Notícias

Banca de DEFESA: YNAYANNA NARIZA MEDEIROS SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: YNAYANNA NARIZA MEDEIROS SILVA
DATA: 14/02/2020
HORA: 08:30
LOCAL: NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AGRÁRIAS-CCA/UFPI
TÍTULO: OZONIZAÇÃO DE GRÃOS DE FEIJÃO-FAVA (Phaseolus lunatus L.): CONTROLE DE Zabrotes subfasciatus (BOHEMAN, 1833) (COLEOPTERA: CHRYSOMELIDAE: BRUCHINAE) E MANUTENÇÃO DA QUALIDADE DOS GRÃOS
PALAVRAS-CHAVES: Ozônio, toxicidade, pragas de grão armazenado, fumigação, crescimento populacional.
PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

O uso da atmosfera modificada com gás ozônio (O3) vem sendo destacado como uma tecnologia potencial para controle de insetos-praga de grãos armazenados. Sendo uma alternativa ecologicamente correta e economicamente viável, capaz de manter a qualidade dos grãos. Dessa forma, objetivou-se, com este estudo, avaliar a toxicidade do ozônio sobre Z. subfasciatus em grãos de feijão-fava, determinar a taxa instantânea de crescimento populacional (ri) destes insetos expostos a tempos-letais e subletais ao ozônio e avaliar o efeito do nas características físicas e fisiológicas dos grãos de feijão-fava.  A toxicidade do ozônio para Z. subfasciatus foi determinada por meio de estimativas dos tempos de exposição letais para 50 e 95% dos insetos adultos (TL50 e TL95). O ozônio foi aplicado na concentração de 1,61 mg L-1 e fluxo contínuo de 2 L min-1. Os grãos foram ozonizados no interior de uma câmara de fumigação confeccionada de PVC com 20 cm de diâmetro e 100 cm de altura. A toxicidade foi determinada na camada superior e na camada basal da coluna de grãos. Para determinar a taxa instantânea de crescimento (ri), os grãos e os insetos foram expostos ao gás ozônio e ao oxigênio (controle) nos períodos de exposição correspondentes aos tempos-letais que foram obtidos no bioensaio de toxicidade: (TL0= 0; TL10= 4,07; TL30= 6,21; TL50= 8,32; TL70=11,15 e TL95= 20,86 h). A avaliação das características qualitativas foi feita nos grãos de feijão-fava utilizados nos bioensaios de taxa instantânea de crescimento, após 35 dias de armazenamento, no qual foram avaliados o teor de água nos grãos, a massa especifica aparente, a condutividade elétrica e o potencial de germinação. O período de exposição para controlar 50% (TL50) dos insetos foram de 8,32 e 5,11 h, respectivamente, quando os insetos foram distribuídos na camada superior e camada basal da câmara de fumigação. Para controlar 95% (TL95) dos insetos, esses períodos de exposição foram de 20,86 e 15,06 h, quando os insetos foram submetidos, respectivamente, a camada superior e camada basal da câmara de fumigação. A taxa instantânea de crescimento de Z. subfasciatus foi influenciada significativamente pelos tratamentos com o gás ozônio. A taxa instantânea de crescimento (ri) de Z. subfasciatus decresceu à medida que se elevou o período de exposição dos grãos de feijão-fava ao gás ozônio. A ri de Z. subfasciatus reduziu de 0,077 para 0,002, no tratamento com o gás ozônio, no tratamento com o gás oxigênio variou de 0,07 a 0,08, sendo que para os dois gases a ri foi positiva. Em geral, o tratamento controle apresentou valores médios de ri estatisticamente superior, em relação ao tratamento com o gás ozônio.  O ozônio apresentou toxicidade sobre Z. subfasciatus em grãos de feijão-fava e influenciou na taxa instantânea de crescimento populacional dos insetos. O ozônio não alterou a qualidade dos grãos, apresentando assim potencial para ser utilizado no controle de Z. subfasciatus em grãos armazenados.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 011.018.573-07 - DOUGLAS RAFAEL E SILVA BARBOSA - IFMA
Externo ao Programa - 082.237.976-74 - GUTIERRES NELSON SILVA - UFV
Interno - 1188870 - LUCIA DA SILVA FONTES
Presidente - 1167867 - PAULO ROBERTO RAMALHO SILVA
Notícia cadastrada em: 04/02/2020 14:50
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 18/06/2021 08:27