Notícias

Banca de DEFESA: ANA YELI MORALES HERNANDEZ

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA YELI MORALES HERNANDEZ
DATA: 08/10/2019
HORA: 14:30
LOCAL: NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AGRÁRIAS-CCA/UFPI
TÍTULO: Biofertilização de pimenteira com composto orgânico inoculado com beijerinckia indica e cunninghamella elegans.
PALAVRAS-CHAVES: Antracnose. Colletotrichum sp., matéria orgânica. acúmulo de nutrientes.
PÁGINAS: 53
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

Dentro da relação planta-solo-microorganismos, a interação entre bactérias diazotróficas e plantas têm sido alvo de diversos estudos, visto que atuam diretamente no metabolismo das plantas fornecendo substâncias pouco disponíveis, seja fixando nitrogênio atmosférico, solubilizando fosfatos, produzindo fitohormônios importantes na regulação do crescimento ou realizando controle biológico de fitopatógenos. Neste contexto, este trabalho foi conduzido em três etapas com o objetivo avaliar diferentes substratos orgânicos inoculados com bactérias diazotróficas de vida livre NFB 10001 (Beijerinckia indica), e adição da massa micelial do fungo Cunninghamela elegans, aquela que propicia maior aporte de nutrientes em plantas de pimenta e, e a partir de diferentes doses de quitosana fúngica e comercial, avaliar o controle da antracnose emfrutos de pimenta causada por Colletotrichum sp. Na primeira etapa, durante 65 dias, os tratamentos consistiram de três fontes orgânicas (EB= esterco bovino; H= húmus de minhoca e TF= torta de filtro de cana-de-açúcar) em diferentes proporções, individualmente e em misturas. Os tratamentos foram submetidos às análises de quantificação de enriquecidos de N, P, K, Ca, Mg, Carbono orgânico e matéria orgânica. Em uma segunda etapa, conduzida em casa de vegetação, procedeu-se a avaliação de plantas de pimenta durante um ciclo de cultivo de 120 dias, utilizando o EB, definido como melhor fonte orgânica na etapa anterior. Os tratamentos consistiram de cinco doses (0, 20, 40, 60 e 80 g kg-1)de EB contendo B. indica e o fungo C. elegans. Como controle comparativo da indução da resistência, foi utilizado o produto comercial contendo Bacillus subtilis - isolado AP-3. Na terceira etapa, foi extraída a quitina e quitosana do fungo C. elegans, confirmada por espectroscopia (FTIR), as quais foram utilizadas para o ensaio de inoculação para avaliar a severidade do fitopatógeno Colletotrichum sp em frutos de pimenta. A adubação orgânica com o uso de esterco bovino inoculado com bactéria diazotrófica de vida livre e  diazotróficas de vida livre NFB 10001 (Beijerinckia indica), com adição da massa micelial do fungo Cunninghamela elegans, incrementa a disponibilidade de nutrientes, principalmente de N, K e indiretamente aumenta a disponibilidade de Ca e Mg.O esterco bovino na dose de 80g kg-¹ promove maior comprimento de raízes e maior acúmulo de nutrientes na parte aérea (NPK) das plantas de pimenta. A quitosana oriunda de C. elegans tem efeitos significativos na reduação de severidade de Colletotrichum sp. O método de inoculação comferimento permite maior severidade da doença.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1553560 - FRANCISCO DE ALCANTARA NETO
Interno - 2241316 - GABRIEL BARBOSA DA SILVA JÚNIOR
Interno - 626.068.833-49 - JADSON EMANUEL LOPES ANTUNES - UFPI
Interno - 2115817 - RICARDO SILVA DE SOUSA
Externo ao Programa - 748.046.263-87 - BEATRIZ MEIRELES BARGUIL - UESPI
Notícia cadastrada em: 07/10/2019 16:48
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 22/06/2021 07:38