Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANA CLÁUDIA SOUSA E SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA CLÁUDIA SOUSA E SILVA
DATA: 29/10/2021
HORA: 14:00
LOCAL: Sala Remota
TÍTULO: A PERCEPÇÃO SOCIOAMBIENTAL DE MORADORES DO ENTORNO DA LAGOA MAZERINE EM TERESINA-PI E A BIOINDICAÇÃO COM ORGANISMOS ZOOSPÓRICOS
PALAVRAS-CHAVES: Percepção Socioambiental, Organismos Zoospóricos, Ecossistemas Lacustres, Bioindicadores
PÁGINAS: 53
GRANDE ÁREA: Outra(s)
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

Os organismos aquáticos são impactados na sua diversidade pela poluição, como os fungos. Dentre a diversidade de fungos que existe, pode-se citar  os fungos zoospóricos (Chytridiomycota e Oomycota,), caracterizados por apresentar flagelos em suas estruturas de reprodução. A percepção é o ato de perceber, assim como também o desenvolvimento do sistema de compreensão do ambiente ao seu redor. Teresina é hoje uma das várias capitais brasileiras que enfrentam problemas relativos ao seu desenvolvimento urbano. O programa Lagoas do Norte (PLN) visa melhorar as condições de vida e o desenvolvimento socioeconômico e ambiental da região das lagoas situadas na zona norte da cidade de Teresina. A lagoa do Mazerine localizada na região norte da cidade de Teresina no estado do Piauí faz parte do completo de 34 lagoas artificial e natural.  A mesma é  de origem artificial e é resultado da extração de areia e pedras que foi inundado formando a lagoa. Antigamente, a comunidade utilizava a lagoa para várias atividades como: piscicultura, lazer e outros. Atualmente, a orla da lagoa está completamente ocupada por moradias de forma desordenada e a comunidade ao seu entorno lançam seus esgotos domésticos e depositam lixo na lagoa poluindo a sua água. O presente trabalho tem por objetivo avaliar a percepção socioambiental da comunidade do entorno da Lagoa Mazerine no município de Teresina, PI e a qualidade ambiental da lagoa como reflexo da interação dessa comunidade com bioindicação pela diversidade de organismos zoospóricos (Quitrídias e Oomicetos) ocorrentes. Primeiramente, foi delimitado a área de estudo, posteriormente no período indicado foi iniciado a coleta das amostras de água e solo. Foi realizado do isolamento laboratorial dos fungos, e para isso  as amostras de água juntamente com os materiais orgânicos foram transferidas para placas de Petri. As amostras de solo em determinada quantidade foram dissolvidas em água destilada e esterilizada em placas de Petri. Logo em seguida, foram adicionados em cada placa os substratos utilizados, em seguida as amostras foram incubadas a temperatura ambiente. Após cinco dias de incubação foi iniciado o processo de triagem das iscas. O estudo de identificação das espécies foi realizado através da utilização de artigos publicados em revistas especializadas. A qualidade ambiental da lagoa foi avaliada com a comparação dos resultados obtidos de outros trabalhos registrados na literatura existente. Para avaliação da percepção socioambiental o trabalho foi submetido ao comitê de ética e logo depois foi aplicado um formulário teste com cinco moradores da região. O trabalho contribuiu para identificação de seis espécies do filo oomycota, uma do filo Blastocladiomycota e três Filo  Chytridiomycota. Comparando o resultado encontrado nesse estudo com de outros estudados com organismos zoospóricos para a qualidade ambiental da lagoa, observou-se  pouca ocorrência desses organismos, essa diminuição da diversidade desses organismos sugere as condições ambientais de degradação em que se encontra a lagoa. Com a aplicação do formulário teste foi possível identificar os tipos de percepção( Percepção de perda, visual e olfativa) desenvolvido por cada morador que foi entrevistado. Portanto, observa-se a percepção socioambiental dos moradores entrevistados da comunidade ao entorno da lagoa Mazerine sugere um reflexo das condições ambientais da lagoa bioindicada pelos organismos zoopóricos. Recomenda-se a implantação do projeto de esgotamento sanitário na região, a desocupação das famílias que se encontra na orla da lagoa, requalificação do espaço urbano e a conscientização da comunidade através de programas voltado para a  preservação ambiental.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423426 - JOSE DE RIBAMAR DE SOUSA ROCHA
Interno - 1670535 - CLARISSA GOMES REIS LOPES
Externo à Instituição - JOSÉ RODRIGUES DE ALMEIDA NETO - NENHUMA
Externo à Instituição - MARIA DALVA MACEDO FERREIRA - UFPI
Externo à Instituição - MITRA MOBIN - NENHUMA
Notícia cadastrada em: 19/10/2021 19:55
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 01/12/2022 17:18