Notícias

Banca de DEFESA: NAYARA DE JESUS MORAES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: NAYARA DE JESUS MORAES
DATA: 25/03/2015
HORA: 14:00
LOCAL: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA – PRODUÇÃO VEGETAL
TÍTULO:

Fixação biológica do nitrogênio e estresse oxidativo em plantas de caupi cultivadas em solo com lodo de curtume


PALAVRAS-CHAVES:

 

 

 

Simbiose; Metabolismo do nitrogênio; Espécies reativas de oxigênio; Atividade enzimática.


PÁGINAS: 72
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
SUBÁREA: Ciência do Solo
ESPECIALIDADE: Microbiologia e Bioquímica do Solo
RESUMO:

Os resíduos industriais, como o lodo de curtume compostado (LCC), podem ser utilizados na agricultura como uma alternativa ao uso de fertilizantes nitrogenados gerando, portanto, a redução de gastos e permitindo o seu uso sustentável. Neste contexto, este trabalho teve como objetivo avaliar a simbiose entre a estirpe BR 3267 de Bradyrhizobium sp. e plantas de caupi cv. Guaribas cultivadas em solo com seis anos consecutivos de aplicação de LCC em quatro diferentes doses (0; 5; 10; e 20 Mg ha-1). Para tal, foram implementados dois experimentos em condições de casa de vegetação com plantas cultivadas em vasos contendo solo classificado como Neossolo fúlvico. Além disso, utilizou-se uma testemunha absoluta para cada dose de LCC (tratamento sem inoculação) e uma testemunha nitrogenada (TN). O primeiro experimento objetivou avaliar parâmetros relacionados à FBN e foi executado em blocos casualizados em esquema fatorial 4 x 2 (quatro doses de LCC; inoculada ou não com BR 3267) com quatro repetições. Neste, as plantas de caupi inoculadas ou não foram cultivadas em vasos contendo solo suplementado com diferentes doses de LCC e, após 65 dias de experimento, avaliou-se: comprimento e espessura da raiz; matéria fresca da parte aérea, raízes e nódulos; matéria seca da parte aérea (MSPA), raízes (MSR) e nódulos (MSN); taxa de crescimento absoluto; número de nódulos; eficiência de fixação de nitrogênio; e nitrogênio acumulado. Observou-se, neste primeiro experimento, que não houve interação significativa entre os níveis de LCC e a inoculação quanto a maioria das variáveis analisadas. As plantas de caupi inoculadas e suplementadas com 0; 5; e 10 Mg ha-1 de LCC, enquanto que para o número de nódulos os melhores resultados foram obtidos nas doses de 0; 5; e 20 de LCC. No segundo experimento, o delineamento foi blocos casualizados com esquema fatorial 4 x 2 x 2, sendo quatro doses de LCC; inoculada ou não com BR 3267; e dois tempos de coleta (ponto de florescimento e de emissão de vagens). Após as coletas nos dois tempos estabelecidos, determinou-se os níveis de peróxido de hidrogênio; a concentração de leghemoglobina (LHb); e a atividades das enzimas catalase (CAT), desidrogenase do glutamato aminante (GDHa), sintetase de glutamina (GS) e peroxidase de fenóis (POX) nos nódulos de plantas de caupi. Os níveis de peróxido de hidrogênio nos nódulos de caupi, coletados no período de florescimento e na coleta das vagens, foram menores na dose de 10 Mg ha-1 de LCC. Observou-se que a LHb nos nódulos foi incrementada nas plantas inoculadas e submetidas à 5 Mg ha-1 de LCC (no florescimento) e à 20 Mg ha-1 (na emissão de vagens). As enzimas CAT, GDHa, GS e POX foram diferentemente moduladas com relação às doses de LCC aplicadas, presença ou ausência do BR 3267 e épocas de coleta. Durante o florescimento, período onde a eficiência simbiótica é maior, a atividade das enzimas antioxidantes foi maior nas doses 5 e 10 Mg ha-1 de LCC nas plantas inoculadas com BR 3267. Já na época de coleta das vagens, a atividade das enzimas CAT, GDHa e POX foram aumentadas nas plantas inoculadas com BR 3267. Estas respostas podem estar associadas a contribuição da inoculação à habilidade de certos genótipos em degradar substâncias tóxicas liberadas em condições de estresse.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2058762 - ARTENISA CERQUEIRA RODRIGUES
Interno - 423361 - REGINA LUCIA FERREIRA GOMES
Externo à Instituição - AURENIVIA BONIFACIO DE LIMA - UFT
Notícia cadastrada em: 26/02/2015 10:08
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 22/06/2021 07:06