Notícias

Banca de DEFESA: LIA RAQUEL MOURA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LIA RAQUEL MOURA SILVA
DATA: 08/07/2016
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório do Departamento de Química
TÍTULO:
ÁCIDO ELÁGICO MODIFICADO POR NANOPARTÍCULAS DE ÓXIDO DE MAGNÉSIO: SÍNTESE DE MATERIAL HÍBRICO,CARACTERIZAÇÃO E AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES CITOTÓXICA E ANTILEISHMANIA.

PALAVRAS-CHAVES:
nanopartículas; óxido de magnésio; ácido elágico; Leishmaniose

PÁGINAS: 75
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Química Inorgânica
ESPECIALIDADE: Química Bio-Inorgânica
RESUMO:
As leishmanioses são doenças infecciosas, parasitárias, não contagiosas causadas pelos protozoários do gênero Leishmania , transmitida pela picada da fêmea dos insetos flebotomíneos infectadas com a forma promastigota do protozoário. O tratamento é realizado com medicamentos à base de antimônio, que além do alto custo, apresentam efeitos cardiotóxicos e intolerância gastrointestinal. Assim, o ácido elágico (AE), um composto polifenólico, apresenta características antibactericidas e antioxidativas, mas devido à sua baixa solubilidade e
m água, apresenta baixa biocompatibilidade. Em contrapartida, as nanopartículas
de óxido de magnésio (MgO NPs) são biocompatíveis e estáveis sob condições adversas.
Com isso, o objetivo deste trabalho foi sintetizar um nanomaterial híbrido funcional (MgO-
AE) , através da modificação do AE por MgO NPs, e caracterizar pelas espe
ctroscopias de absorção molecular e vibracional nas regiões do ultravioleta vi
sível (UV-Vis) e Infravermelho com transformada de Fourier (FTIR), respectivamente e
por termogravimetria (TG). Avaliou-se a atividade citotóxica sobre as células de mamíferos e a atividade antileishmania do nanomaterial híbrido sobre as formas promastigotas da espécie Leishmania amazonenses in vitro. As análises de DRX exibiram mudanças na cristalinidade do AE no nanomaterial devido à presença
das MgO NPs. O espectro na região do UV-Vis apresentou uma pequena banda em 44
4 nm devida à presença de centros F nas MgO NPs. O FTIR apontou mudanças significativ
as nos estiramentos de C=O, C-O e O-H, indicando os possíveis sítios de intera
ção do AE com as nanopartículas. As curvas de TG apontaram para a temperatura de
calcinação de 900 °C, como sendo eficiente na conversão para MgO NPs. Os testes far
macológicos apresentaram valores de CC50 para MgO NPs (425,85μg mL -1), para AE (23,81
μg mL-1) e para MgO–AE (38,15μg mL-1) mostrando que o nanomaterial híbrido apresentou uma
redução na citotoxicidade. Os valores de IC50 para MgO NPs (80,32 μg mL-1), para AE (3,64
μg mL-1 ) e para MgO-AE(637,56 μg mL-1) expôs que o nanomaterial híbrido apresentou uma diminuição na atividade antileishmania.

MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1508806 - WELTER CANTANHEDE DA SILVA
Interno - 2363808 - EDMILSON MIRANDA DE MOURA
Externo ao Programa - 2056226 - CLEÂNIO DA LUZ LIMA
Externo à Instituição - MARCIELA SCARPELLINI - UFRJ
Notícia cadastrada em: 29/06/2016 16:43
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.instancia1 29/03/2020 05:16