Notícias

Banca de DEFESA: DANIELA FURTADO RODRIGUES DE ANDRADE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DANIELA FURTADO RODRIGUES DE ANDRADE
DATA: 08/02/2019
HORA: 16:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Parasitologia e Microbiologia – UFPI, Teresina, Piauí
TÍTULO: COLONIZAÇÃO POR Staphylococcus aureus DA NASOFARINGE E CIRCUITO DE VENTILAÇÃO MECÂNICA EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA
PALAVRAS-CHAVES: Staphylococcus aureus. Resistência antimicrobiana. Ventilação Mecânica. Unidade de Terapia Intensiva.
PÁGINAS: 75
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

Em média, pacientes atendidos em UTI apresentam de 5 a 10 vezes mais chances de desenvolver IRAS comparado a outros setores de hospitalização. A ventilação mecânica é uma intervenção essencial em muitos pacientes gravemente doentes e um tubo orotraqueal é o elemento-chave nesse processo. Consequentemente, os pacientes que recebem VM estão em maior risco para IRAS, em especial para a pneumonia associada à ventilação mecânica. O estudo objetivou avaliar a colonização por Staphylococcus aureus em pacientes submetidos à ventilação mecânica. Trata-se de um estudo descritivo e delineamento transversal, realizado com 30 pacientes internados nas unidades de terapia intensiva (UTI’s) de um Hospital Público de Teresina- PI. A coleta de dados ocorreu no período de novembro/2018 a abril/2019, por meio de formulário que apresentou dados sociodemográficos dos participantes, relacionadas às variáveis clínicas da pesquisa, bem como houve coleta de amostras biológicas no 3º, 5º e 7º dia de ventilação mecânica, sendo a análise realizada no laboratório de Microbiologia da UFPI. Os dados foram processados no software estatístico Statistical Package for Social Sciences (SPSS), versão 20.0. Algumas associações de interesse foram verificadas utilizando-se o teste qui-quadrado e teste exato de Fisher, adotando- se nível de significância de p ≤0,05. Dos 30 pacientes foram coletadas 365 amostras referentes aos sítios de coleta (nasofaringe, orofaringe, traqueia inspiratória, traqueia expiratória e conector do ventilador mecânico ao tubo orotraqueal). Do total de amostras coletadas 150 foram positivas para S. aureus, sendo 37 (24,6%) da orofaringe, 45 (30%) da nasofaringe, 26 (17,3%) da traqueia expiratória, 22(14,6%) da traqueia inspiratória e 20 (13,3%) do conector. Além disso, a colonização por S. aureus foi de 28,67% no primeiro dia, 33,33% no segundo dia e 38,00% no terceiro dia. Das 150 amostras positivas para S. aureus, 88 (58,6%) eram resistentes à oxacilina, ou seja, sugestivas de MRSA.. A colonização do sítio traqueal inspiratório do ventilador mecânico leva à uma associação significativa com o desenvolvimento da PAV em um período maior que 7 dias.  Detectou-se que a traqueia expiratória do circuito de ventilação é o que apresenta maior colonização bacteriana (17,3%), enquanto que a traqueia inspiratória somou 14,6% das culturas positivas, o que sugere a participação do paciente na disseminação dessas bactérias ao longo do circuito, através de eliminação de secreções, gotículas ou aerossóis, não necessitando que o mesmo esteja infectado para que o processo ocorra. Além disso, foi demonstrado significativamente a translocação de um sítio para o outro. Os resultados também mostram que o circuito estando uma vez colonizado, há uma tendência de que assim o sistema se mantenha, colonizando o ramo oposto e favorecendo o crescimento de MRSA. As associações significativas leveram ao entendimento de que a partir do 5º dia de VM (2º dia de coleta) as chances de resistência à diversos antimicrobianos aumenta. Observa-se que com o passar do tempo de permanência na ventilação mecânica a chance de ser colonizada. Dessa forma, ressalta-se a importância de implementar a vigilância microbiológica de pacientes em uso de VM na UTI e sua contribuição para a prevenção de infecções nosocomiais e melhora na qualidade da assistência. O isolamento e determinação do perfil de susceptibilidade dessas bactérias são importantes para o monitoramento e prevenção de futuras infecções. 


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1581960 - DANIELA REIS JOAQUIM DE FREITAS
Externo ao Programa - 1543947 - GIRLENE SOARES DE FIGUEIREDO
Externo ao Programa - 1167658 - MARIA ELIETE BATISTA MOURA
Presidente - 423325 - VIRIATO CAMPELO
Notícia cadastrada em: 21/01/2019 11:25
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.sigaa 21/06/2024 09:08