Notícias

Banca de DEFESA: JOSE CLAUDIO GARCIA LIRA NETO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSE CLAUDIO GARCIA LIRA NETO
DATA: 11/04/2016
HORA: 14:00
LOCAL: SALA DO CONSELHO DEPARTAMENTAL-CCS
TÍTULO:

Relação entre o controle metabólico e adesão medicamentosa em pacientes com Diabetes Mellitus tipo 2


PALAVRAS-CHAVES:

Adesão à medicação. Diabetes Mellitus tipo 2. Atenção à Saúde.


PÁGINAS: 115
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

 O Diabetes Mellitus (DM) é um conjunto de doenças complexas, caracterizadas por hiperglicemia, de etiologia multigênica e multifatorial que desafia pesquisadores, clínicos e pacientes. A incidência e a prevalência dessa enfermidade vêm crescendo ano após ano, de forma assustadora, tornando-se um grave problema de saúde pública. Atualmente, essa moléstia já atinge mais de 415 milhões de pessoas ao redor do mundo. No entanto, caso nenhuma intervenção seja realizada, em 2040, a estimativa é de que o número de pessoas com DM chegue a 642 milhões, sendo 23,3 milhões apenas no Brasil. Frequentemente associada a complicações que geram alterações agudas e crônicas irreparáveis, essa doença tem em seu plano de cuidados medidas simples para a interrupção de seu avanço, tais como: mudanças no estilo de vida e adesão aos antidiabéticos orais (ADOs). Uma vez que o paciente adere ao tratamento instituído, as disfunções causadas pelo DM minimizam-se, e então um bom controle metabólico (CM) é alcançado. No entanto, a inconsistência e a falta de robustez dos dados que tracem uma relação direta entre adesão e CM traz à tona a necessidade de aprofundamento acerca do assunto. Dessa forma, esse trabalho tem como objetivo analisar a relação existente entre a adesão aos ADOs e o CM de pacientes com Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2). Trata-se de um estudo transversal, realizado com 201 pessoas com diagnóstico para DM2 cadastrados e acompanhados pelas 17 Unidades Básicas de Saúde (UBS) da cidade de Floriano, Piauí. Compuseram a amostra diabéticos maiores de 18 anos, que fossem atendidos na rede de atenção básica de Floriano, Piauí, e em uso exclusivo de ADOs há, no mínimo, seis meses. Inicialmente os pacientes que aceitaram participar da pesquisa preencheram um instrumento contendo informações sociodemográficas. Em um segundo momento, foram avaliados os dados antropométricos e clínicos, bem como aqueles ligados à adesão medicamentosa. As coletas de dados foram realizadas por um laboratório especializado, respeitando um jejum de 12 horas, para glicemia venosa de jejum (GVJ), hemoglobina glicada (HbA1c), triglicerídeos (TG), HDL colesterol, LDL colesterol e colesterol total (CT). O projeto foi submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da Universidade Federal do Piauí e aprovado conforme o parecer de número 485.420. Do total de pacientes investigados, 72,6% eram do sexo feminino, 71,1% não praticavam nenhum exercício físico e 71,6% estavam acima do peso. Quando avaliada a adesão medicamentosa por meio do Teste de Morisky, Green e Levine adaptado, apenas 23,9% da amostra foi considerada aderente. Já no que diz respeito ao CM, os valores de HbA1c, GVJ, TG, LDL, HDL, CT e pressão arterial estiveram alterados em 71,3%, 68,9%, 53,9%, 33,8%, 88,5%, 47,6% e 29,4% da amostra, respectivamente. Conclui-se que, quando aderentes, os pacientes com DM2 tem melhores níveis de HbA1c, GVJ e CT; que os homens têm melhor controle das frações de TG, LDL e CT; que os níveis pressóricos são mais bem controlados entre os pacientes que praticam exercícios físicos regulares e que, abster-se do uso de álcool gera melhores níveis de GVJ. Estudos de intervenção devem ser realizados na busca de incentivar hábitos de vida saudáveis, bem como incentivar a adesão aos ADOs em pacientes com DM2


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1167726 - CLAUDETE FERREIRA DE SOUZA MONTEIRO
Externo ao Programa - 1551620 - MARIA ZELIA DE ARAUJO MADEIRA
Presidente - 2365867 - MAURICIO BATISTA PAES LANDIM
Externo à Instituição - ROBERTO WAGNER JUNIOR FREIRE DE FREITAS - FOC
Notícia cadastrada em: 31/03/2016 12:32
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 23/06/2024 19:28