Notícias

Banca de DEFESA: DILLYANE CARVALHO DE LIMA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DILLYANE CARVALHO DE LIMA
DATA: 06/05/2021
HORA: 10:00
LOCAL: link
TÍTULO: Avaliação da indicação e uso da terapia hormonal no climatério
PALAVRAS-CHAVES: menopausa saude da mulher
PÁGINAS: 62
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

A menopausa é um processo fisiológico de mudança física e emocional que faz parte do processo de evolução de todas as mulheres que atingem a meia idade. Durante essa transição os sintomas climatéricos acometem entre 60 a 80% das mulheres e são reconhecidos como indutores de desconforto físico e emocional que aumentam com a severidade dos sintomas. As queixas mais comuns são os de ordem psicossocial e afetiva e são as que mais interferem na qualidade de vida da mulher. Por ser de diagnóstico basicamente clínico, o climatério necessita de uma abordagem mais humanizada, com escuta qualificada, aconselhamento, orientações e um mínimo de intervenções e uso de tecnologias duras. Objetivos: Avaliar a indicação e uso da terapia hormonal em mulheres climatéricas atendidas nas Unidades Básicas de Saúde de Teresina - PI. Metodologia: Trata-se de um estudo analítico e transversal. Foram incluídas no estudo 200 mulheres na faixa etária de 50 a 70 anos. Os dados foram coletados no período de agosto a setembro de 2020 através de um questionário com informações clínicas, dados ginecológicos-obstétricos, estilo de vida, doenças crônicas e a percepção sobre o alívio dos sintomas. E aplicação do Índice Menopausal de Kupperman. Resultados: Quanto ao perfil socioeconômico das participantes, possuíam entre 50 e 70 anos de idade, com média de 58,2 anos, 94 (47,0%) eram casadas, 82 (41,0%) não concluíram o ensino primário ou médio, 151 (75,5%) eram pardas e a renda mensal variou predominantemente entre nenhuma 60 (30,0%) e um salário mínimo 65 (32,5%). Em relação a caracterização de saúde das mulheres, 156 (78,0%) tiveram mais de um filho, 94 (47,0%) apresentavam doenças crônicas como diabetes e/ ou hipertensão, a idade da menarca teve média de 13,6 anos e menopausa com média de 49 anos, 28 (14%) fizeram uso de terapia hormonal por um período médio de 3,8 anos e 185 (92,5%) não eram fumantes. Na descrição do Índice Menopausal de Kupperman e o grau de melhora nos sintomas percebido pelas mulheres, a maioria destas 15 (53,6%) declarou ter sentido melhora nos sintomas iniciais, e pontou o nervosismo com maior percentual de sintoma intenso 37 (18,5%). Quanto a pontuação geral do Índice Menopausal de Kupperman, os sintomas de onda de calor, nervosismo e insônia lideraram com 7,4, 4,0 e 3,8, respectivamente. No que diz respeito ao Índice Menopausal de Kupperman, o uso de terapia hormonal foi capaz de impactar nos sintomas de ondas de calor, parestesia, insônia, nervosismo e artralgia/mialgia. As mulheres que fizeram o uso de terapia hormonal apresentaram menor chance de desenvolvimento de sintomas no climatério. Têm-se as seguintes chances: ondas de calor (34% menos chance), insônia (37% menos chance), nervosismo (33% menor chance) e artralgia/ mialgia (39% menor chance). Conclusão: A indicação de terapia hormonal para melhoria dos sintomas de mulheres climatéricas na capital piauiense, demonstra haver maior potencial para alívio de sintomas específicos, dentre eles o que é tido como maior incômodo, as ondas de calor. Reitera-se que a indicação da terapia deve ser pensada individualmente visando adequar-se as particularidades de cada mulher que vivencia o período menopausal.

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 423488 - BENEDITO BORGES DA SILVA
Interno - 423584 - IONE MARIA RIBEIRO SOARES LOPES
Interno - 1792692 - LUIZ AYRTON SANTOS JUNIOR
Presidente - 3373256 - PEDRO VITOR LOPES COSTA
Notícia cadastrada em: 26/04/2021 10:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 11/05/2021 04:51