Notícias

Banca de DEFESA: ALLAN NUNES COSTA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALLAN NUNES COSTA
DATA: 18/03/2014
HORA: 08:30
LOCAL: Auditório de Química
TÍTULO:

MECANISMO DA REAÇÃO ENZIMÁTICA DA VIOE NA BIOSSÍNTESE DA VIOLACEÍNA: UMA DESCRIÇÃO COMPUTACIONAL


PALAVRAS-CHAVES:

VioE; docagem molecular; DFT, Cluster Químico


PÁGINAS: 70
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Físico-Química
ESPECIALIDADE: Química Teórica
RESUMO:

A violaceína é um composto produzido através de uma biossíntese bastante complexa, onde a principal chave para sua produção é realizada pela enzima VioE que promove um rearranjo indólico em um intermediário muito instável conhecido como dímero da imina do AIP. Esse produto tem sido altamente utilizado em atividade antibactericida, tripanossomicida, atitumoral e antiviral. O rearranjo indólico ainda não está totalmente elucidado e baseado em resultados experimentais publicados na literatura, neste trabalho é mostrado um estudado teórico com métodos de docking, DFT e montagem de Cluster Químico, no caso do rearranjo intramolecular 1,2 do anel indólico do dímero da imina do AIP promovido pela VioE. Dentro deste trabalho foi feito uma análise dos isômeros do dimero e foi identificado três isômero com configurações RR, SS e RS. Foram efetuado cálculo de otimização para identificar o isômero mais estável, no qual a estrutura SS monstrou-se a mais estável que a RR e RS, em 1,0 Kcal/mol e 7,5 Kcal/mol, respectivamente. Através do docking foram identificados os resíduos de aminoácido Ser19, Arg172 e Gly48 que são responsáveis por agarrar o isômero SS através de ligações de hidrogênio dentro da VioE, e a existência das espécies  OH-, H3O+ e H2O no sítio ativo da enzima são responsáveis pela ocorrência da reação enzimática. Dentro da técnica de Cluster Químico utilizando um continuo polarizador homogêneo CPM com constate dielétrica 1, 2, 4, 16 e 80 para simular o solvente utilizando métodos de DFT foi possível identificar comprovar que as espécies OH-, H3O+ e H2O são participantes ativos dentro do rearranjo indólico e que a água é o solvente que melhor descreve o meio biológico condizendo com os resultados experimentais. Com tais resultados foi possível elaborar um mecanismo de atuação da enzima VioE no rearranjo indólico 1,2 sobre o dímero da imina do AIP. Esse mecanismo contribui para o entendimento experimental desse sistema.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 778.751.253-91 - FRANCISCO DAS CHAGAS ALVES LIMA - UESPI
Interno - 1714171 - JANILDO LOPES MAGALHAES
Interno - 1714193 - JOSE MILTON ELIAS DE MATOS
Externo ao Programa - 2016616 - RAIMUNDO CLECIO DANTAS MUNIZ FILHO
Notícia cadastrada em: 07/03/2014 15:18
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 03/08/2020 11:42