Notícias

Banca de DEFESA: MYNOR EFRAIN GARCÍA MUNGUÍA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MYNOR EFRAIN GARCÍA MUNGUÍA
DATA: 16/02/2017
HORA: 14:00
LOCAL: AUDITÓRIO DO NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AGRÁRIAS
TÍTULO: SELEÇÃO DE ACESSOS DE FEIJÃO-FAVA RESISTENTES A MACROPHOMINA PHASEOLINA
PALAVRAS-CHAVES: Phaseolus lunatus L., Podridão cinzenta do caule, Resistência genética.
PÁGINAS: 59
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

A podridão cinzenta do caule, causada por Macrophomina phaseolina, é uma importante doença do feijão-fava (Phaseolus lunatus L.) no Nordeste brasileiro. Devido à dificuldade no controle, por tratar-se de um patógeno polífago e habitante do solo. A seleção de acessos de feijão-fava com resistência genética a M. phaseolina pode ser uma alternativa de manejo, tendo em consideração que atualmente não são conhecidos genótipos de feijão-fava resistentes a M. phaseolina. O objetivo deste trabalho foi avaliar a reação de resistência de acessos de feijão-fava a M. phaseolina, visando selecionar acesso(s) com potencial de utilização no manejo da podridão cinzenta do caule. Três experimentos foram desenvolvidos para selecionar acessos de feijão-fava com relativa resistência a M. phaseolina. No Experimento I foi avaliada a agressividade de sete isolados de M. phaseolina a um acesso susceptível de feijão-fava. No Experimento II, 37 acessos de feijão-fava foram avaliados quanto a resistência contra um isolado agressivo de M. phaseolina. O experimento foi conduzido em duas épocas do ano (fevereiro-março e julho-agosto de 2016). No Experimento III os acessos mais promissores e suscetíveis do experimento II, foram avaliados quanto a estabilidade da resistência quando inoculados com sete isolados do patógeno. Os resultados do Experimento I revelaram que seis isolados apresentam elevada agressividade, diferindo do isolado MPM143, menos agressivo (p<0,05). O isolado MPM144 foi utilizado como inoculo para o Experimento II. Houve diferenças na severidade dos acessos entre as épocas de realização do Experimento II (p<0,05). A interação época-acesso foi significativa (p<0,05). Treze acessos apresentaram os menores níveis de severidade (p<0,05) nas duas épocas, dentre eles UFPI 892, UFPI 908 e UFPI 905, que apresentaram os menores valores de severidade, tendo sido considerados resistentes ao isolado MPM144. A resistência dos acessos não foi estável contra os sete isolados de M. phaseolina. No entanto foram expressados diferentes níveis de resistência para a maioria dos isolados por parte dos acessos UFPI 892 e UFPI 908. O acesso UFPI 908 apresentou moderados níveis de resistência para a maioria de isolados, apresentando os resultados mais promissores de resistência a M. phaseolina.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2058623 - JOSE EVANDO AGUIAR BESERRA JUNIOR
Interno - 1342714 - ANGELA CELIS DE ALMEIDA LOPES
Interno - 423361 - REGINA LUCIA FERREIRA GOMES
Externo à Instituição - FRANK MAGNO DA COSTA - UESPI
Notícia cadastrada em: 14/02/2017 09:36
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 18/06/2021 15:53