Notícias

Banca de DEFESA: PAULO ALEXANDRE CRUZ CARVALHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PAULO ALEXANDRE CRUZ CARVALHO
DATA: 27/09/2013
HORA: 14:30
LOCAL: Núcleo de Pós-Graduação em Ciências Agrárias
TÍTULO:

 

 

Erosivisidade das chuvas de Piririri, Piauí.


PALAVRAS-CHAVES:

 

 

Erosão. EI30. Precipitação. Solo. Pluviograma.


PÁGINAS: 52
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

O estudo das características e do ciclo de ocorrência das chuvas, um dos principais componentes do clima, permite ao homem fazer o planejamento das produções ano após ano. Este trabalho teve como objetivo, conhecer a erosividade das chuvas no período de 2005 a 2012,  no Município de Piripiri, Piauí, localizado a 04°16’24’’ Sul e 41°46’37’’ Oeste, cujos resultados irão auxiliar no planejamento do uso e ocupação dos solos, para as mais diversas atividades rurais e urbanas.  O trabalho foi realizado utilizando pluviogramas diários da estação meteorológica de Piripiri, que se encontram arquivados do Instituto Nacional de Meteorologia – INMET, 3º DISME, Recife (PE). Para realização dos cálculos de Erosividade (R), utilizou-se o software “CHUVEROS”. No período estudado, a precipitação pluvial média anual de Piripiri, Piauí, foi de 1.488,4 mm, com 87,83% das chuvas a concentradas de janeiro a maio. Os valores de erosividade anuais variaram de 3.877,00 MJ.mm/há-1.h-1.ano-1 a 17.922,90 MJ.mm/há-1.h-1.ano-1, sendo o Fator R, igual a 9.502,89 MJ.mm/há-1.h-1.ano-1 considerado uma erosividade alta. O ano de 2009 foi o que apresentou maior volume de chuvas erosivas 1.832,9 mm, 21,7% do total de chuvas erosivas do período, sendo o mês de março o que apresentou maior índice médio de chuvas erosivas 272,8 mm e o maior volume de chuvas acumulado com 2.182,5mm, para o período estudado. O ano de menor volume de chuvas foi o de 2012, apresentando apenas 488,1mm, 5,8% da pluviosidade total da série de 2005 a 2012. O padrão hidrológico de chuvas avançado, totalizaram 48,5% das chuvas erosivas do período estudado. Os 51,5% restante das chuvas foram, classificadas no padrão intermediário (17,7%) e no padrão atrasado (33,87%), observando que este último padrão é o que causa maiores danos erosivo, em função de sua capacidade de promover enxurradas.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 073.808.013-68 - ADEODATO ARI CAVALCANTE SALVIANO - UFPI
Externo à Instituição - ADERSON SOARES DE ANDRADE JUNIOR - EMBRAPA
Interno - 1072943 - FRANCISCO EDINALDO PINTO MOUSINHO
Externo à Instituição - MILCIADES GADELHA DE LIMA - UFPI
Notícia cadastrada em: 29/08/2013 10:03
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 22/06/2021 07:00