Notícias

Banca de DEFESA: AMANDA COSTA PINHEIRO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: AMANDA COSTA PINHEIRO
DATA: 19/06/2020
HORA: 16:00
LOCAL: https://conferenciaweb.rnp.br/webconf/lis-cardoso-marinho-medeiros
TÍTULO: PERFIL EPIDEMIOLOGICO DA MORTALIDADE NEONATAL NO PIAUÍ
PALAVRAS-CHAVES: Mortalidade Infantil. Mortalidade Neonatal. Epidemiologia. Vigilância em Saúde.
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
SUBÁREA: Cirurgia
RESUMO:

PINHEIRO, AMANDA COSTA; MEDEIROS, LIS CARDOSO MARINHO. Perfil Epidemiológico da Mortalidade Neonatal no Piauí. Dissertação de Mestrado em Saúde da Mulher. Universidade Federal do Piauí, Teresina-PI, 2020

 

 

RESUMO

 

Introdução A redução da mortalidade infantil é ainda um desafio para os serviços de saúde. Insere-se como meta dos objetivos de desenvolvimento sustentável e no compromisso do Brasil com a referida meta. Apesar do declínio observado no Brasil, a mortalidade infantil permanece como uma grande preocupação em saúde pública. No Piauí com a implantação da Rede Cegonha e do componente neonatal nos últimos anos pode-se perceber um declínio no índice de mortalidade materna, infantil e neonatal, mas ainda continua-se perdendo mães e bebês por causas evitáveis. Apesar dos avanços que o estado teve após a implantação da rede cegonha esse desenvolvimento não se deu por igual em todas as regiões de saúde, ficando a maior parte da assistência centralizada ainda na capital. Assim determinou-se como objetivo da pesquisa, avaliar o perfil epidemiológico da mortalidade neonatal no estado do Piauí confrontando os resultados obtidos com outras pesquisas realizadas a nível nacional e de outras regiões. Metodologia foi realizado um estudo retrospectivo, descritivo, abordagem quantitativa, e os dados foram coletados de 2008 a 2017 no SISWEB, ferramenta de transparência aos ODS pelo método direto tendo como fonte SIM e SINASC. Após a coleta foram tabulados utilizando o TABWIN e TABNET. Resultados observou-se uma redução do número absoluto total de óbitos entre os anos 2008 a 2015, havendo um aumento entre os anos de 2015 e 2016 (gráfico 1). A mortalidade neonatal precoce compreendeu mais de 3/4 dos óbitos neonatais. Os achados revelaram as principais características dos óbitos neonatais no Piauí na série temporal (2008-2017). Observou-se também, uma diferença importante na mortalidade neonatal considerando os territórios de saúde do estado, com maior número para os territórios: Carnaubais, Entre Rios e Cocais com um número baixo para Planície Litorânea. Conclusão concluiu-se que o estudo evidenciou uma concentração do atendimento nas regiões mais populosas do estado, bem como um maior número de óbitos e que estratégias devem ser apresentadas para melhor atender recursos, capacitação dos profissionais do atendimento básico de maneira mais incisiva, educação da população alvo (gestantes) por toda equipe multiprofissional.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1167577 - LIS CARDOSO MARINHO MEDEIROS
Interno - 226.905.653-15 - ZENIRA MARTINS SILVA - UESPI
Externo à Instituição - CARMEN VIANA RAMOS - UNINOVAFAPI
Notícia cadastrada em: 17/06/2020 09:57
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.instancia1 03/08/2020 17:35