Notícias

Banca de DEFESA: SÉRGIO AUGUSTO NUNES MONTEIRO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SÉRGIO AUGUSTO NUNES MONTEIRO
DATA: 27/08/2012
HORA: 14:30
LOCAL: Nucleo de Pós-Graduação em Ciências Agrárias
TÍTULO:

 

 

 AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA DE FAVA (PHASEOLUS LUNATUS) AO ATAQUE DE ZABROTES SUBFASCIATUS(Bohr)(COLEOPTERA: CHRYSOMELIDAE


PALAVRAS-CHAVES:

 

 

 Phaseolus lunatus, Zabrotes subfasciatus, Resistência, grãos armazenados.


PÁGINAS: 70
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

A fava (Phaseolus lunatus L.) é uma leguminosa cultivada para a produção de grãos maduros ou verdes para a alimentação humana. Sendo uma das principais leguminosas cultivadas na região tropical, apresentando um potencial para fornecer proteína a população de baixa renda, principalmente na região nordeste, diminuindo assim  a dependência quase exclusiva dos feijões do grupo carioca, sofrendo muitas perdas durante o armazenamento. Uma das causas deste prejuízo está relacionada ao ataque de diversos insetos, dentre eles, o gorgulho Zabrotes subfasciatus (Boh), que pode provocar perdas significativas na produção durante o período de armazenamento dos grãos. O feijão-fava, Phaseolus lunatus L., é a segunda leguminosa de maior importância do gênero, e devido ao conteúdo protéico e paladar característico, é mundialmente utilizado em pratos, nas mais diferentes culinárias, recebendo várias denominações, em função da região cultivada ou forma de utilização na alimentação. Em vista disso, o presente trabalho objetivou avaliar a resistência de genótipos de fava (Phaseolus lunatus) ao ataque de Zabrotes subfasciatus (Bohr), nas cultivares Rajada Preta, Rajada Vermelha, Gigante, Branquinha (Porção de Pedra-MA), Boca de Moça UFPI 726, Boca de Moça Colinas-MA, Boca de Moça Cinza (Novo Oriente), UFPI 725, UFPI 725 Creme, UFPI 724 Marrom, UFPI 726 Vermelha e Branco Comum. O trabalho foi conduzido no Laboratório de Entomologia do Departamento de Biologia, Centro de Ciências da Natureza da Universidade Federal do Piauí, Teresina-PI. Para a realização do experimento, foram utilizados insetos da espécie Zabrotes subfasciatus. O Delineamento estatístico utilizado foi o inteiramente casualizado constando de 12 tratamentos (genótipos) com 06 repetições. As parcelas experimentais foram constituídas por recipientes plásticos contendo 10 g de grãos de cada cultivar. Em cada recipiente foram colocados 10 insetos de Z. subfasciatus com idade de 0 - 24 h, sem determinação do sexo, deixados por um período de sete dias, para que realizassem a oviposição, quando os insetos foram retirados. Com 25 dias da infestação, as parcelas passaram a ser avaliadas diariamente, afim de se determinar o número de ovos viáveis e inviáveis, viabilidade larval, o número de insetos emergidos e não emergidos, peso seco dos insetos adultos, peso seco de grãos consumidos por Z. subfasciatus e a longevidade. As cultivares Gigante, UFPI 724 Marrom, Boca de Moça Cinza, Boca de Moça Colinas-MA, UFPI 725, Branquinha e Rajada Vermelha, apresentaram resistência dos tipos não – preferência para alimentação e oviposição e\ou antibiose. Observou-se, de modo geral, que todos os itens avaliados diferiram estatisticamente, havendo redução do número de ovos viáveis e inviáveis, viabilidade larval, o número de insetos emergido e não emergidos, peso seco dos insetos adultos, peso seco de grãos consumidos e a longevidade. Concluiu-se que a cultivar Gigante e UFPI 724 Marrom foi a mais resistente ao ataque do Zabrotes subfasciatus. E os genótipos Boca de Moça UFPI 726 e Branco Comum não apresentaram nenhum tipo de resistência.

 

A fava (Phaseolus lunatus L.) é uma leguminosa cultivada para a produção de grãos maduros ou verdes para a alimentação humana. Sendo uma das principais leguminosas cultivadas na região tropical, apresentando um potencial para fornecer proteína a população de baixa renda, principalmente na região nordeste, diminuindo assim  a dependência quase exclusiva dos feijões do grupo carioca, sofrendo muitas perdas durante o armazenamento. Uma das causas deste prejuízo está relacionada ao ataque de diversos insetos, dentre eles, o gorgulho Zabrotes subfasciatus (Boh), que pode provocar perdas significativas na produção durante o período de armazenamento dos grãos. O feijão-fava, Phaseolus lunatus L., é a segunda leguminosa de maior importância do gênero, e devido ao conteúdo protéico e paladar característico, é mundialmente utilizado em pratos, nas mais diferentes culinárias, recebendo várias denominações, em função da região cultivada ou forma de utilização na alimentação. Em vista disso, o presente trabalho objetivou avaliar a resistência de genótipos de fava (Phaseolus lunatus) ao ataque de Zabrotes subfasciatus (Bohr), nas cultivares Rajada Preta, Rajada Vermelha, Gigante, Branquinha (Porção de Pedra-MA), Boca de Moça UFPI 726, Boca de Moça Colinas-MA, Boca de Moça Cinza (Novo Oriente), UFPI 725, UFPI 725 Creme, UFPI 724 Marrom, UFPI 726 Vermelha e Branco Comum. O trabalho foi conduzido no Laboratório de Entomologia do Departamento de Biologia, Centro de Ciências da Natureza da Universidade Federal do Piauí, Teresina-PI. Para a realização do experimento, foram utilizados insetos da espécie Zabrotes subfasciatus. O Delineamento estatístico utilizado foi o inteiramente casualizado constando de 12 tratamentos (genótipos) com 06 repetições. As parcelas experimentais foram constituídas por recipientes plásticos contendo 10 g de grãos de cada cultivar. Em cada recipiente foram colocados 10 insetos de Z. subfasciatus com idade de 0 - 24 h, sem determinação do sexo, deixados por um período de sete dias, para que realizassem a oviposição, quando os insetos foram retirados. Com 25 dias da infestação, as parcelas passaram a ser avaliadas diariamente, afim de se determinar o número de ovos viáveis e inviáveis, viabilidade larval, o número de insetos emergidos e não emergidos, peso seco dos insetos adultos, peso seco de grãos consumidos por Z. subfasciatus e a longevidade. As cultivares Gigante, UFPI 724 Marrom, Boca de Moça Cinza, Boca de Moça Colinas-MA, UFPI 725, Branquinha e Rajada Vermelha, apresentaram resistência dos tipos não – preferência para alimentação e oviposição e\ou antibiose. Observou-se, de modo geral, que todos os itens avaliados diferiram estatisticamente, havendo redução do número de ovos viáveis e inviáveis, viabilidade larval, o número de insetos emergido e não emergidos, peso seco dos insetos adultos, peso seco de grãos consumidos e a longevidade. Concluiu-se que a cultivar Gigante e UFPI 724 Marrom foi a mais resistente ao ataque do Zabrotes subfasciatus. E os genótipos Boca de Moça UFPI 726 e Branco Comum não apresentaram nenhum tipo de resistência.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1188870 - LUCIA DA SILVA FONTES
Interno - 422661 - LUIZ EVALDO DE MOURA PADUA
Interno - 1167867 - PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
Externo à Instituição - SANDRA REGINA DE SOUSA CARDOSO - UMA
Notícia cadastrada em: 27/07/2012 11:18
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 18/06/2021 09:27