Notícias

Banca de DEFESA: CATHARINA TEIXEIRA CORTEZ

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CATHARINA TEIXEIRA CORTEZ
DATA: 06/03/2013
HORA: 09:00
LOCAL: Núcleo de Pós-Graduação em Ciências Agrárias
TÍTULO:

 

 

INDICADORES  BIOLÓGICOS DE QUALIDADE DE SOLO SOB PLANTAÇÕES DE EUCALIPTO E SEQUÊNCIA DE IDADES


PALAVRAS-CHAVES:

 

 

PALAVRAS-CHAVES: carbono da biomassa microbiana, atividade microbiana,  matéria orgânica, fauna edáfica

 


PÁGINAS: 69
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

RESUMO: O cultivo de eucalipto esta intimamente ligado ao reflorestamento na região do Cerrado, apresentando assim como outras culturas algumas controvérsias com relação aos seus impactos ambientais. O objetivo desse trabalho foi avaliar por meio de indicadores biológicos a qualidade do solo em diferentes anos de cultivo de eucalipto comparado com a mata nativa no município de Regeneração - PI. O estudo foi realizado na Fazenda Chapada Grande, em cinco áreas adjacentes em plantações comerciais de eucalipto em uma sequencia de idade (1,2 3, 4 e 5 anos), tendo a mata de cerrado como referência. As coletas do solo foram realizadas em março de 2011 (período chuvoso) e setembro de 2011 (período seco). A fauna edáfica foi coletada no mesmo período utilizando-se armadilhas do tipo pitfall. O carbono orgânico total (COT) variou de 50,57 a 81,27(g kg-1) no período chuvoso e de 47,93 a 88,23 (g kg-1) no período seco com maiores valores registrados em E5 e MN em ambos os períodos. O carbono da biomassa microbiana (CBM) variou significativamente entre os sistemas estudados com a MN e E4 apresentando os maiores valores, nos dois períodos estudados. A atividade respiratória mostrou valores mais elevados nos eucaliptos mais novos, não havendo diferenças significativas no período seco. Os sistemas E5, E4 e MN apresentaram valores mais baixos de qCO2 no período úmido e E4 e MN no período seco. O maior número de indivíduos da fauna edáfica foi encontrado em E1 nas duas épocas de coletas. A riqueza de espécies, não diferiu entre as épocas de coleta sob nenhuma das coberturas vegetais, apresentando valores bem próximos. O maior número de indivíduos de E1 e E2 não acompanhou a diversidade de espécies, que mostrou valores bem inferiores aos demais sistemas estudados no período de boa umidade. Nos sistemas E1 e E2 cerca de 90% do total de indivíduos foram representados por apenas dois grupos taxonômicos: Coleoptera e Formicidae, o que contribuiu para diminuir o índice de uniformidade, principalmente em E1. No período úmido verificou-se que dos 18 grupos encontrados 13 se mostraram presentes em todos os sistemas estudados, enquanto no período seco apenas 10 grupos de um total de 19, estiveram presentes em todos os sistemas. Houve um aumento da biomassa e quociente microbiano e carbono orgânico com as idades das plantações de eucalipto. A qualidade orgânica da serapilheira da mata influenciou diretamente seus atributos microbianos. As épocas de coleta influenciaram a variação da densidade de fauna, riqueza de espécies, índice de Shannon e índice de Pielou. A época de verão permitiu estabelecer maiores diferenças entre as diferentes coberturas vegetais estudadas do que a época de inverno. A implantação inicial da cultura do Eucalipto contribuiu para uma redução nas variáveis da fauna com uma recuperação nos anos posteriores.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1552372 - LUIS ALFREDO PINHEIRO LEAL NUNES
Interno - 2476126 - ADEMIR SERGIO FERREIRA DE ARAUJO
Interno - 569.483.954-49 - LUIZ FERNANDO CARVALHO LEITE - EMBRAPA
Externo ao Programa - 932.320.637-72 - MARIA ELIZABETH FERNANDES CORREIA - EMBRAPA
Notícia cadastrada em: 01/03/2013 11:13
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 23/06/2021 17:16