretando prejuízos para fauna e flora aquáticas.  Nesse sentido, o trabalho foi desenvolvido no período de abril de 2012 a abril de 2013, a fim de realizar análises físico-químicas nas águas superficiais do Rio Gurguéia e riacho Contrato. Técnicas de estatística multivariada, tais como: análise de componentes principais e análise agrupamento hierárquico, foram utilizados para relacionar as amostras e os parâmetros avaliados. O monitoramento das águas foi conduzido nos pontos estabelecidos nas cidades de São Gonçalo do Gurguéia, Gilbués, Monte Alegre e Redenção do Gurguéia. Assim, as variáveis físico-químicas analisadas encontram-se dentro da faixa para classes de água 2 da resolução CONAMA 357/05.  A análise de componentes principais permitiu relacionar as variáveis monitoradas em 3 componentes principais que explicam 71,72 % da variância total dos dados. Já análise de agrupamento hierárquicos permitiu classificar as fontes hídricas em 7 grupos de acordo com a similaridade  das características avaliadas nos períodos seco e chuvoso.

  • DIANE CRISTINA STEFANOSKI
  • CRITÉRIOS PARA ESCOLHA DE PARÂMETROS DO ÍNDICE DE QUALIDADE DO SOLO: O CASO DO CERRADO PIAUIENSE

  • Orientador : GLENIO GUIMARAES SANTOS
  • Data: 20/02/2014
  • Mostrar Resumo
  • Em razão da busca de práticas de manejo do solo que favoreçam a sustentabilidade dos agroecossistemas, a qualidade do solo tem recebido interesse crescente nas últimas duas décadas. Dentre os modelos para cálculo de índice de qualidade do solo (IQS), o modelo aditivo é o mais adotado mundialmente. Porém, a seleção dos parâmetros que serão utilizados para geração do IQS pelo modelo aditivo ainda é uma etapa indefinida, sendo utilizados diversos procedimentos, o que dificulta a comparação da qualidade do solo de diferentes regiões. Objetivou-se com o presente trabalho gerar e avaliar índices de qualidade, para solos do Cerrado piauiense, obtidos por diferentes procedimentos de seleção de parâmetros para geração do IQS. Foram utilizados três critérios de seleção de dados com parâmetros físicos, químicos e biológicos do solo: “dados gerais”, pautada em opinião especializada e composta por 36 indicadores de qualidade; conjunto de dados obtido após revisão de literatura, baseado na maior frequência de citação e contendo 16 parâmetros; e conjunto de 20 parâmetros obtidos após análise de componentes principais. Assim, com as três matrizes de dados geraram-se índices de qualidade do solo utilizando o modelo aditivo. Os índices de qualidade do solo a partir dos dados obtidos pelos diferentes procedimentos foram gerados para os dois sistemas de uso do solo predominantes no Cerrado piauiense (plantio direto e preparo convencional), além de vegetação natural de Cerrado. Os dados foram submetidos a análise de variância e as médias comparadas pelos teste de Tukey (p<0,05). Posteriormente, empregou-se a análise de regressão stepwise para gerar modelos próprios de índice. A análise conjunta de todos os índices de qualidade do solo gerados aponta que há diferença estatística apenas entre a área nativa e os sistemas de manejo do solo; com a análise de cada conjunto de dados, apenas o conjunto de dados “seleção na literatura científica” confirmou este resultado; além disso, não houve diferença entre os índices gerados pelas distintas metodologias adotadas. A análise de regressão encontrou como modelo para elaborar índice de qualidade do solo (IQS) em sistemas agrícolas no Cerrado piauiense a equação: IQS = 0,318676736732779+5,09826239577475E-02*t, onde “t” representa a CTC efetiva. Assim, conclui-se que os índices de qualidade, independentemente da seleção de dados, foram sensíveis para detectar a diminuição da qualidade do solo pelo uso agrícola no Cerrado piauiense; as diferentes metodologias geraram índices de qualidade do solo semelhantes; a seleção dos atributos pela literatura científica representa alternativa na avaliação da qualidade do solo; e após a validação do modelo, os índices de qualidade do solo para o Cerrado piauiense podem ser obtidos pelos valores de CTC efetiva em sistemas agrícolas.

2013
Descrição
  • DOMINGOS DE SOUSA LOURA
  • ATRIBUTOS QUÍMICOS E FÍSICOS DO SOLO APÓS QUATRO ANOS DE
    APLICAÇÕES SUCESSIVAS DE LODO DE CURTUME COMPOSTADO.

  • Orientador : ADEMIR SERGIO FERREIRA DE ARAUJO
  • Data: 12/11/2013
  • Mostrar Resumo
  • Brasil é o maior produtor comercial de bovinos do mundo, se
    destacando entre os maiores exportadores de pele processada. Durante o
    processamento das peles são utilizados vários produtos químicos,
    gerando no final um lodo com elevadas cargas orgânicas (pelos, raspas
    de pele, etc.), misturadas com sais inorgânicos. Então, por falta de
    tecnologias adequadas e elevados custos no beneficiamento, os resíduos
    gerados são dispostos em aterros sanitários sem as devidas precauções
    de proteção ao meio ambiente. Teve como objetivou avaliar os atributos
    Químicos e Físicos do solo após quarto anos de aplicações sucessivas
    do lodo de curtume compostado (LCC). O experimento foi conduzido em
    campo experimental no Campus Ministro Petrônio Portela Centro de
    Ciências Agrárias da Universidade Federal do Piauí – UFPI, em Teresina
    Piauí, no período 18.03.2012 a 10.06.2012. Foi usado o delineamento em
    blocos casualizados (DBC)  com 4 blocos e 5 repetições e os seguintes
    tratamentos: controle (dose zero); 2,5; 5; 10 e  20 Mg.ha-1 de LCC,
    apresentando as doses acumuladas de 15, 30, 60 120 Mg.ha-1 de LCC,
    respectivamente. Foram avaliados acidez (pH, H+Al), fósforo (P), bases
    do solo (K, Ca, Mg), saturação de bases (V%), capacidade de troca de
    cátions (CTC), matéria orgânica (MO), crômio no solo (Cr so), crômio
    no ácido fúlvico (Cr AF), crômio no ácido húmico (Cr H) e crômio na
    humina (Cr H), densidade do solo (Ds) e estabilidade de agregados pelo
    diâmetro médio geométrico (DMG) e o índice de estabilidade de
    agregados (IEA). O LCC aumentou o Ca e CTC do solo, porém o pH
    apresentou-se alcalino sendo prejudicial devido ao efeito tampão do
    solo e a pouca adsorção de elementos catiônicos. Foi verificado teor
    de crômio crescente linearmente no solo e nas frações AF e AH com as
    doses de LCC, sendo superiores ao controle. O teor de crômio na fração
    H apresentou resposta quadrática com dose de máxima eficiência de
    90,15 Mg.ha-1, possuindo maior capacidade de complexação com o Cr. Na
    Ds, DMG e IEA não foram verificadas diferenças significativas.

  • LINNAJARA DE VASCONCELOS MARTINS
  • Seleção e eficiência de estirpes de bactérias diazotróficas simbióticas para Vigna unguiculata (L. Walp


  • Orientador : RAFAELA SIMAO ABRAHAO NOBREGA
  • Data: 03/05/2013
  • Mostrar Resumo
  • O Estado do Piauí é um dos principais produtores de feijão caupi Vigna unguiculata (L.), sendo cultivado em uma área de 230.199 ha e produtividade de 483 ha-1. Parte significativa da produção de feijão caupi do Piauí é proveniente de pequenos agricultores, onde quase toda a produção vem do regime de sequeiro. Já em grande escala, a cultura vem assumindo uma importância nacional, uma vez que vem sendo cultivada em safrinha após a colheita da soja nas regiões Nordeste e Centro-Oeste do Brasil. Considerando-se a baixa produtividade do feijão caupi no estado do Piauí, dois estudos sobre a cultura foram conduzidos objetivando: i) selecionar cepas de bactérias eficiente em fixar o N2 oriundas de áreas produtoras de feijão caupi do Estado do Piauí e: ii) avaliar a eficiência agronômica de estirpes de rizóbio aprovadas e em processo de aprovação pelo MAPA para inoculação, em campo, utilizando a cultivar de feijão caupi BR 17 Gurguéia no município de Itaueira, Piauí. Para o primeiro estudo foi verificado que os tratamentos inoculados com as cepas em fase de seleção UFPI B3-4 e UFPI B5-7A foram mais eficientes, na produção de massa seca da parte aérea, assemelhando-se as cepas UFLA 3-164, INPA 3-11B, BR 3262 e BR 3267. A cepa UFPI B3-4 apresentou capacidade e eficiência na nodulação e na fixação de N2 em feijão caupi, porém estudos devem ser conduzidos para avaliar a capacidade de fixação de N2, em condições de campo, a fim de se comprovar o seu potencial para uso na composição de inoculantes microbianos para indicação na cultura estudada. No segundo estudo foi verificado que os tratamentos inoculados com as cepas INPA 3-11B e BR 3267 foram mais eficientes na produção de massa seca da parte aérea. As plantas inoculadas com as cepas UFLA 3-164, INPA 3-11B e BR 3267 apresentaram os maiores acúmulos de N, P, K, Ca, e Mg na MSPA. As cepas em fase de seleção (UFLA 3-164 e UFLA 3-154) apresentaram RG semelhantes entre si, porém a cepa UFLA 3-154 obteve produtividade equivalente à testemunha nitrogenada e a todas as cepas avaliadas. A inoculação do feijão caupi com as cepas BR 3262, BR 3267 e UFLA 3-154 promovem ganhos de produtividade da cultura em Itaueira, PI, podendo ser recomendadas para a cultura na região.

  • DANIELLE ILZE BARBOSA DA SILVA
  • DESENVOLVIMENTO DE MUDAS DE  LEUCENA (Leucaena leucocephala (Lam.) UTILIZANDO  LODO DE CURTUME COMPOSTADO

  • Orientador : LUIS ALFREDO PINHEIRO LEAL NUNES
  • Data: 19/04/2013
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se nessa pesquisa avaliar os impactos do lodo de curtume compostado sobre os indicadores da qualidade do solo e também no crescimento das mudas de Leucena. O experimento foi realizada em casa de vegetação no departamento de fitotecnia, na Universidade Federal do Piauí durante os meses de agosto a outubro de 2012. Os tratamentos utilizados foram: LCC 1, LCC2, LCC 3   com solo natural na proporção de 1:3 respectivamente, um tratamento com solo natural  adubado com  fósforo e potássio (PK), além da testemunha que constou somente de solo natural. A aplicação do LCC provocou aumentos significativos do carbono orgânico do solo, em comparação á testemunha e ao tratamento com adubação mineral. Não houve diferença significativa entre as doses de lodo em relação ao qMic. Foi observado aumento na respiração do solo nas diferentes doses com aplicação das maiores doses e o qCO2 não mostrou diferença entre as doses de lodo compostado. A altura das plantas apresentou diferenças entre as doses e matéria seca da parte área e raiz não foram observadas diferenças entre as os tratamentos com as doses de lodo e o teor de clorofila não mostrou diferença significativa em todos os tratamentos. Os resultados encontrados nessa pesquisa mostram que o lodo não afetou os indicadores de qualidade do solo e o desenvolvimento das mudas.

  • JONATHAS MENDES FONSECA
  • CRESCIMENTO INICIAL DA LEUCENA INOCULADA COM FUNGOS MICORRÍZICOS ARBUSCULARES EM DIFERENTES LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO

  • Orientador : ROMERO FRANCISCO VIEIRA CARNEIRO
  • Data: 25/03/2013
  • Mostrar Resumo
  • Uma das principais limitações na fase de implantação de plantas forrageiras de alto potencial produtivo na região Nordeste tem sido a ocorrência frequente de períodos de estiagens “veranicos” durante a estação chuvosa. A utilização de leguminosas arbóreas como a Leucena (Leucaena leucocephala (Lam) como banco de proteína é uma alternativa que vem consolidando em busca do equilíbrio de oferta tanto de forragem como de proteína ao longo do ano. Práticas como a irrigação suplementar e a inoculação das mudas com fungos micorrízicos arbusculares podem minimizar os riscos de implantação das culturas mesmo no período das águas, sobretudo daquelas que passam por uma fase de viveiro a exemplo da leucena. O presente estudo foi conduzido objetivando avaliar o crescimento inicial da leucena no campo sob influência da inoculação micorrízica arbuscular da muda associada à lâminas de irrigação por gotejamento. Foram avaliados os parâmetros: taxa de crescimento relativo da altura e do diâmetro do caule, curva de crescimento da altura e do diâmetro do caule, altura, diâmetro do caule, massa fresca e massa seca da parte aérea, teor de clorofila, colonização micorrízica e número de esporos. Para o manejo da irrigação, os dados climáticos diários foram obtidos através da estação meteorológica automática, instalada na Universidade Federal do Piauí- UFPI, campus Profª. Cinobelina Elvas – CPCE, com os quais se estimou a evapotranspiração de referência (ETo) diária, pelo método de Penman-Monteith. O delineamento experimental utilizado foi o delineamento inteiramente casualizado (DIC), com três repetições. Para avaliação dos parâmetros a análise estatística foi realizada em esquema fatorial 4x4. Os tratamentos foram constituídos por: quatro lâminas de irrigação (25%; 50%; 75% e 100% da ETo) e quatro condições de substrato para obtenção da muda (substrato autoclavado inoculado com o FMA- Glomus clarum (AI), substrato autoclavado não inoculado (ANI), substrato em condição natural inoculado com o FMA- Glomus clarum (NI) e substrato em condição natural não inoculado (NNI). A inoculação da leucena com o fungo micorrízico arbuscular Glomus clarum é dispensável quando se utiliza substrato autoclavado para o crescimento inicial da leucena. A utilização da irrigação suplementar proporciona incremento significativo na taxa de crescimento relativo (TCR) da altura e diâmetro do caule de plantas de leucena após o transplantio em todos os substratos estudados. O tratamento natural não inoculado (NNI) apresentou menor MFPA e MSPA demonstrando que, em substrato contendo apenas solo natural, a inoculação com o Glomus clarum é tecnicamente viável para promover maior crescimento de plantas de leucena.

  • JOSÉ JEREMIAS FERNANDES DE OLIVEIRA
  • FUNGOS MICORRÍZICOS ARBUSCULARES, ADUBAÇÃO FOSFATADA E COMPOSTO DE APRISCO NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE LEUCENA

  • Orientador : ROMERO FRANCISCO VIEIRA CARNEIRO
  • Data: 25/03/2013
  • Mostrar Resumo
  • A leucena destaca-se entre as leguminosas forrageiras devido ao seu rápido crescimento e acentuadas taxas de fixação biológica de nitrogênio. Buscando-se atingir uma melhor qualidade e otimizar o uso de insumos químicos e orgânicos tem-se adotado o uso insumos biológicos como os fungos micorrízicos arbusculares (FMA) na produção de mudas. Considerando a potencialidade da cultura da leucena e a importância de se otimizar a fase de produção da muda,  que traz reflexos significativos no desempenho da planta na fase de campo, dois estudo foram realizados objetivando: i) estudar a influencia da inoculação das espécies de FMA Glomus etunicatum e Glomus clarum em subtrato de subsuperfície de um LATOSSOLO AMARELO, na condição natural e autoclavado, sob adubação fosfatada e ii) estudar a influência da inoculação das espécies de FMA Glomus Clarum e Glomus etunicatum sob concentrações de esterco de aprisco em subtrato de subsuperfície de um LATOSSOLO AMARELO nos parâmetros de crescimento, índices de qualidade e eficiência micorrízica em mudas de leucena. No primeiro verificou-se que: i) a inoculação promoveu efeito significativo no parâmetro eficiência micorrízica, no qual as mudas inoculadas com Glomus clarum demonstraram incremento de 92% sobre o isolado Glomus etunicatum, em substratos autoclavado. , ii) inoculação do substrato com Glomus clarum promoveu crescimento da parte aérea e precocidade das mudas de leucenas mesmo na ausência de adubação fosfatada, iii) o desenvolvimento radicular das mudas de leucena é pouco afetado pela inoculação com Glomus etunicatum e Glomus clarum, iv) a esterilização do substrato, por meio da autoclavagem, demonstra promoção do crescimento aéreo e radicular, v) as mudas sob substrato inoculado com Glomus clarum apresentam maior robustez e qualidade e vi) a maior eficiência do isolado Glomus clarum na promoção da massa seca total das mudas de leucena ocorre na ausência de adubação fosfatada. No segundo estudo verificou-se que: i) o composto de aprisco promove à máxima expressão dos parâmetros biométricos em mudas de leucena na faixa de 35 a 39% em adição a camada de subsuperfície de LATOSSOLO AMARELO e ii) A inoculação com Glomus clarum e Glomus etunicatum em subtrato formado por composto de aprisco e subsuperfície de LATOSSOLO AMARELO não afeta os parâmetros biométricos de mudas de leucena.

     

  • MARCIO GODOFREDO ROCHA LOBATO
  • Atributos físicos em Latossolo Amarelo no cerrado piauiense
    sob plantio convencional e transição para o plantio direto

  • Orientador : FABRICIO DE MENEZES TELO SAMPAIO
  • Data: 28/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • As práticas de manejo podem causar impactos na estrutura do
    solo, alterando sua qualidade física. Essa modificação afeta o fluxo
    de nutrientes, a infiltração e armazenamento de água refletindo na
    produtividade das culturas. Diante da necessidade de mensurar essas
    alterações foi realizado o presente estudo com objetivou de avaliar os
    atributos físicos de Latossolo Amarelo no cerrado piauiense sob
    sistema de plantio convencional e transição para o plantio direto.
    Foram avaliados seis sistemas de manejo, plantio direto com quatro
    (PD4) e dois anos (PD2), plantio convencional com cinco (PC5) e nove
    anos (PC9), área recém-desmatada (RD) tendo como referência o cerrado
    nativo, em quatro profundidades (0,0-0,05; 0,05-0,10; 0,10-0,20 e
    0,20-0,30 m). O delineamento utilizado foi inteiramente casualizado,
    com cinco repetições, num esquema fatorial com parcelas subdivididas.
    Foram avaliados a estabilidade dos agregados, porosidade total, macro
    e microporosidade, carbono orgânico e a retenção de água. Os sistemas
    de cultivo modificaram os atributos físicos do solo quando comparados
    à condição original com Cerrado nativo, aumentando a microporosidade e
    reduzindo a estabilidade dos agregados, o teor de matéria orgânica, a
    macroporosidade, a porosidade total e a retenção de água. Dentre os
    sistemas de manejo o PD2 apresentou os maiores valores de carbono
    orgânico total e os menores valores foram observados no PC, reflexo da
    rápida degradação pelo revolvimento do solo e exposição da matéria
    orgânica. No PD4 formam encontrados os maiores valores de retenção de
    água, microporosidade e estabilidade de agregados DMG (3,71 mm) sendo
    consequência da textura mais argilosa, do não revolvimento do solo e
    da manutenção da matéria orgânica. O PC9 apresentou os maiores valores
    de macroporos e o PC5 a menor estabilidade de agregados (2,50 mm).

  • SIDNEY DE SOUSA E SILVA
  • Compostos orgânicos como substratos para produção de mudas de alface

  • Orientador : MARKILLA ZUNETE BECKMANN CAVALCANTE
  • Data: 28/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • Os resíduos sólidos caracterizam-se como um dos principais problemas enfrentados pela humanidade, sendo acentuado pela indisponibilidade de áreas para deposição dos mesmos. A compostagem é considerada como um processo de recuperação e reciclagem para o aproveitamento racional destes resíduos. O uso de resíduos como componentes de substratos propiciam a obtenção de materiais alternativos e de baixo custo, bem como, facilmente disponíveis. Neste sentido, objetivou-se avaliar o efeito de compostos orgânicos como substrato no desenvolvimento da parte aérea e do sistema radicular O objetivo deste trabalho foi estudar composto orgânico como substrato para produção de mudas de alface nas condições de Bom Jesus-PI. O experimento foi conduzido no Setor de Horticultura do Campus Profa. Cinobelina Elvas (CPCE) da Universidade Federal do Piauí (UFPI) em Bom Jesus-PI. Foi utilizado o delineamento em blocos ao acaso distribuído em esquema fatorial 6 x 2, referentes a seis materiais utilizados como substratos e duas cultivares, com quatro repetições contendo 100 células cada uma. Os substratos foram: RPEB (restos de poda e demais resíduos vegetais + esterco bovino); RPEC (restos de poda e demais resíduos vegetais + esterco caprino); RUEB (resíduos do restaurante universitário e legumes, frutas, verduras impróprios para comercialização coletado no mercado local + esterco bovino); RUEC (resíduos do restaurante universitário e legumes, frutas, verduras impróprios para comercialização coletado no mercado local + esterco caprino); COM (Vermiculita); SC (solo + esterco caprino). As cultivares utilizadas foram do grupo crespa, cv. Grand Rapids e do grupo lisa, cv. Babá-de-Verão. Foram avaliadas as variáveis: percentagem de emergência, índice de velocidade de emergência, altura de plantas (AP), número de folhas (NF), índice de clorofila foliar, área foliar (AF) e massa seca da parte aérea (MSPA), referentes à parte aérea; e comprimento da maior raiz (CMR), volume radicular (VR), área radicular (AR), densidade radicular (DSR), comprimento radicular (CR), massa seca da raiz (MSR) e estabilidade do torrão (ET) referentes ao sistema radicular. A partir dos resultados obtidos, conclui-se o RPEB e RUEB são alternativas como substrato para produção de mudas de alface, podendo substituir o substrato comercial vermiculita; o substrato SC não é indicado para produção de mudas de alface com qualidade.

  • KEZIA APARECIDA DE SOUSA COELHO
  • Fotólise e fotocatálise do herbicida Basagran em solução aquosa.

  • Orientador : JOSY ANTEVELI OSAJIMA FURTINI
  • Data: 28/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • O destino final dos pesticidas, compostos muito utilizados na agricultura, tem sido tema de grandes discussões atualmente, pois ao chegar no ambiente esses compostos podem ter vários destinos. Devido a sua alta toxicidade, esses resíduos devem ter um tratamento apropriado antes de serem descartados na natureza. Sendo assim, os Processos Oxidativos Avançados vem ganhado relevante destaque nos últimos anos devido à sua alta eficiência de degradação de diversos compostos orgânicos encontrados na natureza.  Sua grande eficácia se dá devido ao fato de ser de baixo custo operacional, além de gerar radicais hidroxilas altamente oxidantes, os quais podem realizar a mineralização total da matéria orgânica.  Um dos herbicidas muito utilizados na agricultura é o herbicida Basagran, o qual faz parte da classe das bentazonas possuindo toxicidade moderada. Sendo assim os Processos Oxidativos Avançados constituem uma ótima alternativa de degradação desse composto, pois o produto final desse processo geralmente gera um composto inorgânico inerte. Esse processo pode ser utilizado na presença ou ausência de radiação ultravioleta, como também na presença ou ausência de sais e oxidantes, sendo o oxidante mais utilizado nesse processo o catalisador semicondutor dióxido de titânio. No presente trabalho foi utilizado os Processos Oxidativos Avançados para a degradação do herbicida Basagran em solução aquosa. O processo foi feito na presença da radiação solar comparando sua eficiência com a radiação ultravioleta, como também a utilização de diferentes tipos de sais em diferentes concentrações. Para verificar a eficiência do processo foi utilizado também o catalisador semicondutor dióxido de titânio em diferentes concentrações e o peróxido de hidrogênio, também muito utilizado no processo fotocatalítico.

  • FABRICIO RIBEIRO ANDRADE
  • Desempenho agronômico da soja a doses de fósforo e formononetina e milho a doses e épocas de aplicação do nitrogênio no Cerrado piauiense.

  • Orientador : JULIO CESAR AZEVEDO NOBREGA
  • Data: 28/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • A soja e o milho são as mais importantes culturas cultivadas na região sudoeste do Cerrado piauiense, assegurando com isso grande importância no desenvolvimento sócio econômico da região. A região apresenta como condições desfavoráveis à exploração agrícola baixa fertilidade natural dos solos, associada principalmente à baixa disponibilidade de fósforo e matéria orgânica, que exerce papel fundamental na disponibilidade de nitrogênio. Portanto, objetivou-se com o presente estudo buscar práticas de manejo que otimizem a aplicação do fósforo e nitrogênio na cultura da soja e milho respectivamente. Foram realizados três ensaios na região sudoeste do Piauí, em Latossolo Amarelo. O primeiro e segundo estudo foram realizados respectivamente em solo com médio e baixo teor de fósforo, utilizando diferentes doses de fósforo combinada com doses do isoflavonóide formononetina, considerado como estimulante e acelerador do estabelecimento da simbiose entre fungos micorrízicos arbusculares e plantas, a fim de facilitar a absorção de fósforo. O terceiro estudo foi conduzido objetivando avaliar a combinação de diferentes épocas de aplicação e doses do nitrogênio na cultura do milho. Em todos os estudos avaliaram-se a altura das plantas, fitomassa seca da parte aérea, teor relativo de clorofila total, massa de mil grãos e produtividade. Para a cultura da soja foram também avaliados o número de nódulos por planta, peso fresco e seco dos nódulos, número de vagens e grãos por planta e para a cultura do milho o teor de nitrogênio foliar, diâmetro do colmo, altura de inserção da espiga, comprimento da espiga, número de fileiras por espiga, eficiência agronômica e o índice de colheita. Após a análise de variância e, no caso de haver significância, os fatores qualitativos foram comparados pelo teste de Tukey, enquanto os fatores quantitativos foram submetidos à análise de regressão polinomial. A aplicação de formononetina não se mostrou eficiente, ao ponto de promover ganhos produtivos na cultura da soja em Latossolo Amarelo distrófico com teores de fósforo baixo e médio. As doses de fósforo não promoveram ganhos produtivos na cultura da soja quando cultivada em Latossolo Amarelo com médio teor de fósforo, comportamento diferente ao verificado para o solo com baixo teor de fósforo. Aplicações de nitrogênio parceladas proporcionaram maior eficiência agronômica na utilização do nutriente, tendo a aplicação de 30% na semeadura e o restante em cobertura proporcionado uma maior eficiência agronômica, índice de colheita de grãos e produção de grãos de milho. Os maiores valores de fitomassa seca, diâmetro basal, índice de colheita e produtividade de grãos de milho, são verificados com a aplicação de dose de nitrogênio na faixa de 130 a 145 kg ha-1.

     

  • ALCIMAR DE SOUSA E SILVA
  • ADUBAÇÃO NITROGENADA E POTÁSSICA NO CULTIVO DE HELICÔNIA CV. GOLDEN TORCH

  • Orientador : MARKILLA ZUNETE BECKMANN CAVALCANTE
  • Data: 27/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • A produção de flores, em especial flores de corte tem se destacado dentro do agronegócio mundial pelo volume de renda gerado na sua cadeia produtiva, porém a atividade enfrenta vários problemas tendo como um dos principais o fornecimento da quantidade correta de fertilizante. Dentre as inúmeras flores podemos destacar as helicônias que são plantas muito exigentes em nutrientes, especialmente o nitrogênio e o potássio, porém a resposta a adubação depende dentre outras, das quantidades adequadas e da época de aplicação do adubo, facilitando a sua absorção pela planta e evitando perdas. Neste sentido, objetivou-se avaliar o efeito da adubação nitrogenada e potássica no cultivo de Heliconiapsittacorum x H. spathocircinata cv. Golden Torch no município de Bom Jesus-PI. O experimento foi conduzido no campo experimental de Floricultura do Campus Profa. CinobelinaElvas (CPCE) da Universidade Federal do Piauí (UFPI) em Bom Jesus-PI, no período de 29 de julho de 2011 a 29 de julho de 2012.O experimento foi instalado em esquema fatorial 4 x 4 correspondentes a: i) doses de nitrogênio (0, 120, 180 e 240 g de N cova-1); e, ii) doses de potássio (0, 120, 180 e 240 g de K cova-1). Os tratamentos foram distribuídos em blocos casualizados com quatro repetições e cinco rizomas por parcela, para avaliação das três plantas centrais, totalizando 320 plantas, numa área de 0,19 hectares.Foram avaliados o número de dias para emissão do primeiro perfilho, número de dias para emissão da primeira inflorescência, número de dias para colheita de inflorescência, altura da planta, número de haste floral por touceira, diâmetro da haste floral, comprimento da haste floral, comprimento da inflorescência e área foliar além dos atributos nutricionais teores totais de nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio e enxofre nas folhas. O tratamento com doses de 120g de K cova-1 foi o que apresentou os melhores resultados. As doses de N não apresentaram resultados significativos tanto para os atributos produtivos como para os nutricionais da planta. As doses de K aplicadas influenciam no estado nutricional de plantas de helicônia cv. Golden Torch para os nutrientes P, K, Ca e Mg.

  • DIOGO MILHOMEM MACHADO
  • INDICADORES BIOLÓGICOS E DINÂMICA DA MATÉRIA ORGÂNICA EM LATOSSOLO SOB APLICAÇÃO DE BIOMASSA CARBONIZADA NO LESTE DE MATO GROSSO

  • Data: 25/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • No Brasil ainda são escassos estudos sobre a influência do carvão sobre os indicadores biológicos e a qualidade da matéria orgânica do solo, principalmente no cerrado. O objetivo do presente estudo foi avaliar os efeitos da biomassa carbonizada e da adubação sobre os atributos biológicos do solo e sobre os teores de carbono orgânico total (COT) e nitrogênio total (NT), assim como os efeitos da biomassa carbonizada em conjunto com a adubação sobre os estoques de COT e NT e sobre as substâncias húmicas. O experimento foi realizado no município de Nova Xavantina-MT, na Fazenda Estrela do Sul. O delineamento utilizado foi o de blocos ao acaso com cinco doses de carvão vegetal (0, 2, 4, 8, 16 Mg ha-1) e dois níveis de adubação (0 e 200 Kg ha-1 de NPK). As amostras de solo foram coletadas nas profundidades de 0-10 e 10-20 cm. Os teores de COT foram alterados significativamente pelo biochar. Os teores de NT aumentaram significativamente em função do carvão e adubação. A atividade da enzima urease aumentou de forma significativa em função do carvão e da adubação. Para a enzima β-glucosidase, somente houve significância para o carvão nos tratamentos com ausência de adubação. A atividade da enzima fosfatase foi significativamente alterada somente em função da adubação, o carvão não teve efeito sobre essa enzima. Tanto o carvão como a adubação influenciaram significativamente a atividade enzimática total. O carbono da biomassa microbiana do solo (C-BMS) e a respiração não foram alterados em função de adubação e doses de carvão. A presença do carvão e de adubos químicos influenciaram o nitrogênio da biomassa microbiana (N-BMS). Os quocientes microbianos e metabólicos não foram alterados significativamente pelas adubações e pelas doses de carvão. A adição do carvão promoveu aumento nos estoques de COT. Os estoques de NT foram influenciados pela adição do carvão e pela adubação de base (200 Kg ha-1). Os teores de C-lábil e o IMC não foram alterados de forma significativa pelo carvão e pelas adubações. As frações da matéria orgânica foram influenciadas pelas doses de carvão, sendo a fração humina a que apresentou os maiores teores de carbono. A utilização do carvão promove efeitos diversos e em conjunto com a adubação, alguns desses efeitos são mais bem evidenciados.

  • EDUARDO MONTEIRO SANTOS
  • Adubação nitrogenada e potássica e espaçamento no cultivo do mamoeiro formosa cv. caliman em Bom Jesus, Piauí.

  • Orientador : ITALO HERBERT LUCENA CAVALCANTE
  • Data: 25/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • O mamoeiro (Carica papaya L.) é originário das regiões tropicais e subtropicais das América e o Brasil é o maior produtor mundial dessa fruta. Por ser uma planta de crescimento rápido e contínuo, com processos de floração, crescimento e maturação dos frutos ocorrendo simultaneamente, a cultura exige um rígido e sistemático calendário de adubação em todo o seu ciclo para potencializar o crescimento, atividades fotossintéticas e produção. Neste sentido, o trabalho foi desenvolvido no período de novembro de 2011 a novembro de 2012, para avaliar o estado nutricional e os atributos fitotécnicos, fisiológicos e a produtividade do mamoeiro Formosa (cv. Caliman 01) em diferentes espaçamentos de plantio e adubação com NK em cobertura. “O experimento foi desenvolvido na área experimental de fruticultura do Campus Profa Cinobelina Elvas (CPCE), da Universidade Federal do Piauí (UFPI), localizado no município de Bom Jesus-PI, situado às coordenadas geográficas 09º 04’ 28” de latitude Sul, 44º 21’ 31” de longitude Oeste com altitude média de 277 m. Adotou-se delineamento em blocos casualizados em esquema fatorial 2 x 4 x 4,correspondentes a: i) espaçamento de plantio [fileiras simples (3,8 x 2,0 m) e fileiras duplas (3,8 x 2,0 x 1,8 m)]; ii) doses de nitrogênio em cobertura (320, 400, 480 e 560 g por planta) e iii) doses de potássio em cobertura (380, 475, 570 e 665 g por planta) de acordo com a análise de solo, respectivamente. Utilizou-se quatro repetições e três plantas hermafroditas de mamoeiro do grupo Formosa cv. Caliman por parcela, totalizando 384 plantas. Há influência do espaçamento de plantio e da adubação com NK em cobertura na acumulação foliar de macronutrientes bem como dos atributos biométricos, fisiológicos e produtividade do mamoeiro Formosa cv. Caliman-01, com superioridade para o espaçamento duplo em relação ao simples associado ao fornecimento de 665 g por planta de K2O e 320 g por planta de N em cobertura.

  • ROSSIANA RIBEIRO LINO
  • DINÂMICA DE CARBONO E FAUNA DO SOLO SOB DIFERENTES NÍVEIS DE PALHADA DE CANA-DE-AÇÚCAR (Sacharum ssp.)

  • Data: 22/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • No Brasil a cana-de-açúcar está em destaque devido à grande produção e a fabricação de álcool e açúcar.  Por muitos anos, a colheita da cana tem sido realizada com queima apresentando impactos negativos ao solo, o que tem estimulado adoção do sistema de colheita mecanizada ou cana crua. O objetivo dessa pesquisa foi avaliar os compartimentos da matéria orgânica do solo (MOS) e a fauna invertebrada em um Plintossolo cultivado com cana-de-açúcar colhida sem queima e com deposição de diferentes níveis de palhada sobre o solo. O experimento foi instalado na Usina Comvap, no município de União – PI. Foi utilizado o delineamento experimental em blocos casualizados com cinco tratamentos e quatro repetições, sendo: T-0% (0 Mg ha-1), T25% (2,2 Mg ha-1), T50% (5,1 Mg ha-1), T 75% (7,8 Mg ha-1) e T-100% (12,0 Mg ha-1) da palhada produzida na área. Foram realizadas duas amostragens do solo no período chuvoso e seco nas camadas de 0-5, 5-10, 10-20 e 20-40 cm, para a determinação do carbono orgânico total (COT), nitrogênio total (NT), carbono lábil (CL), carbono solúvel em água (CSA), carbono da biomassa microbiana (Cmic), frações das substâncias húmicas (ácidos fúlvicos, ácidos húmicos e humina) e a fauna da invertebrada do solo.  Houve efeito significativo (p<0,01), para os estoques de COT nos dois períodos, com valores lineares crescentes em função da adição de palhada.  No período seco, os teores de CSA obtiveram efeitos significativos dos tratamentos nas camadas de 0-5 (p<0,01) e 5-10 cm (p<0,05), apresentando comportamentos lineares crescentes em função da adição da palhada.  Para Cmic no período chuvoso, os valores apresentaram efeitos significativos (p<0,01) dos tratamentos em todas as camadas, com comportamentos lineares crescentes e no período seco apenas nas camadas 0-5 (p<0,01) e 5-10 (p<0,05) cm. Os valores de Cmic no período seco foram maiores em relação ao período chuvoso. O grupo Collembola, no período chuvoso foi mais expressivo do que os demais grupos. A riqueza da média no período seco foi maior no T-100% e no período chuvoso no T-0%. Para índice de Shannon, os valores foram maiores no T-50% e T-100% e de Pielou variaram entre 0,34 no T-25% e 0,55 no T-100% e no período chuvoso entre 0,13 a 0,17, sendo o maior valor no T-100%. Observou-se que o grupo engenheiros do solo (Formicidae) apresentou maior abundância no T-100% de palhada no período seco. A deposição da palhada sobre solo sem incorporação na quantidade a partir de 2,2 Mg ha-1, contribuiu para o aumento dos estoques de COT  e  de suas frações e aumentou a atividade da biomassa microbiana  nas camadas superficiais favorecendo a riqueza dos grupos da fauna epígea. A deposição e manutenção da palhada de cana-de-açúcar sobre o solo favoreceram a riqueza dos grupos da fauna epigeica.

  • ISIS LIMA DOS SANTOS
  • Atributos químicos e microbiológicos em Latossolo sob sistemas de manejo no Cerrado piauiense.

  • Orientador : GLENIO GUIMARAES SANTOS
  • Data: 19/02/2013
  • Mostrar Resumo
  •  A pesquisa foi realizada no município de Bom Jesus-PI, região sudoeste do Estado. Foram estudados os atributos químicos e microbiológicos do solo em sistema plantio direto de quatro anos (após seis anos sob plantio convencional) e sistema plantio convencional (área recém-desmatada) sob Latossolo e o Cerrado nativo piauiense, utilizado como área de referência. Determinaram-se: pH, carbono orgânico total, nitrogênio total, Ca2+, Mg2+, P, K+ e Al3+, em que posteriormente foram calculados relação C/N, Estoque de carbono e nitrogênio, T, t, S, V, m por meio dos procedimentos descritos pela Embrapa.  Para fins microbiológicos determinaram-se: carbono da biomassa microbiana, respiração basal e calculados os quocientes microbianos e metabólicos. Os atributos químicos e microbiológicos foram avaliados nas seguintes camadas de solo: 0-5 cm, 5-10 cm, 10-20 cm e 20-30 cm de profundidade. Utilizou-se de três sistemas de manejo por três repetições em quatro profundidades. Após teste de significância as médias foram comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade através do programa Sisvar. De maneira geral, a substituição do Cerrado nativo sob Latossolo, por extensas áreas de cultivos de grãos no sudoeste piauiense, alteram os atributos químicos e microbiológicos do solo. Para os atributos químicos, as práticas agrícolas vinculadas aos sistemas de manejo plantio convencional e direto modificaram pontualmente as concentrações de nutrientes e distribuição de teores por entre as camadas até os 30 cm, principalmente, quando comparados ao Cerrado nativo. Bem como, se observou efeitos acumulativos em superfície quanto aos teores de cálcio e magnésio na ausência do revolvimento do solo, com reduções contrastantes de alumínio, resultando, em concentrações muito diferentes, quando observados os valores de bases e saturação de alumínios originais (no Cerrado). Entretanto, o tempo de cultivo sob o sistema plantio direto não possibilitou que o solo recuperasse teores iguais ou superiores aos do Cerrado nativo de MOS, indicando que são necessários mais de quatro anos para que um solo após seis anos sob plantio convencional recupere seus estoques de carbono originais. No que contempla as variáveis dos atributos microbiológicos, elas se mostraram sensíveis e eficientes para avaliar os sistemas de manejo, contrariamente aos estoques de carbono e nitrogênio em que não foram percebidas diferença distintas entre os sistemas de manejo. Num todo, se observa a necessidade de estudos posteriores de modo a avaliar também a qualidade da MOS que está sendo depositada na forma de cobertura do solo e a utilização de outras espécies na rotações de culturas, de modo a confrontar os resultados com pesquisas anteriores e se definir o melhor sistema de manejo e culturas a serem utilizadas, mesmo o plantio direto ter se mostrado promissor sob maior tempo de adoção.

  • THIAGO RODRIGO SCHOSSLER DE SOUZA
  • Atributos físico-hídricos em Latossolo sob sistemas de manejo no Cerrado piauiense

  • Orientador : GLENIO GUIMARAES SANTOS
  • Data: 19/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • Na região do Cerrado piauiense, por ser uma área de incorporação recente ao processo produtivo, são escassos e pouco conclusivos os trabalhos que avaliam os efeitos dos sistemas de manejo na estrutura e nas propriedades físico-hídricas do solo. Também existem poucas informações sobre o efeito da transição do sistema de plantio convencional para o sistema de plantio direto. Assim, o presente trabalho tem como objetivo avaliar o efeito dos sistemas de manejo nas propriedades físico-hídricas e na estrutura do solo quando comparado com área de cerrado nativo. Foram feitas avaliações em sistema de plantio direto com três anos e sistema de plantio convencional com aração recente e em cerrado nativo, sob Latossolo Amarelo distrófico típico de textura franco-argilo-arenosa. Foram coletadas amostras indeformadas nas camadas 0-0,10, 0,10-0,20 e 0,20-0,30 m em cilindros de 100 cm³ para avaliação da densidade do solo, porosidade total, macroporosidade, microporosidade, microporosidade efetiva, umidade de saturação, saturação efetiva e condutividade hidráulica de laboratório, obtidos através da curva de retenção de água. Além disso, foram avaliados em campo a condutividade hidráulica por meio de um permeâmetro de Guelph e a resistência a penetração com penetrômetro de impacto. Ademais, foram coletadas amostras indeformadas para avaliação da estabilidade de agregados e deformadas para a obtenção da matéria orgânica nas mesmas profundidades. Através do peneiramento via úmida foram obtidos os agregados maiores que 2,00 mm, agregados entre 2,00 e 1,00 mm, agregados entre 1,00 e 0,50 mm, agregados entre 0,50 e 0,25 mm e agregados menores que 0,25 mm. A partir da porcentagem de agregados retidos em cada peneira foram obtidos os seguintes índices: macroagregados; microagregados; índice de estabilidade de agregados e diâmetro médio ponderado. O sistema de plantio direto com relação ao sistema de plantio convencional apresentou maior densidade do solo e resistência à penetração e menor porosidade total, macroporosidade, umidade de saturação, saturação efetiva, condutividade hidráulica de laboratório e condutividade hidráulica de campo. Em sistema de plantio direto houve menor umidade gravimétrica nos maiores potenciais quando comparado com o sistema de plantio convencional e ao cerrado nativo na camada 0-0,10 m. Nas camadas 0,10-0,20 e 0,20-0,30 m, o sistema de plantio convencional recém-revolvido apresentou umidade gravimétrica semelhante ao cerrado nativo. Os sistemas de manejo do solo reduziram a quantidade de agregados maiores que 2 mm e o diâmetro médio ponderado quando comparado com o cerrado nativo. O sistema de plantio direto apresentou maior agregação na camada superficial expresso pela a quantidade de agregados maiores que 2 mm e o diâmetro médio ponderado

2012
Descrição
  • ANTONIETA ALEXANDRINA DE JESUS
  • Caracterização fenotípica e simbiótica de populações e estirpes de bactérias que nodulam Enterolobium contortisiliquum (Vell.) Morong no Sudoeste do Piauí

  • Orientador : RAFAELA SIMAO ABRAHAO NOBREGA
  • Data: 01/11/2012
  • Mostrar Resumo
  • A pesquisa foi realizada no município de Bom Jesus-PI, região sudoeste do Estado. Foram estudados os atributos químicos e microbiológicos do solo em sistema plantio direto de quatro anos (após seis anos sob plantio convencional) e sistema plantio convencional (área recém-desmatada) sob Latossolo e o Cerrado nativo piauiense, utilizado como área de referência. Determinaram-se: pH, carbono orgânico total, nitrogênio total, Ca2+, Mg2+, P, K+ e Al3+, em que posteriormente foram calculados relação C/N, Estoque de carbono e nitrogênio, T, t, S, V, m por meio dos procedimentos descritos pela Embrapa.  Para fins microbiológicos determinaram-se: carbono da biomassa microbiana, respiração basal e calculados os quocientes microbianos e metabólicos. Os atributos químicos e microbiológicos foram avaliados nas seguintes camadas de solo: 0-5 cm, 5-10 cm, 10-20 cm e 20-30 cm de profundidade. Utilizou-se de três sistemas de manejo por três repetições em quatro profundidades. Após teste de significância as médias foram comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade através do programa Sisvar. De maneira geral, a substituição do Cerrado nativo sob Latossolo, por extensas áreas de cultivos de grãos no sudoeste piauiense, alteram os atributos químicos e microbiológicos do solo. Para os atributos químicos, as práticas agrícolas vinculadas aos sistemas de manejo plantio convencional e direto modificaram pontualmente as concentrações de nutrientes e distribuição de teores por entre as camadas até os 30 cm, principalmente, quando comparados ao Cerrado nativo. Bem como, se observou efeitos acumulativos em superfície quanto aos teores de cálcio e magnésio na ausência do revolvimento do solo, com reduções contrastantes de alumínio, resultando, em concentrações muito diferentes, quando observados os valores de bases e saturação de alumínios originais (no Cerrado). Entretanto, o tempo de cultivo sob o sistema plantio direto não possibilitou que o solo recuperasse teores iguais ou superiores aos do Cerrado nativo de MOS, indicando que são necessários mais de quatro anos para que um solo após seis anos sob plantio convencional recupere seus estoques de carbono originais. No que contempla as variáveis dos atributos microbiológicos, elas se mostraram sensíveis e eficientes para avaliar os sistemas de manejo, contrariamente aos estoques de carbono e nitrogênio em que não foram percebidas diferença distintas entre os sistemas de manejo. Num todo, se observa a necessidade de estudos posteriores de modo a avaliar também a qualidade da MOS que está sendo depositada na forma de cobertura do solo e a utilização de outras espécies na rotações de culturas, de modo a confrontar os resultados com pesquisas anteriores e se definir o melhor sistema de manejo e culturas a serem utilizadas, mesmo o plantio direto ter se mostrado promissor sob maior tempo de adoção.

  • JOÃO IRENE FILHO
  • Desempenho produtivo e crescimento de cultivares de feijão-caupi submetidas a diferentes regimes hídricos

  • Data: 30/03/2012
  • Mostrar Resumo
  • O feijão-caupi é de grande importância para as regiões Norte e Nordeste do Brasil pela sua adaptabilidade às condições edafoclimáticas e ser uma das principais fontes de proteína para as populações dessas regiões. Dentre os processos que permitem a maior sustentabilidade da cultura, a irrigação é uma das alternativas de maior importância para aumentar a produção dessa cultura. Além da aplicação da lâmina ideal de irrigação, o conhecimento das cultivares de feijão-caupi que melhor se adaptam as condições de solo e clima de determinadas regiões, é fundamental para a escolha da combinação ideal de lâmina versus cultivar, a fim de obter uma redução nos custos de produção. O estudo foi conduzido objetivando determinar o desempenho produtivo e a análise de crescimento de cultivares de feijão-caupi de porte semi-ereto e semi-prostrado em resposta a aplicação de lâminas de irrigação nas condições de solo e clima do município de Bom Jesus – PI. O experimento foi conduzido no Sitio São Luiz, localizado a 3 km da cidade de Bom Jesus - PI, em uma área de 5.000 m2, localizada no cerrado da mesorregião do Sudoeste Piauiense, a 640 km da capital, Teresina, PI, durante o período de junho a agosto de 2011. Apresenta as seguintes coordenadas geográficas: latitude - 9º05’20,4’’, longitude - 44º20’55,1’’ e altitude 283 m, em um solo classificado como Neossolo flúvico. O clima da região segundo Thornthwaite & Mather (1955) foi definido como sub-úmido seco. Os dados climáticos diários foram coletados por uma estação agrometeorológica automática, constituída por sensores de temperatura do ar, umidade relativa do ar, radiação solar, velocidade do vento e precipitação instalada no Campus Profª. Cinobelina Elvas – CPCE, localizada a uma distância de 1000 metros da área onde foi instalado o experimento, com os quais foi estimada a evapotranspiração de referência (ETo) diária pelo método Pemnan-Monteith. O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso, com quatro repetições, e os tratamentos dispostos em parcelas subdivididas. Foram avaliadas as cultivares de feijão-caupi BRS Aracê (semi-prostrado) e BRS Tumucumaque (semi-ereto), submetidas a cinco lâminas de irrigação (30%, 60%, 90%, 120% e 150% da ETo) aplicadas com base na ETo diária. A cultivar BRS Tumucumaque (1746,0 kg ha-1) teve melhor desempenho produtivo que a cultivar BRS Aracê (1238,2 kg ha-1), com a aplicação da maior lâmina de irrigação (527,7 mm). A maior eficiência de uso da água é atingida com a aplicação da lâmina de irrigação de 108,2 mm, para as cultivares BRS Aracê e BRS Tumucumaque. A cultivar BRS Aracê apresenta maior número de folhas em resposta à irrigação que a cultivar BRS Tumucumaque, com a aplicação de uma lâmina de irrigação inferior. A cultivar BRS Tumucumaque produz 17,09% a mais de matéria seca total que a cultivar BRS Aracê. A taxa de radiação fotossinteticamente ativa mínima, que reflete maior cobertura do solo pelo dossel, é obtida com a cultivar BRS Aracê (18,81 μmol m-2 s-1) e com a aplicação de uma lâmina de irrigação de 527,7mm.

  • FABRICIANO DA CUNHA CORADO NETO
  • Variabilidade Espacial de Atributos Físicos e Carbono Orgânico Total do Solo Em Áreas Degradada no Município de Gilbués-PI
  • Orientador : FABRICIO DE MENEZES TELO SAMPAIO
  • Data: 19/03/2012
  • Mostrar Resumo
  • O conhecimento da variabilidade espacial dos atributos físicos e carbono orgânico total em áreas degradadas possibilita uma melhor tomada de decisões quanto ao uso e manejo dos solos. O objetivo do trabalho foi avaliar a variabilidade espacial dos atributos físicos e carbono orgânico total, conferindo-lhes a possibilidade de melhores tomadas de decisões no manejo e uso do solo em área de recuperação no município de Gilbués, PI. O estudo foi conduzido em uma área experimental de quatro hectares da EMBRAPA Meio Norte, no período de 2010/2011. O solo da área é um Neossolo Litólico Eutrófico com exposição do horizonte “C”. Construiu-se um grid irregular e uma transecção, próximo a parte central da área, sendo as amostras indeformadas de solo retiradas em três profundidades (0-0,10, 0,10-0,20 e 0,20-0,30 m), espaçadas da seguinte forma: os pontos de número 1 a 21 apresentam espaçamento de 30 x 30m; de 22 a 52 distanciados a cada 5 m; de 52 a 53 com 15m de espaçamento e de 54 a 79 a cada 30 m, totalizando 79 (setenta e nove) pontos. Em cada ponto amostrado foi realizado o teste de resistência a penetração. Em cada ponto, também foi realizada uma mini-trincheira com cerca de 0,30 m de comprimento, 0,30m de largura e 0,20 m de profundidade, para retiradas de amostras semi-indeformadas, nas profundidades 0-0,05 m; 0,05-0,10 m e de 0,10-0,20 m, para a análise física do índice de estabilidade de agregado do solo e carbono orgânico total. Os resultados demonstraram que a resistência a penetração sofre influência do período chuvoso mesmo em solos pouco desenvolvido pedologicamente. O índice de estabilidade de agregados (IEG) teve uma relação direta com o carbono orgânico do solo. Os atributos físicos e o carbono orgânico total permitiu a identificação de uma variabilidade espacial, evidenciando a necessidade de formas de manejo mais especifica.

  • MARCELO DUARTE DA SILVA
  • ATRIBUTOS QUÍMICOS E BIOLÓGICOS DE UM NEOSSOLO LITÓLICO EUTRÓFICO CULTIVADO COM PINHÃO MANSO E GRMÍNEAS EM ÁREAS DEGRADADA NO MUNICÍPIO DE GILBUÉS-PI
  • Orientador : MILTON MARQUES FERNANDES
  • Data: 18/03/2012
  • Mostrar Resumo
  • O município de Gilbués está localizado na região Sudoeste do estado do Piauí, onde se destaca por apresentar litologias extremamente vulneráveis à erosão. Na região há poucos trabalhos de pesquisa, especialmente quanto ao manejo e uso dos solos. O pinhão manso é uma oleaginosa apontada como uma planta que contribui para a recuperação de áreas degradadas. O estudo objetivou avaliar os efeitos do manejo do cultivo de pinhão manso em cultivo solteiro, consorciado com capim Andropogon gayanos L, em área degradada, no município de Gilbués, PI, sobre: (i) os atributos químicos do solo; ii) na biomassa microbiana; iii) na atividade e diversidade da fauna do solo; e iv) matéria orgânica leve. O estudo foi realizado no ano de 2010, em uma área experimental da EMBRAPA Meio Norte, com um ano de instalação, em um Neossolo Litólico eutrófico com exposição do horizonte “C”. Foram selecionadas três áreas, a saber: (1) plantio de pinhão manso solteiro, (2) pinhão manso consorciado com capim Andropogon (Andropogon gayanus) e (3) uma área de testemunha em processo de desertificação localizada ao lado dos plantios. Avaliou-se, nas profundidades de 0-0,10 m e 0,10-0,20 m, o carbono orgânico e nitrogênio total do solo e da biomassa microbiana e a matéria orgânica leve em água. A fauna do solo foi avaliada utilizando-se armadilhas tipo “pitt fall”, no período seco e chuvoso, com quantificação do número total de indivíduos, grupos funcionais, atividade e cálculo dos índices de diversidade de Shannon, Pielou e Riqueza de grupos. A revegetação com pinhão manso e o consorcio do pinhão manso com capim aumentou significativamente o COT comparado a área degradada. Para o nitrogênio total o aumento foi significativo no plantio de pinhão manso e no consorcio do pinhão com capim somente na camada de 0,0-0,10 m em comparação a área degradada. O carbono da biomassa microbiana apresentou um aumento significativo nas áreas de pinhão manso solteiro e consorciado com gramíneas em comparação a área degradada. Este comportamento foi semelhante para o nitrogênio da biomassa microbiana. Os índices de Shannon, Pielou e Riqueza de grupos foram maiores na área degradada, no entanto, o número de indivíduos e a atividade da fauna do solo foram maiores na área de pinhão manso solteiro e consorciado com gramíneas. Em relação à área degradada, a revegetação com pinhão manso promoveu o aumento significativo da matéria orgânica leve nas duas profundidades avaliadas, já no consórcio de pinhão manso com gramíneas, esse aumento ocorreu apenas na camada de 0,10-0,20 m.

  • NERISON PEDRO BOHN
  • Seleção de cultivares e doses de gesso na cultura da soja na região sudoeste do cerrado piauiense;

  • Orientador : JULIO CESAR AZEVEDO NOBREGA
  • Data: 17/03/2012
  • Mostrar Resumo
  • O Cerrado piauiense vem se destacando no cenário nacional como uma das maiores áreas propícias a produção de grãos, com destaque para a cultura da soja. Nessa região os produtores de soja, além de superar a falta de infraestrutura e solos pobres em nutrientes, a maioria Latossolos Amarelos, precisam também escolher a cultivar de soja mais adequada para região. O estudo teve por objetivo: i) avaliar as cultivares de soja mais produtivas e gerar informações que auxiliem técnicos e produtores rurais na escolha das cultivares a serem utilizadas na região; ii) avaliar alterações nas características químicas do solo, estado nutricional e produtividade da soja, em resposta a aplicação de gesso em semeadura direta no Cerrado piauiense. Para avaliação de cultivares, o ensaio foi conduzido no ano agrícola 2010/2011. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos casualizados (DBC), com 4 repetições, tendo como tratamentos 15 cultivares: Soy Tech 820, AS 8197, P98Y70, P99R03, Nidera 8843, Nidera 8279, Monsoy 8867 RR, Monsoy 9056 RR, Monsoy 8766 RR, Monsoy 8849 RR, Monsoy 8527 RR, Monsoy 9144 RR, MA BR 33135, MA BR 2936 RR e MA BR 1029 CV. Para cada cultivar foram avaliados: altura da planta em m; altura de inserção da primeira vagem em m; número de vagens com 1, 2 e 3 grãos; número total de vargens em cada planta e rendimento de grãos em kg ha-1, após conversão para 13% de umidade. Para avaliar o efeito do gesso, os ensaios foram realizados nos anos agrícolas 2009/2010 e 2010/2011. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso, com cincos repetições. Os tratamentos foram constituídos por cinco doses de gesso mineral (0; 0,25; 0,50; 1,00 e 2,00 ton ha-1 de gesso). Foram avaliados: pH (cacl2), P, K+, S, Ca2+, Mg2+, Al3+ e H+Al, os valores de saturação por bases V (%), CTC, SB e m (%), nas profundidades de 0-0,10; 0,10-0,20 e 0,20-0,40 m. Também avaliou-se os teores foliares e produtividade da cultura da soja. As cultivares P 98 Y 70, Monsoy 9056 RR, Monsoy 8867, Monsoy 8849 RR, Nidera 8279, Nidera 8843 e Soy Tech 820 apresentaram produtividades superiores a Monsoy 9144 RR, tomada como testemunha regional. Os maiores incrementos de produtividade em relação as médias nacional e do Piauí foram observadas para as cultivares P 98 Y 70 e Nidera 8843 com 51 e 62%, respectivamente. A cultivar Monsoy 8527 RR foi a única a apresentar produtividade inferior à média nacional. Doses de gesso proporcionaram aumento linear nos teores de cálcio, fósforo, soma de bases, saturação por bases, capacidade de troca catiônica efetiva e potencial na camada de 0 – 0,10m aos seis meses após aplicação. Dezoito meses após aplicação do gesso observou-se movimento de cálcio, magnésio, fósforo e enxofre no perfil, com aumento linear na camada de 0,20-0,40m. A gessagem influenciou os teores de nitrogênio e fósforo na cultura da soja aos seis meses após aplicação, entretanto, não foi suficiente para garantir maior produtividade de grãos.

  • ALESSANDRO FRANCO TORRES DA SILVA
  • Frações de carbono e de fósforo e fertilidade de Latossolo do sudoeste piauiense sob efeito de diferentes usos e sob plantio direto.

  • Data: 16/03/2012
  • Mostrar Resumo
  • Estudos sobre diferentes sistemas de manejo no Cerrado brasileiro têm sido realizados, visando monitorar a dinâmica das frações da matéria orgânica e dos teores de nutrientes, a exemplo do fósforo que exerce forte limitação na produção das culturas. O presente trabalho foi desenvolvido com os seguintes objetivos: i) avaliar a qualidade química de um Latossolos do cerrado; ii) verificar a dinâmica do carbono total e seus compartimentos; iii) identificar as frações de fósforo inorgânico e orgânico em Latossolo do sudoeste piauiense sob sistema plantio convencional e tempos de transição para o plantio direto. Foram avaliados seis diferentes sistemas de manejo do solo, tendo como referência uma área sob Cerrado nativo usada como referência (CN); área nova (AN); plantio convencional com quatro e oito anos (PC4 e PC8) e plantio direto, com um e três anos (PD1 e PD3, respectivamente). As amostras do solo foram coletadas em quatro profundidades (0-5, 5-10, 10-20 e 20-30 cm), para determinação dos atributos químicos, frações da matéria orgânica do solo (MOS) e fósforo (P). No primeiro estudo, verificou-se que: o cultivo do solo, independente do sistema de manejo, incrementou os atributos químicos do solo em relação ao Cerrado nativo e o aumento do tempo de cultivo convencional em solo de Cerrado tende a promover decréscimos nos teores de matéria orgânica em relação ao Cerrado nativo e ao plantio direto. No segundo estudo, foi verificado que: os teores de carbono na fração ácidos húmicos foram superiores aos da fração ácidos fúlvicos, independentemente do sistema de manejo e profundidade do solo; os teores de ácidos húmicos e humina mostram-se variável em função do manejo e tempo de adoção do sistema; a razão de estratificação do carbono é um indicador sensível na descriminação do efeito dos sistemas de manejo e tempo de adoção do mesmo na qualidade da matéria orgânica do solo, necessitando serem estabelecidos valores de referência para solos de clima tropical. O terceiro estudo demonstrou que: a fração P-Al foi superior nos sistemas sob cultivo; em Latossolo sob Cerrado nativo, há predomino da fração P-Fe; nas áreas sob cultivo, há predomínio no teor de P inorgânico na fração moderadamente lábil (Pi-hid0,1), seguida da fração lábil (Pi-bic) e pouco lábil (Pi-hid0,5); o fósforo na forma orgânica, apresentou menor valor na fração Po-bic, exceto para o tratamento Cerrado nativo e área nova, cujo valores mostram-se mais elevados nas frações Po-hid0,1 e Po-hid0,5; a fração de fósforo orgânico predominou sob a forma inorgânica do fósforo para todas as frações, independentemente da profundidade e sistema de manejo.

  • JEOVA LIRA DOS SANTOS
  •  Atributos químicos do solo após três anos de aplicações consecutivas de lodo de curtume compostado

  • Orientador : ADEMIR SERGIO FERREIRA DE ARAUJO
  • Data: 14/03/2012
  • Mostrar Resumo
  • O aumento da industrialização tem gerado elevada produção de resíduos. Entre os resíduos, aqueles conhecidos por lodos de curtume têm sido depositados em aterros sanitários, podendo causar contaminação ambiental. O uso agrícola destes lodos vem sendo proposto como forma de reciclagem, podendo, entretanto, causar impacto sobre a qualidade do solo. O solo, por ser um recurso natural não-renovável, necessita ser manejado de maneira sustentável para que possa suportar produtividade satisfatória sem, contudo, perder a qualidade. A quantidade de resíduos orgânicos gerados no processo de curtimento de couros é cada vez maior e o uso agronômico do lodo como fonte de nutrientes às plantas, ou como condicionadores do solo pode ser constituído viável na preservação da qualidade sustentável do solo e produção de alimentos. Uma das alternativas que vem sendo sugerida para reduzir ou eliminar os efeitos destes resíduos é o processo de compostagem. Entretanto, torna-se importante a avaliação dos teores de nutrientes contidos no lodo de curtume compostado e sua eficiência para a fertilidade do solo após aplicações sucessivas. O projeto foi conduzido na Universidade Federal do Piauí e consta da avaliação do lodo de curtume compostado, aplicado em doses sucessivas ao solo, sobre a fertilidade e conteúdo de elementos-traços do solo. Os resultados servirão de base para avaliar o potencial e os riscos do uso sucessivo do lodo de curtume compostado em solos cultivados. A utilização de lodo de curtume como fertilizante orgânico para o solo, já é destaque em pesquisas de campo em alguns estados do sul do país, no entanto, em condições de clima tropical como é o caso da região Nordeste, percebe-se que os dados ainda são escassos, ou pouco difundidos. Sendo assim, com esta pesquisa, pretende-se gerar dados e informações a respeito da utilização do lodo de curtume compostado como forma de fertilizante orgânico para o solo, além de poder deteriminar os níveis críticos de elementos-traço para o solo em estudo.

  • LUSIENE BARBOSA SOUSA
  • PRODUÇÃO DE MUDAS DE ESPÉCIES FLORESTAIS EM SUBSTRATOS REGIONAIS

  • Orientador : RAFAELA SIMAO ABRAHAO NOBREGA
  • Data: 03/03/2012
  • Mostrar Resumo
  • A produção de mudas de espécies arbóreas utilizando substratos constituídos de resíduos regionais tem permitido menor acúmulo desses resíduos no meio ambiente. Além disso, esses podem maximizara produção de mudas, pois podem fornecer melhores condições de fertilidade aos substratos. Neste contexto, três experimentos foram instalados objetivando-se avaliar a germinação e os parâmetros de crescimento das espécies florestais Enterolobium contortisiliquum (Vell.) Morong, Sesbania virgata e Senna multijuga. As espécies foram cultivadas em diferentes substratos orgânicos acrescidos de amostras do horizonte B de um Latossolo Amarelo, e dispostos em esquema fatorial (3x5) três resíduos orgânicos e cinco proporções de solo, com 10 repetições. Para o E. contortisiliquuma adição de resíduos orgânicos na proporção 23:77 (resíduos:solo) proporciona maior % de emergência das sementes. As mudas cultivadas com os substratos acrescidos de 58:42 (composto orgânico:solo) apresentaram maior índice de qualidade, sendo essa a proporção indicada para compor os substrato de cultivo desta espécie. Em relação a S. virgata e Senna multijuga os substratos acrescidos de composto orgânico na proporção 80:20 (composto orgânico:solo) possibilitaram maior índice de qualidade de Dickson para as mudas.

  • MARCELO DOS SANTOS CUNHA
  • SUBSTÂNCIAS HÚMICAS ASSOCIADAS ÀS DOSES DE NITROGÊNIO EM ATEIRA.

  • Orientador : ITALO HERBERT LUCENA CAVALCANTE
  • Data: 13/02/2012
  • Mostrar Resumo
  • A ateira (Annona squamosa L.), também conhecida como pinha ou fruta-do-conde, pertence à família das Anonáceas, que engloba mais de 120 gêneros com duas mil espécies diferentes de plantas. Esta frutífera se destaca por possuir maior expressão econômica, sobretudo nas regiões Nordeste e Sudeste do país. Neste sentido, o presente trabalho foi desenvolvido no Campus Profª Cinobelina Elvas da Universidade Federal do Piauí, localizado no município de Bom Jesus-PI, no período de janeiro a abril de 2011 e repetido de julho a novembro de 2011, com os seguintes objetivos: i) avaliar os efeitos de diferentes doses da adubação nitrogenada aplicados no solo na presença e ausência de substâncias húmicas nos atributos fisiológicos, produtivos e nutricionais da ateira; ii) avaliar o efeito da presença e ausência de substâncias húmicas e diferentes doses de adubação nitrogenada aplicados no solo sobre o estado nutricional da ateira; e iii) avaliar características fisiológicas da ateira em função da presença e ausência de substâncias húmicas e diferentes doses de nitrogênio, aplicados no solo. As substâncias húmicas influenciaram apenas as concentrações foliares de Nitrogênio na ateira. Na presença das substâncias húmicas não é necessária adubação nitrogenada. Houve interação das doses de nitrogênio e substâncias húmicas sobre as concentrações de nitrogênio (N), potássio (K), cálcio (Ca), magnésio (Mg) e enxofre (S) na nutrição das plantas de ateira. A adubação nitrogenada com 100 g de N planta-1, consorciada com substâncias húmicas pode ser recomendada para produção de ateira em Bom Jesus-PI. .

  • RAISSA RACHEL SALUSTRIANO DA SILVA MATOS
  • SUBSTRATOS E BORO PARA PRODUÇÃO DE MUDAS DE MARACUJAZEIRO AMARELO

  • Data: 08/02/2012
  • Mostrar Resumo
  •           O sucesso da atividade agrícola depende de vários fatores, dentre eles o uso de mudas de alta qualidade e para isso é imprescindível garantir a utilização de bons substratos, os quais devem permitir a formação de mudas com qualidade fitotécnicas e nutricionais. Assim o presente trabalho teve por objetivo avaliar as características biométricas e acúmulo de nutrientes de mudas de maracujazeiro amarelo produzidas em substratos composto por diferentes proporções de caule decomposto de buriti (CDB) em comparação ao substrato comercial e ao adotado no Piauí, bem como a importância do boro nesse processo. Foram realizados quatro experimentos, conduzidos no Campus Profª Cinobelina Elvas da Universidade Federal do Piauí, localizado no município de Bom Jesus - PI. Adotou-se delineamento inteiramente casualizado com tratamentos distribuídos em esquema fatorial 6 x 2 + 1, referentes às diferentes formulações de substrato [S1: CDB (100%); S2: solo e areia 1:1 (20%) + CDB (80%); S3: solo e areia 1:1 (40%) + CDB (60%); S4: solo e areia 1:1 (60%) + CDB (40%); S5: solo e areia 1:1 (80%) + CDB (20%); S6: substrato comercial (tratamento adicional, sem boro) e S7: solo, areia e esterco bovino 1:1:2], com (0,5 mg de B.dm-3) e sem boro na aplicação de boro no substrato. Foram adotadas quatro repetições com dez mudas por parcela. Foram avaliadas variáveis biométricas, nutricionais e clorofila foliar. Há influência da composição do substrato na formação de mudas e do boro na formação do sistema radicular de mudas de maracujazeiro amarelo. O caule decomposto de buriti pode ser usado como parte integrante do substrato em substituição ao substrato comercial e ao usado na região, caracterizando-se como uma fonte de B, recomendando-se proporção de 40% na composição do substrato. Há influência da composição do substrato no estado nutricional de mudas de maracujazeiro amarelo. Há influência do boro nos teores de K e Mg de mudas de maracujazeiro amarelo

2011
Descrição
  • ALISSON FRANCO TORRES DA SILVA
  • ADUBAÇÃO ORGÂNICA E AMBIENTE DE CULTIVO PARA PRODUÇÃO DE DIFERENTES CULTIVARES DE ALFACE EM BOM JESUS-PI

  • Data: 09/12/2011
  • Mostrar Resumo
  •           A alface é uma das hortaliças folhosas mais consumidas no Brasil, no entanto, na região Nordeste do país, reduzidas são as opções de cultivares que apresentam adaptações às condições climáticas da região. Neste sentido, objetivou-se avaliar o efeito da adubação orgânica e ambiente de cultivo para produção de diferentes cultivares de alface em Bom Jesus, Piauí. O Experimento foi conduzido no Setor de Horticultura do Campus Professora Cinobelina Elvas da Universidade Federal do Piauí CPCE/UFPI). O delineamento experimental adotado foi em blocos ao acaso, com os tratamentos distribuídos em parcelas sub-subdivididas, referentes à adubação (tratamentos principais), os sistemas de cultivo (subtratamentos) e cultivares (subsubtratamentos). Foram cinco (5) doses de adubação orgânica (0, 20, 40, 60 e 80 t ha-1), dois (2) ambientes de cultivo (telado com 50% de sombreamento e a céu aberto) e, três cultivares de alface (Delícia, Babá de Verão e Itapuã 401), com três repetições e cada unidade experimental composta por dezoito (18) plantas. As variáveis analisadas aos 41 dias após o transplante foram: altura de planta; número de folhas; comprimento do caule; circunferência da “cabeça”; área foliar; massa fresca da “cabeça”; massa seca da parte aérea; clorofila foliar; produtividade; e, concentração dos macronutrientes N, P, K, Ca e Mg. Conclui-se que os atributos de crescimento e desenvolvimento das cultivares de alface ‘Delícia’, ‘Babá de Verão’ e ‘Itapuã 401’ são influenciados pelo ambiente de cultivo, sendo que o uso de telado (sombrite 50%) no cultivo da alface incrementa a qualidade do produto; os atributos nutricionais das cultivares de alface ‘Delícia’, ‘Babá de Verão’ e ‘Itapuã’ 401 são influenciados pelo ambiente de cultivo, sendo que o uso de telado (sombrite 50%) no cultivo da alface influencia na absorção dos nutrientes N, P, K, Ca e Mg.

  • JOSE LUIZ DA SILVA
  • PARÂMETROS PARA ESTIMATIVA DE RISCO CLIMÁTICO NO CONSÓRCIO MILHO-BRACHIARIA RUZIZIENSIS


  • Data: 29/06/2011
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve como objetivos determinar os coeficientes de cultura (Kcs) e os índices de satisfação das necessidades de água (ISNAs) do milho BRS 1030 e da Brachiaria ruziziensis, em monocultivo e consorciado, sob condição de estresse hídrico no solo, avaliar o desempenho produtivo e as medidas de uso eficiente da terra do milho e da Brachiaria ruziziensis, em sistema monocultivo e consorciado, em resposta aos níveis de disponibilidade de água no solo. O experimento foi conduzido no Campo Experimental da Embrapa Meio-Norte, em Alvorada do Gurguéia, PI, durante o período de julho a novembro de 2009. Os Kcs da Brachiaria ruziziensis, em consórcio com o milho, foram superiores ao monocultivo. Os Kcs do consórcio apresentaram valores máximos de 1,31, aos 75 dias após a semeadura (DAS) do milho, coincidindo com seu período de florescimento. Em cultivo solteiro, o Kc da braquiária atingiu pico máximo de 1,04, aos 75 DAS, na fase de máxima área foliar e cobertura total do solo pela braquiaria. O Kc máximo do milho foi igual a 1,17, aos 75 DAS, coincidindo com o período de floração e formação das espigas do milho. Houve redução dos valores de ISNA’s e de rendimentos de grãos de milho e massa verde da Brachiaria ruziziensis, em cultivo solteiro e consorciado, à medida que aumentaram os níveis de deficiência hídrica no solo. Em monocultivo, com a imposição de menores níveis de água no solo, os valores de ISNA para o milho e a Brachiaria ruziziensis foram iguais a 0,469 e 0,491, respectivamente. No consórcio, para a mesma condição destresse de hídrico, o ISNA foi igual a 0,387, indicando menor demanda evapotranspirativa do consórcio em comparação ao monocultivo sob restrição hídrica. Em monocultivo, o acréscimo na disponibilidade de água no solo proporcionou incremento no rendimento de milho em grãos e de matéria verde da braquiaria até alcançar seu valor máximo de 5.973,49 kg ha-1 e 66,21 Mg ha-1 com o nível máximo de disponibilidade de água no solo de 11,10%, para o milho, e 9,48%, para a braquiaria. No cultivo consorciado, a produção de grãos de milho atingiu o valor máximo com 7.682,09 kg ha-1 e de massa verde de braquiaria de 14,37 Mg ha-1, com níveis de disponibilidade de água no solo de 10,90%, para o milho, e de 8,73%, para a braquiaria.

  • DOZE BATISTA DE OLIVEIRA
  • COMPACTAÇÃO DOS SOLOS CULTIVADOS COM FEIJÃO-CAUPI NA REGIÃO DE BOM JESUS E ALVORADA DO GURGUÉIA-PI

  • Orientador : FABRICIO DE MENEZES TELO SAMPAIO
  • Data: 17/02/2011
  • Mostrar Resumo
  •           Apesar do seu baixo rendimento, o feijão-caupi é a principal leguminosa cultivada no Piauí. As causas do seu baixo rendimento estão relacionadas a problemas edáficos, irregularidades das chuvas ou no suprimento inadequado de água no cultivo irrigado. Fatores fitossanitários, o uso de sistemas de produção de baixo nível tecnológico também são causas do baixo rendimento. As plantas para desenvolverem adequadamente necessitam de condições físicas favoráveis. Atributos como umidade do solo, por sua vez, controlam a aeração, a temperatura e a resistência mecânica do solo as quais são afetadas pela densidade do solo e distribuição do tamanho de poros. Esses fatores físicos interagem e regulam o crescimento e produtividade dos cultivos. Entre os fatores edáficos, ressaltam-se os problemas relacionados à compactação do solo. Considerando este problema edáfico, dois estudos sobre compactação do solo na cultura do feijão-caupi foram conduzidos objetivando: i) verificar o desenvolvimento do feijão-caupi cultivado em vasos com diferentes graus de compactação e umidade, definindo valores críticos e ótimos, utilizando solos da região de Bom Jesus-PI e, ii) Avaliar o estado de compactação em solos da região de Bom Jesus-PI e Alvorada do Gurguéia-PI, cultivados com o feijão-caupi. Para o primeiro estudo foi verificado que o grau de compactação de 95% e umidade do solo de 5% afetaram negativamente todas as variáveis estudadas. Para a umidade do solo de 5% e 12% altura da planta foi reduzida com o aumento dos níveis de compactação e as variáveis comprimento de raiz, diâmetro do caule e massa seca da parte aérea tiveram máximo desenvolvimento nos graus de compactação de 75,58% e umidade do solo de 5 e 8%, 76,2% e umidade do solo de 5%, 72,94% e umidade do solo de 5% respectivamente. No segundo estudo foi observado a existência de uma camada compactada nos solos estudados, principalmente entre 0,10 e0,30 m. As áreas Alvorada A2 B5 e Alvorada B10 apresentam o maior grau de impedimento ao crescimento das plantas de feijão-caupi, com grau de compactação superior a 90%.

  • LARISSA CASTRO DIOGENES
  • QUALIDADE DO SOLO SOB DIFERENTES SISTEMAS DE PRODUÇÃO NA CAATINGA PIAUIENSE

  • Orientador : JULIO CESAR AZEVEDO NOBREGA
  • Data: 16/02/2011
  • Mostrar Resumo
  •           No Piauí o processo de modernização da agricultura tem provocado mudanças no sistema de produção, alterando os atributos físicos, químicos e biológicos do solo. Esse estudo foi conduzido com o objetivo de avaliar a qualidade do solo sob diferentes sistemas de produção em áreas sob vegetação de caatinga no Sul do Estado do Piauí. O estudo foi desenvolvido no Perímetro Irrigado Gurguéia, no município de Alvorada do Gurguéia, Piauí. Para o diagnostico da fertilidade do solo em áreas sob cultivo de feijão-caupi foram selecionadas trinta propriedades, onde foram coletadas amostras em triplicata nas profundidades de 0 - 0,20 e 0,20 - 0,40 m, totalizando 180 amostras. Para avaliação de sistema consorciado na região foi instalado um experimento em faixa, que correspondem a duas lâminas de irrigação por aspersão, cada uma subdividida em blocos com plantio de milho, braquiária e consorcio milho + braquiária, foram avaliados a resistência à penetração (RP), os atributos químicos, nas profundidades de 0 – 10, 0,10 – 0,20 e 0,20 – 0,30 m, e os biológicos do solo, nas profundidades de 0 – 10, 0,10 – 0,20 m. As áreas cultivadas com feijão-caupi apresentaram problemas de acidez em pelo menos 50% delas e baixos teores de P e K+, porém os valores de cálcio e magnésio são adequados para a cultura na maior parte das áreas estudadas e os teores de Na+, não demonstraram ser prejudiciais a cultura. Os sistemas de uso do solo influenciaram a RP a partir da profundidade de 0 -0,10 m com aumento da RP em relação à mata nativa na seguinte seqüência: milho > sistema consorciado > braquiária. Dentre os atributos químicos as maiores alterações foram verificados no consorcio quando submetido a uma lâmina de647,9 mm e cultivo da braquiária quando submetido a uma lâmina de564,5 mmde irrigação. Os atributos biológicos do solo são influenciados pelos sistemas de produção de braquiária e milho solteiro e consorciado, lâminas de irrigação e profundidade do solo. A lâmina de irrigação obteve o efeito mais significativo sobre os atributos microbianos do solo, podendo esse ocorrer de forma individual ou associado aos sistemas de produção.

  • RAIMUNDO NONATO LOPES MARTINS
  • BACTÉRIAS SIMBIÓTICAS FIXADORAS DE N2 EM SOLOS SOB CULTIVO DE FEIJÃO-CAUPI NO PÓLO DE PRODUÇÃO BOM JESUS PIAUÍ

  • Data: 15/02/2011
  • Mostrar Resumo
  •           O feijão-caupi [Vigna unguiculata (L.) Walp] é uma leguminosa bem adaptada às condições climáticas brasileiras e amplamente cultivada por agricultores de diferentes níveis econômicos nas principais regiões produtoras de grãos do Brasil. Embora apresente produtividade bastante variável, em função do baixo nível tecnológico empregado, estudos têm evidenciado o potencial produtivo dessa cultura quando cultivada em condições tecnificadas. Dentre os estudos, os que enfocam o diagnóstico e o entendimento de fatores de natureza química e microbiológicas do solo tem sido comumente realizados. Considerando a região do Pólo de Produção de Bom Jesus, o cultivo de feijão-caupi é realizado basicamente em três ambientes distintos (Perímetro Irrigado, Várzeas e Chapada) com produtividades variando de 250 kg a 1300 kg ha-1. O presente estudo apresentou os seguintes objetivos: Avaliar ocorrência e eficiência de populações nativas de bactérias nodulíferas que fixam nitrogênio atmosférico utilizando o feijão-caupi como planta-isca em áreas de alta e de baixa produtividade dos ambientes Perímetro Irrigado, Várzea e Chapada, do Pólo de Produção Bom Jesus, PI; isolar, caracterizar e estimar a riqueza de grupos fenotípicos culturais do isolados de bactérias que nodulam feijão-caupi componentes da população de BNL; avaliar o efeito da adubação nitrogenada e aplicação de micronutrientes na nodulação e produtividade de feijão-caupi inoculado com a cepa INPA 0311B (BR 3301). A maior nodulação foi obtida nas áreas dos ambientes de Várzea e Perímetro Irrigado. Nos ambientes Várzea, Perímetro Irrigado e Chapada, tanto em áreas de alta como baixa produtividade, há ocorrência BNL eficientes na produção de biomassa seca e acúmulo de nitrogênio em plantas de feijão-caupi, apresentando potencial para serem selecionadas e recomendadas como inoculantes para essa cultura. A maior riqueza cultural de bactérias observada e estimada ocorreu nos ambientes de Chapada, Várzea e Perímetro Irrigado. Pôde-se observar uma grande diversidade baseada nas análises características culturais. Essa diversidade indica a resiliência das bactérias as modificações implementadas pelos diferentes sistemas de plantio do feijão-caupi. A maior produção de massa fresca e seca de nódulos foi obtida na ausência da adubação nitrogenada, não havendo efeito da aplicação de micronutrientes na nodulação de feijão-caupi inoculado. As doses de nitrogênio e aplicação de micronutrientes não influenciaram os componentes da produção do feijão-caupi inoculado com a cepa INPA 03 11 B (BR 3301). O maior rendimento de grãos de feijão-caupi inoculado foi obtido na ausência de adubação nitrogenada com aplicação de micronutrientes, resultando em incremento de 12,4% em relação à ausência da aplicação.

  • JOSÉ VALDENOR DA SILVA JÚNIOR
  • SUBSTRATOS ALTERNATIVOS E ADUBAÇÃO FOLIAR NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATEIRO (Lycopersicon esculentum Mill.)

  • Orientador : MARKILLA ZUNETE BECKMANN CAVALCANTE
  • Data: 11/02/2011
  • Mostrar Resumo
  •           O aumento da competitividade e dos custos de produção tem motivado os produtores à adoção do sistema de produção de mudas em ambiente protegido com a utilização de bandejas de isopor ou plástico rígido, preenchidas com substrato orgânico ou organo-mineral dos mais variados tipos. Esse sistema de produção gera uma necessidade de informações a respeito dos materiais que podem ser utilizados como substratos. Neste contexto, objetivou-se avaliar as características agronômicas e a concentração de macronutrientes na parte aérea de mudas de tomateiro em função de cinco materiais alternativos utilizados como substrato e da adubação química foliar nas condições de Bom Jesus-PI. O experimento foi conduzido em ambiente protegido no Campus Profª. Cinobelina Elvas da Universidade Federal do Piauí, em Bom Jesus-PI, no período de 29/03/2010 a 05/05/2010. Utilizou-se o delineamento experimental inteiramente casualizado, com os tratamentos distribuídos em esquema fatorial 5x2, referentes a cinco materiais utilizados como substratos e presença e ausência de adubação foliar, com quatro repetições de 16 plantas. Os materiais foram: 1) solo+areia+esterco bovino; 2) paú de buriti; 3) resíduo de carnaúba + casca de arroz; 4)resíduo de carnaúba em pó; e 5) resíduo de carnaúba semi-decomposto. O cultivo foi feito em bandeja de poliestireno expandido com 128 células. Foram avaliados a porcentagem de emergência, o índice de velocidade de emergência, altura de planta, número de folhas, diâmetro do caule, comprimento da maior raiz, volume de raiz, massa fresca da parte aérea, massa fresca da raiz, massa seca da parte aérea, massa seca da raiz, massa seca total e as concentrações de nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio e enxofre na parte aérea. O resíduo de carnaúba + casca de arroz e resíduo de carnaúba semi-decomposto apresentaram médias significativamente superiores aos demais materiais para todas as variáveis estudadas, exceto porcentagem de emergência e índice de velocidade de emergência. A aplicação de adubo foliar influenciou a concentração de enxofre, nitrogênio, fósforo e potássio na parte aérea, com incrementos médios na ordem de 39,10%, 34,72%, 20,82% e 10,40%, respectivamente. Independentemente do material usado como substrato na formação de mudas de tomateiro, com exceção do resíduo de carnaúba em pó, a aplicação de adubação foliar proporciona mudas de melhor qualidade

2010
Descrição
  • LILIANE PEREIRA CAMPOS
  • DINÂMICA DO CARBONO E DO NITROGÊNIO EM UM LATOSSOLO AMARELO SOB PLANTIO DIRETO E INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA NO CERRADO DO PIAUÍ

  • Data: 10/12/2010
  • Mostrar Resumo
  •           A interação entre a matéria orgânica do solo (MOS) e os diferentes sistemas de manejo adotados no Cerrado brasileiro tem sido objeto de estudo por toda a comunidade científica na busca de identificar o manejo adequado do solo a partir do monitoramento das frações lábeis e estáveis da MOS e sua contribuição para a qualidade do solo (QS) e o seqüestro de CO2 calcados na manutenção da MOS. Considerando-se o sistema integração lavoura-pecuária (SILP) como sendo o mais recomendado tanto na manutenção da MOS quanto na QS, dois estudos sobre este sistema foram conduzidos objetivando: i) avaliar os atributos químicos em um Latossolo Amarelo sob plantio direto (PD) e integração lavoura-pecuária no Cerrado do Piauí e; ii) avaliar as frações e o seqüestro de carbono em um Latossolo Amarelo sob PD e integração lavoura-pecuária no Cerrado do Piauí. Foram avaliados quatro diferentes sistemas de manejo do solo, além de uma área de Cerrado nativo usada como referência: Cerrado nativo sem uso agrícola (CN); plantio convencional, com três anos (PC3); plantio direto, com três e cinco anos (PD3 e PD5, respectivamente) e sistema integração lavoura-pecuária, com dois anos (SILP). As amostras do solo foram coletadas em dois períodos (chuvoso e seco) e quatro profundidades (0,00-0,05 m, 0,05-0,10 m, 0,10-0,20 m e 0,20-0,40 m), para determinação dos atributos químicos e das frações da MOS. Para os atributos químicos e as frações da MOS o CN apresentou maior teor de carbono orgânico total (COT) na superfície do solo, com melhor distribuição no perfil do solo observada nos sistemas PD5 e SILP. O SILP apresentou os melhores resultados até a camada de 0,20 m entre os períodos chuvoso e seco para os atributos; Ca2+, K+, soma de bases (S), exceto Mg2+, com resultados satisfatórios na distribuição e disponibilidade do P, na melhor redução dos componentes da acidez do solo, no aumento da capacidade de troca de cátions (CTC) e na saturação de bases (V). Para as frações da MOS, o PD5 seguido do SILP obteve valores superiores com estabilidade no perfil do solo para nitrogênio total, estoque de COT, estoque de nitrogênio total, Carbono Lábil, além das substâncias húmicas e taxas de seqüestro de C-CO2, sendo percebido para o SILP maior capacidade de estocar C no solo no período crítico.

  • FRANCISCO MARQUES CARDOZO JÚNIOR
  • DINÂMICA E BIODIVERSIDADE DE FUNGOS MICORRÍZICOS ARBUSCULARES EM DIFERENTES ÁREAS SOB INFLUÊNCIA DO PROCESSO DE DESERTIFICAÇÃO EM GILBUÉS/BRASIL

  • Orientador : ROMERO FRANCISCO VIEIRA CARNEIRO
  • Data: 03/12/2010
  • Mostrar Resumo
  •           A simbiose entre os fungos micorrízicos arbusculares (FMAs) e as raízes da maioria das plantas, tem desempenhado importante função de sobrevivência e evolução mútua, e assim potencializar a recuperação de áreas impactadas pela degradação do solo. As micorrizas atuam diretamente na qualidade dos ecossistemas, facilitando a revegetação, sucessão vegetal e agregação do solo. O processo de degradação tem gerado alterações nas características originais dos solos, levando a perda de matéria orgânica e biodiversidade natural. Considerando a escassez de pesquisas sobre a dinâmica dos FMAs em áreas sob influência da desertificação no estado do Piauí (Brasil), os objetivos deste trabalho foram: diagnosticar os atributos dos FMAs, relacionando-os às características de fertilidade do solo, florística local e índices ecológicos de abundância e diversidade; quantificar esporos e glomalina em diferentes áreas, épocas do ano e profundidades de amostragem do solo. Quatro áreas caracterizadas por diferentes níveis de degradação foram avaliadas, tais como: Área sob influência de barragens de contenção do processo erosivo com histórico de cultivo de espécies gramíneas e leguminosas (ANT); Área Degradada (DEG); Área em processo inicial de degradação (PID) e Mata Nativa (MN). No primeiro estudo, foram identifícadas 14 espécies de FMAs, representando os gêneros Acaulospora, Archaeospora, Glomus, Intraspora e Scutellospora. Na área DEG ocorreu redução da esporulação e do índice de Shannon-Wiener. A construção de barragens de contenção associada ao cultivo de gramíneas e leguminosas promove aumento da riqueza de espécies de FMAs

  • JANAIRA SANTANA NUNES
  • ATRIBUTOS BIOLÓGICOS DO SOLO DE ÁREAS EM DIFERENTES NÍVEIS DE DEGRADAÇÃO NO SUL DO PIAU

  • Data: 03/12/2010
  • Mostrar Resumo
  •           Atualmente, a região de Gilbués vem sendo considerada uma das principais áreas degradadas no Nordeste do Brasil. Esta degradação é conseqüência de desmatamentos, uso do fogo, criação extensiva de gado e, pelas atividades de mineração somadas a vulnerabilidade natural do solo aos efeitos da erosão hídrica. Desse modo, faz-se necessário a utilização de ferramentas, preferencialmente de fácil aquisição, que indiquem os estágios dessa degradação a fim de viabilizar um correto manejo e indicação de um possível uso ou recuperação dessas áreas. Nesse sentido, dois estudos foram realizados objetivando avaliar a atividade e biomassa microbiana, fauna edáfica em áreas degradadas e em recuperação no Sul do Piauí. Foram amostradas quatro áreas: a mata nativa (MN),a área degradada (DEG), em inicio de degradação (IDEG), como também área em recuperação (REC). Para o primeiro estudo, de avaliação da atividade e biomassa microbiana, coletas de solo foram feitas no período chuvoso de março de 2009 e 2010. Em cada área, a amostragem foi realizada em quadrícula com dez pontos espaçados em 1, 10 e100 metros, na profundidade de 0-10 cm. Foram realizadas as análises microbiológicas (carbono e nitrogênio da biomassa microbiana, respiração basal e atividade enzimática). Os dados foram submetidos à análise de variância. Solos da Mata Nativa obteve maiores valores de Carbono e Nitrogênio microbiano, Carbono orgânico e atividade enzimática que os demais solos analisados. A construção de pequenas barragens e a implantação de gramíneas e leguminosas contribuiem para atividade e biomassa microbiana. Para o segundo estudo, foi feita a coleta da fauna, em período seco e chuvoso (2009 e 2010), por meio de armadilhas “pitfall”. Os grupos taxonômicos foram avaliados pelo número de indivíduos por armadilha/dia, riqueza de grupos, índice de diversidade de Shannon e uniformidade de Pielou. A área MN apresentou maior abundância de indivíduos. As áreas DEG e REC mostraram abundância intermediária, enquanto a área IDEG um menor valor de indivíduos por armadilha. A área REC apresentou uma maior diversidade e uniformidade em relação às demais. As áreas MN e REC mostraram uma maior abundância e diversidade de grupos da fauna edáfica, respectivamente. Verificou-se a presença de certos grupos exclusivos em áreas degradadas e outros em áreas preservadas.

  • RAIMUNDO FALCAO NETO
  • PRODUÇÃO DE MUDAS DE CASTANHA-DO-GURGUÉIA COM CALAGEM E NPK

  • Data: 30/07/2010
  • Mostrar Resumo
  •           Dentre as espécies nativas, a castanha-do-gurguéia (Dipteryx lacunifera Ducke) apresenta elevado potencial para produção de castanha, representando também alternativa para incrementar a renda familiar de pequenos produtores rurais. Essa planta é encontrada no Sul do Piauí e Maranhão, sendo sua exploração baseada no extrativismo necessitando de estudos com a finalidade de orientar plantios de forma racional e comercialmente viáveis. Neste sentido, o presente trabalho desenvolvido no Campus Profª Cinobelina Elvas da Universidade Federal do Piauí, localizado no município de Bom Jesus-PI, no período de 02/12/2009 a 13/03/2010 teve os seguintes objetivos: i) avaliar as características biométricas na produção de mudas, submetidas a diferentes doses de N e tratamento de substrato com calagem e PK; e ii) avaliar a composição mineral das mudas, submetidas a diferentes doses de N e tratamento do substrato. Há influência das doses de N na formação de mudas. O tratamento do substrato influenciou o número de folíolos e a massa fresca da parte aérea, para a produção de mudas em substrato não tratado não há necessidade de adubação nitrogenada em cobertura enquanto para o substrato tratado recomenda-se a dose de 75 mg dm-3. As concentrações na massa seca da parte aérea do N e P foram incrementadas com o aumento das doses de N até 150 mg dm-3, para as concentrações dos nutrientes K, Ca e S, o substrato tratado obteve sempre maiores valores que o substrato não tratado, para o substrato tratado pode-se recomendar a dose de 75 mg dm-3 de N.

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 08/08/2022 14:15