Notícias

Banca de DEFESA: SAMARA RAQUEL DE SOUSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SAMARA RAQUEL DE SOUSA
DATA: 30/05/2016
HORA: 14:00
LOCAL: Núcleo de Pós-Graduação em Ciências Agrárias
TÍTULO:

Distribuição morfogeográfica e diversidade em frutos de Annona coriacea Mart.


PALAVRAS-CHAVES:

Annonaceae, recursos genéticos, variabilidade genética, pré-melhoramento, georreferenciamento.


PÁGINAS: 111
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

O Cerrado possui agregado à sua riqueza as “Plantas do Futuro”, que são espécies nativas de valor econômico atual e potencial, destacando-se as frutíferas, por apresentarem um sabor e aroma peculiar, um valor nutricional e principalmente um mercado em aberto. Acreditando que haja variabilidade genética disponível a ser pesquisada para caracteres de frutos nativos, objetivou-se, obter informações sobre a variabilidade existente em araticum (Annona coriacea) de duas áreas de cerrado no Piauí. As áreas escolhidas para a coleta dos 61 genótipos foram a propriedade Barroca do Surrão, no município de Campo Maior-PI (04°05’57,1”S, 41°42’34,5”W e 165/224 m) P1-CM e o Parque Nacional de Sete Cidades (04°02’08”S, 41°40’45”W e 100/290 m) P2-PN7C, pertencente aos municípios de Brasileira e Piracuruca-PI, todas localizadas nos Cerrados Setentrional. Um total de 34 descritores morfológicos foram utilizados neste estudo. Considerando a revisão sistemática da espécie por meio da prospecção científica e tecnológica nas bases de dados consultadas, nota-se a importância da espécie para a execução de estudos de inovação tecnológica e desenvolvimento de novos produtos, ampliando o conhecimento frutífero e fornecendo dados que venham a contribuir para o entendimento da mesma, além de valorizar a biodiversidade e a preservação da espécie e de seu ambiente. O estudo de distribuição geográfica gerou a confecção de dois mapas, onde pôde-se visualizar as áreas de maior concentração da espécie e perceber o espaçamento entre algumas populações. Estes mapas poderão ser utilizados por funcionários, gestores, turistas e pesquisadores, como guia de localização georeferenciado e como informações da espécie, visto que torna-se necessário valorizar os recursos naturais existentes como instrumento de grande capacidade turística, preservacionista e educativa. A caracterização morfológica e físico-química dos 61 genótipos de A. coriacea permitiu identificar descritores que contribuíram para a divergência genética e forneceu subsídios para a determinação do padrão de variação genética das duas populações estudadas, contribuindo com estratégias de estudos iniciais de seleção e pré-melhoramento genético. O peso da polpa, o peso do fruto, o rendimento da polpa e o diâmetro do fruto foram os descritores de maior variabilidade, devendo ser utilizados em estudos de divergência genética de araticum. A caracterização fisíco-química da polpa do fruto apresentou bom perfil para serem introduzidas na indústria, desde o setor alimentício até o cosmético, além de serem mais uma opção para o mercado de frutíferas. O agrupamento dos genótipos pelo método UPGMA revelou variabilidade genética entre os genótipos estudados. Essa variabilidade retrata o potencial que a espécie apresenta para ser explorada em programas de pré-melhoramento genético.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1342714 - ANGELA CELIS DE ALMEIDA LOPES
Interno - 423361 - REGINA LUCIA FERREIRA GOMES
Externo ao Programa - 1792038 - NELSON LEAL ALENCAR
Externo à Instituição - CLEMILTON DA SILVA FERREIRA - IFCE
Notícia cadastrada em: 06/05/2016 11:23
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 18/06/2021 08:43