Notícias

Banca de DEFESA: ROSALBA MARIA BORGES DE ANDRADE RODRIGUES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROSALBA MARIA BORGES DE ANDRADE RODRIGUES
DATA: 24/08/2018
HORA: 15:00
LOCAL: NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AGRÁRIAS-CCA/UFPI
TÍTULO: BIOATIVIDADE DO ÓLEO ESSENCIAL E UM COMPOSTO ISOLADO DE Protium heptaphyllum (Aubi.) NO CONTROLE DE Callosobruchus maculatus (F., 1775) (COLEÓPTERA: BRUCHINAE)
PALAVRAS-CHAVES: Almécega; resina; caruncho do feijão; controle alternativo.
PÁGINAS: 54
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

O feijão-caupi (Vigna unguiculata (L.) Walp.) é uma leguminosa que tem seus grãos constantemente atacados pelo Callosobruchus maculatus, uma praga primária que provoca perdas qualitativas e quantitativas que depreciam comercialmente o produto armazenado. Atualmente busca-se métodos alternativos de controle e o presente trabalho teve como objetivo investigar a bioatividade do óleo essencial da resina de Protium heptaphyllum (Aubi.) determinando o seu composto majoritário e o efeito isolado do mesmo assim como a relação de toxicidade entre os dois (óleo e limoneno) no controle de Callosobruchus maculatus em feijão-caupi. Os bioensaios e a criação dos insetos foram conduzidos no Laboratório de Entomologia do Departamento de Biologia da Universidade Federal do Piauí à temperatura de 30 ± 2ºC, umidade relativa de 60 ± 5% e fotofase de 12h. A extração do óleo da resina de almécega foi feita pelo método de hidrodestilação em aparelho de Clevenger e para a determinação dos compostos majoritários utilizou-se da análise de cromatografia gasosa e espectrometria de massa onde o limoneno se apresentou em maior abundância (40,12%). Foram realizados testes de toxicidade por contato, por fumigação e testes de repelência, utilizando delineamento inteiramente casualizado com cinco repetições e uma testemunha. Testes preliminares foram realizados para os testes de contato e de fumigação para definir as faixas de concentração do óleo e do limoneno, capazes de promover mortalidades de 50% (CL50) e 95% (CL95). As concentrações foram aplicadas utilizando-se um micropipetador automático. Foram contabilizados o número de insetos mortos nos testes de contato e fumigação e no teste de repelência o número de insetos atraídos após 48h. O número de ovos e de insetos emergidos foram contabilizados aos 12 dias e 28 dias, respectivamente para todos os testes. Nos testes de contato as concentrações para o óleo foram (10; 15; 20; 35µl/20g) e para o limoneno (20; 25; 30; 35; 40µl/20g) onde dez fêmeas com 0-48h de idade foram acondicionadas em recipientes plásticos de 100 ml contendo 20g de feijão cv. Aracê impregnados com as respectivas concentrações. As CL50 foram (14µl) para o óleo e (36µl) para o limoneno e as CL95 foram (36µl) para o óleo e (77µl) para o limoneno e o número de insetos emergidos foi reduzido em todas as concentrações quando comparada com o número de ovos, o que mostra que o óleo e limoneno têm efeito ovicida. Nos testes de fumigação foram utilizadas as concentrações (125; 250; 375 e 437,5 µl/L de ar) para o óleo e (375; 500; 625 e750µl/L de ar) para o limoneno, utilizando-se potes de polipropileno de 100 ml contendo 20 insetos não sexados com 0-48h de idade onde tiras de papel de filtro fixadas na parte inferior da tampa foram impregnadas com as respectivas concentrações, protegidos por um tecido tipo filó e vedados com fita adesiva. As CL50 foram(191,28µl) para o óleo e (434,34µl) para o limoneno e as CL95 foram (767,96µl) para o limoneno e (1011µl) para o óleo e em relação ao efeito fumigante ambos foram tóxicos Nos testes de repelência utilizou-se arenas tipo olftômetro onde em uma das extremidades foram colocados 20g de grãos de feijão-caupi impregnados com as Cl50 eCL95 e na outra extremidade a testemunha, e após 48h os insetos atraídos para cada recipiente foram contabilizados e foi constatado efeito repelente do óleo e do limoneno assim como efeito ovicida


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 011.018.573-07 - DOUGLAS RAFAEL E SILVA BARBOSA - IFMA
Presidente - 1188870 - LUCIA DA SILVA FONTES
Interno - 1167867 - PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
Interno - 043.286.014-23 - SOLANGE MARIA DE FRANCA - UFPI
Notícia cadastrada em: 08/08/2018 09:39
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 18/06/2021 08:36