Notícias

Banca de DEFESA: RODRIGO DE CARVALHO BRITO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RODRIGO DE CARVALHO BRITO
DATA: 28/09/2020
HORA: 08:00
LOCAL: Modo Remoto. Link a ser definido.
TÍTULO: USO DE ÓLEOS ESSENCIAIS E α-PINENO NO MANEJO DE PRAGAS DE PRODUTOS ARMAZENADOS E SEUS EFEITOS SOBRE A GERMINAÇÃO DO MILHO E FEIJÃO-CAUPI.
PALAVRAS-CHAVES: Toxicidade, Repelência, Persistência, Vigor, Viabilidade
PÁGINAS: 156
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

O manejo de pragas de grãos armazenados feito com óleos essenciais e seus compostos é indicado como meio alternativo à fosfina e tem trazido resultados promissores. O objetivo deste trabalho foi investigar a eficiência de óleos essenciais e α-pineno no tratamento de grãos de feijão comum, sementes de milho e feijão-caupi em condições de armazenamento, para o manejo de Zabrotes subfasciatus (Bohemann, 1833) (Coleoptera: Chrysomelidae: Bruchinae), Sitophilus zeamais (Mots.) (Coleoptera: Curculionidae) Callosobruchus maculatus (Fabr.) (Coleoptera: Chrysomelidae: Bruchinae), respectivamente, bem como avaliar os possíveis efeitos dos tratamentos sobre a germinação das sementes de milho e feijão-caupi. O estudo avaliou a toxicidade por contato, fumigação e repelência de óleos essenciais (Gaultheria procumbens, Juniperus communis, Protium heptaphyllum e Protium pallidum) e do composto (α-pineno) sobre Z. subfasciatus, S. zeamais e C. maculatus, a persistênciaem sementes de milho e o efeito residual em sementes de milho e feijão-caupi. Os componentes majoritários foram: Salicilato de metila (IR: 1202, 96%) para G.procumbens, α-pineno (IR: 930; 67%) para J. communis, limoneno (IR: 102; 40,1%) para P. heptaphyllum e o-cymeno (IR: 1025; 31,17%) e α-pineno (IR: 932; 16,99%) para P. pallidum. Para S. zeamais a CL50 foi 26,83μL / 20g para G. procumbens, 79,97μL / 20g para J. communis, 45,78μL / 20g para P. heptaphyllum, 57,98μL / 20g para P. pallidum e 51,35μL / 20g para α-pineno no teste de contato. A toxicidade por fumigação dos produtos decresceu nesta ordem: G. procumbens P. heptaphyllum > α- pineno > J. communis > P. pallidum para CL30;50, porém a menor CL95 foi de 71,74 μL / L para α-pineno. Todos os produtos testados são repelentes a S. zeamais. A eficiência de G. procumbens permaneceu por 71 dias. O óleo de J. communis e composto a-pineno não afetam a viabilidade e o vigor da semente de milho. Já para C. maculatus as CL50 foram de 0,47 µL / 20g para G. procumbens; 11,65 µL / 20g para P. pallidum; 24,43 µL /20g para a-pineno no teste de contato. Todos os produtos diminuíram a oviposição e a emergência de adultos. Para toxicidade por fumigação as CL50 foram de 12,14, 252,34, 259,40 µL / L para G. procumbens, P. pallidum e a-pineno, respectivamente. Os óleos de J. communis, P. heptaphyllum e P. pallidum e o a-pineno foram repelentes, diminuindo o número de ovos e de emergidos de C. maculatus. Os óleos de G. procumbens, J. communis e o composto α-pineno não diminiuem a viabilidade e o vigor na germinação de sementes de feijão-caupi. Para Z. subfasciatus em teste de contato as CL50 foram de 1,09 μL / 20g para G. procumbens, 4,32 μL / 20g para P. heptaphyllum, 4,06 μL / 20g para P. pallidum, 9,53 μL / 20g para J. communis, 17,83 μL / 20g para a-pineno. Todos os produtos diminuíram oviposição e a emergência de novos adultos. A toxicidade por fumigação variou com CL50 de 31,60; 48,97; 112,92; 183,46 e 241,57 μL / L de ar para G. procumbens, P. heptaphyllum, P. pallidum, J. communis e a-pineno, respectivamente. Todos os óleos repeliram adultos de Z. subfasciatus significativamente, reduzindo a oviposição e emergência. Conclui-se que os produtos testados são tóxicos as três pragas e podem ser usados como ferramentas no manejo dessa espécie.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - DOUGLAS RAFAEL E SILVA BARBOSA - IFMA
Externo à Instituição - KAMILLA DE ANDRADE DUTRA - UFRPE
Presidente - 422661 - LUIZ EVALDO DE MOURA PADUA
Externo ao Programa - 2323147 - LUZINEIDE FERNANDES DE CARVALHO
Externo à Instituição - MARIA DA CONCEIÇÃO SAMPAIO ALVES - UESPI
Interno - 043.286.014-23 - SOLANGE MARIA DE FRANCA - UFPI
Notícia cadastrada em: 16/09/2020 08:48
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 22/06/2021 08:00